Your SlideShare is downloading. ×
Tradumática
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Tradumática

942
views

Published on


0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
942
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
50
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. 1 Apostila desenvolvida por Jorge DavidsonApostila desenvolvida por Jorge Davidson Adaptada por Michel TeixeiraAdaptada por Michel Teixeira UNIVERSIDADE GAMA FILHOUNIVERSIDADE GAMA FILHO Disciplina daDisciplina da Pós-Graduação de TraduçãoPós-Graduação de Tradução Inglês-Português e Português-InglêsInglês-Português e Português-Inglês
  • 2. 1º dia1º dia • O tradutor ontem e hoje • Tradumática: conceitos básicos • Tradução automática • Tradução assistida por computador • Apresentação do Wordfast 2
  • 3. 2º dia2º dia • Gerenciamento de TM e glossários • Tradução de Excel e Power Point no WF • PlusTools: ferramenta auxiliar ao WF • Alinhamento • Avaliação 3
  • 4. O tradutor ontem e hojeO tradutor ontem e hoje A tradução foi uma das profissões mais impactadas pela revolução digital que vem ocorrendo em todo o mundo desde meados da década de 1950 e ganhou maior fôlego na década de 1990, com a popularização da rede mundial de computadores (internet) e o incremento das tecnologias da comunicação. A rotina do tradutor sofreu expressivas mudanças em diversos aspectos, tais como: o recebimento e o envio de trabalhos, fontes de pesquisas e ferramentas de trabalho. Veremos a seguir uma comparação entre o tradutor de ontem e o tradutor de hoje: Conceitos básicos 4
  • 5. O tradutor ontemO tradutor ontem Conceitos básicos 5 Acima: extraída de http://www.accesshollywood.com/jack-nicholson/a-look-back-the-career-of-walter-cronkite_gallery_2074/image_98624 Direita: © Corbis Images (cortesia)
  • 6. O tradutor hojeO tradutor hoje Conceitos básicos 6 Imagens extraídas do site “Medical Transcription at Home”: http://www.mtinformation.com/
  • 7. O mercado de tradução hojeO mercado de tradução hoje • O volume de trabalho vem crescendo geometricamente • Foco em qualidade, produtividade e gestão • Desenvolvimento de ferramentas eletrônicas de diversos tipos operadas por tradutores profissionais • Produtividade média para textos complexos: 2000-3000 palavras/dia • Dificuldade de encontrar recursos humanos capacitados • Cerca de 50% do conteúdo a ser traduzido por agências já se encontra em uma memória de tradução
  • 8. O mercado de tradução hojeO mercado de tradução hoje Exigências do mercado  Padronização  Qualidade  Produtividade  Cumprimento de prazos  Preço  Profissionais capacitados  Uso de memória de tradução
  • 9. Conceitos BásicosConceitos Básicos O termo Tradumática foi cunhado em 1999, na Faculdade de Tradução e Interpretação da Universidade Autônoma de Barcelona, e significa “informática aplicada à tradução”. O conceito abrange os recursos informáticos usados no auxílio à tradução. “(...) mais do que hardware e software: a tradumática inclui tudo o referente à informação multilíngue que o tradutor recupera, gera, processa e transfere, bem como aos sistemas de produção, gestão e armazenamento dessa informação e toda iniciativa vinculada a esse complexo” Mónica Fernández, Joan Parra e Pilar Sánchez-Gijón. Grupo do Trabalho: Tradumática. Depto. de Tradução e Interpretação, FTI, UAB Conceitos básicos 9
  • 10. Conceitos BásicosConceitos Básicos Podemos dividir os recursos informáticos em três grupos: 1. Ferramentas de tradução São programas que intervém no processo de tradução: - De forma direta: Programas de tradução automática Tradução assistida por computador (CAT Tools) - De forma indireta: Processadores de texto Programas de tratamento de imagem e conversão de texto Conceitos básicos 10
  • 11. Conceitos BásicosConceitos Básicos Programas de tradução automática Conceitos básicos 11
  • 12. Conceitos BásicosConceitos Básicos Tradução assistida por computador (CAT Tools) Conceitos básicos 12
  • 13. Conceitos BásicosConceitos Básicos Processadores de texto Conceitos básicos 13 Tratamento de imagem e edição de texto
  • 14. Conceitos BásicosConceitos Básicos 2. Ferramentas de auxílio à tradução São recursos que auxiliam o processo tradutório: - Como fontes de informação:  Dicionários  Enciclopédias  Corpus terminológicos - Como recuperadores de informação gerada pelo tradutor:  Glossários Conceitos básicos 14
