Educação do Campo como Fator deDesenvolvimento Regional Sustentável
Dados gerais da educação  no Rio Grande do Sul
Município: São Luiz Gonzaga (32ª CRE)
Demanda
Espaço físico
Análise        O município de São Luiz Gonzaga pertence ao COREDEMissões. Possui área de 1.296 km², densidade demográfica ...
Para atender a demanda na área da Educação, São LuizGonzaga possui 19 escolas estaduais, 20 municipais e noveparticulares,...
Informações gerais Abarca 11 municípios: Bossoroca, Caibaté, Dezesseis de Novembro, Mato Queimado, Pirapó, Porto Xavier, ...
Informações gerais População: 91.060 habitantes;   64% (58.243 pessoas) no meio urbano;   36 % (32.817 pessoas) no camp...
 Taxa de alfabetização (acima de 10 anos): 92,18%;   6.239 pessoas não alfabetizadas:       3.274 no meio urbano;     ...
Informações Educacionais A Educação Básica possui 22.033 alunos; 147  estabelecimentos de ensino: 55 estaduais, 76 munic...
Estabelecimentos de Ensino
Matrícula Inicial por Rede de Ensino
 Taxa de escolarização de 4 e 5 anos: 66,77%;    demanda potencial de 771 crianças;    Dois municípios com demanda supe...
Demanda conforme agrupamento     por pessoas fora da escola               Municípios             (15 a 17 anos)         En...
Demanda conforme agrupamentopor pessoas fora da escola (15 a 17 anos)                                    Demanda conforme ...
Ensino Médio - Rede Estadual:  Taxa de reprovação: 17,5%;  Taxa de abandono: 12,7%.
Taxas de Rendimento Ensino Médio – Rede Estadual
Comparativos entre as CREs
População acima de 10 anos   Coordenadorias Regionais                                  Analfabetos    Analfabetos       Ta...
População de 4 ou 5 anos   Coordenadorias Regionais         Taxa de                                                      D...
População de 15 a 17 anosCoordenadorias Regionais        Taxa de      Taxa de escolarização                             es...
COREDEs Organização geográfica definida pelos Conselhos Regionais de Desenvolvimento (COREDEs); Objetivo   de    subsidi...
COREDE Missões                    Este Conselho abarca      25            municípios: Bossoroca, Caibaté, Cerro           ...
COREDE Missões População: 248.016 habitantes;   71% (175.877 pessoas) no meio urbano;   29% (72.139 pessoas) no campo....
COREDE Missões Taxa de escolarização de 4 e 5 anos: 69,57%;    demanda potencial de 1.911 crianças;    construção de ap...
Comparativo entre os COREDEs
População acima de 10 anos        COREDES                               Analfabeta      Taxa de alfabetização         Vale...
População de 4 e 5 anos        COREDES                                 Taxa de                                            ...
População de 15 a 17 anos                                                    Taxa de        COREDES                   Taxa...
Resultados gerais
Alfabetização Taxa de alfabetização de 95,8% da população acima  de 10 anos – 395.964 analfabetos (4,2%) Taxa de alfabet...
Educação Infantil      Idade esperada com 4 ou 5 anos;População chegou a 277.004 crianças, das quais164.036 frequentam a ...
Ensino Fundamental      Idade esperada de 6 a 14 anos;População total é de 1.445.543 pessoas. Atendimento épleno, sendo q...
Ensino Médio      Idade esperada de 15 a 17 anos;Tem-se uma população de 531.667 indivíduos, dosquais 86% (455.323) estão...
Resultados gerais - MetasPara atingir a Meta do PPA - RS se faz necessário alfabetizar aproximadamente200.000 pessoas até ...
Necessidade de construção de aproximadamente 1.000 escolas de EducaçãoInfantil para atender a demanda potencial de 112.968...
CRE          Demanda por agrupamento de pessoas fora da escola (15 a 17 anos)               Entre 100 e            Entre 3...
CRE         Demanda por agrupamento de pessoas fora da escola (15 a 17 anos)              Entre 100 e            Entre 300...
CRE          Demanda por agrupamento de pessoas fora da escola (15 a 17 anos)             Entre 100 e        Entre 300 e  ...
Desafios Reduzir o analfabetismo no Rio Grande do Sul, com expansão  dos programas de Alfabetização de Jovens e Adultos....
 Realizar avaliação da gestão cruzando informações do Diagnóstico do DEPLAN e Sistema Estadual             de Avaliação P...
 Atualização anual; Subsidiar o monitoramento das ações da Secretaria da Educação, para atingir as metas:   Plano Pluri...
TAXAS DE RENDIMENTO   ENSINOFUNDAMENTAL
Taxas de Rendimento - ENSINO FUNDAMENTAL - Rede ESTADUAL                                      RS 2005 a 2011  100,0   90,0...
Ministério da Educação        Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio TeixeiraCOMPARATIVO ENTRE AS R...
Ministério da Educação        Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio TeixeiraCOMPARATIVO - TOTAL DA...
Nº de Escolas                                  Nº de Escolas             CRE                                     com Tx Ap...
Quantidade de Escolas do Ensino Fundamental com         Taxa de Aprovação inferior a 100% - 1º e 2º anos do Ensino Fundame...
TAXAS DE RENDIMENTOENSINO MÉDIO
Taxas de Rendimento - ENSINO MÉDIO - Rede ESTADUAL                                       RS 2005 a 2010100,0 90,0 80,0 70,...
Ministério da Educação               Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio T eixeira      Taxas de...
Ministério da Educação               Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio T eixeira      T axas d...
Quantidade de Escolas do Ensino Médio com Taxa de Aprovação inferior a 66,3%                                      Nº de Es...
Acesso à Educação Básica no Campo               Taxas de atendimento  Educação Infantil /Creche         6,98%  Educação In...
EDUCAÇÃO DO CAMPOFormação dos Agricultores(as)Formação Técnica dos jovens docampoFormação superior dos jovens docampo.
Na Escola do CampoO jovem participa na vida profissional e a      Escola aporta-lhe respostas às   interrogações que lhe c...
Na Escola do Campo    As atividades de formação sãoorganizadas de tal modo que o jovem caminha, de questão em questão, emd...
Na escola do Campo - O centro do sistema educativo é o jovem, sujeitoinserido numa realidade concreta;- O conhecimento é c...
1•Momento - pesquisa  No meio sócio-profissional familiaracontece a pesquisa e observação darealidade, síntese inicial de ...
2• Momento - reflexãoNo ambiente educativo da Escola doCampo realiza-se a problematização, areflexão e a organização do sa...
3• Momento - transformaçãoNo retorno ao meio sócio-profissionalfamiliar, os jovens, com apoio dos educadores,aplicam os co...
Um itinerário...    ... Com um processo de aprendizagemNa propriedade                      Na propriedade  OBSERVAR       ...
Os Fundamentos de Sustentação                 Formação             DesenvolvimentoFINALIDADES                  integral   ...
ASSOCIAÇÃO de FAMÍLIA     Uma Escola do      Campo é, em   primeiro lugar, uma      associação de       famílias, de      ...
Formação Integral               OUTROS                      INTELECTUAIS         ECOLÓGICOS                               ...
