Cosmogênese e antropogênese
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Cosmogênese e antropogênese

on

  • 916 views

Aula apresentada nos dias 13/08 e 20/08 baseada na obra "A Doutrina Secreta" de H. P. Blavatsky.

Aula apresentada nos dias 13/08 e 20/08 baseada na obra "A Doutrina Secreta" de H. P. Blavatsky.

Statistics

Views

Total Views
916
Views on SlideShare
916
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
36
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Cosmogênese e antropogênese Cosmogênese e antropogênese Presentation Transcript

    • Cosmogênese e Antropogênese Luiz Faias Junior
    • Você já se perguntou... • quem somos? • de onde viemos? • para onde vamos?
    • Seus problemas acabaram!
    • A Doutrina Secreta • H. P. Blavatsky • 1888
    • A Doutrina Secreta • Contém ensinamentos encontrados nas Estâncias de Dzyan • são pergaminhos antigos de origem tibetana • escritos em uma coleção de folhas de palma, resistentes à água, ao fogo e ao ar • conteriam registros de toda a evolução da humanidade, em uma língua desconhecida pelos filólogos denominada Senzar
    • Proposições fundamentais • A existência de um Princípio Onipresente, eterno, sem limites, imutável e incognoscível, pois sua compreensão escapa à capacidade da inteligência humana, e que permanece não-manifestado; #1
    • Proposições fundamentais • A eternidade do universo (e portanto a eternidade da matéria), que passa por ciclos de atividade e inatividade que se repetem em sucessão sem início nem fim; #2
    • Proposições fundamentais • A identidade de todas as almas com a alma universal, sendo esta última um aspecto da raiz desconhecida. #3
    • O Princípio Divino em tudo • O Absoluto, do Infinito, daquele em que tudo se contém, nada se pode saber, no grau em que nos encontramos, a não ser que Ele existe; nada se pode dizer que não seja uma limitação e, por isso mesmo, inexato. • Inumeráveis universos nele estão contidos; e, em cada universo sistemas solares incalculáveis.
    • Cosmogênese • Cosmos = universo, a totalidade de todas as coisas • gênese = criação • Carl Sagan: "tudo o que já foi, tudo o que é e tudo que será"
    • Triplo Logos Solar • A manifestação do Divino é sempre tríplice • Eis porque todas as religiões têm-nO representado como uma Trindade
    • Triplo Logos Solar
    • Triplo Logos Solar • Divindade Solar • Sete ministros,“Espíritos Planetários”, ou Dhyan-chohans • Anjos ou Devas
    • Ciclos de criação e destruição • Períodos de atividade: Manvantaras ou Kalpas • Períodos de inatividade: Pralayas • “Dias e Noites de Brahman”
    • Ciclos de criação e destruição
    • Ciclos de criação e destruição
    • Ciclos de criação e destruição
    • Dias e Noites de Brahman • Um dia = 4.320.000.000 anos mortais • Uma noite = 4.320.000.000 anos mortais • 360 destes dias formam um ano = 3.110.400.000.000 • 100 anos representam a vida de um sistema solar • 311.040.000.000.000 anos mortais
    • Cosmogênese • O Universo "acorda" e se expande, até atingir um ponto máximo. Depois começa a encolher, de tal forma que acaba se tornando um ponto no espaço vazio. É o chamado 'Ponto Laya".
    • Cosmogênese • Brahman, diferencia-se em duas forças opostas • Masculino-Feminino • Positivo-Negativo • Ativo-Passivo
    • “Fertilização imaculada”
    • Expansão do Cosmos
    • Pense numa célula
    • Numerologia • Do zero vem o um • ...do um vem o dois • ...e o três • ...e as “10 mil coisas”
    • A ilusão da matéria • Do mesmo modo que o som não pode existir sem o silêncio, nenhuma coisa pode existir sem o nada, sem o espaço vazio. Cada objeto material ou cada corpo veio do nada, é cercado pelo nada e vai voltar para o nada. • Até mesmo no interior de cada corpo físico existe muito mais “nada” do que “algo”. Os físicos nos dizem que a solidez da matéria é uma ilusão.
    • A ilusão da matéria
    • A ilusão da matéria • O que dá sentido a essa sala?
    • Qual é a essência desta sala? • Os móveis, os quadros, etc. estão dentro da sala, mas eles não são a sala. O chão, as paredes, o teto definem os limites da sala, mas também não são a sala. • Qual é, então, a essência da sala? O espaço, é claro, o espaço vazio. Não haveria nenhuma “sala” sem ele. Como o espaço é “nada”, podemos dizer que aquilo que não está lá é mais importante do que aquilo que está. • Portanto, tome consciência do espaço à sua volta. Não pense a respeito. Sinta-o do jeito que é. Preste atenção ao “nada”.