  • 15. Conceitos BásicosConceitos Básicos 3. Ferramentas acessórias à tradução - Recursos de gerenciamento de arquivos:  Correio eletrônico  Ferramentas de compartilhamento/transferência de arquivos  Ferramentas de backup - Recursos para intercâmbio de informação com outros profissionais:  Programas de conversa/troca de mensagens em tempo real  Redes de relacionamento (Facebook, Twitter, LinkedIn etc.)  Listas de TradutoresConceitos básicos 15
  • 16. Tradução automáticaTradução automática Definição • Também conhecida pela sigla em inglês MT (Machine Translation) • É o uso de programas de computador para traduzir, de maneira automática, textos ou fala de uma língua para outra • O processo de tradução automática envolve: – Decodificar o sentido do texto fonte; e – Recodificar este sentido na língua alvo • Funciona melhor com traduções restritas a um determinado campo semântico, ou seja, de áreas que usam uma linguagem padrão, específica Tradução automática 16
  • 17. Tradução automáticaTradução automática Limitações • A operação cognitiva da tradução requer a compreensão dos seguintes níveis: – Sintático: estrutura da frase – Semântico: o sentido do texto – Pragmático : o contexto em que este texto se insere • E o domínio dos seguintes conhecimentos: – Língua fonte – Língua alvo – Equivalências entre ambas as línguas – Conhecimento do campo específico/geral – Aspectos socioculturais Tradução automática 17
  • 18. Tradução automática Limitações – A tradução automática precisa de intervenção humana para ser confiável – Edição prévia: incluir dicionários e bases terminológicas que o programa de machine translation vai usar como referência na hora de efetuar a tradução, produzindo assim um texto mais fiel na língua alvo – Edição posterior: revisão do tradutor especializado. Esta prática vem se tornando cada vez mais comum, dado o aumento da qualidade nas traduções automáticas nas últimas décadas e a diminuição de custos que isso acarreta (revisão é mais barato que tradução) Tradução automática 18
  • 19. Tradução automáticaTradução automática Tradução automática 19 • Veja só este exemplo:
  • 20. Tradução automáticaTradução automática Tradução automática 20 • Comparação de traduções 1. Tradução técnica: Original em inglês: Develop and drive the Medical Marketing functional strategies and plans based on thorough analysis of market, environment, competitive and consumer trends in order to achieve the goals of the Medical function, the footprints and the overall business objectives of the company, in an effectively and timely manner. Tradução no Google Tradutor: Desenvolver e dirigir as estratégias de Marketing Médica funcionais e planos baseados em uma análise minuciosa do mercado, meio ambiente, da concorrência e tendências de consumo, a fim de atingir os objetivos da função de médico, as pegadas e os objetivos de negócios global da empresa, em uma forma eficaz e atempada maneira.
  • 21. Tradução automáticaTradução automática Tradução automática 21 • Comparação de traduções 1. Tradução literária. Monsignor Quixote, Graham Greene Original em inglês: It happened this way. Father Quixote had ordered his solitary lunch from his housekeeper and set off to buy wine at a local cooperative eight kilometres away from El Toboso on the main road to Valencia. It was a day when the heat stood and quivered on the dry fields, and there was no air-conditioning in his little Seat 600 (…) Tradução no Google Tradutor: Foi o que aconteceu desta maneira. Pai Quixote ordenou o almoço solitário de sua governanta e partiu para comprar vinho em uma cooperativa local oito quilômetros de distância de El Toboso, na estrada principal para Valência. Foi um dia quando o calor estava de pé e estremeceu nos campos secos, e não havia ar condicionado no seu pequeno Seat 600 (...)
  • 22. Tradução automáticaTradução automática Tradução automática 22 • Comparação de traduções • Discussão  Quais os problemas encontrados nos textos?  Qual deles ficou melhor traduzido? Por quê?  O resultado é compreensível como está?  Facilitaria o trabalho de tradução um texto pré-traduzido como os do exemplo?  Em que situações os textos traduzidos automaticamente poderiam ser usados?  E quando são inúteis?
