• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Raiva, Desconfiança e Revolução: A Cidadania Ampliada desponta no Brasil
 

Raiva, Desconfiança e Revolução: A Cidadania Ampliada desponta no Brasil

on

  • 1,764 views

Face aos recentes movimentos do Brasil a AYR Consulting Worldwide lança a sua análise ao significado do que se está a passar. Disponível para download.

Face aos recentes movimentos do Brasil a AYR Consulting Worldwide lança a sua análise ao significado do que se está a passar. Disponível para download.

Statistics

Views

Total Views
1,764
Views on SlideShare
1,680
Embed Views
84

Actions

Likes
2
Downloads
30
Comments
0

1 Embed 84

https://twitter.com 84

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Raiva, Desconfiança e Revolução: A Cidadania Ampliada desponta no Brasil Raiva, Desconfiança e Revolução: A Cidadania Ampliada desponta no Brasil Document Transcript

    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    RAIVA,  DESCONFIANÇA  E  REVOLUÇÃO:    UM  VÉRTICE  DA  CIDADANIA  AMPLIADA  DESPONTA  NO  BRASIL  As  recentes  manifestações  no  Brasil  –  provavelmente  as  mais  amplas  desde  o  impeachment  de  Fernando  Collor  de  Mello  em  1992  –  representam  algo  muito  maior  do  que  apenas  um  protesto  pontual  contra  um  aumento  de  passagens  de  transportes  públicos.  Na  verdade,  elas  representam  o  despertar  dos  Brasileiros  para  a  necessidade  cada  vez  maior  de  uma  ampla  reforma  na  forma  como  as  autoridades  se  relacionam  com  o  trato  da  “coisa”  pública  e,  em  última  análise,  com  a  população  em  geral.  E  para  quem  pudesse  crer  que  o  crescimento  excepcional  do  Brasil  dos  últimos  anos  pudesse  servir  como  um  tipo  de  “anestesia”  para  reinvindicações  populares  de  ordem  moral,  o  fato  é  que  ele  serviu  –  através  do  justo  orgulho  do  progresso  e  das  conquistas  que  ele  traz  –  como  elemento  catalizador  de  uma  série  de  exigências,  justamente  para  que  este  progresso  possa  continuar  de  forma  sustentada  e  não  necessariamente  espetacular.    Isto  quer  dizer  que  uma  Macro-­‐trend  mundial,  estudada  pelo  Trends  Research  Center  (unidade  académica  da  AYR  Consulting  Worldwide,  chamada  “Raiva,  Desconfiança  e  Revolução”  –  que  até  então  se  notava  de  forma  mais  intensa  e  constante  na  Europa  e  nos  Estados  Unidos,  devido  aos  efeitos  duradouros  da  crise  financeira  –  começa  e  impor-­‐se  também  no  Brasil  e,  pelos  vistos,  de  forma  transversal  à  sociedade  e  com  efeitos  que  se  esperam  duradouros,  num  país  em  contraciclo  de  crescimento  ao  verificado  na  Europa  e  nos  Estados  Unidos.    
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    Ela  é  uma  tendência  que  reflete  uma  mentalidade  de    descontentamento  e  decepção  da  sociedade  nos  seus  poderes,  na  medida  em  que  as  pessoas  estão  cansadas  de  sentir  a  traição  pelos  governos,  políticos  e  instituições  financeiras,  tornando  sua  presença  quase  insuportável  e  prevendo  um  futuro  incerto.  Todo  este  cenário  desencadeou  raiva  e  cinismo  em  relação  aos  governantes  e  demais  instituições.  O  que  ela  mostra  com  relação  ao  Brasil  é  que  há  verdadeiramente  um  sentimento  e  uma  necessidade  de  mudanças  profundas  no  poder,  fruto  de  uma  descrença  enorme  nas  velhas  práticas  e  no  status  quo,  e  tem  um  fundo  predominantemente  moral  –  ou  seja,  a  necessidade  de  haver  lideranças  reais  que  se  firmem,  sejam  conduzidas  ao  poder  e,  sobretudo,  atuem  quando  no  poder  ou  fora  dele,  baseados  em  princípios  morais  e  éticos  verdadeiros,  duradouros  e  demonstráveis.  Isto  faz  com  que  as  recentes  manifestações  com  relação  à  subida  dos  preços  das  passagens  de  ônibus  sejam  nada  mais  de  uma  vertente  mais  tópica  de  uma  série  de  causas  e  problemas  que  a  população  quer  ver  resolvidos  de  maneira  permanente.      Não  é  por  acaso  que    o  site  www.causabrasil.com.br,  à  data  de  24  de  Junho  de  2013,  tem  na  lista  de  causas  mais  mencionadas:     Causa         %  do  total  de  menções  1. Preços  das  passagens     14%  2. Governo  Dilma  Roussef     10.52%  3. Combate  à  corrupção     9%    4. Segurança         8.19%  5. Saúde         6.49%  
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    6. Papel  dos  Partidos       5.98%  7. Educação         5.46%              E  o  que  isto  coloca  é  a  necessidade  da  população  saltar  da  Raiva,  Desconfiança  e  Revolução,  que  é  um  sintoma  do  problema,  para  um  modelo  que  lhe  permita  o  tratamento  dele.  Este  modelo  –    como  vem  sendo  estudado  na  Europa  e  nos  EUA  pela  Ayr  Consulting  Workdwide  e  pelo  Trends  Research  Center,  desde  2010  –  passa  justamente  pela  transformação  destes  sentimentos  em  correntes  de  ação  e  de  pensamento,  estruturando-­‐se  como  no  modelo  a  seguir:  Ação• “Fortalece,  suporta  e  dá  voz  ativa  à  raiva...”Exigência• “Impõe  a  população  como  decisora,  e  eu  sou  parte  dela...”Esperança• “Vou  fazer  mais  para  resolver...”• “Reclamo.  Mas  não  resolve...”Raiva• “Reduz  o  meu  poder  de  pensar  e  decidir...”Desconfiança• “Vou  lutar  por  mudanças...”RevoluçãoSentimento  Individual    Massificado“Não  há  nada  que  eu  possa  fazer  senão  reclamar...”Sentimento  Coletivo  Organizado  e  Dirigido    “Há  muito  que  pode  ser  feito  para  melhorar...”Área  de  Problema Área  de  Solução  Caso  isto  ocorra  –  e  não  há  nenhuma  razão  para  que  não  deva  ocorrer  –  então  a  “Raiva,  Desconfiança  e  Revolução”,  através  da  “Ação,  Exigência  e  Esperança”,  servirá  como  catalisadora  de  uma  enorme  mudança  para  melhor  e  duradoura  no  Brasil.  Como  indicávamos  na  nossa  Research  Note  de  14  de  Setembro  de  2011,  intitulada  “Brasil:  continuando  a  erguer-­‐se  do  seu  berço  esplêndido”  (e  que  anexamos)  esta  “Raiva,  Desconfiança  e  Revolução”  assenta  em  3  outras  Macro-­‐trends  que  oferecem  pistas,  tanto  para  governantes  e  politicos  bem  como  para  as  Marcas  que  queiram  tirar  o  melhor  partido  deste  imenso  potencial,  a  saber:  
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    1. “Cool  Compassion”  :  Para  reduzir  as  imensas  diferenças  a  problemas  sociais  que  ainda  abundam  no  Brasil  e  que:  a. Exige  cooperação  verdadeira  entre  as  autoridades  locais,  forças  de  segurança  e,  sobretudo,  as  comunidades  cujas  vidas  se  quer  mudar  para  melhor  –  em  outras  palavras  “deixem  os  seus  egos  do  lado  de  fora”,  bastante  claro  nos  movimentos  apartidários   que   temos   visto   assumirem   este   movimento,   que   além   do  apartidarismo  “proíbem”  em  suas  manifestações  presenças  partidárias  e  politicas  (bem  diferente  do  que  se  assiste  em  outros  países)  –  o  Brasil  está,  por  isso,  dando  uma  lição  de  cidadania  no  mundo;  b. Necessita   a   medição   e   divulgação   de   resultados,   para   gerar   credibilidade   e   não  perder  momento;  c. Pede   uma   visão   de   longo   prazo   –   a   integração   leva   tempo,   mas   representa   a  transformação  de  um  mercado  informal  e  opaco,  onde  o  dinheiro  fica  nas  mãos  de   bandidos,   em   um   mercado   transparente   e   fiscalizável,   onde   o   dinheiro   e   os  lucros  ficam  com  quem  investe  e  trabalha;  d. Oferece  bons  ou  excelentes  níveis  de  aceitação  e  retornos  potenciais  para  Marcas  que  queiram  fazê-­‐la  parte  das  suas  estratégias.  Áreas  de  particular  potencial  para  isto  são:  i. Educação  e  Treinamento;    ii. Saúde,  Preparação  Física  e  Esportes;  iii. Água,  Luz,  Gás  ;  iv. Comunicações  v. Construção.  2. “Total  Transparency”:  Para  dotar  esta  massa  de  gente  de  ferramentas  educacionais  e  de  conhecimento  de  consumo  que  permitam  a  realização  plena  do  seu  potencial.    Isto  coloca   de   manifesto   a   importância   vital   do   e-­‐learning   e   da   TV   Social   aplicada   à    educação   –   conforme   postulado   numa   outra   Research   Note   da   Ayr   Consulting  Worldwide,  de  Janeiro  de  2013  sobre  a  TV  Social  e  o  futuro  do  Brasil,  apresentada  no  “Social   TV   Summit   2013”,   em   Miami.   A   validade   deste   ponto   é   confirmada   pelo  relatório  do  Congresso  de  e-­‐learning  de  2010  no  Brasil,  que  informa  que:  a. 640  organizações  no  Brasil  já  têm  feito  uso  do  e-­‐learning  nos  últimos  10  anos;  b. O  valor  dos  benefícios  gerados  excede  6.4  bilhões  de  Reais/2.8  bilhões  de  Euros;  c. Investimentos   da   ordem   de   3   bilhões   de   Reais/1.3   bilhões   de   Euros  tiveram  retorno  em  6  meses.  