Desenvolvimento localÉ necessário que as pessoas formem-se a partir da sua   própria realidade;2) Sem o desenvolvimento pe...
PLANO DE FORMAÇÃOConstruído de acordo com a realidadedas famílias dos jovens (educandos), através da Pesquisa Participativ...
PESQUISA   PARTICIPATIVAInstrumento que permite a    família discutir sua realidade e direcionar os estudos para a formaçã...
TEMA GERADORConjunto de temas técnicos ede formação geral oriundos da   Pesquisa Participativa e    adequados pela equipe ...
PLANO DE ESTUDO  Questionamento darealidade da família doeducando sobre o TemaGerador a ser estudado
Lei de Diretrizes e Bases da EducaçãoArt. 28. Na oferta da educação básica para apopulação rural, os sistemas de ensino pr...
O aluno aprende apenas quando setorna sujeito da sua aprendizagem. E, para que ele se torne sujeito da     sua aprendizage...
A educação tem papelessencial na formação dosjovens agricultores familiares,com     conteúdos    úteis    eaplicáveis, ess...
“A VIDA SÓ PODE SER COMPREENDIDA OLHANDO-SE PARA TRÁS, MAS SÓ PODESER VIVIDA, OLHANDO-SE PARA FRENTE”.            Soren ki...
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável

440

Published on

Palestra ministrada pelo Coordenador Regional de Educação da 32ª Coordenadoria Regional de Educação no I Encontro de Formação Continuada "Educação do Campo das Missões: Um debate necessário"

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
440
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
11
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Educação do Campo como Fator de Desenvolvimento Regional Sustentável"

  1. 1. Educação do Campo como Fator deDesenvolvimento Regional Sustentável
  2. 2. Dados gerais da educação no Rio Grande do Sul
  3. 3. Município: São Luiz Gonzaga (32ª CRE)
  4. 4. Demanda
  5. 5. Espaço físico
  6. 6. Análise O município de São Luiz Gonzaga pertence ao COREDEMissões. Possui área de 1.296 km², densidade demográfica de 27hab./km² e registra decréscimo populacional na última década.Conforme o Censo do IBGE (2010), da população de 34.556habitantes, 88% (30.508) da população são residentes em áreaurbana e 12% (4.048 habitantes) moram no campo. Com recorte da população acima de 10 anos de idade, são30.131 habitantes, dos quais 28.268 alfabetizados (93,82%),perfazendo 1.863 não alfabetizados no município, sendo 1.587moradores do meio urbano e 276 do campo. A principal atividade econômica desenvolvida pelomunicípio, levando em consideração o Produto Interno Bruto(PIB), é a de serviços (63%), seguida da agropecuária (23%) e,em terceiro lugar, a indústria (14%). Apresenta IDESE-Renda de0,77(164º lugar).
  7. 7. Para atender a demanda na área da Educação, São LuizGonzaga possui 19 escolas estaduais, 20 municipais e noveparticulares, que atendem 9.169 alunos. Na faixa etária de 4 e 5anos a taxa de escolarização é de 66%, e de 6 a 14 anos oatendimento é pleno nas redes de ensino. Quanto aos jovens de15 a 17 anos, a taxa de escolarização é de 93%; 68% são osque frequentam o Ensino Médio, apresentando uma demandapotencial de 125 jovens. Ainda em relação ao Ensino Médio, na rede estadual, omunicípio apresenta taxas de reprovação e abandono de 16% e9,8%, respectivamente. No que se refere à distorção idade-série, a taxa é de 17,3% no Ensino Fundamental e de 26,2% noEnsino Médio. A análise do espaço físico na rede estadual indica que assalas não ocupadas por turno podem gerar 7.290 vagas(manhã: 53 salas; tarde: 58 salas; noite: 132 salas).
  8. 8. Informações gerais Abarca 11 municípios: Bossoroca, Caibaté, Dezesseis de Novembro, Mato Queimado, Pirapó, Porto Xavier, Rolador, Roque Gonzales, Santo Antônio das Missões, São Luiz Gonzaga e São Nicolau.
  9. 9. Informações gerais População: 91.060 habitantes;  64% (58.243 pessoas) no meio urbano;  36 % (32.817 pessoas) no campo; Área total: 6.907 km²; Densidade demográfica:13,18 hab/km²; Registra decréscimo populacional na última década; Integra o COREDE Missões; Predomina na economia a atividade de serviços (57%), seguida da agropecuária (33%) e, em terceiro lugar, a indústria (10%), conforme o PIB.
  10. 10.  Taxa de alfabetização (acima de 10 anos): 92,18%;  6.239 pessoas não alfabetizadas:  3.274 no meio urbano;  2.965 no meio rural. Agrupamento dos municípios por taxa de alfabetização:  taxa entre 85% e 90%: quatro municípios;  taxa entre 90% e 95%: sete municípios.
  11. 11. Informações Educacionais A Educação Básica possui 22.033 alunos; 147 estabelecimentos de ensino: 55 estaduais, 76 municipais e 16 particulares.
  12. 12. Estabelecimentos de Ensino
  13. 13. Matrícula Inicial por Rede de Ensino
  14. 14.  Taxa de escolarização de 4 e 5 anos: 66,77%;  demanda potencial de 771 crianças;  Dois municípios com demanda superior a 80 crianças;  construção de aproximadamente sete escolas infantis ou ampliação das já existentes;  maior demanda no município de São Luiz Gonzaga, com 310 crianças fora da escola. Faixa etária de 6 a 14 anos:  atendimento pleno na idade esperada para o Ensino Fundamental;  municípios que não garantem cobertura em seu próprio território (demanda superior a 50 alunos): Santo Antônio das Missões. Taxa de escolarização de 15 e 17 anos: 87,38%;  55,14% frequentando o Ensino Médio;  634 jovens na faixa etária como demanda potencial para escolarização.
  15. 15. Demanda conforme agrupamento por pessoas fora da escola Municípios (15 a 17 anos) Entre 100 e 300 jovens São Luiz Gonzaga Entre 300 e 500 jovens - Entre 500 e 1.000 jovens - Acima de 1.000 jovens - Indica-se um estudo detalhado da ocupação do espaço físico naRede Estadual. Salas não ocupadas, nas escolas da Região, por turno:•manhã: 141 salas;•tarde: 143 salas;•noite: 325 salas.
  16. 16. Demanda conforme agrupamentopor pessoas fora da escola (15 a 17 anos) Demanda conforme agrupamento por pessoas fora da escola (15 a 17 anos) Abaixo de 100 jovens Entre 100 e 300 jovens Entre 300 e 500 jovens Entre 500 e 1.000 jovens Acima de 1.000 jovens
  17. 17. Ensino Médio - Rede Estadual:  Taxa de reprovação: 17,5%;  Taxa de abandono: 12,7%.
