PERFEIÇÃO/             capítulo 033               PÁG.: 01Recanto das                                 Capítulo   033Letras...
PERFEIÇÃO/              capítulo 033                PÁG.: 02CENA 01. ESCOLA PÚBLICA. INT. REFEITÓRIO. TARDE.Continuidade d...
PERFEIÇÃO/              capítulo 033                PÁG.: 03pro outro na sala de espera. com ela, encostado à paredeGeovan...
PERFEIÇÃO/              capítulo 033                PÁG.: 04         LENINHA      —— (ao cel, OFF) Oi. Tava com saudades  ...
PERFEIÇÃO/              capítulo 033                PÁG.: 05                      pedaços grandes, suculentos de galinha. ...
PERFEIÇÃO/              capítulo 033                PÁG.: 06                      Longe de mim. Mas eu vi a moça nova, a  ...
PERFEIÇÃO/              capítulo 033                PÁG.: 07         JÚLIO        —— Sumiu um relógio valioso de Ester.   ...
PERFEIÇÃO/              capítulo 033                PÁG.: 08Desirré à cama, passando alguns cosméticos na pele. Deitada.Si...
PERFEIÇÃO/              capítulo 033                PÁG.: 09ainda assustada. Marizete, Castanha e Cláudio de pé, perto dap...
PERFEIÇÃO/              capítulo 033                PÁG.: 010         MARIZETE      —— Eu tô decepcionada. eu não         ...
PERFEIÇÃO/               capítulo 033                PÁG.: 011FACHADA EXTERIOR DA CASA: Dos fundos, sai Leninha, a passear...
PERFEIÇÃO/              capítulo 033                PÁG.: 012CENA 09. APART DE LISA E MIRELA. INT. SALA. NOITE.Mirela está...
PERFEIÇÃO/              capítulo 033                PÁG.: 013CENA 10. MANSÃO DE JÚLIO. INT. SALA. NOITE. CONTINUIDADE.Apen...
PERFEIÇÃO/              capítulo 033                PÁG.: 014CORTA PARA INTERIOR DO QUARTO.Néia entra no quarto, apressada...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Perfeição - cap. 33 - Raquel é expulsa da mansão!

338 views
249 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
338
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
102
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Perfeição - cap. 33 - Raquel é expulsa da mansão!

  1. 1. PERFEIÇÃO/ capítulo 033 PÁG.: 01Recanto das Capítulo 033Letras PERFEIÇÃO novela de: Lucas Vinícius escrita por: Lucas Vinícius Participaram deste Capítulo: ASTOLFO CÂNDIDA MARIA MARIZETE LEILA GEOVANE LENINHA JÚLIO ESTER LEANDRO RAQUEL DESIRRÉ SIMONE ADVOGADO CASTANHA ÚRSULA CARMÉLIA BARTOLOMEU MIRELA NÉIA Participações Especiais: SEGURANÇA
  2. 2. PERFEIÇÃO/ capítulo 033 PÁG.: 02CENA 01. ESCOLA PÚBLICA. INT. REFEITÓRIO. TARDE.Continuidade do cap. Anterior. O refeitório de luzesapagadas. apenas Cândida e Astolfo, caminhando. ela toma umsuco, dizendo: CÂNDIDA —— Então quer dizer que a Lisa conheceu Leandro na festa? Isso eu me lembro, ora. ASTOLFO —— Mas eles começaram a se envolver, Cândida. Amor é amor. Igual nós, na nossa juventude! CÂNDIDA —— Mas éramos certinhos. Acho muito errado o que Lisa e Leandro estão fazendo com Ester. Poxa, também vi aquela menina desde que ela começou namorar Leandro. Acho um doce! ASTOLFO —— Cândida, me promete que não vai se meter na história deles? Deixa como está! CÂNDIDA —— Mas e vamos continuar a enganar Ester? ASTOLFO —— Eles, Cândida. Eles. Deixa que eles resolvem! CÂNDIDA —— Não sei não. Amanhã eu vou fazer uma visita à mansão, como é de costume todo sábado, e vou/ ASTOLFO —— Cândida!! Poxa, larga de ser xereta! Desse jeito, você vai estar se intrometendo na história deles, a qual você não tem o direito. Pior: a Ester pode achar que você tava ajudando a Lisa e o Leandro. Porque ela sabe, que você ama as suas professoras. CÂNDIDA —— (muxoxa) Você está errado! ASTOLFO —— Tudo bem, estando errado ou não, eu vou indo. Tchau!Astolfo vai saindo. Cândida fica com a pulga atrás da orelha.CORTA PARA:CORTA PARA:CENA 03. FÓRUM JUDICIÁRIO. INT. SALA DE ESPERA. NOITE.Nervos à flor da pele. Maria, aos nervos, andando de um lado
