O Positivismo

24,365 views
24,186 views

Published on

Published in: Education

O Positivismo

  1. 1. O Positivismo Lucila Pesce
  2. 2. História <ul><li>Francis Bacon (1561-1626)- empirismo </li></ul><ul><li>Descartes (1596 - 1650) - matematização do conhecimento </li></ul><ul><li>Galileu, Pascal, Newton -séc.XVIII: </li></ul><ul><ul><li>observação , interesse pela natureza </li></ul></ul><ul><ul><li>relevância da probabilidade e dedução </li></ul></ul><ul><ul><li>matematização da natureza </li></ul></ul><ul><ul><li>causalidade e previsibilidade </li></ul></ul><ul><ul><li>repetibilidade e generalização </li></ul></ul><ul><li>Positivismo : Comte (Sociologia); Stuart Mill (Psicologia) </li></ul>
  3. 3. História <ul><li>Desenvolvimento das ciências humanas na metade do século XIX (até então somente na Filosofia), com Augusto Comte . </li></ul><ul><li>Um dos postulados de Comte: estabelecer uma relação estreita entre ciência e técnica: grande impacto entre os norte-americanos – ampliação da técnica para o campo da política e da moral . </li></ul><ul><li>Surge como uma reação à Filosofia especulativa ; por isso, ressalta os fatos: submissão da imaginação à observação. </li></ul>
  4. 4. História <ul><li>Escola de Frankfurt : grande opositora do positivismo. </li></ul><ul><li>Três momentos : </li></ul><ul><ul><li>Positivismo clássico – meados do século XIX, Comte. </li></ul></ul><ul><ul><li>Empiriocriticismo – final do século XIX e princípio do século XX, Avenarius. </li></ul></ul><ul><ul><li>Neopositivismo – ou empirismo lógico, Circulo de Viena. </li></ul></ul>
  5. 5. Princípios <ul><li>Unidade metodológica entre ciências naturais e ciências sociais: ambos são regidos por leis invariáveis. </li></ul><ul><li>Visão isolada dos fenômenos sociais: realidade considerada como formada por partes isoladas. </li></ul><ul><li>Tipos de conhecimento : </li></ul><ul><ul><li>empírico (que pode ser testado empiricamente) </li></ul></ul><ul><ul><li>lógico (constituído pela lógica e pela matemática). </li></ul></ul>
  6. 6. O Positivismo <ul><li>Como única realidade aceita, os fatos que podem ser observados. </li></ul><ul><li>Não relevância de se investigar as causas dos fenômenos: considerado não positivo. </li></ul><ul><li>Atitude positiva : descobrir as relações entre as coisas. </li></ul><ul><li>Objetividade científica : privilégio da estatística. </li></ul>
  7. 7. Princípios <ul><li>Princípio da verificação como demonstração de verdade : deixa fora da ciência muitos conhecimentos que não podem ser comprovados pela via experimental. </li></ul><ul><li>Variável como um dos elementos principais no processo de quantificação dos fatos sociais (medir relações entre os fenômenos, testar hipóteses, estabelecer generalizações). </li></ul>
  8. 8. O Positivismo <ul><li>Para se obter as generalizações : técnicas de amostragem, tratamentos estatísticos e estudos experimentais controlados. </li></ul><ul><li>Empirismo : conhecimento científico - somente os oriundos da experiência da realidade. </li></ul><ul><li>Objetividade : o pesquisador não deve influenciar o objeto de investigação. </li></ul><ul><li>Experimentação : somente ela pode demonstrar a precisão da pesquisa. </li></ul>
  9. 9. O Positivismo <ul><li>Validade : experimentação mensurada com precisão (ciência positiva é quantificativa). </li></ul><ul><li>Leis e previsão : os seres humanos estão submetidos às leis da natureza (comportamentos sociais previstos e gerados cientificamente). </li></ul><ul><li>Fatos como objeto da ciência : valores (expressões culturais) não. </li></ul>
  10. 10. O Positivismo <ul><ul><li>A recusa da subjetividade eliminou a perspectiva de se inserir a investigação científica a serviço das necessidades humanas, para resolver problemas práticos. </li></ul></ul>
  11. 11. O Positivismo <ul><ul><li>Flexibilidade da conduta humana, variedade dos valores culturais e das condições históricas e impossibilidade do pesquisador não interferir no fenômeno observado dificultam a almejada objetividade. </li></ul></ul>
  12. 12. Princípios <ul><li>Submeter um fato à experimentação </li></ul><ul><li>Em condições de controle </li></ul><ul><li>Mensurando a constância das incidências e exceções </li></ul><ul><li>Repetibilidade </li></ul><ul><li>Generalização </li></ul><ul><li>Não existe relação entre sujeito e objeto </li></ul><ul><li>Procedimentos de coleta de dados : observação em diversas condições </li></ul>
  13. 13. Pesquisa Quantitativa Análise Estatística Inferências a partir de amostras Testes de hipóteses e teorias Abordagem Positivista Experimental Estudos confirmatórios Papel do pesquisador Observador Distância objetiva Dados Representados numericamente Quantitativos Estruturados e não valorativos Paradigma Hipotético-dedutivo
  14. 14. Referências bibliográficas <ul><li>CHIZZOTTI, Antonio. Pesquisas em ciências humanas e sociais . São Paulo: Cortez, 1998. </li></ul><ul><li>DIAS, C. Pesquisa qualitativa: características gerais e referências. Disponível em: www.geocities.com/claudiaad/qualitativa.pdf Acesso em março de 2008. (referente à tabela). </li></ul><ul><li>LAVILLE, C. & DIONNE, J. As ciências humanas e o positivismo. In: ______. A construção do saber : manual de metodologia de pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artmed, 1999. p. 25-28. </li></ul><ul><li>TRIVIÑOS, A. O positivismo. In: Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987. p. 33-41. </li></ul>

×