  18. 18. Taxas de Rendimento Ensino Médio – Rede Estadual
  19. 19. Comparativos entre as CREs
  20. 20. População acima de 10 anos Coordenadorias Regionais Analfabetos Analfabetos Taxa de Urbana Rural alfabetização 25ª CRE - Soledade 4.443 5.750 90,89 20ª CRE - Palmeira das Missões 6.155 7.870 91,38 21ª CRE - Três Passos 4.727 4.611 92,05 32ª CRE - São Luís Gonzaga 3.274 2.965 92,18 24ª CRE - Cachoeira do Sul 5.600 4.562 92,91 12ª CRE - Guaíba 13.098 6.693 94,0219ª CRE - Santana do Livramento 8.295 2.150 94,18 6ª CRE - Santa Cruz do Sul 9.391 9.789 94,27 35ª CRE - São Borja 4.536 1.773 94,36 18ª CRE - Rio Grande 10.316 2.396 94,37 23ª CRE - Vacaria 3.386 1.225 94,45 5ª CRE - Pelotas 19.348 9.142 94,45 11ª CRE - Osório 11.779 5.636 94,48 13ª CRE - Bagé 7.102 3.199 94,50 15ª CRE - Erechim 7.197 5.058 94,90 39ª CRE - Carazinho 5.449 2.193 95,08 10ª CRE - Uruguaiana 8.679 1.542 95,24 9ª CRE - Cruz Alta 4.499 1.248 95,25 14ª CRE - Santo Ângelo 3.680 1.513 95,46 7ª CRE - Passo Fundo 10.863 4.269 95,57 8ª CRE - Santa Maria 12.186 4.813 95,57 17ª CRE - Santa Rosa 5.169 3.695 95,62 36ª CRE - Ijuí 4.388 1.658 95,92 3ª CRE - Estrela 5.995 3.993 96,34 28ª CRE - Gravataí 21.999 1.990 96,55 2ª CRE - São Leopoldo 26.123 3.481 96,85 27ª CRE - Canoas 13.600 786 97,13 4ª CRE - Caxias do Sul 13.565 2.846 97,29 16ª CRE - Bento Gonçalves 4.356 2.189 97,36 1ª CRE - Porto Alegre 27.731 0 97,77
  21. 21. População de 4 ou 5 anos Coordenadorias Regionais Taxa de DEMANDA escolarização 21ª CRE - Três Passos 84,89 548 32ª CRE - São Luís Gonzaga 66,77 771 36ª CRE - Ijuí 81,35 800 39ª CRE - Carazinho 80,37 832 14ª CRE - Santo Ângelo 71,16 958 16ª CRE - Bento Gonçalves 82,48 1.042 35ª CRE - São Borja 66,27 1.084 3ª CRE - Estrela 84,10 1.138 9ª CRE - Cruz Alta 68,21 1.199 25ª CRE - Soledade 65,29 1.251 17ª CRE - Santa Rosa 74,62 1.271 23ª CRE - Vacaria 54,39 1.299 20ª CRE - Palmeira das Missões 73,20 1.353 15ª CRE - Erechim 78,58 1.367 24ª CRE - Cachoeira do Sul 66,02 1.412 13 CRE - Bagé 62,71 2.19619ª CRE - Santana do Livramento 60,84 2.219 10 CRE - Uruguaiana 62,95 2.777 18ª CRE - Rio Grande 54,65 3.156 11ª CRE - Osório 67,57 3.172 7ª CRE - Passo Fundo 67,66 3.230 6ª CRE - Santa Cruz do Sul 64,24 3.468 8ª CRE - Santa Maria 58,96 4.353 12ª CRE - Guaíba 47,73 5.768 5ª CRE - Pelotas 47,48 7.685 4ª CRE - Caxias do Sul 51,83 8.547 27ª CRE - Canoas 42,77 9.442 2ª CRE - São Leopoldo 63,97 10.737 1ª CRE - Porto Alegre 63,23 11.831 28ª CRE - Gravataí 25,10 18.062
  22. 22. População de 15 a 17 anosCoordenadorias Regionais Taxa de Taxa de escolarização escolarização (líquida) Demanda14ª CRE - Santo Ângelo 92,04 60,86 52732ª CRE - São Luís Gonzaga 87,38 55,14 63436ª CRE - Ijuí 90,81 61,34 75635ª CRE - São Borja 88,65 54,55 77017ª CRE - Santa Rosa 92,39 65,70 8669ª CRE - Cruz Alta 85,08 52,64 1.07223ª CRE - Vacaria 75,69 50,55 1.23113 CRE - Bagé 88,32 50,11 1.32224ª CRE - Cachoeira do Sul 83,28 48,40 1.33921ª CRE - Três Passos 81,28 55,21 1.36425ª CRE - Soledade 79,93 54,71 1.44116ª CRE - Bento Gonçalves 87,55 63,12 1.50420ª CRE - Palmeira dasMissões 85,15 56,31 1.52439ª CRE - Carazinho 81,67 61,21 1.62910 CRE - Uruguaiana 86,70 54,87 1.88119ª CRE - Santana doLivramento 81,97 47,68 2.03718ª CRE - Rio Grande 83,40 45,95 2.1443ª CRE - Estrela 84,86 61,47 2.20715ª CRE - Erechim 83,83 58,11 2.2148ª CRE - Santa Maria 87,87 56,04 2.6457ª CRE - Passo Fundo 85,75 59,62 2.8166ª CRE - Santa Cruz do Sul 84,65 51,58 2.87812ª CRE - Guaíba 82,52 48,56 3.47511ª CRE - Osório 79,57 51,33 3.85827ª CRE - Canoas 85,99 49,70 4.0905ª CRE - Pelotas 83,47 46,94 4.7454ª CRE - Caxias do Sul 84,26 61,24 5.1051ª CRE - Porto Alegre 90,66 56,27 5.69528ª CRE - Gravataí 93,90 48,63 7.0542ª CRE - São Leopoldo 86,46 55,05 7.521
  23. 23. COREDEs Organização geográfica definida pelos Conselhos Regionais de Desenvolvimento (COREDEs); Objetivo de subsidiar as diferentes etapas no processo de Participação Popular e Cidadã; Total: 28 COREDEs.
  24. 24. COREDE Missões Este Conselho abarca 25 municípios: Bossoroca, Caibaté, Cerro Largo, Dezesseis de Novembro, Entre- Ijuís, Eugênio de Castro, Garruchos, Giruá, Guarani das Missões, Mato Queimado, Pirapó, Porto Xavier, Rolador, Roque Gonzáles, Salvador das Missões, Santo Ângelo, Santo Antônio das Missões, São Luiz Gonzaga, São Miguel das Missões, São Nicolau, São Paulo das Missões, São Pedro do Butiá, Sete de Setembro, Ubiretam e Vitória das Missões.
  25. 25. COREDE Missões População: 248.016 habitantes;  71% (175.877 pessoas) no meio urbano;  29% (72.139 pessoas) no campo. Taxa de alfabetização (acima de 10 anos): 94,02%;  204.646 alfabetizados;  13.017 não alfabetizados;  7.816 no meio urbano;  5.201 do campo.
  26. 26. COREDE Missões Taxa de escolarização de 4 e 5 anos: 69,57%;  demanda potencial de 1.911 crianças;  construção de aproximadamente 19 escolas infantis ou ampliação das já existentes. Faixa etária de 6 a 14 anos:  atendimento pleno na idade esperada para o Ensino Fundamental;  merecem atenção alguns municípios que não atingiram o atendimento pleno em seu próprio território. Taxa de escolarização entre 15 e 17 anos: 88,58%;  63,66% estão no nível esperado (Ensino Médio);  1.496 jovens nesta faixa etária como demanda potencial para escolarização.
