Thayssa

  • 441 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
441
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
2
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. FACULDADE DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIAS E LETRAS DE PARAÍSO DO TOCANTINS EDILEUMA RODRIGUES TÔRRES IVANEIDE MENDES DA SILVA Mª LUCILENE BARCELOS RIBEIRO RODRIGUES MIRIA THAYSSA SOUZA RIOS RAYANNE MARINHO DE ARAUJO CONCORDÂNCIA VERBAL PARAÍSO DO TOCANTINS 2012
  • 2. FACULDADE DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIAS E LETRAS DE PARAÍSO DO TOCANTINS EDILEUMA RODRIGUES TÔRRES IVANEIDE MENDES DA SILVA Mª LUCILENE BARCELOS RIBEIRO RODRIGUES MIRIA THAYSSA SOUZA RIOS RAYANNE MARINHO DE ARAUJO CONCORDÂNCIA VERBAL Trabalho apresentado à Faculdade de Educação, Ciências e Letras de Paraíso do Tocantins como requisito parcial para obtenção de nota na disciplina Sintaxe, do curso de Letras, sob orientação da Dirce. PARAÍSO DO TOCANTINS 2012
  • 3. SUMÁRIO1. INTRODUÇÃO--------------------------------------------------------------------------------2. CONCOEDÂNCIA VERBAL---------------------------------------------------------------3. CONCOEDÂNCIA VERBAL COM SUJEITO COMPOSTO----------------------4. CONCORDÂNCIA DOS VERBOS SER E PARECER---------------------------5. CONCLUSÃO----------------------------------------------------------------------------------6. BIBLIOGRAFIA-------------------------------------------------------------------------------
  • 4. 1 INTRODUÇÃO Este trabalho de pesquisa objetiva-se em fazer uma abordagem referente ao usoda concordância verbal, os principais casos de ausência de concordância (os queocorrem com mais freqüência) segundo a gramática tradicional. Iniciaremos esclarecendoo termo “concordância” trazendo uma abordagem epistemológica e sua utilização dentroda gramática normativa. O termo concordância significa “o ato de concordar, estar de acordo, em harmonia,em consonância significa também um "processo sintático em marcas morfológicas deuma palavra, tais como número, pessoa ou caso, são repetidas em outras palavraspresentes no enunciado, indicando que formam, em conjunto, uma construção". A gramática normativa faz uso do termo de uma forma metafórica, pois aconcordância nos estudos gramaticais tem como objetivo harmonizar termos, ideias e/ousentenças dentro das orações e períodos. A concordância na gramática tradicional podeser dividida em dois tipos: nominal e verbal. A primeira trata da concordância em gêneroe número do substantivo com seus determinantes – o adjetivo, pronome adjetivo, artigo,numeral e particípio. Já o segundo tipo de concordância (objeto desse estudo), de acordocom Almeida(1999), aborda a relação de concordância entre o verbo e o sujeito empessoa e número, ou seja, o verbo deverá ir para o mesmo número e pessoa do sujeito.Ainda de acordo com a gramática citada, deve ficar evidente que o verbo é quem deveconcordar com o sujeito e não o contrário, porque o verbo é que depende do sujeito.
  • 5. 2. CONCORDÂNCIA VERBAL Concordância verbal é o mecanismo através do qual as palavras alteram suasterminações para se adequarem harmonicamente um ás outras nas frases.Concordância Verbal. É a que se processa entre o verbo e o sujeito, ou entre o verbo e a expressãoque comanda.Concordância verbal com sujeito simplesRegra geral: O verbo e o sujeito devem concordar em numero a pessoa.Sujeito verboEu_______________Cheguei. (1ª pessoa singular)Tu-----------------------Chegaste (2ª pessoa singular)O aluno ----------------Chegou (3ª pessoa do singular)Os alunos --------------Chegaram (3ª pessoa do plural)1º Caso: Como o sujeito sempre manda no verbo, se o sujeito estiver no plural, o verboo acompanhará, não importando a colocação do verbo na frase.Exemplo: O pai aparece na festa.Pai: sujeito no singular.Aparece: verbo no singular. Os pais apareceram na festa.Pais: sujeito no plural.Apareceram: verbo no plural Apareceu o pai na festa.Apareceu: verbo antes do sujeito
