O Digital e o Espaço Físico

  • 1,690 views
Uploaded on

II Conferência e-learning "Onde a Tecnologia Encontra a Aprendizagem“ …

II Conferência e-learning "Onde a Tecnologia Encontra a Aprendizagem“
12 de Março de 2010 FIL - Parque das Nações- Lisboa

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
1,690
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6

Actions

Shares
Downloads
39
Comments
0
Likes
10

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. O
Digital
e
o
espaço
.sico
 Luis
Borges
Gouveia
 @lbgouveia
|
lmbg@ufp.edu.pt
 II
Conferência
e‐learning
"Onde
a
 Tecnologia
Encontra
a
Aprendizagem“
 12
de
Março
de
2010
 FIL
‐
Parque
das
Nações‐
Lisboa


  • 2. sumário
 •  Nota
prévia
 •  SI
&
o
digital
 •  O
espaço
?sico
 •  Espaços
de
aprendizagem
 •  Reinventar
os
espaços
 •  Nota
final
 O
Digital
e
o
espaço
.sico
 O
autor
defende
que
as
questões
associadas
à
proximidade
?sica
e
ao
território
 conKnuam
a
ser
centrais
para
a
acKvidade
humana
e
sua
sustentabilidade
–
e
 também
para
o
auxílio
e
envolvimento
dos
processos
de
ensino
e
aprendizagem.
 Urge
então
aproveitar
as
oportunidades
e
reinventar
os
espaços

  • 3. Nota
prévia
 •  “Nos
não
podemos
 resolver
problemas
 u4lizando
o
mesmo
 4po
de
pensamento
 que
u4lizamos
para
 os
criar”
 Albert
Einstein
 (1879
–
1955)

  • 4. Sociedade
da
Informação
 



Uma
sociedade
que
 predominantemente
uKliza
o
 recurso
às
tecnologias
da
 informação
e
comunicação
para
 a
troca
de
informação
em
 formato
digital
e
que
suporta
a
 interacção
entre
indivíduos
 com
recurso
a
práKcas
e
 métodos
em
construção
 permanente
 (Gouveia
e
Gaio,
2004)

  • 5. Sociedade
da
Informação
 Uso
intensivo
de
tecnologias
de
 informação
e
comunicação
 Uso
crescente
do
digital
 Organização
em
rede

  • 6. Sociedade
da
Informação
 Uso
intensivo
de
tecnologias
de
 infra‐estruturas
 informação
e
comunicação
 &
acesso
 processos
 Uso
crescente
do
digital
 &
formação
 de

 comando
&
controlo
 para
 Organização
em
rede
 parNlha
&
regulação

  • 7. Sociedade
da
Informação
 Uso
intensivo
de
tecnologias
de
 infra‐estruturas
 informação
e
comunicação
 &
acesso
 processos
 Uso
crescente
do
digital
 &
formação
 de

 comando
&
controlo
 para
 Organização
em
rede
 parNlha
&
regulação

  • 8. Do
analógico
para
o
digital
 •  aprender...
 – no
analógico,
memorizar
para
aprender
 – no
digital,
esquecer
para
aprender
 •  trabalhar...
 – no
analógico,
tomar
tempo
para
trabalhar
 – no
digital,
trabalhar
sem
tomar
o
tempo

  • 9. No
digital
 •  Crescente
mediação
de
computadores
e
redes
no
 relacionamento
humano
 •  Desmaterialização
de
acKvidades
e
processos
 associados
 •  Transformação
da
acKvidade
humana
 – O
tempo
com
diferentes
ciclos
 – Virtualização
e
transformação
do
conceito
de
tempo
e
 espaço
(exemplo:
o
síKo
na
Web…)

 – (implica)
espaço
(?sico)
com
diferentes
significados

  • 10. •  Mesmo
tempo
&
mesmo
espaço:
Nós!
 •  Mesmo
tempo
&
diferente
espaço:
Ali!
 •  Diferente
tempo
&
diferente
espaço:
Eles!
 •  Diferente
tempo
&
mesmo
espaço:
Local!
 Noção
de
 LOCAL
 .sico

  • 11. Ok…
mas…
o
que
separa
estes…

  • 12. Destes?