    • Por que tudo isso, então? • O objetivo final do mundo não está dentro do mundo, mas na transcendência do mundo. • Assim como nós não teríamos consciência do espaço se não houvesse objetos no espaço, o mundo é necessário para que o Não Manifesto seja percebido.
    • Por que tudo isso, então? • Você está aqui para possibilitar que o propósito divino do universo se revele. • Veja como você é importante! • Eckart Tolle em “O Poder do Agora”
    • Antropogênese • Antropo = homem • gênese = criação • tentativa de explicar o surgimento e evolução da humanidade
    • Constituição Septenária
    • Constituição Septenária • Átmico
    • Constituição Septenária • Átmico • Búdico
    • Constituição Septenária • Átmico • Búdico • Mental Puro
    • Constituição Septenária • Átmico • Búdico • Mental Puro • Mental Concreto
    • Constituição Septenária • Átmico • Búdico • Mental Puro • Mental Concreto • Astral
    • Constituição Septenária • Átmico • Búdico • Mental Puro • Mental Concreto • Astral • Vital
    • Constituição Septenária • Átmico • Búdico • Mental Puro • Mental Concreto • Astral • Vital • Étero-físico
    • Por que sete?
    • Por que sete? • É considerado o número da vida, da perfeição, o número sagrado (segundo Pitágoras).
    • Por que sete? • É considerado o número da vida, da perfeição, o número sagrado (segundo Pitágoras). • Rege o desenvolvimento do homem e os acontecimentos do mundo, material e espiritualmente. Representa a lei da evolução na natureza.
    • Por que sete? • É considerado o número da vida, da perfeição, o número sagrado (segundo Pitágoras). • Rege o desenvolvimento do homem e os acontecimentos do mundo, material e espiritualmente. Representa a lei da evolução na natureza. • Encontramos este número diversas vezes nos livros sagrados como a Bíblia, o Torá, a Cabala, etc.
    • Por que sete?
    • Por que sete? • 7 maravilhas do mundo • 7 mares • 7 livros do antigo testamento • 7 pecados capitais • 7 fases da vida • 7 anões ;-)
    • corpos dias da semana cores astros sagrados notas musicais sentidos chakras vontade domingo violeta Sol si potencial coronário intuição sábado azul índigo Saturno lá potencial 3º olho mental puro sexta azul celeste Vênus sol olfato laringo mental concreto quinta rosa ou verde Júpiter fá paladar coração emocional quarta amarelo Mercúrio mi visão plexo solar vital terça alaranjado Marte ré tato abaixo do umbigo étero-físico segunda vermelho Lua dó audição base da coluna
    • Os 7 chakras
    • Os 7 planos
    • Os 7 planos • Plano Elemental • Plano Elemental • Plano Elemental • Plano Hominal • Plano Animal • PlanoVegetal • Plano Mineral
    • Diferenças entre os reinos animal e hominal • O que distingue o homem dos animais e dos vegetais, é que, somente ele, é verdadeiramente uma alma. • No homem, esta alma só se pode manifestar no mundo físico através de um corpo único; ao passo que, no animal e na planta, a alma reveste simultaneamente vários corpos diferentes.
    • Diferenças entre os reinos animal e hominal • Conceito de “alma-grupo” • Exemplo dos leões • Experiência da jarra com água
    • Diferenças entre os reinos animal e hominal • hereditariedade dos instintos: • pato chocado pela galinha vai para a água • aves chocadas artificialmente constroem ninhos
    • Sub corpos
    • Sub corpos • Estamos trabalhando qual corpo?
    • Sub corpos • Estamos trabalhando qual corpo? • Temos pequenos “lampejos” do que seja a mente pura
    • Sub corpos • Estamos trabalhando qual corpo? • Temos pequenos “lampejos” do que seja a mente pura • Nossa intuição é apenas uma pequena “amostra” do que seja a verdadeira intuição
    • Sub corpos • Estamos trabalhando qual corpo? • Temos pequenos “lampejos” do que seja a mente pura • Nossa intuição é apenas uma pequena “amostra” do que seja a verdadeira intuição • E a verdadeira vontade?
    • Sub corpos • Cada um dos sete corpos, subdivide-se em mais sete, e assim sucessivamente por sete vezes, criando-se assim uma estrutura piramidal de linhas de força que caminham pelos subcorpos.
    • Subcorpos
    • Subcorpos •7 * 7 * 7 * 7 * 7 * 7 * 7
    • Subcorpos •7 * 7 * 7 * 7 * 7 * 7 * 7 •= 823.543
    • Cadeias Planetárias • O plano que se observa é o seguinte: descer cada vez mais profundamente na matéria, e, em seguida, pouco a pouco ir-se desprendendo dela.
    • Cadeias Planetárias
    • Cadeias Planetárias você está aqui
    • Rondas ou globos • O plano que se observa é o seguinte: descer cada vez mais profundamente na matéria, e, em seguida, pouco a pouco ir-se desprendendo dela.
