01.04.2014
LUÍS COITO
2 Título da apresentação; font 12
T u r i s m o d e P o r t u g a l , I.P.
3 Título da apresentação; font 12
Autoridade turística nacional responsável
pela valorização e sustentabilidade
da activid...
4 Título da apresentação; font 12
P R A C E
Extinção Reestruturação
ITP
Turismo de Portugal, I.P.
DGT
IFTUR
IGJ
1 – Turism...
5 Título da apresentação; font 12
• Missão:
– Qualificar e desenvolver as infra-estruturas turísticas
– Desenvolver a form...
6 Título da apresentação; font 12
Á r e a s d e A c t u a ç ã o
73 – Áreas de Actuação
Estudos, Planeamento Estratégico e Cooperação Internacional
Dinamização de Produtos e Destinos
Qual...
8
M i s s ã o e A t r i b u i ç õ e s
94 – Missão e Atribuições
Estudos, Planeamento Estratégico e Cooperação Internacional
Monitorização e avaliação da activid...
104 – Missão e Atribuições
Dinamização de Produtos e Destinos
Desenvolvimento estruturado de produtos e destinos, através ...
114 – Missão e Atribuições
Qualificação da Oferta Turística
Promoção de uma política de valorização da oferta turística
at...
12 Título da apresentação; font 124 – Missão e Atribuições
Apoio ao Investimento e Gestão de Incentivos
Apoio técnico e fi...
13 Título da apresentação; font 124 – Missão e Atribuições
Formação
Definição das prioridades de qualificação dos recursos...
14 Título da apresentação; font 124 – Missão e Atribuições
Promoção
Definição da estratégia promocional de Portugal e dos ...
15 Título da apresentação; font 12
Inspecção de Jogos
4 – Missão e Atribuições
Serviço autónomo integrado no TP, I.P. com ...
16 Título da apresentação; font 12
O r g a n o g r a m a
17
18 Título da apresentação; font 12
O T u r i s m o e m P o r t u g a l - Objectivos
5 – O sector do Turismo em Portugal
5 ...
19 Título da apresentação; font 12
10 Produtos Estratégicos
... um contributo diferenciado ...
Turismo de
Natureza
Golfe T...
20 Título da apresentação; font 12
10 Produtos Estratégicos PENT 2006
... na valorização dos destinos ...
1º nível 2º níve...
21 Título da apresentação; font 12
… que promovem a requalificação da sua oferta turística e …
Requalificar o Algarve
supo...
22
10 Produtos Estratégicos … ALENTEJO ATUAL
23
Nos circuitos turísticos, verifica-se a necessidade de colocar os recursos
(património histórico, ambiental e paisagíst...
24
No turismo residencial, verifica-se a necessidade de garantir o
acompanhamento dos projetos de investimento em curso na...
25 Título da apresentação; font 12
O T u r i s m o de P o r t u g a l - Apoios atuais
às Empresas do Turismo
5 – O sector ...
26 Título da apresentação; font 12
MECANISMOS DE ACESSO AO CRÉDITO
Curto
Prazo
• LINHA DE APOIO À TESOURARIA
Curto/
Médio
...
ANTECIPAÇÃO DOS RECEBIMENTOS A
PRAZO QUE AS EMPRESAS TURÍSTICAS
DETENHAM SOBRE TERCEIROS
A utilização da linha ocorre cont...
Terem operações de crédito contratadas junto
da Banca, desde que as mesmas se
tenham destinado ao financiamento de
projeto...
UM MECANISMO DE ACESSO AO
CRÉDITO
Valorizar e diferenciar o Produto Turístico
LINHA DE APOIO À QUALIFICAÇÃO DA OFERTA
Requ...
30 Título da apresentação; font 12
Exemplos de oportunidades de Investimento
 criação de estabelecimentos hoteleiros de c...
31 Título da apresentação; font 12
 campos de golfe de elevada qualidade e reconhecimento para
acolherem provas do circui...
01.04.2014
LUÍS COITO
Obrigado pela atenção!
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Apresentação Beja 01.04.2014

499 views

Published on

Seminário / Aula no Instituto Superior Politécnico de Beja

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
499
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
11
Actions
Shares
0
Downloads
6
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentação Beja 01.04.2014

  1. 1. 01.04.2014 LUÍS COITO
  2. 2. 2 Título da apresentação; font 12 T u r i s m o d e P o r t u g a l , I.P.
