• Like
  • Save
Seminário  Michel Foucalt apresentacao
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Seminário Michel Foucalt apresentacao

on

  • 749 views

Seminário Michel Foucalt 2

Seminário Michel Foucalt 2

Statistics

Views

Total Views
749
Views on SlideShare
749
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
30
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Seminário  Michel Foucalt apresentacao Seminário Michel Foucalt apresentacao Presentation Transcript

    • Seminário Vigiar e Punir Sociologia da Educação I Prof.ª Paloma R . Oliveira
    • Alunas: Alzira Del Duca Daniele M. Silva Helena Martins Joelma C Calegario Lucia M.S.Fagundes Viviane de Souza Novembro 2011
    • Nascimento 15 de outubro de 1926 Morte 25 de junho de 1984(57 anos) Paris, França Foi um importante Filósofo e Professor
    • Bibliografia Obras de Foucault Escreveu mais de 30 livros
    • Michel Foucault Professor da cátedra de História dos Sistemas de Pensamento no Collège de France de 1970 a 1984. Todo o seu trabalho foi desenvolvido em uma arqueologia do saber filosófico, da experiência literária e da análise do discurso. Seu trabalho também se concentrou sobre a relação entre poder e governamentalidade, e das práticas de subjetivação.
    • Os Estados Unidos atraíram Foucault em função do apoio à liberdade intelectual e em função de São Francisco, cidade onde Foucault pode vivenciar algumas experiências marcantes em sua vida pessoal no que diz respeito à sua homossexualidade.
    • "Vigiar e Punir", é um amplo estudo sobre a disciplina na sociedade moderna, para ele, "uma técnica de produção de corpos dóceis". Foucault analisou os processos disciplinares empregados nas prisões, considerando-os exemplos da imposição, às pessoas, e padrões "normais" de conduta estabelecida pelas ciências sociais. A partir desse trabalho, explicitouse a noção de que as formas de pensamento são também relações de poder, que implicam a coerção e imposição.
    • Vigiar e punir (em francês: (Surveiller et Punir: Naissance de La prison) é um livro do filósofo francês Michel Foucault, publicado originalmente em 1975 e visto como uma obra que alterou o modo de pensar e fazer política social no mundo ocidental. É um exame dos mecanismos sociais e teóricos que motivaram as grandes mudanças que se produziram nos sistemas penais ocidentais durante a era moderna.
    • Focault propõe regras ou cautelas metodológicas Depois de comparar diferentes concepções, correntes de poder mostrando sua dependente na noção de um soberano ,define-se o poder em Foucault como uma relação simétrica que institui a autoridade a obediência ,e não como um objeto persistente em um soberano ,que o usa para dominar seus sutitos.
    • É dedicado à análise da vigilância e da punição que se encontram em várias entidades estatais (hospitais, prisões e escolas). Foca documentos históricos franceses, mas as questões sobre as quais se enfoca são relevantes para as sociedades contemporâneas. É uma obra seminal que teve grande influência: intelectuais, políticos, ativistas sociais e artistas.
    • Foucault muda a idéia habitualmente aceita de que a prisão é uma forma humanista de cumprir pena, assinalando seis princípios sobre os quais assenta o novo poder de castigar: 1.Regra da quantidade mínima 2.Regra da idealidade suficiente 3.Regra dos efeitos (co)laterais 4.Regra da certeza perfeita 5.Regra da verdade comum 6.Regra da especificação ideal
    • 1.Regra da quantidade mínima Um crime é cometido porque traz vantagens. É preciso admitir uma proximidade da pena e do crime.
    • 2.Regra da idealidade suficiente Se o motivo do crime é a vantagem que se representa com ele, a eficácia da pena está na desvantagem que se espera dela. A punição não precisa utilizar o corpo, mas a representação dele.
    • 3.Regra dos efeitos (co)laterais A pena é fisicamente mais cruel que a morte? Absolutamente, dizia ele: pois a dor da escravidão, para o condenado, está dividida em tantas parcelas, quantos instantes de vida lhe restam; pena indefinidamente divisível, pena eleática, muito menos severa que o castigo capital, que logo se equipara ao suplício.
    • 4.Regra da certeza perfeita É preciso que, à idéia de cada crime e das vantagens que se esperam dele, esteja associada a idéia de um determinado castigo, com as desvantagens precisas que dele resultam; é preciso que, de um a outro, o laço seja considerado necessário e nada possa rompê-lo. Esse elemento geral de certeza que deve dar eficácia ao sistema punitivo implica um certo número de medidas precisas.
    • 5.Regra da verdade comum O antigo sistema das provas legais, o uso da tortura, a extorsão da confissão, a utilização do suplício, do corpo e do espetáculo para a reprodução da verdade havia, durante muito tempo, isolado a prática penal das formas comuns da demonstração: as meias-provas faziam meias-verdades e meios-culpados, frases arrancadas pelo sofrimento tinham valor de autentificação, uma presunção acarretava um grau de pena.
