1182 2767-1-sp
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

1182 2767-1-sp

on

  • 494 views

 

Statistics

Views

Total Views
494
Views on SlideShare
494
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
3
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

1182 2767-1-sp 1182 2767-1-sp Document Transcript

  • PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA RELATÓRIO FINAL DE ATIVIDADES (AGOSTO/2009 A AGOSTO/2010) Gênero Acadêmico Pôster Karoline Schulze de Oliveira Prof.ª Dr.ª Luciana Pereira da Silva Modalidade: PIBIC/ UTFPR CAMPUS CURITIBA, agosto 2010
  • GÊNERO ACADÊMICO PÔSTERResumo: Este trabalho, gestado no grupo de pesquisa Gêneros acadêmicos: análise constitutiva e elaboração desequência didática , na Universidade Tecnológica Federal o Paraná (UTFPR), tem por objetivo investigar ascaracterísticas e as funções do gênero pôster no meio acadêmico, devido a sua relevância nesse meio e, também,à pequena quantidade de pesquisas existentes referentes a esse gênero. O gênero acadêmico pôster pode serdefinido, preliminarmente, como um trabalho que objetiva apresentar de forma clara os resultados de umapesquisa completa, ou seus resultados parciais. Para isso foi realizada a coleta de quatro pôsteres de diferentescampos da área acadêmica, humanas e exatas, procedentes da UTFPR e UFPR, não havendo a necessidade deobservar seu conteúdo, a fim de compará-los. O trabalho é baseado na concepção de gêneros bakhtiniana (2003)e nos trabalhos de didatização dos gêneros do grupo de Genebra (Schneuwly e Dolz, 2004). Após verificar ascaracterísticas do gênero pôster, elabora-se um modelo didático gênero (Machado e Cristóvão, 2006), que servirácomo base para a construção de uma sequência didática para o gênero acadêmico pôster que possa ser aplicadaem grupos-controle.Palavras-chave: Gêneros textuais – pôster – Modelo didáticoINTRODUÇÃO De acordo com Bakhtin (2003)1, os gêneros do discurso são formações complexasque possibilitam a compreensão e a produção de textos. O gênero molda o discurso de formanatural e imperceptível, possibilitando qualquer forma de comunicação, adaptando- se a umcontexto histórico e social em que está inserido e, como são infinitas as situações sociaisexistentes, os gêneros do discurso tornam-se também infinitos. Bakhtin divide os gêneros emprimários, equivalentes a situações mais cotidianas, e secundários, pertencentes a situaçõesmais complexas e normalmente mediados pela escrita. Os gêneros são agrupados emdiferentes esferas do conhecimento ou domínios discursivos, possibilitando, assim, aabordagem de diversas finalidades para diferentes circunstâncias. De acordo com a distribuição sugerida por Schneuwly e Dolz (2004), encontram-sedentro do universo dos gêneros do discurso os gêneros textuais acadêmicos, formados portextos que figuram nesse meio, como ensaio, resenha, artigo científico, tese, dissertação, etc.Esta análise, integrante do projeto “Gêneros Acadêmicos: análise constitutiva e elaboraçãode sequencia didática” desenvolvida no projeto de Iniciação Científica da UniversidadeTecnológica Federal do Paraná2, estudará o gênero pôster no âmbito acadêmico. O pôsterdiferencia-se dos demais gêneros que veiculam textos acadêmicos, pois ele é utilizado paraexibir de forma clara os resultados de uma pesquisa completa, ou seus resultados parciais, nãocomo outros gêneros que constituem a pesquisa em si, ou seja, são gêneros que compõem apesquisa durante a sua elaboração. Tendo em vista essas considerações, define-se o tema desta análise, que tem seufoco no pôster acadêmico. Utilizando sugestões de Machado e Cristóvão (2006), busca-seelaborar um modelo didático.31 As seções fundamentais propostas pelo modelo para elaboração do relatório final foram modificadas, pois nãose enquadram na proposta dessa pesquisa, visto que a mesma pertence ao curso de Letras.1 O trabalho de Bakhtin foi escrito por volta de 1952. Seus fragmentos foram publicados pela revista “EstudoLiterário” (1978, n° 1, PP. 200-19). O fenômeno dos gêneros do discurso foi estudado por Bakhtin ainda nostrabalhos da segunda metade dos anos 20. (Bakhtin, 2003, 443)2 Grupo formado, inicialmente, pelos acadêmicos Ágata Rosalina Erhart, Aline Cristina de Souza, AndriusFelipe Roque, Caroline da Silva Santos, Jeferson Barboza Torres, Karoline Schulze de Oliveira e Tassia RaffoSetti, e pela doutora Luciana Pereira Silva.3 A referente pesquisa teve aceitação no Centro de Encontro Lingüísticos do Sul de Outubro de 2010, sendoapresentado em forma de pôster. A carta de aceitação pode ser encontrada nos anexos desse trabalho.
