Your SlideShare is downloading. ×
0
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
biogeografia e fisiografia da amazônia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

biogeografia e fisiografia da amazônia

1,266

Published on

Biogeografia e aspectos geo-ambientais da Amazônia

Biogeografia e aspectos geo-ambientais da Amazônia

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,266
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
81
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Universidade Estadual de Santa Cruz Departamento de Ciência Agrárias e Ambientais DCAA Curso de Bacharelado em Geografia III semestre Biogeografia e aspectos geoambientais da Amazônia Felipe de Souza Pimenta e Kauana Moreira Bispo
  • 2. LOCALIZAÇÃO DA FLORESTA AMAZÔNICA DENTRE AS FLORESTAS EQUATORIAIS DO PLANETA
  • 3. Bioma Amazônia
  • 4. Floresta Amazônica • • • • • • • • • • Maior bioma, ocupa 61% do território brasileiro ; Grande variedade ecossistêmica e de biodiversidade; Reciclagem de umidade; Maior bacia de drenagem do planeta; Floresta ombrófila (Latifoliada, Arbórea, perenifólia, Hidrófila e Higrófila); Pertence a região fito e Zoo geográfica do Neotropical; Abundancia hídrica, cerca de 1/5 da água doce mundial; Ecossistema auto-sustentável; Sorvedouro de Carbono; Apresenta muitas árvores porém poucas por espécies; • Obs .: Ombrófila aberta ou Ombrófila fechada Em função de fatores como dispersão e variância.
  • 5. Amazônia Clássica – Limita-se a região norte do Brasil
  • 6. Amazônia legal – Se estende por todo domínio amazônico brasileiro
  • 7. Relevo
  • 8. CLASSIFICAÇÃO (escala local) • Platô – Divisores de águas, áreas mais elevadas do terreno, seus formatos variam de planas, chapadas ou formato de cumeeiras, a altura varia de 50 a 90m; • Vertentes – Áreas intermediárias entre o platô e áreas mais baixas do terreno, correspondem as encostas, sua inclinação varia entre 30 e 90 ; • Baixio – Correspondem as áreas mais baixas do terreno, são conhecidos como vales, geralmente (mas não necessariamente) existem cursos d água.
  • 9. Divisão da Floresta (Escala de análise intermediária)
  • 10. Terra Firme Áreas onde não há constante risco de inundação pelos cursos d água, a vegetação é caracterizada por diferentes tamanhos, desde herbáceas a arbóreas. As árvores chegam a 65m de altura, suas copas formam um anteparo a luz deixando o interior da floresta úmido e quente, proporcionando pouca diversidade nas copas, destacam-se : Castanheira, seringueira-branca, guaraná, etc.
  • 11. Várzea Localiza-se entre a terra firme e o igapó, corresponde a áreas parcialmente sujeitas a inundação dependendo do regime das cheias e vazantes, a vegetação varia de arbórea a arborescente nele encontram-se a seringueriapreta, jatobá, açaí, jauarí ,etc, o solo é bastante fértil comum ao cultivo de mandioca, juta e malva.
  • 12. Igapó e Igarapé Áreas das margens dos rios permanentemente inundadas, as vegetações são adaptadas ao ambiente aquático (Hidrófilas). O termo Igapó é oriundo a língua tupí e significa raiz de água. O igapó é típico de rios de águas escuras. O igarapé é um tipo de igapó presente na confluência de dois rios.
  • 13. Mangues Semelhante ao Igapó, situa-se em áreas de transição de ambientes fluvial e marinho, proporciona uma riqueza de várias espécies de animais e vegetais podem ser parcialmente ou permanentemente inundados, esses ecossistemas localizam-se nos deltas e estuários da foz dos rios amazônicos para o Atlântico.
  • 14. leito dos rios É o ecossistema que abriga a vida aquática da região, geralmente em rios, lagos, igarapés, e outros cursos d água, o tipo de vegetação é essencialmente hidrófila.
  • 15. Escala de Análise Menor (Geral) Com base em Jurandyr Ross • Planície do rio Amazônas (altitudes menores que 100m) ; • Depressão da Amazônia Ocidental (Entre 100 e 200m); • Depressão Marginal Norte Amazônica (Entre 200 e 300m, a medida que se aproxima do planalto das Guianas); • Depressão Marginal Sul Amazônica (Entre 200 e 300m, a medida que se aproxima do planalto brasileiro); • Planalto da Amazônia Oriental (400 e 500m, serra do Navio, Cachimbo, Carajás); • Planaltos Residuais Norte Amazônicos (800 e 1200m, pico da Neblina e monte Roraima).