  • 23. Tradução automática Tradução automática 23 Utilidade • A tradução automática é útil nos seguintes casos: ― Conteúdo muito repetitivo ― Conteúdo que, de outra forma, não seria traduzido ― Conteúdo cuja tradução humana não seria rentável ― Conteúdo para melhorar e acelerar a comunicação com clientes estrangeiros ― Conteúdo que não precisa ser perfeito, apenas compreensível
  • 24. Tradução assistida por computadorTradução assistida por computador • Também conhecida pela sigla CAT (Computer-Aided Translation) • É a tradução realizada com a ajuda de programas criados para facilitar o processo de tradução, tais como o Wordfast, o Trados e o MemoQ • As ferramentas CAT não traduzem textos automaticamente, seu funcionamento é baseado em uma memória de tradução – TM (do inglês, translation memory) criada pelo próprio tradutor ou fornecida pelo cliente/agência de tradução • Hoje, todas as agências exigem o uso de alguma ferramenta • Do volume de trabalhos de agência dos últimos anos, a média de material previamente traduzido ficou em aproximadamente 50% (pesquisa da SDL realizada entre 2003 e 2005) Tradução automática 24 Definição
  • 25. Tradução assistida por computadorTradução assistida por computador Existem três sistemas específicos: • Sistemas de gestão de tradução – memórias de tradução • Sistemas de gestão terminológica – glossários e corpus terminológicos • Sistemas de localização Tradução assistida por computador 25 Definição
  • 26. Tradução assistida por computadorTradução assistida por computador • As memórias de tradução (TM) são bases de dados que contém segmentos de texto, conhecidos como unidades de tradução (TU), nas línguas de origem e destino • As TU geralmente são divididas por parágrafos ou pontos finais • As TM são gerenciadas por um programa específico, que exibe o texto original e o texto traduzido • O programa pode funcionar como um complemento de um programa de processamento de texto, como o MS Word, ou em um editor específico Tradução assistida por computador 26 Memória de tradução
  • 27. Memória de traduçãoMemória de tradução Tradução assistida por computador 27 Complemento do MS Word - Wordfast
  • 28. Memória de traduçãoMemória de tradução Tradução assistida por computador 28 Editor de TM: SDL
  • 29. Memória de traduçãoMemória de tradução Tradução assistida por computador 29 Editor de TM para arquivos HTML: TagEditor/Trados
  • 30. Memória de traduçãoMemória de tradução • A maioria dos programas de tradução assistida trabalha com ambientes integrados ao sistema, exigindo conversões para trabalhar com os arquivos e para, depois, exportá-los novamente ao seu formato original • Na exportação, a informação gráfica e os outros objetos integrados voltam à organização original – Isso significa que, na maioria dos casos, o tradutor não precisa se preocupar com a formatação dos arquivos, pois ela será mantida. Mas é bom ter atenção. Tradução assistida por computador 30 Modo de funcionamento
  • 31. Memória de traduçãoMemória de tradução • Análise de documentos para definir o número de palavras e o número de repetições (TU que são iguais ou muito semelhantes entre si) do arquivo • Alguns programas calculam também o tempo gasto para traduzir o arquivo em vista do número de repetições • Alinhamento (criar uma TM a partir do documento original e da tradução) • Gestão terminológica (gerenciamento e criação do glossários) Tradução assistida por computador 31 Outros recursos
  • 32. Memória de traduçãoMemória de tradução • ANALYSIS REPORT 16:21:20 06-03-2010 • Scanned: document, footnotes, headers/footers, textboxes. • • ========================================================= • D: training_ENtraining_EN.doc • Analogy segments words char. % • --------------------------------------------------------- • Repetitions 103 500 2897 5% • 100% 2 2 4 0% • 95%-99% 0 0 0 0% • 85%-94% 0 0 0 0% • 75%-84% 2 2 12 0% • 00%-74% 748 9616 56173 95% • Total 855 10120 59086 • 0 tags • ========================================================= • Note: The character count includes spaces. • Note: The word count includes tags (1 tag=1 word). Tradução assistida por computador 32 Análise - Wordfast
  • 33. Memória de traduçãoMemória de tradução Tradução assistida por computador 33 Alinhamento - Wordfast
  • 34. Sistemas de gestão terminológicaSistemas de gestão terminológica • Os sistemas de gestão terminológica têm como objetivo básico dar suporte à consistência terminológica das traduções, ou seja, garantir que a tradução de um determinado termo seja a mesma ao longo do documento • O usuário pode criar e gerenciar seus próprios glossários, bem como usar aqueles enviados por clientes • A maioria dos programas de tradução assistida dispõem desse recurso • Para gestão terminológica avançado e criação de corpus terminológicos, o programa mais utilizado é o WordSmith Tools Tradução assistida por computador 34 Conceito
  • 35. Sistemas de LocalizaçãoSistemas de Localização • Localização é a tradução e adaptação de um software ou produto (como um telefone celular, por exemplo) para uso em diferentes partes do mundo • Conhecida pelo símbolo L10N (de “localization”, composta pela letra L seguida de dez letras e a letra N) • Os sistemas de localização permitem a tradução desses softwares ou produtos, e os recursos que eles possam apresentar (quadros, menus, mensagens) usando memória de tradução, além de ajustar os tamanhos das interfaces e adaptá-las às normas culturais de um determinado país Tradução assistida por computador 35 Conceito
  • 36. Memória de traduçãoMemória de tradução • Prós:  Melhor gerenciamento da consistência e uniformidade terminológica  Maior velocidade de tradução  Redução de custos de tradução  Melhor avaliação de prazos • Contras:  Perda da fluência da tradução  Perda da visão global do texto Tradução assistida por computador 36 Balanço final
  • 37. Introdução ao Wordfast ClassicIntrodução ao Wordfast Classic • Como vimos anteriormente, o Wordfast é uma ferramenta de tradução assistida por computador que funciona como um modelo do Microsoft Word e utiliza um banco de dados criado pelo próprio usuário para dar mais agilidade e consistência ao processo de tradução. • Mas como isso funciona? • Basicamente, à medida que um arquivo de Word (ou de Excel ou Power Point) é traduzido no Wordfast, o programa alimenta um banco de dados, a memória de tradução (TM), que guarda o texto no idioma de origem e a tradução adotada no idioma de destino Introdução ao Wordfast Classic 37 Conceitos básicos
  • 38. • Em primeiro lugar, o Wordfast é leve e pode ser baixado da internet em uma versão completamente funcional, com todas as ferramentas disponíveis para o usuário. • Pode-se utilizar o Wordfast gratuitamente até o limite de 500 TUs, um tamanho bastante razoável. A ideia é que o usuário possa se familiarizar com a ferramenta antes de adquirir uma licença. • Em segundo lugar vem a facilidade de uso; o Wordfast é muito funcional e consome pouca memória de processamento, por estar “inserido” dentro do ambiente funcional do Word. 38 Por que o Wordfast?
