Elis Regina Vida E Obra

  • 2,202 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
2,202
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
13
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. 19/01/1982 17/03/1945 25 anos de Saudade!
  • 2. Elis Regina Carvalho Costa Nascimento em 17/03/1945, 15h10min Local : Hospital da Beneficência Portuguesa, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Filiação: Romeu Costa e Ercy Carvalho Costa
  • 3. Em 1956, aos 11 anos começou a cantar na Rádio Farroupilha. Fez parte do elenco fixo dessa emissora, onde trabalha por algum tempo. Passa a integrar o elenco fixo do programa, ganhando um pequeno cachê e presentes dos patrocinadores. Tempos depois torna-se secretária do programa: além de cantar, lê recados, nomes de aniversariantes e apresenta os candidatos. Em 1959, assinou o primeiro contrato profissional na Rádio Gaúcha. Em 1960, foi para o Rio de Janeiro. Grava para a Continental um compacto simples com as músicas “Dá sorte” e “Sonhando”. Essa mesma gravadora, em 1961, lançou o seu primeiro LP, “Viva a Brotolândia”, com calipsos e rocks, e em 1962 o segundo: “Poema de Amor”.
  • 4. BABY FACE Versão Fred Jorge MURMÚRIO Luís Antonio & Djalma Ferreira AMOR, AMOR Versão Carlos Imperial POEMA Fernando Dias DÁ-ME UM BEIJO Carol Anne Danell/ Armando Trovaioli CANÇÃO DE ENGANAR DESPEDIDA Walter Branco/ Joluz
  • 5. . Em seguida voltou para Porto Alegre, onde ficou até 1964, quando regressou definitivamente para o Rio. Cantou no Beco das Garrafas, reduto da bossa nova, onde teria aprendido com o bailarino americano Lennie Dale a célebre coreografia que lhe valeu o apelido de "Hélice Regina". Contratada pela TV Rio, passa a trabalhar ao lado de Jorge Ben, Wilson Simonal e outros.
  • 6. Tornou-se conhecida nacionalmente em 1965, ao sagrar-se vencedora do I Festival de Música Popular Brasileira da TV Excelsior, defendendo a música "Arrastão", de Edu Lobo e Vinicius de Moraes. Em seguida gravou "Dois na Bossa" ao lado de Jair Rodrigues, com tal êxito que nos anos seguintes foram lançados os volumes 2 e 3. Foi ao lado de Jair que apresentou um dos programas musicais mais importantes da música brasileira.
  • 7.  
  • 8. O Fino da Bossa, estreado em 1965 na TV Record. O programa foi o responsável pelo lançamento de diversos artistas e sucessos, como "Canto de Ossanha" (Baden Powell/ Vinicius de Moraes), "Louvação" (Gilberto Gil/ Torquato Neto) e "Lunik 9" (Gil). A partir daí a carreira solo de Elis decola. Seu disco "Elis", de 1966, traz "Canção do Sal", de Milton Nascimento, gravado aí pela primeira vez. Elis foi a primeira intérprete a gravar músicas de alguns compositores que se tornariam consagrados, como Milton, Ivan Lins ("Madalena"), Tavito/ Zé Rodrix ("Casa no Campo") e Belchior ("Como Nossos Pais").                                                     Programa O Fino da Bossa. 1966. Ba foto: os cantores Jair Rodrigues, Elisete Cardoso e Elis Regina. Acervo: AMM/CCSP   Jair Rodrigues, Elisete Cardoso e Elis Regina
  • 9. Em junho de 1967 o programa saiu do ar, porém, Elis continuou ao lado de Jair Rodrigues nos três programas da série “Frente Única - Noite da MPB” (TV Record). Casou-se em 7 de dezembro daquele mesmo ano, aos 22 de idade, com Ronaldo Bôscoli, 16 anos mais velho do que ela. Logo, nasceu seu primeiro filho, João Marcello. O casamento terminou em 1972. João Marcello Ronaldo Bôscoli
  • 10. O auge da carreira internacional de Elis aconteceu em 1968, quando cantou nas TVs inglesa, holandesa, belga, suíça e sueca. De volta à TV Record, em 1969, fez a série de programas “Elis Studio”. Em maio, viajou para Londres, onde gravou um LP com o maestro inglês Peter Knight. Em junho, na Suécia, gravou um LP com o gaitista Toots Thielemans.
