Estudo de caso Edifício Espaço Natura-SP

2,029 views
1,822 views

Published on

Estudo de caso Edifício Espaço Natura-SP

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,029
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
212
Actions
Shares
0
Downloads
33
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Estudo de caso Edifício Espaço Natura-SP

  1. 1. Aluna: Luciana Alessandra da Paixão No 20 Profa.: Stamatia Koulioumba Disciplina: Teoria da Arquitetura Espaço Natura
  2. 2. Espaço Natura Dados Técnicos Ficha Técnica Fábrica Natura Local Cajamar, SP Projeto 1996 Conclusão da obra 2001 Terreno 678 000 m2 Área construída 83 000 m2 Arquiteto: Roberto Loeb Aluna: Luciana Alessandra da Paixão No 20 Profa.:Stamatia Koulioumba Disciplina: Teoria da Arquitetura
  3. 3. Espaço Natura Descrição do Conjunto O projeto do Novo Espaço Natura priorizou a integração com a natureza a partir de blocos horizontais e independentes. Com 12 edifícios e 70 mil m2, o conjunto tem três fábricas, setores operacionais, um centro de pesquisa e desenvolvimento, área de treinamento e convenções, clube e bloco de apoio a funcionários com restaurante, banco, creche e loja. "A Natura queria uma fábrica diferenciada pelo foco humano e pelo respeito à natureza", explica Roberto Loeb, vencedor do concurso fechado realizado pela empresa para escolher o autor do projeto. Ele criou um conjunto contemporâneo e horizontal, que tira partido das grandes extensões de mata para proporcionar condições de conforto aos mais de 2 mil funcionários da indústria cosmética. São 12 edifícios independentes e com projetos diferentes entre si para marcar sua função, com implantação surpreendente. Quase todos usam o vidro como fechamento, formando volumes que não impedem a vista da paisagem. "Com isso foi criada uma malha de troca e de usufruto dos espaços abertos", diz Loeb. O pavilhão industrial, composto por três fábricas com escritórios integrados e mais de 22 mil m2 de área, é unificado pelas fachadas anterior e posterior, com 400 m de comprimento contínuos, como se delimitassem uma só construção. Duas passarelas portiçadas, uma em cada fachada, respondem pela circulação horizontal entre os prédios, definindo dois longos corredores - um operacional e outro exclusivo para pessoas - delimitados externamente por vidro serigrafado fixo ao pórtico estrutural metálico na cor branca; internamente, o fechamento é feito com vidro transparente, o que permite aos visitantes acompanhar o processo industrial. Paredes curvas de concreto, com 15 m de altura, definem a recepção de formas orgânicas, que serve de elo entre o estacionamento e as fábricas, situadas mais à frente. Seu piso alterna mármore, concreto e seixo rolado, delineando tapetes que assinalam os caminhos. Uma clarabóia fornece iluminação natural ao ambiente e ao jardim interno do piso inferior, onde foram dispostos a biblioteca e o Centro de Memória Natura. A recepção é um anexo do edifício de pesquisa e desenvolvimento, ao qual se liga por meio de passarela metálica que lembra as pontes de embarque dos aeroportos. Aluna: Luciana Alessandra da Paixão No 20 Profa.:Stamatia Koulioumba Disciplina: Teoria da Arquitetura
  4. 4. Espaço Natura Aluna: Luciana Alessandra da Paixão No 20 Profa.:Stamatia Koulioumba Disciplina: Teoria da Arquitetura No edifício de pesquisa e desenvolvimento - com empenas laterais de concreto e fachadas de vidro - funcionam laboratórios e escritórios, distribuídos por mais de 11 mil m2 de área. Também interligado às fábricas por pontes de estrutura metálica, esse bloco destaca-se por um grande átrio coberto, mas sem fechamentos laterais, que marca a circulação vertical e horizontal e funciona como área para descanso, café e fumódromo. O L formado entre o edifício de pesquisa e as fábricas é ocupado pela praça das Jabuticabeiras, espaço previsto para a realização de atividades externas. Grandes volumes de concreto aparecem no Núcleo de Aperfeiçoamento Natura (NAN), prédio destinado a convenções e treinamento, com as duas extremidades em balanço - uma com 12 m e a outra com 8 m. Bloco de apoio térreo, com estrutura metálica e fechamento em alvenaria, o bloco de apoio soma quase 10 mil m2 de área para abrigar todos os serviços necessários: creche com playground, enfermaria, loja de conveniência, lanchonete, cozinha, restaurante com sacada e ar-condicionado, departamento de recursos humanos, posto bancário e dois blocos de sanitários. Uma grande varanda, de 400 m x 12 m, com cobertura metálica curva e fechamento de policarbonato, integra todos os setores ao verde, criando ambientes que enfatizam o bem-estar. No futuro, a Natura deve reativar um trecho de cerca de 3 km da antiga ferrovia Caieiras-Pirapora, para os visitantes conhecerem todo o complexo em um passeio de trem que irá até a vizinha reserva ambiental do estado. Texto resumido a partir de reportagem de Nanci Corbioli Publicado originalmente em PROJETO DESIGN Edição 253 Março 2001
