Your SlideShare is downloading. ×
0
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Avaliação Emancipatória
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Avaliação Emancipatória

11,117

Published on

Trabalho desenvolvido no III Encontro de Formação Continuada "Educação do Campo das Missões: um debate necessário, em 24 de agosto de 2012.

Trabalho desenvolvido no III Encontro de Formação Continuada "Educação do Campo das Missões: um debate necessário, em 24 de agosto de 2012.

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
11,117
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
155
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Avaliação Emancipatória Professora: Elaine Maria Dias de Oliveira URI – Campus de Santiago, julho de 2012
  • 2. Educação como Direito Constituição: Educação é direito público subjetivo inalienável. Responsabilidade de quem? * Acesso * Permanência * Sucesso
  • 3. Que relação háentre sucesso na escolae avaliação daaprendizagem?  Avaliação:  * como instrumento/meio de aprendizagem;  * como forma de tomada de consciência sobre sua realidade pessoal e/ou coletiva.
  • 4. O que é avaliar?
  • 5. Para refletir:A história do rato. Romão disse a um ratinho que ia passando por perto dele: - “ Pare aí. Temos já de ir ao juiz. Quero te acusar.” “Vamos”, respondeu o ratinho. “A consciência de nada me acusa esaberei defender-me.” “Muito bem”, disse o gato. “Aqui estamos diante do senhor juiz”. “Não o vejo”, disse o ratinho. “O juiz sou eu”, disse o gato. “E o júri?”, perguntou o ratinho. “O júri também sou eu”, disse o gato. “ E o promotor?”, perguntou o ratinho. “O promotor também sou eu”, disse o gato. Então você é tudo?”,perguntou o ratinho. “Sim, porque sou o gato. Vou acusar você, julgar você e comervocê.” Lewis Corroll
  • 6. Avaliar não é : * Não é aplicação de provas e de instrumentos avaliativos, isto é testagem; * Não é correção de provas e atribuição de notas, isto é medida. * Não é julgamento unilateral; * Não é rotulação dos alunos em capazes e incapazes;
  • 7. QUANDO A ESCOLA É DEVIDRO Rute RochaEu ia a escola todos os dias de manhã e quandochegava, logo, logo, eu tinha que me meter novidro. É, no vidro!Cada menino ou menina tinha um vidro e o vidronão dependia do tamanho de cada um, não! O vidrodependia da classe em que a gente estudava.Se você estava no primeiro ano, ganhava um vidrode um tamanho. Se você fosse do segundo ano,seu vidro era um pouquinho maior. E assim, osvidros iam crescendo à medida que você iapassando de ano.
  • 8. Se não passasse de ano era um horror.Você tinha que usar o mesmo vidro do anopassado. Coubesse ou não coubesse.Aliás nunca ninguém se preocupou emsaber se a gente cabia nos vidros. E parafalar a verdade, ninguém cabia direito. Uns eram gordos, outros eram muitograndes, uns eram pequenos e ficavamafundados no vidro, nem assim eraconfortável.
  • 9.  A gente não escutava direito o que os professores diziam, os professores não entendiam o que a gente falava, e a gente nem podia respirar direito... A gente só podia respirar direito na hora do recreio ou na aula de educação física. Mas aí a gente já estava desesperado de tanto ficar preso e começava a correr, a gritar, a bater uns nos outros.
  • 10. Para refletir... Quais são osReflexos da Avaliação daAprendizagem entre osmeus alunos? ( Vídeo GabrielPensador)  "O que mata um jardim não é o abandono. O que mata um jardim é esse olhar de quem por ele passa indiferente." Mario Quintana ....
  • 11. O que é avaliaçãopara os alunos?  Video  Avaliação- Prêmio ou Punição.avi
  • 12. Conceituando a Avaliação da Aprendizagem “A avaliação deve ser um instrumento auxiliar da aprendizagem e não um mero instrumento de aprovação e reprovação de alunos.” (LUCKESI,1998) “A Avaliação é um processo de captação das necessidades, a partir do confronto entre a situação atual e a desejada, visando uma intervenção na realidade para favorecer a aproximação entre ambas”(Vasconcelos,1998)
  • 13.  “Avaliar é ser capaz de acompanhar o processo de construção do conhecimento do educando, para ajudá-lo a superar obstáculos.” (Vasconcelos,1998) A avaliação escolar é um instrumento de poder e de controle que está relacionado aos objetivos, as finalidades, aos interesses que estão em jogo no trabalho educativo. Para contribuir com o processo educativo deve ter como função diagnosticar o desenvolvimento da aprendizagem, investigar as dificuldades e indicar alternativas de superação das mesmas.