  3. 3. PERFEIÇÃO/ capítulo 033 PÁG.: 03pro outro na sala de espera. com ela, encostado à paredeGeovane, e Jurema. MARIA —— Meu Deus!Marizete vem saindo da sala da audiência acompanhada deCláudio. Maria a encara: MARIA —— Se acontecer alguma coisa com o Pedro, a senhora vai ser a culpada! MARIZETE —— (indignada) Eu?! MARIA —— Sim! A senhora sabia que ele não podia entrar num fórum da justiça, mas mesmo sim, trouxe ele. Pra quê? Pra me esfregar na cara que o tinha? Mas agora, olha só... perdeu! MARIZETE —— Não tente jogar a culpa em cima de mim, Maria. Você é que é a fraca. CLÁUDIO —— Peguem leve vocês duas. Acho que invés de ficar batendo-boca, vocês deviam ligar pra tal Bianca lá e perguntar se Pedro apareceu por lá. MARIZETE —— Faça isso você.TENSO. Marizete sai de fininho e vai para um canto isolado.Maria conversa com Cláudio. Marizete pega o celular e disca.Leila atende: LEILA —— (off ao cel) Alô? MARIZETE —— (baixinho, ao cel) “Alô” o quê! Traz meu neto de volta, sua louca!! Eu perdi a audiência, sim, mas desse jeito vou acabar sendo presa. LEILA —— (off ao cel) Ué, como assim? A senhora que pediu pra eu pegar o garoto. Ele já até dormiu aqui. MARIZETE —— (baixinho, ao cel) Não quero saber! Tapa o rosto dele, pra ele não ver o caminho... e põe ele de volta aqui na frente do 21º Fórum Judiciário. Agora!Marizete desliga irritada. Maria olha por rabo de olho edesconfia. Corta para Geovane: O celular em seu bolso começaa tocar. Ele se assusta, mas atende: GEOVANE —— (ao cel) Alô...?
  4. 4. PERFEIÇÃO/ capítulo 033 PÁG.: 04 LENINHA —— (ao cel, OFF) Oi. Tava com saudades de mim, meu lindo?! GEOVANE —— (não reconhece ao cel) Ué... é você, mamãe? Tá com uma voz mais fina! LENINHA —— (empolgada ao cel) Já tá me chamando de “mamãe”! Que potência, menino! Quero vê se funciona na hora do/ GEOVANE —— (corta ao cel) Ah! É você, Leninha? LENINHA —— (ao cel) Sabe o que é? Meu chuveiro quebrou! Tentei arrumar, mas quase me morro eletrocutada. Chamei o Seu Efraim Bombeiro. O velho quase me quebrou o chuveiro novinho. Chamei dona Cassilda, aquela gorda. Nem subiu na escada e já quebrou. Eu num sei mas o que faço! Tô fedendo a sal podre, quero banho! GEOVANE —— (ao cel) E me acha com cara de eletricista agora, é? O que mais me acha? LENINHA —— (ao cel) Acho você um advogado. E também um ótimo cozinheiro. Vem, please! Tô na casa da dona Carmélia, ela tá com uma mulher chamada Morgana. GEOVANE —— Tá. Eu vou praí daqui a pouco. Me espera. (T) Tá. Tchau.Geovane desliga o celular desconfiado. Maria vira-se pra ele. MARIA —— Doutor, era notícia do meu filho? GEOVANE —— Infelizmente era a pirada da Leninha, Maria. MARIA —— (lamenta) Céus!CORTA PARA:CENA 04. CASA DE MOURÃO. INT. COZINHA. NOITE.Ermelita à mesa. Mourão acaba de pôr o prato da noite. Umagalinhada. Ermelita não gosta do que vê: ERMELITA —— Isso aí é galinhada? Cadê a galinha? MOURÃO —— Ué. A galinha tá aí no meio do arroz. ERMELITA —— Ah... assim não tem graça. Quero ver
  5. 5. PERFEIÇÃO/ capítulo 033 PÁG.: 05 pedaços grandes, suculentos de galinha. MOURÃO —— Já pensou em comprar e fazer a sua? ERMELITA —— Já. Já pensei. Inclusive pensei em trabalhar. Mas passou, sabe. (ri) MOURÃO —— Hum, hum. Ermelita, se pensa que vou ficar aguentando suas baixarias, suas estapafurdices, idiotices e maluquices mais uma vez, dentro de minha casa, está enganada. Ou você entra na linha, ou você sai da minha vida! ERMELITA —— (rindo) Se eu entrar na linha o trem me pega! (ri sozinha) MOURÃO —— Tá vendo?! Piadas tontas e sem graças! Eu estou seriamente pensando