  • 39. • Em seguida vem o preço, pois o Wordfast sai mais em conta que seus concorrentes e ainda permite que o programa seja instalado em até três máquinas diferentes durante o período em que durar a licença, que é de três anos . O valor atual para o usuário brasileiro é de € 165,00. • Por fim, o Wordfast é compatível com o formato de memória .tmx, aberto a todos os demais programas, e pode gerar arquivos segmentados em formato Trados, caso um cliente assim exija. • No final de 2008, o Wordfast lançou sua versão Pro, que funciona de maneira independente do Word. 39 Por que o Wordfast?
  • 40. Para começarPara começar • Acesse o site www.wordfast.net • Clique na guia “products”, no canto superior direito, e depois na caixa “download” • Na nova página, clique no botão Proceed to demo mode without logging in • Em seguida, clique na opção Wordfast Classic 6 • Quando a janela Abrir “Wf601.zip” se abrir, selecione download e escolha o local mais conveniente para instalação • Sugerimos salvar o arquivo na pasta C:/Arquivos de programas ou na pasta Meus documentos, para fácil localização. 40 Download do Wordfast
  • 41. • O arquivo baixado estará compactado e será preciso descompactá-lo. Para isso, clique com o botão direito do mouse sobre o arquivo e escolha a opção Extrair para Wf601. • Desta forma, será criada uma pasta descompactada com o mesmo nome da original, de fácil localização. • Na mesma página em que foi feito o download do Wordfast, baixe o arquivo PlusTools 4. • O PlusTools é um complemento do Wordfast muito útil para usuários avançados e será visto mais adiante. 41 Download do Wordfast
  • 42. • Antes de mais nada, é preciso “preparar” o Word para aceitar o Wordfast. Faça o seguinte: • Para Word 2003 e versões anteriores: inicie o Word, vá até a guia Ferramentas/Macro/Segurança/Nível de Segurança e escolha médio ou baixo. • Na guia Ferramentas/Macro/Segurança/Editores Confiáveis, marque as caixas Confiar em todos os suplementos e modelos instalados e Confiar no acesso ao projeto do Visual Basic. 42 Instalação do Wordfast – Word 97-2003
  • 43. • Isso feito, abra o arquivo wordfast.dot, localizado na pasta Wf601. • Em seguida, clique duas vezes no botão Install Wordfast. Siga as instruções da tela, feche a reabra o Word. • Se estiver corretamente instalado, o botão do Wordfast surgirá no Word versão 97-2003, como se vê na imagem). 43 Instalação do Wordfast – Word 97-2003
  • 44. • Para Word 2007 e 2010, o processo é um pouco diferente • Clique no botão do Office (imagem) e depois em “Opções do Word” • Clique então em “Central de Confiabilidade” e logo em seguida em “Configurações da Central de Confiabilidade” • Em “Configurações de Macro”, selecione “Habilitar todas as macros” e logo abaixo marque a caixa “Confiar no acesso ao modelo de objeto...” e pressione o botão Ok. Introdução ao Wordfast Classic 44 Instalação do Wordfast – Word 2007-2010
  • 45. • De volta à janela “Central de Confiabilidade”, clique em “Suplementos” • Em “Gerenciar”, selecione a opção “suplemento do Word” (imagem) e clique no botão “Ir” • Na janela que se abrir, clique no botão “Adicionar” e selecione o arquivo “Wordfast” (imagem) • Clique em OK 45 Instalação do Wordfast – Word 2007-2010
  • 46. • Se estiver corretamente instalado, surgirá no Word o botão do Wordfast dentro da nova aba “Suplementos”, como se vê na imagem abaixo: 46 Instalação do Wordfast – Word 2007-2010
  • 47. • Nas versões mais novas do MS Word, é comum o Wordfast ser desativado a cada vez que o programa é reaberto. Para evitar esse problema, devemos adotar o seguinte procedimento: • Fora do Word 1. Abra o local onde você baixou o Wordfast. 2. Localize o programa (é o arquivo cujo ícone parece o do Word, mas tem uma linha horizontal amarela em cima - wordfast.dot) 3. Clique com o botão direito em cima do ícone e selecione copiar. 47 Instalação do Wordfast – Adendo
  • 48. • Agora, vá para o Word 1. Clique no botão do Office, que fica no canto superior esquerdo da tela. 2. Clique em opções do Word. 3. Clique no botão Avançado. 4. Na janela que se abrir, role a barra até o final, até encontrar o botão "Locais dos arquivos". Clique nesse botão. 5. Na nova janela, clique uma vez na opção "Inicialização", que vai ficar marcada em azul. 6. Clique em Modificar. 48 Instalação do Wordfast – Adendo