  • METODOLOGIA O gênero acadêmico pôster apresenta resultados de pesquisas previamenteexecutadas, normalmente exposto ao público, com o intuito de chamar a atenção para otrabalho. Não se encontra um número relevante de pesquisas existentes referentes ao gêneropôster, por conseguinte, não há muitos teóricos que o abordam diretamente. Grande parte domaterial bibliográfico sobre esse gênero está em Língua Estrangeira, dificultando o acesso àsinformações sobre o mesmo. O pôster vem se tornando cada vez mais freqüente em encontros científicos, por suapraticidade e fácil exposição, e também é utilizado em diversas áreas do conhecimento,possibilitando maior divulgação sobre o trabalho em questão. Nesta pesquisa utilizaremos como referencial teórico os trabalhos de Andrade eLima (2006), Costa (2001) e Lorenzoni (2007). A partir da concepção desses autores, busca-se desenvolver as características e funções desse gênero e como é feita sua apresentação. Baseando-se em Andrade e Lima (2006), abordaremos as principais características efunções do pôster. De acordo com as autoras, as funções do pôster são: traduzir os conceitos, informações e dados mais relevantes de uma pesquisa concluída ou em andamento; indicar o que seja a pesquisa, quem a faz, orientado por quem, auxiliado ou patrocinado por quem, como contatá-lo, etc.; apresentar as relações identificadas nos diferentes tópicos da pesquisa e de seu processo; apresentar o pesquisador de maneira direta, através da clareza de exposição, lucidez da pesquisa, concisão e coesão da argumentação. (p. 5) As pesquisadoras sugerem que os elementos constitutivos do pôster podem serdivididos em três diferentes grupos que são: itens preliminares, argumentação e itenscomplementares. No primeiro grupo, encontra-se o resumo, um importante gênero acadêmico que fazparte do pôster. O resumo constitui a síntese dos pontos mais relevantes do trabalho, taiscomo: tema, problema de pesquisa, justificativa, objetivo(s), material e método proposto, osresultados alcançados, conclusões e recomendações. O segundo grupo proposto pelas autoras é a argumentação que contém a introdução,na qual são apresentados a problematização, a hipótese, a justificativa e os objetivos,redigidos em um texto contínuo com poucos parágrafos. A problematização trata do tema quese deseja provar ou desenvolver, situado na área do conhecimento abordada. O tema podesurgir de diferentes formas, como dificuldade enfrentada pelo pesquisador, da curiosidadecientífica, desafios encontrados em outros trabalhos ou teorias ou ter sido solicitado por outraspessoas. Podem-se formular perguntas na introdução, relacionadas com a problematizaçãoapresentada anteriormente. A hipótese apresenta possíveis soluções para o problemaespecificado, mostrando, assim, uma resposta provisória ao problema, realizando suposiçõespara se explicar o que se desconhece. Na justificativa há uma exposição sucinta dos motivosque legitimam o trabalho, ressaltando a importância da pesquisa no campo em que ela seinsere e nela não são apresentadas citações de outros autores. Finalmente, os objetivoscontidos na introdução do pôster tratam da principal proposta do trabalho, dizendo de formaprecisa os fins que se propõe alcançar com a pesquisa, ou seja, qual é o seu objetivo. Osverbos apresentados devem estar na forma infinitiva. Ainda no grupo argumentativo, as autoras colocam materiais e métodos, que tem comofunção explicar o que foi ou será pesquisado, seres animados ou inanimados, descrevendosuas características comuns e os procedimentos adotados ou técnicas utilizadas, comoobservação, entrevista ou questionário. Essas informações são colocadas de forma clara e sãoadequadas ao problema que é investigado, sendo citada a avaliação a que foi submetida àproposta de pesquisa do Comitê de Ética em Pesquisa ligado à instituição. View slide