em te mandar pra debaixo da viaduto mais próxima daqui. E junto com os mendigos. ERMELITA —— (assustada se levanta) Ah, não! Não diga isso nem em sonho! Eu não posso... tenho alergia à maconha. MOURÃO —— Então, colabore com as despesas da casa. E não roube. ERMELITA —— Roubar? MOURÃO —— Hoje, fui vasculhar minha calça. E descobri que faltavam 20 reais. Onde estão?Ermelita numa fria, se estrepa.CORTA PARA:CENA 05. MANSÃO. DE JÚLIO. INT. SALA. NOITE.TENSO. Júlio e Ester. No centro da sala, ambos frente afrente: JÚLIO —— Um relógio seu sumiu? ESTER —— É. E por isso mesmo, nem consegui pregar o olho. Aí levantei horas atrás. JÚLIO —— Oh, Deus! Some coisas demais nessa casa. As joias da finada, que Deus a tenha, foram afanadas pela Néia... agora seu relógio? ESTER —— Pois. E agora não temos mais a Néia. E hoje... (baixinho sussurra) olha, não quero acusar ninguém sem provas, não.
  6. 6. PERFEIÇÃO/ capítulo 033 PÁG.: 06 Longe de mim. Mas eu vi a moça nova, a governanta entrar no meu quarto. JÚLIO —— (estranha) A Raquel? Não, não é possível. Raquel é íntegra, doce... moça de família, honesta e direita.Esta hora, chega Leandro. Abre a porta, vem entrando, fecha-aem seguida. Ester o encara e diz logo: ESTER —— Isso são horas de chegar, Leandro? LEANDRO —— (disfarça) Ah... teve palestra hoje, Ester. Chegamos mais tarde por isso. ESTER —— Tudo bem, nem tô preocupada com isso no momento. LEANDRO —— (se aproxima preocupado) O que foi? (Júlio) O que foi, pai? JÚLIO —— Sumiu um relogio da Ester. Ela acha que foi a Raquel quem roubou. LEANDRO —— Ester, cê anda achando de mais. E se não foi ela? Vai constrangê-la? Igual fez com a Néia? Vocês me desculpem, mas até hoje não engoli a demissão da Néia. Acho que ela é inocente. JÚLIO —— Mas não estamos falando da Néia, filho. ESTER —— Eu não ando vendo coisa, não, senhor. Eu juro. Ela tava com uma mochila, e mexeu na minha gaveta. Quando entrei, ela disfarçou. Tenho certeza de que ela roubou meu relógio!Raquel vem saindo da cozinha com sua mochila às costas. Elaia subir as escadas, mas vê a movimentação, então para: RAQUEL —— E aí, família. Algum problema? JÚLIO —— (vira-se) Tem. Olha, Raquel, odeio fazer isso, mas... vou ter que pedir pra você abrir a bolsa. E me perdoa se eu estiver errado, pelo amor de Deus! RAQUEL —— (séria) Tá, mas abrir a bolsa pra exatamente o quê? JULIO —— Olha...Júlio se aproxima dela. Logo, Leandro e Ester fazem o mesmo:
  7. 7. PERFEIÇÃO/ capítulo 033 PÁG.: 07 JÚLIO —— Sumiu um relógio valioso de Ester. Ela acha que/ RAQUEL —— (indignada) Não! Não precisa nem terminar de dizer! Tão me acusando de roubo, é isso? ESTER —— (se fingindo de coitada) Não estamos...Raquel encara com ódio Ester. JÚLIO —— Por favor, Raquel. Entrega a bolsa. Sei que posso tá errado.Raquel tira a mochila das costas e, entregando-a diz: RAQUEL —— Pode abrir, sem nenhum problema. Porque digna e honesta eu sou. Ao contrário de certas pessoas. (encara Ester)Júlio abre a mochila e começa a fuçar. Fuça tanto, que acabapuxando um relógio. O de Ester. Ester finge espanto. Raquelconfusa e espantada, impressionad. LEANDRO —— (impressionado) Então... JÚLIO —— (espantado) Você roubou mesmo. RAQUEL —— (Desespera-se) O quê? Não... não, eu/ ESTER —— Sem mais palavras! É uma ladra! Expulsa ela de casa, Júlio! JÚLIO —— (sério) Pois... pois é isso que vou fazer. Aqui tem provas suficientes de que você é uma ladra. Num acredito. Como pude me envolver com você? RAQUEL —— (abalada) Mas/ Juro, não mexi no relógio da/ JÚLIO —— Chega! A Néia podia ser inocente, não tínhamos provas contra ela. Agora... agora você, é mais que claro e visível. Tentando roubar o relógio da Ester.CORTA PARA:CENA 06. HOTEL DE SÃO PAULO. INT. SUÍTE DESIRRÉ. NOITE.