  • 49. • 7. Outra janela vai se abrir, com o nome "Modificar diretório" e, logo abaixo, aparece o nome da pasta "Inicialização". 8. Na parte em branco da janela, clique com o botão direito do mouse e selecione a opção "Colar". Obs: você não vai ver o programa na pasta, mas é assim mesmo. 9. Feche a janela dando "Cancelar". 10. Feche todas as outras janelas e, em seguida, o Word. 11. Abra o Word de novo. Se ele perguntar se você quer ativar as macros, escolha a opção "sempre ativar as macros" 49 Instalação do Wordfast – Adendo
  • 50. • O Wordfast virá com um número de instalação, que é único para cada download e não pode ser mudado. • Clique novamente no botão do Wordfast, após ter aberto a barra de ferramentas. A janela abaixo vai aparecer: Introdução ao Wordfast Classic 50 Licença de uso O número de instalação está indicado pela seta em vermelho
  • 51. • Para comprar a licença, basta copiar o número de instalação e acessar novamente a página www.wordfast.net. • Clique na guia registro. • Uma nova página, em inglês, será aberta para a compra do produto.  Selecione a quantidade desejada nesta caixa.  Em seguida, informe o número de instalação e faça o pagamento. • O número de licença será enviado para o e-mail que você informar na hora da compra. Introdução ao Wordfast Classic 51 Licença de uso
  • 52. • Reabra o programa e retorne à janela acima. • Clique na caixa Translation memory e mande reorganizar a memória de tradução em uso. Introdução ao Wordfast Classic 52 • Abra novamente a janela mostrada no slide anterior, • Digite o número da licença na caixa correspondente (seta em vermelho) e feche o Wordfast. Licença de uso
  • 53. 53 • A primeira coisa a se fazer antes de se começar a trabalhar é organizar as pastas em que memórias de tradução, glossários e arquivos de tradução – originais e traduzidos – serão salvos. • Isso é extremamente importante, pois você precisa saber exatamente onde está cada arquivo. • Além disso, é boa política de organização criar uma nomenclatura facilmente identificável para os arquivos. Organização
  • 54. 54 Com base na minha experiência, sugiro a seguinte divisão: I. Pasta Wordfast, subpasta Memórias de Tradução: contém as memórias de tradução criadas pelo usuário, nomeadas da seguinte forma: WfM_assunto_língua fonte-língua alvo.  Exemplo: uma memória de tradução sobre economia, para traduções do inglês para o português, teria o seguinte nome: WfM_economia_EN-PT.  Outra forma possível seria classificar a TM pelo nome do cliente. Ex: WfM_Banco X_EN-PT. Organização
  • 55. 55 II. Pasta Wordfast, subpasta Glossários: contém os glossários utilizados pelo usuário, nomeado da seguinte forma: WfG_assunto_língua fonte-língua alvo.  Exemplo: uma memória de tradução sobre economia, para traduções do inglês para o português, teria o seguinte nome: WfG_economia_EN-PT. III. Pasta Trabalhos, subpasta Originais: contém os documentos originais, na língua alvo. Sugerimos manter o nome utilizado pelo cliente. Ex: Perfil_institucional_2010. Organização
  • 56. 56 IV. Pasta Trabalhos, subpasta Traduções: contém os arquivos que estão sendo traduzidos naquele momento, antes da versão final revisada.  Sugerimos usar o nome do original, acrescentando a terminação _trad. Ex: Perfil_institucional_2009_trad. V. Pasta Trabalhos, subpasta Traduções, subpasta Final: contém os arquivos prontos, depois de revisados.  Sugerimos usar o nome do original, acrescentando a terminação _rev ou _OK.  Ex: Perfil_institucional_2009_rev ou Perfil_institucional_2009_OK. Organização
  • 57. 57 Organização de pastasOrganização de pastas
  • 58. 58 Com tudo organizado, vamos à tradução: • Abra o arquivo “AAC Portátil ENG” no Word.  Salve o arquivo na Pasta “Originais”  Em seguida, renomeie-o com a terminação “trad” e salve-o na pasta “Traduções”. • Abra o Wordfast clicando no botão com do programa. A barra de ferramentas vai se abrir. • Clique novamente no mesmo botão para abrir a janela do programa. A sessão de tradução
  • 59. 59 • O primeiro passo será definir a memória de tradução que será usada. Na primeira vez, selecione a guia Translation memory e clique em New TM. O Wordfast vai pedir que você defina o código ISO do idioma de origem. Definição da TM e dos glossários
  • 60. 60  O código ISO é um código internacional para identificação de idiomas. Exemplos: • PT-BR: português do Brasil • EN-US: inglês dos EUA • ES-ES: espanhol da Espanha. Em seguida, o WF vai pedir que você defina o código ISO do idioma de destino. Definição da TM e dos glossários