  • 6. Pai: sujeito Apareceram os pais na festa.Apareceram: verbo antes do sujeitoPais: sujeito2º Caso: Se, depois do sujeito no singular, aparecer um adjunto no plural, o verbocontinuará no singular, porque concorda com o núcleo do sujeito, e não com seuadjunto.Exemplo: A alta dos preços dos combustíveis irrita o povo. Alta: núcleo do sujeito no singular.Dos preços dos combustíveis: Adjunto no plural.Irrita: Verbo no singular.Outros casos:1° Caso: Pessoal e turma são palavras do singular, portanto exigem o verbo nosingular.Exemplo: O pessoal não gostou da festa. A turma não gostou da festa.2º Caso: Sujeito coletivo no singular deixa sempre o verbo no singular, mesmo quevenha seguido de adjunto no plural.Exemplo: Um bando de cafajestes depedrou as casas da minha rua.3º Caso:
  • 7. Qualquer nome acompanhado de artigo no plural exige um verbo no plural.Exemplo: Os Estados Unidos são única superpotência no mundo. Os Andes ficam na América do Sul. As minhas costas estão doendo.Obs.: Se o artigo estiver no singular, ou se não houver artigo, o verbo ficará nosingular.Exemplo: O Amazonas é um grande rio. Campinas é uma grande cidade.4º Caso: As expressões a maioria de, a maior parte de, grande número de, grandeparte de e metade de, seguido de nomes do plural, podem deixar o verbo nosingular ou levá-lo ao plural. A maioria dos brasileiros gosta (ou gostam) de futebol. Metade das laranjas estava podre (ou estavam) podres.5º Caso: Quando um pronome no singular estiver seguido das expressões de nós, devós, de vocês, deles ou delas, ou de qualquer outra no plural, o verbo ficará nosingular.Exemplo: Nenhum de nós voltará mais em gente corrupta.Nenhum: pronome no singularGosta: verbo no singular Algum de vocês gosta de políticos demagogos?Algum: pronome no singular
  • 8. Gosta: verbo no singular Se, porém, o pronome estiver no plural, o verbo concordará com a expressãoque vier depois do pronome.Exemplo: Alguns de nós voltaremos em gente corrupta?Alguns: pronome no plural.Voltaremos: verbo concorda com nós. Quais de vós ainda voltareis em gente corrupta?Quais: pronome no plural.Voltareis: verbo concorda com vós.6º Caso: O pronome quem exige o verbo na 3º pessoa do singular.Exemplo: Hoje sou quem paga a conta. Hoje somos nós quem paga a conta. Hoje são eles quem paga a conta. Se, todavia, no lugar do pronome quem aparecer que, a concordância se farácom o pronome reto anterior.Exemplo: Hoje sou eu que pago a conta. Hoje somos nós que pagamos a conta. Hoje são eles que pagam a conta.7º Caso: Todos os pronomes de tratamento são da 3º pessoa. Portanto: Vossa Excelência está certa. Vossas Excelências estão certas.
  • 9. 3 CONCORDANCIA VERBAL COM SUJEITO COMPOSTO A regra geral afirma que, quando o sujeito é composto, o verbo deve ir para oplural.1º Caso: Ela e o namorado caíram do cavalo.Ela, namorado: Sujeito composto.Caíram: verbo no plural. Eu e meu amigo morremos de rir.Eu, meu amigo: Sujeito.Morremos: verbo no plural. Se o verbo vem antes do sujeito composto, a concordância se faz com oelemento mais próximo ou com todos os elementos.Exemplo: Caiu do cavalo ela e o namorado. Caíram do cavalo ela e o namorado. Morri de rir eu e meu amigo. Morremos de rir eu e meu amigo. O verbo só irá ao plural obrigatoriamente, no caso de o sujeito composto vierposposto e indicar reciprocidade de ação.Exemplo: Brigaram mãe e filho. Abraçaram-se pai e filho.2º Caso Quando o sujeito é formado por pessoas gramaticais diferentes, o verboconcorda com a pessoa que tem primazia (1ª pessoa prevalece sobre a 2ª, e a 2ªPrevalece sobre a 3ª).Exemplo:
  • 10. Ela e eu caímos do cavalo.Ela, eu = Nós verbo= caímos. Ela e tu caístes do cavalo.Ela, tu= Vós Verbo= caístes. Tu e ela caístes do cavalo.Tu, ela= Vós Verbo= caístes. Como a 2ª. Pessoa do plural não tem uso corrente no portuguêscontemporâneo do Brasil, podemos usar o verbo na 3ª. Pessoa do plural, mesmoque faça parte do sujeito a 2ª. Pessoa.Exemplo: Ela e tu caíram do cavaloEla, tu= Eles Verbo= caíram Caíram do cavalo ela e tu.Ela, tu= Eles Verbo= Caíram3º Caso Se o sujeito o composto resumir-se num pronome indefinido, o verboconcordará com este pronome.Exemplo: Festas, piadas, cócegas, nada me fazia rir. Socos, murros, pontapés, tapas,tiros, tudo saiu na festa.4º Caso Sujeitos ligados por não só... Mas também, não só... Como também,tanto... Como, etc. exigem o verbo no plural.Exemplo: Não só meus amigos, mas também eu apanhamos. Não só eu, como também meus amigos apanhamos. Tanto meus amigos como eu apanhamos.
