Ferramentas Para Acessibilidade Na Web

3,930 views
3,780 views

Published on

Este é um artigo sobre ferramentas para ajudar desenvolvedores web a construirem websites mais acessíveis e também para ajudar os portadores de alguma deficiência a aproveitarem a Web.

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,930
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
87
Actions
Shares
0
Downloads
143
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Ferramentas Para Acessibilidade Na Web

  1. 1. Ferramentas para Acessibilidade na Web Web Accessibility Tools Lucas Augusto M. C. Carvalho Universidade Federal de Sergipe Cidade Universitária s/n. CCET Departamento de Computação 49100 000 São Cristovão-SE lucasamcc@dcomp.ufs.br ABSTRACT há leis específicas tratando da acessibilidade. Essa é, sem dúvida The main objective of this article is to discuss various tools for alguma, uma tendência mundial. Web developers which also help individuals with a disability, all Poucas pessoas sabem, mas acessibilidade significa não apenas with the goal of improving Web accessibility. In addition, the permitir que pessoas com deficiências participem de atividades article shows what Web accessibility really is and its relevance for que incluem o uso de produtos, serviços e informação, mas a those with any special need. It is also reported reasons to have a inclusão e extensão do uso destes por todas as parcelas presentes an accessible website, as well as some tips on how to make it em uma determinada população [39]. accessible. It will be shown the case studies results which considerated the evaluation using two different approaches of two Isso significa que mesmo pessoas que não possuem deficiências, servants portals that have different views about Web accessibility. podem apresentar “necessidades especiais”, seja um navegador mais antigo, uma tecnologia nova, uma impossibilidade de usar as duas mãos no momento para navegar e várias outras. E um Categories and Subject Descriptors desenvolvedor de websites deve levar em conta tudo isso, pois, H.5.2 [Information Interfaces and Presentation]: User caso contrário, seu website pode não estar acessível a alguns Interfaces – Screen design, Standardization, Style guides, User- desses visitantes. centered design. O número de celulares no país já chega a 120 milhões [36] com crescimento de mais de 10% ao ano, e com a chegada da General Terms tecnologia 3G [37], que possibilita às operadoras de celular Design, Economics, Reliability, Human Factors, Standardization, oferecer uma gama maior de serviços ao usuário de celular como Legal Aspects, Verification. Internet com banda larga. Um website que não esteja acessível aos usuários de celular, estará em grande desvantagem competitiva em menos de 2 anos. RESUMO Lavorini comenta em um dos seus artigos [27] que há 25 milhões O objetivo principal deste artigo é abordar diversas ferramentas de brasileiros com deficiência, conforme dados de 2002 pelo para desenvolvedores Web como também para ajudar os IBGE, cuja taxa (14,5%) – compatível com a de países como portadores de alguma deficiência, mas todas com o objetivo de Noruega (13%), Austrália, Espanha e Inglaterra; o estado de São melhorar a acessibilidade na Web. Porém, é mostrado no artigo o Paulo tem a menor taxa (11,4%) dessas – corresponde, na que é realmente acessibilidade na Web e a sua importância para maioria, a homens com distúrbios mental, físico e auditivo, e a aqueles que possuem qualquer necessidade especial. Também são mulheres com dificuldades visual e motora. relatados alguns motivos para possuir um website acessível, assim como algumas dicas de como torná-lo acessível. Será mostrado os Todas essas pessoas também possuem necessidade de ter acesso a resultados dos estudos de casos que levou em consideração a informação. E a melhor maneira, na maioria das vezes, é através avaliação utilizando duas abordagens diferentes de dois portais de um computador conectado