Saúde e bem-estar
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Saúde e bem-estar

on

  • 6,659 views

Palestra proferida pela Dra. Flávia Ozório Pereira no Ciclo de Palestras 2010, Colégio Catarinense, Florianópolis, SC.

Palestra proferida pela Dra. Flávia Ozório Pereira no Ciclo de Palestras 2010, Colégio Catarinense, Florianópolis, SC.

Statistics

Views

Total Views
6,659
Views on SlideShare
6,644
Embed Views
15

Actions

Likes
1
Downloads
186
Comments
0

1 Embed 15

http://www.slideshare.net 15

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Saúde e bem-estar Saúde e bem-estar Presentation Transcript

    • Educando por mais saúde Flávia Ozorio Pereira. Médica Endocrinologista, mestre em Ciências Médicas, professora do curso de medicina da UNISUL. 13 /05/2010.
    • • Atualmente 40% dos adultos ou 38,8 milhões de brasileiros estão acima do peso. Deste total, 10,5 milhões podem ser considerados obesas. O Excesso de peso triplicou entre crianças e jovens nos últimos 20 anos no país (4 para 14%) • Uma em cada dez crianças em todo o mundo - 155 milhões - é obesa. Fonte: ABESO: Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade. Pacientes sujeitos a grande varia ção de peso Mecanismos compensatórios Ingestão de energia Gasto de energia História natural
    •  
      • À medida que as pessoas envelhecem, o corpo acumula impactos originados de suas escolhas.
      • Existe a escolha (que pode ser orientada) entre uma vida saudável ou uma provável incapacidade crônica.
    • No Brasil os dados são extremamente preocupantes e também colocam a obesidade infantil como um problema grave de saúde pública. • Atualmente 40% dos adultos ou 38,8 milhões de brasileiros estão acima do peso. 10,5 milhões podem ser considerados obesas. O Excesso de peso triplicou entre crianças e jovens nos últimos 20 anos no país (4 para 14%). • Uma em cada dez crianças em todo o mundo - 155 milhões - é obesa . Fonte: ABESO: Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade.
    • O que é saúde? Saúde é um estado de completo bem estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doença.
    • O que são hábitos alimentares saudáveis? Estratégias
      • Alimentação quantitativa e qualitativamente equilibrada.
      • Adequada à cada indivíduo.
      • Variada em frutas, verduras e legumes.
      • Que também esteja alinhada com sabor (sensações de prazer).
      • Aliada há hábitos de vida saudáveis.
      • Guias: pirâmide alimentar, roda dos alimentos, tabelas nutricionais, rótulos dos produtos.
    • Implicações legais Impactos no Mercado
      • Modificação na rotulagem de alimentos.
      • Legislação sobre publicidade.
      • Implicações na Merenda escolar.
    • Meios de comunicação - Legislação sobre publicidade
    • “Comerciais de fast food contribuem para a obesidade infantil terça-feira, novembro 25th, 2008 Estudo publicado no “Journal of Law & Economics”: ligação direta entre obesidade infantil e comerciais de fast food (13.000 crianças nos anos de 1979 e 1997 nos EUA).  Neste período, a quantidade de crianças obesas entre 6 e 11 anos triplicou. De acordo com a pesquisa a proibição destes comerciais nos horários infantis reduziria a obesidade de 18% na faixa de 3 a 11 anos e de 14% para os adolescentes entre 12 e 18. Noruega, Suécia e Finlândia proibiram comerciais em programas infantis, além do mais no Canada a CBC que é uma emissora pública também não veicula comerciais na programação infantil.”
    • Fatores dietéticos que afetam a ingestão de energia Densidade energética Variedade Tamanho da porção Custo Composição nutricional Ingestão de energia Disponibilidade