  • 14.  “Se buscamos uma escola que não seja uma preparação para a vida, mas que seja ela mesma uma rica experiência de vida, se buscamos uma escola que não seja reprodutora dos modelos sociais discriminatórios, mas promotora do desenvolvimento integral de todos os alunos, temos de repensar a avaliação”.(VASCONCELOS, 2000)
  • 15. Avaliação Emancipatória “A avaliação emancipatória caracteriza-se como um processo de descrição, análise e crítica de uma dada realidade, visando transformá-la. A avaliação emancipatória tem dois objetivos básicos: Iluminar o caminho da transformação e beneficiar as audiências no sentido de torná- las autodeterminadas.” (Ana Maria Saul)
  • 16. Avaliação Emancipatória Para Ana Maria Saul “A emancipação prevê que a consciência crítica da situação e a proposição de alternativas de solução para que a mesma constitua-se em elementos de luta transformadora para os diferentes participantes da avaliação”.
  • 17. Avaliação Emancipatória A avaliação emancipatória é um dos pilares da reestruturação curricular do ensino médio; Ela é um dos eixo do processo de aprendizagem, portanto necessita partir da realidade, para apontar os avanços do aluno, bem como, indicar meios para a superação de dificuldades que o estudante apresenta.
  • 18. Função da Avaliação “(...) será possibilitar ao educador condições de compreensão do estágio em que o aluno se encontra, tendo em vista poder trabalhar com ele para que saia do estágio defasado em que se encontra e possa avançar em termos dos conhecimentos necessários. (LUCKESI, 2005, p. 81)
  • 19. Avaliação Emancipatória A avaliação emancipatória parte da colaboração, do comprometimento com a mudança de paradigmas, com a formação de novos sujeitos, e, portanto, de transformar a realidade. Assim, é necessário um trabalho planejado e executado com a participação de todos e que tenha resultados significativos e concretos. Portanto, o educando precisa participar desse processo.
  • 20. Avaliação Emancipatória Segundo Saul (2001), a avaliação emancipatória está situada numa vertente político-pedagógica cujo interesse primordial é emancipador, ou seja, libertador, visando provocar a crítica, de modo a libertar o sujeito de condicionamentos deterministas. O compromisso principal desta avaliação é o de fazer com que as pessoas direta ou indiretamente envolvidas em uma ação educacional escrevam a sua “própria história” e gerem suas próprias alternativas de ação.
  • 21. Como construir uma avaliação emancipatória? A escola precisa definir é qual a concepção de pessoa e de sociedade que se quer formar; Definir as mudanças esperadas nas relações professor/aluno; Repensar a metodologia de trabalho; Repensar os instrumentos avaliativos e suas funções; Garantir ao educando direto de participação real nesse processo; Fazer uso do processo dialógico como garantia de vez e voz a todos os envolvidos no processo; Traçar objetivos e metas (plano de ação), coletivo;
  • 22. Avaliação e transformação da sociedade Se o nosso sonho é participar de uma sociedade em que todos tenham voz e vez, então é preciso transformar tudo. Vasconcellos (1998) diz que mudar a avaliação é mudar a sociedade... afinal, o que está se discutindo é um projeto de uma nova sociedade. É possível acreditar em uma sociedade que tenha lugar para todos, inclusive para os mais pobres? Será possível construir essa sociedade?
  • 23. Como construir uma sociedade que tenha lugar para todos? Mudando do paradigma cientificista /cartesiano/positivista para o paradigma emancipatório; Transformando as relações na escola; Mudando a concepção de ensino e aprendizagem; Valendo-se do método dialético; Mudando radicalmente a forma de avaliar.
  • 24.  Que reflexão podemos fazer a partir da imagem anterior? Que necessidades revela? Rever a concepção de avaliação é rever, sobretudo, as concepções de conhecimento, de ensino, de aprendizagem, de educação, de escola e de sociedade.
  • 25.  Impõe pensar em um novo projeto pedagógico apoiado em princípios e valores comprometidos com a construção do cidadão critico participativo. Somente após essa consciente revolução é que a avaliação será vista como função diagnóstica e transformadora da realidade.
  • 26. A mudança do paradigma de avaliação Da avaliação classificatória para a avaliação diagnóstica/formativa/emancipatória. Da avaliação com fim em si mesma para a avaliação de processo construtivo;
  • 27.  O modelo classificatório de avaliação, no qual os alunos são considerados aprovados ou não aprovados, oficializa a concepção de sociedade excludente adotada, muitas vezes inconscientemente, pela escola. O resultado da avaliação é considerado portanto, como uma sentença, um veredicto oficial da capacidade daquele aluno que fica registrado e é perpetuado para o resto de sua vida.