  3. 3. 3 Título da apresentação; font 12 Autoridade turística nacional responsável pela valorização e sustentabilidade da actividade turística * Uma única entidade que agrega todos os organismos da administração pública responsáveis pela dinamização do turismo, desde a oferta à procura. * Com uma relação privilegiada com as outras entidades públicas e os agentes económicos no país e no estrangeiro, o Turismo de Portugal, I.P. está empenhado em cumprir o desígnio de reforçar o turismo como um dos motores de crescimento da economia portuguesa.
  4. 4. 4 Título da apresentação; font 12 P R A C E Extinção Reestruturação ITP Turismo de Portugal, I.P. DGT IFTUR IGJ 1 – Turismo de Portugal, I.P. Competências
  5. 5. 5 Título da apresentação; font 12 • Missão: – Qualificar e desenvolver as infra-estruturas turísticas – Desenvolver a formação dos recursos humanos – Apoiar o Investimento no sector – Coordenar a promoção interna e externa do Destino – Regular e fiscalizar os jogos de fortuna e azar Autoridade turística nacional responsável pela valorização e sustentabilidade da actividade turística
  6. 6. 6 Título da apresentação; font 12 Á r e a s d e A c t u a ç ã o
  7. 7. 73 – Áreas de Actuação Estudos, Planeamento Estratégico e Cooperação Internacional Dinamização de Produtos e Destinos Qualificação da Oferta Turística Apoio ao Investimento e Gestão de Incentivos Formação Promoção Inspecção de Jogos
  8. 8. 8 M i s s ã o e A t r i b u i ç õ e s
  9. 9. 94 – Missão e Atribuições Estudos, Planeamento Estratégico e Cooperação Internacional Monitorização e avaliação da actividade turística nacional e dos seus factores de desenvolvimento através de: Produção de estudos e estatísticas Cooperação a nível internacional Gestão do Centro de Documentação
  10. 10. 104 – Missão e Atribuições Dinamização de Produtos e Destinos Desenvolvimento estruturado de produtos e destinos, através do conhecimento aprofundado da sua realidade e da definição de acções da sua qualificação através de: Produção e disponibilização de informação suportada maioritariamente em novas tecnologias e orientada para os profissionais do sector Dinamização de factores de qualificação e reforço da competitividade Estímulo à criação e viabilização dos produtos estratégicos
  11. 11. 114 – Missão e Atribuições Qualificação da Oferta Turística Promoção de uma política de valorização da oferta turística através de: Intervenção no ordenamento do território Licenciamento, autorização, classificação e registo de empreendimentos e actividades turísticas Reconhecimento e declaração da Utilidade Turística
  12. 12. 12 Título da apresentação; font 124 – Missão e Atribuições Apoio ao Investimento e Gestão de Incentivos Apoio técnico e financeiro às entidades privadas e públicas do sector e gestão de instrumentos financeiros de apoio ao investimento através de: Análise de candidaturas respeitantes a projectos de investimento turísticos e outras infra-estruturas de interesse para o sector Acompanhamento da execução material e financeira dos projectos Acompanhamento contratual
  13. 13. 13 Título da apresentação; font 124 – Missão e Atribuições Formação Definição das prioridades de qualificação dos recursos humanos do sector do turismo através de: Melhoria do prestígio das profissões turísticas Reconhecimento de cursos de formação profissional e certificação da aptidão profissional para o exercício das profissões do sector Coordenação e gestão das escolas de hotelaria e turismo
  14. 14. 14 Título da apresentação; font 124 – Missão e Atribuições Promoção Definição da estratégia promocional de Portugal e dos destinos regionais e produtos turísticos, captação de eventos internacionais e concepção do plano nacional de promoção turística através de: Acções promocionais e de comunicação Promoção de grandes eventos de projecção internacional e coordenação da participação portuguesa em feiras internacionais Novas formas de relacionamento com o turista (www.visitportugal.com e contact center internacional)
  15. 15. 15 Título da apresentação; font 12 Inspecção de Jogos 4 – Missão e Atribuições Serviço autónomo integrado no TP, I.P. com atribuições de carácter preventivo e fiscalizador no âmbito da actividade do jogo através das seguintes áreas de actuação: Controlo da actividade de jogo Jogo ilícito Tecnologias de inspecção de jogos