    • Efeito da densidade energética e volume de comida Baixa densidade energética Alta densidade energética 475 cal 11% proteína 58% carbohidrato 31% gordura 320 g 700 g
    • Lanche escolar
    • Lanche escolar
    • As necessidades nutricionais variam de acordo com:
      • idade
      • sexo
      • peso
      • altura
      • atividade física
      • estado fisiológico
      • presença de doença
      • clima
      • Câncer
      • Hipertensão arterial sistêmica
      • Diabete mélito
      • Osteoporose
      • Aterosclerose
      • Acidente vascular cerebral
      • Obesidade
      • Doença dental e oral
      NUTRIÇÃO X PREVENÇÃO:
    • Por que evitar a obesidade?
    • Complicações médicas da obesidade Flebite Estase venosa Dça arterial coronariana Doença pulmonar Função anormal Apnéia do sono Síndrome de hipoventilação Lítiase biliar Anormalidades ginecológicas Menstruação irregular infertilidade SOMP Gota AVC Diabetes Osteoartrose CâncerMama, útero, colo uterino Colon, esôfago, pâncreas Rim, próstata Doenças de fígado esteatose Esteatohepatite não alcoólica cirrose Hipertensão Dislipidemia Catarata Pele Hipertenção intracraniana idiopática Pancreatite severa
    • Apnéia do sono: roncos importantes (interfere na vida do casal). Dificuldade de obtenção de empregos. Discriminação. Timidez, retração, sentimento de culpa.. Dificuldade de locomoção: andar de avião, ônibus..... Depressão, humor deprimido. Complicações psicosociais da obesidade
    •  
    •  
    • Qual o benefício de se perder peso?
    • Sensibilidade a Insulina melhora com a perda de peso em pacientes com DMT2 * P <0.01 x antes. Wing et al. Arch Intern Med 1987;147:1749. Insulina (pmol/L) Perda de peso em 1 ano (%) 0 50 100 150 * * * Antes 0–2.4 2.5–6.9 ≥ 15 7.0–14.0
    • Lipídios Plasmáticos melhoram com a perda de peso (Metanalise de 70 ensaios clínicos) Dattilo et al. Am J Clin Nutr 1992;56:320. * P < 0.05. -0.06 -0.04 -0.02 0.00 0.02 Colesterol Total LDL-C TG HDL-C (peso estável) HDL-C (perdendo peso) D mmol/L por kg de peso perdido -2.5 -2.0 -1.5 -1.0 -0.5 0.0 0.5 D mg/dL por kg de peso perdido * * * * *
    • Relação entre alterações de peso e PA: Trials of Hypertension Prevention II Stevens et al. Ann Intern Med 2001;134:1. Mudanças no peso (kg) Mudanças na PA (mm Hg) 1 2 3 4 5 -10 -5 0 5 10 6 4 2 0 -2 -4 -6 -8 Quintile da mudança do peso Diastólica Sistólica
    • Fatores de risco modificáveis: - dislipidemia - tabagismo - sedentarismo - diabete mélito - obesidade - hipertensão arterial Fatores de risco para doença aterosclerótica
    • GUIA ALIMENTAR
      • Consumir variedade de alimentos (evitar fome oculta) .
      • Associação com atividade física – mantem e melhora o peso.
      • Dieta pobre em gordura saturada, trans e colesterol.
    •  
    •  
      • Dieta rica em grãos, vegetais e frutas.
      • Moderação nos açúcares.
      • Moderação no sal e sódio.
      • Beba muita água.
      ESCOLHAS
        • Adequar a alimentação ao rápido crescimento do início da puberdade até o final da adolescência.
        • A alimentação variada, incluindo todos os grupos alimentares (evitar fome oculta) , restringir refrigerantes, balas e outras guloseimas.
      ALIMENTAÇÃO NA CRIANÇA
        • Orientar o consumo diário e variado de frutas, verduras e legumes.
        • Controlar a ingestão de sal.
        • Consumir cálcio para formação adequada da massa óssea e profilaxia da osteoporose na vida adulta.
      • Restringir gorduras saturadas e trans.
      • Controlar ganho excessivo de peso.
      • Desenvolver atividade física regular.
    • ALIMENTAÇÃO DO ADOLESCENTE
      • Ingestão excessiva de açúcares, sódio e gorduras saturadas.
