Teoria Dessugestiva Aprendizagem Rápida
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Teoria Dessugestiva Aprendizagem Rápida

on

  • 4,296 views

Arte, Psicologia e Pedagogia fazem parte do triângulo de ouro da educação.

Arte, Psicologia e Pedagogia fazem parte do triângulo de ouro da educação.

Statistics

Views

Total Views
4,296
Views on SlideShare
3,964
Embed Views
332

Actions

Likes
1
Downloads
80
Comments
0

13 Embeds 332

http://projectoescola.blogspot.com 139
http://www.projectoescola.blogspot.com.br 47
http://www.projectoescola.blogspot.com 45
http://projectoescola.blogspot.com.br 45
http://www.projectoescola.blogspot.pt 20
http://projectoescola.blogspot.pt 13
http://www.slideshare.net 13
http://projectoescola.blogspot.co.uk 3
http://translate.googleusercontent.com 2
http://www.projectoescola.blogspot.jp 2
http://webcache.googleusercontent.com 1
http://209.85.173.132 1
http://projectoescola.blogspot.fr 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Teoria Dessugestiva Aprendizagem Rápida Teoria Dessugestiva Aprendizagem Rápida Presentation Transcript

  • Teoria “ Dessugestiva ” Dr. Lozanov Uma pedagogia atenta ao cérebro, para a mente, mas também para o inconsciente. Luís Filipe Barata
  • Teoria “Dessugestiva” consciente inconsciente inconsciente Indivíduo razão emoção A. Introdução – visão global Há uma vasta área virgem do cérebro e da mente por conquistar. Há uma grande reserva de capacidades à espera de serem utilizadas! Dr. Lozanov Minimização do stresse, tensão e preconceitos  porta aberta para o indivíduo
  • Esclarecimentos: A Comunicação e a Consciência A comunicação ocorre simultaneamente a vários níveis: Comunicação activa Recepção e reconhecimento “ Ha! pois é” Recepção passiva Nível intuitivo A memorização aumenta se a comunicação for estruturada para ocorrer simultaneamente a vários níveis! EMOÇÃO View slide
  • Esclarecimentos: Personalidades Múltiplas Cada um de nós tem uma ou várias personalidades? A personalidade é estática ou plástica / mutável? É possível moldar a personalidade! View slide
  • Esclarecimentos: do Cérebro à Mente Inteligências múltiplas Áreas motoras Córtex sensorial O cérebro possui áreas específicas para realizar diferentes tarefas.
  • Teoria “Dessugestiva” B. Pressupostos 1. Conhecimento do cérebro humano Um conhecimento científico do funcionamento do cérebro permite criar experiências de aprendizagem mais eficazes. 2. Estado emocional A emoção influencia o processo de aprendizagem e determina a retenção. Quando as emoções são positivas, a mente abre-se a novas possibilidades e há uma disponibilização de todos os recursos mentais para as experiências de aprendizagem. Deve criar-se e manter-se um ambiente que proporcione o envolvimento dos indivíduos nas actividades. A emoção está “acima” da razão (Erro de Descartes).
  • Teoria “Dessugestiva” B. Pressupostos 3. Ambiente de Aprendizagem O ambiente, a luminosidade, a temperatura, a acústica, a ergonomia do banco, a cor e a decoração influenciam positiva ou negativamente a aprendizagem. O equilíbrio do espaço pode ajudar a criar e manter o bem estar do indivíduo, convidando-o a experimentar, descobrir e aprender. 4. Papel da música e das artes A música pode criar uma ligação e emoção positivas que facilitam a aprendizagem, frequentemente negligenciada na educação. A música pode influenciar o ritmo global, os modos e a eficácia de uma actividade. As várias formas de arte facilitam o auto-conhecimento, a participação emocional e a aplicação do conhecimento às situações reais. As artes, desde a leitura de histórias, à dramatização ou às artes visuais realçam as aprendizagens e são inteligíveis ao nível do consciente e inconsciente.
  • Teoria “Dessugestiva” B. Pressupostos 5. Motivação pessoal A aprendizagem deve ser baseada na motivação intrínseca e no desejo de aprender. A aprendizagem do grupo deve suportar a aprendizagem do indivíduo. 6. Inteligências múltiplas e estilos de aprendizagem A aprendizagem deve subscrever os princípios de Howard Gardner: “devem respeitar-se as diferenças entre os indivíduos, as diferentes formas de aprender, considerar diferentes formas de avaliar os resultados. Há mil e uma maneira deixar uma marca na Humanidade”….
  • Teoria “Dessugestiva” B. Pressupostos 7. Imaginação / metáforas Os jogos e as actividades lúdicas enriquecem a informação verbal e escrita. As tarefas reforçam a memorização: por exemplo, a visualização de ilustrações reforça a leitura, a memorização e a criatividade. As comparações, as metáforas e o estabelecimento de semelhanças e analogias facilitam a aprendizagem. 8. Sugestão / “dessugestão” Os alunos possuem concepções do mundo, opiniões e modelos mentais que delimitam a sua aprendizagem. Os educadores devem realizar a planificação, usando a linguagem verbal e não verbal de forma intencional para sustentar a aprendizagem, minimizando as barreiras de aprendizagem. Para além do que é dito em linguagem verbal, há a expressão corporal, a atitude, a escolha das palavras e as expectativas do educador (mesmo que implícitas). Embora muito subtis, as sugestões positivas, ajudadas por uma variedade de experiências de aprendizagem - música, movimento, tarefas e exercícios - podem criar um estado de predisposição positiva, aumentando a atenção e o empenho.
