Trabalhando Ciências Humanas nos Anos Iniciais

1,858 views

Published on

Trabalho realizado pela professora Noeli Schonorrenberger no Encontro de Formação Continuada "Alfabetização e Letramento para Educadores do Campo"

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,858
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
94
Actions
Shares
0
Downloads
33
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Trabalhando Ciências Humanas nos Anos Iniciais

  1. 1. CIÊNCIAS SOCIAS NO ENSINO FUNDAMENTAL(Primeiro, segundo e terceiro Ano) Parâmetros Curriculares Nacionais, Geografia e História.
  2. 2. Como nós trabalhamos Ciências Sociais nos Anos Iniciaisdo Ensino Fundamental?
  3. 3. Costumamos trabalhar da formacomo fomos ensinados.
  4. 4. Estamosalfabetizados em Ciências Sociais?
  5. 5. PAIS BRILHANTES,PROFESSORES FASCINANTES AUGUSTO JORGE CURY Sugere sentar em circulo ou em U.
  6. 6. Objetivos desta técnica: desenvolver a segurança,promover a educação participativa, melhorar a concentração diminuir conflitos em sala de aula, diminuir conversas paralelas.
  7. 7. Por que algumaspessoas são eloqüentes e seguras para falar com os íntimos mas completamenteinibidas para discutir suas opiniões com estranhos ou em grupos de trabalho? Uma das grandes causas é o sistema escolar.
  8. 8. Os educadores são escultores da emoção. Eduquem olhando nos olhos, eduquem com gestos: eles falam tanto quanto as palavras. Sentar em forma de U ou em círculo aquieta o pensamento, melhora a concentração, diminui a ansiedade dos alunos. O clima da classe fica agradávele a interação social dá um grande salto.
  9. 9. HISTÓRICO DAS CIÊNCIAS SOCIAIS NO BRASIL-1827: Ler, escrever, quatro operações,gramática, moral cristã,doutrina da Igreja Católica.(Optativo: Constituição do Império e História do Brasil);- 1837: História para Ensino Médio:História Universal X História Sagrada;- 1855: História do Brasil X História Sagrada;
  10. 10. 1870 – Concepções cientificistas: - História Natural( História e Geografia Universal, do Brasil e Regional); - Instrução cívica substitui ainstrução religiosa; - Cria-se a História Profana (laica),raramente ensinada; - História: Ações históricas realizadapelos heróicos; - Memorização e repetição oral;
  11. 11. Século XIX –- Nacionalismo civilizatório epatriótico: História, Geografia e Língua Nacional;-Conteúdos: Tradição do passadohomogêneo, com feitos gloriososde célebres personagens históricosnas lutas pela defesa do território e da unidade nacional;- festas, desfiles, eventos comemorativos,celebrações de culto aos símbolos da Pátria;
  12. 12. Começo do Século XX:Surgem propostas alternativasao modelo oficial(reprimidas pelos governos)Identificava-se com os principaismomentos das lutas sociais:Revolução Francesa,Abolição da Escravatura ...
  13. 13. 1930:- Surge os Estudos Sociais: História Geral(América e Brasil são apêndices);- O Brasil é visto como mestiço- Atraso econômico- Necessidade de buscar conhecer a identidade nacional-Tese da democracia racial.- Escolanovistas propõe métodos ativos,mas a prática predomina pela memorizaçãoe festas cívicas, seleção de conteúdosvisando exames finais;
  14. 14. 1950:Influência dos historiadores profissionais; 1950 – 1960: Predomínio da Históriados Estados Unidos, ciclos econômicos, discurso de homogeneização, educação para o trabalho, advento do mundo urbano e industrial;
  15. 15. Final da época de 1970: (pós-guerra) Unesco interfere: História humanística e pacifista, voltando-se aos processos de desenvolvimento econômico das sociedades, bem como os avanços tecnológicos, científicos e culturais da humanidade;Estudos Sociais: Visão norte-americana nos currículos brasileiros;
  16. 16. Nível secundário(História Nova):Modos de Produção –transformações econômicas econflitos entre classes sociais;História tradicional:Trajetória vitoriosada classe burguesa na consolidaçãoharmoniosa do mundo moderno;
  17. 17. Lei 5692/71: ideologia com ufanismonacionalista justifica o projeto nacionalorganizado pelo governo militar a partir de 1964; Estudos Sociais: do concreto para o abstrato: comunidade, bairro, município, estado, país, mundo. Para compreender a história o alunodeveria ter a noção de tempo histórico.
  18. 18. O ensino limitava-se ao tempocronológico, calendário, ordenaçãotemporal, sequênciapassado-presente e futuro;Fim do exame de admissão;Ensino obrigatório de 8 anos;Deteriorização da qualidade deensino;Licenciatura curta, avanço dasentidades privadas de ensino
  19. 19. Anos 70: Criação da Associação de Historiadores e Geógrafos.Em decorrência volta a História e a Geografia aos currículos; acaba a licenciatura de Estudos Sociais;
  20. 20. Anos 80: Reformas escolares: currículos são questionados, mudados; Êxodo rural; Novas tecnologias (rádio, TV); Professores tornam-se importantes no saber escolar;Diálogo entre pesquisadores e docentes; Pós-graduação em História; Retorno da História a da Geografia ao currículo escolar a partir das séries iniciais de escolarização;
  21. 21. Novas abordagens com questões voltadas para a História social, cultural e do cotidiano; A História, com eixo europocêntrico foi substituída pela História Crítica,pretendendo desenvolver com os alunos atitudes intelectuais de desmistificação das ideologias, possibilitando a análise das manipulações dos meios de comunicação de massas e da sociedade de consumo;
  22. 22. Estudos das ciências pedagógicas, da psicologia cognitiva e social propõe o construtivismo: (aluno participa da construção do conhecimento);Conteúdos para um público ligado a um presenteísmo intenso, voltado para idéias de mudanças constantes do novo cotidiano tecnológico;
  23. 23. Professores percebem ser impossíveltransmitir nas aulas todo o conhecimento sobre a história da humanidade; Surge a proposta de ensino por eixos temáticos;
  24. 24. A simplificação dos textos,conteúdos carregados de ideologias, testes ou exercícios sem exigênciade nenhum raciocínio são apontados como comprometedores;A História tem permanecido distante dos interesses dos alunos;
  25. 25. Importância da história:Contribuir na formação dos alunos como sujeitos conscientes, capazes de entender a história como conhecimento, como experiência e prática de cidadania.
  26. 26. Somos o resultado deste processo histórico.Ao tomar conhecimento da Históriadas Ciências Sociais no Brasilé possível compreender as dificuldades em trabalhar estecomponente curricular.

×