Your SlideShare is downloading. ×
Modulo 6 atividades insalubres parte 3
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Modulo 6 atividades insalubres parte 3

6,287
views

Published on

NR 15 …

NR 15
Agentes químicos

Published in: Education

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
6,287
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
188
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Higiene e Segurança do Trabalho – ENG 295Módulo VINR 15 - Atividades e Operações Insalubres parte III
  • 2. Agentes Químicos• Estão presentes em todos os ambientes, em maior ou menor quantidade.• A Insalubridade dependerá do agente, da concentração e do tempo deexposição.• O efeito à saúde dependerá também da predisposição dos indivíduos.• A NR-15 aborda a maior parte dos Agentes Químicos ocupacionais nosanexos 11, 13 e 13-A• As Poeiras Minerais, que também são agentes químicos, são tratadas noanexo 12.
  • 3. Agentes Químicos• Para efeito de exposição ocupacional, consideraremos como “AgentesQuímicos”: • Gases e Vapores • Aerodispersóides: poeiras, fumos, névoas, neblinas e fibras.
  • 4. Agentes Químicos• Vias de contaminação: • Respiração • Pele e Olhos • Ingestão
  • 5. NR-15 – Atividades e Operações InsalubresAgentes QuímicosAnexo 11 Agentes químicos cuja insalubridade é caracterizada porlimite de tolerância e inspeção no local de trabalhoAnexo 12Poeiras mineraisAnexo 13 Relação das atividades e operações envolvendo agentes químicos,consideradas, insalubres em decorrência de inspeção realizada no localde trabalhoAnexo 13A Benzeno
  • 6. Anexo 11 Agentes químicos cuja insalubridade é caracterizada por limite de tolerância einspeção no local de trabalho
  • 7. Anexo 11 Agentes químicos cuja insalubridade é caracterizada por limite de tolerância e inspeção no local de trabalho Principais agentes Anexo 11: compostos orgânicos, gases nobres e algumas substâncias inorgânicasOBS: O Benzeno constava na lista até 1994, quando foi removido e passou a ser tratado noanexo 13A
  • 8. Exemplos de Agentes Químicos do anexo 11 e suas aplicações Ácido Cianídrico - HCN Aplicações Industriais: • Fabricação de Nylon e Acrílico • Indústria Farmacêutica • Indústria de Agroquímicos (Herbicidas) • Indústria têxtil (corantes para blue jeans) • Extração e refino de metais preciosos (ouro, prata etc.), indústrias metalúrgicas e em eletrodeposição de metais (galvanoplastia), disposição eletrolítica de revestimentos metálicos (cobre, zinco, cádmio, etc.), tratamentos térmicos de aços,http://www.google.com.br/imgres?imgurl=http://1.bp.blogspot.com/-hsgcvr43LOU/TdXZHpTor6I/AAAAAAAAAaA/QxL8dTIxgNk/s1600/1746.jpg&imgrefurl=http://atalhodaweb.blogspot.com/2011/05/fumar-faz-mal-saude.html&usg=__AzuKTe3r9BelkdhOrVseDYnauiw=&h=862&w=700&sz=127&hl=pt-BR&start=2&sig2=5R9-mkHJ38KR5JSnfberTQ&zoom=1&tbnid=wWYMadaQbn104M:&tbnh=145&tbnw=118&ei=-2ClT6KfDYrc9ASTqoSeAw&itbs=1
  • 9. Exemplos de Agentes Químicos do anexo 11 e suasaplicações Ácido Cianídrico - HCN Formas de absorção: •Inalação •Absorção pela pele •Ingestão Efeitos - Exposição Aguda: Mais grave s e rápidos – Via respiratória •Tontura, convulsão, morte Efeitos – Exposição Crônica: •Danos ao SNC e tireóide • Tontura, sonolência, dor de cabeça
  • 10. Exemplos de Agentes Químicos do anexo 11 e suasaplicaçõesFormaldeídoEtanolMetanolNeônio. Radônio, XenônioToluenoXileno
  • 11. Doenças relacionadas aos compostos do anexo 11Portaria Nº. 1339/GM em 18 de novembro de 1999
  • 12. Anexo 12 – Poeiras Minerais