  • Também fazem parte da argumentação contida no pôster os resultados obtidos com apesquisa. Assim, levantam-se os dados com o intuito de proporcionar ao leitor do pôster umavisão mais adequada dos mesmos. Os resultados são comparados e analisados com a teoriautilizada, resultando em uma conclusão feita por parte do autor do pôster. Quando pertinente,utilizam-se ilustrações, tabelas ou figuras que proporcionam uma melhor visualização dosresultados e idéias. Como parte final do grupo argumentativo, encontra-se a conclusão, na qual éapresentada a resposta final à(s) hipótese(s) anterior(es). Dessa forma, o autor do pôstermanifesta seu ponto de vista, contudo de forma impessoal, sobre os resultados encontrados esobre o alcance dos mesmos, unindo todos os resultados desenvolvidos no trabalho. Naconclusão não há citações e não são abordados resultados que não são evidentes no trabalho. Nos itens complementares, encontram-se as referências bibliográficas. Ao elaboraruma pesquisa é imprescindível a menção de documentos que serviram de base para suaprodução e para que esses documentos sejam identificados é necessário estarem presentes nasreferências bibliográficas definidas no padrão proposto pela Associação Brasileira de NormasTécnicas (ABNT), facilitando a localização dos mesmos. (ANDRADE e LIMA, 2006). Asdivisões citadas anteriormente, propostas por Andrade e Lima (2006), são observadas nopôster presente em anexos. Porém, neste os tópicos não estão colocados exatamente como asautoras descrevem, mas são localizados os elementos constitutivos principais: itenspreliminares, argumentação e itens complementares. Este exemplo não apresenta algunsitens, como materiais e métodos, uma vez que seu conteúdo não os exige. O pôster é feito para ser exibido e lido. Dessa forma, seu tamanho é maior comparadocom outros trabalhos acadêmicos com a função de facilitar a leitura. O pôster pode terdimensões variadas de acordo com a instituição de que é procedente; porém, de acordo com aAssociação Brasileira de Normas Técnicas, seu tamanho padrão é 0,90 metros de largura por1,20 metros de altura. Para Costa (2001), o pôster possui semelhança com o cartazpublicitário, portanto ele afirma “os posters devem ser sintéticos e apelativos. A informaçãoapresentada deverá ser retida facilmente.” (COSTA, 2001, p.2) A impressão do pôster é feita por empresas gráficas especializadas, que o imprimemem tamanho maior, adequado ao gênero, já que o mesmo possui função expositiva, podendoser confeccionado pelas mesmas ou elaborado pelo próprio autor. O programa computacionalnormalmente utilizado para este fim é o Microsoft Power Point, que, de acordo comLorenzoni et al. (2007), parece ser a maneira mais simples e barata de confeccionar otrabalho, tendo em vista que o custo para o feitio do pôster varia e pode ser elevado. Osmesmos pesquisadores apontam cabeçalho e título como elementos importantes no gênero,pois a procedência e a autoria da pesquisa são essenciais para a autenticidade da mesma.Normalmente o logotipo da instituição é colocado no trabalho, expondo, assim, sua origem eimportância. Não há nessa análise a necessidade de um aprofundamento dos elementos pertencentesao gênero, já que o objetivo da pesquisa não é indicar ao leitor como produzir um pôster, massim