Your SlideShare is downloading. ×
Combustiveis e conveniencia-gr
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Combustiveis e conveniencia-gr

395
views

Published on

Matéria da Combustíveis e Conveniencia sobre Gestão de Riscos em Postos de Gasolina

Matéria da Combustíveis e Conveniencia sobre Gestão de Riscos em Postos de Gasolina

Published in: Business, Technology

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
395
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
9
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. NA PRÁTICA Gestão de riscos contra o roubo de cargas Embora os combustíveis não apareçam no topo das estatísticas de roubo de cargas, o crime traz enormes prejuízos para o mercado, já que o combustível roubado alimenta diversas irregularidades e gera concorrência desleal. Por isso, é essencial investir em tecnologia e em procedimentos de segurança, como forma de minimizar os danos n Por Rosemeire Guidoni prejudicam o mercado como um todo. Invariavelmente, a carga roubada é vendida de forma irregular, por valores Antes de contratar um serviço de No ranking dos produtos mais visados pelas qua- bem inferiores aos praticados no mercado, o que gera gestão de riscos drilhas que praticam o roubo de cargas, os combustíveis concorrência desleal. Pior, além do baixo preço, em geral ou adquirir equipamentos aparecem bem longe do topo da lista, em décimo lugar. o combustível roubado sofre adulteração, com mistura para monitorar As estatísticas mostram que os criminosos preferem de etanol ou outros produtos químicos (também fruto veículos, é importante alimentos, eletro-eletrônicos, produtos farmacêuticos, de roubo). Muitas vezes, a carga serve para abastecer verificar as cigarros, bebidas e até artigos de confecção, antes dos o crime organizado. Em outros casos, o combustível é cláusulas de despejado de forma clandestina em estabelecimentos combustíveis (veja gráfico). Segundo dados do Setcesp seu contrato de seguro (Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de coniventes com o delito. São Paulo e Região), apenas Quando isso acontece, o consumidor é lesado, no Estado de São Paulo foram pois acaba comprando um produto de roubo (e mui- registrados 6.344 casos de tas vezes adulterado) sem saber. O Estado também é roubo de carga em 2008, dos prejudicado, uma vez que os impostos deixam de ser quais 107 eram de combustíveis recolhidos. Isso porque em alguns Estados, como em e 216 de produtos químicos São Paulo, é possível pleitear o reembolso do ICMS, já (dentre os quais estão incluídas que não houve o fato gerador (venda ao consumidor as cargas de solventes). Mas final). O mercado de revenda, como um todo, sofre com apesar de os combustíveis os efeitos da atividade irregular na concorrência. representarem uma parcela Segundo avaliação do Setcesp, este tipo de crime pequena do universo total de tem sido praticado por grupos cada vez mais especia- cargas roubadas, os prejuízos lizados, que utilizam equipamentos sofisticados e até provocados por este tipo de estratégias organizadas de abordagem. E, em geral, crime são enormes. existe sempre um receptador, ou seja, as cargas são Além da perda da carga subtraídas por encomenda. em si, que gera prejuízo ao dono Por isso, é essencial que os transportadores de com- do posto (no caso de transporte bustíveis se conscientizem dos riscos e passem a investir FOB, ou free on board) ou à em tecnologias para monitorar tanto os veículos quanto a bandeira distribuidora (trans- carga transportada. A implantação destas tecnologias, em porte CIF, ou cost, insurance conjunto com a adoção de procedimentos de segurança Fred Alves and freight), o roubo fomenta e cuidados na contratação e treinamento de motoristas, outras ações criminosas que integra o programa de gestão de riscos no transporte. A38 • Combustíveis & Conveniência
  • 2. NA PRÁTICA Fred Alvesgestão de riscos, além de visar a redução de roubos, tempor objetivo melhorar diversos aspectos relacionados àsegurança, como a prevenção de acidentes (colisão deveículo, tombamento, deslizamento de carga, avarias noproduto durante o transporte e danos ao meio ambiente,no caso de produtos perigosos). “O objetivo principal dagestão de riscos é otimizar a logística do cliente”, disseLuis Vitiritti, consultor de riscos de transportes da Chubbdo Brasil Cia de Seguros. Segundo ele, para minimizaros riscos é necessário integrar recursos humanos, tec-nologia e processos. “Se houver falha em um desteselementos, pode acontecer um sinistro ou perda. E amelhor forma de garantir a eficiência e integração destesitens é por meio da gestão de risco, feita por empresasespecializadas, capazes de analisar as peculiaridadesde cada caso específico”, completou. Segundo especialistas em gestão de riscos, para transportador) e um rastreador (equipamento ativo que Todos os motoristas e encarregados devemelevar os índices de segurança é necessário investir em possui inteligência embarcada, podendo mapear rotas e ser treinados paratreinamento e boas condições de trabalho para o motorista pontos de parada. Grava o histórico em sua caixa preta e a utilização correta dos dispositivos(alimentação e respeito aos horários de descanso, por se auto-bloqueia durante a viagem, caso o veículo saia da de segurança eexemplo), além de adotar tecnologias que permitam o ras- rota pré-programada). Existem rastreadores que permitem o orientados com relação a rotastreamento dos veículos e monitoramento das cargas. monitoramento on line, serviço interessante quando há uma e horários mais central contratada capaz de acompanhar em tempo real. seguros, direção Rastreadores, sensores Vale destacar que a manutenção e o controle destes defensiva e de carga e localizadores dispositivos são essenciais. Assim, todos os equipamentos comportamento adequado em Diversas empresas no mercado oferecem