  • 13. Anexo 12 – Poeiras MineraisAsbestosCrisotila: É o mineral mais utilizado na produção de asbesto. As suas aplicações sãoinúmeras incluindo: •Telhas de fibrocimento (cerca de 85% do consumo mundial) •Revestimentos de embreagens de automóveis •Revestimentos e coberturas de edifícios •Gessos e estuques •Revestimentos à prova de fogo •Vestimentas de proteção à prova de fogoAnfibólio:•Tubagens e coberturas de edifícios (misturado com cimento, fibrocimento)• Isolamentos térmicos e acústicos• Revestimentos de teto
  • 14. Anexo 12 – Poeiras MineraisAsbestoshttp://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-35862001000400007&script=sci_arttext
  • 15. Asbestos – Doenças relacionadasPortaria Nº. 1339/GM em 18 de novembro de 1999
  • 16. Anexo 12 – Poeiras MineraisManganês• Metalurgia – Extração• Fabricação de baterias, vidros, eletrodos de solda, tintas, etc• Indústria farmacêutica
  • 17. ManganêsÁrea de estudo : CotegipeModo de contaminação: Poeira RespirávelEfeitos: • Diminuição da capacidade cognitiva, déficit de atenção e memória. • Problemas motores.
  • 18. Manganês – Doenças relacionadasPortaria Nº. 1339/GM em 18 de novembro de 1999
  • 19. Anexo 12 – Poeiras MineraisSílica •Construção civil •Produção de Sílica gel •Fabricação de vidro e cerâmica •Fabricação de eletro-eletrônicos: Chips, sensores ópticos. Principal via de exposição: •Respiratória Efeitos: Danos permanentes ao pulmão
  • 20. Sílica – Doenças relacionadasPortaria Nº. 1339/GM em 18 de novembro de 1999
  • 21. Anexo 13 –Relação das atividades e operações envolvendo agentesquímicos, consideradas, insalubres em decorrência de inspeçãorealizada no local de trabalho
  • 22. Anexo 13 –Relação das atividades e operações envolvendo agentesquímicos, consideradas, insalubres em decorrência deinspeção realizada no local de trabalhoExemplos de Compostos listados no anexo 13:Metais: Cromo, Chumbo, MercúrioSemi-metais: ArsênioNão-metais: FósforoHidrocarbonetosSilicatos
  • 23. Anexo 13– Doenças relacionadasPortaria Nº. 1339/GM em 18 de novembro de 1999
  • 24. Anexo 13– Doenças relacionadasPortaria Nº. 1339/GM em 18 de novembro de 1999
  • 25. Anexo 13A – Benzeno
  • 26. Anexo 13A – BenzenoAplicações industriais A seguir, as atividades e a relação de indústrias que envolvem risco de exposição ao benzeno: • Indústria do petróleo / petroquímica / borracha • Siderurgia • Usinas de álcool • Gráficas • Pintura • Indústria de móveis • Construção civil • Indústria e reparo de calçados • Indústria Farmacêutica • Postos de gasolinahttp://www.eclac.cl/ddpe/noticias/paginas/4/19834/LianzayNadim.pdf
  • 27. Anexo 13A – Benzeno• O benzeno: Líquido claro, de odor aromático, volátil e inflamável. o Pode ser extraído do carvão mineral. o Obtido comercialmente por hidrogenação catalítica. o Componente da gasolina 1- 5%.• Toxicocinética o Lipossolúvel - é rapidamente absorvido pela via pulmonar com retenção de 50%. o Distribuição e depósito em tecidos ricos em gordura (medula, SNC, fígado e outros).
  • 28. Anexo 13A – BenzenoEfeitos da exposição• Principais Efeitos Tóxicos o Exposição aguda: Asfixia, depressão do SNC (tontura, ataxia e confusão mental), disritmia cardíaca; Inflamação do trato respiratório, hemorragia pulmonar, congestão dos rins e edema cerebral. Morte. o Exposição crônica (efeito sistêmico): Mielotoxicidade, Mutagenicidade , Aplasia medular com redução dos elementos figurados do sangue, Leucemia.
  • 29. Monitoramento da exposição ao Benzeno• Monitorização biológica: o Hemograma completo e plaquetas: (NR-07) • Admissional • Periódico: Seis meses • Demissional
  • 30. Doenças ocupacionais causadas por Agentes Químicos
