Your SlideShare is downloading. ×
Programa ebb13
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Programa ebb13

367
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
367
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. 1
  • 2. «Minha pátria é a língua portuguesa» disse Pessoa por via do seu semi-heterónimo BernardoSoares, afirmação tornada máxima na dimensão simbólica que, para além do seu sentido em contexto,foi ganhando enquanto definição da língua portuguesa como universo identitário onde nos revemosindividual (“Minha”) e coletivamente (“pátria”). Esta noção, articulável com o pressuposto de que oslimites do nosso mundo coincidem com os limites da nossa linguagem (Wittgeistein), assume a matérialinguística não só enquanto dispositivo cognitivo gerador da perceção como também enquantosedimentação de um património histórico-cultural que conforma a maneira como vemos a realidade, doque somos (mundo-civilização) e onde somos (mundo-mundo). E, nesse sentido, temos, todos os que habitamos o espaço geo-histórico-cultural da lusofonia,uma pátria comum, na forma de uma moldura percetiva desse(s) mundo(s), que coincide, fora asespecificidades de cada matiz linguística (portuguesa, brasileira, angolana, moçambicana, cabo-verdiana, guineense, timorense), numa língua que partilhamos: a língua portuguesa. E essaumbilicalidade constitui uma idiossincrasia definidora de um ethos e de uma mundivisão que nosconfere um lugar no mundo absolutamente único – porque deriva da nossa inescapável condiçãoparticular na tapeçaria civilizacional – moldado pelo Tempo e pela História, numa narrativa de encontros(tão visível na miscigenação de povos e culturas) que protagonizámos e que se impõe como devircoabitado, muito embora todos os desencontros fraturantes que a memória coletiva não pode nemdeve esquecer. Mas, exatamente porque esse lugar partilhado se projeta como devir, a lusofonia é e serásubstância multiforme e mutante, articulando dialeticamente o “eu” e o “outro” das variaçõeslinguísticas, das tradições culturais, dos percursos históricos. Do antes ao agora, entre a unidade e adiversidade, assumindo que a primeira, na forma de uma identidade partilhada, se faz sobretudo doreconhecimento da diferença e da pluralidade supostas na segunda. Assim, o pronome possessivo sedesloca do singular “minha” para o plural “nossa”, mantendo a legitimidade de um sentido de posse, aomesmo tempo que a noção de “pátria” se mobiliza em diferentes feições e em constante redefinição. Conscientes de que fazemos parte dessa realidade dinâmica chamada lusofonia – umriquíssimo capital coletivo que cruza memória do passado e oportunidade de futuro –, que à escolacompete também assegurar a transmissão dessa herança, potenciar a germinação de novos horizontesque nos desafiem enquanto comunidade alargada e participar na construção de um espírito deconfraternidade que garanta um diálogo profícuo, o Centro de Formação de Basto propõe-se,organizando um seminário com esta temática, instituir um fórum que, mais do firmar conclusões, seabra em frentes reflexivas produtivas porquanto atuantes. Em consonância com o caráter poliédrico da lusofonia – compósito de História, Geografia (nasua dimensão física e social), Política, Língua e Cultura –, contaremos com o contributo de diferentesperspetivas teóricas e olhares analíticos, fomentando uma leitura rica de implicações em termos damatéria pensada, assegurada pela multidisciplinariedade dos diferentes atores educativos e socais queintervirão como agentes pensantes do mundo lusófono e catalisadores de uma reflexão participada portodos. Em abertura para o depois que se deseja de consciência mais ativa do que somos enquantocomunidade substantivamente plural, perceção essencial para vencer alheamentos, constrangimentos eresistências que minam as muitas possibilidades de construirmos um futuro ancorados nessa identidadeimaterial que nos especifica indelevelmente num contexto civilizacional de massificação eindiferenciação da globalização e que poderá alavancar-nos de uma crise ameaçadora, na dimensãoeconómica mas também de valores, se soubermos capitalizar esse património comum da lusofonia. Seminário Lusófono O PROGRAMA 23 e 24 abril 2013 Mondim de Basto LÍNGUA PORTUGUESA E LUSOFONIA: tradição, educação e integração no século XXI23 abril2