a Internet. Porém, se o website não públicos que possuem diferentes visões sobre acessibilidade. estiver adaptado para melhor atender esses visitantes, muitos deles acabarão sem acesso a informações tão necessárias. Palavras-chaves Ter um website acessível, não é só sinônimo de caridade. Ter um Acessibilidade, W3C, ferramentas, portadores de deficiência, website acessível é ter uma visão de que visitantes com alguma padrões, design, recomendações, diretrizes. deficiência são pessoas como qualquer outra, e que muitas vezes, são consumidores mais fiéis e que tem uma necessidade maior da 1.INTRODUÇÃO utilização dos serviços daquele website. Algumas outras A acessibilidade é um tema que está começando a ser bem vantagens em ter um website acessível são abordadas na seção difundido na Web atualmente. No Brasil, já existe um decreto, 5.1. 5296/04 de 2004 [40], que torna obrigatório a acessibilidade em O maior benefício claro que a acessibilidade pode trazer, é portais públicos federais e deu um prazo de 12 meses para a permitir que as próprias pessoas que possuem alguma deficiência, adequação. Em outros países, como Portugal e Irlanda, também já possam contribuir com outras pessoas que também possuem deficiência, como é o caso do autor do website Bengala Legal
  2. 2. [13], que é deficiente visual e desenvolve um website 2. DIRETRIZES DE ACESSIBILIDADE completamente acessível e que contém informações sobre acessibilidade para a Web. Um outro exemplo é o Projeto Dosvox WEB [10], que será comentado mais para frente na seção sobre A World Wide Web Consortium (W3C) [1] é um consórcio ferramentas assistivas, e que é desenvolvido com a participação internacional formato por mais de 500 instituições de vários de pessoas com deficiência visual. Isso é uma verdadeira inclusão países e responsável pela criação de diversos padrões para digital. garantir a correta interoperabilidade da Web. Muitas pessoas não sabem, mas a W3C abriu um escritório no Brasil [7] em outubro É preciso estudar acessibilidade, pois, por exemplo, quem não de 2007 em São Paulo. Os principais objetivos da W3C no Brasil sabe, a tecnologia Flash [24] que é uma ferramenta poderosa e são: (i) disseminar a cultura de adoção de padrões para o muito utilizada para desenvolvimento de páginas Web até as desenvolvimento pleno da Web a longo prazo; (ii) organizar versões anteriores a MX não permitia que leitores de telas atuais, atividades na região para promover e demonstrar as ferramentas e fizesse a leitura do conteúdo que tinha nas páginas, tornando-as padrões desenvolvidos pelo W3C Mundial; (iii) traduzir para o inacessíveis [26]. Os desenvolvedores que nem sabem o que é Português os textos produzidos pelo W3C que forem de interesse acessibilidade, não se importarão com isso, e não procurarão da região; (iv) criar um fórum amplo de participação dos saber utilizar esse novo recurso da ferramenta. membros do W3C na região bem como da comunidade interessada em padrões Web; (v) recomendar padrões técnicos e Estudando acessibilidade também é possível acabar com o mito procedimentos operacionais para o desenvolvimento da Internet de que um website acessível tem uma interface feia, pobre, sem no Brasil, entre outras [18]. O Brasil foi o primeiro país da imagens e com limitações no design. Isso não existe, América Latina a possuir um escritório, e ele deve coordenar as acessibilidade não é sinônimo de baixa qualidade gráfica, pelo atividades na região. contrário, deve ser associada a uma interface que propicie uma melhor experiência para o usuário. Já o acabamento do website A Web Accessibility Initiative (WAI) [2] é o grupo da W3C que fica por conta do gosto e habilidade do designer. desenvolve diretrizes para acessibilidade de websites, navegadores, e ferramentas de criação de conteúdo, a fim de De agora em diante, ao longo deste artigo, será referido aos tornar mais fácil para pessoas portadoras de necessidades o uso da usuários com necessidades