  • 11. Participou de festivais e de movimentos político-musicais, como a “passeata contra as guitarras”, que visava à preservação das "raízes" da MPB contra a invasão estrangeira. Intensificou sua carreira no exterior em 1969, ano em que fez show nas principais capitais européias e latino-americanas. Um de seus discos mais marcantes, "Elis e Tom" (com Tom Jobim), foi gravado em 1974 nos Estados Unidos, onde também tornou-se popular.
  • 12. Para comemorar 10 anos de carreira, em 1974 a Pimentinha foi a Los Angeles gravar um disco com Tom Jobim. Entre os músicos que a acompanharam estava o pianista César Camargo Mariano., com quem Elis casou-se logo em seguida. Estabeleceram-se na Rua Califórnia, no bairro do Brooklin, em São Paulo. No dia 18 de abril de 1975, nasceu Pedro, seu segundo filho, na maternidade do Hospital São Luís, SP. Em 1976, mudou-se com sua família para uma casa na serra da Cantareira, SP. No dia 9 de setembro de 1977, nasceu sua filha Maria Rita, na mesma maternidade em São Paulo. Em 1981, o casal separou-se, depois de nove anos de casamento. Maria Rita Mariano Pedro Mariano
  • 13. No ano de 1979 participou do Festival de Jazz de Montreux, na Suíça, e gravou um de seus maiores sucessos, "O Bêbado e a Equilibrista", de Aldir Blanc e João Bosco, dupla que lhe forneceria inúmeros sucessos, como "Caçador de Esmeraldas", "Mestre-sala dos Mares", "Dois pra Lá, Dois pra Cá". Outras interpretações que entraram para a história foram "Upa, Neguinho" (Edu Lobo/ G. Guarnieri), "Águas de Março" (Tom Jobim), "Ponta de Areia" (Milton Nascimento/ Fernando Brant), "Folhas Secas" (Nelson Cavaquinho/ Guilherme de Brito) e "Romaria" (Renato Teixeira).
  • 14. A Pimentinha tinha - como João Gilberto - a perfeição como meta. Exigia muito dos seus músicos, dos compositores, da sua gravadora, da sua voz. Ganhamos nós, o público. Por causa do seu temperamento explosivo, da gargalhada escancarada e da forte vibração, Vinícius de Moraes apelidou-a de "Pimentinha". Outro apelido da cantora era "Baixinha", devido ao seu 1 metro e 54 centímetros de altura.
  • 15. Trabalhando com o marido César Camargo Mariano, Elis aperfeiçoou a sua voz.
  • 16. Elis foi a primeira pessoa que inscreveu a sua voz como instrumento, na Ordem dos Músicos do Brasil. A voz de Elis soava realmente como um instrumento muito bem-afinado, nada perdendo para o melhor dos Stradivarius .
  • 17.  
  • 18.  
  • 19. Elis virou o Brasil de cabeça pra baixo quando faleceu, devido ao uso de drogas, aos 36 anos. Falecimento: 19/01/1982, 11h45min, São Paulo, Brasil Causa: Parada cardíaca por overdose de cocaína misturada a whisky, para potencializar a droga.
  • 20. Ela foi velada no Teatro Bandeirantes, em São Paulo, e vestia a camiseta proibida pela Ditadura Militar brasileira no show “Saudade do Brasil”: a bandeira brasileira, com o seu nome escrito no lugar de “Ordem e Progresso”.Foi sepultada no Cemitério do Morumbi, onde recebe a visita de milhares de fãs anualmente. “ Não tenho tempo para desfraldar outra bandeira que não seja a da compreensão, do encontro e do entendimento entre as pessoas”, disse Elis, poucos meses antes de sua morte.
  • 21. Elis Regina deixou-nos a sua linda voz e uma imensa SAUDADE! Ana Maria