  • 3. 14h00m Receção aos participantes14h30m Sessão Solene de Abertura Momento musical João Grancho Secretária de Estado do Ensino Básico e Secundário* João Formosinho Presidente do Conselho Científico da Formação Contínua Humberto Cerqueira Presidente da Câmara de Mondim de Basto Joaquim Barreto Presidente da Câmara de Cabeceiras de Basto Carlos Peixoto Vereador da Câmara de Celorico de Basto Fátima Fernandes Vereadora da Câmara de Montalegre Agostinho Pinto Presidente da Câmara de Ribeira de Pena Laura Ínsua Comissão Pedagógica do Centro de Formação de e Basto15h00m Conferência de abertura Rui Castro |Vice Reitor da Universidade Minho Ensinar Português: a experiência humana da língua Moderador: Valentim Macedo| Agrupamento Mondim de Basto Comentador: Joaquim Machado| Universidade Católica16h00m Intervalo para café16h15m Painel 1: O Acordo Ortográfico e suas implicações Rui Estrada | Universidade Fernando Pessoa Aplicando o Acordo Ortográfico: prós e contras Ana Salgado | Lexicógrafa, Departamento de Dicionários, Porto Editora As Consoantes Mudas: um aspeto problemático da nova ortografia Rosa Maria Amaral |EB de Custóias As Metas Curriculares de Português – Ensino Básico17h15m Debate Moderador: Joaquim Jorge Carvalho |Agrupamento Cabeceiras de Basto17h 45m Encerramento24 abril09h 30m Painel 2: Raízes e Horizontes da Diáspora Portuguesa no espaço lusófono: Aida Araújo| ES António Nobre, Porto Que se não calem as marcas do modo de falar das Gentes de Basto dispersas pelos países de acolhimento. Marta Lobo| Universidade do Minho Momentos marcantes da História da Diáspora Portuguesa no Mundo Isabel Galhano | Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto Pátrias, línguas e culturas. Manuela Bairos| Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas A diáspora e a promoção da língua portuguesa no mundo10h45m Debate Moderador: José Carlos Meneses | IESFAFE11h00m Intervalo para café11h 15m Conferência Sousa e Castro| Capitão de Abril A guerra colonial, o 25 de abril e a lusofonia12h15m Debate Moderador: José Carlos Lopes| Escola Profissional de Fermil13h00m Almoço3
  • 4. 14h30m Painel 4: Educação/Formação no espaço Lusófono Ana Soares| Camões- Instituto de Línguas e Cooperação A Importância da Formação de Profissionais no âmbito da Língua Portuguesa Fernando Colmenero Ferreira| Universidade da Madeira Uma estratégia para o desenvolvimento das escolas portuguesas no espaço lusófono Isabel Barca | Universidade do Minho Investigação sobre ensino e experiências de formação (inicial e contínua) de professores Alexandre Parafita - Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Património Imaterial: onde mora a alma e a cultura de um povo16h00m Debate Moderador: Eusébio Machado |Universidade Portucalense16h45m Intervalo para café17h15m Momento de poesia Conferência de encerramento A importância da Língua Portuguesa na afirmação da lusofonia. Carvalho Guerra |Fundação Portugal África Moderador: Rosa Teixeira da Silva |Jornal de Noticias Comentador: Isabel Freitas |Universidade Portucalense18h30m Conclusões19h0m Sessão Solene de Encerramento José Cesário Secretário de Estado das Comunidades* Mário Agostinho Alves Pereira Diretor-Geral da Administração Escolar* Humberto Cerqueira Presidente da Câmara de Mondim de Basto Joaquim Barreto Presidente