    • Rondas ou globos
    • Rondas ou globos você está aqui
    • Rondas ou globos
    • Raças-raiz • A evolução do Homem nesta Ronda é composta de sete Raças-raiz, cada uma delas composta de sete sub-raças, que são ramos derivados da Raça. • Na atualidade estamos vivendo o período da Quinta Raça- raiz, a Raça Ariana.
    • isso não tem nada a ver com o nazismo
    • Raças-raiz 1. Polar / Chayas 2. Hiperbórea 3. Lemuriana 4. Atlante 5. Ariana
    • Evolução dos sentidos Raça Sentido 1ª: Polar / Chayas Audição 2ª: Hiperbórea Tato 3ª: Lemuriana Visão 4ª:Atlante Paladar 5ª:Ariana Olfato 6ª potencial 7ª potencial
    • Evolução de consciência UNIVERSAL INTUICIONAL MENTAL MINERAL VEGETAL HUMANOANIMAL ESPIRITUAL FÍSICO EMOCIONAL
    • Primeira raça: Polar / Chayas • matéria etérica • seres assexuados • mais se assemelhavam a nuvens vagas, flutuantes, quase informes
    • Primeira raça: Polar / Chayas • matéria etérica • seres assexuados • mais se assemelhavam a nuvens vagas, flutuantes, quase informes
    • Segunda Raça: Hiperbórea • matéria etérea, partindo para ser mais densa, mais material, com um corpo com consistência gelatinosa (semelhante a uma água-viva) • continente ocupado: Plaksha (norte da Ásia)
    • Terceira Raça: Lemuriana • Etnia dominante: negra • Separação dos sexos • chegada dos senhores deVênus
    • Terceira Raça: Lemuriana
    • Terceira Raça: Lemuriana • Desenvolvimento dos órgãos visuais (apenas um no começo) • glândula pineal, cujas funções e secreções os próprios endocrinólogos ainda desconhecem • Ciclopes
    • Terceira Raça: Lemuriana
    • Terceira Raça: Lemuriana
    • Quarta Raça:Atlante • considerada a maior de todos os tempos • muito além do nosso atual grau de desenvolvimento tecnológico • trabalhou o corpo mental concreto, e acabaram sendo vítimas de sua soberba
    • Características dos Atlantes • chegavam a ter três metros de altura • etnias dominantes: peles vermelha e amarela • tinham todas as características humanas e uma força física muito grande
    • Tecnologia dos Atlantes • Energia elétrica: as fontes eram a água, plantas e metais • Edificações: mestres em construção, tinham enorme precisão e conhecimentos de engenharia • Metalurgia: produziam tipos de elementos ainda desconhecidos até hoje
    • Evidências dos Atlantes • Pirâmides: há pedras que até hoje não há guindaste que tenha a capacidade de erguê-las • Aparelhos muito evoluídos de cálculos como computadores e relógios • Obras como o crânio de cristal
    • Quinta Raça:Ariana • existe há cerca de 1 milhão de anos • provém de Ariavarta, conhecida como a Índia Antiga • signo de Áries • cinco continentes atuais
    • Quinta Raça:Ariana • sub-raças: • 1. Hindu • 2. Ário-semítica • 3. Iraniana • 4. Céltica • 5.Teutônica
    • Sub-raças • Cada sub-raça é um “degrau” na escada para a formação da próxima raça
    • Sub-raças IV 4 3 2 1 7 6 5 V 4 3 2 1 7 6 5 VI 4 3 2 1 7 6 5
    • Sub-raças • Da 2ª sub-raça da 1ª raça, origina-se a 2ª raça • Da 3ª sub-raça da 2ª raça, origina-se a 3ª raça • Da 4ª sub-raça da 3ª raça, origina-se a 4 raça • Da 5ª sub-raça da 4ª raça, origina-se a 5ª raça • você entendeu...
    • Substituição de uma sub-raça • ocorre através de dominação pela sub-raça sucessora • ou cataclisma que abate total ou parcialmente a sub-raça antecessora • "Dia do Juízo": fecha-se a porta aos indivíduos inabilitados para o próximo ciclo evolutivo
    • Substituição de uma raça-raiz • grande cataclisma envolvendo continentais extensões de terra • submergem as terras mais povoadas pela raça em declínio • emergem territórios que servirão de berço de desenvolvimento para a nova raça que se instala
    • Aporte deVênus • Incentivo energético • sétima ronda da quinta cadeia • Senhores da Chama • Seres Augustos • Filhos da Névoa Ígnea
    • Grande Fraternidade Branca • El Morya • Kuthumi ou Lanto ou Confucio • PauloVeneziano ou Rowena • Serapis Bey • Hilarion • Jesus ou Nada • Saint Germain
    • Grande Fraternidade Branca • atribui-se surgida no Antigo Egito • várias outras ordens hoje proclamam-se descendentes: • Maçonaria • Ordem Rosacruz (AMORC) • própria Sociedade Teosófica
    • Onde estamos afinal? • 5ª subraça • 5ª raça • 4ª globo • 4ª cadeia planetária
    • Recapitulando: 5ª sub-raça
    • Recapitulando: 5ª raça
    • Recapitulando: 4º globo (D)
    • Recapitulando: 4º globo (D) você está aqui
    • Recapitulando: 4ª cadeia planetária
    • Recapitulando: 4ª cadeia planetária você está aqui
    • Mas não se preocupe!
    • você ainda está aqui