  8. 8. PERFEIÇÃO/ capítulo 033 PÁG.: 08Desirré à cama, passando alguns cosméticos na pele. Deitada.Simone ali, sentada a uma cadeira de frente pra ela. Aolhando: SIMONE —— Ai, Desi... que inveja da sua pele! DESIRRÉ —— Ah! Que isso? Você é uma morena linda, pele exuberante! SIMONE —— (descontraída) Hum, fala isso pra agradar, danada. Se eu fosse gostosa mesmo, teria pretendentes aos meus pés. Nem o coveiro me quis. Santa Fé! DESIRRÉ —— Hum, menina. Acho que isso é mandinga que fizeram. Macumba pesada! Fizeram pra você se lascar na vida. Na vida amorosa ainda! SIMONE —— Ai! Será? Tenho que ir onde? Num pai de Santo? DESIRRÉ —— (ri) Não sei. Mas acho que é num padre. Já tá ótimo. (T) Mudando de assunto... amanhã é meu grande dia. SIMONE —— É. O dia que botamos contra parede o padre Onório, que criou a Maria Helena, né? DESIRRÉ —— É. E se tem uma pontinha de esperança aqui, nesse meu coração, ela está nesse padre. SIMONE —— Ai, amiga... às vezes eu choro. Por você, sabe. Porque desde que você tava grávida, quando morávamos aqui em Sampa. E acompanhava sua história de vida. DESIRRÉ —— E sempre teve do meu lado. Amigona! SIMONE —— Amigos pra sempre, né? DESIRRÉ —— Ô se é! Te adoro, amiga. Companheira também. Te mete!As duas riem com gosto. Simone corre aos gritos de felicidadee pula em cima da amiga. Carinhos à parte, muita, muitarisada.CORTA PARA:CENA 07. FÓRUM JUDICIÁRIO. INT. SALA DE ESPERA. NOITE.CONTINUIDADE.Geovane não mais presente. Maria sentada, se agarra a Jurema,
  9. 9. PERFEIÇÃO/ capítulo 033 PÁG.: 09ainda assustada. Marizete, Castanha e Cláudio de pé, perto daporta. Um segurança entra no Fórum, com Pedro Júnior de mãos-dadas dizendo: SEGURANÇA —— Graças a Deus o menino foi encontrado! MARIA —— (dá um pulo, emocionada) Glória Deus!!!!Emocionada e aliviada, Maria corre até Pedro Júnior,dando0lhe um abraço imenso de tão acolhedor. E vários beijos.Marizete enciumada, Jurema emocionada. ADV. CASTANHA —— É... até que ela é uma boa mãe! MARIZETE —— (p/ Castanha) E eu não sou, é? Seu palpiteiro! MARIA —— (p/ Pedro) Onde você tava? Onde? PEDRO JR. —— (triste) Uma mulher me levou pra um galpão. MARIA —— (estranha) um galpão? SEGURANÇA —— O menino foi sequestrado. O que não sabemos é porquê os sequestradores trouxeram ele de volta.Marizete disfarça. SEGURANÇA —— Vocês vão querer prestar queixa na delegacia? MARIA —— Claro, claro! Esses infelizes têm que apodrecer na cadeia! (p/ Pedro) Ô meu anjo... eu tenho uma novidade pra você. MARIZETE —— (intervém) Não! Não conta, Maria! Quer traumatizar o menino mais ainda?Maria vira-se pra Marizete: MARIA —— Para de dar palpites! O filho não é seu! PEDRO JR. —— (desentende) Como assim? MARIA —— (vira-se) Pedro... depois eu te explico. Vamos. Vamos, Jurema, pra casa? JUREMA —— Claro.Maria, Pedro Júnior e Jurema se juntam. Os três vão saindopela porta do fórum. Marizete para Cláudio:
