• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Núcleo do Linux (Kernel Linux)
 

Núcleo do Linux (Kernel Linux)

on

  • 5,599 views

 

Statistics

Views

Total Views
5,599
Views on SlideShare
5,599
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
131
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Núcleo do Linux (Kernel Linux) Núcleo do Linux (Kernel Linux) Presentation Transcript

    • Software Livre e o Núcleo do Linux Frank Helbert Luiz Arthur Rodrigo CampioloO trabalho “Software Livre e o Núcleo do Linux” de Frank Helbert, Luiz Arthur F. dos Santos e Rodrigo Campiolo foi licenciado com umaLicença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial 3.0 Não Adaptada. 1
    • Vamos falar sobre Linux!Mas, o que é Linux?Linux é um SISTEMA OPERACIONAL: Segundo Andrew Tanenbaum, Sistema Operacional gerência software e hardware dos computadores. 2
    • Vamos falar sobre Linux!Mas, o que é Linux?Linux é um SISTEMA OPERACIONAL! Segundo Andrew Tanenbaum, Sistema Operacional gerencia hardware e software dos computadores. 3
    • O que é Núcleo do Linux?O Núcleo do Linux, em inglês Linux Kernel, é a base do SistemaOperacional!!! 4
    • O que é Núcleo do Linux? Usuário Shell KernelO Núcleo do Linux, em inglês Linux Kernel, é a base do SistemaOperacional!!! 5
    • Um breve histórico/introdução sobre o Linux:Março/1991 – Linus Torvalds com 21 anos, inicia odesenvolvimento do núcleo, inspirado pelo Minix;Agosto/1991 – Linus posta uma mensagem a um grupo denotícias (comp.os.minix) dizendo: ● Estou fazendo um Sistema Operacional baseado no x386 (provavelmente não vai ser portável); ● Não é uma cópia do Minix, mas livre deste; ● Já possui o bash e o gcc; ● Está escrito na linguagem de programação C. 6
    • Linha de tempo das versões Linux:20122011 Março/19942010 Linux 1.0.0.. ~176.250 linhas de código;..2005....2000 Dezembro/1991:.. Linux 0.11,1996 1.3 Hospedado em site próprio;1995..19941993 Setembro/19911992 0.01 Lançada a versão 0.01 do Linux1991 ~10.239 linhas de código;ANOS / Versão do Núcleo Linux 7
    • Linha de tempo das versões Linux:2012 2.6.39.42011 2.4.37.112010....2005 2.2.27 2.0.40 2.6.... 2.42000 2.2.. Outubro/2010 1.3 2.0 Linux 2.6.36,19961995 ~13.499.457 linhas de código;..19941993 Junho/1996: Linux versão 2,1992 0.01 ~1.800.847 linhas de código;1991ANOS / Versão do Núcleo Linux 8
    • Linha de tempo das versões Linux:2012 2.6.39.4 3.22011 2.4.37.11 3.02010....2005 2.2.27 2.0.40 2.6.... 2.42000 2.2.. 1.3 2.0 Julho/2011:1996 Comemoração aos 20 anos,1995 Lançada a versão 3,.. ~13.872.245 linhas de código;19941993 Janeiro/2012:1992 0.01 Linux 3.2,1991 ~14.304.901 linhas de código.ANOS / Versão do Núcleo Linux 9
    • Impacto do Linux no mundo dos computadores:Sistemas Operacionais antes do Linux:- Microsoft Windows 3.0;- System 7 (Mac OS);- AIX 3.0;- 4.3BSD;- MINIX 1.5;- GNU Hurd (em desenvolvimento).Quando o Linux foi idealizado em 1991 o GNU Hurd estavaincompleto e o BSD estava com problemas legais. 10
    • Impacto do Linux no mundo dos computadores:Números de usuários Linux nos últimos 20 anos, fontelinuxcounter.net. 11
    • Impacto do Linux no mundo dos computadores:Número de usuários Linux obtidos em linuxcounter.net nosúltimos 12 meses. 12
    • Uso do Linux em relação a outros Sistemas Operacionais, noano de 2011. Fonte w3schools.com. 2011 Win7 Vista Win2003 WinXP Linux Mac MóvelDezembro 46.1% 5.0% 0.7% 38.5% 4.9% 8.5% 1.2%Novembro 45.5% 5.2% 0.7% 32.8% 5.1% 8.8% 1.0%Outubro 44.7% 5.5% 0.7% 33.4% 5.0% 8.9% 1.0%Setembro 42.2% 5.6% 0.8% 36.2% 5.1% 8.6% 0.9%Agosto 40.4% 5.9% 0.8% 38.0% 5.2% 8.2% 0.9%Julho 39.1% 6.3% 0.9% 39.1% 5.3% 7.8% 1.0%Junho 37.8% 6.7% 0.9% 39.7% 5.2% 8.1% 0.9%Maio 36.5% 7.1% 0.9% 40.7% 5.1% 8.3% 0.8%Abril 35.9% 7.6% 0.9% 40.9% 5.1% 8.3% 0.8%Março 34.1% 7.9% 0.9% 42.9% 5.1% 8.0% 0.7%Fevereiro 32.2% 8.3% 1.0% 44.2% 5.1% 8.1% 0.7%Janeiro 31.1% 8.6% 1.0% 45.3% 5.0% 7.8% 0.7% 13