    • 6.Regra da especificação ideal Para que a semiótica penal recubra bem todo o campo das ilegalidades que se quer reduzir, todas as infrações têm que ser qualificadas; têm que ser classificadas e reunidas em espécie que não deixem escapar nenhuma ilegalidade.
    • Foucault Foucault é amplamente conhecido pelas suas críticas às instituições sociais, especialmente à psiquiatria, à medicina e às prisões.
    • Michel Foucault: Doença Mental e Personalidade / Doença Mental e Psicologia A punição e a vigilância são poderes destinados a educar (adestrar) as pessoas para que essas cumpram normas, leis e exercícios de acordo com a vontade de quem detêm o poder.
    • Ele aplica na exclusão a técnica do quadriculamento disciplinar. O modelo da disciplina é um aperfeiçoamento do modelo de exclusão, sendo seu substituto. O principal objetivo desta “máquina” é fazer com que o detento tenha total consciência de que pode estar sendo vigiado a qualquer momento, pois desta forma ele não irá infringir nenhuma norma dentro da prisão que se encontra, pois sabe que tem alguém o vigiando e que será punido se faltar com a ordem.
    • Nesta nova sociedade, sociedade disciplinar, o Estado não tem mais o direito de morte, pelo contrário, ele deve proporcionar a vida para os seres humanos. Há o medo da punição, mas não da morte, o medo de ser castigado por quem o vigia. Neste modelo o poder se torna independente
    • EDUCAÇÃO E PARADIGMAS DE ÉPOCA Foucault discorre sobre disciplina e obediência, enfatizando diferentes tipos de organização para alcançar os melhores resultados. Ele compara, no tempo, as metodologias educativas prevalecentes nos séculos XVII e XVIII.Foucault examina quatro segmentos diferentes, que são estudados “nos mínimos detalhes”, como ele mesmo ressalta.
    • Estes segmentos são: Corporações militares Instituições escolares Fábricas E as ordens religiosas.
    • Ao começar pela formação dos soldados e dos exércitos, Foucault observa que a formação física do homem desempenha uma função muito importante. O soldado é selecionado e treinado para ter uma postura inflexível e atlética, ereta, cabeça erguida e peito saliente, de modo a infundir a idéia de um ser bem produzido, forte e capaz.
    • Este modelo de educação militar, arbitrária e autoritária e que prepara os homens para a "guerra", foi, portanto, copiado e transferido para diversas outras instituições sociais, tais como: a escola, a Igreja, a fábrica, a família, etc.
    • Foucault procura demonstrar imparcialidade em relação ao que descreve,seus textos podem ser analisados atualmente, como uma severa crítica à utilização indiscriminada da educação como mero instrumento de reprodução de condições sociais, políticas, econômicas, culturais e organizacionais, que visam à geração de um estado cego e total de controle entre os membros da mesma, objetivando, com isto, a sua sobrevivência e perpetuação, seja ela boa, justa, humana - ou não
    • “Os Corpos Dóceis”, significando o tipo de organização que, através de sua estrutura disciplinar, transforma - não só o indivíduo como a coletividade – em elementos que, forjados na rigidez disciplinar, tornam-se dóceis e prontamente obedientes ao comando, dentro de uma sociedade extremamente autoritária, controladora e claramente hierarquizada.
    • Quanto ao ato de educar, infinitas possibilidades teóricas e metodológicas que, com o acúmulo das experiências educativas, encontra-se, hoje, à disposição dos educadores – possibilidades estas que, por sua vez, são utilizadas de diferentes maneiras, caracterizando, assim, diferentes contextos de época e gerando, conseqüentemente, através do tempo, diferentes tipos de homem e sociedades, tudo está em permanente transformação, sendo impossível se mergulhar no mesmo rio duas vezes. Portanto, generalizando a teoria da plasticidade educativa, o que é bom para uma sociedade em determinado estágio de sua evolução, pode representar a sua ruína se aplicada em outros contextos de época.
    • Para sobreviver, precisava educar aquele tipo específico de homem. Por outro lado, esta mesma educação descrita por Foucault - mostrar-se inadequada para a época atual, e seria profundamente criticada por todos os educadores modernos, pois o material humano que precisamos gerar – a fim de manter as sociedades de hoje – apresenta, com certeza, características opostas em relação àquele capaz de manter as sociedades geridas pelas gerações passadas.
    • Meu objeto de estudo! Criminalidade e delinqüência em confronto com a repressão e a punição... Foucault desvenda a relação entre as práticas discursivas e os poderes que as permeiam. O anormal é um monstro cotidiano, um monstro banalizado.
    • “Todo sistema de educação é uma maneira política de manter ou de modificar a apropriação dos discursos, com os saberes e os poderes que eles trazem consigo”.
    • “Devemos não somente nos defender, mas também nos afirmar, e nos afirmar não somente enquanto identidades, mas enquanto força criativa”
    • O poder que se chama “disciplina” O poder em termos negativos: ELE Exclui Reprime Recalca Cesura Abstrai Mascara Esconde
    • Tudo Tudo esta em permanente transformação! O Tempo não para...
    • Obrigado pela Herança ..