Sistemas Operacionais - Gnu/Linux Permissões de Arquivos Diretórios
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Sistemas Operacionais - Gnu/Linux Permissões de Arquivos Diretórios

on

  • 6,809 views

 

Statistics

Views

Total Views
6,809
Views on SlideShare
6,486
Embed Views
323

Actions

Likes
3
Downloads
220
Comments
0

3 Embeds 323

http://profluizarthur.wordpress.com 320
http://webcache.googleusercontent.com 2
http://www.slideshare.net 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Sistemas Operacionais - Gnu/Linux Permissões de Arquivos Diretórios Sistemas Operacionais - Gnu/Linux Permissões de Arquivos Diretórios Presentation Transcript

    • 1 Sistemas Operacionais Luiz Arthur Como o Linux é um sistema operacional multiusuário, as permissões de acesso a arquivos, diretório e outros dispositivos são necessárias para garantir que os usuários tenham acesso somente aos recursos que eles podem utilizar. Estes recursos podem ser desde um simples arquivo até uma impressora ou um gravador de CD-ROM. Dono Grupo Outros d r w x r w x r w x Tipos de arquivo: Escrita Gravação d diretório - arquivo Leitura l link b dispositivo de bloco c dispositivo de caracteres Cada arquivo no Linux tem definido seu controle de acesso. Este controle é definido por três classes: ●Permissão de usuário: Definem a permissão para o usuário que é o “dono” do arquivo, quem o criou e o mantém. ●Permissão de grupo: Definem a permissão para o grupo de usuários ao qual ele pertence. ●Permissão para outros usuários: Definem a permissão para todos os outros usuários (não dono e de outro grupo).
    • 2 Sistemas Operacionais Luiz Arthur Todos os recursos representados por arquivos e diretórios têm suas permissões relacionadas. Podemos visualizar as permissões com instruções específicas, e elas são sempre representadas por combinações de 9 caracteres (por exemplo: rwxr- xrw-). As três primeiras posições representam as permissões para o usuário. As três outras representam as permissões relativas a um grupo e as três ultimas são referentes os outros usuários que não o dono e o grupo. As definições de leitura (r - read) , escrita (w - write) e execução (x - execute) têm nuances diferentes se estamos trabalhando com arquivos ou diretórios. Objetivo Leitura (r) Gravação (w) Execução (x) Arquivo Permite ler o Permite alterar o Permite executar conteúdo do arquivo conteúdo do arquivo o arquivo como um programa Diretório Permite listar o Permite criar e apagar Permite ler e conteúdo do diretório. Arquivos no diretório. gravar arquivos no diretório.
    • 3 Sistemas Operacionais Luiz Arthur As permissões dos arquivos e diretórios são gravadas de forma binária com 12 bits de tamanho. Leitura (Dono) Leitura (Dono) Gravação (Dono) Gravação (Dono) Execução (Dono) Execução (Dono) 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Execução (Dono) SUID Gravação (Dono) SGID Leitura (Dono) Sticky Os três primeiros bits da esquerda para a direita são bits de atributos especiais, e representam: SUID (Set User ID): O bit de SUID afeta somente os arquivos executáveis. Normalmente programas são executados com a permissão do usuário que os executou. O SUID muda esta condição, fazendo com que o programa seja executado sob as permissões do usuário dono do arquivo, não importa quem o chamou. O SUID geralmente é utilizado para dar ao programa permissões de root. É preciso que o administrador tenha muito cuidado ao utilizar o SUID, pois um programa mal-intencionado pode ter acesso elevado ao sistema.
    • 4 Sistemas Operacionais Luiz Arthur SGID (Set Group ID): O bit de SGID funciona como o bit SUID. Ele faz com que os programas executem sob a permissão de grupo do dono do arquivo. Se aplicado em um diretório, o SGID vai fazer com que todos os arquivos criados debaixo deste diretório tenham o mesmo grupo do diretório. Sticky (Colado na memória): O bit especial chamado de sticky ou bit colado na memória faz com que os programas permaneçam na memória mesmo depois de terminados. Isto faz com que os programas executem mais rapidamente da próxima vez que forem chamados. Este bit quando aplicado em diretórios faz com que somente o dono do diretório, o dono do arquivo ou o root possam renomear ou apagar arquivos neste diretório. Octal Binário Letras Descrição 0 000 --- Sem acesso 1 001 --x Somente execução 2 010 -w- Somente escrita 3 011 -wx Somente escrita e execução 4 100 r-- Somente leitura 5 101 r -x Somente leitura e execução 6 110 rwx Somente leitura e escrita 7 111 r wx Leitura, escrita e execução