      • Deficiência de ingestão de frutas, grãos, fibras e produtos lácteos.
      • Ausência café da manhã .
    • FERRO Bife bovino/60g (2,85mg) Carne moída/60g - 4 col.sopa (1,89mg) Peito frango grelhado/60g (0,68mg) Sobre coxa frango assado (1,34mg) Feijão (concha) (2mg) 7 a 15 mg/dia (DRI/RDA 2002) 0-6 m: 0,27 (AI) 7-12 m: 11 1-3 a: 7 3-5 a: 10 9-13 a: 8 14-18 fem: 15 14-18 masc: 11 J Am Dietetic Assoc, 2003; 102(11).
    • CÁLCIO 200ml de leite (240mg) 2 fatias de queijo prato/40g (336mg) 1 ½ fatia de queijo minas/50g (342,5mg) 1 ½ colher de requeijão/45g (67,95mg) 1 pote de iogurte 120ml (200mg) 300 a 1300 mg/dia (DRI/AI 2002) 0-6 m: 210 7-12 m: 270 1-3 a: 500 4-8 a: 800 9-18 a: 1300 J Am Dietetic Assoc, 2003; 102(11).
    • Rico: Proteínas Minerais (cálcio, iodo, cobalto, fóforo...) Vitaminas A, D e B.
    •  
    • Energia (kcal/dia) EER, 2002 Menina Sedentária Pouco ativa Ativa Muito ativa 3 anos 1.080 1.243 1.395 1.649 6 anos 1.247 1.451 1.642 1.961 11 anos 1.538 1.813 2.071 2.500 16 anos 1.729 2.059 2.368 2.883 18 anos 1.690 2.024 2.336 2.858
    • Energia (kcal/dia) EER, 2002 Meninos ≠ Meninas ≈ 100 kcal aos 3-6 anos ≈ 150 kcal aos 11 anos ≈ 600 kcal aos 16 anos ≈ 800 kcal aos 18 anos
    • Obesidade na adolescência - Brasil Neutzling Int J Obesity 2000; 24, 869-74 Idade em anos % 0 2 4 6 8 10 12 14 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 meninos meninas
    • Prestar atenção ao que se mastiga: isso faz bem à saúde! Comer comendo: saboreando o alimento com gosto e atenção! Como alterar o hábito alimentar?
    • Não comer sem perceber o que está ingerindo. Comer inclui todos os sentidos, não somente o sabor! Como alterar o hábito alimentar?
    • DICAS PARA UMA EDUCAÇÃO ALIMENTAR SAUDÁVEL
      • Tenha disciplina de horários para as refeições.
      • Não torne as guloseimas um hábito.
      • Ofereça as refeições
      • à mesa e com toda
      • a família.
      um prêmio
    • DICAS PARA UMA EDUCAÇÃO ALIMENTAR SAUDÁVEL
      • Os pais/professores devem dar o exemplo de uma alimentação saudável para as crianças.
    • DICAS PARA UMA EDUCAÇÃO ALIMENTAR SAUDÁVEL
      • Não substitua uma refeição por um copo de leite.
      • Ofereça os alimentos à criança de forma estimulante.
      • Ofereça uma grande variedade de alimentos.
      • Respeite alguma aversão alimentar.
      • Desenvolver atitude favorável com relação a alimentos variados e nutritivos.
      • Encorajar a experimentação de alimentos variados.
      • Promover a compreensão sobre associação entre alimentação e saúde.
    • Pré-escolar – fatores que contribuem para sucesso
      • Envolvimento de pais e familiares.
      • Comportamento e atitudes exemplares de familiares e adultos.
      • Atividades adequadas ao nível de desenvolvimento psicomotor da criança.
    • Pré-escolar – fatores que contribuem para sucesso
      • Estratégias educativas que envolvam atividade corporal: projetos de arte, música, teatro, quebra-cabeça.
      17/04/2009 16:28 | Educação , Espírito Santo. “ Teatro é utilizado para conscientizar alunos sobre a importância de uma alimentação saudável”
    • Pré-escolar – fatores que contribuem para sucesso
      • Atividades baseadas em alimentos como: culinária, cuidado com hortas, refeições nutritivas.
    • Escolar e adolescente– fatores que contribuem para sucesso
      • Intervenções de mudanças de comportamentos específicos (↓consumo de gordura, ↑ consumo de frutas ou hortaliças, ↑ consumo de leite) apresentam > sucesso do que aquelas que abordam aspectos gerais (alimentação saudável).
      • Estratégias devem estar relacionadas ao comportamento que se deseja modificar e não apenas na transmissão de conhecimento.