da Câmara de Cabeceiras de Basto Joaquim Mota e Silva Presidente da Câmara de Celorico de Basto Fernando Rodrigues Presidente da Câmara de Montalegre Agostinho Pinto Presidente da Câmara de Ribeira de Pena João Sousa Comissão Pedagógica do C. F. de BastoLocal: Auditório Municipal de Mondim de BastoJantar/ arraial – Vitela deitada. Gastronomia Lusófona.Pela noite dentro – Nos bares de Mondim recomendados pela organização.Local Escola BS de Mondim de Basto * a confirmar22 a 24 abril FEIRA DO LIVRO E DAS PROFISSÕES, Organização: Câmara Municipal de Mondim de Basto Agrupamentos/Escolas da área geográfica do Centro de Formação de Basto Centro de Formação de BastoLocal: Pavilhão dos Bombeiros Voluntários de Mondim de Basto4
  • 5. 22 abril21h30 m A Guerra Colonial: Luís Jales de Oliveiral Á Conversa com soldados23 abril Dia Mundial do Livro21h30m Literatura lusófona: Rui Sá | RTP e Andreia Abreu |Porto Canal À conversa com os escritores  Aida Araújo  Luís Jales de Oliveira  José Teixeira da Silva  Eduardo Teixeira Lopes  Fátima Marinho  Fernanda Carneiro  Bento da Cruz  Pompeu Martins  Bruno Pereira  Armando Borges24 abril21h30 m Cantigas de Abril: Escola Municipal de Música de Mondim de BastoLocal: Pavilhão dos Bombeiros Voluntários de Mondim de Basto15 de Maio ENCONTROS DESPORTIVOS - 2º,3º CICLOS E SECUNDÁRIO Organização: ADEBASTOeBARROSO Com a presença de Jogadores de Clubes da 1ª Liga e do Coordenador da Região Norte do Desporto EscolarLocal: Pavilhão Municipal Mondim de Basto 22 de Maio ENCONTROS DESPORTIVOS - 1º CICLO Organização: ADEBASTOeBARROSOLocal: Pavilhão Municipal Mondim de BastoComissão de HonraPresidente da República PortuguesaPrimeiro-MinistroArcebispo Primaz de BragaBispo de Vila Real5
  • 6. Ministro dos Negócios EstrangeirosMinistro-adjunto e dos Assuntos ParlamentaresMinistra da Agricultura, do Mar, do Ambiente, e do Ordenamento do TerritórioMinistro da Solidariedade e Segurança SocialMinistro da Economia e do EmpregoMinistro da Educação e CiênciaSecretário de Estado do Ensino e Administração EscolarSecretário de Estado do Ensino Básico e SecundárioSecretário de Estado das Comunidades PortuguesasSecretário de Estado do Desporto e JuventudeSecretário de Estado do Emprego e da Formação ProfissionalSecretário de Estado da Solidariedade e da Segurança SocialReitor da Universidade do MinhoReitor da Universidade de Trás-os-Montes e Alto DouroPresidente do Conselho Nacional de EducaçãoPresidente da Câmara de MontalegrePresidente da Câmara de Cabeceiras de BastoPresidente da Câmara de Celorico de BastoPresidente da Câmara de Mondim de BastoPresidente da Câmara de Ribeira de PenaPresidente da Câmara de ParedesPresidente do Conselho Nacional de EducaçãoComissão CientíficaProf. Doutor Marcelo Rebelo de Sousa – Universidade de. LisboaProf. Doutor Eusébio Machado – Universidade PortucalenseProfª. Doutora Palmira Alves – Universidade do MinhoProfª. Doutora Carlinda Leite – Universidade do PortoProf. Doutor José Augusto Brito Pacheco Universidade do MinhoProf. Doutor Américo Peres – Universidade de Trás-os-Montes e A. DouroProf. Doutora Manuela Esteves – Universidade. de LisboaProf. Doutor João Formosinho – Universidade do MinhoProf. Doutor Fernando Ribeiro Gonçalves – Universidade do AlgarveOrganizaçãoCentro de Formação de BastoEscolas/Agrupamentos da Região de Basto e BarrosoCâmara Municipal de Mondim de BastoCâmara Municipal de Cabeceiras de BastoCâmara Municipal de Celorico de BastoCâmara Municipal de MontalegreCâmara Municipal de Ribeira de PenaApoiosFundação Portugal ÁfricaUniversidade CatólicaInstituto Português do Desporto e da JuventudeFederação Portuguesa de AndebolCâmaras Municipais de Basto e BarrosoACÇÃOEncontros de Basto e BarrosoLíngua Portuguesa e Lusofonia: tradição, educação e integração no século XXI6