  27. 27. Comparativo entre os COREDEs
  28. 28. População acima de 10 anos COREDES Analfabeta Taxa de alfabetização Vale do Caí 4.312 97,10 Hortênsias 4.344 96,03 Campos de Cima da Serra 4.676 94,42 Noroeste Colonial 5.788 96,05 Vale do Jaguari 6.006 94,19 Alto Jacuí 6.055 95,54Paranhana-Encosta da Serra 7.083 95,99 Nordeste 7.130 93,63 Fronteira Noroeste 7.595 95,81 Rio da Várzea 8.528 92,52 Alto da Serra do Botucaraí 8.838 90,15 Norte 9.020 95,41 Jacuí-Centro 9.045 92,83 Celeiro 9.737 92,09 Campanha 10.301 94,50 Vale do Taquari 11.095 96,18 Médio Alto Uruguai 11.112 91,41 Produção 11.137 96,22 Litoral 12.568 95,08 Missões 13.017 94,02 Central 13.753 96,00 Centro-Sul 15.597 92,87 Serra 19.202 97,48 Vale do Rio Pardo 21.726 94,07 Fronteira Oeste 24.438 94,62 Vale do Rio dos Sinos 32.552 97,08 Sul 41.284 94,39Metropolitano Delta do Jacuí 60.025 97,15
  29. 29. População de 4 e 5 anos COREDES Taxa de DEMANDA escolarização Celeiro 84,32 599 Noroeste Colonial 81,82 762 Alto Jacuí 78,38 836 Rio da Várzea 75,10 850 Nordeste 69,19 957 Vale do Caí 77,09 973 Norte 80,88 990 Vale do Jaguari 60,69 1.090 Fronteira Noroeste 74,49 1.136 Alto da Serra do Botucaraí 61,73 1.152 Médio Alto Uruguai 69,41 1.174 Vale do Taquari 82,93 1.299 Campos de Cima da Serra 54,89 1.300 Jacuí-Centro 62,31 1.352 Hortênsias 60,30 1.437 Missões 69,57 1.911Paranhana-Encosta da Serra 64,48 2.102 Campanha 62,64 2.200 Produção 70,76 2.575 Litoral 67,13 2.632 Centro-Sul 50,03 3.670 Vale do Rio Pardo 64,98 3.734 Central 59,22 3.982 Fronteira Oeste 62,64 5.592 Serra 59,69 8.273 Sul 50,16 10.718 Vale do Rio dos Sinos 52,51 17.086Metropolitano Delta do Jacuí 47,24 32.586
  30. 30. População de 15 a 17 anos Taxa de COREDES Taxa de escolarização Demanda escolarização (líquida) Fronteira Noroeste 94,26 74,04 581 Vale do Jaguari 90,06 60,95 606 Noroeste Colonial 91,07 70,25 724 Jacuí-Centro 84,14 50,16 1.075 Rio da Várzea 84,07 61,45 1.097 Alto Jacuí 85,69 59,10 1.108 Alto da Serra do Botucaraí 79,54 54,65 1.193 Campos de Cima da Serra 75,56 50,61 1.251 Norte 88,43 65,98 1289 Campanha 88,32 51,18 1.322 Nordeste 79,64 56,78 1.344 Celeiro 81,14 57,18 1.439 Médio Alto Uruguai 81,74 57,90 1.484 Missões 88,58 63,66 1.496 Hortênsias 76,01 57,21 1.527 Vale do Caí 80,75 53,48 1.583Paranhana-Encosta da Serra 81,10 57,44 2.063 Centro-Sul 82,23 49,41 2.303 Vale do Taquari 84,47 63,40 2.431 Central 86,77 55,62 2.577 Produção 84,18 60,03 2.686 Litoral 81,57 52,43 2.832 Vale do Rio Pardo 83,65 52,51 3.398 Fronteira Oeste 85,48 52,89 4.256 Serra 87,32 66,58 4.959 Sul 83,58 48,03 6.818 Vale do Rio dos Sinos 87,36 56,32 8.271Metropolitano Delta do Jacuí 87,27 53,80 14.631
  31. 31. Resultados gerais
  32. 32. Alfabetização Taxa de alfabetização de 95,8% da população acima de 10 anos – 395.964 analfabetos (4,2%) Taxa de alfabetização de 95,5% para a população acima de 15 anos - 383.293 (4,5%) 12.671 analfabetos têm entre 10 e 14 anos de idade. Analfabetos acima de 10 anos, conforme a situação domicílio, 72% encontram-se no meio urbano e 28%, no campo.
  33. 33. Educação Infantil Idade esperada com 4 ou 5 anos;População chegou a 277.004 crianças, das quais164.036 frequentam a escola, o que representa umuniverso de atendimento de 59%;Estão fora da escola 112.968 (41%) crianças nestafaixa etária (164 municípios).
  34. 34. Ensino Fundamental Idade esperada de 6 a 14 anos;População total é de 1.445.543 pessoas. Atendimento épleno, sendo que 97% destas matrículas são do EnsinoFundamental;Cabe ressaltar que ainda existem situações no âmbitomunicipal a serem estudadas, diante da mobilidadepopulacional ou em decorrência do abandono escolar, paragarantir cobertura do atendimento no seu próprio território(41 Municípios).
  35. 35. Ensino Médio Idade esperada de 15 a 17 anos;Tem-se uma população de 531.667 indivíduos, dosquais 86% (455.323) estão matriculados, ou seja,76.344 jovens estão fora da escola;Observa-se ainda que 287.947 são alunos do EnsinoMédio, significando 54% de taxa de escolarizaçãolíquida.
  36. 36. Resultados gerais - MetasPara atingir a Meta do PPA - RS se faz necessário alfabetizar aproximadamente200.000 pessoas até o ano 2015, que representa 50.000 pessoas por ano.
  37. 37. Necessidade de construção de aproximadamente 1.000 escolas de EducaçãoInfantil para atender a demanda potencial de 112.968 crianças fora da escola,entre 4 e 5 anos, sob responsabilidade dos municípios.