produtos que devem ser testados antes de qualquer viagem. Outro ponto situação de riscoprometem o controle de rotas e disparam alarmes quando há muito importante é que os empresários, antes de contrataremuma parada, desvio, desengate do caminhão, entre outros. um serviço de gestão de riscos ou adquirirem equipamentosO mínimo recomendado para garantir a segurança é investir para monitorar seus veículos, verifiquem as cláusulas de seuem sistemas que ofereçam os seguintes recursos: contrato de seguro e observem as exigências da seguradora, • Botão de pânico; para não terem surpresas caso aconteça um sinistro. • Sensores de abertura de portas de cabine (mo- O preço médio de um sistema de monitoramentotorista e carona); comum do caminhão pode variar entre R$ 140 e R$ • Sensor de ignição (ligada/desligada); 150 mensais e a aquisição de equipamentos de ras- • Teclado para troca de mensagens; treamento por caminhão pode oscilar entre R$ 1,5 mil • Sensor de desengate de carreta ou trava de 5ª e R$ 10 mil, de acordo com a configuração de cadaroda (no caso de Conjunto Veículo Carga articulados); rastreador, seus periféricos, atuadores e sensores. Já o • Trava de baú; investimento em um serviço de análise de riscos pode • Dispositivo anti-vandalismo. variar muito, dependendo da complexidade do projeto No caso de cargas de combustíveis, a trava de baú (número de veículos, diversidade de rotas, áreas, ativi-deve ser substituída por um sensor de vazão de combus- dade, treinamento, entre outros).tíveis, assim como sensor da tampa de abastecimento dotanque. Além disso, o sistema deve incluir um localizador Procedimentos de segurança(equipamento passivo que grava histórico de posicionamento Outro aspecto essencial da gestão de riscos é ada viagem realizada e serve para recuperação de veículo adoção e padronização de procedimentos de segurança. Combustíveis & Conveniência • 39
  • 3. NA PRÁTICA Todos os motoristas e encarregados devem ser treinados • Depois do descarregamento, com o veículo para a utilização correta dos dispositivos de segurança vazio, é necessário efetuar os mesmos procedimentos e orientados com relação a rotas e horários mais segu- de checagem feitos antes do carregamento. ros, direção defensiva e comportamento adequado em situação de risco. Benefícios da gestão de riscos Conforme as estatísticas do Setcesp, o horário de Além de permitir a redução de acidentes e perdas maior risco de sinistros é entre 10h e 12h, e os roubos de produtos, a gestão de risco pode trazer outros be- de carga costumam acontecer ou em áreas próximas ao nefícios, como a gestão de frotas e a gestão de fretes. local do carregamento (no caso de combustíveis, perto das Tais serviços, embora sejam mais direcionados para bases de distribuição), ou de entrega. Não por acaso, os empresas que possuem um maior número de veículos dados do sindicato mostram que a rodovia Anhanguera, transportadores e também diversidade de rota, também estrada que passa perto de Paulínia, no interior de São podem ser úteis aos postos revendedores que utilizam Paulo, é uma das líderes em roubos de carga. caminhão próprio para o transporte de combustíveis. A De modo geral, há uma série de cuidados que gestão de frotas inclui controles de cadastro (seguros, devem ser observados: leasing), documentação (licenciamento, impostos, taxas, boletins de ocorrência, entre outros), manutenção, con- 1. Antes do carregamento sumo de combustíveis, lubrificantes, pneus e câmaras • Verificar se o veículo está em boas condições dos veículos, além de controle de funcionários. Já a para o deslocamento; gestão de fretes possibilita, entre outras coisas, cálculos • Conferir a parte mecânica e elétrica, lubrificantes, do custo do frete e simulações. pneus, estepe e freios; • Abastecer antes do carregamento, evitando assim Atenção aos recursos humanos a necessidade de paradas durante o trajeto; Boa parte dos roubos de carga acontece com a • Conferir a documentação, tanto da carga quanto conivência ou em decorrência do despreparo do motorista do veículo, não esquecendo de verificar os documentos encarregado do transporte. A observação é de uma fonte do pessoais; setor, que preferiu não revelar seu nome. Em sua avaliação, • Planejar detalhadamente a sua rota, seja ela de nada adianta investir em tecnologias sofisticadas se o urbana ou rodoviária, procurando se informar sobre as responsável pela sua utilização não faz o uso correto dos áreas de risco. dispositivos. “Por exemplo, se o motorista está envolvido ou é conivente com o roubo, ele pode facilitar a ação da 2. Durante o deslocamento quadrilha, já que conhece os dispositivos de segurança • Se for necessário parar durante o trajeto (para instalados no veículo”, explicou a fonte. refeição ou abastecimento, por exemplo), o motorista Por este motivo, uma das medidas principais de deve ser orientado a não comentar com ninguém sobre segurança é o recrutamento do profissional. Como nos sua carga, itinerário ou destino; demais cargos do posto, é necessário verificar antecedentes, • Caso tenha problemas com o veículo, o mo- fazer uma entrevista cuidadosa, averiguar a veracidade torista deve evitar parar em lugar sem movimento ou das informações fornecidas e checar referências. Além iluminação. disso, existem cadastros de motoristas, que incluem o histórico profissional e comercial dos trabalhadores, e 3. No descarregamento devem, sempre que necessário, ser consultados. • O motorista deve ficar atento às imediações do Depois da contratação, o treinamento é primordial. posto e ao desembarque. O responsável pelo recebi- Todo motorista periodicamente precisa ser orientado a mento da carga deve ser avisado do horário previsto de respeito dos procedimentos de segurança e utilização chegada do caminhão; correta dos equipamentos instalados nos veículos. n40 • Combustíveis & Conveniência

×