  • 13. A
escola
e
os
novos
desafios
 •  Enfrenta
uma
nova
realidade
no
processo
de
aprendizagem
 (mas
os
alunos
são
mesmo
digitais?)
 ESTUDANTES
 FONTES
DE
CONHECIMENTO
 Preparar
a
nova
geração
de
estudantes
 (Net
GeneraNon,
Geração
Y
…)
 Estudantes
tem
acesso
a
vários
Kpos
de
 ‐
Digitais

 conteúdos.
 ‐ Ligados


 
 ‐ Querem
Criar
e
Aprender
ao
mesmo
 
 Podem
estudar
sozinhos,
em
qualquer
 tempo
 lugar
com
Internet
e
inúmeras
 possibilidades
de
interacção
com
 professores
e
colegas.
 TECNOLOGIA
 A
tecnologia
afecta
e
muda
o
processo
de
 Desenvolver
competências
individuais
e
 ensino
e
aprendizagem,
bem
como
o
siKo
 de
grupo.
 onde
esta
pode
ocorrer.

  • 14. Novos
estudantes,
sistemas
anNgos
 Espaços
de
aprendizagem
tradicionais
 Exemplo…
 Os
estudantes
das
nossas
Universidades

 estão
a
mudar
mais
rapidamente
que
as

 Universidades.
Estes
necessitam
de
mais

 acKvidade
 e
 mais
 interacção,
 algo
 que
 é
 ainda
 deficitário
 nos
 sistemas
 actuais
 de
 ensino.
 A
sala
de
aula
tradicional,
já
não
saKsfaz

 as
necessidades
e
expectaKvas

 dos
estudantes
 Uma
 abordagem
 pedagógica
 do
 Kpo
 eu
 falo
 ou
 demonstro
 e
 vocês
 observam
 e
 ouvem,
 não
 faz
 senKdo
 para
 as
 novas
 gerações
de
estudantes

  • 15. Novos
estudantes
sistemas
novos
 “Geração
net”
 ‐
Preferem
o
informal
 ‐
Pequenos
grupos
de
discussão
 ‐
Com
presença
de
tecnologia

 ‐
Aprendizagem
baseada
no
diálogo

 ‐
…e
em
ambientes
de
trabalho
colaboraKvo
 O
espaço
deve
ser
pensado
de
forma
a
 suportar
o
ensino
como
sendo
uma
acKvidade
 social
–
LOCAL
adaptado.

  • 16. Muitos
desafios
 •  A
aprendizagem
em
grupo

 (Social
Learning
Spaces)
 •  O
espaço
como
elemento
potenciador
de
reflexão
de
 simulação
e
de
conversação
 •  Laboratórios
e
laboratórios
criaKvos
 •  Espaços
de
aprendizagem
indivíduais
 •  Ambientes
de
simulação

 (Simulated
Environments)
 •  Ambientes
de
trabalho
colaboraKvo

 (Collabora4ve
Learning
Environments)


  • 17. Ambientes
tradicionais
de
aprendizagem

  • 18. Espaços
sociais
de
aprendizagem

  • 19. Ambientes
de
aprendizagem
colaboraNva

  • 20. Trabalho
de
Doutoramento
de
Pedro
Silva
 Ponto
de
parNda
 •  O
ensino
tradicional
dará
lugar
a
um
novo
Kpo
de
ensino
onde
é
 necessário
repensar
os
espaços
?sicos
e
a
forma
com
se
ensina,
se
 disponibiliza
a
informação
e
se
desenvolve
o
conhecimento.
 Problema
 •  A
influência
do
espaço
(fisico
ou
virtual)
nos
resultados
da
 aprendizagem.
 Questão
 •  A
forma
como
dispomos
e
organizamos
o
espaço
de
aprendizagem
 influência
a
qualidade,
o
modo
como
se
colabora,
se
interage,
se
 parKlha
e
se
constrói
conhecimento?

  • 21. Resultados
obNdos
(Pedro
Silva)

 Espaço
Físico
 Espaço
ColaboraKvo
 Espaço
Social
 Espaço
Virtual
 • Ensino
a
distância
 • E‐learning
 Percepções

 Encontradas

 • O
que
mais
agrada
 ‐
5
Categorias
principais

 • O
que
memos
agrada
 • O
que
gostaria
de
ver
mudado
 ‐
6
Subcategorias
 • O
que
pensa
da
uKlização
do
espaço

  • 22. Espaço
de
aprendizagem
 •  O
espaço
de
aprendizagem
está
sob
avaliação
e
redefinição
 •  Um
espaço
de
aprendizagem
é
muito
mais
que
uma
slaa
de
aula.
 Pode
ser
qualquer
local
onde
seja
possível
o
processo
de
 aprendizagem:
casa,
espaços
de
passsagem,
salas
de
congressos,
 cafés,
etc.

