Modulo i introd

  • 2,980 views
Uploaded on

Módulo 1 - Introdução à Higiene e Segurança do Trabalho. …

Módulo 1 - Introdução à Higiene e Segurança do Trabalho.
Histórico da relação homem-trabalho
Exemplos de acidentes de grandes proporções
Definições de acidentes.

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
2,980
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
200
Comments
0
Likes
4

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Higiene e Segurança do Trabalho – ENG 295Lucy Helena Silva de JesusMarço-Julho/2012
  • 2. Por que estamos aqui? Para exercer com orgulho a profissão de engenheiro, garantindo a integridade física das pessoas e das instalações. Para aprender com os erros do passado e prevenir acidentes.2000: Baía de Guanabara1 milhão de litros de óleo cru 2010: BP – explosão e vazamento de óleo 2011 – Queda de elevador mata 950 km2 de área afetada 11 mortos. 4 milhões de barris de petróleo trabalhadores em Salvador
  • 3. Por que estamos aqui?• Código de Ética do Engenheiro – Resolução Confea 1002-2002“A profissão é exercida com base nos preceitos do desenvolvimentosustentável na intervenção sobre os ambientes natural e construído eda incolumidade das pessoas, de seus bens e de seus valores”• Responsabilidades Civis e CriminaisAnotação de Responsabilidade Técnica – ART: Lei n.º 6.496/77 eresoluções Confea.• Compromisso pessoal com a Vida O caso Bhopal
  • 4. Conteúdo a ser abordado• Conceitos gerais: Histórico, definições, princípios de Gerenciamento de Riscos• Segurança de Processos; Segurança do Trabalho; Higiene Ocupacional• Legislação de SSO• Acidentes de Trabalho• Ergonomia• Agentes Ambientais• Avaliação e Controle de Riscos Ambientais• Prevenção e Combate a Incêndio• Mapas de Risco – Atividade prática
  • 5. Modus Operandi Avaliação Data Peso Estudo dirigido (E) 10 de Abril 2 Prova (P) 21 de Maio 2 Trabalho em 03 e 05 de 4 equipe Julho (Mapa de Risco) (T) Avaliação: • N = (2E+2P+4T)⁄8
  • 6. Aula 1 - Conceitos gerais HistóricoDefinições de acidentesPrincípios de Gerenciamento de RiscosLegislação Brasileira de Segurança do Trabalho e Saúde OcupacionalBibliografia sugerida:http://portal.mte.gov.br/legislacao/normas-regulamentadoras-1.htmhttp://www.fundacentro.gov.brFilho, L. R. Técnicas de Higiene e Segurança do Trabalho.Bastias, H. H. Introducción o à La Ingenieria de Prevencion de Perdidas.Normas de ABNT Spinelli, R. et al. Higiene ocupacional - agentes biológicos, químicos e físicos
  • 7. Breve história da Higiene Ocupacional e da Segurança do Trabalho. Sec XVIII - Ramazzini - “De Morbis Artificum Diatriba” (A Doença dos Trabalhadores)relaciona as doenças desenvolvidas por trabalhadores de 50 profissões
  • 8. Breve história da Higiene Ocupacional e da Segurança do Trabalho.Transição da Idade Média para a EraModerna: Revolução Industrial  Modelo Produtivo: Do Artesão para o Assalariado  Mudança da estrutura de Poder - controle do modo de produção - do Artesão para o Empresário  Doenças Ocupacionais; Acidentes do Trabalho – aumento exponencial
  • 9. Condições de TrabalhoRevolução Industrial Inglesa – Sec XVIII  Máquinas sem proteção; Engrenagens correias polias Expostos volantes eixos  Trabalho noturno;  Inexistência de limite de horas de trabalho;  Iluminação precária;  Ventilação deficiente;  Ruído elevado;  Doenças: ocupacionais e infecto-contagiosas.
  • 10. Condições de TrabalhoSéculo XXIO mundo mudou....Será mesmo ?  Máquinas sem proteção;  Trabalho noturno;  Inexistência de limite de horas de trabalho;  Iluminação precária;  Ventilação deficiente;  Ruído elevado;  Doenças: ocupacionais e infecto-contagiosas.
  • 11. Histórico da Indústria no Brasil 2001 – Pólo Industrial Diversificação: Automóveis, Pólo de apoio; Fábricas de pneus 1978 Pólo Petroquímico de Camaçari Normas Regulamentadoras Pólo Automobilístico (SP-ABC)Indústrias de base: CSN, 1959 - VolkswagenPetrobrás, Vale do Rio Doce;CLT; Sindicatos 1930-1956 1956-1978 1978-2001 2001-futuro
  • 12. Acidentes Relevantes pelo mundo Anos 70 Anos 90 2001- dias Anos 80 atuais1976 - Seveso 1982 – Caso Tylenol 1979 - Three Miles Island 1984 – Bhopal 1984- Cubatão 2000 – Petrobrás - Baía de Guanabara 1986- Chernobyl 2000 – Petrobrás – Araucária – PR 1986- Ônibus espacial Challenger 2001 – Petrobrás – P36 1987 – Césio 137 2003 – Ônibus Espacial Columbia 1989 – Exxon Valdez 2003 – British Petroleum: Refinaria 1989 – Pasadena - Texas 2010 – British Petroleum: cargueiro 2011 – Fukushima - Nuclear