    • Média do uso do Linux no período de 2003 a 2011.Fonte w3schools.com. 6 5,1 5 4,7 4,2 3,8 4 3,3 3,4 3,4 2,9 3 2,3 2 1 0 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 14
    • Uso do Linux em relação a outros SistemasOperacionais: 15
    • Impacto do Linux no mundo dos computadores:Computadores pessoais – O uso de Sistemas Operacionaisdentre os computadores pessoais está da seguinte forma (fonteMarketshare ):O uso de Linux por clientes Web não chega a 3% na melhordas hipóteses, por exemplo: ● AT Internet marca 1%; ● Webmasterpro apresenta 1.4% . 16
    • Então quer dizer que as pessoas não usam Linux? NÃO É BEM ASSIM...Os números anteriores já nos deram algumas pistas mas vamos 17 ver outros fatos!
    • Então quer dizer que as pessoas não usam Linux? NÃO É BEM ASSIM...Os números anteriores já nos deram algumas pistas, mas vamos 18 ver outros fatos!
    • O impacto do Linux no mundo dos computadores:Netbooks - O Linux é o segundo Sistema Operacional maisinstalado em Netbooks. 30% segundo a ComputerWorld.com;Tablets – 20% são Android (que possui um núcleo Linux);Dispositivos móveis – Celulares e smartphones, tem osseguintes números: Fonte: Garner e Wiki 19
    • Servidores:- Segundo Security Space: ● O Linux está em mais de 60% dos servidores no mundo; ● Windows 36%.- Conforme o w3techs.com: ● O Windows possui apenas 36,5% do mercado de servidores; ● Enquanto sistemas UNIX levam 63,5%. 20
    • MainFrames – A IBM tem entre 90 a 95% do mercado e segundoela: ● No ano de 2000, a IBM lança o projeto chamado Linux S/390; ● Em 2001 a IBM, investiu 1 Bilhão de dólares no Linux; ● Em 2003 a empresa de software SAP porta seus softwares para o Linux em Mainframes. ● Hoje temos mais de 3.150 aplicações homologadas; ● Cerca de 16% dos Mainframes MIPS executam Linux; ● 70% dos Top Clients executam Linux.Em dezembro de 2008 28% dos Mainframes utilizavam Linux eem uma projeção para 5 anos, cerca de 50% irá utilizar Linux.Fonte Gartner. 21
    • Supercomputadores – A TOP500 apresenta: ● Linux é usado em 91,4%; ● O segundo colocado é o IBM AIX, com 5,6%; ● Microsoft HPCS 2008 fica com apenas 0,2%. 22
    • Distribuições Linux:É muito comum confundir o Núcleo Linux com Distribuição Linux!Mas, qual é a diferença entre Linux e Distribuição Linux?O Linux ou Núcleo Linux é a base do Sistema Operacional!Distribuição Linux é um conjunto de programas que são agrupadosa um Núcleo Linux para dar alguma funcionalidade ao Sistema. 23
    • Distribuições Linux:É muito comum confundir o Núcleo Linux com Distribuição Linux!Mas, qual é a diferença entre Linux e Distribuição Linux?O Linux ou Núcleo Linux é a base do Sistema Operacional!Distribuição Linux é um conjunto de programas que são agrupadosa um Núcleo Linux para dar alguma funcionalidade ao Sistema. 24
    • Exemplos de Distribuições Linux: 25
    • Alguns Linux são pagos?O Núcleo do Linux não é pago, por isto o Linux não é pago!!!Mas algumas Distribuições Linux cobram por serviços e/ouferramentas.Exemplos de distribuições pagas:RedHat: ● Computadores Pessoais 49 U$; ● Estações de trabalho 179 U$; ● Servidores entre 349 U$ e 6.498 U$.SUSE: ● Computadores Pessoais 50 U$; ● Servidores entre 349 a 1.499 U$. 26
    • Obtendo o núcleo Linux: 27