  38. 38. CRE Demanda por agrupamento de pessoas fora da escola (15 a 17 anos) Entre 100 e Entre 300 e Entre 500 e Acima de 300 jovens 500 jovens 1.000 jovens 1.000 jovens 1 Porto Alegre 6 municípios (Campo 2 3 municípios 6 municípios (Bom Princípio, Bom, Dois Irmãos, (Novo Capela de Santana, Feliz, Estância Velha, Hamburgo, São Leopoldo Portão, São Pedro da Serra e Igrejinha, Parobé e São Sebastião do Caí). Montenegro, Três Sapiranga). Coroas). 3 4 municípios (Arroio do Meio, 2 municípios Cruzeiro do Sul, Encantado e (Lajeado e Taquari) Paverama). 4 4 municípios (Antônio Prado, 2 municípios Flores da Cunha, Gramado, (Farroupilha e São Canela Caxias do Sul São Marcos). Francisco de Paula) 5 5 municípios (Arroio Grande, 2 municípios (Capão Cristal, Jaguarão, Pinheiro do Leão e São Canguçu Pelotas Machado e Piratini). Lourenço do Sul) 2 municípios 6 2 municípios 2 municípios (Vale do Sol e (Santa Cruz do (Candelária e Rio do Vera Cruz) Sul e Venâncio Pardo) Aires) 4 municípios ( Ibiraiaras, Marau, 7 Passo Fundo Nonoai e Tapejara). 8 4 municípios (Cacequi, São Francisco de Assis, Júlio de São Sepé Santa Maria Castilhos e São Pedro do Sul). 9 Tupanciretã Cruz Alta10 2 municípios Uruguaiana (Alegrete e Itaqui)
  39. 39. CRE Demanda por agrupamento de pessoas fora da escola (15 a 17 anos) Entre 100 e Entre 300 e Entre 500 e Acima de 300 jovens 500 jovens 1.000 jovens 1.000 jovens 9 municípios (Caraá, Cidreira, 2 municípios11 2 municípios (Capão Mostardas, Osório, Palmares (Santo Antônio da Canoa e do Sul, Terra de Areia, Torres, da Patrulha e Rolante) Três Cachoeiras, Xangri-lá). Tramandaí) 6 municípios (Barão do Triunfo, 3 municípios12 Barra do Ribeiro, Butiá, Cerro (Camaquã, Grande do Sul, Dom Feliciano e Eldorado do São Jerônimo). Sul e Guaíba).13 Dom Pedrito Bagé14 São Miguel das Missões Santo Ângelo 4 municípios (Barão do15 Cotegipe, Estação, Getúlio Vargas e Sananduva). 2 municípios (Carlos Barbosa e16 Bento Gonçalves Garibaldi) 4 municípios (Giruá, Santo17 Cristo, Tucunduva e Tuparendi). 3 municípios (Chuí, Santa18 Vitória do Palmar e São José Rio Grande do Norte). 2 municípios19 (Santana do Quaraí Rosário do Sul Livramento e São Gabriel) 5 municípios (Alpestre, Erval20 Seco, Pinheiro do Vale, Planalto e Seberi)
  40. 40. CRE Demanda por agrupamento de pessoas fora da escola (15 a 17 anos) Entre 100 e Entre 300 e Entre 500 e Acima de 300 jovens 500 jovens 1.000 jovens 1.000 jovens 5 municípios (Coronel21 Bicaco, Crissiumal, Redentora, Tenente Portela, Três Passos).23 Bom Jesus Vacaria 5 municípios (Agudo,24 Arroio do Tigre, Paraíso Cachoeira do Sul do Sul, Restinga Seca e Segredo) 4 municípios25 (Arvorezinha, Barros Soledade Cassal, Foutoura Xavier e Lagoão). 3 municípios (Esteio, 2 municípios27 Nova Santa Rita e (Canoas e Triunfo) Sapucaia do Sul) 3 municípios28 (Alvorada, Gravataí, Viamão)32 São Luiz Gonzaga 2 municípios35 (Santiago e São Borja) 3 municípios (Augusto36 Pestana, Jóia e Panambi). 4 municípios39 2 municípios (Constantina, Não-Me- (Carazinho e Toque, Ronda Alta e Sarandi) Santa Bárbara do Sul).
  41. 41. Desafios Reduzir o analfabetismo no Rio Grande do Sul, com expansão dos programas de Alfabetização de Jovens e Adultos. Construir parcerias com os 496 municípios na perspectiva de ampliar o atendimento na Educação Infantil e de manter a cobertura da oferta do Ensino Fundamental. Monitorar anualmente as taxas de rendimento escolar, como por exemplo, as taxas de distorção idade e série, que registram 25,5% no Ensino Fundamental e 33,8% no Ensino Médio. No Ensino Médio tem-se ainda 21,6% de reprovação e 12,3% de abandono.
  42. 42.  Realizar avaliação da gestão cruzando informações do Diagnóstico do DEPLAN e Sistema Estadual de Avaliação Participativa, orientando estratégias da Secretaria de Educação do Estado. Tornar o Diagnóstico material acessível e de referência permanente para Planejamento Estratégico da Educação. Elaborar o Plano de Expansão do Ensino Médio, objetivando a universalização da escolarização na faixa etária de 15 a 17 anos, para a gestão 2011-2014.
  43. 43.  Atualização anual; Subsidiar o monitoramento das ações da Secretaria da Educação, para atingir as metas:  Plano Plurianual do Governo Estadual do Rio Grande do Sul (2012-2015)  Plano Nacional de Educação (os desafios da década 2011-2020); Qualificargradativamente o diagnóstico com a construção de séries temporais que retrate o avanço do atendimento, bem como as informações complementares que serão disponibilizadas a partir do Levantamento da Situação das Escolas (LSE).
  44. 44. TAXAS DE RENDIMENTO ENSINOFUNDAMENTAL
  45. 45. Taxas de Rendimento - ENSINO FUNDAMENTAL - Rede ESTADUAL RS 2005 a 2011 100,0 90,0 80,5 80,8 80,7 80,8 81,7 77,6 79,1 80,0 70,0 60,0 50,0 40,0 30,0 19,0 18,0 16,9 17,2 17,6 17,5 20,0 16,5 10,0 3,4 2,9 2,6 2,0 1,7 1,7 1,8 0,0 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Ano Taxa Aprovação Taxa Reprovação Taxa AbandonoFonte: MEC/INEP – Censo Escolar da Educação Básica
