Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais

2,136 views
2,000 views

Published on

"[...] sem uma real biblioteca, a digital não será mais do que um punhado de bits. (...) Aqueles que acreditam que uma pilha de bits é suficiente para uma biblioteca robusta nunca foram servidos por um bibliotecário - tanto física como virtualmente. (...) As bibliotecas digitais oferecem muitas coisas, mas sem os serviços providos por uma biblioteca de tijolo e cimento e os bibliotecários que fazem com que elas fiquem abertas, elas não serão mais do que um punhado de bits." (TENNANT, 2007, p. 29).

TENNANT, Roy. Of real and digital libraries. Library Journal, v. 132, n. 9, p. 29, May 15, 2007.

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,136
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
63
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais

  1. 1. Bibliotecas Digitais Willian Andrade – RA 486566 Paulo George – RA 486426 Lucas Santos – RA 486620 Alessandra Milaré – RA 486400 Tainara Toriká – RA 537470 Felipe Alfano – RA 486507Graduandos em Biblioteconomia e Ciência da Informação pela Universidade Federal de São Carlos
  2. 2. • A reflexão sobre Bibliotecas Digitais remete a Vannevar Bush (1945), considerado o precursor dessa inovação.• Preocupado com o crescimento da produção e registro da informação, sua consulta e seleção, previu o futuro dos repositórios de informação e apresenta o MEMEX, um “dispositivo em que o indivíduo armazenará seus livros, seus registros, suas anotações, suas comunicações. O dispositivo será mecanizado de modo a poder ser consultado com extrema velocidade e flexibilidade” (BUSH, 1945).
  3. 3. • Vannevar buscou entender a mente humana e chegou a conclusão de que ela opera por meio de associações.• O MEMEX foi um projeto precursor da ideia de Hipertexto.
  4. 4. • Produtos e serviços de informação digital• Infraestrutura técnica, normativa e comercial• Barateamento dos meios de armazenamento em massa• Possibilidade de digitalização• A Biblioteca Digital surge nesse contexto com a integração dessas tecnologias de informação e comunicação
  5. 5. Evolução do conceito de Biblioteca Digital• A biblioteca tradicional é aquela onde a maioria do seu acervo é constituída de documentos em papel. Ela existe desde a invenção da escrita. Antes do advento da imprensa, em 1440, o seu acervo era composto por outros tipos de materiais (o tablete de argila, o papiro e o pergaminho).• No final do século XIX, houve uma grande revolução na biblioteca com a introdução do catálogo em fichas e o abandono do catálogo sob a forma de livro.
  6. 6. • Nas últimas décadas, o computador tem sido utilizado de forma cada vez mais crescente e, desde os anos 1970, muitas bibliotecas implantaram catálogos em linha, passaram a acessar bancos de dados, iniciaram o uso regular do periódico eletrônico e o acesso a textos completos de artigos de periódicos, a verbetes de enciclopédias e a itens de outras fontes de referência.• A partir de 1994, por exemplo, com a implantação da World Wide Web (WWW) e do fenomenal crescimento da Internet, as possibilidades de acessar e recuperar informações aumentaram de forma nunca antes imaginada.
  7. 7. • A definição de biblioteca digital foi dada por uma comunidade de pesquisadores e empregada no workshop em 1997, nos Estados Unidos,• ....o conceito de “biblioteca digital” não é simplesmente o equivalente ao de uma coleção digitalizada dotada de instrumentos de gestão da informação. É, antes, um ambiente que reúne coleções, serviços e pessoas para apoiar todo o ciclo vital de criação, disseminação, uso e preservação de dados, informação e conhecimento.
  8. 8. • Apesar do crescente número de atividades de pesquisa, de utilização e de exploração comercial das bibliotecas digitais, não se chegou a um consenso estável do que seja uma biblioteca digital e das suas vinculações com a biblioteca tradicional e com a biblioteconomia.• A busca por uma definição mais precisa para biblioteca digital esbarra na existência de três termos: biblioteca digital, biblioteca eletrônica e biblioteca virtual, que possuem diferentes significados, mas que são usados para designar a mesma coisa.
