Your SlideShare is downloading. ×
Energia nas ilhas
Energia nas ilhas
Energia nas ilhas
Energia nas ilhas
Energia nas ilhas
Energia nas ilhas
Energia nas ilhas
Energia nas ilhas
Energia nas ilhas
Energia nas ilhas
Energia nas ilhas
Energia nas ilhas
Energia nas ilhas
Energia nas ilhas
Energia nas ilhas
Energia nas ilhas
Energia nas ilhas
Energia nas ilhas
Energia nas ilhas
Energia nas ilhas
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Energia nas ilhas

6,306

Published on

Published in: Education, Travel, Business
1 Comment
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
6,306
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
72
Comments
1
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Agrupamento de Escolas de Figueiró dos Vinhos, 2009/2010 – Química 12º Ano, Turma A<br />Luís Pimenta nº 10<br />Ricardo Graça nº 14<br />-137033021945609906089535<br />Professor: Jorge Pires<br />Data de entrega: 1 de Junho de 2010<br />Índice<br />Introdução_______________________________________________________________3<br />Energia na ilha da Madeira _________________________________________________4<br />Energia na ilha dos Açores__________________________________________________9<br />Energias não renováveis __________________________________________________18<br />Conclusão______________________________________________________________19<br />Bibliografia _____________________________________________________________20<br />Introdução<br />A energia tem-se afirmado como um dos recursos mais importantes para o desenvolvimento de uma região.<br />No entanto, trata-se de um recurso cada vez mais indispensável às actividades humanas, e a sua procura não pára de aumentar: a nível mundial a procura de energia triplicou desde 1950.<br />A maior parte da energia eléctrica é obtida a partir de combustíveis fósseis e assiste-se actualmente a uma grande dependência destas fontes de energia.<br />Apesar desta dependência, as regiões autónomas dos Açores e da Madeira, apresentam um elevado potencial para exploração de energias renováveis.<br />Energia na Ilha da Madeira<br />Procura de energia eléctrica<br />Em 2003, a procura de energia eléctrica na ilha da Madeira foi de 715,47 GWh.<br />O seguinte gráfico, representa a evolução da distribuição da procura de energia eléctrica dos vários sectores, desde 1991 a 2003. <br />41910165735 <br />Gráfico SEQ Gráfico * ARABIC 1- Evolução da Procura de Energia Eléctrica por Sector<br />Produção de energia <br />Em 2003, estavam em funcionamento três centrais termoeléctricas, duas na Madeira e uma no Porto Santo (capacidade total instalada: 172 730 kW), 10 centrais mini – hídricas (capacidade total instalada: 50 270 kW), seis parques eólicos (capacidade total instalada: 9 750 kW) e uma incineradora de resíduos com valorização energética (capacidade: 8 000 kW). <br />A figura seguinte representa o mapa com a localização das centrais de produção de energia eléctrica na ilha da Madeira e no Porto Santo.<br />356235127635<br />Figura SEQ Figura * ARABIC 1- Unidades de Produção de Energia Eléctrica em 2003<br />Desde 1991, a produção de energia eléctrica na ilha da Madeira cresceu 120%, correspondendo, a um aumento de produção de 324,3 GWh em 1991, para 715,47 GWh em 2003. <br />O gráfico seguinte apresenta a evolução de energia eléctrica de origem térmica, hídrica, eólica e de biomassa, desde 1991 a 2003 <br />203835288925<br />Gráfico SEQ Gráfico * ARABIC 2- Evolução da Produção de Energia Eléctrica entre 1991 e 2003<br />No ano 2003, na ilha da madeira a produção de energia eléctrica foi de 715,47 GWh, atingindo, no mês de Dezembro, a ponta máxima com 137,3 MW. Nesse ano, no Porto Santo, a produção de energia eléctrica foi de 32,46 GWh com ponta máxima de 6,3 MW, registada em Agosto desse ano.