    • Qual é a licença de uso do Linux?O arquivo COPYING contém a licença do Linux, que informa que oNúcleo Linux utiliza a licença GPL versão 2, o Linux está deacordo com as primitivas do projeto GNU. NOTE! This copyright does *not* cover user programs that use kernel services by normal system calls - this is merely considered normal use of the kernel, and does *not* fall under the heading of "derived work". Also note that the GPL below is copyrighted by the Free Software Foundation, but the instance of code that it refers to (the Linux kernel) is copyrighted by me and others who actually wrote it. Also note that the only valid version of the GPL as far as the kernel is concerned is _this_ particular version of the license (ie v2, not v2.2 or v3.x or whatever), unless explicitly otherwise stated. Linus Torvalds ---------------------------------------- GNU GENERAL PUBLIC LICENSE Version 2, June 1991 Copyright (C) 1989, 1991 Free Software Foundation, Inc. 51 Franklin St, Fifth Floor, Boston, MA 02110-1301 USA Everyone is permitted to copy and distribute verbatim copies of this license document, but changing it is not allowed. ... 28
    • Principais Aspectosdo Núcleo do Linux 29
    • Funções do Núcleo do Linux Gerencia e intermedeia o acesso aos recursos (memória, processos, hardware); Gerencia e coordena os processos do usuário e do sistema; Garante a segurança no acesso aos recursos; Viabiliza a interação das aplicações com os dispositivos físicos. 30
    • Classificação do Núcleo do Linux O núcleo do Linux é fundamentalmente monolítico, mas suporta gerenciamento de módulos dinamicamente; Todos os principais componentes e serviços estão agrupados dentro do núcleo, obtendo alto desempenho; Possui a capacidade de ativar/desativar serviços em tempo de execução na forma de módulos do núcleo. 31
    • Núcleo do Linux e o Sistema Operacional GNU/Linux Aplicações do Usuário Nível de Aplicação Biblioteca GNU C (glibc)GNU/Linux Interface das Chamadas de Sistema Nível de Núcleo Sistema Código dependente da arquitetura Plataforma de Hardware Arquitetura GNU/Linux e o Núcleo Linux (Jones, 2007) 32
    • Arquitetura do Núcleo do LinuxA arquitetura conceitual do Núcleo do Linux é constituída por 5 principais subsistemas. Gerenciador Gerenciador de Processos de Memória Sistema de Arquivos Rede Virtual Comunicação entre Processos (IPC) Arquitetura conceitual do Núcleo do Linux (Bowman, 1998) 33
    • Gerenciador de Processos Foco principal na execução do processo; Mantém estruturas de dados do processo; Principal componente é o escalonador de processos, responsável por gerenciar o uso da CPU por processos concorrentes; Principais arquivos:  sched.c: código do escalonador;  fork.c: criação de processos;  sched.h: estrutura task_struct. 34
    • Gerenciador de Memória Gerencia o acesso à memória primária do sistema; Possui estruturas de dados para realizar o mapeamento de endereço físico para endereço virtual; Principais arquivos:  memory.c: paginação;  filemap.c: mapeamento de memória e cache de página;  buffer.c: cache do buffer;  swap_state.c e swapfile.c: cache do swap. 35
    • Sistema de Arquivos Virtual Provê uma camada de acesso comum para as implementações de sistemas de arquivos; Abstrai os detalhes dos dispositivos físicos e dos sistemas de arquivos lógicos; Principais arquivos: Sistema de Arquivos Virtual (VFS)  fs.h ext3 ... reiser /proc  buffer.c Cache Buffer  fs/* Drivers de Dispositivos Dispositivos Físicos Sistema de Arquivos Virtual (Jones, 2007) 36
    • Rede Provê acesso e controle para os diferentes dispositivos de rede; Implementa uma API para acesso aos recursos de rede; Possui um módulo de protocolos de rede que implementa vários tipos de protocolo; Possui uma interface independente de protocolo para acesso às implementações da pilha de rede; Principais arquivos:  socket.c  net/core/*  net/ipv4/* 37