  9. 9. • Biblioteca eletrônica: é o termo que se refere ao sistema no qual os processos básicos da biblioteca são de natureza eletrônica, o que implica ampla utilização de computadores e de suas facilidades na construção de índices on-line, busca de textos completos e na recuperação e armazenamento de registros.• Biblioteca digital: difere das demais porque suas informações existem somente em formato digital (disquetes, discos rígidos, CD’s, Internet, etc.), não possuindo livros na forma convencional. Dispõem de todos os recursos de uma biblioteca eletrônica, oferecendo pesquisa e visualização dos documentos, tanto local como remotamente por meio de redes de computadores.• Biblioteca virtual: está lgada ao conceito de realidade virtual e, potanto, utiliza recursos de software que simulam um ambiente de biblioteca na tela do computador, criando imagens em três dimensões que possibilitam entrar e circular pelas prateleiras de uma biblioteca virtual. (FILHO, 1999).
  10. 10. Características da biblioteca digital:• acesso remoto pelo usuário, por meio de um computador conectado a uma rede;• utilização simultânea do mesmo documento por duas ou mais pessoas;• inclusão de produtos e serviços de uma biblioteca ou centro de informação;• existência de coleções de documentos correntes onde se pode acessar não somente a referência bibliográfica, mas também o seu texto completo;
  11. 11. • provisão de acesso em linha a outras fontes externas de informação (bibliotecas, museus, bancos de dados, instituições públicas e privadas);• utilização de maneira que a biblioteca local não necessite ser proprietária do documento solicitado pelo usuário;• utilização de diversos suportes de registro da informação tais como texto, som, imagem e números;• existência de unidade de gerenciamento do conhecimento, que inclui sistema inteligente ou especialista para ajudar na recuperação de informação.
  12. 12. Desafio da biblioteca digital• Um grande desafio das bibliotecas digitais é incorporar a possibilidade de o usuário escolher o nível de conteúdo da informação, bem como o contexto no qual o mesmo pretender aplicá-la.• Para que os projetos de bibliotecas digitais alcancem sucesso junto à comunidade brasileira, é vital que haja diminuição da chamada exclusão digital, fazendo com que se tenha ampla capilaridade da rede em todos os segmentos sociais.
  13. 13. O novo profissional da Informação• Novas habilidades serão exigidas do bibliotecário, voltadas para lidar com novos recursos, antecipar a interação entre as fontes e serviços e entender as questões básicas na busca de informações em ambientes de redes eletrônicas, principalmente no que diz respeito às questões de privacidade e posse do documento final.
  14. 14. Conclusão• É visível que a Internet e as bibliotecas digitais poderão executar importante papel na garantia da ampliação do acesso à informação no Brasil. A informatização do país e a criação de telecentros somente terão sentido se for possível oferecer materiais informativos de boa qualidade à população. As bibliotecas digitais constituem o único canal que tem o potencial de disponibilizar conteúdo cultural de bom nível para a nação em geral. Isso representaria a grande contribuição das bibliotecas digitais para o progresso brasileiro. (CUNHA; McCarthy, 2006).
  15. 15. Referências Bibliográficas• BORGES, K. S.; OLIVEIRA, J. B.; POHLMANN, F. O. Ensino à distância, bibliotecas digitais e os direitos autorais. In: Workshop de Informática na Escola, 1999, Rio de Janeiro.• CUNHA, Murilo Bastos da. Das bibliotecas convencionais às digitais: diferenças e convergências. Perspectivas em Ciência da Informação, v.13, n.1, p.2-17, jan./abr. 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/%0D/ci/v28n3/v28n3a3.pdf > Acesso em: 24 abr. 2012.• CUNHA, M. B. ; CAVAN, McCarthy. Estado atual das bibliotecas digitais no Brasil. In: Carlos H. Marcondes; Helio Kuramoto; Lidia Brandão Toutain; Luis Sayão. (Org.). Bibliotecas digitais: saberes e práticas. 2 ed. Brasília: IBICT, p. 25-54, 2006.• MARCHIORI, Patrícia Zeni. “Ciberteca” ou biblioteca virtual: uma perspectiva de gerenciamento de recursos de informação. Ciência da Informação, Brasília, v. 26, n.2, p. 115-124, maio/ago.1997.• SAYÃO, Luis Fernando. Afinal, o que é biblioteca digital?. Revista USP. n. 80, p. 6-17, dez./fev. 2008-2009. Disponível em: <www.revistasusp.sibi.usp.br/pdf/revusp/n80/02.pdf> Acesso em: 23 abr. 2012.• SILVA, N. C.; SÁ, N. O.; FURTADO, Sandra R. S. Bibliotecas digitais: do conceito às práticas. II Simpósio Internacional de Bibliotecas Digitais. Campinas, 2004. Disponível em: < <http://www.miniweb.com.br/biblioteca/Artigos/libdigi.unicamp.pdf>. Acesso em: 22 maio 2012.• TAMMARO, Anna Maria; SALARELLI, Alberto. A biblioteca digital. Brasília, DF: Briquet de Lemos, 2008.

×