<br />Em 2003, a produção total de energia eléctrica na região autónoma da Madeira; 612,27 GWh tiveram origem térmica; 130,16 GWh origem hidroeléctrica; 26,14 GWh provieram da incineradora de resíduos e os restantes 16,85 GWh provieram dos vários parques eólicos instalados na Religião. <br />Energia da Biomassa <br />394716060325A biomassa é uma das principais fontes de energia endógena da Região Autónoma da Madeira, apesar de a sua utilização ter vindo a decrescer, sobretudo na última década.<br />A energia da Biomassa baseia-se no aproveitamento de resíduos e produtos biodegradáveis que provêem da agricultura, de florestas e mesmo de indústrias com o intuito de produzir energia.<br />Existem 4 tipos de aproveitamento para estes resíduos: a biomassa sólida,   os biocombustíveis líquidos e os biocombustíveis gasosos (biogás) e resíduos sólidos urbanos.<br />A biomassa sólida tem como fonte os produtos e resíduos da actividade agrícola, florestal e industrial conexa, bem como a fracção biodegradável dos resíduos industriais e urbanos.<br />O biogás, sendo um biocombustível gasoso, tem origem nos efluentes da agro-pecuária e resíduos sólidos urbanos. Este gás resulta da degradação biológica da matéria orgânica.<br />Os biocombustíveis líquidos podem apresentar-se de várias formas:<br />Biodiesel: obtido através de óleos de colza ou de girassol, quimicamente tratados;<br />Etanol: é o álcool mais comum, incolor, volátil, inflamável, solúvel em água, com cheiro e sabor característicos; resulta da fermentação de hidratos de carbono;<br />Metanol: o processo de produção mais simples parte da síntese de gás natural ou a partir de madeira (gaseificação).<br />Os biocombustíveis gasosos são usados, posteriormente, para queima, da qual se obtém energia térmica ou eléctrica. Já os biocombustíveis líquidos podem ser usados, parcial ou totalmente, como combustíveis para veículos motorizados.<br />Energia Hidroeléctrica <br />Na Região, existem 10 centrais mini-hídricas com a capacidade total instalada de cerca de 50 270 kW.<br />No quadro seguinte, apresenta-se as dez centrais hidroeléctricas existentes na ilha da Madeira, no ano de 2003.<br />337185218440<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 1- Centrais hidroeléctricas<br />A participação anual da energia hídrica representa uma parte importante da produção de energia eléctrica da Região, como se observa no quadro a seguir apresentado.<br />241300314325<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 2- Evolução da Produção Hidroeléctrica entre 1991 e 2003<br />No entanto, a produção hidroeléctrica é condicionada pelas condições hidrológicas anuais, das quais surgem duas consequências: a sua participação é muito variável ao longo do ano e de ano para ano; e em muitos casos a capacidade da hídrica instalada é subaproveitada. O exemplo de um ano bom, refere-se que, em 1996, a contribuição dos recursos hídricos atingiu 30,7% da produção total de energia eléctrica.<br />Energia Eólica e Solar<br />408051026670Umas das outras energias renováveis mais utilizadas na ilha da Madeira são a Energia Solar e a Eólica.<br />O aproveitamento da Energia Solar pode ser feito através de várias maneiras. A maneira mais simples de conseguirmos obter energia solar é através de células foto voltaicas ou de células solares. Neste caso o que acontece é que o sol ao “bater” numa superfície foto voltaica vai gerar electrões que depois são canalizados para gerar energia.<br />Na Energia Eólica utiliza-se uma hélice e um sistema que tem no eixo um íman envolto por uma bobina de fio. Como o vento gira a hélice e o íman no interior, os electrões no fio são obrigados a circular ao longo do fio produzindo uma corrente eléctrica.<br />Ambas as formas são bastante simples, mas as complexidades agora residem nos custos de produção dos equipamentos necessários especialmente os mecanismos que irão maximizar a potência. Quando os custos de produção de células foto voltaicas e turbinas eólicas são comparadas, o último é muito mais barato para produzir. Outros problemas incluem a logística da colocação do equipamento. Um painel solar requer um grande espaço e a sua localização no globo  irá afectar a quantidade de luz solar que se recebe e, consequentemente, a quantidade de energia que produz. Quanto mais longo do equador estiver, menos quantidade de luz solar se pode aproveitar. Além disso, na média, as células foto voltaicas têm uma taxa de 15-20% de eficiência.