Your SlideShare is downloading. ×
Redes e territórios: empresas, pessoas, valor e felicidade
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Redes e territórios: empresas, pessoas, valor e felicidade

382
views

Published on

Redes e Territórios empresas, pessoas, valor e felicidade Luis Borges Gouveia Grupo TRS (Tecnologia, Redes e Sociedade) Universidade Fernando Pessoa …

Redes e Territórios empresas, pessoas, valor e felicidade Luis Borges Gouveia Grupo TRS (Tecnologia, Redes e Sociedade) Universidade Fernando Pessoa
Conversas IN, 31 de Maio de 2013
Auditório da ADRAT, Associação de Desenvolvimento da Região do Alto Tâmega. Chaves

Published in: Education

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
382
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Redes e Territóriosempresas, pessoas, valor e felicidadeLuis Borges GouveiaGrupo TRS (Tecnologia, Redes e Sociedade)Universidade Fernando PessoaConversas IN, 31 de Maio de 2013Auditório da ADRAT, Associação de Desenvolvimentoda Região do Alto Tâmega. Chaves
  • 2. O mundo mudou…• A Sociedade da Informação (e doConhecimento)– Novas literacias– Novos valores– O valor da informação é reduzido– O valor do conhecimento é maiorMAS ciclos de vida bem menoreslogo o conhecimento adquire uma taxa deobsolescência elevada (cerca de 25%)
  • 3. Economia eritmos• Mudou– Não rearma!• O que vai ser é oque nunca foi...
  • 4. Sociedade da Informação• Três características de alto nível:1. Uso intensivo de computadores e redes(infraestruturas & acessos)2. A informação que conta, é a digital(minimizar esforços e fluxos)3. A organização que prevalece, é em rede(das hierarquias para a regulação e agovernação)
  • 5. Relacionamentos e Interações• A atenção é um recurso escasso e limitado– Quer do lado da procura, como da oferta(exemplos: os custo crescentes de suporte pós vendase os esforços de pré-vendas)• Não existem modelos mágicos, nem fórmulasgerais– RelacionamentoEstabelecimento de uma história de transações e delaços mais complexos– InteraçãoTransações únicas e aleatórias, cujo controle eprevisão é de maior dificuldade
  • 6. Empresas e valor• Sobre a Sociedade da Informação…– A informação está a tornar-se uma commodity (aprimeira, enquanto recurso não tangível…)TAL implica que exista uma cotação para obterdetermina informação e seja considerada um custo decontexto, como a energia - camparabilidade– A SI, mais do que um paradigma é uma fase detransição de um mundo industrial para um mundopós industrial, cuja fase aguda estamos a sentir agoraTAL implica que tudo esteja em causa e que a palavrachave seja sustentabilidade
  • 7. Informação: filtrar ou morrer
  • 8. Lidar com o excesso de informação
  • 9. O império da atenção• Sobre o quê?• Sobre quem?• Porquê?• Quando?• Com que esforço?– O objeto reflete ointeresse...– Os interessesconcentram aatenção
  • 10. O digital, sem GI e OT não muda nada!(quando muito, acelera o existente…)
  • 11. GI & OT?•GIGestão da Informação•OTOrganização do Trabalho
  • 12. Colaboração• As redes ajudam• A partilha• O valor• Quem• Quando• Como?– Gestão da Informação– Org. do trabalho
  • 13. Qual o objectivo?• Pessoal?• E de grupo?• Da comunidade?• Da sociedade?– Incompatíveis?
  • 14. • Lidar com redes e odigital• Não é– Bloquear– Ignorar– Conter• Do comando e controleà governação
  • 15. Viver no nosso mundo, é viver em rede
  • 16. Incontornável...
  • 17. Questão: quem comanda e controla?
  • 18. • Rupturas• Propostas• (milagres?)– PRECISAM-SE
  • 19. Redes & Sistemas Complexos
  • 20. • Profundidade–Estudo eexperimentação• Saturar emconhecimento–Comunidades deprática
  • 21. Um processo que exige tempo e umterritório
  • 22. Novos equilíbrios e relacionamentos• Quem proteger? Como? De quê?
  • 23. Perspetiva (estratégia, política, plano)
  • 24. Questões e desafios• Qual o parque de competências disponíveis?• Qual o conhecimento que necessito, onde seencontra e qual o esforço e tempo para oobter?• Qual o território e que centralidade para asatividades a desenvolver?• Quais as nossas redes de relacionamentos?• Como sustentar o momento seguinte?
  • 25. Possui presença digital emhttp://about.me/lbgouveia onde estãodisponibilizadas diferentes formas de contatoLuis Borges GouveiaProfessor Associado com Agregação da Faculdade de Ciências eTecnologia na Universidade Fernando Pessoa (Porto, Portugal)Agregado em Engenharia e Gestão Industrial pela Universidade deAveiro e Doutorado em Ciências da Computação pela Universidadede Lancaster, Reino Unido.Autor de 13 livros e cerca de três centenas de trabalhos científicospublicados nas suas áreas de especialidadeOs seus interesses estão concentrados em como tirar partido dodigital, dos computadores e das redes para melhorar a qualidade devida das pessoas e organizações