  10. 10. PERFEIÇÃO/ capítulo 033 PÁG.: 010 MARIZETE —— Eu tô decepcionada. eu não suporto viver longe do meu neto. CLÁUDIO —— Marizete... é melhor pra ele crescer com a mãe do que vivendo com os avós achando que são seus pais. ADV. CASTANHA —— De acordo. Aliás, por que me chamaram pra essa audiência inútil? Se nem me usaram? CLÁUDIO —— Mais uma vez Marizete, Castanha, queria mostrar pra Maria que pode mais. Mas se enganou. MARIZETE —— (séria) Cláudio, vamos ter uma conversinha muito séria quando chegarmos em casa.CORTA PARA:CENA 08. CASA DE CARMÉLIA E BARTOLOMEU. INT. SALA. NOITE.CONTINUIDADE.Úrsula sentada numa enorme poltrona, centro da sala.Bartolomeu e Carmélia no sofá. Cadela pinscher de Úrsula noseu colo. Leninha acaba de entregar o café que fez: ÚRSULA —— Esse café tem gosto... (nojo) veneno! LENINHA —— Veneno? CARMÉLIA —— Veneno? BARTOLOMEU —— Veneno! ÚRSULA —— Mas também tem um gosto de... viagra! LENINHA —— Ih, pirou! Só se for a viagra do seu Bartolomeu, que ele deixa de cima da pia, aí eu peguei sem querer. BARTOLOMEU —— (alto) Psiu, né! Não precisa contar as intimidades. ÚRSULA —— Mas leve esse café. Vamos aos “busness”. CARMÉLIA —— Adoro! ÚRSULA —— vocês pretendem vender a casa mesmo? CARMÉLIA —— Sim, sim. Bartolomeu e eu conversamos muito. Pretendemos!Leninha sai de fininho indo pra cozinha, leva bandeja junto.Carmélia sorri a todo tempo.CORTA PARA:
  11. 11. PERFEIÇÃO/ capítulo 033 PÁG.: 011FACHADA EXTERIOR DA CASA: Dos fundos, sai Leninha, a passearcom passos leves pelo jardim. Feito espiã, ela caminha até acaixa de energia que fica ali. Abre a tampa da caixa deenergia: LENINHA —— Vamos ver quem é que vai vender a casa!Porém, quando ela ia apertar o botão, escuta-se: GEOVANE —— Leninha?!Assustada, ela vira-se. Mas dá de cara com Geovane, e sealegra: LENINHA —— Quase me borrei toda! (sorri) Gêzinho... GEOVANE —— O que cê tava fazendo aí? LENINHA —— Pra você eu conto. Eu ia desligar a força, pra melar com o “businiss” da dona Carmélia e seu Bartolomeu. GEOVANE —— E por quê? LENINHA —— Porque se ela vender a casa, meu humilde quartinho dos fundos vai junto. Véia do mal! GEOVANE —— Ah... e você acha que vai impedi-la simplesmente desligando a energia? LENINHA —— Nunca é tarde pra tentar. GEOVANE —— Você não me chamou aqui pra um conserto? LENINHA —— (sensual) Ui... meu chuveiro! (dsfarça) Ó, então vamo lá. Cê me arruma o chuveiro... sem maldade, e eu te dou. Dinheiro. GEOVANE —— Não, eu não quero dinheiro. Faço pra te ajudar, porque sei que você é uma burrinha. LENINHA —— Ah, obrigada. Vamos?Leninha pega nas mãos de Geovane e ambos vão saindo dali, emdireção ao quintal dos fundos. CAM dá close na caixa deenergia aberta.CORTA PARA:
  12. 12. PERFEIÇÃO/ capítulo 033 PÁG.: 012CENA 09. APART DE LISA E MIRELA. INT. SALA. NOITE.Mirela está no sofá, vendo TV. Com uma tigela de pipoca àsmãos, assiste atentamente. Lisa vem abrindo a porta echegando em casa: LISA —— Mirela? Acordada ainda?Mirela pega e desliga a TV rapidamente, mas não adianta.Então se levantando dizendo: MIRELA —— Ai, Lisa. Achava que você tava demorando tanto que ia pousar no serviço. Aí/ LISA —— Aí resolveu (fecha a porta) ligar a TV, quando sabe que tem que acordar cedo pra ir na escola no dia seguinte. Bonito. Lindo. MIRELA —— Ó, mas tá passando um filme