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.      3. “Cidadania  Ampliada”:    O   resultado   da   conjugação   das   2   Macro-­‐Trends   acima   é  catalizado  pela  “Ação,  Exigência  e  Esperança”.    Isto  não  quer  dizer  ações  ecológicas  ou  de  responsabilidade  social  –  que  já  existem  e  de  forma  bastante  ampla  e  profunda  –  mas   sim   a   real   capacidade   e   poder   da   população   de   exigir   e   gerar   mudanças   para  melhor  pelos  seus  próprios  meios:    a. Uma  população  com  melhores  níveis  educacionais  e  maior  conhecimento  de  consumo  e  compra  inevitavelmente  se  traduzirá  num  eleitorado  mais  informado  e  consciente  nas  suas  escolhas.  E  num  país  ainda  assolado  pelo  “clientelismo”  e  “caciquismo”  políticos,  isto  quer  dizer  que  o  voto  popular  será,  então,  uma  arma  realmente  poderosa  e  eficaz  para  eleger  candidatos  sérios  e  honestos  e,  ao  mesmo  tempo,  expulsar  ou  barrar  a  entrada  aos  demagogos   e   corruptos   que   só   temem   uma   coisa:   perder   os   seus  mandatos  pela  via  do  voto.  b. Isto  também  capacita  a  população  menos  favorecida  a  expor  problemas  e  lutar  por  causas  ela  mesma  (algo  que  em  grande  parte  ainda  é  feito  por  terceiros).    É  impossível  prever  por  quanto  tempo  a  “Raiva,  Desconfiança  e  Revolução”  terá  esta  faceta  tão  visível  no  Brasil  quanto  agora.  Mas  o  importante  não  é  estarmos  focados  nela  –  e  muito  menos  termos  medo  do  que  ela  traz  –  mas  sim  olharmos  para  o  seu  potencial  e  trabalharmos  para  a  sua  transformação,  ordenada,  profunda  e,  sobretudo,  sustentada,  para  a    “Ação,  Exigência  e  Esperança”.    Os  meios  existem  para  tal,  bem  como  a  vontade  de  uma  população  que  não  está  lutando  mais  apenas  pela  sobrevivência  mas  sim,  e  felizmente,  pela  continuidade  de  um  progresso  e  desenvolvimento  que  lhes  despertou  para  o  seu  potencial  e  também  para  as  suas  obrigações  e  direitos.    Portanto,  quanto  mais  esta  consciência  for  exercida,  melhor  para  o  Brasil.    Anexo:    BRASIL:  CONTINUANDO  A  ERGUER-­‐SE  DO  SEU  BERÇO  ESPLÊNDIDO  (Research  Note)  Lisboa,  14  de  Setembro  de  2011    
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.                                                        BRASIL:  CONTINUANDO  A  ERGUER-­‐SE  DO  SEU  BERÇO  ESPLÊNDIDO  (Research  Note)  Lisboa,  14  de  Setembro  de  2011  
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    Resumo  executivo:  1. Esta  é  a  1ª  Research  Note  da  Ayr  Consulting  Worldwide,  100%  focada  no  Brasil,  e  na  sua  gênese  estão  3  fatores  extremamente  importantes:  a. O  extraordinário  crescimento  do  país  nos  últimos  anos  que  o  colocou  na  “1ª  Divisão   mundial”   por   qualquer   critério   que   se   queira   aplicar,   aliado   à  transformação  da  sua  sociedade;  b. Os  riscos  que  este  crescimento  traz  no  seu  bojo;  e  c. O  imenso  potencial  ainda  não  ativado  que  o  país  tem  para  eliminar/minimizar  esses  riscos  e  conseguir  um  crescimento  sustentado  para  as  próximas  décadas.    2. Nela,  apontamos  3  Macro-­‐trends  da  Science  of  the  Time,  bem  como  os  insights  delas  derivados   que   oferecem   pistas   para   as   Marcas   que   queiram   tirar   o   melhor   partido  deste  imenso  potencial,  a  saber:  a. “Cool   Compassion”:   Para   reduzir   as   imensas   diferenças   a   problemas   sociais  que  ainda  abundam  no  Brasil  e  liberar  o  potencial  que  reside  na  imensa  massa  de  gente  que  compõe  as  suas  classes  C  e  D/E;  b. “Total  Transparency”:  Para  dotar  esta  massa  de  gente  acima  mencionada  de  ferramentas   educacionais   e   de   conhecimento   de   consumo   que   permitam   a  realização  plena  do  seu  potencial;    c. “Cidadania  Ampliada”:  Para  colocar  em  prática,  por  eles  e  para  eles,  conceitos  e  ações  que  garantam  boas  práticas  empresariais,  políticas  e  de  cidadania  para  a  sociedade  como  um  todo  e  a  longo  prazo.    3. Na  sua  preparação,  recorremos  às  seguintes  fontes  de  informação:  a. McKinsey  b. Observador  Cetelem/Ipsos  2010  c. CCEB/ABEP  (in  “Observador  Cetelem/  Ipsos  2010”)  d. IBOPE  e. IBGE  f. Transparency  International  g. Fundação  Getulio  Vargas/Ernst  &  Young  h. Small  Arms  Survey  i. Internet  World  Stats  j. Trendwatching  k. O  Globo  l. Relatório  do  Congresso  Brasileiro  de  e-­‐learning  de  2010  m. The  Daily  Telegraph  
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.        I. Muito   já   se   tem   escrito   e   falado   sobre   o   Brasil   e   como   tem-­‐se   erguido   do   “berço  esplêndido”,  expressão  do  hino  nacional  muito  usada  como  metáfora  –  há  até  não  muito  tempo  atrás  –  para  simbolizar  o  subdesenvolvimento  permanente  ao  qual  o  país  parecia  estar  condenado.      1. Nos   últimos   anos,   a   Classe   D/E,   que   durante   muito   tempo   perfazia   a   maioria   da  população,   teve   uma   fuga   de   quase   28   milhões   de   pessoas,   que   migraram   para  aumentar  os  números  da  Classe  C:    20.015.522.040.644.653.039.5 39.925.02006 2008 2010Evolução  %  das  Classes  SociaisFonte:  CCEB/ABEPClasse  A/B Classe  C   Classe  D/E      2. Este  crescimento  da  Classe  C  reduziu  os  enormes  níveis  de  pobreza  do  Brasil  e  gerou  –  talvez  pela  primeira  vez  em  toda  a  sua  história  –  uma  verdadeira  Classe  Média,  ávida  de  ter  acesso  a  muitas  coisas  que  até  então  lhe  haviam  estado  fora  do  seu  alcance  e,  
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    com  isto,  um  mercado  interno  vibrante,  aparentemente  estável  e  que  tem  recebido  grandes  níveis  de  investimentos  locais  e  internacionais.        20.015.522.040.644.653.039.5 39.925.02006 2008 2010Evolução  %  das  Classes  SociaisFonte:  CCEB/ABEPClasse  A/B Classe  C   Classe  D/E    3. Esta   nova   riqueza   gerou   um   otimismo   tangível   que,   por   sua   vez,   deu   uma   maior  dimensão  e  impulso  ao  “orgulho  de  ser  Brasileiro”  que  se  manifesta,  hoje  mais  do  que  nunca,   através   da   utilização   de   matérias-­‐primas,   cores,   e   sabores   genuinamente  nacionais   em   áreas   tão   diversas   como   as   artes,   moda,   culinária,   engenharia,  arquitetura,  manufatura,  etc.  E  um  sentimento  de  que  o  país  deixou  de  ser  “um  eterno  subdesenvolvido”,  como  se  reflete  no  quadro  abaixo,  retirado  do  “Observador  2010”,  da  Cetelem/Ipsos:      6.24.8 4.54.1 4.23.7 3.76.85.84.84.1 4.0 3.72.6Brasil Alemanha Reino  UnidoFrança Itália Espanha PortugalNuma  escala  de  0  a  10,  que  nota  dá  ao  seu  país?Fonte:  Observador  Cetelem/Ipsos  +  Cetelem  França  2009 2010  