<br />O problema com a energia eólica, por outro lado é que nem todas as áreas terão ventos favoráveis para uma turbina. E se o lugar onde se encontram, os ventos forem fortes as turbinas podem ser maximizados. Mas mesmo assim, a energia eólica é a mais rentável. <br />Energia na Ilha dos Açores<br />46101031115<br />Imagem SEQ Imagem * ARABIC 1- Produção de energia eléctrica<br />Energia primária<br />Considera-se energia primária, o conjunto dos diversos tipos de energia usados para produzir energia. No caso da RAA as fontes de energia primária utilizadas são os combustíveis fósseis importados (fuel e gasóleo) e as fontes de energia renováveis (FER) como a energia hídrica, a geotérmica e a eólica.<br />Entre 1994 e 2003, o consumo de energia primária na Região aumentou 94%, atingindo o valor de 192 614 TEP.<br />613410664210Verifica-se então, que o aumento do consumo de energia primária é superior à oferta de FER e por isso existe uma dependência a nível energético, tendo o arquipélago de importar combustíveis fósseis. <br />Gráfico SEQ Gráfico * ARABIC 3- Consumo de energia primária por fonte na RAA<br />A energia eléctrica é gerada a partir dos diversos tipos de fontes (energia primária) e que entra efectivamente na rede de abastecimento. <br />Nos Açores a energia eléctrica é ainda maioritariamente produzida pela combustão de fuel -óleo e gasóleo nas centrais termoeléctricas e, em menor parte, a partir das FER. A produção de energia eléctrica a partir de combustíveis fósseis apresenta um baixo rendimento útil, o que significa que é consumida muita energia primária e, como tal, o volume de emissões para a atmosfera e o consequente impacte ambiental é elevado.<br />184785127635<br />Gráfico SEQ Gráfico * ARABIC 4 - Produção de energia eléctrica por fonte na RAA<br />Entre 1994 e 2003, a produção de energia eléctrica a partir de combustíveis fósseis aumentou 66%, por outro lado a produção a partir de FER aumentou cerca de 127%. Durante este período, o aumento da produção total de energia eléctrica foi de 75%.<br />Em 2003 a produção de energia eléctrica a partir de FER representou 20,1% da produção total de energia eléctrica na RAA. No entanto, este valor tinha sido de 24,7% em 2001, o que reflecte um recuo na independência enérgica da Região.<br />34671022860<br />Gráfico SEQ Gráfico * ARABIC 5- Produção de energia eléctrica a partir de fontes renováveis de energia na RAA<br />Da energia eléctrica produzida a partir de FER, em 2003, cerca de 68,9% é produzida nas centrais geotérmicas de São Miguel, 23,1% é produzida nas centrais hidroeléctricas de São Miguel, Terceira, Faial e Flores e 8% da energia é produzida nos parques eólicos de São Jorge, Graciosa, Santa Maria, Faial e Flores. Constata-se, um aumento percentual ligeiro da produção de energia eléctrica a partir da energia hídrica e eólica.<br />46101064135<br />Gráfico SEQ Gráfico * ARABIC 6- Consumo final de energia eléctrica por sector e per capita na RAA<br />Energia Eólica<br />A energia eólica permite obter grande quantidade de  energia eléctrica. Esta é a energia renovável em que mais se tem apostado. Os parques eólicos têm que estar situados em locais em que os ventos são mais ou menos constantes e atingem uma determinada intensidade.<br />Os Açores têm, ao longo de muitos anos, tirado muito proveito da energia do vento.  <br />O Parque Eólico do Figueiral na ilha de Santa Maria, que existe desde 1988, foi um dos primeiros parques portugueses.<br />Actualmente existem 6 parques eólicos que têm como potencia 7,1 MW, o que correspondeu, em 2005, a 14,6 GWh de energia, ou seja, 1,9% da energia da região.