    • Comunicação entre Processos Provê os mecanismos para comunicação entre processos no sistema; Os mecanismos implementados são:  Memória compartilhada;  Filas de mensagens;  Semáforos. Os arquivos de código fonte encontram-se no diretório ipc/. 38
    • Estrutura do Núcleo do Linux 39
    • Estrutura do Núcleo do Linux arch: código dependente de arquitetura de processadores (ex: arch/i386, arch/arm/arm64); init: código de inicialização do núcleo do Linux (após a inicialização de hardware). Inicialização dos endereços de página, escalonador, chamadas de sistema, interrupção (irq) e assim por diante; crypto: implementação de algoritmos de criptografia. São implementados como módulos do núcleo do Linux; Documentation: contém a documentação do código fonte; 40
    • Estrutura do Núcleo do Linux drivers: código de implementação de drivers de dispositivos. São implementados como módulos do núcleo do Linux. Dividido em subdiretórios segundo o tipo do driver (ex: drivers/ide). A parte dependente de dispositivo reside no diretório arch/; kernel: código dos principais subsistemas do núcleo do Linux. Por exemplo, chamada de sistemas, escalonadores, DMA, interrupção. O código específico de arquitetura é mantido sobre arch/*/kernel; include: cabeçalhos genéricos do núcleo do Linux; 41
    • Estrutura do Núcleo do Linux ipc: código para os três sistemas de IPC (semáforos, memória compartilhada e filas de mensagens); lib: bibliotecas do núcleo do Linux. Bibliotecas específicas de arquitetura são mantidas em arch/*/lib; mm: código comum para gerenciamento de memória e do subsistema de memória virtual. Código específico de arquitetura arch/*/mm; 42
    • Estrutura do Núcleo do Linux net: código para o subsistema de rede. Por exemplo, implementação de protocolos e soquetes de rede; scripts: scripts e código para configurar e compilar o núcleo do Linux; security: funções de segurança. São implementadas como módulos do núcleo do Linux; virt: código para suporte a virtualização (kvm). 43
    • Processo de Inicialização do Núcleo do Linux Boot BIOS Bootstrap Kernel Init Loader POST (Power On Self Test) Inicialização da CPU Verificação da memória RAM Inicialização dos dispositivos básicos Criação do mapa de memória Carregamento MBR (setor 0) 44
    • Processo de Inicialização do Núcleo do Linux Boot BIOS Bootstrap Kernel Init Loader BIOS pode ler apenas o setor 0 Carrega o Boot Loader - LILO ou GRUB Carrega a imagem do núcleo do Linux para a memória 45
    • Processo de Inicialização do Núcleo do Linux Boot BIOS Bootstrap Kernel Init Loader Força a CPU para o modo protegido Ativa a MMU Descompacta a imagem ("Decompressing Linux ...") Chama a função "start_kernel" Inicializa todos os dispositivos, escalonadores, console, etc. 46
    • Processo de Inicialização do Núcleo do Linux Boot BIOS Bootstrap Kernel Init Loader Inicializa a CPU Reinicializa portas e controladores Interrupções são ativadas Sistema de arquivo é inicializado para permitir leitura de disco Inicializa o carregador (loader) Loader carrega a thread do núcleo "init" * se crash -> kernel panic 47
    • Processo de Inicialização do Núcleo do Linux Boot BIOS Bootstrap Kernel Init Loader Inicialização das configurações e serviços do sistema operacional. 48
    • Fatores de Sucesso da Arquitetura do Núcleo do Linux Organização dos desenvolvedores; Mecanismos para prover extensibilidade ao sistema; Suporte a várias arquiteturas de hardware; Portabilidade; Software livre. 49
    • Limitações do Núcleo do Linux Não foi projetado para sistemas de tempo real; Muitos fabricantes fornecem drivers de dispositivos com restrições para o núcleo do Linux; Muitos fabricantes ainda não fornecem os drivers de dispositivos para seus produtos; 50