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.      4. E   se   o   acima   reflete   o   presente,   a   população   em   geral   antecipa   um   futuro   ainda  melhor,  utilizando  palavras  como  “Otimismo”  e  “Entusiasmo”  para  descrevê-­‐lo:      42291773462914834429175 3373018103Otimismo Preocupação Entusiasmo Revolta ResignaçãoQue  palavras  mais  descrevem  o  que  sente  com  relação  ao  futuro?Fonte:  Observador  Cetelem/Ipsos  2010  Total A/B  Class   C  Class D/E  Class      5. No   entanto   –   e   por   melhor   que   os   indicadores   presentes   augurem   para   o   futuro,   o  Brasil   ainda   tem   de   superar   algumas   provas   muito   duras   para   poder   manter   este  crescimento:  a. Gestão   cuidadosa   de   recursos   financeiros,   materiais   e,   sobretudo,   humanos,  para   evitar   uma   subida   de   preços   e   custos   que   lhe   reduza   competitividade  externa  e  interna  b. E  como  indica  a  McKinsey,  no  documento  ”América  Latina:  um  foco  de  luz  no  meio   da   pós-­‐recessão   global”,   as   grandes   cidades   Brasileiras   bem   como   as  emergentes,  como  Curitiba  e  Florianópolis,  têm  que  preparar  o  futuro  através  de  planos  de  expansão  baseados  em:      i. Transparência  na  propriedade  imobiliária  e  de  zoneamento  urbano;  ii. Infraestruturas  e  redes  de  transporte  entre  cidades  de  confiança;    iii. Segurança  pública  e  ensino  público  de  qualidade;  iv. Moradias  acessíveis  e  transportes  urbanos  eficientes;    v. Parcerias   entre   os   setores   público   e   privado   para   melhor   acesso   a  serviços  públicos  e  gestão  sólida  e  transparente  da  coisa  pública.  c. Embora  as  medidas  anteriores  possam  parecer  difíceis  e  de  longo-­‐prazo,  elas  são  perfeitamente  viáveis  e,  principalmente,  vitais  para  a  manutenção  de  um  crescimento  sustentado  e  ordeiro  para  o  Brasil,  já  que:    
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.      i. Embora   a   Classe   D/E   tenha   encolhido,   existem   ainda   cerca   de   48  milhões  de  pessoas  vivendo  em  condições  ou  de  pobreza  o    pobreza  extrema,     o   que   desvia   recursos   enormes   e   contribui   pouco   para   a  economia,   seja   porque   elas   estão   no   desemprego   ou   porque   fazem  parte  da  “economia  invisível”,  que  continua  a  ser  uma  parte  sensível  da  realidade  Brasileira.  .  32,809 29,37742,19566,71684,621101,65164,86275,822 47,9482006 2008 2010Evolução  numérica  (000)  das  Classes  SociaisFonte:  CCEB/ABEPClasse  A/B Classe  C   Classe  D/E      ii. O  Brasil  ainda  tem  níveis  altos  de  analfabetismo,  predominantemente  na  Classe  D/E,  o  que  dificulta  a  sua  melhor  qualificação  e  uma  maior  migração  para  a  classe  C:    51020Regiões  Sul  e  Sudeste Nacional Região  NordesteNíveis  %  de  analfabetismo  (População  com  mais  de  15  anos)  Fonte:  IBGE  20107.5 7.310.213.929.47.53.36.29.012.110-­‐19 20-­‐29 30-­‐39 40-­‐49 50-­‐59Evolução  %  dos  níveis  de  analfabetismo  por  faixa  etária  Fonte:  IBGE  20102000 2010    • Particularmente  na    Região  Nordeste;  • Particularmente  na  população  com  entre  30  e  49  anos;  
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    • E   ao   acima   junta-­‐se,   ainda,   um   nível   não   identificado   de  “analfabetismo   funcional”,   que   é   definido   por   educadores  como  “alguém  que  foi  à  escola  e  tirou  um  diploma,  mas  que  não  consegue  entender  o  que  está  escrito  nele”.    iii. O   Brasil   ainda   sofre   de   níveis   inaceitavelmente   altos   de   corrupção,  como  indica  a  edição  de  2010  do  “Corruption  Perceptions  Index”  que  ainda  coloca  o  país  na  faixa  extremamente  perigosa  “3-­‐3.9”.    3.9 3.93.73.33.5 3.53.7 3.733.13.23.33.43.53.63.73.83.942003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010Corruption  Perceptions  Index  2003  -­‐2010  Fonte:  Transparency  International    Embora   tenha   havido   melhoras   aparentes   nos   níveis   brasileiros   dos  últimos   4   anos,   e   o   país   esteja   se   encaminhando   para   o   escalão  superior  da  faixa,  a  verdade  é  que  ele  ainda  está  muito  longe  da  faixa  “7-­‐7.9”,  o  que  o  coloca  numa  posição  que:  • Mina  em  grande  parte  a  confiança  internacional;  • Ajuda   a   perpetuar   práticas   como   a   corrupção   e  suborno  de  funcionários  públicos  e  políticos;  • Desencoraja   empresários   locais   a   investirem   mais,  devido  aos  custos  extras  que  tais  práticas  acarretam;    • Mantém   grandes   somas   de   dinheiro   escondidas   em  paraísos   fiscais   -­‐   que   poderiam   e   deveriam   ser  reinvestidas  na  economia.  iv. E  mais  importante  ainda  é  se  dar  conta  de  que  o  enorme  crescimento  e  mobilidade  social  que  estão  acontecendo  no  Brasil  foram  criados,  em  grande   parte,   por   programas   sociais   como   o   “Bolsa   Família”,   que  subsidia   famílias   menos   favorecidas   através   da   transferência  
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    condicional   de   fundos   governamentais   para   suplementar   as   suas  rendas.  E   não   importa   o   quanto   programas   como   estes   possam   ser   bem-­‐sucedidos    a  curto  prazo,  a  verdade  é  que  basta  olhar  para  o  que  está  acontecendo  na  Europa  para  ver  que  eles  não  podem  -­‐  e  muito  menos  devem  -­‐  ser  mantidos  indefinidamente.    d. Assim,  e  tendo  passado  para  a  “1ª  Divisão”  pelo  seu  próprio  esforço  –  e  por  quaisquer  critérios  de  análise  que  queiramos  aplicar  –  o  Brasil  tem  agora  uma  oportunidade  única  de  consolidar  e  expandir  este  feito  notável:  i. Combatendo  a  acomodação  e  o  excesso  de  confiança  em  igual  medida;  ii. Enfrentando   os   problemas   sérios   e   profundos   que   são   a   corrupção  disseminada,  o  analfabetismo  e  a  falta  de  segurança;  iii. Evitando  e  reduzindo  políticas  sociais  e  protecionistas  que,  mais  cedo  ou   mais   tarde   comprometerão   seriamente   a   sua   competitividade  interna  e  externa;  iv. Investindo  fortemente  em  mudar  os  novos  membros  da  sua  crescente  Classe   Média   de”passageiros   do   boom”   a   “catalistas   do   progresso”,  para   poder   ajudar   os   restantes   48   milhões   que   ainda   vivem   em  condições  de  pobreza  ou  até  sub-­‐humanas    a  tornarem-­‐se  membros  integrais  de  uma  sociedade  ordeira,  estável  e  competitiva.      e. As   necessidades   listadas   no   ponto   anterior   revestem-­‐se   de   especial  importância  na  medida  em  que  em  apenas  10  anos  o  Brasil  terá  cerca  de  60%  da  sua  população  na  faixa  acima  dos  30  anos,  e  com  uma  expetativa  de  vida  na  casa  dos  74.7  anos,  uma  situação  similar  à  de  vários  países  Europeus  de  hoje  –  com   todos   os   imperativos   de   criação   de   emprego   e   gestão   da   previdência  social   que   exigem   para   evitar   os   imensos   problemas   com   os   quais   hoje   a  Europa  hoje  se  defronta  neste  campo,  justamente  por  falta  desta  antevisão.      
