CóPia De Sn Central MóDulo 15

  • 2,119 views
Uploaded on

 

More in: Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
2,119
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
24
Comments
0
Likes
2

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. 1 a 35
  • 2.
    • TELENCÉFALO – CÓRTEX CEREBRAL
    • Fina camada de substancia cinzenta que reveste o centro branco
    • medular do cérebro.
    • Local de chegada de impulsos do todas as vias da sensibilidade
    • Local onde os impulsos tornam-se conscientes e são interpretados
    • Local de partida de impulsos nervosos que iniciam e comandam os
    • movimentos voluntários
    • CITOARQUITETURA – neurônios
    • células neuróglias
    • fibras
    • Isocórtex – seis camadas
    • Alocórtex – menos de seis camadas
  • 3.
    • I – Camada Molecular
    • II – Camada Granular
    • III – Camada Piramidal Externa
    • IV – Camada Granular Interna
    • V – Camada Piramidal Interna (ganglionar)
    • VI – Camada de Células Fusiformes
    • Molecular = rica em fibras de direção horizontal com poucos neurônios –
    • Cajal.
    • Quando se cora para visualizar a mielina – raias de direção
    • Perpendicular em toda a espessura laminar – COLUNAS VERTICAIS
    • COM CARCTERÍSTICAS FUNCIONAIS SEMELHANTES ALÉM DE DUAS ESTRIAS
    • HORIZONTAIS (Baillanger)
    • Conexões entre as células corticais se dão preferencialmente na colunas
  • 4.  
  • 5.
    • FIBRAS E CIRCUITOS CEREBRAIS
    • Passam necessariamente pelo córtex cerebral – branco medular
    • A- Fibras de Associação
    • Áreas diferentes do córtex no mesmo hemisfério ou em hemisférios
    • ligados em lados opostos (comissuras)
    • B – Fibras de Projeção Aferentes
    • Córtex centros subcorticais
    • Eferentes
  • 6.
    • FIBRAS DE ASSOCIAÇÃO INTRA-HEMISFÉRICAS
    • Fibras arqueadas ou fibras em U
    • Curtas e longas
    • Curtas – áreas vizinhas
    • Longas unem-se em fascículos (significado funcional pouco conhecido)
    • a) Fascículo Longitudinal superior – liga o lobo frontal , parietal e
    • occipital pela face súpero lateral de cada hemisfério. Papel na
    • Linguagem conexão entre seus centros anteriores e posteriores da
    • Linguagem.
    • b) Fascículo do cíngulo – percorre o giro do cíngulo unindo lobo frontal
    • ao temporal passando pelo parietal
  • 7.
    • c) Fascículo Longitudinal Inferior – une o lobo occipital ao temporal
    • d) Fascículo Unciforme – Liga o Lobo Frontal ao Temporal, passando
    • pelo fundo dos sulcos laterais
  • 8.  
  • 9.  
  • 10.
    • FIBRAS DE ASSOCIAÇÃO INTER-HEMISFÉRICA
    • Fibras comissurais
    • a) Comissura do Fórnix – entre as duas pernas do Fórnix
    • Conexão entre os dois hipocampos
    • b) Comissura anterior – porção olfatória que liga bulbo e tratos
    • olfatórios e uma porção não olfatória que estabelece união entre os
    • lobos temporais
    • c) Corpo Caloso – Maior comissura telencefálica
    • Conexão entre as duas áreas do corticais simétricas do Hemisfério
    • Transferência de informações de um hemisfério para o outro.
  • 11.  
  • 12.  
  • 13.
    • FIBRAS DE PROJEÇÃO
    • Fornix – liga o hipocampo aos núcleos mamilares do hipotálamo
    • (Circuito de Papez)
  • 14.
    • Cápsula Interna – É a maior das vias de projeção tendo formato
    • aproximado de C, na qual distinguimos três porções:
    • perna ou braço anterior (localizado entre a cabeça do núcleo
    • caudado e o núcleo lenticular);
    • joelho da cápsula interna (local onde as fibras mudam de direção) e
    • braço ou perna posterior (localizada entre o tálamo e o núcleo lenticular).
  • 15. Radiações Talâmicas – As fibras tálamo-corticais e córtico-talâmicas juntas constituem as radiações talâmicas que formam grande parte da cápsula interna
  • 16.  
  • 17.  
  • 18.  
  • 19. Cápsula Interna
  • 20.
    • Capsula Interna transforma-se em:
    • Coroa Radiada acima do núcleo lentiforme e
    • Base do Pedûnculo cerebral – abaixo do núcleo lentiforme
  • 21.  
  • 22.
    • FIBRAS DE PROJEÇÃO AFERENTES
    • Talâmicas ou Extra Talâmicas
    • Extratalâmicas – monaminérgicas, originadas na formação reticular ou
    • colinérgicas originadas no núcleo basal de Meynert Distribuem-se
    • por todo o córtex e possuem ação moduladora (dependendo da região
    • Apresentam atividade inibidora ou excitatória durante o processo de
    • Informação
    • Talâmicas
    • Inespecíficas = em todo o córtex e com ação ativadora como parte do
    • SARA – Terminam nas três camadas superficiais.
    • Específicas = originada nos núcleos específicos do tálamo terminam na
