Disciplina: Seminário-Sociedade e InformáticaMediador (a): Marilene da SilvaConteudista:Turma: GO01ISGrupo “A”: Ana Lucia ...
Assim o conhecimento não é construído de forma linear, o ser humano tem acapacidade de visualizá-lo, associá-lo e dar sent...
A proposta pedagógica apresentada deve ser coerente com a teoria de Morim,onde atividades indicadas ao aluno permitam a co...
Organização do currículo escolar. Entender que essa organização deve iralém de um instrumento que lista conteúdos, mas com...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Grupo a atividade_is

355 views
297 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
355
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
62
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Grupo a atividade_is

  1. 1. Disciplina: Seminário-Sociedade e InformáticaMediador (a): Marilene da SilvaConteudista:Turma: GO01ISGrupo “A”: Ana Lucia Pereira Mendonça Santos Aparecida de Fátima Liberal Eliane Maria Mendanha José Antonino de Lima Luciana Barbosa Nelly Guimaraes Documento-Proposta Ao analisar as reflexões dos autores e associá-las às políticas públicas jáexistentes, considera-se desnecessário implantar outras ações, então, precisa-se éimplementá-las, ou seja, colocá-las em prática. Este é um desafio dos docentes,utilizar métodos facilitadores que potencializa o desenvolvimento dos quatro pilaresaprender a aprender, aprender a fazer, aprender a ser e aprender a conviver . Partindo do princípio de Edgar Morim, suprimir as disciplinas será utopia, oideal é compreendê-las nas suas respectivas áreas do conhecimento e integrá-las pormeio de estratégias adequadas. A LDB é um exemplo claro dessa integração, quandodivide o currículo obrigatório em áreas. Além dessa integração proposta pela LDBeliminar à distância e a desigualdade entre o papel do professor e do aluno é outroaspecto fundamental na relação com o objeto de conhecimento, para Carl Rogers aaprendizagem transcorre quando ambos são colocados no mesmo nível, ou seja,assumem as mesmas responsabilidades no processo. Nessa perspectiva, uma das necessidades fundamental na docência é acompreensão da complexidade das práticas educativas pautadas na fundamentaçãoteórica associadas à reflexão e a pesquisa. Essa relação entre teoria e prática deveser estabelecida desde a formação dos professores. Nesse sentido o trabalho docentedeve possibilitar ao educando a contextualização por meio do desenvolvimento dacapacidade de aprender a fazer e juntar-se ao saber ser para contemplar asexigências de atividades complexas. Considerando a explicação de Morim no texto “Os setes saberes necessários àeducação do futuro” sobre a percepção visual de um objeto, entende-se que oconhecimento perpassa por uma filtragem até que seja processado mentalmente. [1]
  2. 2. Assim o conhecimento não é construído de forma linear, o ser humano tem acapacidade de visualizá-lo, associá-lo e dar sentido a ele. Para isso precisa repensar amaneira de ensinar, o que ensinar e com o que ensinar, pois no mundo em quevivemos o conhecimento fragmentado pode não ser suficiente para entendermos umnovo fenômeno. Nesse sentido o ensino deve dar significado às diversas dimensõesdo conhecimento. E essas dimensões podem estar além do conhecimentoconcentrado na visão profissional, ele deve ser pautado nas múltiplas dimensõessociais que engloba a vida humana. Isso significa que nem sempre o indivíduopercorrerá os caminhos como se fosse traçado em mapas, os obstáculos surgirão queàs vezes não tem fundamentos nas ciências. Para isso o indivíduo necessita dopreparo para superá-los. Outra proposta que favoreça ações estratégicas que fortaleçam o papel doprofessor neste mundo globalizado e complexo mediado pelas tecnologias, é aconstrução de uma nova prática pedagógica diretamente ligada a uma nova visão demundo, na conscientização e adaptação de novos movimentos sociais e culturais emque estamos inseridos sem esquecer-se das nossas raízes do conhecimento, pois sãoelas que sustentam e fundamentam as relações cotidianas. Para isso é necessário,portanto compreender a função social da educação para propiciar ao aluno acompreensão da realidade, como produto das relações sociais que o homem produziua partir de suas necessidades. Um dos aspectos importantes para essa reconstrução ésaber que o mundo está em constante mudança e a educação deve ser vista comoforma de aprendizagem constantemente e aperfeiçoando do conhecimento. Morin, expande