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    25.629.8 32.536.445.760.066.372.4 74.71990 2007 2017  EstMovimentação  demográfica  -­‐ 1990  a  2017Fonte:  FGV/Ernst  &  YoungMédia  de  idade População  com  mais  de  30  anos  (%) Expectativa  de  vida      6. Portanto,  o  “País  do  Futuro”  (um  slogan  dos  governos  dos  anos  70  e  80  e  alvo  de  muita  incredulidade  e  até  chalaça)  chegou  à  maioridade.  E  se  o  presente  é  bom,  o  momento  certo  de  olhar  para  o  futuro  é  agora.  Agora  DEVEMOSSim,  PODEMOSAgora  TENHO  QUESim,  POSSOColetivaIndividualRecuperaçãode crescimentoCriação emanutenção decrescimento    Mas   não   se   pode   conceber   um   futuro   baseado   em   programas   e   subsidios  governamentais.   Os   Brasileiros   já   provaram   que   “Sim,   podemos…”,   e   a   população  como  um  todo  tem  de  imbuir-­‐se  do  espírito  do  “Agora  devemos…”  
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    E  as  Marcas  que  quiserem  crescer  no  e  com  o  Brasil  pelas  próximas  décadas  –  e  não  só  pelos  próximos  anos  –  podem  utilizar  as  tendências  do  consumidor  da  Science  of  the  Time   para   ajudá-­‐las   a   desenvolver   estratégias   e   articular   ações   e   programas   que  possam  dar  o  máximo  a  uma  enorme  massa  de  consumidores  presentes  e  potenciais    e,  portanto,  a  também  colher  o  máximo  de  resultados  com  isso.    II. Aplicando  as  tendências  identificadas  pela  Science  of  the  Time  para  gerar  crescimento  adicional  no  Brasil:    1. A   Science   of   the   Time   identificou   e   monitora   há   anos   10   Mega-­‐tendências   que  terão  enorme  impacto  no  comportamento  do  consumidor  pelos  próximos  anos  e,  baseados   nelas   e   na   análise   anterior   feita   neste   documento,   a   matriz   exposta  abaixo  indica  aquelas  que  mais  potencial  têm  para  gerar  insights  e  dar-­‐nos  pistas  sobre  o  que  deve  ser  feito  para  maximizar  o  potencial  de  crescimento  –  para  o  Brasil  e  no  Brasil.    Resultado-chaveResultado adicional(Mais nas grandescidades e entre asclasses mais altas)CatalizadorAgentesdemudançaCoolCompassionEmpowerMeTotal TransparencyRealidadeSocial AmpliadaDisponibilidade eacesso a informaçãorelevante eenriquecedorasempre à mãoConhecimento deProdutosAmpliadoUma dimensão adicional àinformação querecebemos de pessoas:Informação sobre osprodutos que compramosCidadania AmpliadaCoolNostalgiaTenderUrbanityEcoCool    2. O  catalista  da  mudança  é,  sem  dúvida,  “Empower  Me”,  definida  pela  Science  of  the  Time  como:      “Todos  nós  chegamos  a  este  mundo  com  potenciais  e  capacidades.  E  cada  produto,  cada  Marca,   cada   ser   humano   que   nos   dá   o   poder   de   fazer   com   que   estes   potenciais   e  
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    capacidades  se  realizem  terá  o  nosso  carinho  e  a  nossa  preferência.  Isto,  é  claro,  não  é  nada  de  novo.  Muito  pelo  contrário,  é  universal  e  eterno.  E  na  sociedade  contemporânea,  com   a   sua   competitividade,   tensão   e   desejo   de   melhoria   pessoal   permanente,   o  ‘empowerment’  é  mais  importante  do  que  nunca”.    E,  no  caso  do  Brasil,  “Empower  Me”  é  nada  mais,  nada  menos  que:  a. Dar   mais   meios   à   população   em   geral   para   continuar   a   se   desenvolver,  profissional  e  pessoalmente;  e  b. Criar  condições  para  que  os  pobres  e  menos  privilegiados  possam  realizar  o   seu   potencial   como   seres   humanos,   cidadãos   e   consumidores,  permitindo  assim  liberar  o  seu  enorme  potencial  de  progredir  –  para  eles  mesmos,   o   país   e   as   Marcas   que   eles   vejam   como   estando   ao   seu   lado  nesta  progressão.  “Empower  Me”,  em  resumo,  é  fundamental  para  promover  crescimento  adicional  no  Brasil,   ao   mesmo   tempo   em   que   dá   suporte   e   relevância   absolutos   a   “Cool  Compassion”  e  “Total  Transparency”.  Estes,  por  sua  vez,  farão  com  que  “Eco  Cool”  e  “Tender  Urbanity”  sejam  muito  mais  exequíveis  e  viáveis,  na  medida  em  que  terão  sido  entendidos  e  adotados  por  mais  e  mais  pessoas,  e  com  muito  mais  convicção  do  que  se  poderia  esperar.      3. “Cool  Compassion”  também  pode  ser  chamado  de  “Compaixão  em  Ação”  –  o  que  quer  dizer  muito  mais  do  que  apenas  ter  e  demonstrar  compaixão  pelos  menos  favorecidos,  tratando-­‐se,  na  verdade,  de  motivar  os  espetadores  e  interessados  de  passar  das  palavras  ou  dos  sentimentos  às  ações.    Ações  que  “apertem  os  botões  certos  nas  pessoas  certas”  e  gerem  as  mudanças  para  melhor  desejadas.  E  não  estamos  falando  aqui  de  “maratonas  de  caridade”  na  TV  ou  coisas  semelhantes,  mas  de  ações  verdadeiramente  criativas  e  que  rompam  as  fronteiras  até  aqui  impostas.    E  no  caso  do  Brasil,  com  os  seus  profundos  e  complexos  problemas  sociais,  o  que  estamos   falando   é   da   inclusão   na   sociedade   dos   seus   bons   elementos   e   –   uma  característica  Brasileira  que  se  aplica  a  este  caso  –  à  exclusão  dos  maus  elementos  que  escravizam  os  bons  e  negam-­‐lhes  a  realização  do  seu  potencial.    