  • Teoria “Dessugestiva” B. Pressupostos 9. Aprendizagem em grupo As actividades cooperativas de aprendizagem possibilitam a cada membro do grupo desenvolver as suas habilidades, desenvolver a socialização e a gestão do tempo, bem como a criatividade. O trabalho de grupo facilita a aprendizagem individual e do grupo. 10. Avaliação e estabelecimento de metas As expectativas de aprendizagem devem ser claramente definidas e partilhadas com os alunos. Os alunos devem compreender a relevância das aprendizagens para a sua vida. Os educadores devem medir a progressão através de dados objectivos que podem ser usados para melhorar a acção e modificar a planificação, com vista à melhoria do processo.
  • Teoria “Dessugestiva” C. Fases da aprendizagem: proporção dourada Ciclo de Aprendizagem 1. Fase de preparação Motivação, criar ambiente, plano de actividades ou até jogo de motivação. 2. Conectar a aprendizagem à emoção e aos indivíduos Toda as pessoas gostam de aprender, é necessário que o aluno descubra a relevância do que se vai abordar. 3. Explicitação das tarefas/processos e estabelecimento de objectivos. Explicar como decorrerão as experiências de aprendizagem, as simulações, as leituras, os jogos, as actividades de descoberta. 4. Prática: 2/3 do tempo da sessão devem ser ocupados pela tarefa / experiência de aprendizagem 5. Desempenho As experiências de aprendizagem devem culminar numa apresentação dos resultados, onde os alunos demonstrem a sua proficiência. 6. Integração, reflexão e celebração Os alunos devem integrar as suas aprendizagem no seu quotidiano através da reflexão.
  • “ Dessugestologia” Fundamentos Princípios de actuação Pedagogia “Dessugestiva” Não existem actividades isoladas do inconsciente. O consciente e o inconsciente não se podem separar. Cada estímulo assimilado está codificado em símbolos multidimensionais, sendo integrado em mapas de conceitos preexistentes. Os diferentes estímulos e a sua complexidade são condicionados pelo estado de espírito prevalecente do indivíduo. A emoção está “acima” da razão! Ambiente de estabilidade emocional, espontaneidade, colaboração e naturalidade Pedagogia holística: dinâmica, estruturada e hierarquizada: situar a parte no todo e o todo na parte. Ver o global parte a parte e cada parte como um todo. Sugestividade inconsciente preparada pela abertura mental sem reservas PSICOLÓGICA ARTÍSTICA DIDÁCTICA METODOLOGIA
  • Esclarecimentos: Sugestão não é hipnose
    • Comunicação livre – influencia naturalmente os indivíduos, conscientemente ou não, com total independência do receptor.
    • Comunicação dirigida mas não manipulativa – comunicação organizada para ser interpretada. Por exemplo, na arte, o receptor realiza percepções, por vezes, com impacto na emoção, mas há uma liberdade de interpretação do receptor.
    • Sugestão Clínica – comunicação parcialmente manipulativa que utiliza a “influência da personalidade passageira”.
    • Hipnose – comunicação manipulativa que utiliza uma perda quase total do auto-control que pode levar a mudanças profundas e duradouras na personalidade.
    A sugestão não pode ser entendida como hipnose, pois o receptor mantém a sua vontade própria! Quais os diferentes níveis de comunicação em função do papel do receptor? Utilizada com fins terapêuticos em ambiente clínico. Deve ser utilizada no processo de aprendizagem. Ex.: “guiar” os alunos na observação de uma imagem ou de um filme ou promover a reflexão sobre um tema
  • Esclarecimentos: Metodologias Os meios artísticos são a melhor forma de facilitar a memorização e possuem um elevado poder de motivação. A música, a literatura,… promovem uma abundância de percepções periféricas que harmonizam os conteúdos a abordar. Os meios psicológicos incluem, principalmente, a organização total da comunicação da aprendizagem. As percepções periféricas também podem ser trabalhadas dispondo, por exemplo, cartazes na sala de aula com a matéria a abordar, com figuras, mapas, informação (mas sem cair no exagero e na falta de organização). O professor deve inspirar calma e apreciar o seu trabalho, de forma a influenciar os alunos – os alunos imitam inconscientemente o que vêem, ouvem ou se apercebem . A melodia, o ritmo e a calma da voz podem influenciar o processo de aprendizagem. Os meios Didácticos dizem respeito à visão holística e conceptual da informação, à presença de uma organização global e hierarquizada nos materiais escritos, mas também na organização das actividades de aprendizagem. Isto implica, por exemplo, a apresentação, numa só aula, de um capítulo inteiro para que o aluno tenha uma visão do conjunto do que é essencial. Posteriormente, aborda-se cada uma das partes, permitindo acrescentar pormenores à rede de conceitos já criada. Desta forma as aprendizagens têm significado para os alunos. Em vez da repetição de exercícios deve-se utilizar a abordagem de conteúdos cada vez mais complexos, a partir de uma matriz inicial.
    • http://dr-lozanov.dir.bg/book/start_book.htm
    • http://en.wikipedia.org/wiki/Suggestopedia
    r E sU M InD O Referências Bibliográficas