  • 13. Ciclos de acidentes Exemplo genérico de ciclo de acidentes ao longo do tempo em uma indústria químicaKRAUSE, Thomas. Leading with Safety, 2005. Wiley & Sons ed.
  • 14. Afinal, o que é um Acidente ?Acidente de Segurança de Processos: • Convenção OIT 174 Convenção sobre a Prevenção de Acidentes Industriais Maiores: “Considerando as causas desses acidentes, particularmente erros de organização, fatores humanos, falhas de componentes, desvios das condições normais de funcionamento, interferências externas e fenômenos naturais;” “(d) a expressão "acidente maior" designa todo evento subitâneo, como emissão, incêndio ou explosão de grande magnitude, no curso de uma atividade em instalação sujeita a riscos de acidentes maiores, envolvendo uma ou mais substâncias perigosas e que implica grave perigo, imediato ou retardado, para os trabalhadores, a população ou o meio ambiente;
  • 15. Afinal, o que é um Acidente ?• Conceitos de acidente conforme MTE• Guia de análise de Acidentes de trabalho – MTE- 2010“ACIDENTE DE TRABALHO: ocorrência geralmente não planejada que resulta em dano à saúde ou integridade física de trabalhadores ou de indivíduos do público. Exemplo: andaime cai sobre a perna de um trabalhador que sofre fratura da tíbia.”
  • 16. Afinal, o que é um Acidente ?Conceitos de acidente conforme MPS• LEI Nº 8.213 - DE 24 DE JULHO DE 1991“ Art. 19. Acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa ou pelo exercício do trabalho dos segurados referidos no inciso VII do art. 11 desta Lei, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte ou a perda ou redução, permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho. ““Art. 20. Consideram-se acidente do trabalho, nos termos do artigo anterior, as seguintes entidades mórbidas:I - doença profissional, assim entendida a produzida ou desencadeada pelo exercício do trabalho peculiar a determinada atividade e constante da respectiva relação elaborada pelo Ministério do Trabalho e da Previdência Social;II - doença do trabalho, assim entendida a adquirida ou desencadeada em função de condições especiais em que o trabalho é realizado e com ele se relacione diretamente, constante da relação mencionada no inciso I.”
  • 17. Tipos de Acidentes do Trabalho• Acidente do Trabalho Típico• Acidente de Trajeto• Doença Profissional – peculiar à atividade• Doença Ocupacional – Doença provocada por condições de trabalho, independente da atividade.
  • 18. Consequências dos acidentes Acidentado: • Perda da vida ou da capacidade laborativa • Redução do poder aquisitivo da família • Problemas psicológicos Sociedade Acidentado Sociedade: •Sobrecarga da Previdência e do sistema Empresa público de saúde Empresa: • Perda de mão de obra qualificada • Danos a imagem Perdas • Prejuízos financeiros (multas, perdas materiais • Falência
  • 19. Causas dos acidentes Acidente de trabalho não é mero acidente!Os fatores relacionados com a ocorrência de eventos adversos podem ser:IMEDIATOS: razões mais óbvias da ocorrência de um evento adverso,evidenciadas na proximidade das conseqüências. Podem ser identificados diversos fatoresimediatos para um evento adverso.SUBJACENTES: razões sistêmicas ou organizacionais menos evidentes, porémnecessárias para que ocorra um evento adverso.LATENTES: condições iniciadoras que possibilitam o surgimento de todos osoutros fatores relacionados ao evento adverso. Frequentemente são remotas no tempo e no quese refere à hierarquia dos envolvidos, quando consideradas em relação ao evento. Geralmenteenvolvem concepção, gestão, planejamento ou organização.(Guia análise de acidentes do trabalho – MTE – 2010)Uma boa análise de incidentes requer pessoas treinadas e experientes. Há muita divergência de conceitosentre causas subjacentes (ou fatores contributivos) e causas latentes (causas –raiz)