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    344255363936453740333352284334Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-­‐Oeste Média  mundial  tolerávelHomicídios  por  100,000  habitantes  (Capitais  Regionais)  Fonte:  Small  Arms  Survey  2003 2005 2007  A  ONG  Suíça  “Small  Arms”  monitora  há  anos  o  número  de  homicídios  por  100.000  habitantes   em   vários   países,   e   o   Brasil   ainda   é   um   dos   países   com   níveis   muito  acima   daqueles   que   poderiam   ser   considerados   “aceitáveis”,   segundo   os   seus  padrões.    E  como  pode  ser  visto  no  quadro  acima,  tem  havido  mudanças  consideráveis  nos  índices  por  região:  a. O  Sudeste,  que  tradicionalmente  tinha  os  índices  mais  altos  de  homicídios  de   todo   o   Brasil,   tem   tido   uma   queda   acentuada   nos   mesmos,   mas  que  ainda  se  encontram  bem  acima  dos  “níveis  toleráveis”;  b. O  Nordeste  e  o  Sul  (este  último  tradicionalmente  uma  das  regiões  menos  violentas   do   país,   proporcionalmente)   têm   tido   subidas   acentuadas   nos  seus  níveis  de  homicídios.    36.6 36.427.144.340.124.420.045.5 47.319.5Curitiba Porto  Alegre Florianópolis Média  mundial  tolerávelHomicídios  por  100,000  habitantesFonte:  Small  Arms  Survey  2003 2005 2007  
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.      No   tocante   ao   Sul,   os   aumentos   mais   dramáticos   nos   índices   de  homicídios   notam-­‐se   em   Curitiba   –   um   modelo   de   planejamento  urbano   e   que   tinha   níveis   de   qualidade   de   vida   comparáveis   aos  Europeus  –  e  Porto  Alegre,  com  Florianópolis  conseguindo  baixá-­‐los.      56.141.935.752.428.317.420.0 20.0 20.02003 2005 2007Homicídios  por  100,000  habitantesFonte:  Small  Arms  Survey  Rio São  Paulo Média  mundial   tolerável      c. As  maiores  surpresas,  no  entanto,  vêm  do  Rio  e  de  São  Paulo  –  esta  então  com  níveis  de  homicídios  abaixo  dos  “toleráveis”,  segundo  a  última  edição  do  estudo  da  Small  Arms.  Estas  2  capitais,  com  a  sua  imensidão  territorial  e  populacional,   diferenças   sociais   extremas,   profundas   e   até   mesmo  chocantes  e  inúmeras  favelas  foram  –  e  ainda  são,  não  convém  exagerar  –  verdadeiros  focos  de  tráfico  de  drogas,  de  armas  e  níveis  ainda  intoleráveis  de  violência  urbana,  com  os  seus  assaltos,  sequestros,  tiroteios,  extorsão  e  até   mesmo,   em   alguns   casos   e   particularmente   no   Rio,   desafios   abertos  dos  traficantes  às  autoridades  que,  da  segurança  dos  seus  esconderijos  nas  favelas,  chegam  a  dar  ordens  de  fechamento  do  comércio  em  certas  áreas  e  em  certos  dias,  apenas  como  demonstração  da  sua  autoridade  e  controle  face  à  impotência  da  polícia  e  dos  cidadãos.      
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.        d. Mas   esta   situação   parece   que   está   mudando   para   melhor,   não   somente  devido   à   maior   intervenção   das   forças   de   segurança   pública   mas,  principalmente  devido  ao  seu  entendimento  que:  i. Elas  precisam  trabalhar  juntas  e  coordenadas;  ii. Não  adianta  “limpar”  uma  favela  num  dia  apenas  para  deixá-­‐la  no  outro  e,  assim:  • Permitir  a  reinstalação  dos  traficantes;  e  • Justica   a   relutância   dos   moradores   –   esmagadoramente  honestos   mas   impotentes   face   ao   poder   das   armas   e   da  intimidação   –   em   pararem   de   acobertar   os   traficantes  e/ou   ajudar   mais   ativamente   as   forças   de   segurança   a  limparem   as   suas   comunidades   do   tráfico   que   apenas   os  escraviza  e  isola  do  resto  da  população.  e. Portanto,   foi   necessário   desenvolver   uma   estratégia   nova   e   cuja   força  residisse  exatamente  em  estar  enraizada  na  comunidade,  e  foi  assim  que  em   2008   surgiu   a   Unidade   de   Polícia   Pacificadora   (UPP),   uma   idéia   da  Capitã  da  PM  do  Rio  de  Janeiro  Pricilla  Azevedo,  uma  jovem  policial  militar  que  viu  que  a  única  maneira  de  erradicar  os  traficantes  das  favelas  era  a  de  instalar   unidades   policiais   ali   de   maneira   permanente   e,   principalmente,  trabalhar  com  e  para  a  comunidade  local  e,  com  isso,  fazer  com  que  eles  se  sentissem  como  cidadãos  de  pleno  direito  –  e  que,  portanto,  têm  o  dever  de  reciprocar  este  estatuto  com  uma  postura  de  não  submissão  ativa  ao  crime  e  mesmo  trabalhar  conjuntamente  com  as  forças  de  segurança  para  ajudá-­‐las  a  erradicá-­‐lo  das  suas  comunidades.      
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.        Quando  a  Capitã  Pricilla  Azevedo  assumiu  o  controle  da  Unidade  localizada  no  Morro  de  Dona  Marta,  em  Dezembro  de  2008,  ela  teve  de  lidar  com  a  herança  negativa  deixada  pela  Polícia  Militar  que,  2  meses  antes,  invadiu  a  favela  com  o  apoio  de  carros  blindados  e  helicópteros,  mas  com  tal  grau  de  violência   que   os   residentes   consideraram   aquela   ação   apenas   uma   das  muitas  –  e  odiadas,  pela  sua  brutalidade  –  operações  de  rotina  contra  as  drogas.    Mas  desta  vez  as  coisas  ocorreram  de  forma  diferente,  e  após  2  meses  de  luta  para  expulsar  os  traficantes  a  Polícia,  em  vez  de  abandonar  o  morro,  permaneceu   lá,   com   a   Capitã   Pricilla   chefiando   a   primeira   Unidade   de  Polícia   Pacificadora   do   Rio.   Conjuntamente   com   isto,   o   governo   e   as  autoridades   locais   embarcaram   numa   campanha   de   obras   públicas   que  consumiu   alguns   milhões:   ruas   foram   pavimentadas,   casas   pintadas   em  cores  vibrantes  e  um  novo  centro  de  saúde  foi  construído  na  subida  para  a  favela.  Isto  “empurrou”  os  chefes  do  tráfico  para  fora  da  favela,  e  os  seus  subordinados   que   decidiram   ficar   lá,   mudaram   de   profissão   e   hoje   têm  trabalhos  honestos.    “Estamos  tentando  mudar  a  cultura  daqui”,  disse  a  Capitã  em  entrevista  ao  Daily  Telegraph  em  2009.  “O  mais  importante  não  é  somente  livrar-­‐se  dos  criminosos,  mas  convencer  os  moradores  de  que  não  vale  a  pena  conviver  com  o  crime.  Se  alguém  convive  com  o  crime  por  muito  tempo  passa  a  vê-­‐
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    lo  como  algo  normal  e  até  bom,  já  que  não  tem  outra.    O  que  estamos  tentando   fazer   aqui   é   mostrar   à   população   que   é   possível   ter   uma  ocupação   legal,   com   um   salário   digno   e   viver   de   forma   honesta.  Inicialmente  encontramos  alguma  relutância,  mas  depois  e  gradualmente  a  comunidade  passou  a  respeitar  o  nosso  trabalho,  o  que  já  é  uma  mudança  para  melhor  enorme”.    f. Os   resultados   foram   tão   encorajadores   que   a   iniciativa   espalhou-­‐se   a  outras  17  favelas  (representando  cerca  de  3.5%  do  total  de  favelas  do  Rio)  nos  4  anos  seguintes,  com  a  erradicação  total  ou  praticamente  total  -­‐  neste  caso  restando  apenas  alguns  poucos  bandidos  de  pouca  importância,  mas  que  cedo  ou  tarde  serão  expulsos  pela  própria  pressão  da  comunidade  –  do  tráfico.    1513180.2 1.02.53.52008 2009 2010 2011  (até  a  data)Projeto  Unidade  de  Policia  PacificadoraFavelas  com  tráfico    completamente/praticamente  erradicado  Fonte:  Wikipedia/IBGENº  de  favelas %  do  total  de  favelas  no  Rio      g. As  UPP  também  geraram  muitas  ações  e  iniciativas  complementares,  com  o  objetivo  de  “abrir  as  portas”  das  favelas  para  o  mundo  lá  fora,  para  que  os   não-­‐favelados   possam   ver   e   entender   quem   são   e   conhecer,   mais   e  melhor,  a  gente  esmagadoramente  trabalhadora,  educada  e  simpática  que  nelas   vive   –   muitos   dos   quais   sendo,   sem   que   eles   saibam,   colegas   de  trabalho…  Estas  ações  vão  de  reuniões  da  comunidade  a  palestras  a  shows  de  música  e  até  mesmo  a  empreendimentos  como  o  “Labirinto/TheMaze”,  uma   pousada   criada   e   gerida   por   Bob   Nadkami,   um   Inglês   que   se  apaixonou  pelo  Rio  e  pala  gente  das  suas  favelas,  de  onde  os  hóspedes  e  visitantes  podem  ter  uma  das  melhores  e  mais  bonitas  vistas  do  Rio.  Isto  