espetacular! LISA —— É românti... (disfarça) Quero dizer...Mirela percebe o ar mais romântico da irmã. Diz: MIRELA —— Hum. Filme romântico, é, Lisa?Mirela fica pensativa. Pois se lembra do dia em que fugiu docarro que Lisa estava, junto com Leandro.E mata a charada: MIRELA —— Conheceu alguém especial, foi? LISA —— (se aproxima) Não foi. E nem que fosse... e daí? Sou livre e desempedida. MIRELA —— Também sou. Outro dia, o seu Margarido ali da padaria arrastou asa pra mim, só faltou você assassinar o homem com as mãos! LISA —— (ri) Mas o seu Margarido, Mirela? Tem homem melhor na Terra, convenhamos. MIRELA —— (sentida e triste) Como o Paulo.Lisa para, e fica séria após ouvir isso da irmã.CORTA PARA:
  13. 13. PERFEIÇÃO/ capítulo 033 PÁG.: 013CENA 10. MANSÃO DE JÚLIO. INT. SALA. NOITE. CONTINUIDADE.Apenas Ester ao sofá, de óculos lendo um livro. Ri em certaspartes. Sonoplastia: MÚSICA TENSA. Raquel desce as escadas,ainda abalada, com uma bolsa, cheia de roupas. Ester vê evira-se apenas, dali mesmo: ESTER —— Raquel. Olha, eu quero que você entenda, não dá pra você ficar aqui. RAQUEL —— (para) Você armou pra mim, não é mesmo? ESTER —— Não é que eu arme/ RAQUEL —— (esbraveja) Fala, sua cadela!!! ESTER —— Armei. E acho que fiz certo. Você e eu? Na mesma casa. Ia acabar em briga, não acha?Raquel encara Ester. Depois, apenas a olha com fúria e saipela porta da frente da mansão, batendo a mesma em seguida.Ester fica encafifada: ESTER —— (para si) Eu, hein...CORTA PARA:CENA 11. FAVELA DE SÃO PAULO. PLANOS GERAIS. EXT. NOITE.Ângulo de cima CAM. Néia sobe o alambrado que ali tem,apressada. Caminha até a fachada da casa de Raquel. Chegandolá, vê que não há ninguém por perto e tira um grampo dosutiã. Chega na porta e cutuca-a com o grampo. Até que abre aporta. Sonoplastia: MÚSICA DE SUSPENSE. Néia entra e fecha aporta.CORTA PARA:CENA 12. FAVELA DE SÃO PAULO. CASA DE RAQUEL. INT. NOITE.Néia entra na casa. Todas as luzes apagadas. Ela fuça fuça,até que acha o botão e acende a luz. NÉIA —— Ó Céus... será que aqui tem alguma coisa da qual procuro? Só pra constatar e reforçar a minha hipótese? (T) No quarto! No quarto, isso. Deve ter alguma coisa.
  14. 14. PERFEIÇÃO/ capítulo 033 PÁG.: 014CORTA PARA INTERIOR DO QUARTO.Néia entra no quarto, apressada. Corre direto no guarda-roupa, abre-o e começa a jogar as roupas pro ar, fuçandotodo.CORTA PARA:CENA 13. FAVELA DE SÃO PAULO. CASA RAQUEL. EXT-FACHADA.NOITE. CONTINUIDADE.Raquel desce dum táxi. Ela pega sua mochila no banco depassageiro. Depois, entrega o dinheiro pro motorista eagradece. Séria, ela se aproxima da porta de sua casa. Abre amochila, fuça e tira a chave.CORTA PARA INTERIOR DA CASA.Raquel vem entrando. Tranca a porta. RAQUEL —— É, Raquel... lar doce lar de novo.CORTA PARA INTERIOR QUARTO.Ao ouvir a voz de Raquel, Néia se desespera: NÉIA —— Ai, meu Deus do céu!Ela rapidamente fica sem ter pronde ir. Depois, não vê outrasolução a não ser entrar no guarda-roupa e fechar a porta.Closes alternados em Néia, dentro do guarda-roupa, assustada.Raquel, na sala parada.CORTA PARA: FIM DO CAPÍTULO

×