Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
filosofia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

filosofia

  • 4,314 views
Published

Aula de filosofia para os alunos do curso de Direito da UMC

Aula de filosofia para os alunos do curso de Direito da UMC

Published in Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
4,314
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2

Actions

Shares
Downloads
138
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. FILOSOFIALUCI BONINI
  • 2. A mente que se abre para uma nova ideia, jamais retorna ao seutamanho original. A. Einstein
  • 3. PROGRAMA DA DISCIPLINA
  • 4. Ementa• A disciplina de Filosofia aborda fundamentos filosóficos como instrumentais de reflexão e compreensão do universo no qual se inserem as atividades sociais e o profissional da área de ciências jurídicas para o desenvolvimento de uma visão crítica da realidade em sua diversidade cultural.
  • 5. Objetivo• Identificar os conceitos básicos da filosofia, possibilitando a sua compreensão no contexto da realidade contemporânea.• Refletir sobre a realidade social e a vida cotidiana nos âmbitos profissional e pessoal utilizando instrumentos de reflexão filosófica, criticidade e rigor filosófico.
  • 6. Conteúdo programático• Unidade I – Filosofia: aspectos teóricos e conceituais • Conceitos e terminologia • A Filosofia e o conhecimento humano• Unidade II – Origem e desenvolvimento histórico • 2.1 Origem e desenvolvimento histórico • 2.2 Principais períodos e escolas
  • 7. • Unidade III – a racionalidade instrumental – prisão na imanência do mundo • 3.1 Campos de investigação da filosofia • 3.2 A concepção de homen – Ideologia e Socialização• Unidade V – filosofia: a reflexão filosófica na vida cotidiana • 4.1 Indústria Cultural e Teoria Crítica da Sociedade • 4.2 Ética e Moral – conceitos e definição • 4.3 Atitude reflexiva, análise e crítica do cotidiano
  • 8. • Unidade V – filosofia: a reflexão filosófica na vida cotidiana• 4.1 Indústria Cultural e Teoria Crítica da Soceidade• 4.2 Ética e Moral – conceitos e definição• 4.3 Atitude reflexiva, análise e crítica do cotidiano
  • 9. • Metodologia – Aulas expositivas dialogadas, estudo dirigido, seminários de pesquisa• Forma de Avaliação – A avaliação do desempenho é realizada de forma contínua a fim de diagnosticar o desenvolvimento do processo de aprendizagem por meio dos seguintes instrumentos em conformidade com as normas da IES. – 1. Avaliação discursiva – 2. Avaliação Objetiva – 3. Participação em sala de aula – 4. Avaliação Interdisciplinar
  • 10. Bibliografia - Básica• ARANHA, Maria Lucia de Arruda; MARTINS Maria Helena Pires. Filosofando: Introdução à filosofia. 3ª.ed. São Paulo: Moderna. 2007• CHAUÍ, Marilena. Convite à Filosofia. 13ª.ed. São Paulo. Ática. 2005• GHIRALDELLI JUNIOR, Paulo. Introdução à Filosofia. 1ª.ed. São Paulo: Manole. 2003• ADORNO, Theodor. Educação e Emancipação. 2ª.ed. São Paulo: Paz e Terra. 2000
  • 11. Bibliografia - Complementar• ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. Temas de Filosofia. 3ª.ed. São Paulo: Moderna. 2005• CHAUÍ, Marilena de Sousa. Introdução à história da Filosofia. 3ª.ed. São Paulo: Cia. Das Letras. 2002• MARITAIN, Jacques. Elementos de Filosofia i: Introdução geral à Filosofia. 18ª.ed. São Paulo: Agir. 2001• REALE, Miguel. Introdução à Filosofia. 4ª.ed. São Paulo: Saraiva. 2004• COTRIM, Gilberto. Fundamentos da Filosofia. 16ª.ed. São Paulo: Saraiva. 2006
