Your SlideShare is downloading. ×
Dinâmica dos Ecossistemas
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Dinâmica dos Ecossistemas

17,505
views

Published on

Published in: Education

2 Comments
16 Likes
Statistics
Notes
  • Muito bom!!!
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Só não gostei por causa do facto de ter imagens á frente de alguns textos e isso é chato porque não sabemos o que está ali escrito.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total Views
17,505
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
28
Comments
2
Likes
16
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. A Dinâmica dos Ecossistemas
    Factores abióticos
  • 2. Termos e conceitos
    Espécie
    Comunidade
    Ecossistema
    População
    Habitat
    Factores Bióticos
    Factores Abióticos
  • 3. Ecossistema
    É o sistema formado pelos seres vivos (comunidade), pelo seu ambiente (biótopo) e pelas inter-relações entre eles.
    Existem dois tipos de ecossistemas:
    ecossistema aquático
    ecossistema terrestre.
  • 4. Ecossistema aquático
  • 5. Ecossistema terrestre
  • 6. Espécie – grupo de indivíduos semelhantes que se reproduzem entre si, originando descendência fértil.
    Duas espécies diferentes podem cruzar-se, mas a sua descendência não é fértil, originando indivíduos híbridos.
    Égua
    Burro
    Mula
  • 7. População – é o conjunto de seres vivos da mesma espécie que vivem, num determinado momento, no mesmo habitat.
    Cardume
    Rebanho
  • 8. Comunidade – é o conjunto de populações que vivem no mesmo local, inter-relacionando-se.
  • 9. Habitat – é o local onde determinada espécie habita.
  • 10. Factores abióticos – são os componentes físicos e químicos do ambiente que influenciam os seres vivos.
    Edáficos:
    Solo
    Climáticos:
    Humidade
    Temperatura
    Luz
  • 11. Temperatura – A actividade dos seres vivos é fortemente influenciada pela temperatura do ambiente.
    Cada espécie só consegue sobreviver entre certos limites de temperatura – Amplitude térmica de existência.
    Temperatura máxima;
    Temperatura mínima;
    Temperatura óptima.
  • 12. Espécie Homeotérmica – Espécie cujos indivíduos mantêm constante a temperatura corporal, independentemente da temperatura ambiente.
    Mamíferos
    Aves
    Espécie Endotérmica – Regula a temperatura corporal através da produção de calor metabólico ou por mecanismos que permitem a retenção ou perda de calor.
  • 13. Espécie poiquilotérmica – Espécie cujos indivíduos variam a temperatura corporal de acordo com a temperatura ambiental.
    Répteis
    Espécie Ectotérmica – Espécie cujos indivíduos dependem de fonte de calor externa para manter a temperatura corporal.
  • 14. Espécie estenotérmica – Apenas suporta reduzidas variações de temperatura.
    Chinchila dos Andes -Chinchilla lanigera
  • 15. Espécie euritérmica – Tolera grandes variações de temperatura.
    Robalo - Dicentrarchus labrax
  • 16. Adaptações às temperaturas desfavoráveis:
    Migração
    Estivação
    Hibernação
    Adaptação morfológica
  • 17. Migração – Percorrem as mais variadas distâncias em busca de um local para reprodução ou melhores condições climáticas e abundância de alimentos.
  • 18. Redução das actividades vitais para valores mínimos, ficando num estado de vida latente.
    Se ocorre no Verão:
    Estivação
  • 19. Redução das actividades vitais para valores mínimos, ficando num estado de vida latente.
    Se ocorre no Inverno:
    Hibernação
  • 20. Adaptações morfológicas – Permitem aos animais resistir a temperaturas desfavoráveis, frias ou quentes:
    Quantidade de gordura subcutânea
    Tamanho e densidade dos pêlos
    Tamanho das orelhas e focinho
    Glândulas sudoríferas
    Cutícula / Revestimento impermeabilizante.
  • 21. Adaptações morfológicas que permitem resistir às temperaturas baixas (perda de calor é mínima) :
    Pêlos mais densos / compridos
    Grande teor de gordura
    Extremidades mais curtas
  • 22. Adaptações morfológicas que permitem resistir às temperaturas altas (facilita a perda de calor para o meio e evita o sobreaquecimento):
    Pêlos menos densos / curtos
    Menos gordura
    Maior superfície corporal em contacto com o exterior – orelhas compridas.
  • 23. Adaptações morfológicas que permitem às plantas resistir às temperaturas baixas:
    Plantas anuais
    Plantas bienais
    Plantas vivazes ou perenes
    Adaptações morfológicas que permitem às plantas resistir às temperaturas altas:
    Espinhos
    Caules e folhas suculentas
  • 24. Adaptações das plantas às baixas temperaturas
    Plantas anuais:
    Não conseguem suportar o frio, deixando as sementes para germinar no ano seguinte.
    Plantas bienais:
    Perdem a sua parte aérea mas mantêm a parte subterrânea.
  • 25. Adaptações das plantas às baixas temperaturas
    Plantas vivazes ou perenes:
    Mantêm a sua estrutura todo o ano apesar de algumas serem de folha caduca.
    Folha persistente – Árvores com copa em Δ, folhas pequenas cobertas por uma cutícula.
    Folha caduca – Árvores que deixam cair a folha e ficam em estado de vida latente.
  • 26. LUZ
    Influência da luz nas plantas
    Plantas de luz ou heliófitas – Nos estratos superiores das florestas ou em terrenos abertos - Precisam de muita luz.
    Plantas de sombra ou esquiáfitas - Nos estratos inferiores ou nas fendas de rochas - Precisam de pouca luz.
    Begónia
    Orquídea
  • 27. Influência da luz nos animais
    Migrações – um aumento do fotoperíodo leva à migração das aves para norte, enquanto que o movimento para sul é determinado pela diminuição do fotoperíodo.
  • 28. Influência da luz nos animais
    Cor da pelagem – alguns animais mudam de pelagem consoante a estação do ano. Por exemplo: arminho e raposa do Árctico.
  • 29. Influência da luz nos animais
    Bioluminescência– devido à escuridão existente nas profundidades dos oceanos, alguns animais são capazes de emitir luz através de órgãos apropriados.
  • 30. Influência da água nas plantas
    Hidrófitas – plantas aquáticas, vivem no interior de massas de água
    Xerófitas – plantas de clima seco, adaptadas à captação e armazenamento de água
  • 31. Influência da água nos animais
    Impermeabilização do tegumento para evitar a perda de água. Exemplo: Escorpião
    Diminuição da produção de urina. Exemplo: Rato-canguru
  • 32. Solo
    Parte não viva
    Parte viva
    Vários organismos
    Decomposição
    Húmus