Orientações Nutricionais Cirurgia Bariátrica - UFRGS - Hospital de Clínicas Porto Alegre - RS

4,437 views

Published on

Obesidade
Classificação da obesidade através do IMC
Cirurgia da obesidade grau III
Indicação de cirurgia
Fatores importantes na reeducação alimentar
após a cirurgia
Dieta na cirurgia bariátrica
Fases das dietas no pós-operatório
Alimentos que devem ser evitados no
pós-operatório
Alimentos que devem ser estimulados no
pós-operatório
UFRGS - Hospital de Clínicas Porto Alegre - RS

Published in: Health & Medicine
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
4,437
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,777
Actions
Shares
0
Downloads
122
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Orientações Nutricionais Cirurgia Bariátrica - UFRGS - Hospital de Clínicas Porto Alegre - RS

  1. 1. Educação em Saúde VOL. 19 Orientações Nutricionais Cirurgia Bariátrica
  2. 2. Orientações Nutricionais Cirurgia Bariátrica Serviço de Nutrição e Dietética Cigléa do Nascimento - Nutricionista Carina A. Blume - Cursista Fabricia Escobar - Aluna pesquisadora Serviço de Cirurgia Digestiva Manoel R. M. Trindade - Professor (UFRGS) Serviço de Endocrinologia Mirela Jobim de Azevedo - Professora (UFRGS) Rogério Friedman - Professor (UFRGS)
  3. 3. Obesidade A obesidade se caracteriza pelo aumento de peso devido ao acúmulo de gordura no organismo. A obesidade é associada a um maior risco de diversas doenças e de morte. A classificação do paciente com obesidade é feita através do cálculo do IMC e na medida da circunferência abdominal. Cálculo do IMC: IMC = Peso Atual (em kg) Altura² (em metros) 3
  4. 4. Classificação da obesidade através do IMC OMS / 98 Cirurgia da obesidade grau III Um dos tratamentos indicados para a obesidade grau III é a cirurgia bariátrica, que tem por objetivo reduzir a ingestão alimentar e manter a saciedade. Para isto, são realizados procedimentos cirúrgicos com redução da capacidade do estômago e diminuição da passagem pelo intestino delgado. Este tratamento é o primeiro passo de uma longa caminhada ao emagrecimento, sendo necessário acompanhamento multidisciplinar por alguns anos. Indicação de cirurgia Idade entre 18 e 65 anos. IMC >40 kg/m² sem doenças associadas, IMC = 35 kg/m² com doenças associadas (DM, hipertensão, apneia de sono, dores articulares). 4
  5. 5. Fatores importantes na reeducação alimentar após a cirurgia • Incorporar novos hábitos alimentares. • Mastigar lentamente, com intervalo entre as porções ingeridas. • Não ingerir líquidos durante as refeições. • Fazer refeições ou lanches intermediários. • Alimentar-se em local adequado, sentado. • Manter a ingestão de líquidos mínima em 2 litros/dia. • Evitar alimentos ricos em gorduras e açúcar. • Evitar doces, balas e chocolates. • Evitar frituras, maionese, molhos gordurosos (branco, queijo, molhos prontos). • Fazer exercícios físicos conforme orientação da equipe médica. • Ingerir produtos dietéticos como doces, balas pães, biscoitos, massas em baixa quantidade, pois também engordam se consumidos em excesso. Dieta na cirurgia bariátrica • Plano alimentar individualizado. • Atendimento das necessidades nutricionais para atingir um peso saudável. • Prevenção de deficiências nutricionais no pós-operatório. • Manutenção dos valores de lipídeos séricos dentro da normalidade. • Promoção da educação alimentar. • Estabelecimento de mudanças de comportamento. 5
  6. 6. 6
