Trauma raquimedular
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Trauma raquimedular

on

  • 29,374 views

TRAUMA RAQUIMEDULAR

TRAUMA RAQUIMEDULAR

Statistics

Views

Total Views
29,374
Views on SlideShare
29,374
Embed Views
0

Actions

Likes
5
Downloads
604
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Trauma raquimedular Trauma raquimedular Presentation Transcript

    •  
      •  Brasil > 6 a 8 mil casos/ano.
      •  Gastos de 300 milhões U$/ano.
      •  Adultos jovens ( 15 aos 40 anos )
      •  Sexo Masculino 4:1
      •  Localização Anatômica
      • . 70% Col. Cervical
      • . 10-15% Col. Torácica
      • . 5-10% Col. Lombar
      TRAUMA RAQUIMEDULAR
      • CAUSAS:
      • . Acidentes Automobilísticos 30%
      • . Quedas de Altura 21%
      • . Acidentes Esportivos 2%
      • . Ferimento por arma de fogo 12%
      • . Outros 5%
      • Fonte : Ministério da Saúde
      TRAUMA RAQUIMEDULAR
    • ANATOMIA
    • ANATOMIA
    •  
    •  
    •  
      • Mecanismos de Lesão:
      • Hiperflexão
      • Hiperextensão
      • Carga axial
      • Carga lateral
      • Ferimentos penetrantes
      TRAUMA RAQUIMEDULAR
    • TRAUMA RAQUIMEDULAR Hiperextensão Hiperflexão
    •  
    •  
    • COMPRESSÃO MEDULAR
    • TRAUMA RAQUIMEDULAR Carga axial
    •  
    • TRAUMA RAQUIMEDULAR Carga lateral
    •  
    • TRAUMA RAQUIMEDULAR FERIMENTO PENETRANTE
      • RELAÇÃO ANATOMIA E FISIOPATOLOGIA
      • . Déficits neurológicos secundários à lesão esquelética ao nível ou acima de T 10 relacionam-se com lesões medulares.
      • . Entre T10 e L1 , o déficit neurológico é causado por lesão na medula e nas raízes .
      • . A medula termina em L1 e abaixo deste nível o déficit neurológico relaciona-se unicamente com lesão das raízes.
      TRAUMA RAQUIMEDULAR
      • FISIOPATOLOGIA
      • . As lesões neurológicas que acompanham as fraturas podem ser :
      • . Primárias ocorrem no momento da lesão, por 4 mecanismos básicos: contusão, compressão, estiramento e laceração.
      • . Secundárias resultam de processos reacionais, e podem ser: pela isquemia, e /ou pelo edema.
      TRAUMA RAQUIMEDULAR
      • Tanto as lesões primárias quanto as secundárias podem ter fases agudas e crônicas. A lesão primária é ocasionada da transferência da energia cinética para a substancia da medula espinal.
      • Durante as 8 primeiras horas após o trauma ocorrem hemorragia e necrose na substancia central da medula (cinzenta). Após isto temos migração de células gliais e edema no local da lesão, com a cicatrização desta.
      TRAUMA RAQUIMEDULAR
      • A lesão secundária resulta da isquemia causada pela redução do fluxo sanguíneo para o segmento danificado. Esta redução pode ser causada por uma alteração do canal vertebral, hemorragia ou edema significantes.
      • A cicatriz formada no local da lesão pelas células gliais leva a uma lesão crônica, pois esta não só inibe o crescimento axonal fisicamente como libera substancias que inibem o seu crescimento.
      TRAUMA RAQUIMEDULAR
      • FISIOPATOLOGIA
      • . As lesões espinhais podem ainda ser :
      • Completas – manifestação com perda sensitiva e motora completa abaixo do nível da lesão.
      • Incompletas – existe alguma função sensitiva ou motora preservada distalmente à lesão (bom prognóstico)
      TRAUMA RAQUIMEDULAR
      • . Choque Espinhal – disfunção do tecido nervoso da medula espinhal, baseado em uma interrupção fisiológica ao invés de estrutural, recupera-se em horas ou dias, caracteriza-se por perda dos reflexos e flacidez.
      • . Choque Neurogênico – definido por hipotensão com bradicardia, por interrupção traumática da eferência simpática T1-L2, e ao tônus vagal sem oposição.
      TRAUMA RAQUIMEDULAR
    • AVALIAÇÃO INICIAL
      • A - airways
      • B - breathing
      • C - circulation
      • D – deficit neurologic
      • E – exposure
      TRAUMA RAQUIMEDULAR
      • AVALIAÇÃO CLÍNICA
      • Todo paciente inconsciente ou alcoolizado deve ser considerado como um lesado medular.
      • Pacientes conscientes com fraqueza, sinais de entorpecimento, paralisia dos braços, mãos ou pés, justificam um diagnóstico de lesão medular.
      • Exame neurológico criterioso sempre deve ser realizado após a fase de ressuscitação.
      • Reflexos a serem testados: bulbocavernoso, superficial anal, cremastérico, e Babinski.
      • Choque Medular e Choque Neurogênico ( hipotensão + bradicardia )
      TRAUMA RAQUIMEDULAR
    • TRAUMA RAQUIMEDULAR REFLEXO BULBOCAVERNOSO
      • REFLEXO SUPERFICIAL ANAL
      TRAUMA RAQUIMEDULAR
      • Sinal de mau prognóstico DE MAU PROGNÓSTICO
      • Priapismo
      • Presença do Sinal de Babinski
      TRAUMA RAQUIMEDULAR
      • O QUE DEVE SER PESQUISADO
      • Deformidades anátomo-funcionais
      • Alterações sensitivas
      • Alterações motoras
      • Respiração diafragmática
      • Hipotensão e bradicardia
      • Ausência ou diminuição da sensibilidade em MMII
      • priapismo
      TRAUMA RAQUIMEDULAR
      • “ Desde que a coluna do doente esteja devidamente protegida, o exame vertebral e a exclusão de traumas à coluna podem ser postergados sem riscos, especialmente na presença de alguma instabilidade sistêmica”
      • ATLS
      TRAUMA RAQUIMEDULAR
      • O tratamento dos TRM deve ter início durante o resgate, com o objetivo de evitar lesões adicionais ou ampliação das já existentes.
      • A imobilização da coluna deve ser realizada em todos os pacientes politraumatizados e retirada após a confirmação da ausência de lesão.
      • Cuidados especiais devem ser tomados durante o transporte dos pacientes e durante a retirada de capacetes de ciclistas ou motociclistas.
      TRAUMA RAQUIMEDULAR
    • TRAUMA RAQUIMEDULAR ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR
      • O colar cervical deve ser colocado mesmo que o paciente não tenha sido admitido com ele.
      TRAUMA RAQUIMEDULAR
    • TRAUMA RAQUIMEDULAR
    •  
    • TRAUMA RAQUIMEDULAR CORTICOTERAPIA Uma vez identificada a lesão medular deverá ser iniciada, até no máximo 8 horas após o trauma. Se iniciado em até 3 horas do trauma, manter por 24 horas, se além disto, manter por 48 horas. METILPREDNISOLONA : 30 mg/Kg na 1ª hora no SG 5%, e manter 5,4 mg/Kg/hora nas próximas 23 a 48 horas.
    • TRAUMA RAQUIMEDULAR TRATAMENTO CIRÚRGICO . Redução de fraturas-luxações . Descompressão Medular . Fixação com material de síntese :  Mobilização precoce  Cuidados de enfermagem  Evita complicações respiratórias  Reabilitação
    • Muito Obrigado !