  • 28. Refletindo...  Video
  • 29. A dimensão sociológicada avaliaçãoComo se estabelecem as relações sociais ede poder entre professor – aluno no processode avaliação? * Na avaliação classificatória:Transmissor - coerção - autoritário * Na avaliação emancipatória: Educador -acompanhamento - democrático
  • 30. Essas relações sociológicas são também políticas : “A avaliação como instrumento de discriminação e seleção social ( ... ) assume na escola a tarefa de separar os “aptos” dos “inaptos”, os “capazes” dos “incapazes”. Além disso cumpre a função de legitimar o sistema dominante: - junto aos “aptos”, convidando-os a fazer parte, a tomarem seus “justos” lugares: - junto aos “inaptos”, impingindo-lhes a inculcação, a domesticação, convencendo-os de que são incapazes e por isso “merecem” o lugar que têm na sociedade.”( Vasconcelos, 1995 )
  • 31.  O mais triste porém é que a publicação dos resultados não revela o que o aluno conseguiu aprender, é um resultado fictício, definindo um perfil, pela cristalização desse falso resultado.
  • 32. Funções e concepções de avaliaçãoLucke- Hoffman Saul Vasconcon- Romão Hadjisi celosDiagós- Mediado- Emanci- Dialético- Dialógi- Prognóstica ra patória Libertadora ca tica ............. . Formati- vaClassifi Classifi- Classifi- Classificatória Classifi- Cumula-catória catória catória -Excludente catória tiva terminal
  • 33. Na concepção de Luckesi (2001), avaliar é acolher o aluno no seu ser e no modo de ser para, a partir daí, decidir o que fazer. Isso implica na possibilidade de verificar uma situação da forma como se apresenta, para depois intervir. Agindo dessa forma, o processo avaliativo será visivelmente progressivo.
  • 34. Luckesi, (2000, p. 28), aborda a questão da avalia ção da aprendizagem escolar, explicitando que: “ Importa estarmos cientes de que a avaliação educacional, em geral, e a avaliação da aprendizagem escolar, em particular, são meios e não fins em si mesmas, estando assim delimitadas pela teoria e prática que as circunstancializam.”
  • 35.  Concluindo: Entendemos que a avaliação emancipatória não se dá, nem se dará, num vazio conceitual, mas sim dimensionada por um modelo teórico de mundo e de educação, traduzido em prática pedagógica dialógica, acolhedora.
  • 36.  A AVALIAÇÃO DIAGÓSTICA É ELEMENTO FUNDAMENTAL NA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO
  • 37. A Avalia ção "Emancipat ória": A avaliação emancipatória caracteriza-se como um processo de descrição, análise e crítica de uma dada realidade, visando transformá-la.(...) está situada numa vertente político-pedagógica cujo interesse primordial é emancipador, ou seja, libertador, visando provocar a crítica, de modo a libertar o sujeito de condicionamentos deterministas. O compromisso principal desta avaliação é o de fazer com que as pessoas direta ou indiretamente envolvidas em uma ação educacional escrevam a sua "própria história" e gerem as suas próprias alternativas de ação. (SAUL, 2000, p. 61).
  • 38. Avaliação frente a proposta do Ensino Médio Politécnico. * Avaliar o desenvolvimento do projeto; * Avaliar a participação do coletivo do projeto; * Avaliar a performance pessoal em relação ao coletivo; * Avaliar a aquisição individual em relação as atitudes, habilidades, competências e conhecimentos mobilizados no desenvolvimento do projeto.
  • 39. Avaliação doDesenvolvimento doProjeto O que foi positivo na execução do projeto? O que podemos apontar como negativo na execução do projeto “XX”? O que deve ser mudado na execução dos novos projetos? Que outros elementos poderíamos incluir na elaboração de um novo projeto?
  • 40. Avaliação sobre oColetivo do Projeto: Analise a postura, o comprometimento e a responsabilidade de cada um dos participantes na execução do projeto “XX”. Que elementos devem ser repensados para o próximo projeto?
  • 41. Avaliação daaprendizagem Características: _ diagnóstica/formativa; _ processual; _ inclusiva;
  • 42. Técnicas de Coleta dedados para Avaliação  _ Testagem;  _ Observação/acompanhamento;  _ Auto avaliação;
  • 43. Instrumentos deColeta de Dados:  Provas: orais; escritas (objetivas, descritivas, dissertativas)  Testes;  Exercícios;  Pesquisas;  Fichas: (acompanhamento;  Portfolio;
  • 44. Critérios de Avaliação:  Aspectos formativos (afetivos):  Aspectos cognitivo:
  • 45. Avaliação Emancipatória Professora: Elaine Maria Dias de Oliveira  Telefone: (55) 81126043  E-mail: elaine@urisantiago.br  Elaine_uri@yahoo.com.br  Obrigada.

×