  • 7. DestinatáriosEducadores e Infância e Professores dos Ensinos Básico e SecundárioObjetivos a atingirOs objetivos que orientam os Encontros de Basto e Barroso são, essencialmente, os seguintes: Discutir as conceções que hoje orientam as políticas de internacionalização da línguaportuguesa, bem como as ações concretas em andamento para o avanço do português nocenário internacional das línguas; Construir laços fortes e duráveis de cooperação técnica e económica no espaço lusófono. Promover a reflexão sobre boas práticas, numa procura de comunicação com a diferença. Partilha de práticas de ensino e experiências de formação (inicial e contínua) de professores Promover o intercâmbio entre várias escolas/Agrupamentos da região e do país; Potenciar a qualidade do Ensino e da aprendizagem através da (in)formação e valorizaçãoprofissional dos docentes e outros agentes educativos; Promover o sucesso educativo dos alunos das comunidades educativas envolvidas;Metodologias de realização: conferências plenárias e painéis Os oradores participantes abordam o tema para o qual foram convidados. No fim daconferência e/ou painéis os participantes poderão colocar questões durante cerca de 10 a 15minutos. Os dinamizadores do painel partilham ideias com os participantes relativamente a um temaque, de início, será apresentado, questionado, enfim, lançado para debate por ser um tema dointeresse específico dos professores. No final serão apresentadas as conclusões dos trabalhos.Condições de frequênciaComo estão programadas 15 horas, exige-se a presença dos formandos em de dois terços talcomo vem mencionado no Regime Jurídico da Formação Contínua, parágrafo 1.2.5.g(Acreditação).Regime de avaliação dos formandosAtendendo aos objetivos a atingir, os formandos serão avaliados através do seu relatório finalindividual, enviado ao Centro de Formação de Basto, por escrito, até ao dia 07 de junho de2013. Os formandos serão avaliados quantitativamente, numa escala de 1 a 10. Aavaliação/classificação de cada formando obedece aos seguintes critérios: - Assiduidade, participação e realização das tarefas nas sessões – 40% - Reflexão crítica/Portefólio – 60%.Assim sendo, “ (...) constitui-se um modelo de regulação que é, em si próprio, um processo deformação de e para a ‘prática reflexiva’.” (in) Regime Jurídico da Formação Contínua,parágrafo 1.2.3. Modo de realização).Responsáveis pela avaliação de cada formandoJoão Carlos Machado de Sousa; Inês Maria C. Domingues da Silva e António Carlos Q. BarrosoCarvalho Ficha de Inscrição7
  • 8. Nome: ______________________________________________________________________Endereço: ___________________________________________________________________Código Postal: _______ ________ E-mail: ________________________________________Escola/Agrupamento de escolas onde exerce: 23 e 24 abril – Seminário Lusófono A Língua Portuguesa e Lusofonia: tradição, educação e integração no século XXI - 15€ 24 de abril – Jantar 10€A devolver ao Centro de Formação de Basto, Lugar do Souto Grande – Molares, 4890 – 09 de Julho – A Avaliação do Desempenho dos Docentes414 Fermil de Basto, até ao dia 19 de abril (sexta- feira).A ficha pode ser fotocopiada.A inscrição pode ser efetuada no site do CFBasto, em http://web.cfbasto.net - Jantar dia 09 de Julho 10 €A inscrição, após confirmação por parte do SECRETARIADO do CFBasto, só seráconvertida em definitiva após pagamento com cheque ou transferência bancária parao seguinte NIB: 0045 1061 4016 0995 166 30 /cheque nº _________________, novalor de________ sobre o banco _______________________.Os recibos podem ser levantados nos dias das Jornadas. A aceitação das inscriçõesprocessa-se, por data de chegada, até ao total do número de lugares do auditório.Data / / 2013Assinatura_____________________________________________________________________8

×