  • 11. Tanto eu quanto meus amigos apanhamos.5º Caso Sujeito formado por infinitivos exige o verbo no singular.Exemplo: Apanhar e chorar faz bem de vez em quando. Se, porém, os infinitivos forem antônimos, ou se vierem com o artigo o, o verboirá ao plural.Exemplo: Rir e chorar são próprios do homem.Rir, chorar: antônimosSão: verbo no plural O comer e o beber demais fazem mal á saúde.O: artigoFazem: Verbo no plural6º Caso As expressões assim como e bem (ou equivalente) fazem o verbo concordarcom o primeiro sujeito.Exemplo: Meus amigos, assim como eu, gostam de viajar.Eu, bem como meus amigos, gosto de viajar.
  • 12. 4 CONCORDÂNCIA DOS VERBOS SER E PARECERCASOS GERAIS1º Caso Os verbos ser e parecer geralmente concordam com o elemento no pluralmais próximo.Exemplo: Agora são dez horas. Hoje são dezoito de dezembro; ontem foram dezessete; amanhã serão dezenove. Duas garrafas de vinho são a parte que me cabe na aposta. Aquilo parecem estrelas, mas são planetas.Se, porém, o sujeito for pessoa, o verbo com ele concordará.Exemplo: No circo, o palhaço é as delícias da garotada. Ele é forte, mas não é dois. Com aquela roupa, ela parece muitas coisas, menos gente.2º Caso O verbo ser fica obrigatoriamente no singular quando se deseja fazerprevalecer à importância do sujeito sobre a do predicativo.Exemplo: Justiça é tudo, justiça é as virtudes todas. Minha vida é esses meus netos.3º caso Fica no singular ainda o verbo ser quando a ele se seguem termos comomuito pouco, nada, tudo, bastante, mais, menos, bom, demais, etc.Exemplo:
  • 13. Seis dias de carnaval é muito, mas os soteropolitanos acham que é pouco. Um é pouco, dois é bom, três é demais.4º Caso Quando, se usam pronomes retos, o verbo sempre com ele concorda.Exemplo: O professor aqui sou eu, o aluno és tu. O responsável por isto aqui são vocês.5º Caso O verbo ser fica no singular, em qualquer hipótese, sempre que o predicativoé constituído pelo pronome demonstrativo o.Exemplo: Amigos é o que não lhe falta. Eleições direitos era o que o povo mais queria.6º Caso Ainda no singular ficará o verbo ser quando o sujeito, no plural, for usado semdeterminantes (artigos, pronomes adjetivos, numerais, etc.), e o predicativo seencontrar no singular.Exemplo: Lagrimas é coisa que não o comove. Mentiras é sempre coisa detestável. Greves é próprio de regimes democráticos. Dez por cento, para ele, era uma comissão irrisória. Questões ecológicas será o tema do encontro.7º Caso O verbo parecer, quando é auxiliar numa locução verbal, sofre flexão; quandonão forma locução verbal, é verbo intransitivo e,neste caso, não varia.
  • 14. Exemplo: As crianças parecem gostar do filme.Parecem: verbo auxiliar As crianças parece gostarem do filme.Parece: Verbo intransitivo. Neste último exemplo, há inversão da ordem dos termos da oração, pois essafrase equivale a esta:Parece gostarem do filme as crianças. Se, porém, ao verbo parecer seguir-se infinitivo pronominal, somente variaráo infinitivo.Exemplo: As crianças parece queixarem-se do colchão duro
  • 15. 5 CONCLUSÃO Pode-se concluir que, tanto na gramática quanto na oralidade ao nospronunciarmos, a concordância verbal é de grande importância. Apesar de aos olhosde muitos não ter significado algum, mas aos olhos lingüísticos necessita-se termuita atenção. Como se pode notar concordância verbal é um assunto bastanteextenso e requer muito estudo e concentração, pois apresenta várias regras ealgumas se diferenciam por pequenos detalhes. Concordância verbal se definetambém pela adaptação em gênero e número estabelecida entre o verbo e o sujeito,ao falarmos sobre concordância verbal, estamos nos referindo á relação dedependência estabelecida entre um termo e outro mediante um contexto oracional. Desta forma, temos que a concordância verbal se caracteriza pela adaptaçãodo verbo, tendo em vista os quesitos “número e pessoa” em relação ao sujeito. Uma das vantagens oferecidas e que consideramos a mais importante foi oconhecimento que tivemos a respeito da gramática que devem ser vista como umrecurso para que haja um ensino de qualidade e significativo para os alunos, foi umestudo realmente, muito interessante e instrutivo. Neste sentido, é que ressaltamos aimportância de mostrar o conceito de concordância verbal conforme apresentado nodecorrer deste trabalho, sendo assim, observamos que o estudo reflete na históriado ser humano na busca interminável pelo saber.
  • 16. REFERÊNCIA BIBLIOGRAFICACEREJA, WILLIAM ROBERTO, MAGALHÃES, THEREZA COCHAR PortuguêsLinguagens. ATUAL EDITORA . SÃO PAULO, 2009.http://www.brasilescola.com/gramatica/concordancia-verbal.htm Acesso em 05/06/2012.http://www.portugues.com.br/gramatica/concordancia-verbal-.html Acesso em 09/06/2012.