Your SlideShare is downloading. ×
FORMAÇÃO CONTINUADA
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

FORMAÇÃO CONTINUADA

5,129
views

Published on

A formação contínua é a possibilidade para a Nova Escola que precisamos.

A formação contínua é a possibilidade para a Nova Escola que precisamos.

Published in: Education, Business

2 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • este slide foi de grande importancia para uma apresentação de seminario em sala de aula... ele me deu um suporte de muito valor.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Video Maravilhoso!
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total Views
5,129
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
111
Comments
2
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. PROFº LUIZ CARLOS CEFAPRO – RONDONÓPOLIS JANEIRO/2011 FORMAÇÃO CONTINUADA
  • 2. BREVE HISTÓRICO.
    • Na Antiguidade:
    • Presente nos estudos filosóficos dos gregos. Não com a denominação conforme a conhecemos atualmente, mas, por intermédio da promoção de banquetes.
  • 3.
    • No Brasil:
    • logo após a Proclamação da República. O cidadão brasileiro necessitava com urgência de uma identidade cultural que significasse a unidade nacional.
  • 4.
    • Em Mato Grosso:
    • teve seu início no ano de 1997, através do Decreto nº 2.007/1997, com os Atos de criação dos Cefapros unidades de Cuiabá, Diamantino e Rondonópolis. Centro de Formação e Atualização dos Profissionais da Educação Básica.
  • 5. EMBASAMENTOS DE FORMAÇÃO
    • LDB 9394 de 20 de dezembro de 1996.
    • Art 61.
    • Art. 62
    • Art. 63
    • Localizar na Lei.
  • 6. O QUE É ?
    • Continuidade de estudos após uma titulação.
    • A modernidade exige mudanças, adaptações, atualização e aperfeiçoamento.
    • Quem não se atualiza fica para trás.
    • A parceria, a globalização, a informática, toda a tecnologia moderna é um desafio a quem se formou há vinte ou trinta anos.
  • 7. SITUAÇÃO REAL.
    • A concepção moderna de educador exige "uma sólida formação científica, técnica e política, viabilizadora de uma prática pedagógica crítica e consciente da necessidade de mudanças na sociedade brasileira" (Brzezinski, 1992:83).
  • 8. PROFISSIONALIDADE.
    • O profissional consciente sabe que sua formação não termina na Universidade. Esta lhe aponta caminhos, fornece conceitos e idéias, a matéria-prima de sua especialidade. O resto é por sua conta. Muitos professores, mesmo tendo sido assíduos, estudiosos e brilhantes, tiveram de aprender na prática, estudando, pesquisando, observando, errando muitas vezes, até chegarem ao profissional competente que hoje são.
  • 9. O ESTUDO NÃO PODE PARAR
    • Esse profissional terá que ser visto como alguém que não está pronto, acabado, mas em constante formação;
    • Um profissional independente com autonomia para decidir sobre o seu trabalho e suas necessidades;
    • Alguém que está sempre em busca de novas respostas, novos encaminhamentos para seu trabalho e não simplesmente um cumpridor de tarefas e executor mecânico de ordens superiores e, finalmente, alguém que tem seus olhos para o futuro e não para o passado.
  • 10. OBJETIVOS
    • Oferecer subsídios teórico-metodológicos para o professor;
    • Propiciar o uso e a familiarização com as tecnologias educacionais;
    • Construir propostas de ação interdisciplinares;
  • 11. SUA IMPORTÂNCIA.
    • Importante para que o professor se atualize constantemente e desenvolva as competências necessárias para atualização da profissão. (Daí os encontros semanais. 40 + 40).
    • A idéia de competência parece, então, transbordar os limites das saberes, ou seja, o professor deve possuir tantos conhecimentos quanto competências profissionais que não se reduzem somente ao domínio dos conteúdos ensinados. (Aplicação de instrumentos para efetuar diagnóstico...).
  • 12. ALGUMAS DIFICULDDES
    • Os fatores que mais dificultam a busca de informação em relação ao contexto pessoal, profissional são dificuldades dos professores em
    • Gerenciar o tempo,
    • Verificar a credibilidade das fontes de informação,
    • Falta de conhecimentos técnicos,
    • Falta de clareza quanto ao que é necessário buscar para a formação continuada,
  • 13. SOBRE O PROFESSOR
    • Os conhecimentos que permite que o professor estude, reflita, discuta e faça experiências a partir da prática vislumbra uma maior profissionalização.
    • Possibilita que o docente analise as estratégias educativas, dentro da realidade escolar em diferentes fases, adquira maior experiência didática, possa se colocar criticamente perante as atividades que realiza e valide os objetivos, conteúdos, métodos e proposta curriculares utilizados em sala de aula.