  16. 16. 16 Título da apresentação; font 12 O r g a n o g r a m a
  17. 17. 17
  18. 18. 18 Título da apresentação; font 12 O T u r i s m o e m P o r t u g a l - Objectivos 5 – O sector do Turismo em Portugal 5 – O sector do Turismo em Portugal
  19. 19. 19 Título da apresentação; font 12 10 Produtos Estratégicos ... um contributo diferenciado ... Turismo de Natureza Golfe Turismo Náutico Saúde e Bem Estar Turismo de Negócios Resort’s Integrados e T. Residencial City Breaks Gastronomia e Vinho Touring Cultural e Paisagístico Sol e Mar
  20. 20. 20 Título da apresentação; font 12 10 Produtos Estratégicos PENT 2006 ... na valorização dos destinos ... 1º nível 2º nível 3º nível 4º nível (contributo para a geração de fluxos) Resorts Int./ T.Residen- cial Golfe T. Náutico (inc. Cruzeiros) Turismo de Natureza Turismo de Negócios Touring City BreakSol e Mar Gastron. e Vinhos Saúde e Bem-estar Oeste Algarve Lisboa Madeira Norte Centro Açores Alentejo Porto Santo M. Porto Cruzeiros Cruzeiros litoral Alentejano Oeste litoral Alentejano litoral Alentejano litoral Alentejano M. Lisboa M. Porto M. Lisboa litoral Alentejano Alqueva
  21. 21. 21 Título da apresentação; font 12 … que promovem a requalificação da sua oferta turística e … Requalificar o Algarve suportado numa oferta multi-segmentada Reforçar a atractividade do Porto e Norte alicerçada em componentes tradicionais e de excelência Dinamizar a proposta de valor do Centro através da diversificação de produtos Posicionar Lisboa como a “montra” de um Portugal moderno, diverso e dinâmico Desenvolver a oferta turística do Alentejo com novas propostas de consumo, destino de turismo sustentável de referência internacional, vocacionado para os mercados nacional e espanhol Valorizar a Madeira como destino de férias ao longo de todo o ano Consolidar os Açores como um destino de natureza e cultura inexplorada e autêntica 10 Produtos Estratégicos
  22. 22. 22 10 Produtos Estratégicos … ALENTEJO ATUAL
  23. 23. 23 Nos circuitos turísticos, verifica-se a necessidade de colocar os recursos (património histórico, ambiental e paisagístico, gastronomia e vinhos, entre outros) georreferenciados em valor e desenvolver conteúdos e informação para o cliente, bem como incentivar e diversificar as experiências e colocar o produto no mercado 10 Produtos Estratégicos … ALENTEJO ATUAL No turismo de natureza verifica-se a necessidade de criar diversidade de experiências de passeios a pé, de bicicleta ou a cavalo. Na vertente do turismo equestre (cavalo lusitano), verifica-se a necessidade de desenvolver serviços e sua disponibilização ao turista, em particular no que diz respeito à Coudelaria de Alter. No turismo de natureza verifica- se ainda a necessidade de criar conteúdos e sua disponibilização em canais, especializar o serviço/experiência, e desenvolver boas práticas de sustentabilidade em toda a cadeia de valor do produto observação de aves
  24. 24. 24 No turismo residencial, verifica-se a necessidade de garantir o acompanhamento dos projetos de investimento em curso na região 10 Produtos Estratégicos … ALENTEJO ATUAL No turismo náutico, verifica-se a necessidade de sensibilizar os municípios para a qualidade e boas condições de acesso às praias, divulgar os eventos internacionais e promover a oferta de surfing No âmbito do produto sol e mar, verifica-se a necessidade de estruturar ofertas para complementar outras motivações de procura primária (circuitos turísticos) No âmbito do produto gastronomia e vinhos, verifica-se a necessidade de desenvolver roteiros enogastronómicos densificar atividades, desenvolver conteúdos e experiências e integrar a oferta em plataformas de promoção e comercialização
  25. 25. 25 Título da apresentação; font 12 O T u r i s m o de P o r t u g a l - Apoios atuais às Empresas do Turismo 5 – O sector do Turismo em Portugal 5 – O sector do Turismo em Portugal
  26. 26. 26 Título da apresentação; font 12 MECANISMOS DE ACESSO AO CRÉDITO Curto Prazo • LINHA DE APOIO À TESOURARIA Curto/ Médio prazo • LINHA DA CONSOLIDAÇÃO FINANCEIRA Médio/ Longo Prazo • LINHA DE APOIO À QUALIFICAÇÃO DA OFERTA