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    tem   atraído   mais   visitantes   –   brasileiros   e   estrangeiros   –   às   favelas,  incluindo  estudantes  da  Harvard  Public  Policies  School,  impressionados  por  esta   combinação   de   políticas   infraestruturais   e   sociais   que   trouxeram  tantas  mudanças  positivas.          h. A   população   percebeu   então   que   algo   bom,   duradouro   e   merecedor   de  apoio   estava   começando   a   acontecer,   já   que   beneficia   a   muitos   e   pode  beneficiar  a  muitos  mais.  E  o  cerco  e  tomada  do  “Complexo  do  Alemão”,  levado  a  efeito  pela  Polícia,  o  Exército  e  as  Forças  Especiais  em  Novembro  de  2010  não  somente  conseguiu  eliminar,  expulsar  ou  prender  a  maioria  dos   bandidos   que   ali   operavam   e   se   escondiam,   mas   também   –   e  possivelmente   pela   1ª   vez   em   muito   tempo   –   as   forças   de   segurança  contaram  com  o  total  apoio  da  população  do  Rio  em  geral  e  do  “Complexo  do  Alemão”  em  particular  que,  durante  as  operações:  i. Ajudou,   no   terreno   de   operações,   as   forças   de   segurança   dando  indicações  sobre  os  esconderijos,  armazéns  de  guarda  de  drogas  e  fortalezas  dos  bandidos;  ii. Além   disso,   houve   mais   de   500   chamadas   numa   só   noite   ao  “Disque  Denúncia”,  com  informação  adicional  sobre  a  topografia  e  características  de  algumas  áreas  menos  conhecidas  e  como  chegar  lá,   bem   como   informação   sobre   outras   atividades   e   negócios  ilegais  que  aconteciam  no  seio  da  comunidade;  
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    iii. E   como   um   dos   muitos   resultados   desta   ação,   uma   ONG   está  ensinando  jovens  moradores  a  fazerem  um  mapa  digital  interativo  detalhado   do   “Complexo   do   Alemão”,   para   servir   de   guia   para  moradores  e  visitantes  sobre  as  ruas,  becos,  vielas,  lojas  e  demais  pontos,   e   ensiná-­‐los   a   circular   melhor   e   mais   livremente   na   sua  própria   comunidade   e,   principalmente,   “abrindo   as   suas   portas”  para   o   mundo   exterior   ,     ajudando   a   derrubar   barreiras   e  preconceitos   e   gerando   e   alimentando   o   entendimento   entre   2  mundos  que  viviam  lado  a  lado  mas  que  pareciam  estar  a  léguas  de  distância  um  do  outro.      “Cool  Compassion”  para  o  Brasil,  portanto,  é  muito  mais  do  que  somente  ajudar.  É  o  derrubar  uma  divisão  social  insidiosa  que  ainda  impede  a  milhões  de  pessoas  o  seu  direito  ao  exercício  de  atividades  legais,  produtivas  e  geradoras  de  impostos  que,   por   sua   vez,   poderão   liberar   ainda   mais   o   enorme   potencial   adicional   que  apenas  espera  ser  aproveitado.        e. Exige   cooperação   verdadeira   entre   as   autoridades   locais,   forças   de  segurança  e,  sobretudo,  as  comunidades  cujas  vidas  se  quer  mudar  para  melhor  –  em  outras  palavras  “deixem  os  seus  egos  do  lado  de  fora”;  f. Necessita  a  medição  e  divulgação  de  resultados,  para  gerar  credibilidade  e  não  perder  momento;  g. Pede  uma  visão  de  longo  prazo  –  a  integração  leva  tempo,  mas  representa  a   transformação   de   um   mercado   informal   e   opaco,   onde   o   dinheiro   fica  nas  mãos  de  bandidos,  em  um  mercado  transparente  e  fiscalizável,  onde  o  dinheiro  e  os  lucros  ficam  com  quem  investe  e  trabalha;  h. Oferece  bons  ou  excelentes  níveis  de  aceitação  e  retornos  potenciais  para  Marcas   que   queiram   faze-­‐lo   parte   das   suas   estratégias,   particularmente  aquelas   com   maiores   necessidades   de   mão-­‐de-­‐obra   e   que   certamente  terão   entre   os   seus   funcionários   muitos   residentes   das   favelas,   e   que  certamente  gostarão  muito  de  ser  os  seus  “embaixadores”  junto  às  suas  comunidades   que,   em   troca,   certamente   reciprocarão   através   da  preferência  àquelas  Marcas  que  ajudem  na  melhoria  das  suas  condições  e  na   sua   integração   na   sociedade.   Áreas   de   particular   potencial   para   isso  são:  a. Educação  e  Formação;    b. Saúde,  Preparação  Física  e  Esportes;  c. Água,  Luz,  Gás  ;  d. Comunicações  
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    e. Construção.    4. “Total  Transparency”  representa  a  vastidão  do  poder  da  Internet  e  como  ele  pode  aproximar    o  que  é  importante  para  muitos  e  fazer  tudo  mais  claro  para  todos:  o  que  ocorre  na  nossa  vida  social;  o  que  se  passa  no  mundo  físico  ao  nosso  redor;  o  que   acontece   nos   mundos   da   política   e   das   empresas;   e,   sobretudo,   o   que  podemos  fazer  para  nós  com  isso.    Ela  é  extremamente  relevante  para  a  consecução  de  um  crescimento  sustentado  para  o  futuro,  na  medida  em  que  2  das  suas  manifestações  indicadas  no  quadro  abaixo  vão  diretamente  de  encontro  à  necessidade  e  à  oportunidade  de  liberar  o  potencial  extra  que  se  encontra  aos  milhões,  na  população  ainda  menos  favorecida  –  e  que  são,  como  vimos  antes  e  para  todos  os  efeitos,  ainda  cidadãos  restritos  ou  de  2ª  classe  -­‐  através  da  sua  transformação  e  para  levar-­‐lhes  a  oportunidade  de  praticarem  uma  “Cidadania  Ampliada”:      TotalTransparency“SEI MAIS”=“FAÇO MELHOR”“FAÇO MELHOR”=“COMPRO MELHOR”Conhecimento deCompraAmpliadoUma dimensão adicional àinformação querecebemos de pessoas:Informação sobre osprodutos que compramosRealidadeSocial AmpliadaDisponibilidade eacesso a informaçãorelevante eenriquecedorasempre à mãoAlcance nacional e mais focado nas classes C e D/ECidadania AmpliadaAlcance nacional ea todas as classes sociaisCoolNostalgiaTenderUrbanityEcoCoolMais nas grandes cidades eentre as classes mais altas    