<br />Na seguinte tabela podemos observar a situação do recurso eólico do arquipélago, em 2005.<br />IlhaCapacidade Instalada(MW)Produção em 2005(GWh)Electricidade Produzida(%)Santa Maria0,92,412,6Graciosa0,81,714,5São Jorge1,22,610,5Pico1,83,48,4Faial1,82,95,8Flores0,61,615,6<br />Energia da Biomassa<br />A energia da Biomassa consiste no aproveitamento de resíduos e produtos biodegradáveis que advêm da agricultura, de florestas e mesmo de indústrias com o intuito de produzir energia. Existem 4 tipos de aproveitamento para estes resíduos: a biomassa sólida,   os biocombustíveis líquidos, os biocombustíveis gasosos (biogás) e resíduos sólidos urbanos.<br />        A biomassa retirada da exploração da madeira florestal para produção de electricidade é algo significativa nos Açores <br />Energia das Ondas e das Marés<br />4117975207645<br />A energia das marés, o diferencial térmico, o gradiente salino, as correntes e as energias das ondas são conceitos relacionados com os oceanos. Nos últimos anos, este tipo de aproveitamento da energia das ondas tem sido alvo de estudos e, devido a sua imaturidade, a tecnologia necessária para esse aproveitamento ainda não se encontra no mercado.<br />Energia das Ondas<br />3870960-1905        O valor médio de potência proveniente das ondas nos Açores é de 45kW/m, o que significa que a potência que pode ser aproveitada através desta fonte é maior do que o consumo local, excepto na ilha de São Miguel.<br />        Na ilha do Pico, mais propriamente no Cachorro que pertence à freguesia das Bandeiras, encontra-se a primeira central ondocinética a ser construída em Portugal e uma das primeiras da Europa. Esta tem a capacidade  de retirar desta fonte 400kW de energia.  <br />Energia das Marés<br />        Baseia-se na energia cinética  provocado pelo movimento (subida e descida) das marés. Existem duas marés-altas e duas marés-baixas por dia que se devem ao movimento da Lua e do Sol em torno da Terra. Vamos falar de dois tipos de aproveitamento destas: através de barragens, e através de colunas colocadas em zonas costeiras (Pelamis).<br />401383519685<br />Pelamis<br />       Este sistema consiste em colunas colocadas em zonas costeiras que aproveitam o movimento das marés através do movimento oscilatório das mesmas. Essas colunas estão cheias 381066675de água e têm um canal aberto por onde entra uma corrente de ar. Quando a onda sobe o ar é 3823335241300" empurrado" para fora da coluna e quando a onda desce o ar entra na coluna. Através de turbinas colocadas nos canais de comunicação de saída e entrada do ar, a passagem deste provoca energia cinética. A turbina encontra-se ligada a um gerador eléctrico que, consequente, vai produzir energia eléctrica. Esta energia é algo recente e encontra-se agora a ser instalada na Póvoa do Varzim. Também será uma aposta das ilhas. <br />Energia Geotérmica<br />363283571755A Geotermia é o conjunto das ciências e das técnicas que exploram o calor libertado pelo solo terrestre.   Este pode ser aproveitado directamente sempre que a temperatura do fluido obtido esteja  entre os 90 e os 150ºC. Esta pode ser aproveitada para 3810123825aquecimento ambiente, aquecimento de águas, piscicultura, ou mesmo em processos industriais e produção de energia eléctrica quando a temperatura excede os 150ªC.<br />        Em 1973, a descoberta de um reservatório geotérmico de alta entalpia na vertente do vulcão do Fogo em São Miguel,   com temperaturas superiores a 200ºC, fez com que se desenvolvesse a exploração deste recurso na ilha. Este recurso é actualmente utilizado para a produção de energia eléctrica em grande escala, através da central geotérmica da Ribeira Grande.