  • 61. 61 • Por fim, nomeie e salve a sua TM com o seguinte nome: “WfM_traducao_EN-PT” • Da segunda tradução em diante, você poderá escolher se cria uma nova memória de tradução ou usa uma já existente. • Neste último caso, selecione a opção Select TM para escolher a memória mais conveniente Definição da TM e dos glossários
  • 62. 62 • Escolhida a TM, o próximo passo é definir os glossários para uso no Wordfast. O programa permite trabalhar com até três glossários ao mesmo tempo. • Para criar um glossário, vá até a guia Terminology e selecione a opção New glossary. Definição da TM e dos glossários
  • 63. 63 • O Wordfast vai perguntar se você deseja criar um glossário a base de um modelo, clicando em Yes/Sim, ou criar um glossário vazio, clicando em No/Não. • Clique em No, salve o novo glossário na pasta de glossários, com o nome “WfG_traducao_EN-PT”. Definição da TM e dos glossários
  • 64. 64 • Feito isso, o Wordfast terá um glossário pronto para receber novos termos (veja no círculo em vermelho o nome do novo glossário). • Para incluí-los, faça da seguinte maneira: clique “Ctrl + Alt + T” no termo original e clique no termo traduzido. • Para adicionar novos glossários, basta ir até a guia Terminology e escolher Select Glossary. Definição da TM e dos glossários
  • 65. 65 • A TM e os glossários já estão preparados, então podemos iniciar a tradução propriamente dita • O comando Alt+Seta para baixo fará com o apareçam duas caixas distintas, a de cima, contendo o texto original, e a de baixo, a princípio vazia, que receberá a tradução. A sessão de tradução
  • 66. 66 • Além de traduzir a frase contida no segmento, é possível selecionar termos que entraram individualmente no glossário e que vão servir de referência em traduções futuras • Ex: para inserir o par “owner/proprietário” no glossário: • Primeiro, vamos deixar o cursor piscando dentro da palavra “owner”, e clicaremos em Ctrl + Alt + T • Depois, faremos o mesmo processo para a palavra “proprietário” A sessão de tradução
  • 67. 67 • O Wordfast abrirá então a janela do glossário (imagem) A sessão de tradução Obs.: Note que o WF copiou a palavra “Owner’s” ao invés de “owner”. Não há problema, basta apagar o ‘s e depois confirmar a entrada apertando OK.
  • 68. 68 • Importante : é possível inserir termos com mais de uma palavra no glossário • Para isso, selecione todos os termos que pretende inserir do original e pressione “Ctrl + Alt + T”, e depois faça o mesmo com os termos da tradução A sessão de tradução
  • 69. 69 • Terminada a tradução da primeira frase, aperte novamente “Alt + Seta para baixo” e assim sucessivamente. • Quando o documento estiver completamente traduzido, surgirá a mensagem “End of translation session. Thank you for using Wordfast.” • Nesse momento, o seu texto terá uma aparência como a que segue: A sessão de tradução
  • 70. 70 • Qual é o próximo passo? Agora você deve revisar o texto que traduziu. • Volte ao início do documento, abra novamente o Wordfast e vá cotejando texto original e tradução. • Terminada a revisão, você pode fazer a limpeza do seu texto, clicando na opção Clean up, que fica na aba Tools da na janela do Wordfast. A sessão de tradução
  • 71. 71 • Depois de clicar em Clean Up, responda Yes à pergunta Update memory? • É este procedimento que atualizará a memória com as alterações que você fez durante a revisão e limpará o documento, deixando apenas a versão traduzida do texto. A sessão de tradução
  • 72. 72 O fluxo de trabalho do tradutor
  • 73. 73
  • 74. 74 • Como referência, apresentamos uma lista das ferramentas disponíveis na barra do Wordfast e seus atalhos de teclado, conforme estão na versão do Manual do Wordfast em português, traduzido por Flávio Steffen. Lista de comandos do Wordfast
  • 75. 75 Lista de comandos do Wordfast
  • 76. 76 Lista de comandos do Wordfast
  • 77. 77 Lista de comandos do Wordfast
  • 78. 78 Lista de comandos do Wordfast
  • 79. 79 “Matches” Como toda ferramenta CAT, o Wordfast faz uma diferenciação de cores entre as barras dos segmentos-alvo de acordo com a semelhança “match” entre o segmento-fonte que está sendo traduzido e aquele encontrado na memória de tradução:
  • 80. 80 Caixa de Pandora Além de criar memórias de tradução e glossários, é possível configurar o WF para funcionar da maneira mais adequada para o tradutor, utilizando os recursos da Caixa de Pandora, que fica na aba Setup/PB:
  • 81. 81 Caixa de Pandora Por definição, a Caixa de Pandora vem desativada. Para ativá-la, é preciso marcar a caixa “Enable PB” e clicar em “Commands”. Em seguida, cole os comandos padrão do programa.