observar suas características a fim de compreender melhor o gênero aqui estudado. A seguir aborda-se o gênero pôster à luz de Lorenzoni et al. (2007) no momento emque o mesmo é apresentado, uma observação fundamental, já que esse trabalho é elaboradocom o intuito de ser apresentado a um público. Para que o pôster seja apresentado em um evento acadêmico é necessário enviar umresumo para ser analisado pelos organizadores do mesmo, resultando na aprovação ourejeição do trabalho; caso esse seja aprovado, recebe-se uma carta de aceitação. Ao elaborar opôster, o autor deverá adequar sua pesquisa às normas técnicas colocadas pela coordenação doprojeto. Em seu artigo, os autores expõem dois formatos para a apresentação de pôsteres emeventos. O primeiro formato aborda uma sessão aberta, na qual os trabalhos ficam expostos View slide
  • lado a lado em uma área ampla e normalmente há uma recepção de abertura. No segundoformato proposto, o autor do pôster permanece junto ao seu trabalho, disponível parapossíveis questionamentos e discussões com os visitantes interessados. Em alguns eventosocorrem visitas aos pôsteres coordenadas por um moderador. Lorenzoni et al. aponta que asvantagens de expor uma pesquisa através desse gênero são a possibilidade de avaliar otrabalho em seu todo de forma rápida de assimilação, discutir o trabalho diretamente com seuexecutor, se o formato de apresentação for o segundo mostrado anteriormente, esclarecer apesquisa com figuras, gráficos e tabelas, pois normalmente esses recursos são explorados nogênero e possibilitar a comunicação, uma vez que em encontros acadêmicos internacionais,pesquisadores que não dominam totalmente o idioma falado, mas leem e escrevem tem aoportunidade de expor seu estudo. Considerando-se as definições apresentadas, pode-se, então, focar essa pesquisa emsua idéia central, que consiste na análise de pôsteres. Para isso, utilizaremos como teoria omodelo didático sugerido por Machado e Cristóvão (2006), para que haja uma melhordisposição do tema.RESULTADOS A partir do gênero pôster, observaremos sua situação de produção, seus conteúdostípicos, as formas de mobilização desses conteúdos, a construção composicional característicado texto e o estilo particular do gênero, propostos por Machado e Cristóvão (2006). Para isto,serão analisados os seguintes pôsteres coletados para o corpus do Grupo de IniciaçãoCientífica da UTFPR4 Título Autoria Instituição A Projeto de Pesquisa Alunas: Shara Aline Roza; Marília C. UTFPR Torres Orientadora: Luciana Pereira da Silva B Introdução aos problemas de Aluno: Fernando de Ávila Silva UFPR equilíbrio e estabilidade de Orientador: Carlos Henrique dos E.D.P’s Santos C Delimitação e avaliação do Aluno: Alexei Nowalski UFPR grau de degradação das APP’s Orientador: Leonardo José Cordeiro na bacia hidrográfica do rio Santos Sagrado (Morretes/PR): Colaborador: Eduardo Vedor de Paula subsídios para a delimitação das áreas prioritárias à recuperação ambiental D Efeitos de uma droga Aluno: Douglas Hideki Tanaka UFPR canabióide sobre a pressão Orientador: Fabiano Montiani Ferreira intra-ocular de cães Co-orientador: Alexandra Acco Colaboradores: Jociane Tokarski; Alex Maiorka Durante a escolha do corpus, optou-se por coletar pôsteres de diferentes áreas doconhecimento, o primeiro deles (A) pertence à área de humanas, pois foi elaborado por4 Os links que contém os pôsteres podem ser encontrados nos anexos. Devido a limitação do tamanho doarquivo, proposta pela organização do evento, as imagens não foram inseridas no corpo do trabalho.