  • 12. Algumas reflexões a partir do livro de:BITTAR, Eduardo C. B. &ALMEIDA, Guilherme Assis de. Curso de Filosofia do Direito. 7ª ed. São Paulo: Atlas, 2009• Filosofia e o simbolismo da sabedoria – Em muitas línguas (hibou, no francês, owl, no inglês, Eule, no alemão) a coruja é a ave que simboliza a sabedoria. Isso se deve ao fato de, na tradição grega, a coruja (koukoubagía) ter sido vista como a ave de Athena (Minerva, para os romanos), ou seja, como símbolo da racionalidade e da sabedoria (sophia), como a representação da atitude desperta, que procura e que não dorme, que age sob o fluxo lunar e que, portanto, não dorme quando se trata da busca do conhecimento. (p. 1)
  • 13. • A sabedoria realmente evoca experiência e capacidade de absorção reflexiva da experiência mundana• (...) O espanto diante do mundo.• A coruja que plana e que observa à distância, com grandes olhos, retira das alturas sua vantagem na observação. (p.2)
  • 14. • O mosteiro, que para a sociedade medieval é o lugar, por definição, da reclusão, da vida monástica, da oração, da preservação da tradição, da proclamação da fé e da ligação com o divino, da concentração no espiritual e, exatamente por isso, o lugar da busca da ascese espiritual que se faz somente na proximidade do caelum, confere aos monges a condição de mediadores entre o mundo humano (mundo terreno) e o mundo divino (mundo celeste), se situando entre ambos. (p. 2)
  • 15. Mosteiro Bizantino em Meteora na Grécia
  • 16. • Por sua vez, a fortaleza desempenha o papel defensivo contra os ataques sorrateiros do inimigo, especialmente em uma sociedade profundamente dividida, sujeita a invasões permanentes e especialmente descentrada de uma unificação das forças de defesa e proteção. Por isso, a fortaleza se posta sobre a colina, próxima ao despenhadeiro, de onde a sentinela pode tudo observar. Um mundo acossado permanentemente pelo medo é um mundo para o qual é necessário todo tipo de atitude defensiva, e as comunidades procuram o abrigo dos muros fortificados. (p. 2)
  • 17. Fortaleza – Castelo Medieval
  • 18. • O filósofo se distancia para compreender, o monge se distancia para contemplar e o guerreiro se distancia para ter a visão defensiva estrategicamente completa. (...) theorós, a daquele que se posta a observar. (p. 3)
  • 19. Vamos resumir: um coelho branco é tirado de dentro de uma cartola.Todas as crianças nascem bem na ponta dos finos pêlos do coelho. Por isso elas conseguem se encantar com a impossibilidade do número de mágica a que assistem. Mas conforme vão envelhecendo, elas vão se arrastando cada vez mais para o interior da pelagem do coelho...
  • 20. E ficam por lá. Lá embaixo é tão confortável que elas não ousam mais subir até a ponta dos finos pêlos, lá em cima.Só os filósofos têm ousadia para se lançar nesta jornada rumo aos limites da linguagem e da existência.
  • 21. Alguns deles ... berram para as pessoas que estão lá embaixo...Mas nenhuma das pessoas lá de baixo se interessa pela gritaria dos filósofos. (Gaarder, O Mundo de Sofia)
  • 22. Quemsou?
  • 23. Por que estou aqui?
  • 24. Como o mundo começou?
  • 25. Existe um Deus?
  • 26. Para onde e vou depois de morrer?
  • 27. A racionalidade deu à luz a todas as ciências• Física, Química, Biologia e até Matemática já fizeram parte da Filosofia.• Mas, com o avanço da tecnologia, a filosofia e a ciência se separaram.
  • 28. Segundo Einstein, o objeto é observado de maneira diferentedependendo do ponto de vista do observador.COMO VOCÊ VÊ O MUNDO
  • 29. Então, para que serve a filosofia hoje em dia?• Os filósofos são muito mais procurados por serem preparados para pensar claramente sobre os problemas.• É comum jornais e outros meios de comunicação perguntarem a opinião de filósofos sobre os temas atuais.
  • 30. • Muitos filósofos trabalham em universidades.• Eles ensinam aos jovens como pensar e argumentar claramente estudando outros filósofos.