  7. 7. Fases das dietas no pós-operatório 1° FASE - dieta líquida completa (duração: 15 a 20 dias) • Chás. • Sucos. • Caldos salgados. • Bebidas isotônicas. • Água de coco. • Gelatina. • Leites e derivados. • Iogurtes. • Suplemento protéico. 2° FASE - dieta pastosa (duração: 15 a 30 dias) • Legumes, verduras e frutas na forma de purê, creme ou suflê. • Carnes desfiadas ou moídas (peixe, frango, gado). • Arroz, macarrão ou batata. • Mingau. • Pão torrado ou biscoito água e sal. • Suplemento proteico. Nas fases 1 e 2 inicia o comportamento em relação à quantidade, importância do fracionamento de alimentos e digestão e mastigação lenta. 7
  8. 8. 3° FASE - dieta normal • Plano alimentar individualizado. • Necessidades nutricionais diárias com suplementos nutricionais. • Pequenas porções. Alimentos que devem ser evitados no pósoperatório Cafeína, bebidas gaseificados (água com gás, refrigerantes), bebidas alcoólicas, açúcar, doces em geral, alimentos com alto teor de gordura, frituras, alimentos industrializados (balas, salgadinhos, bolachas recheadas). Alimentos que devem ser estimulados no pós-operatório Proteína - Carnes em geral, ovos, leite, iogurte, queijos, leguminosas (feijões, lentilha, ervilha, soja e derivados). 8
  9. 9. Ferro - Carnes em geral, miúdos, gema de ovo, leguminosas (feijão, lentilha, ervilha), vegetais de cor verde escura, beterraba, moranga, pimentão, ameixa seca, cereais integrais, alimentos fortificados com ferro. Ácido fólico - Fígado, peixes, feijão branco, soja e derivados, brócolis, couve, espinafre, couve-flor, repolho, beterraba crua, aspargos, ovo, laranja, melão, maçã, pães integrais. Vitamina C - Moranga, beterraba, brócolis, couve-flor, ervilha, repolho, tomate, alho, pimentão, rabanete, salsa, abacaxi, acerola, bergamota, caju, goiaba, kiwi, laranja, limão, maracujá, morango e uva. Vitamina B12 - Carnes em geral, fígado, atum, leite, iogurte, queijo. Vitamina B1 (Tiamina) - Carnes vermelhas, fígado, atum, feijão, er- vilha, cereais integrais, leite, gema de ovo, abobrinha, berinjela, batata doce, beterraba, cenoura, couve-flor, pimentão, goiaba, laranja, maçã, morango, pêssego, tomate, uva. Cálcio - Iogurte, leite, queijo, leite de soja enriquecido com cálcio, queijo tofú, couve-flor, vegetais folhosos verde-escuros, salmão, laranja, feijão branco, abóbora, abobrinha, palmito, morango, rabanete, ervilha. 9
  10. 10. Vitamina D - Fígado, leite, gema de ovo, arenque, sardinha, atum, salmão. Vitamina A - Fígado, leite, ovos, vegetais folhosos verde-escuros, le- gumes e frutas alaranjados e amarelados (cenoura, laranja, abóbora, tomate, pêssego, maracujá, caqui, goiaba, caju), batata doce, abobrinha. Vitamina E - Óleos vegetais (girassol, canola, milho, soja), azeite de oliva, margarina, gema de ovo, aspargos, amêndoas, nozes, castanhas. Suplementos protéicos • Albumina em pó sem sabor • Caseinato de cálcio • Leite em pó • Soymilke / Supra soy light 10
  11. 11. LOCAIS DE COMPRA • Banca 12 do Mercado: 3221.22.71 • Clinifarma: 3330.70.71 • Diet empório: 3222.87.18 • HC nutricionais: 3269.50.01 • Nutriservice: 3022.77.70 • Serwital: 3330.28.12 • Quilocal: 3222.00.70 11
  12. 12. Assessoria de Comunicação Social HCPA - novembro/10 - PGS019 - 287600 SERVIÇO DE NUTRIÇÃO E DIETÉTICA SERVIÇO DE CIRURGIA DIGESTIVA SERVIÇO DE ENDOCRINOLOGIA Rua Ramiro Barcelos, 2350 Largo Eduardo Z. Faraco Porto Alegre/RS 90035-903 Fones 51 3359 8000 Fax 51 3359 8001 www.hcpa.ufrgs.br

×