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    a. “Realidade  Social  Ampliada”  quer  dizer  “Sei  Mais”  para  dezenas  de  milhões  de   cidadãos,   através   do   e-­‐learning,     seja   através   de   educação   e  conhecimento  adicionais  àqueles  que  já  têm,  seja  o  acesso  à  educação  e  conhecimento   básicos,   particularmente   num   país   cujas   dimensões  continentais   e   cuja   malha   de   transporte   público   ainde   é   deficiente   em  muitos  casos:  a.Via  ensino  básico  –  Uma  necessidade  vital,  para  que  os  cerca  de  19  milhões   de   analfabetos   ou   analfabetos   funcionais   possam   receber  alfabetização  ou  em  casa  ou  no  local  de  trabalho.  Ou  ainda  ter  a  sua  escolaridade  básica  complementada  e  ampliada.  b.Via  treinamento  e  formação  -­‐     Outra   necessidade   vital,   seja   para  complementar  o  ensino  básico  já  recebido  e/ou  prover  treinamento,  técnicas  e  ferramentas  profissionais  mais  avançadas.                                                            A   validade   do   que   se   coloca   acima   é   confirmada   pelo   relatório   do  Congresso  de  e-­‐learning  de                                              2010  no  Brasil,  que  informa  que:  • 640   organizações   no   Brasil   já   têm   feito   uso   do   e-­‐learning   nos  últimos  10  anos;  • O   valor   dos   benefícios   gerados   excede   6.4   bilhões   de   Reais/2.8  bilhões  de  Euros;  • Investimentos  da  ordem  de  3  bilhões  de  Reais/1.3  bilhões  de  Euros  tiveram  retorno  em  6  meses.  Em   suma,   o   potencial   existe,   e   deve   ser   encarado   como   um   caso   de   ”copo  meio  cheio”,  como  os  2  quadros  abaixo  exemplificam  e  suportam:    1,419.61,002.7426.6234.090.1480.81039.0Evolução  %  da  penetração  da  Internet  2000/2011  Fonte:    Internet  World  Stats  2011    
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    • O  aumento  da  penetração  da  Internet  no  Brasil  é  muito  acima  ao  dos  seus  concorrentes  diretos  na  América  do  Sul  e  das  médias  mundial  e  sul-­‐americana.    37.466.054.882.0 78.230.240.7Penetração  da  Internet  (%    da  população)  Fonte:    Internet  World  Stats  2011    • Mas   os   níveis   de   penetração   ainda   estão   muito   abaixo   dos  concorrentes   diretos     na   América   do   Sul,   abaixo   da   média   sul-­‐americana  e  apenas  ligeiramente  acima  da  média  mundial.    O  acima,  em  resumo,  postula  e  indica  que  o  crescimento  pessoal  e  do  PIB  no   Brasil   é   também   e   indissociavelmente   ligado   ao   crescimento   da  penetração   da   Internet,   para   que   seja   usada   como   uma   ferramenta  extremamente  poderosa  e  importante  neste  sentido.  A   parte   mais   fundamental   desta   equação   já   existe:   uma   população  maioritariamente  motivada  e  otimista,  contente  com  a  caminho  que  o  país  vem  trilhando  e  provando  os  primeiros  frutos  desta  nova  prosperidade  –  e,  portanto,   desejosa   de   mais   progresso   e   que   verá   com   bons   olhos   a  possibilidade  de  evoluírem  através  de  mais  educação  e  treinamento,  seja  em  casa,  seja  no  local  de  trabalho.  Pela   mesma   moeda,   ninguém   pode   duvidar   de   que   tal   empreitada   pede  níveis  de  investimento  enormes  de  infraestrutura  bem  como  de  software  e  hardware  de  acesso,  mas,  se  os  números  do  Congresso  de  e-­‐learning  de  2010   nos   dizem   algo   é   que   este   é   certamente   um   caminho   a   trilhar   e,  portanto,  haverá  recompensas  vultuosas  para  os  que  tiverem  a  vontade  e  os  meios  de  investir  numa  área  com  resultados  garantidos  e  com  níveis  de  retorno  rápidos.    
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    b. “Conhecimento  de  Compra  Ampliado”    quer  dizer  “mais  e  melhores  consumidores”:  a.  Maior  acesso  a  comparações  de  produtos  e  preços,  para  mais;  b.Melhor  informação  sobre  créditos  e  condições  de  pagamento,  para  mais;  c. Maiores  alternativas  de  comprar  bens  e  serviços  onde  a  sua  distribuição  ou  presença  física  ainda  não  chega;              Mas  as  compras  pela  Internet  ainda  se  encontram  em  fase  embrionária  no  Brasil,  como                atestam  os  números  do  Observador  Cetelem/Ipsos  2010  abaixo…    1618151819202005 2006 2007 2008 2009 2010Compras  online  -­‐ evolução  %    nacionalFonte:  Observador  Cetelem/Ipsos  2010    A  segurança  transacional  parece  ser  o  fator  mais  importante  para  gerar  um   crescimento   organico   de   peso   na   penetração   de   compras   pela  Internet   ,   conforme   indica   o   quadro   abaixo   onde   a   “Segurança    transacional”   é   o   fator   mais   importante   para   a   lealdade   a   uma   loja  virtual.  Ou  seja,  quanto  mais  seguro  seja  o  processo  de  compra  on-­‐line,  maiores  serão  as  chances  da  sua  expansão.    
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    8055 5346372819 16Compras  online  -­‐ Fatores  mais  importantes  para  lealdade  a  uma  loja  virtual  -­‐ Fonte:  Observador  Cetelem/Ipsos  2010        Um   aumento   na   penetração   da   Internet   no   Brasil     também   pode  contribuir  imenso  para  um  melhor  conhecimento  sobre  crédito  e  taxas  de   juros,     um   fator   crucial   para   evitar   níveis   excessivos   de  endividamento   pessoal   e   inadimplência,   bem   como   para   encorajar  maiores  níveis  de  poupança.  Numa  economia  em  crescimento  saudável,  é  normal  existirem  níveis  moderados  de  inflação  trazidos  pela  criação  de  aumento  da  demanda  e  de  crédito,  mas  que  não  devem  levar  a  um  “superaquecimento”  do  sistema,  particularmente  quando  cerca  de  45%  da  população  declara  que   “Nunca   pediu   qualquer   tipo   de   informação   sobre   crédito   e  condições   de   pagamento”   –   e   isto   num   país   onde   as   compras   pelo  crediário  são  quase  uma  instituição  nacional…      454131206Informações  mais  pedidas  sobre  créditos  e  financiamentosNacional  -­‐ Fonte:  Observador  Cetelem/Ipsos  2010        
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    Portanto,   o   “Conhecimento   de   Compra   Ampliado”   também   se   traduz  em   mais   e   melhores   poupadores,   seja   pelo   pagamento   de   melhores  preços   por   um   mesmo   produto   depois   de   haver   pesquisado   on-­‐line  (um  processo,  sem  qualquer  dúvida,  mais  rápido  e  menos  cansativo  do  que  o  off-­‐line),  mas,  também,  por  um  melhor  conhecimento  de  como  as  taxas  de  juros  cobradas  irão  afetar  o  orçamento  de  cada  um  e,  em  última   análise,   a   capacidade   de   realizar   desejos   e   preencher  necessidades  sem  sair  das  possibilidades  de  cada  um.  O  quadro  a  seguir  mostra  justamente  como  a  nova  e  emergente  Classe  C  tem  poupado  menos  do  que  as  Classes  A/B  (com  mais  posses  e  mais  conhecimento  de  consumo  e  de  juros)  e  a  D/E  (que  vê  no  aumento  da  sua  renda  disponível  uma  possibilidade  de,  finalmente,  poder  poupar  algo).  Isto  é  também  complementado  por  matéria  recente  (09/08/11)  de  “O  Globo”,  que  informa  que,  mesmo  tendo  visto  uma  redução  nos  níveis   de   inadimplência   nacionais   nos   últimos   12   meses,   o   Banco   do  Brasil   decidiu   aumentar   em   15%   a   sua   provisão   para   devedores  duvidosos  para  os  próximos  12  meses…    528584256407633150121-­‐49106Classe  A/B Classe  C Classe  D/EQuanto  poupou  durante  o  período  anterior  (em  R$)Fonte:  Observador  Cetelem/Ipsos  20102010 2009 Diferença  2010/2009    O  ponto  anterior  é  reforçado  e  suportado  ainda  mais  pela  discrepância  notada  entre  as  Classes  A/B  e  C  no  que  toca  aos  níveis  de  compras  a  crédito   e   de   colocação   de   dinheiro   na   poupança,   segundo   o  Observador  Cetelem/Ipsos  2010.    