  • 31. Conceitos• A palavra filosofia é de origem grega.• É composta por duas outras: philo e sophia.• Philo deriva-se de philia, que significa amizade, amor fraterno, respeito entre os iguais.• Sophia quer dizer sabedoria e dela vem a palavra sophos, sábio.
  • 32. • Filosofia é a arte que busca conhecer racionalmente a natureza, o ser humano, o universo e as transformações que neles ocorrem.• Entende-se por filosofia grega os períodos que existiram antes e depois de Sócrates, sendo eles: – Período pré-socrático, – Período socrático, – Período sistemático – Período helenístico.
  • 33. • Filosofia é razão - O Filósofo é a razão em movimento na busca de si mesma.• A idéia da Filosofia como razão consolidou- se na afirmação de Aristóteles: "O homem é um animal racional".
  • 34. Razão• X + 2y - 5 =0• A Terra gira em torno do sol• Todos os homens são mortais. Sócrates é homem, logo Ele é mortal
  • 35. • Filosofia é Paixão - O Filósofo antes de tudo é um amante da sabedoria.• O que move o mundo não é a razão, mas a paixão. "O coração tem razões que a própria razão desconhece" Pascal
  • 36. • Filosofia é Mito - O Filósofo é um mítico em busca da verdade velada.• Só pensamos naquilo que cremos, e só cremos naquilo que queremos.• O mito para a Filosofia é vital, pois cria ícones possíveis do mundo das idéias.• "Há mais mistérios entre os céus e a terra do que pressupõe a vossa vã Filosofia". William Shakespeare.
  • 37. Características da Filosofia• Aristóteles espanto, com o reconhecimento da ignorância.• ignorância  incapacidade de dar sentido à vida e ao universo.• Alegoria da caverna.
  • 38. • Reivindicação de liberdade: o filósofo reconhece a sua razão como a capacidade mais importante do ser humano conjunto de capacidades de pensar, de explicar os fenômenos, de calcular, de prever, de projetar, de sonhar, de imaginar, de criar e, também, de destruir, pois a racionalidade não está isenta de erro• Errar é uma possibilidade que está aberta ao ser humano• Liberdade motivação e um quadro valorativo que oriente o uso da liberdade.
  • 39. Reconhe Espanto cimento da Ignorância BuscaRadicalidade da verdade Univer Auto salidade nomia
  • 40. OBJETO DA FILOSOFIA
  • 41. • Questões metafísicas:• Meta  além do físico – problemas do ser e da realidade – o Homem como fundamento e suporte de tudo o que existe
  • 42. • Questões lógicas: problemas do pensar.
  • 43. • Questões gnoseológicas ou teoria do conhecimento: problemas do conhecimento em geral.
  • 44. • Questões epistemológicas, de teoria e filosofia da ciência: problemas do conhecimento científico e da ciência• Enquanto as outras ciências conhecem, a filosofia estuda a possibilidade do próprio conhecimento, os seus pressupostos e os limites do conhecimento possível.
  • 45. • Questões de axiologia, ética, filosofia política, estética, etc.: problemas dos valores e da ação humana - ao contrário das outras ciências que estudam o que é, a filosofia estuda o que deve ser
  • 46. • Questões de filosofia da linguagem: problemas da linguagem - a filosofia estuda a linguagem das outras ciências na perspectiva da sua estrutura.
  • 47. Constituição da República Federativa do Brasil• PREÂMBULO: Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem- estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.
  • 48. • Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos: – I - a soberania; – II - a cidadania; – III - a dignidade da pessoa humana; – IV - os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa; – V - o pluralismo político. • Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição.
  • 49. • Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: – I - construir uma sociedade livre, justa e solidária; – II - garantir o desenvolvimento nacional;• III - erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais; – IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.