a ideia sobre a capacidade do ser humano em adaptar-se avárias transformações, bem como a aquisição do conhecimento e fala também sobre aconvergência entre todas as ciências e a identidade humana. A transformação é oconjunto de ações pelas quais o indivíduo interage com a realidade, modificando-a, ese modificando na medida em que se adapta a ela. Ciência, ética, tecnologia,linguagem, cultura e emoções, são partes de uma realidade que transforma e étransformado continuamente, o que mantém estreita relação com o processo deaprendizagem e aquisição do conhecimento. Nessa vertente, é preciso reconhecerque a capacidade intelectual de aprendizagem não está distante da capacidadeemocional do ser humano. A evolução do conhecimento, individual ou da humanidadese dá progressiva e interativamente através do confronto com a realidade, e dasrelações humanas, identificando que o processo educacional não está circunscritounicamente à razão, mas, sobretudo a grande interferência de variáveis de ordememocional. [2]
  3. 3. A proposta pedagógica apresentada deve ser coerente com a teoria de Morim,onde atividades indicadas ao aluno permitam a construção permanente doconhecimento a partir de sua própria experiência no processo de interação com omeio. Tendo isso como base, devemos levar em conta alguns aspectos: A importância da ação do aluno. A aquisição de todo conhecimento parte daação. É nela que deverá estar baseado o ensino escolar. Ao invés de memorizar osconhecimentos expostos pelo professor, o aluno deverá aprender a sentir, perceber,compreender, conceituar, raciocinar, discutir e transformar. Cooperativismo. Assim como na vida prática, também é preciso sabertrabalhar em equipe. O processo de aprendizagem é socializador, e deve ser vistocomo fruto de um trabalho coletivo no qual o aluno irá interagir com o meio em quevive, o meio ambiente, as pessoas e suas ferramentas de trabalho. A partir disso,pesquisas, exposições, coletas, classificações e debates substituirão as aulasexpositivas. Um ensino voltado à produtividade. Como parte integrante de umasociedade a educação pode e deve ser produtiva, tornando-se útil à comunidade queintegra. A educação tem que ter o compromisso de formar cidadãos produtivos ámedida que atua como um laboratório de novas experiências e descobertas,fomentando no aluno à vontade e a capacidade de produzir e compartilhar suaprodução com os demais. A pedagogia inovadora. Na escola moderna, ensinar e aprender são funçõestanto do aluno quanto do educador. A partir desse princípio, quanto mais prazerosaforem à troca realizada entre os dois, mais rápido será o desenvolvimento do processocognitivo. Interação professor-aluno. O professor assume a postura de mediador,facilitando o processo de interação dos alunos com o meio social, com os objetos doconhecimento e entre si mesmo e ao mundo que o cerca. È através do professor que oaluno encontrará na escola as ferramentas para a sistematização do conhecimento. A incorporação tecnológica como principio educacional. Embora atecnologia seja um recurso, sua correta utilização pode transformar-se em um principiobásico pedagógico capaz de dinamizar a ação, a interatividade, a produtividade e oprazer do aluno frente ao processo inovador de aquisição do conhecimento. O uso datecnologia, assim com a garantia de acesso do aluno a esse instrumento, vem aoencontro da ideia de que escola eficiente deve estar socialmente contextualizada evinculada ao processo produtivo. [3]
  4. 4. Organização do currículo escolar. Entender que essa organização deve iralém de um instrumento que lista conteúdos, mas como norteador das intenções ehabilidades necessárias à participação do indivíduo na sociedade. Assim como formade identificar os conteúdos relevantes que permite reflexão sobre os constantesdesafios sociais. Enfim, transformar a sala de aula num espaço revolucionário, de pluralidade ede diálogo com o mundo e com os outros.Referências bibliográficashttp://pt.scribd.com/doc/3213897/Licenciatura-em-Biologia-Pesquisa-Pratica-e-Pedagogica-Biologia-IIMORIN Edgar. OS SETE SABERES NECESSÁRIOS À EDUCAÇÃO DO FUTURO.Publicado no Boletim da SEMTEC-MEC Informativo Eletrônico da Secretaria deEducação Média e Tecnológica – Ano 1 – Número 4 – junho/julho de 2000.http://www.conteudoescola.com.br/site/content/view/89/27/1/0/http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/ue000009.pdfhttp://4pilares.net/text-cont/delors-pilares.htm [4]

×