    • camada IV – muito desenvolvida nas áreas sensitivas do córtex
  • 23.
    • 1º Estágio da aferência = Receptores -> traduzem as diversas formas de energias que incidem sobre o corpo em potenciais de ação.
    • 2º Receptores = estrutura especializada com uma fibra (livre ou associada a células não neurais = miniórgãos – mielinizados ou não
    • 3º vão se juntando em filetes nervosos e nervos periféricos -> penetram no S.N.C (raízes dorsais da medula) ou alguns nervos cranianos – diretamente no encéfalo.
    • 4º Corpo celular – gânglios espinhais
    • Tipos de fibras
    • Epicríticas = grande capacidade discriminativa e alta precisão
    • sensorial (Acuidade)
    • Protopáticas = termosensibilidade, dor e fibras táteis mais grosseiras
    • Pouco discriminativo e preciso.
  • 24.
    • NEURÔNIO PRIMÁRIO – GÂNGLIO ESPINHAL -> NEURÔNIO 2º ÓRDEN
    • MEDULA OU TRINCO ENCEFÁLICO -> AXÕNIO CRUZA A LINHA MÉDIA
    • ANTES DE FAZER SINAPSE COM O NEURÔNIO 3º ÓRDEN - TÁLAMO->
    • REGIÕES SOMESTÉSICAS DO CÓRTEX CEREBRAL
    • REPRESENTAÇÃO SOMESTÉSICA É CONTRA LATERAL
    • Muitas fibras proprioceptivas secundárias -> mantêm-se do mesmo lado e
    • Projetam-se para o cerebelo (neurônios de 3º ordem)
    • Alguns fibras nociceptivas de 2º ordem -> neurônios do tronco encefálico =
    • seqüência de sinapses – informação dolorosa a diversos locais do SNC
  • 25.  
  • 26.  
  • 27.
    • FIBRAS DE PROJEÇÃO EFERENTES
    • Conexão com vários centros sub-corticais
    • A – fibras córtico-espinais
    • B - fibras córtico-nucleares
    • C - fibras córtico-pontinas
    • D - fibras córtico-estriadas ORIGINAM-SE NA CAMADA V
    • F - fibras córtico-reticulares
    • G - fibras córtico-rúbricas
    • H - fibras córtico-talâmicas
  • 28.
    • John Houglings Jackson ( 1835 -1911) – Centros motores se
    • organizam em cadeias hierárquicas.
    • Charles Sherrington (1857 -1952) - seccionava transversalmente a
    • coluna de gatos, isolando-a do tronco cerebral =
    • 1- perda dos movimentos
    • 2- perda da postura
    • 3- diminuição dos reflexos com recuperação a posteriori
    • CONCLUSÃO
    • Movimentos voluntários são dependentes dos centros superiores.
    • Reflexos são independentes.
    • Quando seccionou na altura do mesencéfalo = rigidez da descerebração
    • Patas esticadas rigidamente, cabeça estendida para trás
  • 29.
    • Exacerbação dos reflexos de estiramento só atenuado quando
    • Seccionou as raízes dorsais.
    • CONCLUSÃO
    • A área entre o mesencéfalo e a medula contém axônios que se
    • estendem até o motoneurônio medular provocando excitação dos
    • músculos extensores.
    • Acima do nível de corte deveria existir neurônios inibitórios do tronco
    • Encefálico
    • Jackson – Animais dispõem de uma cadeia hierárquica de comando
    • Motor – superiores controlariam os inferiores
    • O córtex produziria modulação (-) no tronco encefálico que produziria
    • modulação (+) nos reflexos modulares
  • 30.
    • TRONCO ENCEFÁLICO
    • Sede de núcleos motores dos nervos cranianos
    • Aloja também os motoneurônios da musculatura dos olhos, cabeça e
    • Pescoço
    • BULBO
    • Conjunto de núcleos vestibulares que recebem fibras do n. vestíbulo
    • Coclear e formam feixes descendentes vestíbulo-espinhal – postura e
    • Equilíbrio corporal
    • Mais disperso e extenso de localização rostrocaudal da ponte,
    • invadindo tanto o bulbo abaixo como o mesencéfalo a cima =
    • Formação reticular – feixe retículo-espinhal – mecanismos posturais
  • 31.
    • No Mesencéfalo
    • Núcleo Rubro – esferóide situado bem no interior do mesencéfalo –
    • Feixe rubro-espinhal - coadjuvante no comando motor dos membros
    • Colículo Superior – superfície dorsal do mesencéfalo –
    • feixe tecto-espinhal –
    • orientação sensório motora = POSICIONAM
    • OS OLHOS E A CABEÇA EM
    • DIREÇÃ AO ESTÍMULO
    • Aferências Multisensoriais (visuais, auditivas e somestésicas)
  • 32.
    • CÓRTEX CEREBRAL
    • Córtex Motor Primário (M1)
    • Outras áreas motoras adjacentes Feixe córtico-espinhal
    • Áreas somestésicas do córtex parietal
    • AS VIAS DESCENDENTES DE COMANDO
    • Henricus Kuypers (década de 60)
    • Moto neurônios laterais inervam principalmente a musculatura
    • apendicular distal (braços, pernas, mãos e pés)
    • Relacionado com os movimentos finos das extremidades.
    • Motoneurônio mediais inervam principalmente a musculatura axial do
    • tronco e a apendicular proximal (antebraços e ombros) sendo
    • encarregada do comando dos movimentos axiais do corpo
    • = postura e equilíbrio corporal
  • 33.  
  • 34.  
  • 35.  
  • 36.