    • Como o Núcleo do Linux é mantido? 51
    • ● Versão 1.0 até antes da 2.6: ● Formato A.B.C ● Versões - A: ● 1994 (versão 1.0); ● 1996 (versão 2.0); ● 2011 (versão 3.0) – comemoração de 20 anos (29/05/2011). ● Revisão maior - B: ● Par: versão madura, estável; ● Ímpar: versão em desenvolvimento (implementação de recursos novos). ● Revisão menor - C: patchs, correção de erros, etc. 52
    • ● Linus Torvalds, 1991: ● Não baseado no Minix ● 386 ● Bash e GCC● Momento histórico: ● GNU Hurd (o Núcleo do Projeto GNU apresentava problemas) ● Mach microkernel (3 anos - licença) ● BSD com problemas legais (atraso na distribuição da versão Net/2): ● AT&T USL versus BSDi ● Net/2 ● 386BSD (livre) ● BSD/386 (proprietário) 53
    • ● 09/1991, versão 0.01: ● (ftp.funet.fi) da Finnish University and Research Network (FUNET) ● 10.239 linhas de código● 10/1991, versão 0.02● 12/1991, versão 0.11 ● o Núcleo Linux podia ser compilado nele mesmo● 02/1992, versão 0.12 ● GPL● Até 2002: ● sem ferramenta de controle de código 54
    • ● Linus Torvalds ● Centraliza o código: ● Problema de escalabilidade;● BitKeeper é adotado: ● Flames: ● Não era software livre; ● Richard Stallman (fundador do projeto GNU); mostrou preocupação com o uso do software com tal licença; ● Alan Cox (desenvolvedor) se recusou a usar. 55
    • ● BitKeeper: ● Software proprietário da BitMover; ● Licença especial ● Usuários → ferramentas concorrentes (como o CVS, GNU Arch, Subversion, ClearCase) ● Metainformações → servidor central ● Interoperabilidade (limitada) com CVS e Subversion. 56
    • ● 04/2005 ● Fim versão gratuita ● Andrew Tridgell (OSDL) ● Metadados (além da versão mais recente)● BitMover ● Sem vendas de licenças → OSDL ● incluindo Linus Torvalds e Andrew Morton 57
    • ● Kernel SCM saga.. (Quarta, 6 de abril de 2005 08:42:08 GMT-07, por Linus Torvalds, na lista de e-mail do Núcleo Linux:“Ok, as a number of people are already aware (and in some cases have beenaware over the last several weeks), weve been trying to work out aconflict over BK usage over the last month or two (and it feels likelonger ;). That hasnt been working out, and as a result, the kernel teamis looking at alternatives.”…“Its not like my choice of BK has been entirely conflict-free ("No,really? Do tell! Oh, you mean the gigabytes upon gigabytes of flames wehad?"), so...”…“So I just wanted to say that Im personally very happy with BK, and withLarry. It didnt work out, but it sure as hell made a big difference tokernel development. And well work out the temporary problem of having tofigure out a set of tools to allow us to continue to do the things that BKallowed us to do.Let the flames begin. Linus” 58
    • ● Nasce o Git: ● Desenvolvido inicialmente por Linus: ● "git" é uma palavra britânica (de baixo calão) que significa "pessoa estúpida, desagradável," segundo Linus. "Im an egotistical bastard, so I name all my projects after myself. First Linux, now git."; ● CEO da BitMover, Larry McVoy ● Bitkeeper → melhor software de controle de código ● Impossível recriá-lo em código aberto; ● 03/04/2005: projeto é iniciado ● 06/04/2005: projeto é anunciado ● 18/04/2005: primeira mesclagem de código (merge) ● 16/06/2005: o Núcleo Linux 2.6.12 → Git 59
    • ● Voltando a maio de 2003: ● IBM contribuiu com o Linux com código Unix; ● A empresa SCO Group entrou na justiça; ● SCO fez terrorismo com usuários do Linux; ● IBM prometeu defender os usuários; ● De 1 milhão de linhas de código → 326 linhas de código; ● A SCO perdeu todas as ações. 60