especiais, qualquer usuário que precise Web. que o website esteja adaptado para qualquer que seja sua dificuldade. Seja devido ao seu dispositivo tecnológico, seja por Essa diretriz é um documento que explica como produzir alguma deficiência física ou mental ou ainda por alguma conteúdo acessível, não só para portadores de necessidades turbulência momentânea no ambiente que se encontra. especiais, como já foi explicado, mas também para todos os visitantes que precisem que o website esteja adaptado a alguma Na seção 2, serão abordadas as duas diretrizes mais utilizadas no necessidade física, mental ou tecnológica dele. Ela chama-se Web Brasil. Na seção 3, serão destacadas as ferramentas estudadas Content Acessibility Guidelines (WCAG) [3], está na versão 1.0 e durante a revisão bibliográfica. Na seção quatro, são abordados os nela existem 3 graus de prioridade. Na Figura 1 abaixo, estão os Estudos de Caso com as ferramentas escolhidas, e na seção cinco três selos da WCAG que equivalem respectivamente aos níveis A são sugeridas algumas dicas para melhoria da acessibilidade nos (prioridade 1), AA (prioridade 2) e AAA (prioridade 3). websites. Ainda nesta última seção, são citadas as vantagens e desvantagens de ter um website acessível, e também é finalizado o trabalho com a conclusão e trabalhos futuros. 1.1TRABALHOS RELACIONADOS No trabalho de Melo [33], a avaliação do website é realizado por uma das autoras do artigo que é cega utilizando um leitor de tela, mas nenhuma ferramenta de validação de diretrizes é utilizada. Os Figura 1. Selos da WCAG 1.0 resultados são apresentados e algumas recomendações são feitas pelas autoras. Os níveis ou prioridades equivalem ao grau de importância que uma certa recomendação possui. As recomendações do nível A No trabalho de Tangarife [32], é utilizado uma ferramenta de (prioridade 1), são os pontos que os criadores de conteúdo devem validação de diretrizes e mostrado os resultados. Em Tangarife e satisfazer inteiramente. Qualquer recomendação desse nível que Melo, não há qualquer referência a outras ferramentas que não for satisfeita poderá gerar grande dificuldade na navegação do possibilitem fazer o mesmo tipo de avaliação, como será feito usuário com necessidades especiais. As do nível AA (prioridade neste artigo. Tampouco foi utilizado outra abordagem para 2), são os pontos que deveriam ser satisfeitos, e o do nível AAA avaliação do website. (prioridade 3), são os pontos que podem ser satisfeitos. No trabalho de Souza [34], são utilizadas uma avaliação Para receber o selo de conformidade com a prioridade 2, é preciso heurística utilizando critérios de acessibilidade que serão estar em conformidade também com a prioridade 1. Já para apresentados na seção 5.2, como também pessoas cegas e com receber o selo de conformidade com a prioridade 3, é preciso estar experiência na navegação da Internet com leitores de tela. em conformidade com as prioridades 1 e 2. Apenas a prioridade 1, exige a conformidade somente com ela mesma para o website 1.2TIPOS DE DEFICIÊNCIAS receber o selo. Embora a deficiência visual seja a mais lembrada quando se pensa em Web, existem outras deficiências que prejudicam bastante a Segundo Soares [35], a conformidade com as diretrizes não utilização dos recursos da Internet. Dentre elas estão: cegueira, assegura que um website é acessível. É preciso também garantir a daltonismo, baixa visão, deficiência mental, deficiência física, usabilidade do website para torná-lo acessível. E isso só se deficiência auditiva, dislexia, desordem por déficit de atenção e consegue com muitos testes. Por exemplo, não é possível outras. verificar o grau de contraste entre a cor de fundo e a cor fonte da
