Gêneros Textuais
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Gêneros Textuais

on

  • 107,918 views

 

Statistics

Views

Total Views
107,918
Views on SlideShare
107,711
Embed Views
207

Actions

Likes
22
Downloads
1,513
Comments
3

4 Embeds 207

http://cemap-eja-itba.blogspot.com.br 156
http://cemap-eja-itba.blogspot.com 29
http://www.slideshare.net 20
https://www.facebook.com 2

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Gêneros Textuais Gêneros Textuais Presentation Transcript

  • Gêneros textuais: definição e funcionalidades L.A. Marcuschi
    • O estudo dos gêneros não é novo, mas está na moda.
    • Gênero gramatical
    • Gênero social
    • Gênero textual/ Gênero discursivo
    • Gênero textual refere-se aos textos materializados em situações comunicativas recorrentes.
    • Os gêneros textuais são os textos concretizados que encontramos em nossa vida diária e que apresentam padrões sócio-comunicativos característicos definidos por composições funcionais, objetivos enunciativos e estilos concretamente realizados na integração de forças históricas, sociais, institucionais e técnicas. Em contraposição aos tipos, os gêneros são entidades empíricas em situações comunicativas e se expressam em designações diversas constituindo em princípio listagens abertas.
    • Alguns exemplos de gêneros textuais seriam:
    • telefonema, sermão, carta comercial, carta pessoal, romance, bilhete, reportagem, aula expositiva, reunião de condomínio, notícia jornalística, horóscopo, receita culinária, bula de remédio, lista de compras, cardápio de restaurante, instruções de uso, inquérito policial, resenha, edital de concurso, piada, conversação espontânea, conferência, carta eletrônica, bate-papo por computador, aulas virtuais e assim por diante .
    • Como tal, os gêneros são formas textuais escritas ou orais bastante estáveis, histórica e socialmente situadas.
    • DEFINIÇÃO DE SUPORTE:
    • Entendemos aqui como suporte de um gênero um locus físico ou virtual com formato específico que serve de base ou ambiente de fixação do gênero materializado como texto.
    • Pode-se dizer que suporte de um gênero é uma superfície física em formato específico que suporta, fixa e mostra um texto.
    • Esta idéia comporta três aspectos:
    • suporte é um lugar físico ou virtual
    • suporte tem formato específico
    • suporte serve para fixar e mostrar o texto.
  •  
  •  
  • EXEMPLOS DE SUPORTES CONVENCIONAIS
    • (1) Livro
    • (2) Jornal (diário)
    • (3) Revista (semanal / mensal)
    • (4) Revista científica (boletins e anais)
    • (5) Rádio
    • (6) Televisão
    • (7) Telefone
    • (8) Quadro de avisos
    • (9) Outdoor
    EXEMPLOS DE SUPORTES ACIDENTAIS
    • Embalagem - rótulo , receita, breve bula de remédio
    • Pára-choques e pára-lamas de caminhão
    • Roupas
    • Corpo humano - tatuagens ou de slogans para protestos em situações especiais
    • Paredes - um quadro de avisos que é o suporte de gêneros
    • Muros
  • EXEMPLOS DE SERVIÇOS EM FUNÇÃO DA ATIVIDADE COMUNICATIVA
    • (1) Correios - O s correios são menos um suporte e mais um meio de transporte ou um serviço.
    • (2) { Programa de} E-mail - S e tomarmos o programa “ outlook”, por exemplo, teremos sem dúvida um suporte do “ correio eletrônico”, mas se tomarmos os e-mails enquanto correlatos das cartas pessoais, teremos um gênero. Neste caso, trato a palavra e-mail como se fosse uma homonímia, ou seja, um termo com duas acepções tanto de origem como de função. Contudo, o e-mail na função de correio eletrônico é nitidamente um serviço que transporta os mais variados gêneros, tais como propagandas, ofícios, bilhetes, e-mails, cartas comerciais, relatórios, artigos científicos e assim por diante.
    •   (3) Mala-direta se assemelha a um serviço e deveria ser tratada como tal. No geral, a mala-direta veicula gêneros diversos do domínio discursivo da publicidade até a comunicação entre empresas e remessa de documentos a clientes de empresas. Há malas diretas para pessoas (uma carta de aniversário que o gerente do banco manda no seu aniversário); há malas diretas para 10.000 pessoas (as cartas que recebemos de um candidato a deputado); há malas diretas com publicidades de empresas (as promoções de uma loja) e assim por diante. Mas há casos muito mais complexos do que estes sendo chamados de mala direta.
    • (4) Internet - alberga e conduz gêneros dos mais diversos formatos. A Internet contém todos os gêneros possíveis. 
    • Domínio discursivo constitui muito mais uma “esfera da atividade humana” no sentido bakhtiniano do termo do que um princípio de classificação de textos e indica instâncias discursivas (por exemplo: discurso jurídico, discurso jornalístico, discurso religioso etc.).
    • Não abrange um gênero em particular, mas dá origem a vários deles, já que os gêneros são institucionalmente marcados. Constituem práticas discursivas dentro das quais podemos identificar um conjunto de gêneros textuais que às vezes lhe são próprios ou específicos como práticas ou rotinas comunicativas institucionalizadas e instauradoras de relações de poder.
  • Hibridismo
  •  
  •  
    • Tipo textual designa uma espécie de seqüência retórica subjacente definida pela natureza lingüística de sua composição {aspectos lexicais, sintáticos, tempos verbais, relações lógicas, estilo}.
    • O tipo caracteriza-se muito mais como seqüências lingüísticas.
    • Em geral, os tipos textuais abrangem cerca de meia dúzia de categorias conhecidas como: narração, argumentação, exposição, descrição, injunção .
    • Resumidamente, poderia dizer que os gêneros são entidades:
        • dinâmicas
        • históricas
        • sociais
        • situadas
        • comunicativas
        • orientadas para fins específicos
        • ligadas a determinadas comunidades discursivas
        • ligadas a domínios discursivos
        • recorrentes
        • estabilizadas em formatos mais ou menos claros.
    • As distinções entre um gênero e outro são funcionais.
    • Já os critérios para distinguir os tipos textuais seriam lingüísticos e estruturais, de modo que os gêneros são designações de sócio-retóricas e os tipos são designações teóricas .
    • Temos muito mais designações para gêneros como manifestações empíricas do que para tipos.