Your SlideShare is downloading. ×
Michel Foucault
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Michel Foucault

1,181

Published on

Apresentação Filosofia

Apresentação Filosofia

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,181
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
66
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Pedagogia II Filosofia da Educação Prof: Tarcísio Jorge Santos Pinto Alunas: DANIELE MACEDO IARA DIAS LUCIA M.S. FAGUNDES VIVIANE R. DE SOUZA 2012
  • 2. Foi um importante filósofo pós moderno e professor Nasceu em Poltiers, na França. Nascimento: 15 de outubro de 1926 Morte: 25 de junho de 1984 (57 anos)
  • 3. Paul-Michel Foucault, descendente de uma família que tinha a medicina como tradição. Seu pai, Paul Foucault, era cirurgião e professor de anatomia na Escola de Medicina de Poitiers e diretor de uma clínica bem sucedida. “A vida é curta, a arte é longa, a oportunidade é fugaz, a experiência enganosa, o julgamento difícil” – Hipócrates (Pai da Medicina)
  • 4. Na escola, apresentava dificuldades no processo de aprendizagem. Foucault era uma criança frágil e míope, apelidado por seus colegas de Polchinelle, que em francês representa a figura corcunda do teatro, sofrendo preconceito por sua estrutura física. Aos 14 anos, presenciou o nazismo de perto, pois seu pai supervisionava unidades médicas que a todo instante recebia muitos feridos. Michel observava aqueles fatos e suas notas na escola despencavam mais ainda.
  • 5. Michel Foucault frustrou as expectativas de seu pai ao interessar-se por história e filosofia. Em 1940 ingressou no Colégio SaintStanislas para estudar Filosofia. Três anos mais tarde obteve o título de Bacharel. Em 1949 concluiu sua Licenciatura em Psicologia. No ano de 1952 cursou o Instituto de Psicologia e obteve diploma de Psicologia Patológica. No mesmo ano tornou-se assistente na Universidade de Lille.
  • 6. Foucault lecionou psicologia e filosofia em diversas universidades (Alemanha, Suécia, Tunísia, Estados Unidos e etc), escreveu para diversos jornais e trabalhou durante muito tempo como psicólogo em hospitais psiquiátricos e prisões. Autor de extensa obra sobre Medicina, História e Ciência Política, Foucault foi um crítico implacável da Pquisiatria e da Psicanálises tradicionais.
  • 7. Professor da cátedra de História dos Sistemas de Pensamento no Collège de France de 1970 a 1984. Todo o seu trabalho foi desenvolvido em uma arqueologia do saber filosófico, da experiência literária e da análise do discurso. Seu trabalho também se concentrou sobre a relação entre poder x governo, e das práticas de subjetivação.
  • 8. Bibliografia Escreveu mais de 30 livros
  • 9. O gênio Libertário Foi um dos primeiros pensadores a denunciar o caráter normativo e normalizador da escrita biográfica. A vida de qualquer indivíduo está sempre em excesso em relação às palavras que falam sobre ela. Aluno considerado brilhante, foi mais tarde aclamado como um grande professor.
  • 10. Em sua obra “Vigiar e Punir” o panoptismo, como ele analisa - o poder disciplinar de uma sociedade moderna - retrata a forma de um pensamento em relação ao poder que geram a imposição. Vigiar... Punir ... Controlar e Excluir
  • 11. Cada um em seu lugar, bem trancado e sendo observado por um vigia. Presídios, Hospitais e Escolas! O Panóptico é um intensificador da inexistência do ser. O eu sem mim!
  • 12. No Brasil, na cidade de Barbacena, Foucault constatou o hospital mais desumano que já havia visitado...
  • 13. Antes de Foucault, a teoria política concebia o poder como algo que uns tem e outros não, além de estar associado à figura da Igreja ou do Estado. Toda teoria política clássica de Maquiavel, contratualistas (Hobbes, Lock e Rousseau) à Marx, discutia como legitimar o poder de uns poucos sobre muitos e assim, manter a ordem social. Maquiavel Marx Lock Hobbes Rousseau
  • 14. Para Michel Foucault, o poder deveria ser, não como um objeto natural, mas como uma prática social expressada por um conjunto de relações. Deve-se pensar o poder não como uma "coisa" que uns tem e outros não, como, por exemplo, o pai e o filho, o rei e seus súditos, o presidente e seus governados, etc., mas como uma relação que se exerce, que opera entre os pares: o filho que negocia com o pai, os súditos que reivindicam ao rei, os governados que usam dispositivos legais para fiscalizar o presidente, etc...
  • 15. Deste modo o poder é uma espécie de rede formada por mecanismos e dispositivos que se estende por todo cotidiano - uma rede da qual ninguém pode escapar. Ele molda nossos comportamentos, atitudes e discursos. Foucault argumenta que nenhum poder que fosse somente repressor poderia se sustentar por muito tempo, porque, em determinado momento, as pessoas iriam se rebelar. Portanto, seu segredo é que, ao mesmo tempo em que reprime, gera conhecimento e corpos produtivos para o trabalho.
  • 16. Michel afirmava que não adianta investir contra o Estado achando que ele é a causa de todos os males. Ele é apenas uma das representações desse poder que se exerce em uma série de mecanismos que reproduzimos todos os dias sem ao menos nos darmos conta disso. Por exemplo, quando tratamos com autoritarismo nossos alunos, filhos, namoradas ou pais.
  • 17. E onde Foucault identifica estes focos de resistências locais aos poderes? Nos movimentos ativistas pelos direitos humanos, além de gays, negros, feministas, ecologistas e outras minorias que se organizaram como pólos de contrapoder, principalmente a partir da década de 1960, quando emerge o pós-modernismo. Foucault não acreditava que a dominação e o poder fossem originários de uma única fonte - como o Estado ou as classes dominantes -, mas que são exercidos em várias direções, cotidianamente, em escala múltipla (um de seus livros se intitula Microfísica do Poder).
  • 18. Esse exercício de poder não era necessariamente opressor, podendo estar a serviço, por exemplo, da criação. Foucault via na dinâmica entre diversas instituições e ideias, uma teia complexa, em que não se pode falar do conhecimento como causa ou efeito de outros fenômenos. Para dar conta dessa complexidade, o pensador criou o conceito de poder-conhecimento. Segundo ele, não há relação de poder que não seja acompanhada da criação de saber e vice-versa. "Com base nesse entendimento, podemos agir produtivamente contra aquilo que não queremos ser e ensaiar novas maneiras de organizar o mundo em que vivemos".
  • 19. “As luzes que descobriram as liberdades inventaram também as disciplinas”
  • 20. Qual foi a contribuição de MICHEL FOUCAULT para a Educação?
  • 21. A educação para Foucault A educação é como um meio para garantir ao homem sua felicidade e liberdade.E também, desenvolver algumas ideias de como Foucault percebia e analisava a formação dos sujeitos modernos, e desmistificava a expressão “o sujeito desde sempre aí” ao relacionar sujeito, verdade e poder não excluindo a racionalidade, mas questionando a ideia totalitária de razão. Dentro dessas considerações encontra-se também de modo resumido, de como Foucault percebe a escola na construção do sujeito moderno.
  • 22. O que Foucault define como Poder Disciplinar ?
  • 23. A disciplina aumentava a força em termos econômicos e diminui a resistência que o corpo. Dessa forma, que o corpo tem sido fonte de utilização econômica e só se torna útil se ao mesmo tempo, é produtivo e submisso.

×