  27. 27. ANTECIPAÇÃO DOS RECEBIMENTOS A PRAZO QUE AS EMPRESAS TURÍSTICAS DETENHAM SOBRE TERCEIROS A utilização da linha ocorre contra a apresentação às instituições de crédito da documentação que titula o crédito. A Linha de Apoio à Tesouraria beneficia de uma garantia autónoma, à primeira solicitação, prestada pelas SGM, destinada a garantir 50% do capital efetivamente em dívida em cada momento. A comissão de garantia aplicável pela SGM é integralmente bonificada pelo TURISMO DE PORTUGAL. LINHA DE APOIO À TESOURARIA
  28. 28. Terem operações de crédito contratadas junto da Banca, desde que as mesmas se tenham destinado ao financiamento de projetos na área do turismo Ter a certificação eletrónica emitida pelo IAPMEI, comprovativa da sua dimensão PME Possuir a situação regularizada perante a Administração Fiscal, a Segurança Social, o Turismo de Portugal e as Sociedades de Garantia Mútua Não possuir incidentes não justificados ou incumprimentos junto da banca ou da SGM ou, registando incidentes, os mesmos já estarem regularizados na data da aprovação da garantia mútua e na data de emissão dos contratos ALARGAMENTO DOS PRAZOS DE REEMBOLSO DAS OPERAÇÕES DE CRÉDITO ANTERIORMENTE CONTRATADAS COM OS BANCOS LINHA DE APOIO À CONSOLIDAÇÃO FINANCEIRA
  29. 29. UM MECANISMO DE ACESSO AO CRÉDITO Valorizar e diferenciar o Produto Turístico LINHA DE APOIO À QUALIFICAÇÃO DA OFERTA Requalificação de Empreendimentos Turísticos existentes, incluindo a ampliação dos mesmos, por via da introdução de melhorias significativas ao nível dos serviços, instalações ou equipamentos, para posicionamento em segmentos de maior valor acrescentado, e à criação de Atividades de animação turísitica EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO Criação e requalificação de empreendimentos ou atividades de Animação Turística, incluindo a atividade Marítimo Turística / Criação e requalificação de Restaurantes. Diferenciadores em relação à oferta existente, de interesse turístico, ou associados à recuperação e valorização do património cultural edificado classificado. APOIOS DE PRAIA Reconstrução e Requalificação de Apoios de Praia existentes, incluindo a ampliação e relocalização dos mesmos, bem como, a introdução de melhorias significativas ao nível dos serviços, instalações ou equipamentos.
  30. 30. 30 Título da apresentação; font 12 Exemplos de oportunidades de Investimento  criação de estabelecimentos hoteleiros de categoria superior, preferencialmente - que envolvam a recuperação de património - que introduzam conceitos inovadores - que resultem da demolição / reconstrução integral de anteriores empreendimentos  criação de pequenas / médias unidades de “charme”  requalificação de estabelecimentos hoteleiros de classificação ≥ 3* Restauração  criação de restaurantes que envolvam a recuperação de património ou que introduzam conceitos inovadores ao nível do produto ou serviço  requalificação de restaurantes que promovam a gastronomia regional portuguesa, a degustação de vinhos ou se enquadrem em rotas gastronómica ou vinícola Alojamento
  31. 31. 31 Título da apresentação; font 12  campos de golfe de elevada qualidade e reconhecimento para acolherem provas do circuito profissional europeu  centros de wellness (ou reconversão de balneários termais) que ofereçam uma multiplicidade de serviços, introduzam tecnologias de vanguarda e recorram a águas minerais ou águas vivas  marinas ou portos de recreio com variada oferta de equipamentos e serviços associados à náutica, restauração e lazer  centros de congressos ou adaptação de imóveis de interesse histórico, cultural ou arquitetónico para a criação de espaços para eventos  empreendimentos e atividades de animação que se configurem como âncoras para a dinamização da procura turística ou que contribuam para a descoberta de uma região ou de um tema Outros Projetos  apoios de praia que integrem uma oferta diversificada de equipamentos e serviços  esplanadas de estabelecimentos de restauração e bebidas a coberto de programas integrados de requalificação urbana Animação Turística Exemplos de oportunidades de Investimento
  32. 32. 01.04.2014 LUÍS COITO Obrigado pela atenção!

×