  46. 46. Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio TeixeiraCOMPARATIVO ENTRE AS REDES ESTADUAIS Taxa de Aprovação - 2011 Taxa de Reprovação - 2011 Taxa de Abandono - 2011 Ensino Fundamental de 8 e 9 anos Ensino Fundamental de 8 e 9 anos Ensino Fundamental de 8 e 9 anosUF Rede Ensino Anos Iniciais Anos Finais Ensino Anos Iniciais Anos Finais Ensino Anos Iniciais Anos Finais Fundamental (1º ao 5º Ano) (6º ao 9º Ano) Fundamental (1º ao 5º Ano) (6º ao 9º Ano) Fundamental (1º ao 5º Ano) (6º ao 9º Ano)MT Estadual 1º 96,8 99,2 95,4 2,5 0,6 3,6 0,7 0,2 1,0SC Estadual 2º 95,2 97,4 93,4 3,3 2,2 4,3 1,5 0,4 2,3SP Estadual 3º 92,9 97,5 91,2 5,6 2,1 6,9 1,5 0,4 1,9AC Estadual 4º 89,9 89,1 90,5 6,8 8,3 5,5 3,3 2,6 4,0MG Estadual 5º 88,4 98,6 82,5 8,6 0,8 13,1 3,0 0,6 4,4AM Estadual 6º 88,1 92,4 85,6 6,8 5,4 7,6 5,1 2,2 6,8TO Estadual 7º 87,7 91,7 85,2 10,3 7,3 12,1 2,0 1,0 2,7MA Estadual 8º 86,0 88,0 85,2 10,8 9,2 11,4 3,2 2,8 3,4GO Estadual 9º 85,4 94,8 83,7 10,3 4,3 11,4 4,3 0,9 4,9DF Estadual 10º 85,1 90,4 78,7 13,3 9,0 18,6 1,6 0,6 2,7RR Estadual 11º 84,6 90,2 81,9 11,9 7,9 13,9 3,5 1,9 4,2AP Estadual 12º 84,5 87,2 82,2 11,7 10,5 12,6 3,8 2,3 5,2ES Estadual 13º 83,0 92,7 77,5 14,2 6,2 18,9 2,8 1,1 3,6PR Estadual 14º 82,2 89,5 82,2 14,2 8,9 14,2 3,6 1,6 3,6RS Estadual 15º 81,7 90,6 74,1 16,5 8,9 23,1 1,8 0,5 2,8CE Estadual 16º 81,5 87,0 81,1 11,4 9,9 11,5 7,1 3,1 7,4PI Estadual 17º 80,5 83,1 78,9 15,4 13,8 16,3 4,1 3,1 4,8PE Estadual 18º 78,9 86,9 77,5 15,2 10,7 15,9 5,9 2,4 6,6RO Estadual 19º 78,3 87,9 72,4 18,0 10,7 22,5 3,7 1,4 5,1PA Estadual 20º 77,6 87,3 72,6 15,8 8,8 19,5 6,6 3,9 7,9MS Estadual 21º 75,5 84,7 69,3 19,6 14,1 23,3 4,9 1,2 7,4PB Estadual 22º 75,3 84,9 69,4 13,6 9,5 16,1 11,1 5,6 14,5RJ Estadual 23º 74,6 83,9 73,3 20,0 14,4 20,9 5,4 1,7 5,8RN Estadual 24º 72,9 79,8 68,2 18,0 14,8 20,1 9,1 5,4 11,7SE Estadual 25º 72,1 83,1 65,4 22,2 14,4 27,0 5,7 2,5 7,6AL Estadual 26º 67,1 78,9 63,3 19,2 14,9 20,6 13,7 6,2 16,1BA Estadual 27º 66,6 76,5 65,8 26,3 17,5 27,0 7,1 6,0 7,2
  47. 47. Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio TeixeiraCOMPARATIVO - TOTAL DAS REDES (Municipal, Estadual, Federal e Particular) Taxa de Aprovação - 2011 Taxa de Reprovação - 2011 Taxa de Abandono - 2011 Ensino Fundamental de 8 e 9 anos Ensino Fundamental de 8 e 9 anos Ensino Fundamental de 8 e 9 anosUF Rede Ensino Anos Iniciais Anos Finais Ensino Anos Iniciais Anos Finais Ensino Anos Iniciais Anos Finais Fundamental (1º ao 5º Ano) (6º ao 9º Ano) Fundamental (1º ao 5º Ano) (6º ao 9º Ano) Fundamental (1º ao 5º Ano) (6º ao 9º Ano)MT Total 1º 95,3 96,6 93,8 3,6 2,8 4,6 1,1 0,6 1,6SC Total 2º 94,7 96,6 92,4 4,4 3,1 5,9 0,9 0,3 1,7SP Total 3º 94,2 96,4 92,0 4,9 3,3 6,5 0,9 0,3 1,5MG Total 4º 90,7 96,3 84,3 7,3 3,1 12,1 2,0 0,6 3,6GO Total 5º 89,7 93,3 85,5 7,6 5,7 9,9 2,7 1,0 4,6CE Total 6º 89,6 92,0 86,5 7,8 6,5 9,3 2,6 1,5 4,2TO Total 7º 89,3 91,8 86,3 9,1 7,4 11,2 1,6 0,8 2,5PR Total 8º 88,9 94,0 83,6 9,5 5,8 13,2 1,6 0,2 3,2AC Total 9º 88,7 87,7 90,0 7,9 9,5 5,6 3,4 2,8 4,4RR Total 10º 88,1 92,8 82,6 9,3 5,9 13,3 2,6 1,3 4,1DF Total 11º 88,1 92,5 82,7 10,8 7,0 15,3 1,1 0,5 2,0MA Total 12º 87,5 90,4 83,7 8,9 7,3 11,1 3,6 2,3 5,2ES Total 13º 87,1 92,3 80,9 11,2 6,9 16,4 1,7 0,8 2,7AP Total 14º 87,0 89,9 83,0 9,8 8,2 12,0 3,2 1,9 5,0RS Total 15º 85,5 91,8 78,5 13,1 7,7 19,2 1,4 0,5 2,3RJ Total 16º 84,8 88,2 80,7 13,1 10,7 15,9 2,1 1,1 3,4PE Total 17º 84,2 88,8 78,7 11,7 9,0 14,8 4,1 2,2 6,5AM Total 18º 84,0 84,7 83,1 10,2 11,4 8,5 5,8 3,9 8,4PA Total 19º 83,9 86,3 80,3 10,9 9,6 12,9 5,2 4,1 6,8PI Total 20º 83,9 86,0 81,1 12,8 11,8 14,3 3,3 2,2 4,6MS Total 21º 83,2 87,9 77,3 14,1 11,1 17,9 2,7 1,0 4,8RO Total 22º 82,8 88,9 75,7 14,2 9,8 19,5 3,0 1,3 4,8PB Total 23º 81,5 86,6 75,0 11,9 9,7 14,7 6,6 3,7 10,3RN Total 24º 79,7 85,2 72,5 14,9 11,7 19,0 5,4 3,1 8,5BA Total 25º 79,4 84,7 72,8 15,2 11,7 19,4 5,4 3,6 7,8AL Total 26º 77,2 84,7 68,7 15,2 12,0 18,8 7,6 3,3 12,5SE Total 27º 76,0 81,8 69,0 19,5 15,8 24,0 4,5 2,4 7,0
  48. 48. Nº de Escolas Nº de Escolas CRE com Tx Ap % com EF inferior a 81,7% 1ª CRE - Porto Alegre 227 164 72,2 2ª CRE - São Leopoldo 157 82 52,2 3ª CRE - Estrela 82 17 20,7 4ª CRE - Caxias do Sul 114 24 21,1 5ª CRE - Pelotas 115 64 55,7 6ª CRE - Santa Cruz do Sul 108 31 28,7 7ª CRE - Passo Fundo 114 25 21,9 8ª CRE - Santa Maria 93 37 39,8 9ª CRE - Cruz Alta 41 13 31,7 10ª CRE - Uruguaiana 59 18 30,5 11ª CRE - Osório 99 30 30,3 12ª CRE - Guaíba 80 34 42,5 13ª CRE - Bagé 62 30 48,4 14ª CRE - Santo Ângelo 37 9 24,3 15ª CRE - Erechim 108 8 7,4 16ª CRE - Bento Gonçalves 74 12 16,2 17ª CRE - Santa Rosa 72 9 12,5 18ª CRE - Rio Grande 38 24 63,219ª CRE - Santana do Livramento 54 22 40,720ª CRE - Palmeira das Missões 84 12 14,3 21ª CRE - Três Passos 72 14 19,4 23ª CRE - Vacaria 29 9 31,0 24ª CRE - Cachoeira do Sul 47 18 38,3 25ª CRE - Soledade 50 9 18,0 27ª CRE - Canoas 76 43 56,6 28ª CRE - Gravataí 87 46 52,9 32ª CRE - São Luís Gonzaga 50 3 6,0 35ª CRE - São Borja 35 12 34,3 36ª CRE - Ijuí 56 8 14,3 39ª CRE - Carazinho 57 8 14,0