    • ● [RFD] Explicitly documenting patch submission (domingo, 23 de maio de 2004 08:50:07 GMT+02, por Linus Torvalds, na lista de e-mail do Núcleo Linux: “Hola! This is a request for discussion.. Some of you may have heard of this crazy company called SCO (aka "Smoking Crack Organization") who seem to have a hard time believing that open source works better than their five engineers do. Theyve apparently made a couple of outlandish claims about where our source code comes from, including claiming to own code that was clearly written by me over a decade ago.” … “The plan is to make this very light-weight, and to fit in with how we already pass patches around - just add the sign-off to the end of the explanation part of the patch. That sign-off would be just a single line at the end (possibly after _other_ peoples sign-offs), saying: Signed-off-by: Random J Developer <ran...@developer.org>” … “Developers Certificate of Origin 1.0” ... 61
    • Como o Núcleo do Linux foi mantido até a versão 2.5 Somente duas árvores 62
    • ● Stable branch (por exemplo 2.4): ● Alterações menores e seguras; ● Unstable branch (por exemplo 2.5): ● Grandes alterações no código;● Mantidos pelas mesmas pessoas, lideradas por Torvalds: ● Implicações: ● Versão estável muito boa ● Porém desatualizada 63
    • ● Na série 2.5.x do Núcleo ● Portar (backport) as alterações para a versão estável ● inserção de erros na série 2.4.x do Núcleo Linux 64
    • Como o Núcleo do Linux é mantido a partir da versão 2.6 65
    • ● Somente uma árvore principal;● 2 a 3 meses entre uma release e outra (2.6.x para 2.6.x+1) ● adicionar funcionalidades e garantir a sua estabilidade: ● "-stable" kernel branch: correção de erros e patchs de segurança para versões anteriores, antes da próxima versão menor; ● Por exemplo, a equipe lançou a versão 2.6.17 como estável. Então os desenvolvedores implementam funcionalidades e começam a lançar versões “-rc”. Depois que se torna estável, é lançada como 2.6.18. 66
    • ● Depois da mudança ● desenvolvedores continuam buscando uma árvore que não fosse a estável ● Com mudanças mais rápidas ● 02/2008, Stephen Rothwell ● árvore linux-next ● patchs candidatos ao próximo ciclo de desenvolvimento 67
    • Quilt(gerenciamento de patchs) 68
    • ● Patchwork quilt (“colcha de retalhos”)● gerenciamento de patches● scripts de Andrew Morton 69
    • Git(sistema de controle de versão/revisão) 70
    • ● Cada diretório de trabalho Git é um repositório com todos os históricos que possibilita o controle total das revisões, não dependente de acesso a uma rede ou a um servidor central;● Controle de versão distribuído: ● clone funcional; ● controle “offline”; ● cópia de segurança é trivial; ● super rápido; ● superescalável. 71
    • Ajudando no desenvolvimento do Núcleo do Linux (enviando patchs) 72
    • ● “SubmittingPatches” ● Bem humorado ● Passo a passo “How to Get Your Change Into the Linux Kernel or Care And Operation Of Your Linus Torvalds”.● Passos: ● Criando e enviando seu patch; ● Usar "diff -up" ou "diff -uprN" para criar os patchs; ● Descrever suas mudanças; ● Separar as mudanças de maneira lógica; ● Verificar o estilo do código. 73
    • ● Selecionar o e-mail de destino: ● Arquivo MAINTAINERS ● Código fonte ● Mantenedor → Subsistema do Núcleo do Linux ● Enviar para a lista primária de desenvolvimento do Núcleo Linux - linux-kernel@vger.kernel.org;● Escolha seu destinatário de CO: ● Para patches pequenos (erros de compilação, erros de escrita) enviar como CO o “Trivial Patch Monkey” (trivial@kernel.org);● Somente texto puro. 74
    • ● Tamanho do e-mail – jamais ultrapasse 300KB;● Diga a que versão do Núcleo do Linux seu patch se aplica;● Não se desencoraje, se a sua alteração não aparecer, resubmeta;● Inclua [PATCH] no começo do assunto de sua mensagem;● Assine seu trabalho - episódio SCO Group: ● A assinatura é uma linha de texto ● As regras são simples. 75