<br /> <br />        Todas as ilhas excepto Santa Maria apresentam potência geotérmica. Esta energia encontra-se distribuída do seguinte modo:<br />IlhaPotencia [MWe]São Miguel173,0Terceira2,0Graciosa5,0São Jorge8,0Pico12,0Faial8,9Flores2,5Corvo1,1Total235,5<br />No arquipélago, apenas em São Miguel esta energia é utilizada para a produção de electricidade. Em 2005, na ilha, atingiu-se os 17,7% de energia eléctrica através do geotermismo, como podemos constatar na seguinte tabela. Neste ano a Central Geotérmica Piloto do Pico 401256571755Vermelho ainda se encontrava em vigor.<br />CentralCapacidadeInstalada (MW)Produçãoem 2005 (GWh)Electricidade produzida (%)em relação a São MiguelElectricidade produzida (%)em relação aos AçoresPico Vermelho30,80,20,1Ribeira Grande1369,917,59,3Total1670,717,79,4<br />Energia Solar<br />367665062230A energia solar é considerada uma energia bastante rentável, uma vez que, anualmente, o sol fornece cerca de 10 000 vezes mais energia do que o que é consumido pela população mundial. Esta energia pode ser convertida em energia eléctrica (célula fotovoltaica), em energia térmica (colectores solares, casas solares e fornos solares) ou em energia mecânica (motores solares).<br /> Nos Açores, as condições para o aproveitamento deste tipo de energia é positivo quando comparamos com a maioria dos países da Europa, mas, comparativamente a cidades portuguesas, o nível de irradiação solar é inferior. Apesar de tudo o aproveitamento desta energia positivo para o arquipélago.<br />Energia hídrica<br />Nos Açores esta energia encontra-se muito pouco desenvolvida. Encontra-se apenas algumas mini e micro hídricas uma vez que estes recursos no arquipélago são limitados. As mini hídricas apresentam potências eléctricas de cerca de 10MW. Apesar de rara esta energia já é bastante conhecida dos açorianos, uma vez que a distribuição de hidroelectricidade iniciou-se na ilha de São Miguel a 18 de Março de 1900.<br /> Nos Açores existem doze centrais hidroeléctricas de potência de 8,1MW o que corresponde a cerca de 30,9GWh. Esta corresponde a 4,1% da produção de electricidade dos Açores (dados do ano de 2005). <br />IlhaCapacidade Instalada(MW)Produção em 2005(GWh)Electricidade produzida(%)São Miguel4,921,85,5Terceira1,44,52,3Faial0,30,40,8Flores1,54,240,6<br />Energias não renováveis<br />A Galp Energia dispõe de cerca de 40 postos mar, distribuídos de norte a sul do país e também nas regiões autónomas da Madeira e dos Açores<br />3823335534035A larga experiência que temos, quer na área das pescas quer na área das embarcações de recreio, levou-nos a desenvolver uma oferta alargada de combustíveis, bem como uma linha de lubrificantes desenhados a pensar nas necessidades deste sector. Contribuímos, desta forma, para os seus momentos de lazer no mar. Os produtos para pesca e recreio são comercializados em 40 postos de mar, localizados de norte a sul do país.<br />Conclusão<br />Concluímos que as energias renováveis são inesgotáveis, ou seja, produzem-se de novo, de um modo constante. Podem ser de origem vegetal (madeira, biomassa proveniente das plantas) que podem considerar-se inesgotáveis e, também podem ser completamente inesgotáveis (energia solar, eólica, das marés, etc.).<br />De todos os recursos renováveis os mais importantes são considerados “limpos”, ou seja, os que não poluem nem prejudicam o meio ambiente, daí serem também designadas por Energias Limpas.<br /> As vantagens destas energias ainda não são aproveitadas ao máximo uma vez que as tecnologias utilizadas não permitem o total aproveitamento destas. Por outro lado essas tecnologias trazem também consequências prejudiciais para o ambiente. Estas passam principalmente pelo impacto causado pelas construções necessárias. Concluímos que as regiões autónomas Portuguesas estão a apostar na independência energética. Estando a ser desenvolvidos projectos como ‘Green Islands’ nos Açores. <br />Bibliografia<br />Sites da Internet:<br />http://www.minerva.uevora.pt/eschola/acores/energia_geotermica.htm<br />http://www.energiasrenovaveis.com/Area.asp?ID_area=4<br />http://www.biodieselbr.com/energia/agro-energia.htm<br />http://www.eem.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=563&Itemid=493<br />

×