  5. 5. Espaço Natura Implantação Aluna: Luciana Alessandra da Paixão No 20 Profa.:Stamatia Koulioumba Disciplina: Teoria da Arquitetura
  6. 6. Espaço Natura Planta Bloco de Pesquisa e Desenvolvimento Aluna: Luciana Alessandra da Paixão No 20 Profa.:Stamatia Koulioumba Disciplina: Teoria da Arquitetura
  7. 7. Espaço Natura Núcleo de Aperfeiçoamento Natura Aluna: Luciana Alessandra da Paixão No 20 Profa.:Stamatia Koulioumba Disciplina: Teoria da Arquitetura
  8. 8. Espaço Natura Corte Longitudinal Aluna: Luciana Alessandra da Paixão No 20 Profa.:Stamatia Koulioumba Disciplina: Teoria da Arquitetura
  9. 9. Espaço Natura Cortes Longitudinais Aluna: Luciana Alessandra da Paixão No 20 Profa.:Stamatia Koulioumba Disciplina: Teoria da Arquitetura
  10. 10. Espaço Natura Sobre o Arquiteto Roberto Loeb Aluna: Luciana Alessandra da Paixão No 20 Profa.:Stamatia Koulioumba Disciplina: Teoria da Arquitetura Roberto Loeb, nasceu em 17 de maio de 1941, em São Paulo, Brasil. Em 1965, formou-se pela faculdade de Arquitetura da Universidade Mackenzie, sendo mais tarde, professor de projetos, nesta mesma faculdade. Classificou-se em 1º lugar, para o projeto da Nova Fábrica da Natura, Edifício Sede H. Stern, Edifício Sede da igreja Messiânica Mundial do Brasil S/A, todos em São Paulo. Os dois últimos em associações com outros arquitetos. No exterior participou de concursos para um Centro Cultural em Nova Delhi, Índia, (Indira Gandhi National Center for Arts), em Florença, na Itália (Concorso Internationale " Le Murate", Firenze), em Nova York, Estados Unidos, (Conpetition for the New York Waterfront), o Novo Museu de Acropolis, em Atenas Grécia, (New Acroplois Museum), a Biblioteca de Alexandria, no Egito (Biblioqueca Alexandria), e para a nova capital da Alemanha unificada em Berlim. Expôs seus projetos em Paris, na mostra coletiva " 30 arquitetos Brasileiros" a convite do " IFA Institut Français d' Architecture". Participou como convidado oficial e conferencialista, do XVII Congresso Internacional de Arquitetura em Montreal, Canadá, falando sobre " Arquitetura e Política" . Como arquiteto convidado, apresentou seus projetos na School Of Architecture, University of Waterloo, no Canadá e na Cranbrook Academy of Art, em Bloomfield Hills, Michigan. No Brasil, apresentou seus trabalhos em exposições individuais no MASP, Museu de Arte de São Paulo, e no MAM - RJ, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.
  11. 11. Junto ao Ministério das Relações Exteriores projetou e montou exposições para o " Departamento de Feiras e Exposições do Itamaraty" em Paris (Galeria Debret), Nova York (Furniture Mart), exposição e desfile de moda brasileira no Pierre Hotel/ Nova York, exposição de produtos industriais brasileiros na Nigéria / Lagos, Santa Cruz de La Sierra e Cochabamba/ Bolívia, exposição da paisagem brasileira em Buenos Aires e exposição Industrial brasileira em Bruxelas. Realizou o projeto padrão para a Blockbuster e as primeiras 5 lojas em São Paulo, projetos para as novas sedes da Companhia de Cervejas de Brahma, Gessy Lever, Casas Pernambucanas, Alpargatas Santista, Camargo Corrêa, Mckinsey, Grupo Garantia, Multibrás, Cimento Tupi, Sempar, Consulado Geral do Canadá, Softbank e Intersystems do Brasil. Responsável pelo detalhamento do projeto de arquitetura do Hotel Meliá e Centro de Convenções no World Trade Center em São Paulo - SP. Autor dos projetos para o novo Parque Temático Hopi Hari, em Vinhedo, em conjunto com o " International Theme Park Service" , com área aproximada de 200.000 m² e para o " Poupa - tempo", Central de Atendimento ao Cidadão do Governo do Estado de São Paulo, nas unidades SÉ, localizada no edifício da Secretaria da Fazenda, e Santo Amaro. Destacam-se ainda projetos na área cultural como a Casa de Cultura de Israel em São Paulo - SP ( Centro Cultura da Comunidade Judaica do Estado de São Paulo), o Itaú Cultural em São Paulo - SP e o Santander Cultural em Porto Alegre - RS. O arquiteto atua na área de Projetos Sociais na produção e concepção de projetos para moradores em situação de rua ou de risco, como no Projeto Oficina Boracéa, Minha Casa e Projeto Anchieta . Espaço Natura Sobre o Arquiteto Roberto Loeb Aluna: Luciana Alessandra da Paixão No 20 Profa.:Stamatia Koulioumba Disciplina: Teoria da Arquitetura