  • 31. Benzeno - Metabolização•Formação de radicais livres a partir do óxido de benzeno  Danos ao DNA
  • 32. Anexo 13A – Benzeno HistóricoFonte: Tese de doutorado.Danilo Fernandes Costa.Faculdade de medicinaUSP. 2009
  • 33. Anexo 13A – Benzeno HistóricoFonte: Tese de doutorado.Danilo Fernandes Costa.Faculdade de medicinaUSP. 2009
  • 34. Anexo 13A – BenzenoHistóricoFonte: Tese de doutorado.Danilo Fernandes Costa.Faculdade de medicinaUSP. 2009
  • 35. Anexo 13A – Benzeno Histórico3.2.1 Denúncias e interdições•Em 1983 o Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Santos constatou através darealização de exames clínicos em trabalhadores da Companhia Siderúrgica Paulista (COSIPA), emCubatão, São Paulo, que 150 trabalhadores estavam leucopênicos, ou seja apresentavam alteraçõesno sangue. Esse número entre 1983 a 1992 tomou proporção de uma epidemia, mais de dois miltrabalhadores dessa siderúrgica foram afastados do trabalho.•Em 1985, o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicos de Volta Redonda, Rio deJaneiro denunciava outros 50 casos de leucopenia na Companhia Siderúrgica Nacional (CSN).•Em 1986, o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas e Petroquímicas do ABC•consegue a interdição, junto a Delegacia Regional do Trabalho de São Paulo e posteriormente ofechamento da unidade que produzia Benzeno Hexa Cloro (BHC) das Indústrias QuímicasMatarazzo, em São Caetano do Sul, São Paulo. Eram 60 trabalhadores contaminados e duas mortescomprovadas por exposição ao benzeno. http://www.eclac.cl/ddpe/noticias/paginas/4/19834/LianzayNadim.pdf
  • 36. Anexo 13A – Benzeno Histórico3.2.1 Denúncias e interdições•De 1983 a 1988 o movimento sindical e os organismos públicos conseguiram o reconhecimento dobenzenismo como doença profissional e o estabelecimento de critérios de afastamento e alta detrabalhadores contaminados.•Em 1990, a Nitrocarbono S.A. do pólo petroquímico de Camaçari foi interditada pela DRT Bahiadevido a duas mortes por benzenismo. http://www.eclac.cl/ddpe/noticias/paginas/4/19834/LianzayNadim.pdf
  • 37. Anexo 13A – Benzeno HistóricoFonte: Tese de doutorado. Danilo Fernandes Costa. Faculdade de medicina USP. 2009
  • 38. Anexo 13A – Benzeno HistóricoFonte: Tese de doutorado. Danilo Fernandes Costa. Faculdade de medicina USP. 2009
  • 39. Caso Nitrocarbono: Camaçari- Bahia Julho de 1990 Morte de um médico por aplasia medular e de um operário por leucemia - Associadas a exposição ao BenzenoFonte: Prof. Ligia Rangel lirangel@ufba.br ISC/UFBA Botucatu, março de 2009
  • 40. Tribuna da Bahia, 24/10/90Fonte: Prof. Ligia Rangel lirangel@ufba.br ISC/UFBA Botucatu, março de 2009
  • 41. Jornal da Bahia, 03/04/91Fonte: Prof. Ligia Rangel lirangel@ufba.br ISC/UFBA Botucatu, março de 2009 Foto: assinatura não identificada
  • 42. Jornal da Bahia, 26/07/90Fonte: Prof. Ligia Rangel lirangel@ufba.br ISC/UFBA Botucatu, março de 2009 Foto: Valter Pontes
  • 43. Correio da Bahia, 13/11/90Fonte: Prof. Ligia Rangel lirangel@ufba.br ISC/UFBA Botucatu, março de 2009 Foto: Márcia Raquel
  • 44. Correio da Bahia, 13/11/90Fonte: Prof. Ligia Rangel lirangel@ufba.br ISC/UFBA Botucatu, março de 2009
  • 45. Evidências das exposição – Pólo Petroquímico de Camaçari Monitoramento realizado em 1990: • 7.356 trabalhadores examinados; • 850 suspeitos de leucopenia por exposição ao benzeno; • 216 casos de benzenismo. • Dois mortos: o Julho de 1990 – Dr Armando Sobrinho, médico do trabalho, Aplasia medular. o Outubro de 1990 - Antônio Lázaro, operário, Leucemia mielóide crônica. • A avaliação ambiental revelou níveis acentuados de contaminação atmosférica.Fonte: Tese de doutorado. Danilo Fernandes Costa. Faculdade de medicina USP. 2009