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    10125868635 43 2 1 1 2Comprou  mais  coisas  a  créditoColocou  dinheiro  na  PoupançaRetirou  dinheiro  da  PoupançaPagou  contas  em  atrasoPagou  débitos  no  todo  ou  em  parteGastos  e/ou  Poupanças  (%)  durante  o    período  anteriorFonte:  Observador  Cetelem/Ipsos  2010Classe  A/B Classe  C Classe  D/E    Finalmente,  o  “Conhecimento  de  Compra  Ampliado”  é  uma  ferramenta  altamente   eficaz   para   dar   maior   poder   ao   consumidor,   com   os  consequentes   maiores   níveis   de   performance   para   as   Marcas   mais  competitivas  e  orientadas  para  eles,  já  que  libera  o  enorme  potencial  –  positivo   ou   punitivo   –   das   recomendações   feitas   diretamente   de  consumidor  a  consumidor,  uma  tendência  identificada  em  2009  pela  Trendwatching  e  cada  vez  mais  disseminada  onde  a  Internet  tem  mais  penetração:      
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.      c. A  “Cidadania  Ampliada”e  tendências  derivadas:    TotalTransparencyConhecimento deCompraAmpliado“FAÇO MELHOR”=“COMPRO MELHOR”RealidadeSocial Ampliada“SEI MAIS”=“FAÇO MELHOR”Cidadania AmpliadaAlcance nacional ea todas as classes sociaisCoolNostalgiaTenderUrbanityEcoCoolMais nas grandes cidades eentre as classes mais altas    a.  Se   “Total   Transparency”   obtiver   fundações   sólidas,   então   será   de  esperar   sem   sombra   de   dúvida   que   a   “Cidadania   Ampliada”   se  arraigue  e  expanda.  “Cidadania   Ampliada”   não   quer   dizer   ações   ecológicas   ou   de  responsabilidade  social  –  que  já  existem  e  de  forma  bastante  ampla  e  profunda  –  mas  sim  a  real  capacidade  e  poder  da  população  de  exigir  e  gerar  mudanças  para  melhor  pelos  seus  próprios  meios:    • Uma   população   com   melhores   níveis   educacionais   e   maior  conhecimento   de   consumo   e   compra   inevitavelmente   se  traduzirá  num  eleitorado  mais  informado  e  consciencioso  nas  suas  escolhas.  E  num  país  ainda  assolado  pelo  “clientelismo”  e  “caciquismo”  políticos,  isto  quer  dizer  que  o  voto  popular  será,  então,   uma   arma   realmente   poderosa   e   eficaz   para   eleger  candidatos  sérios  e  honestos  e,  ao  mesmo  tempo,  expulsar  ou  barrar   a   entrada   aos   demagogos   e   corruptos   que   só   temem  uma  coisa:  perder  os  seus  mandatos  pela  via  do  voto.  • Isto  também  capacita  a  população  menos  favorecida  a  expor  problemas  e  lutar  por  causas  ela  mesma  (algo  que  em  grande  parte   ainda   é   feito   por   terceiros),   bem   como   acabar   com  
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    práticas   monstruosas   como   o   trabalho   escravo,   como   indica  um   jovem   advogado   em   cujo   blog   se   pode   ler   “Menos  campanhas,  mais  ações”.      b.“Eco  Cool”  e  “Tender  Urbanity”  continuarão  a  se  afirmar,  na  medida  em  que  uma  melhor  gestão  de  recursos  mais  e  mais  se  afirma  como  vital  para  a  sobrevivência  e  a  deterioração  da  qualidade  de  vida  nas  mega  cidades  como  São  Paulo  e  Rio  começa  a  alastrar-­‐se  para  as  de  porte   médio   como   Fortaleza,   Belo   Horizonte   e   Curitiba,   colocando  assim  a  necessidade  urgente  de:  • Passar   da   “monumentalidade”   à   “praticidade”   –   enquanto   a  magnífica   e   100%   sustentável   Tocha   Olímpica   que   será  construída  na  entrada  da  Baía  de  Guanabara  é  um  símbolo  da  cidade  e  do  país  como  anfitriões  das  Olimpíadas  de  2016  e  do  seu   compromisso   de   preservar   recursos   naturais,   soluções  muito   mais   simples,   práticas   e   de   aplicação   mais   imediata  devem  ser  encontradas  para  enfrentar  problemas  prementes  -­‐  como   a   da   habitação,   por   exemplo,   como   demonstra   uma  técnica   pioneira   desenvolvida   em   Portugal,   que   recicla  garrafas  de  vidro  para  uso  no  lugar  de  tijolos:        
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.        • Passar  da”  impermanência  sonhadora”  à  “durabilidade  que  agrada”   –   enquanto   movimentos   como   o   que   vários  artistas   plásticos   de   São   Paulo   fizeram   para   humanizar   o  “Minhocão”  em  São  Paulo  remediam  temporariamente  os  problemas  que  ele  causa  para  quem  vive  ao  seu  redor,  a  integração   de   urbanismo,   beleza   e   funcionalidade  permanentes   encontrada   no   projeto   do   novo   Museu   da  Imagem   e   do   Som   em   Copacabana   aponta   um   caminho  que,   ao   mesmo   tempo   estende   o   âmbito   dos   passeios  pelas   calçadas   à   beira   mar,   convida   à   visita   ao   museu   e  devolve   à   orla   marítima   de   Copacabana,   de   maneira  permanente,   um   pouco   da   sua   beleza   arquitetônica   de  outras  épocas.        
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.    c. E,  finalmente,  “Cool  Nostalgia”  arraigar-­‐se-­‐á  mais  e  mais  nas  cidades  grandes  e  medias  –  e  particularmente  nas  suas  áreas  de  classe  Alta  e  Média,   fruto   da   inevitável   mudança   e   “igualitarismo”   trazidos   pelo  progresso  mas  que  também  reduz  os  níveis  de  exclusividade  (mesmo  que  relativa)  e  de  serviço  que  eram  o  apanágio  e  fonte  de  glamour  de  alguns  tipos  de  serviços  no  passado.  Um  bom  exemplo  disto  é  o  Retrô,  um  cabeleireiro  da  Rua  Augusta,  em  São  Paulo,  que  procura  resgatar  o  tipo   de   decoração,   glamour   e   serviço   que   abundavam   naquela   área  que  foi,  nos  anos  50  e  60,  o  verdadeiro  emblema  de  tudo  o  que  era  mais  chique  e  aspiracional.          E   tendo   decidido   fechar   esta   Research   Note   com   “Cool   Nostalgia”,   é   importante  ressaltar  que  isto  não  indicia  qualquer  tipo  de  negatividade  ou  reserva  com  relação  ao  futuro  do  Brasil.  Ao  contrário  –  como  postulado  pela  Science  of  the  Time  e  confirmado  por  um  estudo  quantitativo  feito  pela  Universidade  de  São  Francisco,  “Cool  Nostalgia”  é  uma  verdadeira  plataforma  para  o  futuro  alicerçada  em  valores  sólidos,  duráveis  e  que,   se   aplicados   consistentemente   e   com   um   otimismo   cauteloso,   trazem   apenas  estabilidade  e  progresso  sustentáveis.    E  o  que  o  Brasil  precisa,  hoje  mais  do  que  nunca  para  um  futuro  ainda  melhor,  é  disso,  e  as  tendências  do  consumidor  podem  ajudar-­‐nos  a  chegar  lá,  seja  através  do  traçado  de   grandes   linhas,   seja   através   de   uma   antecipação   e   gestão   mais   micro   de  oportunidades   e   necessidades   e   que   só   podem   trazer   bons   resultados   para   muitos  mais.  
    •  Trend  Note  –  26/06/2013    ©2013AYR  Consulting.  All  rights  reserved.  The  concepts  and  ideas  submitted  herein  are  the  intellectual  property  of  AYR  Consulting.      Sobre  a  AYR  Consulting  Worldwide  Fundada   em   2009,   a   “AYR   -­‐   Trends,   Consulting   and   Innovation”   é   especializada   em  desenvolvimento   da   inovação   e   consultoria   de   negócios   com   base   nas   Tendências   e  Mentalidades  do  Consumidor,  estudadas  através  do  Trends  Research  Center.  A  Ayr  Consulting  Worldwide  conta  com  escritórios  em  Lisboa,  São  Paulo  e  Miami  e  é  também  sócia-­‐fundadora  do   Global   Trends   Observatory,   uma   rede   mundial   de   empresas   e   instituições   dedicadas   ao  estudo   e   análise   de     Tendências   e   Mentalidades,   com   presença   em   São   Paulo,   Londres,  Amsterdam,  Bruxelas,  Bucareste,  Genebra,  Helsinki,  Lisboa,  Melbourne,  Miami,  Lisboa,  Nova  Iorque,  Estocolmo  e  Varsóvia.    24  de  Junho  de  2013  Para  mais  informações,  por  favor  contate  Luís  Rasquilha  em  luis.rasquilha@ayrww.com