      • Explorar não apenas os conceitos necessários para o entendimento da necessidade de mudança do comportamento, mas também das causas, as consequências das mudanças.
    • Recursos educativos
      • Álbum seriado
      • Flanelógrafo e imãntógrafo
      • Histórias em quadrinhos
      • Peça teatral
      • Teatro de fantoches
      • Jogos de dominó, percurso e baralho
      • Jornal
      • Mural
      • Sucata
      • Máscaras
      • Carimbo
      • Modelagem
      • Culinária
      • Horticultura
    • Estratégias para mudança de hábitos alimentares!
              • Depende da conscientização do educador!
              • Mas também: família , propaganda, governo...
    • Schools Family Local Communities Government Doctor família escola Meios de comunicação governo médico
    • Governo
    • Escola
    • Médico
      • Tratamento multidiciplinar
      • Endocrinologista, psiquiatra, psicólogo, nutricionista
      • Medicações
    • Alimentos com baixa densidade disciplina Alimentos Com pouca gordura rotina Alimentos ricos em fibras Balanceada em sua Composição nutricional Orientação alimentar
    • JOVENS... ... Um labirinto para perseguir e descobrir ... Um mistério a decodificar ... Escolhas a fazer ... Algo para ser ... Um mundo a decifrar, definir e melhorar ... Uma história não escrita ... Um papel social a conquistar pedaços... Pedaços de ideologia, Pedaço de um sonho, Pedaços de medo, Pedaços de ilusão, Pedaços de liberdade, Pedaços de segredo, Pedaço legítimo a se transformar. (Saito, AR)
    • Obrigada
    • Atividade física
    • Benefícios da atividade física regular em pessoas obesas
      • Diminuição da perda de massa magra com a perda de peso
      • Melhora a fase de manuteção
      • Melhora metabólica e cardiovascular, independente da perda de peso
    • Fase de manutenção estresse ansiedade Ativadade física Massa magra Condicionamento físico Sistema cardiovascular
    • O que é uma Alimentação Saudável
      • Diet: alimentos destinados para dietas com restrições de determinados nutrientes (açúcar, gordura, proteínas ou sódio). Mais comum: alimentos para diabéticos (açúcar é substituído por adoçantes).
      • Light: alimentos com redução comparativa, onde os alimentos podem ter teor reduzido de açúcar, gordura, colesterol ou valor energético. Para valor energético: redução mínima de 25% quando comparado com o tradicional (não light).
    • O que é uma Alimentação Saudável
      • Gorduras Trans: Gordura formada no processo industrial de hidrogenação, que transforma os óleos vegetais (líquidos) em gorduras (sólidas).
      • Aumentam o colesterol ruim (LDL-C) e reduzem o bom colesterol (HDL-C) no sangue.
      • As gorduras trans possuem propriedades semelhantes à dos ácidos graxos saturados, mas com efeitos biológicos diferentes, uma vez que seu consumo em excesso podem causar dois tipos de alterações nos níveis sanguíneos de lipídios:
        • Aumento dos níveis de LDL-C
        • Redução dos níveis de HDL-C
    • Classificação IMC (kg/m 2 ) Risco
      • Baixo peso <18.5 Aumentado
      • Normal 18.5–24.9 Normal
      • Sobrepeso 25.0–29.9 Aumentado
      • Obeso I 30.0–34.9 Alto
      • II 35.0–39.9 Muito Alto
      • III ≥40 Extrema Alto
      • Riscos adicionais:
          • Circunferência abdominal (homens >94 cm; mulheres >80 cm)
          • 5 kg ou mais de ganho de peso desde os 18–20 anos
          • Pobre atividade aeróbica
          • Raças específicas e grupos étnicos
      IMC–Associação com o risco de doenças Clinical Guidelines on the Identification, Evaluation, and Treatment of Overweight and Obesity in Adults—The Evidence Report. Obes Res 1998;6(suppl 2).