  3. 3. letra, e dependendo das cores utilizadas, uma pessoa com baixa DaSilva [5] foi o primeiro validador de língua portuguesa. Sua visão não conseguirá visualizar o conteúdo daquela página. validação utiliza as diretrizes WCAG 1.0 e E-GOV. Ele já realizou mais de 55 mil avaliações da WCAG e 144 mil da E- Há também a diretriz e-Mag [8], que é o Modelo de GOV. Acessibilidade em Governo Eletrônico. Foi publicada no Diário Oficial da União do dia 08 de maio de 2007, a Portaria de N ° 3 No website do DaSilva, é possível fazer o download do Silvinha que determina a sua adoção pelos órgãos e entidades da que é um programa que tem as mesmas funcionalidades do Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional. website DaSilva, porém existe somente versão para o sistema operacional Microsoft Windows [28]. Alguns websites do governo já aderiram ao e-Mag, como o Ministério de Ciência e Tecnologia [16], que fez um website No website do DaSilva há uma lista [14] com mais de 300 próprio para a acessibilidade, mas muitos ainda desrespeitam a websites que passaram na avaliação e aceitaram o convite para portaria e não se adequaram ao e-Mag. Cabe à sociedade, nesses terem um link adicionado nessa seção do DaSilva. casos, informar aos responsáveis pela manutenção do website Avaliador e Simulador para a Acessibilidade de Sítios (ASES) sobre a portaria, e caso nenhum medida seja tomada, denunciar às [20] é um programa que surgiu da parceria entre o Departamento autoridades competentes. de Governo Eletrônico e a OSCIP Acessibilidade Brasil [25]. Entre os seus principais recursos estão a avaliação de acessibilidade de acordo com a e-Mag e a WCAG e a simulação de leitor de tela e para baixa visão, incluindo daltonismo, miopia, 3.FERRAMENTAS PARA catarata. A licença é livre e o software pode ser baixado sem ACESSIBILIDADE nenhum custo. Existem várias ferramentas para ajudar, tanto os desenvolvedores Valida Web [11] utiliza somente a diretriz WCAG 1.0, mas a construirem websites mais acessíveis, quanto para portadores de possui uma maior riqueza de detalhes dos problemas encontrados alguma deficiência utilizarem-se delas para melhorar o seu acesso na acessibilidade do website analisado. aos website. A essas últimas ferramentas, dá-se o nome de É preciso estar ciente de que o fato do website ter passado na ferramentas assistivas e pode-se encontrar mais ferramentas desse verificação da diretrizes, não garante que ele seja acessível, como tipo no website Tecnologia Assistiva [12]. já foi explicado anteriormente. A W3C possui uma lista [21] de ferramentas muito interessantes para ajudar o desenvolvedor Web a melhorar a acessibilidade do 3.1Ferramentas Assistivas website. As ferramentas vão desde validadores da WCAG 1.0, Dentre as ferramentas assistivas, pode-se encontrar: leitor de tela, passando por avaliadores de contrastes de cores e chegam até a ter navegador textual, ampliador de tela, sintetizador de voz, extensões para serem usadas no navegador Firefox [22] para reconhecedor de voz, navegador com voz, teclado alternativo e simular a utilização de um navegador textual. outros. Player Rybená [9] funciona como um tradutor, auxiliando na compreensão do conteúdo de textos em português. É capaz de 4.ESTUDOS DE CASO converter qualquer página da internet ou texto escrito em O objetivo dos estudos de casos é fazer uma comparação entre português para a Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS [23]. dois portais públicos em termos de erros de acessibilidade Pode ser disponibilizado em um website, onde os usuários encontrados e de problemas na navegação, tanto por questões de poderão selecionar com o mouse qualquer parte do texto e ver a usabilidade ou em consequência dos erros encontrados na tradução em LIBRAS por intermédio de um simpático desenho verificação das diretrizes. Um dos portais possui o selo de animado. Atualmente está sendo utilizado pela UFPE. adequação para as novas de acessibilidade, tendo feito todo um preparo para tal e o outro portal nunca fez qualquer esforço para Dosvox [10] é um sistema operacional, desenvolvido pelo Núcleo assegurar uma melhoria na acessibilidade. de Computação Eletrônica da Universidade Federal do Rio de Janeiro