    • 5 Sistemas Operacionais Luiz Arthur Em adição as três permissões básicas (rwx), existem permissões de acesso especiais (stX) que afetam arquivos executáveis e diretórios: s – Substitui o bit de execução (x) do dono e neste caso representa o SUID. Quando o s substitui o bit de execução (x) do grupo ele indica o uso do SGID. Ambos SUID e SGID podem aparecer ao mesmo tempo no mesmo arquivo/diretório. A permissão de acesso especial s somente pode aparecer no campo Dono e Grupo. O S (s caixa alta) indica que não existe permissão de execução. t – Representa o stick bit, a permissão especial t, pode ser especificada somente no campo outros usuários das permissões de acesso. O T assim como o S indica que não existe permissão de execução (x) naquela posição.
    • 6 Sistemas Operacionais Luiz Arthur chmod Muda a permissão de acesso a um arquivo ou diretório. Com este comando você pode escolher se os usuários terão permissões para ler, gravar, executar um arquivo ou arquivos. Sempre que um arquivo é criado, seu dono é o usuário que o criou e seu grupo é o grupo do usuário. chmod [opções] [permissões] [diretório/arquivo] Onde: diretório/arquivo - Diretório ou arquivo que terá sua permissão mudada. Opções: -v, --verbose Mostra todos os arquivos que estão sendo processados. -f, --silent Semelhante a opção -v, mas só mostra os arquivos que tiveram as permissões alteradas.
    • 7 Sistemas Operacionais Luiz Arthur -R, --recursive Muda permissões de acesso do diretório/arquivo no diretório atual e sub- diretórios. ugoa+-=rwxXst ugoa: Controla que nível de acesso será mudado. Especificam, em ordem, usuário (u), grupo (g), outros (o), todos (a). +-=: + coloca a permissão, - retira a permissão do arquivo e = define a permissão exatamente como especificado. rwx - r permissão de leitura do arquivo. w permissão de gravação. x permissão de execução (ou acesso a diretórios). chmod não muda permissões de links simbólicos, as permissões devem ser mudadas no arquivo alvo do link. É possível copiar permissões de acesso do arquivo/diretório, por exemplo, se o arquivo teste.txt tiver a permissão de acesso r-xr----- e você digitar chmod o=u, as permissões de acesso dos outros usuários (o) serão idênticas ao do dono (u). Então a nova permissão de acesso do arquivo teste.txt será r-xr--r-x
    • 8 Sistemas Operacionais Luiz Arthur Exemplos de permissões de acesso: chmod g+r * Permite que todos os usuários que pertençam ao grupo dos arquivos (g) tenham (+) permissões de leitura (r) em todos os arquivos do diretório atual. chmod o-r teste.txt Retira (-) a permissão de leitura (r) do arquivo teste.txt para os outros usuários (usuários que não são donos e não pertencem ao grupo do arquivo teste.txt). chmod uo+x teste.txt Inclui (+) a permissão de execução do arquivo teste.txt para o dono e outros usuários do arquivo. chmod a+x teste.txt Inclui (+) a permissão de execução do arquivo teste.txt para o dono, grupo e outros usuários. chmod a=rw teste.txt Define a permissão de todos os usuários exatamente (=) para leitura e gravação do arquivo teste.txt.
    • 9 Sistemas Operacionais Luiz Arthur Modo de permissão octal com o chmod Ao invés de utilizar os modos de permissão +r, -r, etc, pode ser usado o modo octal para se alterar a permissão de acesso a um arquivo. O modo octal é um conjunto de oito números onde cada número define um tipo de acesso diferente. Um modo fácil de entender como as permissões de acesso octais funcionam, é através da seguinte tabela: 1 = Executar 2 = Gravar 4 = Ler Basta agora fazer o seguinte: Somente permissão de execução, use 1. Somente a permissão de leitura, use 4. Somente permissão de gravação, use 2. Permissão de leitura/gravação, use 6 (equivale a 2+4 / Gravar+Ler). Permissão de leitura/execução, use 5 (equivale a 1+4 / Executar+Ler). Permissão de execução/gravação, use 3 (equivale a 1+2 / Executar+Gravar). Permissão de leitura/gravação/execução, use 7 (equivale a 1+2+4 / Executar+Gravar+Ler).