  49. 49. Quantidade de Escolas do Ensino Fundamental com Taxa de Aprovação inferior a 100% - 1º e 2º anos do Ensino Fundamental Nº de Escolas com Taxa Nº de Escolas com Taxa Nº de Escolas CRE de Aprovação inferior a % de Aprovação inferior a % com EF 100% do 1º ano do EF 100% do 2º ano do EF 1ª CRE - Porto Alegre 227 62 27,3 196 86,3 2ª CRE - São Leopoldo 157 8 5,1 82 52,2 3ª CRE - Estrela 82 4 4,9 19 23,2 4ª CRE - Caxias do Sul 114 12 10,5 81 71,1 5ª CRE - Pelotas 115 18 15,7 101 87,8 6ª CRE - Santa Cruz do Sul 108 6 5,6 73 67,6 7ª CRE - Passo Fundo 114 11 9,6 66 57,9 8ª CRE - Santa Maria 93 5 5,4 53 57,0 9ª CRE - Cruz Alta 41 5 12,2 27 65,9 10ª CRE - Uruguaiana 59 5 8,5 42 71,2 11ª CRE - Osório 99 3 3,0 52 52,5 12ª CRE - Guaíba 80 16 20,0 62 77,5 13ª CRE - Bagé 62 6 9,7 35 56,5 14ª CRE - Santo Ângelo 37 1 2,7 25 67,6 15ª CRE - Erechim 108 8 7,4 6 5,6 16ª CRE - Bento Gonçalves 74 2 2,7 32 43,2 17ª CRE - Santa Rosa 72 4 5,6 24 33,3 18ª CRE - Rio Grande 38 6 15,8 32 84,219ª CRE - Santana do Livramento 54 15 27,8 16 29,620ª CRE - Palmeira das Missões 84 8 9,5 48 57,1 21ª CRE - Três Passos 72 11 15,3 39 54,2 23ª CRE - Vacaria 29 0 0,0 20 69,0 24ª CRE - Cachoeira do Sul 47 4 8,5 27 57,4 25ª CRE - Soledade 50 2 4,0 26 52,0 27ª CRE - Canoas 76 13 17,1 43 56,6 28ª CRE - Gravataí 87 26 29,9 28 32,2 32ª CRE - São Luís Gonzaga 50 1 2,0 20 40,0 35ª CRE - São Borja 35 0 0,0 26 74,3 36ª CRE - Ijuí 56 0 0,0 23 41,1 39ª CRE - Carazinho 57 2 3,5 14 24,6
  50. 50. TAXAS DE RENDIMENTOENSINO MÉDIO
  51. 51. Taxas de Rendimento - ENSINO MÉDIO - Rede ESTADUAL RS 2005 a 2010100,0 90,0 80,0 70,0 64,7 64,7 65,3 66,1 66,3 62,1 63,4 60,0 50,0 40,0 30,0 21,7 21,2 20,7 21,3 21,7 21,6 22,3 20,0 16,2 15,4 14,6 14,0 13,0 12,3 11,4 10,0 0,0 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Ano Taxa Aprovação Taxa Reprovação Taxa Abandono Fonte: MEC/INEP – Censo Escolar da Educação Básica
  52. 52. Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio T eixeira Taxas de Rendimento por Unidades da Federação - 2011 Ensino MédioAno UF Rede Taxa de Aprovação Taxa de Reprovação Taxa de Abandono 2011 AM Estadual 83,2 5,7 11,1 2011 SC Estadual 82,7 8,0 9,3 2011 TO Estadual 80,5 10,3 9,2 2011 CE Estadual 80,1 6,9 13,0 2011 SP Estadual 79,3 15,4 5,3 2011 PR Estadual 79,3 13,9 6,8 2011 AC Estadual 78,7 8,7 12,6 2011 PE Estadual 78,3 10,4 11,3 2011 GO Estadual 78,0 14,0 8,0 2011 RR Estadual 77,9 13,9 8,2 2011 MG Estadual 76,5 13,3 10,2 2011 MA Estadual 75,5 9,7 14,8 2011 RO Estadual 73,3 13,9 12,8 2011 PB Estadual 72,5 8,0 19,5 2011 PI Estadual 72,2 10,0 17,8 2011 BA Estadual 70,2 16,4 13,4 2011 ES Estadual 70,2 20,7 9,1 2011 AP Estadual 69,8 14,4 15,8 2011 MS Estadual 69,7 18,5 11,8 2011 SE Estadual 69,4 14,7 15,9 2011 RN Estadual 69,0 7,9 23,1 2011 MT Estadual 67,7 19,6 12,7 2011 PA Estadual 67,5 13,1 19,4 2011 DF Estadual 67,5 22,6 9,9 2011 RJ Estadual 67,3 20,3 12,4 2011 AL Estadual 67,1 11,1 21,8 2011 RS Estadual 66,3 22,3 11,4
  53. 53. Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio T eixeira T axas de Rendimento por Unidades da Federação - 2011 Ensino MédioAno UF Rede Taxa de Aprovação Taxa de Reprovação Taxa de Abandono 2011 SC Total 84,5 7,5 8,0 2011 AM Total 83,6 6,0 10,4 2011 CE Total 81,8 6,7 11,5 2011 SP Total 81,6 13,9 4,5 2011 PR Total 81,4 12,6 6,0 2011 TO Total 81,0 10,4 8,6 2011 GO Total 80,2 12,9 6,9 2011 PE Total 79,9 10,0 10,1 2011 AC Total 79,7 8,5 11,8 2011 RR Total 79,4 13,2 7,4 2011 MG Total 78,3 12,6 9,1 2011 MA Total 77,2 9,1 13,7 2011 PB Total 76,0 7,7 16,3 2011 RO Total 75,1 13,3 11,6 2011 PI Total 74,8 9,7 15,5 2011 DF Total 74,2 18,5 7,3 2011 ES Total 73,9 18,4 7,7 2011 SE Total 73,1 13,7 13,2 2011 RN Total 72,7 8,0 19,3 2011 MS Total 72,6 17,1 10,3 2011 BA Total 71,9 15,6 12,5 2011 AP Total 71,6 13,9 14,5 2011 RJ Total 71,4 18,5 10,1 2011 AL Total 70,4 10,9 18,7 2011 MT Total 70,3 18,2 11,5 2011 PA Total 69,9 12,4 17,7 2011 RS Total 69,2 20,7 10,1
  54. 54. Quantidade de Escolas do Ensino Médio com Taxa de Aprovação inferior a 66,3% Nº de Escolas Nº de Escolas com Tx Ap CRE % com EM inferior a 66,3% 1ª CRE - Porto Alegre 69 51 73,9 13ª CRE - Bagé 23 16 69,6 27ª CRE - Canoas 32 22 68,8 18ª CRE - Rio Grande 17 11 64,7 10ª CRE - Uruguaiana 25 14 56,0 12ª CRE - Guaíba 38 21 55,3 28ª CRE - Gravataí 59 32 54,2 5ª CRE - Pelotas 51 27 52,9 8ª CRE - Santa Maria 53 28 52,8 19ª CRE - Santana do Livramento 23 12 52,2 4ª CRE - Caxias do Sul 52 23 44,2 2ª CRE - São Leopoldo 80 33 41,3 24ª CRE - Cachoeira do Sul 19 7 36,8 23ª CRE - Vacaria 13 4 30,8 36ª CRE - Ijuí 24 7 29,2 7ª CRE - Passo Fundo 54 14 25,9 21ª CRE - Três Passos 26 6 23,1 16ª CRE - Bento Gonçalves 33 7 21,2 35ª CRE - São Borja 19 4 21,1 9ª CRE - Cruz Alta 20 4 20,0 32ª CRE - São Luís Gonzaga 21 4 19,0 39ª CRE - Carazinho 27 5 18,5 11ª CRE - Osório 38 7 18,4 6ª CRE - Santa Cruz do Sul 42 7 16,7 17ª CRE - Santa Rosa 30 5 16,7 20ª CRE - Palmeira das Missões 33 5 15,2 3ª CRE - Estrela 41 6 14,6 25ª CRE - Soledade 26 3 11,5 15ª CRE - Erechim 50 4 8,0 14ª CRE - Santo Ângelo 21 1 4,8 TOT AL 1059 339 32,0
  55. 55. Acesso à Educação Básica no Campo Taxas de atendimento Educação Infantil /Creche 6,98% Educação Infantil/Pré-Escola 66,80% • 6,3 milhões de matrículas Ensino Fundamental 91,96% no campo (12,4% do total de estudantes matriculados) Ensino Médio 18,43% EJA – Ensino Fundamental 4,34% EJA – Ensino Médio 3,10%Censo Escolar INEP/2011 Ministério daCenso IBGE/2010 Educação
  56. 56. EDUCAÇÃO DO CAMPOFormação dos Agricultores(as)Formação Técnica dos jovens docampoFormação superior dos jovens docampo.