    • Developers Certificate of Origin 1.1 By making a contribution to this project, I certify that: (a) The contribution was created in whole or in part by me and I have the right to submit it under the open source license indicated in the file; or (b) The contribution is based upon previous work that, to the best of my knowledge, is covered under an appropriate open source license and I have the right under that license to submit that work with modifications, whether created in whole or in part by me, under the same open source license (unless I am permitted to submit under a different license), as indicated in the file; or (c) The contribution was provided directly to me by some other person who certified (a), (b) or (c) and I have not modified it. Sem isto - viola “UKs Data Protection Act” (d) I understand and agree that this project and the contribution are public and that a record of the contribution (including all personal information I submit with it, including my sign-off) is maintained indefinitely and may be redistributed consistent with this project or the open source license(s) involved. 76
    • ● Assine seu trabalho:Signed-off-by: Random J Developer<random@developer.example.org> ● Deve ser usado o nome real. ● A linha de assunto do e-mail com o patch deve seguir o formato:Subject: [PATCH 001/123] subsystem: summary phrase ● O corpo da mensagem deve ser no formato:Uma linha "from" especificando o autor;Uma linha em branco;O corpo da explicação (registro de mudanças);A linha "Signed-off-by:" (registro de mudanças);O patch (saída do diff). ● Faça o “Linux Kernel patch submission checklist”. 77
    • ReferênciasWIKI. Linux Kernel. Disponível em http://en.wikipedia.org/wiki/Linux_kernelStephen Rothwell, LKML: Stephen Rothwell: Announce: Linux-next. Disponível emhttps://lkml.org/lkml/2008/2/11/512Jonathan Corbet. linux-next and patch management process [LWN.net]. Disponívelem http://lwn.net/Articles/269120/Jeremy Andrews. Linux: 2.6.16.y Lives On. http://kerneltrap.org/node/6930Jeremy Andrews. Linux: New Kernel Development Model.http://kerneltrap.org/node/3513James E.J. Bottomley. Git, Quilt and Other Kernel Maintenance Tools.http://www.linuxconf.eu/2007/papers/Bottomley.pdfLinus Torvalds. LKML: Linus Torvalds: Kernel SCM saga..https://lkml.org/lkml/2005/4/6/121 78
    • ReferênciasKernel. How to Get Your Change Into the Linux Kernel.http://www.kernel.org/doc/Documentation/SubmittingPatchesLinus Torvalds. [RFD] Explicitly documenting patch submission.http://groups.google.com/group/linux.kernel/msg/4d02da62a287828a?hl=enWIKI. Quilt (software). http://en.wikipedia.org/wiki/Quilt_(software)WIKI. Git (software). http://en.wikipedia.org/wiki/Git_(software)Git Reference. Git Reference. http://gitref.org/index.html 79
    • ReferênciasJones, M. Tim. Anatomia do Kernel Linux. Disponível em:http://www.ibm.com/developerworks/br/library/l-linux-kernel/Bowman, Ivan. Conceptual Architecture of the Linux Kernel. Disponível em:http://plg1.cs.uwaterloo.ca/~itbowman/CS746G/a1/Linux Kernel Tutorial. Disponível em: http://www.learninglinuxkernel.com/Rusling, David A. The Linux Kernel. Disponível em:http://en.tldp.org/LDP/tlk/tlk.htmlSaad, Motaz K. Browsing Linux Kernel. Disponível em:http://www.slideshare.net/mksaad/linux-kernel-presentationRubini, Alessandro, Corbet, Jonathan. Linux Device Drivers - Chapter 16:Physical Layout of the Kernel Source. Disponível em:http://www.xml.com/ldd/chapter/book/ch16.html 80
    • ? Frank Helbert – frank@ime.usp.br Luiz Arthur – luizsan@ime.usp.brRodrigo Campiolo – campiolo@ime.usp.br 81