  • 14. A REFLEXÃO.
    • É fundamental que o professor possa refletir sobre essa nova realidade, em repensar sua prática e construir formas de ação que permita não só lidar, com essa nova realidade, como também construí-la.
  • 15. DIVULGAÇÃO.
    • O professor deve sempre participar de cursos, palestrar , seminários para renovar-se cabe ao professor estar sempre em busca do conhecimento.
    • Educadores precisam engajar-se social e politicamente, percebendo as possibilidades de ação social e cultural na luta pela transformação da sociedade.
    • Para isso necessitam conhecer a sociedade em que atuam, precisam entender também que analisando dialeticamente, não há conhecimento absoluto, pois tudo está em constante transformação.
  • 16. UM DESAFIO
    • Devemos compreender a formação continuada, assim como o próprio processo educativo, como um processo multidimensional, onde “cada uma das dimensões tem a ver com todas as outras e só adquire sentindo pleno no todo que as integra” (Alarção, 1991, p. 69).
  • 17. VANGUARDA DA EDUCAÇÃO...
    • Para que a educação consiga atingir seus objetivos, é necessário dar ênfase ao papel dos professores como agente de mudança, e os mesmos tenham consciência de seu papel do saber que é a figura fundamental para o desenvolvimento do aluno.
  • 18. BIBLIOGRAFIA CONSULTADA
    •   ALARCÃO, Isabel. Dimensões da formação, in Formação do domínio de Professores: realidades e perspectivas. Portugal: Universidade de Aveiro, 1991.
    • ALONSO, Myrtes. Uma tentativa de redefinição do trabalho docente. São Paulo: 1994 (mimeo).
    • ARROYO, Miguel G. Ciclos de desenvolvimento humano e formação de educadores. In: Revista Educação e Sociedade. Número 68 Especial, ano XX. Campinas: CEDES, 1999.
    • BEHRENS, M. A Formação continuada dos professores e a prática pedagógica. Curitiba: Champagnat,:1996.
    • BRZEZINSKI, Ria. Notas sobre o currículo na formação de professores: teoria e prática. UNB, 1994.
    • CARDOSO, Augusto M. T. e outros. Dimensões M.T. e outros. Dimensão de formação do domínio da especialidade, in Formação Contínua de Professores: realidade e perspectivas. Portugal: Universidade de Aveiro, 1991.
    • CRUZ, Dores E.L. Vantagens e limites dos modelos institucionais de formação contínua, in Formação Contínua de Professores: realidades e perspectivas. Portugal: Universidade de Aveiro, 1991.
    • DEMAILLY, Lise C. Modelos de formação contínua e estratégias de mudança, in NÓVOA, António (org), Professores e sua formação, Lisboa: Dom Quixote, 1992.
    • DEMO, Educação e Qualidade. Campinas, SP: Papirus, 1994.
    • DEMO, Pedro. Ironias da Educação – mudança e contos sobre mudança. Rio de Janeiro, Ed. DP&A, 2000.
    • FREIRE, Madalena. A Formação Permanente. In: Freire, Paulo: Trabalho, Comentário, Reflexão. Petrópolis, RJ: Vozes, 1991.
    • MASETTO, Marcos Tarciso. Pós-Graduação e formação de Professores para o 3° Grau. São Paulo: 1994 (mimeo).
    • MELLO, Guiomar Namo de. Cidadania e competividade – desafios educacionais do terceiro milênio. São Paulo: Cortez, 1994.
    • MENDONÇA, Ana Waleska P.C. A escola como espaço de formação continuada do professor, Revista de Educação AEC, nº 79, Brasília, 1991.
    • NÓVOA, António. (org.). Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.
    • OLIVEIRA, Rosa M. Falando de Criatividade, in Formação Contínua de Professores: realidade e perspectivas. Portugal: Universidade de Aveiro, 1991.
    • Política de Formação Continuada da Educação Básica de Mato Grosso, 2010.
    • RODRIGUES, Angela & ESTEVES, Manuela. A análise das necessidades na formação de professores. Porto Editora, 1993.
    • SEABRA, Carlos. Uma Educação para uma nova era. In: Tecnologia e Sociedade. A revolução tecnológica e os novos paradigmas da Sociedade. Belo Horizonte: Oficina de Livros, 1994.
    • TAVARES, José e outros. Dimensão do desenvolvimento pessoal e social na formação contínua de professores, in Formação Contínua de Professores: realidade e perspectivas. Portugal: Universidade de Aveiro, 1991.
    • TRAVASSOS, José. Dimensão pedagógicas e didática e didática na formação contínua do professor: in Formação Contínua de Professores: realidade e perspectivas. Portugal: Universidade de Aveiro, 1991.
    • VASCONCELLOS, Celso dos Santos. Para onde vai o Professor? Resgate do Professor como Sujeito de Transformação. São Paulo: Libertad, 1995. (Coleção Subsídios Pedagógicos do Libertad; v. l).
    •