  • 82. 82 Caixa de Pandora • Ativem os seguintes comandos (para isso, basta apagar o “underline”):
  • 83. 83 Caixa de Pandora • Como configurado , o Wordfast vai funcionar da seguinte maneira:  AllowEmptyTarget: o programa aceita segmentos-alvo vazios  CopySourceWhenNoMatch: o WF copia no segmento-alvo o conteúdo do segmento-fonte (para evitar erros de digitação na repetição de nomes ou números, p. ex, entre outros termos não traduzíveis)  Propagate1: copia no segmento-alvo o termo-alvo inserido no glossário 1  Propagate2 e Propagate3: idem para glossários 2 e 3  PropagateandHighlight: deixa o termo-alvo do glossário marcado em azul, para fácil identificação  Propagate_Case=3: o WF copia os termos do glossário mantendo as maiúsculas e minúsculas conforme o segmento-fonte  Show_MemoryIf<100 e Show_MemoryAtStart: o WF vai exibir, acima dos segmentos normais, o match pré-existente na memória de tradução
  • 84. 84 Perfil de configuração (.ini) • Outra ferramenta interessante do WF é a definição de perfis de configuração, que poupam o trabalho de trocar TM e glossários toda vez que se muda de assunto, cliente ou idioma de tradução. • Isso é feito pela atribuição de um nome à sua configuração ativa (.ini) • O perfil inicial é o “Wordfast.ini”
  • 85. 85 Perfil de configuração (.ini)
  • 86. 86 Perfil de configuração (.ini) Como fazer • Depois de selecionar a TM e os glossários, abra a janela de configuração do Wordfast e clique nas abas “Setup/General”; • Em seguida, clique em “Save setup as...” • Na nova janela, digite o nome “PetroZil EN-PT”
  • 87. 87 Perfil de configuração (.ini) Sugestões • Crie quantos perfis quiser, mas procure não ter muitas memórias, pois quanto maior uma TM, mais chances de se obter um segmento semelhante • Sugerimos o uso uma única memória de tradução para cada par de idiomas, i.e., WfM traducao EN-PT e WfM traducao PT-EN para o inglês, WfM traducao ES-PT e WfM traducao PT-ES para o espanhol, e por aí vai • Uma boa opção é criar perfis divididos por clientes, em que a memória se mantém a mesma, mas os glossários mudam em função do assunto • Usem, como citado antes, um glossário por cliente, outro por área e um glossário de termos gerais, nessa ordem de importância.
  • 88. 88 Atalhos de teclado • O uso de atalhos de teclado é uma excelente ferramenta de produtividade, pois evita que quem digita perca tempo ao tirar as mãos do teclado para usar o mouse. • O funcionamento do Wordfast é baseado no uso do cursor e em atalhos de teclado: – o cursor é o guia para abertura de segmentos (o WF inicia a tradução do ponto em que o cursor se encontra) e inserção de termos no glossário, como vimos antes – Os atalhos de teclado mais comuns do programa serão vistos no próximo slide (ver lista de comandos com os atalhos – pp. 41-45)
  • 89. 89 Atalhos de teclado Mais comuns • Alt+Seta para baixo: inicia a tradução, abrindo o segmento no começo do arquivo ou onde o cursor estiver piscando; passa para o segmento seguinte • Alt+Seta para cima: volta ao segmento anterior • Ctrl+Alt+T: seleciona termos para inserção no glossário; usado duas vezes, com o termo-fonte e o termo-alvo • Alt+Page Down: expande um segmento • Alt+Page Up: encolhe um segmento • Alt+End: fecha a sessão de tradução
  • 90. 90 Atalhos de teclado Outros atalhos • Crtl+Alt+G: mostra o glossário na aba Suplementos do Word; funciona quando algum termo do glossário está marcado no texto • Alt+S: copia o conteúdo do segmento-fonte no segmento-alvo • Ctrl+Alt+F12: retira a proteção de texto • Ctrl+Alt+X: apaga todo o conteúdo de um segmento • F10: Cria segmento provisório (i.e. que está aguardando a tradução final) • Ctrl+Alt+Seta para esq./dir.: navega entre os placeables (elementos intraduzíveis) • Alt+Seta para baixo: coloca o placeable no segmento-alvo, no ponto em que o cursor estiver
  • 91. 91 Atalhos de teclado Atalhos do Office • Segue uma lista de sites com listas de atalhos de programas da Microsoft, do Office e especificamente do Word : • http://www.microsoft.com/enable/products/keyboard.aspx (em inglês) • http://support.microsoft.com/kb/290938 • http://office.microsoft.com/pt-br/word-help/atalhos-de-teclado-do-microsoft-wor • http://office.microsoft.com/pt-br/word-help/atalhos-de-teclado-do-word-2010-RZ • http://www.cedu.niu.edu/ceduhelp/tutorials/documentation/microsoftofficekeybo (lista de atalhos em inglês)
  • 92. 92 Placeables • Definição: placeables são elementos intraduzíveis do texto, tais como números e sites. Termos do glossário também são considerados placeables. • O Wordfast oferece ferramentas para trabalhar com os placeables e assim evitar erros de digitação na hora da tradução • Quando o tradutor usa os comandos (Ctrl+Alt+SeTas laterais) para navegar entre os placeables que estão no segmento-fonte, estes são envolvidos por uma caixa vermelha (ex: 1999 ou Noam Chomsky) • Em seguida, basta pressionar Alt+Seta para baixo para inserir o placeable no segmento-alvo  Dica: o comando “Placeable=FirstCap” da Caixa de Pandora transforma palavras iniciadas em maiúsculas, tais como nomes próprios, em placeables. Basta ativá-lo.