  • estudantes do curso de Licenciatura em Letras Português e Inglês da UTFPR e é relativo àLingüística. O segundo pôster (B) foi produzido por um estudante do curso de Matemática daUFPR e, portanto, pertence à área de exatas. O terceiro componente do corpus (C) foi feitopor um aluno de Geografia da UFPR. O quarto e último exemplo (D) é específico da área deMedicina Veterinária, proveniente da mesma instituição. Mesmo pertencentes ao mesmogênero acadêmico, os componentes do corpus possuem suas peculiaridades, devido àsdiferentes áreas a que pertencem. A seguir analisaremos o corpus conforme a teoria propostaanteriormente, com o intuito de localizarmos tais recorrências e particularidades. Em relação à situação de produção do gênero em questão, as autoras colocam que osprincipais pontos a serem considerados são: quem é o emissor, em que papel social se encontra, a quem se dirige, em que papel se encontra o receptor, em que local é produzido, em qual instituição social se produz e circula, em que momento, em qual suporte, com qual objetivo, em que tipo de linguagem, qual é a atividade verbal a que se relaciona, qual o valor social que lhe é atribuído, etc. (MACHADO E CRISTÓVÃO, 2006, p. 11) Nota-se, então, que todos os exemplares circulam no âmbito acadêmico, já que foramelaborados por estudantes de graduação das universidades mencionadas anteriormente, alémde professores, mestrandos e doutorandos que atuam, normalmente, como orientadores, maspodem também ser colaboradores no trabalho, como pode ser percebido nos exemplos aseguir. No primeiro pôster aqui analisado nota-se, então, os diferentes papéis sociais dosemissores do trabalho: o grupo é composto por duas graduandas, alunas do curso deLicenciatura em Letras Português e Inglês da UTFPR, realizadoras do trabalho e por umaprofessora doutora da instituição, orientadora da pesquisa. O trabalho foi produzido comoforma de avaliação na disciplina de Laboratório de Textos Acadêmicos, apresentado em salade aula e posteriormente exposto na 1ª Semana Acadêmica de Letras da UTFPR. O pôster B,por sua vez, tem como emissor um graduando do curso de Matemática da UFPR, orientadopor um professor da mesma instituição. Seu trabalho foi feito a partir de um projeto chamadoPET Matemática, um programa de ensino tutorial que desenvolve esse tipo de trabalhoextracurricular acadêmico, que, provavelmente, foi exposto em algum evento proveniente domesmo projeto. Nota-se que no pôster C atuam os seguintes papéis sociais: um graduando docurso de Geografia da UFPR, bolsista do CNPQ, autor da pesquisa, orientado por um PhD,professor da mesma instituição e, por fim, um mestre e doutorando, que atua comocolaborador. O trabalho foi produzido na UFPR como parte integrante do Projeto de Pesquisado graduando e bolsista. O pôster D, por fim, foi produzido por um aluno em graduaçãoparticipante como voluntário em uma Iniciação Científica, estudante do curso de MedicinaVeterinária na UFPR, orientado por um professor e um co-orientador. Dois colaboradorestambém são sinalizados no pôster, que foi feito para ser apresentado em um evento acadêmicopróprio para Iniciação Científica na UFPR (EVINCI). Pudemos notar que todos os pôsterescoletados foram elaborados por alunos em período de graduação, orientados por professorescom maior nível de formação. Assinala-se que normalmente o momento de produção dopôster acompanha as pesquisas iniciais dos alunos: “A apresentação de um pôster constitui,frequentemente, a forma segundo a qual os jovens divulgam os seus primeiros resultadoscientíficos” (COSTA, 2001, p.1). Na analise feita acima pudemos observar os pontosconsiderados relevantes pelas autoras na situação de produção do gênero e, finalizado estetópico, daremos continuidade à análise trabalhando agora com os conteúdos típicos quecompõem uma pesquisa. Partindo do posicionamento de Andrade e Lima (2006), pode-se afirmar que osconteúdos típicos presentes no pôster geralmente abrangem resultados de pesquisas originaiscompletas, ou resultados parciais de pesquisas que estão em andamento, feitas por pessoasque participam do meio acadêmico e científico, como, por exemplo, alunos de graduação. Naforma de mobilização dos conteúdos presentes do pôster, o texto usualmente se mobiliza para