    • 10 Sistemas Operacionais Luiz Arthur Exemplos: chmod 764 teste Os números são interpretados da direita para a esquerda como permissão de acesso aos outros usuários (4), grupo (6), e dono (7). O exemplo anterior faz os outros usuários (4) terem acesso somente leitura (r) ao arquivo teste, o grupo (6) ter a permissão de leitura e gravação (w), e o dono (7) ter permissão de leitura, gravação e execução (rwx) ao arquivo teste. chmod 40 teste O exemplo anterior define a permissão de acesso dos outros usuários (0) como nenhuma, e define a permissão de acesso do grupo (4) como somente leitura (r). Note com somente dois números a permissão de acesso do dono do arquivo não é modificada (leia as permissões de acesso da direita para a esquerda!). chmod 751 teste O exemplo anterior define a permissão de acesso dos outros usuários (1) para somente execução (x), o acesso do grupo (5) como leitura e execução (rx) e o acesso do dono (7) como leitura, gravação e execução (rwx).
    • 11 Sistemas Operacionais Luiz Arthur chown Muda dono de um arquivo/diretório. Opcionalmente pode também ser usado para mudar o grupo. chown [opções] [dono.grupo] [diretório/arquivo] Onde: dono.grupo Nome do dono.grupo que será atribuído ao diretório/arquivo. O grupo é opcional. diretório/arquivo Diretório/arquivo que o dono.grupo será modificado. Opções: -v, --verbose Mostra os arquivos enquanto são alterados. -f, --supress Não mostra mensagens de erro durante a execução do programa.
    • 12 Sistemas Operacionais Luiz Arthur -c, --changes Mostra somente arquivos que forem alterados. -R, --recursive Altera dono e grupo de arquivos no diretório atual e sub-diretórios. O dono.grupo pode ser especificado usando o nome de grupo ou o código numérico correspondente ao grupo (GID). Você deve ter permissões de gravação no diretório/arquivo para alterar seu dono/grupo. chown joao teste.txt - Muda o dono do arquivo teste.txt para joao. chown joao.users teste.txt - Muda o dono do arquivo teste.txt para joao e seu grupo para users. chown -R joao.users * - Muda o dono/grupo dos arquivos do diretório atual e sub-diretórios para joao/users (desde que você tenha permissões de gravação no diretórios e sub-diretórios).
    • 13 Sistemas Operacionais Luiz Arthur chgrp Muda o grupo de um arquivo/diretório. chgrp [opções] [grupo] [arquivo/diretório] Onde: grupo Novo grupo do arquivo/diretório. arquivo/diretório Arquivo/diretório que terá o grupo alterado. opções: -c, --changes Somente mostra os arquivos/grupos que forem alterados. -f, --silent Não mostra mensagens de erro para arquivos/diretórios que não puderam ser alterados.
    • 14 Sistemas Operacionais Luiz Arthur -v, --verbose Mostra todas as mensagens e arquivos sendo modificados. -R, --recursive Altera os grupos de arquivos/sub-diretórios do diretório atual. Atividade 1. Com o usuário aula crie o diretório /tmp/permissao. 2. Copie o diretório /usr/share/doc/samba-3.0.10/ e todo o seu conteúdo para o diretório /tmp/permissao, conservando as permissões originais. 3. Agora altere o dono do diretório de forma recursiva /tmp/permissao/samba- 3.0.10/ para o usuário aula. 4. Mova todo o conteúdo do diretório /tmp/permissao/samba-3.0.10/docs para o diretório /tmp/permissao/ 5. Altere o grupo do diretório /tmp/permissao/doc para root.
    • 15 Sistemas Operacionais Luiz Arthur 6. Altere a permissão do diretório /tmp/permissao/doc de forma que: o dono tenha permissão de leitura e gravação em todos os arquivo/diretórios, o grupo não tenha permissão alguma, e os outros usuários tenham permissão total. 7. Com o usuário aluno, altere o arquivo /tmp/permissao/docs/THANKS, apagando todo texto da linha 18 para frente e acrescentando no final deste arquivo seu nome e e-mail. 8. Com o usuário aluno, apague o diretório /tmp/permissao/docs/registry/, bem como todo o seu conteúdo. Caso as permissões não permitam isto atribua permissões de forma que este usuário possa fazer tal operação.
    • 16 Sistemas Operacionais Luiz Arthur fim