destinado a auxiliar o deficiente visual a fazer uso de Para o estudo são utilizados duas abordagens diferentes para a computadores, através do uso de sintetizador de voz. Foi avaliação dos portais. Para tanto, serão utilizadas duas implementado por programadores deficientes visuais, que fazem ferramentas distintas, uma para a validação do website utilizando uso do próprio sistema Dosvox, sem necessitar de ajuda de a WCAG 1.0 e outra ferramenta para fazer uma navegação pelo pessoas videntes. website para se verificar como o não seguimento das recomendações de acessibilidade podem atrapalha os portadores ReadSpeaker [6] é um serviço que permite uma síntese vocal de deficiência visual, mais notadamente, cegueira. Os websites quase natural, que lê o conteúdo das páginas para o visitante. escolhidos foram o portal da Universidade Federal de Sergipe Todo o serviço fica localizado no website da ReadSpeaker e o (UFS) [4] e do Banco Central do Brasil (BCB) [30]. visitante não precisa fazer o download de nenhum programa. Ajuda aquelas pessoas que têm dificuldade em ler, ou apenas A ferramenta de validação escolhida foi a DaSilva e o navegador porque preferem ouvir. textual, o Lynx [18] na versão 2.8.6 para o sistema operacional GNU/Linux [29]. O Lynx é um navegador que possui versões para vários sistemas operacionais, possui o código aberto e foi 3.2Ferramentas de Validação lançado em 1992. Ele é executado em um terminal ou console de comandos. As ferramentas de validação utilizam algumas diretrizes e se for aprovado, recebe um selo. Utilizar validadores e obter um selo de acessibilidade, não garante a acessibilidade. Os validadores não verificam todas as recomendações, apenas algumas.
  4. 4. 4.1Portal da Universidade Federal de Sergipe conhecimento, treinando equipes de desenvolvedores e conscientizando usuários que publicam páginas no portal. Para este estudo de caso, foi usado somente a página inicial do Após a verificação pela ferramenta DaSilva, não foram Portal da UFS para não estender demais o estudo de caso. A não encontrados nenhum erro em nenhuma das três prioridades da conformidade com as recomendações de acessibilidade de um WCAG. Somente apresentou avisos, no caso 303 avisos na portal de uma universidade, seja ela pública ou particular, priva prioridade 1, 408 na prioridade 2 e 183 na prioridade 3. muitas vezes os estudantes portadores de necessidades das informações necessárias para sua própria permanência na Ao utilizar o navegador textual Lynx, pôde-se constatar a universidade. facilidade na navegação pelo website. Não foi percebida nenhuma dificuldade para encontrar os conteúdos desejados e navegar pelos A ferramenta DaSilva exibiu 88 erros e 229 avisos na prioridade links do portal. 1, 102 erros e 124 avisos na prioridade 2 e 0 erros e 82 avisos na prioridade 3, não conseguindo com isso um selo de aprovação em nenhuma das prioridades. 4.3Comparação entre os estudos de caso Entre os erros de prioridade 1, o que mais se destaca foi que não A diferença entre um website que fez todo um planejamento e havia texto alternativo para nenhuma imagem do Portal. conscientização dos autores de conteúdo foi muito grande. O portal do BCB não apresentou nenhum dos erros de diretrizes do Já com o navegador Lynx obtive-se os seguintes resultados: portal da UFS e tampouco os mesmos erros de usabilidade. Isso leva a conclusão de que um planejamento bem feito para adequar  Nenhuma imagem com texto alternativo. um website aos padrões de acessibilidade provoca o efeito desejado e bastante benéfico aos visitantes.  Menu do topo totalmente confuso (tabs fora de ordem).  Menu com subitens sem possibilidade de navegação pelo teclado, impossibilitando o acesso a várias áreas do portal. 