  • 93. 93 Gerenciamento de terminologia • Além dos glossários, o WF oferece outros recursos para fazer o melhor uso da terminologia.  Context/Concordance Search: busca o termo/trecho selecionado dentro da memória de tradução. O comando abre um novo arquivo do Word com todas as ocorrências. Basta copiar o conteúdo, fechar o novo arquivo e depois colar no segmento-alvo.
  • 94. 94 Gerenciamento de terminologia  Fuzzy terminology: dentro da aba Glossary, marque a caixa “Use fuzzy terminology recognition”; assim, o WF vai procurar por palavras semelhantes àquelas encontradas no glossário: – Ex: se a palavra “translation” estiver no glossário, o WF também vai reconhecer as palavras “translations” ou “translating” – Obs: embora reconheça palavras parecidas, o WF só vai sugerir a palavra que efetivamente estiver no glossário (neste caso, “tradução”)
  • 95. 95 Gerenciamento de terminologia  Importação de terminologia: é possível converter glossários criados em formato Excel ou Word para uso no Wordfast.  Arquivos Excel: 1. Abra o glossário no Excel 2. Edite o arquivo de forma que a coluna A contenha os termos-fonte e a coluna B contenha os termos-alvo 3. Copie (Ctrl+C) todas as células que contenham terminologia 4. Feche o arquivo, mas mantenha o Excel aberto 5. Abra um glossário do Wordfast no Excel e confirme que é um texto delimitado por tabulações (tab-delimited text) 6. Posicione o cursor logo abaixo da última entrada do glossário 7. Cole (Ctrl+V) o conteúdo 8. Feche o Excel e salve o glossário
  • 96. 96 Gerenciamento de terminologia  Arquivos Word (.doc ou .docx): 1. Abra o glossário no Word 2. Selecione as colunas que contenham os termos-fonte e os termos-alvo 3. Copie (Ctrl+C) este conteúdo 4. Abra um glossário do Wordfast no Word 5. Posicione o cursor logo abaixo da última entrada do glossário 6. Cole (Ctrl+V) o conteúdo 7. Salve o documento como texto sem formatação (text only)
  • 97. 97 Memória de Tradução de Fundo (BTM)  Além da memória de tradução ativa, é possível manter uma outra memória de tradução somente para consulta, a BTM  Para tanto, basta abrir a janela de configuração do Wordfast, clicar na aba “BTM” e escolher a memória desejada  A TM é só para consulta e mostra apenas 100% de match
  • 98. 98 Memória de Tradução de Fundo (BTM)  Uma boa estratégia quando um cliente pede que você mande a TM é criar uma nova só para aquele trabalho e usar a sua TM principal como BTM  Para tornar a consulta da BTM mais fácil, ative as opções “ShowMemoryIf<100” e “ShowMemoryAtStart” na Pandora Box
  • 99. 99 Data Editor  O Data Editor é a ferramenta de edição de memórias de tradução e glossários do Wordfast  Para acessá-la, basta clicar no botão marcado acima, selecionar a instância que se deseja alterar (TM, glossários, localizar e substituir) e depois na opção “Tools” dentro da janela da ferramenta
  • 100. 100 Data Editor
  • 101. 101 Data Editor
  • 102. 102 Data Editor
  • 103. 103 Data Editor  Para juntar uma memória, clique em “Sim” na janela ao lado; Para juntar todas as TMs que estão na pasta selecionada, clique em “Não”
  • 104. 104 PlusTools
  • 105. 105 PlusTools
  • 106. 106 PlusTools
  • 107. 107 PlusTools O PlusTools vai gerar um documento de Word com uma tabela de duas colunas
  • 108. 108 PlusTools Basta corrigir a tabela para que o conteúdo de ambas as colunas seja equivalente
  • 109. 109 PlusTools Quando todo o texto estiver corretamente alinhado, basta voltar ao +Align e gerar uma nova TM. Por fim, você pode juntar a nova memória de tradução gerada à uma TM existente por meio do Data Editor, como vimos antes.
  • 110. 110 Conclusão Usem e abusem dos recursos de informática e ferramentas de tradução disponíveis no mercado. O tradutor hoje precisa ter domínio dessas ferramentas e não pode ter medo de aprender outras novas sempre que for necessário. Quem domina essas ferramentas traduz melhor, mais rápido, com mais consistência e pode gerenciar melhor o próprio tempo. Isso significa maior produtividade, maior organização e, consequentemente, maior faturamento. Boa sorte a todos. Muito obrigado!