  12. 12. Espaço Natura Considerações Pessoais Aluna: Luciana Alessandra da Paixão No 20 Profa.:Stamatia Koulioumba Disciplina: Teoria da Arquitetura A visita realizada, assim como todas as quais somos convidados a realizar foi de grande importância para nosso repertório arquitetônico principalmente no que se diz respeito a solução encontrada pelo arquiteto para o terreno em questão como mostra a planta de implantação, com um terreno muito acidentado, assim como a preocupação com a questão ambiental, fatos estes observados através de pesquisas realizadas nos sites mencionados na bibliografia deste relatório e pelas observações pessoais feitas no local e questão também levantada pelo orientador. Durante a visita o orientador que nos monitorava apresentou a fábrica mais no aspecto do seu funcionamento do que na arquitetura em sim como um todo. Pouco foi mencionado sobre as estruturas arquitetônicas exceto no que se diz respeito a utilização do vidro como elemento principal de fechamento entre as salas de serviços que devido a transparência permite a observação da rotina de trabalho dos funcionários tanto de supervisores como de visitantes ao mesmo tempo que isola o contato com o interior evitando perigo de contaminação e da ventilação. O que mais foi enfatizado foi a filosofia da empresa de se preocupar em associar a integridade física e mental de seus funcionários através de toda uma mega estrutura, (mencionada na introdução deste relatório no item descrição do conjunto) e ao crescimento da empresa em si no atual mercado de cosmetologia. Talvez uma visita monitorada por um técnico, engenheiro ou arquiteto teria sido mais esclarecedora no que se diz respeito a arquitetura, das soluções adotadas, dos acabamentos, dos materiais utilizados etc. As observações que se seguem são de cunho pessoal: A cobertura em estrutura metálica é o que mais nos chama atenção, assim como as fachadas envidraçadas que causam um efeito plástico que sem sombra de duvida é harmoniosa e agradavél e enfoca a grandiosidade do projeto. O prédios também foram executados em perfis metálicos com muitos travamentos em X. Os blocos tem como caracteristica principal sua funcionalidade que foi por nós observadas e confirmadas pelas plantas que também se encontram como parte integrante deste relatório. Percorremos corredores e dezenas de salas e a organização tanto arquitetônica como de produção é absurdamente impressionante. Tudo causa admiração desde a arquitetura, a organização, a preocupação ecológica, a questão humana principalmente no âmbito feminino quanto a maternidade, com creches próprias, consultórios médicos, restaurantes, área de convivência, copa para lanches, vestiários, drogarias, cafeterias e muito mais como podemos observar no programa arquitetônico das plantas.
  13. 13. Espaço Natura Considerações Pessoais Aluna: Luciana Alessandra da Paixão No 20 Profa.:Stamatia Koulioumba Disciplina: Teoria da Arquitetura Células com captação de energia solar ( geradores próprios) estão localizadas na fachada frontal do conjunto na área dos estacionamentos e abastecem o todo, assim como uma estação de tratamento de água existente no local. Quanto a iluminação esta é assegurada pela utilização de vidros que mantém a iluminação natural o que também gera economia de energia. E quanto a ventilação forçada, ( uso de ar condicionado) o que nos chama a atenção é a solução adotada de economia de energia com ajuda da gravidade ( ar quente mais leve, ar frio mais pesado), já que o pé direito das salas são muito altos, os equipamentos de ar condicionado são colocados numa altura máxima de 2.70m e são rigorosamente mantidos em uma certa temperatura por um equipamento controlador da temperatura interna nas salas. Toda estrutura de tubulação de gases foram pintadas em cores diferentes para facilitar a identificação do gas contido. Quanto a fundação estacas especiais de alta resistência foram construídas para evitar a mínima movimentação do solo. Outra preocupação da empresa é em relação ao cuidado com a mata local um projeto de reflorestamento de Eucaliptos está em andamento e já recuperou uma boa parte do que estava desmatado. Podemos concluir que : Em relação a empresa, a Natura é um modelo de filosofia a ser seguido pelo harmonia interna e satisfação de trabalhar nessa empresa proporciona aos funcionários e também pela preocupação ecológica e sustentabilidade que está muito em voga nos projetos atuais. Em relação a Arquitetura, o conjunto arquitetônico apesar de sua grandiosidade apresenta grande harmonia e funcionalidade e o visitante ao chegar ao local sente uma agradável sensação de segurança, conforto e satisfação por estar presente em um ambiente de tamanha beleza e preocupação a arquitetura ecológica sustentável. Luciana Paixão 24 de Outubro de 2006.
  14. 14. Espaço Natura Bibliografia Aluna: Luciana Alessandra da Paixão No 20 Profa.:Stamatia Koulioumba Disciplina: Teoria da Arquitetura Sites: http://www.vitruvius.com.br http://www.arcoweb.com.br

×