5.CONCLUSÃO E TRABALHOS FUTUROS Este artigo mostrou a importância da acessibilidade não só para os  Acesso ao conteúdo do website após vários tabs (mais portadores de deficiência, mas também para os usuários com de 20), o que torna cansativa a navegação. tecnologias diferentes ou com alguma impossibilidade de  Campos e botão do formulário sem texto explicativo, utilização dos aparatos tecnológicos disponíveis normalmente tornando difícil entender o objetivo do formulário. para a Web. Também foram mostradas algumas ferramentas para ajudar aos desenvolvedores a melhorar a acessibilidade no seu  Não foi possível visualizar o conteúdo da agenda do website através de validação e testes. portal, pois ela utiliza JavaScript para rotatividade e para exibição. Um trabalho futuro poderia ser uma consultoria ao Portal da UFS com o conhecimento adquirido sobre acessibilidade para Ao fim da navegação, verificou-se o quanto difícil é para os enquadrá-lo nas diretrizes e-Mag. Como também, treinar equipes portadores de necessidades especiais navegarem pelo portal da de multiplicadores do know-how sobre acessibilidade para Web. UFS. Estes erros só puderam ser percebidos com a utilização do navegador textual. Mas é possível perceber muitos desses erros navegando com um navegador gráfico, mas sem utilizar o mouse e desabilitando a visualização de imagens. 5.1Vantagens e desvantagens de possuir um Sendo a UFS um orgão da Autarquida do Governo Federal, a sua website acessível adequação ao e-Mag é obrigatória, porém com a excessiva Dentre as vantagens, pode-se destacar: quantidade de erros, pode-se constatar que muito provavelmente o Portal da UFS não se adequa, mesmo não tendo sido feito o levantamento sobre as diretrizes específicas do e-Mag. ● O website será visível a todo e qualquer tipo de visitante seja aquele que possua um navegador antigo, A maioria destas não adequações podem ser solucionadas com a alguma dificuldade visuai, auditivs, idoso e etc... Ele aplicação dos critérios citados na seção 5.2. não encontrará dificuldades em acessar o conteúdo do website. 4.2Portal do Banco Central do Brasil ● O website poderá ser acessado a partir de qualquer O portal BCB fez um plano para adequação à priridade 3 do e- dispositivo, seja ele um leitor de tela, celular, PDA, Mag e utilizou a ferramenta DaSilva para validar todas as páginas SmartPhone, etc... Então o visitante poderá utilizar as do Portal. No primeiro momento foram alvo da reformulação mais novas tecnologias para acessar seu website. somente as páginas do Portal, mas a idéia, na segunda etapa, é ● O website será navegável em qualquer situação, mesmo reformular e validar todas as páginas das aplicações que podem para aquele usuário que esteja falando ao telefone no ser acessadas no portal. Já as novas aplicações, devem ser momendo do acesso, ou com a placa de som sem desenvolvidas pensando na acessibilidade. funciona, mouse com defeito, etc... Uma parte da equipe responsável pelo website recebeu ● O website estará gerando mais receita, pois o seu treinamento minsitrado pelo Centro de Estudos e Sistemas conteúdo será mais amigável aos robores de indexação Avançados do Recife (CESAR) [31]. O CESAR também foi o dos buscadores mais populares como o Google, Yahoo! responsável pela acessibilização das páginas do website, em um e MSN, tornando-o melhor no ranking desses projeto que durou um ano. Os membros que receberam o treinamento estão em um processo de disseminação do
  5. 5. buscadores, gerando com isso mais visitas e mais 6.REFERÊNCIAS dinheiro. ● Mostra que o autor ou empresa responsável pelo [1] World Wide Web Consortium (W3C). Disponível em: website tem responsabilidade social, e não se preocupa http://www.w3.org Acessado em: 11 de março de 2008. somente com as pessoas que não possuem nenhuma necessidade especial. [2] Web Acessibility Initiative (WAI). W3C. Disponível em: http://www.w3.org/wai Acessado em: 11 de março de 2008. ● Se a pessoa for um desenvolvedor Web, desenvolver o seu próprio website acessível, é a ótima maneira de [3] Web Content Acessibility Guidelines 1.0 (WCAG). W3C. aprender as técnicas e padrões e poder dar consultoria Disponível em: http://www.w3.org/TR/WAI-WEBCONTENT/ na adaptação de outros websites. Acessado em: 11 de março de 2008. [4] Universidade Federal de Sergipe. Disponível em: http://www.ufs.br Acessado em: 12 de fevereiro de 2008. Diversas empresas estão se especializando na adaptação de websites para torná-los acessíveis, como foi citado o caso do [5] DaSilva. Disponível em: http://www.dasilva.org.br Acessado CESAR. Esse é um nicho de mercado, ainda não tanto explorado, em: 10 de março de 2008. e é uma ótima oportunidade para os desenvolvedores Web, pois, [6] ReadSpeaker. Disponível em: http://www.readspeaker.com os websites do governo terão que obrigatoriamente se adequar, Acessado em: 10 de março de 2008. como foi comentado neste artigo. [7] Escritório Brasileiro. W3C. Disponível em: Entre as principais desvantagens, vale-se destacar: http://www.w3c.br Acessado em: 10 de março de 2008. [8] Portaria determina Modelo de Acessibilidade para o ● Requer mais tempo para desenvolvimento. Governo Federal (e-Mag). Portal do Governo Eletrônico. Disponível em: https://www.governoeletronico.gov.br/noticias-e- ● Falta de pessoal qualificado. eventos/noticias/portaria-determina-modelo-de-acessibilidade- ● Maior investimento. para-o-governo-federal/?searchterm=acessibilidade Acessado em: 20 de novembro de 2007. Quando se leva em consideração as vantagens que se pode ter [9] Rybená. Disponível em: http://www.rybena.org.br tendo um website acessível, as desvantagens, mais propriamente [10] Projeto Dosvox. Disponível em: os custos, acabam se diluindo com o tempo de uso do website. http://caec.nce.ufrj.br/dosvox Acessado em: 20 de novembro de Além do que, com a disseminação da acessibilidade na Web, o 2007. número de profissionais qualificados tenderão a aumentar. [11] Valida Web. Disponível em: http://www.rybenamobile.com.br/wai Acessado em: 20 de novembro de 2007. 5.2Critérios a serem observados para melhoria [12] Tecnologia Assistiva. Disponível em: da acessibilidade de websites http://www.assistiva.org.br Acessado em: 20 de novembro de Segundo Souza [34], a International Business Machines 2007. Corporation (IBM) [38] possui os seguintes critérios de [13] Bengala Legal. Disponível em: acessibilidade: http://www.bengalalegal.com Acessado em: 20 de novembro de 1. Providencie texto alternativo significativo e relevante para 2007. elementos não textuais, como gráficos, imagens e vídeos. [14] DaSilva: Lista de WebSites Acessíveis. Disponível em: 2. Ajude a criar uma navegação consistente e corretamente http://www.dasilva.org.br/?blogid=1&catid=1 Acessado em: 20 rotulada; de novembro de 2007. 3. Permita o uso completo e eficiente do teclado; [15] Acesso Digital. Disponível em: http://www.acessodigital.net Acessado em: 20 de novembro de 2007. 4. Respeite as propriedades dos navegadores dos usuários; [16] acessibilidade.net. Disponível em: 5. Assegure o uso apropriado de padrões e controles (como http://www.acessibilidade.net/web/ Acessado em: 20 de elementos de formulário); novembro de 2007. 6. Não associe uma informação apenas a cores; [17] Ministério de Ciência e Tecnologia: Portal Especial de 7. Permita aos usuários o controle sob distrações em potencial, Acessibilidade. Disponível em: http://acessibilidade.mct.gov.br como a abertura de uma pop-up. Acessado em: 10 de março de 2008. 8. Permita aos usuários entender e controlar restrições de tempo; [18] Lynx source distribution directory. Disponível em: http://lynx.isc.org/ Acessado em: 11 de março de 2008. 9. Assegure que o conteúdo do website é compatível com as tecnologias assistivas (monitores braille, magnificadores de tela [19] Sobre o escritório no Brasil. W3C. Disponível em: etc.). http://www.w3c.br/sobre/ Acessado em: 11 de março de 2008. [20] Avaliador e Simulador para a Acessibilidade de Sítios (ASES). Portal do Governo Eletrônico. Disponível em: https://www.governoeletronico.gov.br/acoes-e-projetos/e- MAG/ases-avaliador-e-simulador-de-acessibilidade-sitios Acessado em: 11 de março de 2008.