  • 20. Exemplo de análise de AcidenteBreve Relato:Dados relevantes: •Dia 02 de janeiro de 2012. •Trabalhador: João da Silva O exemplo é de um Acidente •Idade: 23 anos hipotético – apenas para •Tempo de empresa: 2 meses ilustrar o exercício. Nomes, •Tempo na função: 1 mês e meio fatos e dados são fictícios.Detalhes da ocorrência: Às 23 horas do dia 02 de janeiro, quando o trabalhador iniciava seusegundo turno de trabalho, durante atividade rotineira, o mesmo movimentou a prensa hidráulica.Ele relata ter ajeitado a peça com a mão esquerda, acionando o equipamento com a outra mão emseguida. A prensa veio a prender sua mão esquerda, amputando o dedo mínimo.Fatos relevantes: •O trabalhador procurou o líder de turno que o encaminhou ao pronto-socorro de imediato. •Há procedimento escrito para a tarefa •O trabalhador estava em dobra devido a falta do operador do turno que não regressou ao trabalho após o feriado de ano novo. •Treinamento de operação da prensa foi realizado on-the-job na semana anterior ao acidente, no turno de 23x07, com acompanhamento do operador sênior.
  • 21. Exemplo de análise de Acidente Acidente de trabalho não é mero acidente!Caracterização:É um acidente de Segurança de Processos?É uma doença Ocupacional ?É um acidente de Segurança do Trabalho? O exemplo é de um Acidente hipotético – apenas paraCaracterização: ilustrar o exercício. Nomes,Acidente de Trabalho típico fatos e dados são fictícios.Coleta de dados:Prestar atendimento imediato ao acidentadoAcionar o médico do trabalhoIsolar local do acidente – Fotografar condição atualSimular ocorrência – filmar ou fotografarPreparar breve relato – Comunicar liderançasEmitir CAT (até 24horas após a caracterização)Implementar comitê de investigação: Líder do acidentado, representante da CIPA, SESMT daempresa, acidentado (quando possível)Resgatar histórico: Procedimentos, permissões de trabalho, treinamentos. Entrevistartrabalhador e colegas, examinar escala de trabalho, verificar uso de EPI, anexar todas asevidências.
  • 22. Exemplo de análise de Acidente usando árvore de causas. Ergonomia Organizacional deficiente – Gestão Fadiga de pessoal (dobra) Falha humana: Programa de Posicionamento Treinamento e na linha de fogo Qualificação Habilitação Deficiente Deficiente Processo de Amputação do aquisição de Prensa não possui dedo mínimo máquinas deficiente dispositivo de esquerdo em proteção (NR-12) Análise de riscos prensa da tarefa deficiente hidráulica Gestão de SST deficiente Fatores CausasFatores Latentes Perda Subjacentes Imediatas(Causas Raízes) (Contributivos)
  • 23. Exemplo de análise de Acidente Exemplos de Ações•Mitigadoras: Prover tratamento médico imediato ao Acidentado. Assistir a família e providenciarreabilitação, se aplicávelImediatas Instalar dispositivo de proteção que impeça o acesso à linha de ação da prensa quando amesma estiver em movimento.PreventivasTreinar operadores da prensa.Revisar Análise de Risco da Tarefa e Procedimento Operacional, enfatizando riscos deoperação manual com equipamento em movimento.Treinar todos os operadores nos procedimentos revisadosEvitar dobras de turno. Quando for imprescindível, deslocar trabalhador para atividadescom menor exposição ao risco
  • 24. Exemplo de análise de Acidente Exemplos de AçõesCorretivasErgonomia Organizacional: Revisar organização do trabalho: Implementar controle rigoroso de horasextras e estabelecer política para atividades que podem ser executadas em extensão de jornada.Capacitação e Habilitação: Revisar sistemática de qualificação dos operadores de máquinas. Certificaroperadores na nova sistemática.Aquisição: Revisar sistemática de aquisição de equipamentos, inserindo cláusulas de segurança noscontratos de compra e manutenção.Gerenciamento de Riscos: •Revisar sistemática de análises de risco, inserindo antecipação de riscos de operações de máquinas e equipamentos. •Instalar dispositivos de proteção na prensa, conforme NR-12.•Ações de Abrangência:Revisar estratégia de treinamento de operadores de máquinas em geralRealizar diagnóstico de atendimento a NR-12 e implementar recomendações em todas as máquinas daempresa.Realizar análise de abrangência em outras unidades e departamentos e implementar as recomendações
  • 25. Próxima aulaModelos de Gestão de Riscos• Definição de Risco e Perigo•Gestão de Segurança de Processos•Gestão de Segurança do Trabalho•Gestão de Higiene Ocupacional•OHSAS 18001•OSHA – CCPS•PGR – Resolução CEPRAM 3965/2009