  • 46. Evidências das exposição – Outras localidadesFonte: Tese de doutorado. Danilo Fernandes Costa. Faculdade de medicina USP. 2009
  • 47. Evidências das exposição – Outras localidadesFonte: Tese de doutorado. Danilo Fernandes Costa. Faculdade de medicina USP. 2009
  • 48. Evidências das exposição – Outras localidadesFonte: Tese de doutorado. Danilo Fernandes Costa. Faculdade de medicina USP. 2009
  • 49. Benzeno – Situação atualVárias ações ocorreram a partir da assinatura do Acordo e legislação sobre benzeno,em dezembro de 1995, e com a formação da CNPBz, entre elas, as bancadas degoverno e de trabalhadores consideraram a necessidade de formação de ComissõesRegionais para a implementação do Acordo.Hoje existem Comissões Regionais Tripartites nos principais pólos petroquímicos,siderúrgicos, de produção de combustíveis e de petróleo do país (Bahia, Rio deJaneiro, Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul). http://www.fundacentro.gov.br/dominios/ctn/anexos/Publicacao/Benzeno_10a nos.pdf
  • 50. Benzeno – Exposições não ocupacionais
  • 51. Benzeno – Exposições não ocupacionaisEm 2009, a associação analisou 24 amostras de diversos refrigerantes e detectou a presença de benzeno em setedelas. Em duas amostras de bebidas cítricas – Fanta Laranja Light (da Coca-Cola) e Sukita Zero (Ambev) - o nívelfoi superior ao considerado tolerável para o consumo humano. Depois da pesquisa, o MPF começou a investigar ocaso.Nos refrigerantes, o benzeno surge da mistura do ácido benzóico com a vitamina C. Nos refrigerantes normais, esseprocesso não ocorre por causa do açúcar, que inibe a reação química.Estudos de mais de três décadas atrás apontam que a exposição ao benzeno eleva o potencial de câncer e doenças nosangue. “Ele é tóxico e causador de leucemia e outros tumores, dependendo da quantidade e do tempo deexposição”, disse o presidente da Associação Brasileira de Hemoterapia e Hematologia (ABHH), Cármino de Souza.A maioria das pesquisas avaliou públicos específicos, como trabalhadores dos setores petroquímico e de siderurgiaque lidam diretamente com a substância. O médico explicou que ainda há pouca informação sobre os efeitos dobenzeno na saúde da população em geral, mas advertiu que a menor exposição ao agente químico diminui aschances de doenças sanguíneas. “Temos contato com benzeno diariamente. O ideal é zero, o mínimo possível”.O benzeno está presente na fumaça do cigarro e dos carros. É também usado na fabricação de plásticos, borrachas edetergentes.http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2011/11/05/fabricantes-vao-reduzir-nivel-de-benzeno-nas-principais-marcas-de-refrigerante.htm
  • 52. Agentes Químicos – Exposições não-ocupacionaishttp://www.google.com.br/imgres?imgurl=http://1.bp.blogspot.com/-hsgcvr43LOU/TdXZHpTor6I/AAAAAAAAAaA/QxL8dTIxgNk/s1600/1746.jpg&imgrefurl=http://atalhodaweb.blogspot.com/2011/05/fumar-faz-mal-saude.html&usg=__AzuKTe3r9BelkdhOrVseDYnauiw=&h=862&w=700&sz=127&hl=pt-BR&start=2&sig2=5R9-mkHJ38KR5JSnfberTQ&zoom=1&tbnid=wWYMadaQbn104M:&tbnh=145&tbnw=118&ei=-2ClT6KfDYrc9ASTqoSeAw&itbs=1
  • 53. Agentes Químicos – Exposições não-ocupacionais
  • 54. Agentes Químicos – Exposições não-ocupacionaishttp://www.abq.org.br/cbq/2007/trabalhos/10/10-319-64.htm
  • 55. Próxima aula•Controle de Exposição a Agentes Químicos•Processos Industriais & Agentes Ambientais•Exercícios de Percepção de Risco•Elaboração do Mapa de Riscos

×