  6. 6. [21] Complete List of Web Accessibility Evaluation Tools. [32] TANGARIFE, Timóteo; MONT`ALVÃO, Cláudia. Estudo W3C. Disponível em: Comparativo Utilizando uma Ferramenta de Avaliação de http://www.w3.org/WAI/ER/tools/complete Acessado em: 11 de Acessibilidade para Web. março de 2008. [33] MELO, Amanda Meincke; BARANAUSKAS, M. Cecília C; [22] Mozilla Firefox. Disponível em: http://br.mozdev.org/ BONILHA, Fabiana Fator Gouvêa. Avaliação de Acessibilidade Acessado em: 11 de março de 2008. na Web com a Participação do Usuário – um Estudo de Caso. [23] Portal de Libras. Disponível em: http://www.libras.org.br/ IHC 2004. Acessado em: 11 de março de 2008. [34] SOUZA, Edson Rufino. Avaliação de website baseada em [24] Adobe - Flash CS3 Professional, Interactive Multimedia, critérios heurísticos de acessibilidade. ATIID 2005. São Paulo. Interactive Design. Adobe. Disponível em: [35] SOARES, Horácio. O Selo não garante a acessibilidade. http://www.adobe.com/products/flash/ Acessado em: 11 de março Acesso Digital. Junho de 2005. Disponível em: de 2008. http://acessodigital.net/art_o_selo.html Acessado em: 11 de março [25] Acessibilidade Brasil. Disponível em: de 2008. http://www.acessobrasil.org.br/ Acessado em: 11 de março de [36] Número de celulares no Brasil cresce 22% em relação ao 2008. ano passado. G1. 19 de feveveiro de 2008. Disponível em: [26] Tecnologia Flash. lupadigital.info Disponível em: http://g1.globo.com/Noticias/Tecnologia/0,,MUL305316-6174,00 http://www.lupadigital.info/index.php? .html Acessado em: 11 de março de 2008. option=com_content&task=view&id=29&Itemid=38 Acessado [37] Entenda o que é a tecnologia 3G. O Globo Online. 18 de em: 11 de março de 2008. dezembro de 2007. Disponível em: [27] LAVORINI, Paulo Roberto. Engenheiro estimula o http://oglobo.globo.com/economia/mat/2007/12/18/327663571.as conhecimento e a aplicação das Normas de Acessibilidade. p Acessado em: 11 de março de 2008. Acessibilidade Brasil. 12 de fevereiro de 2007. Disponível em: [38] IBM Brasil. Disponível em: http://www.ibm.com.br http://www.acessobrasil.org.br/index.php?itemid=847 Acessado Acessado em: 11 de março de 2008. em: 11 de março de 2007. [39] Acessibilidade. Wikipedia. Disponível em: [28] Microsoft Windows. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Acessibilidade Acessado em: 11 de http://www.microsoft.com/brasil/windows/default.mspx Acessado março de 2008. em: 11 de março de 2008. [40] Lei de Acessibilidade - Decreto Lei 5296. Acessibilidade [29] The Linux Home Page at Linux Online. Disponível em: Brasil. Disponível em: http://www.acessobrasil.org.br/index.php? http://www.linux.org Acessado em: 11 de março de 2008. itemid=43 Acessado em: 16 de março de 2008. [30] Banco Central do Brasil. Disponível em: http://www.bcb.gov.br. Acessado em: 11 de março de 2008. [31] Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (CESAR) Disponível em: http://www.cesar.org.br Acessado em: 12 de março de 2008.

×