  • o mesmo fim, que se dá na exposição do mesmo, com o intuito de apresentar as principaisidéias do trabalho para uma comunidade específica, sendo avaliado ou somente apresentandoos resultados obtidos. O pôster A do corpus, por exemplo, foi feito com o propósito de seravaliado em sala de aula; contudo, posteriormente, foi exibido em um evento acadêmico, como objetivo de expor o trabalho realizado, o que pode futuramente ser mencionado no currículoacadêmico das idealizadoras. Os demais exemplares tinham exclusivamente como forma demobilização a apresentação de seu conteúdo, não sendo este avaliado. Tendo em vista a construção composicional dos pôsteres, Lorenzoni et al. (2007)considera que alguns tópicos devem ser desenvolvidos no corpo do texto do pôster: “O corpodo texto deve conter: resumo, introdução, material e métodos, resultados, discussão ereferências. Tabelas e figuras podem ser usadas para facilitar a visualização dos resultados egeralmente são colocadas nos resultados. (LORENZONI et al., 2007, p. 307). Contudo, oartigo de Lorenzoni et al. destina-se a estudantes de Medicina da Universidade Federal doParaná, logo tópicos como material e métodos e resultados são relevantes para os estudoscientíficos deste campo acadêmico, mas não são encontrados em pôsteres como os exemplosA e B do corpus, devido aos mesmos pertencerem às ciências humanas e exatas. Os pôsteresA e B utilizam informações teóricas para ancorar seus argumentos. Já nos exemplos C e D,pertencentes às disciplinas Geografia e Medicina Veterinária, os tópicos materiais e métodos eresultados estão presentes, uma vez que o teor prático destas ciências exigem a utilização demateriais mais palpáveis para dar continuidade a suas pesquisas. No pôster C foi usado comomaterial referencial o Código Florestal Brasileiro, a fim de delimitar uma área a ser estudada;no pôster D foram utilizados animais e medicamentos. O resultado apresentado no exemplo Cé a descoberta de novos dados a respeito da pesquisa realizada pelo estudante, enquanto osresultados do exemplar D são os efeitos dos medicamentos aplicados nos animais. Os demaistópicos são recorrentes em todos os exemplares, com exceção do pôsteres C e D, que nãocontém resumo. Uma possibilidade de explicação para essa ausência no pôster C é o fato de otítulo do mesmo ser mais extenso em comparação com os demais, podendo este “resumir” osmotivos da pesquisa. A ausência de resumo no exemplar D não pode ser explicada. Os tópicosque constituem o pôster devem ser inseridos conforme a ordem apresentada, não podendo, porexemplo, o tópico “resultados” ser inserido antes de “introdução”. O cabeçalho também é umaimportante característica do gênero, que contém a autoria e procedência do trabalho. Imagenscomo o logotipo da universidade, do evento no qual o pôster será apresentado, dodepartamento do curso acadêmico, etc. podem também aparecer junto ao cabeçalho. Todos osquatro componentes do corpus levam o logotipo da universidade a qual pertencem, massomente o exemplo D leva o logotipo do evento no qual o pôster foi exibido (EVINCI). Éimportante observar que a presença de um logotipo específico de um evento tornará o pôsterinadequado para ser apresentado em outras ocasiões, logo só devem ser inseridos em casosparticulares e, caso haja um interesse futuro em reapresentar o trabalho, deve-se reformular opôster sem as especificações de eventos anteriores. Em respeito ao estilo particular do pôster, no qual se busca encontrar elementosessenciais para sua caracterização, destacam-se as unidades de linguagem com as quais sãoelaborados