  57. 57. Na Escola do CampoO jovem participa na vida profissional e a Escola aporta-lhe respostas às interrogações que lhe colocam suas atividades, experiências, e suas observações dentro do meio de vida.
  58. 58. Na Escola do Campo As atividades de formação sãoorganizadas de tal modo que o jovem caminha, de questão em questão, emdireção a uma descoberta progressiva, poisas atividades são articuladas e osconteúdos ligados uns nos outros.
  59. 59. Na escola do Campo - O centro do sistema educativo é o jovem, sujeitoinserido numa realidade concreta;- O conhecimento é construído na interação comas pessoas e com o meio;- Valorização da pessoa humana através deatividades e ferramentas postas em ação.
  60. 60. 1•Momento - pesquisa No meio sócio-profissional familiaracontece a pesquisa e observação darealidade, síntese inicial de saberes efazeres. Fase da diagnóstico.
  61. 61. 2• Momento - reflexãoNo ambiente educativo da Escola doCampo realiza-se a problematização, areflexão e a organização do saber – Faseda Sistematização.
  62. 62. 3• Momento - transformaçãoNo retorno ao meio sócio-profissionalfamiliar, os jovens, com apoio dos educadores,aplicam os conhecimentos na realidade quedesejam transformar. Fazer experiências enovas observações.Desenvolvem competências técnicas ecientíficas, integrando a teoria e a prática –aprender a aprender. Fase da Implementação
  63. 63. Um itinerário... ... Com um processo de aprendizagemNa propriedade Na propriedade OBSERVAR TRANSFORM Na Escola do AR campo REFLETIRLevantamento... Conhecimento .... Transformação AÇÃO REFLEXÃO AÇÃO
  64. 64. Os Fundamentos de Sustentação Formação DesenvolvimentoFINALIDADES integral do meio Projeto de vida Social, econômico, humano, político... Alternância/semi Associação MEIOS nário integrado local Uma metodologia Famílias, instituições, pedagógica apropriada profissionais
  65. 65. ASSOCIAÇÃO de FAMÍLIA Uma Escola do Campo é, em primeiro lugar, uma associação de famílias, de lideranças comprometidas com a formação dos jovens...
  66. 66. Formação Integral OUTROS INTELECTUAIS ECOLÓGICOS TÉCNICOS JOVEM JOVEM ÉTICOS CIENTÍFICOS ESPIRITUAIS PROFISSIONAIS ECONÔMICOS FILOSÓFICOS HUMANOS ARTÍSTICOS SOCIOLÓGICOSAssim como as áreas se perpassam, todos os atores devem se conhecer
  67. 67. Desenvolvimento localÉ necessário que as pessoas formem-se a partir da sua própria realidade;2) Sem o desenvolvimento pessoal não existe o coletivo;3) O jovem deve construir seu projeto de vida e não os pais;4) É um importante aspecto de ação-reflexão-ação;5) Possibilidade de permanecer no seu meio de vida com dignidade;6) É ao mesmo tempo ter mais e principalmente ser mais.
  68. 68. PLANO DE FORMAÇÃOConstruído de acordo com a realidadedas famílias dos jovens (educandos), através da Pesquisa Participativa e adequado as políticas dedesenvolvimento da região através da equipe de formadores – comunidade educativa.
  69. 69. PESQUISA PARTICIPATIVAInstrumento que permite a família discutir sua realidade e direcionar os estudos para a formação sócio-profissional da família.
  70. 70. TEMA GERADORConjunto de temas técnicos ede formação geral oriundos da Pesquisa Participativa e adequados pela equipe pedagógica– comunidade educativa.
  71. 71. PLANO DE ESTUDO Questionamento darealidade da família doeducando sobre o TemaGerador a ser estudado
  72. 72. Lei de Diretrizes e Bases da EducaçãoArt. 28. Na oferta da educação básica para apopulação rural, os sistemas de ensino promoverão asadaptações necessárias à sua adequação, àspeculiaridades da vida rural e de cada região,especialmente.I – conteúdos curriculares e metodologias apropriadasàs reais necessidades e interesses dos alunos da zonarural;II – organização escolar própria, incluindo aadequação do calendário escolar às fases do cicloagrícola e às condições climáticas;III – adequação à natureza do trabalho na zona rural.
  73. 73. O aluno aprende apenas quando setorna sujeito da sua aprendizagem. E, para que ele se torne sujeito da sua aprendizagem, precisa participar das decisões que dizem respeito ao projeto da escola quefaz parte também do projeto de sua vida. GADOTTI, 2000.
  74. 74. A educação tem papelessencial na formação dosjovens agricultores familiares,com conteúdos úteis eaplicáveis, esse é um fatorimportante e eficaz paramelhorar a qualidade de vida.
  75. 75. “A VIDA SÓ PODE SER COMPREENDIDA OLHANDO-SE PARA TRÁS, MAS SÓ PODESER VIVIDA, OLHANDO-SE PARA FRENTE”. Soren kierkegaard“CADA SUJEITO, A PARTIR DO SEU LUGARSOCIAL, AO REALIZAR PEQUENAS AÇÕES,COM ENTUSIASMO E DEDICAÇÃO, ESTARÁ CONTRIBUINDO PARA A EFETIVAÇÃO DEUM NOVO MODELO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL”. Ayrton Avila da Cruz
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×