…
e
também
as
salas
de
aula!
 •  Os
espaços
são
por
eles
próprios
agentes
de
mudança;
se
se
 modificar
o
espaço
de
aula,
modifica‐se
o
Kpo
de
aprendizagem
 •  Entender
os
espaços
de
uma
escola
é
um
factor
importante
para
 entender
como
estes
funcionam
e
se
arKculam
–
deve
afectar
o
 modo
como
o
espaço
envolvente
é
planeado
(“é
preciso
uma
aldeia
 para
educar
uma
criança…”
Hillary
Clinton)

  • 23. Espaços
de
aprendizagem
(EA)
 princípios
orientadores
 •  Um
EA
deve
suportar
uma
variedade
de
esKlos
de
aprendizagem.
 •  Em
diferentes
tempos,
deve
a
aprendizagem
ser
social,
mas
também
 realizada
como
acKvidade
independente.
 •  Um
EA
deve
ser
versáKl
e
atracKvo.
 •  O
espaço
deve
ser
manKdo
(cuidado)
e
possuir
os
aparatos
 tecnológicos
adequados.
 •  Os
recursos
dever
ser
alocados
aos
EA
e
uKlizados
de
modo
eficaz.

 •  Devem
ser
consideradas
diferentes
necessidade
de
ensino,
 tecnologias
e
outros
aspectos
que
requerem
espaços
especializados.
 •  …
 •  Um
espaço
livre
permite
também
a
sua
reconfiguração
e
a
experiência
 de
novas
propostas!

  • 24. Nota
final
 
 Reinventar
os
 
 “The
teaching
and
 espaços
de
 learning
process
 aprendizagem
é
 won’t
be
the
same
 necessário
 it
was
for
the
last10
 years…”
 
 Qual
o
papel
da
 escola
e
do
espaço
 (Pedro
Silva,
2008)
 Csico?

  • 25. O
Digital
e
o
espaço
.sico
 Luis
Borges
Gouveia
 •  Com
a
mulKplicação
de
computadores
e
redes
em
todos
os
sectores
de
acKvidade
humana,
o
 digital
assume
uma
importância
crescente.
Neste
contexto,
a
escola
e
o
ensino
superior
não
 podem
deixar
de
enquadrar
o
digital
com
as
suas
acKvidades.
É
defendida
uma
perspecKva
 de
impacte
em
que
o
digital
também
está
associado
a
um
espaço
?sico,
reinventando‐o
e
não
 necessariamente

consKtuindo
um
seu
subsKtuto
ou
uma
ameaça
para
este,
mas
sim
um
 factor
de
mudança.
 •  O
autor
defende
que
as
questões
associadas
à
proximidade
?sica
e
ao
território
conKnuam
a
 ser
centrais
para
a
acKvidade
humana
e
sua
sustentabilidade
–
e
também
para
o
auxílio
e
 envolvimento
dos
processos
de
ensino
e
aprendizagem.
 •  De
igual
forma
que
o
e‐learning
promete
novas
oportunidades
de
desenvolvimento
e
de
 desmaterialização
de
muitas
acKvidades
associadas
com
o
ensino
e
a
educação,
também
o
 modo
como
a
acKvidade
presencial
se
organiza

sofre
impacto,
mas
conKnua
como
um
 espaço
úKl
.
A
defesa
de
um
(novo)
espaço
?sico
é
o
ponto
de
parKda
para
a
apresentação.
 •  II
Conferência
e‐learning
"Onde
a
Tecnologia
Encontra
a
Aprendizagem“
 •  FIL,
Auditório
A1
–12
de
Março
de
2010,
Lisboa

  • 26. Nota
Biográfica

 Luis
Borges
Gouveia
 homepage:
hFp://homepage.ufp.pt/~lmbg

 blogue:
hFp://lmbg.blogspot.com

 email:
lmbg@ufp.edu.pt

 twiFer:
@lbgouveia

 facebook:
hFp://www.facebook.com/lbgouveia

 slideshare:
hFp://www.slideshare.net/lmbg

 Professor
Associado
na
Faculdade
de
Ciência
e
Tecnologia
da
Universidade
 Fernando
Pessoa
e
um
dos
responsáveis
pelo
projecto
de
Universidade
Virtual
 da
UFP.
É
Doutorado
em
Ciências
da
Computação
pela
Lancaster
University
 (UK
–
2002)
e
possui
Mestrado
em
Engenharia
Electrotécnica
e
de
 Computadores
pela
FEUP,
1995.
É
docente
desde
1988
e
autor

de
10
livros
e
 cerca
de
3
centenas
de
publicações
de
natureza
cienefica
em
conferências,
 nas
suas
áreas
de
especialidade:
o
e‐learning
e
o
e‐government.

Os
seus
 interesses
de
I&D
incluem
as
relações
entre
o
espaço
?sico
e
o
digital
e
a
 aplicação
de
TICs
no
processo
de
ensino
e
aprendizagem.