os textos do gênero em questão. Assim, verifica-se que a linguagem do pôster édireta e os textos são curtos, para serem lidos com mais facilidade. O resumo presente nopôster, por exemplo, tem dimensão menor se comparado aos demais gêneros acadêmicos. Emtodos os exemplos do corpus o texto é sintetizado, com exceção do pôster B, cuja linguagemmatemática não pode ser resumida, pois a omissão de qualquer elemento prejudicaria seuresultado final. Além disso, o pôster frequentemente apresenta imagens, tabelas ou gráficos,componentes diferenciados que auxiliam a linguagem e proporcionam uma melhorvisualização dos tópicos e do conteúdo apresentado. Os quatro objetos desta análise possuemtais componentes, sendo estes em alguns casos não apenas auxiliares, mas sim indispensáveis,
  • como pode ser visto nos exemplos B e D, onde através de gráficos há a comprovação dosresultados.DISCUSSÃO E CONCLUSÕES Na análise do corpus feita anteriormente foi possível observar as semelhanças esingularidades presentes entre os pôsteres que compõe o trabalho. As característicassemelhantes entre os exemplos formam a particularidade do gênero pôster. Entretanto, assingularidades observadas durante a análise existem devido à pluralidade de áreas doconhecimento as quais pertencem os exemplares, fazendo com que não haja um padrãoexclusivo. As pesquisas que tratam o pôster como gênero acadêmico são escassas, portantoesse estudo é de grande relevância, pois dificilmente encontram-se estudos teóricos referentesa esse gênero. Com o modelo didático apresentado nesta pesquisa, que visa o ensino daelaboração do gênero pôster, baseado no modelo de Machado e Cristóvão (2006), pretende-serealizar uma futura aplicação deste em grupos controle, a fim de apresentar o gênero paraestudantes que não o conhecem, possibilitando um novo meio para explorarem suaspesquisas, como por exemplo, para alunos da UTFPR, visto que se observou certa dificuldadeem encontrar pôsteres acadêmicos em determinados cursos da instituição.5REFERÊNCIAS[1] MACHADO, A. R.; CRISTOVÃO, V. L. L. A construção de modelos didáticos degêneros: aportes e questionamentos para o ensino de gênero. Linguagem em (Dis)curso –LemD, Tubarão, v.6, n.3, p. 547-573, set./dez. 2006.[2] LORENZONI, P. J.; SOUZA, R. C. A.; KOHARA, S. K.; FRANÇA, J. C. B.;RODRIGUES, G. A.; CARVALHO, J. G. R. Revista brasileira de educação médica. OPôster em encontros científicos. Curitiba, 2007. Disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-55022007000300014&script=sci_arttext.Acessado em 23 de julho de 2010.[3] ANDRADE, I. B.; LIMA, M. C. M. Manual para elaboração e apresentação de trabalhoscientíficos: Pôster. Rio de Janeiro, 2006. Disponível emhttp://www.biblioteca.fmc.br/Monografia/Poster.pdf. Acessado em 23 de julho de 2010.[4] COSTA, M. J. Um guia de construção de Pôsteres para estudantes. Açores, 2001.Disponível em: http://homes.dcc.ufba.br/~frieda/guiaposter.pdf. Acessado em 23 de julho de2010.[5] BAKHTIN, M. Estética da Criação Verbal. Trad. Paulo Bezerra. São Paulo: MartinsFontes, 2003.[6] SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. e colaboradores. Gêneros orais e escritos na escola. Trad. eorg. Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas – SP: Mercado de Letras, 2004.5 Foi feita uma breve pesquisa na instituição, na qual foi possível perceber a ausência de trabalhos realizados compôster em alguns cursos. Entretanto, este trabalho não tem como objetivo discutir tais ausências. Futuramente aaveriguação desses dados poderá ser feita para comprová-los, através de uma pesquisa de campo mais ampla.
  • ANEXOSCarta de Aceite do evento CELSUL.
  • Elementos constitutivos do Pôster
  • Pôsteres que constituem o corpus:Exemplo A: http://img833.imageshack.us/i/exemploa.jpg/Exemplo B: http://img339.imageshack.us/i/exemplob.jpg/Exemplo C: http://img130.imageshack.us/f/exemploc.jpg/Exemplo D: http://img130.imageshack.us/f/exemplod.jpg/