  • 16. Solos Sedimentares • • • • • Latossolos (Goethita, gibbsita, Hematita) Mais antigos, formado no terciário; Mais consistentes (Menos úmidos); Alta Acidez; Baixa fertilidade (pobre em minerais essenciais a nutrição animal e vegetal).
  • 17. Solos Arenosos • Chernossolos ( levemente azulados ou esverdeados ); Gleissolos ( Esbranquiçados) e Podzossolos ( Acinzentados); • Solos jovens; • Menos consistentes; • Alta Fertilidade ( rico em minerais essenciais para a nutrição ) • Constante deposição pelos rios.
  • 18. Solos Antropogênicos • Conhecido como Terra Preta de Índio (TRI); • Resultado da combustão de madeira e restos de alimentos em áreas de comunidade indígena; • Cultura de Pousio – Quima de áreas de campos ou florestas para a expansão agrícola e para pastagens;
  • 19. Clima da Amazônia • Clima Equatorial do tipo Af • Estação Chuvosa, Sul da Amazônia (set, abr)Norte da Amazônia (mar,set); • Temperatura média anual: 26 a 28 C; • Evapotranspiração 3 a 3,5 mm por dia, 55% da precipitação é reciclada; • Precipitação varia de 2.000 e 3.600 mm;
  • 20. Circulação Atmosférica na Amazônia
  • 21. Fluxo dos Rios voadores
  • 22. Estratificação da floresta amazônica
  • 23. Estratificação, característica específica • • • • • Arbórea ( mais que 7 m ) Arborescente ( entre 5 e 7 m) Arbustiva ( entre 3 e 5 m) Subarbustiva ( entre 1 e 3 m) Herbácea ( menos que 1 m)
  • 24. Forma de crescimento das plantas • Lenhosas : Possuem lenho ( madeira ), sua característica biológica apresenta um crescimento secundário. • Herbáceas : Não possuem lenho, sua característica biológica apresenta um crescimento primário. Obs. : Cipós e trepadeiras podem ser tanto herbáceas quanto lenhosas
  • 25. Processos Bioquímicos de manutenção do ciclo vital
  • 26. Biodiversidade A medida que se aproxima dos trópicos, aumenta a biodiversidade
  • 27. Teoria da dispersão Os organismos surgem em um determinado local (centro de origem) e a partir dali vão gradativamente ocupando outras áreas (dispersão) No caso dos animais especificamente é fácil assumir a idéia da dispersão, pois diferentemente das plantas é possível observar o deslocamento A palavra animal deriva do latim e significa fôlego vital ou movimento – Animado
  • 28. A dispersão não é capaz de explicar alguns padrões como as distribuições disjuntas ou a ocorrência de duas populações da mesma espécie ocorrendo de forma descontínua ,com lacunas onde simplesmente não ocorre um só indivíduo daquela espécie ou grupo de espécies, no caso dos biomas amazônico e mata atlântica não houve uma dispersão e sim a fragmentação de uma população.
  • 29. Vicariância Consiste na fragmentação de uma área biótica, separando populações, ocorre a interrupção do fluxo gênico entre as subpopulações a extensão da barreira e sua duração pode resultar em um processo de especiação, corresponde a figura anterior.
  • 30. Dispersão Vicariância
  • 31. • Por que só existem mamíferos marsupiais (ex. Gambá e Canguru) nas Américas e Oceania? Dispersão ou vicariância?
  • 32. Teoria dos Refúgios Período Quaternário Oscilações climáticas gerando períodos úmidos e secos –expansão (úmidos) e retração (secos) das áreas florestais –remanescentes de florestas em áreas de savanas –concentração da biodiversidade, extinção e especiação, isso explica a ocorrência de fragmentos florestais da floresta amazônica em regiões do cerrado.
  • 33. Fauna Amazônica A Floresta Amazônica possui uma das mais ricas biodiversidades do mundo, nessa floresta reside uma grande variedade de seres vivos, vegetal e animal. Alguns registros e pesquisas revelam que na Floresta Amazônica, existem aproximadamente cerca de 1.800 espécies diferentes de aves, 2.500 de peixes, 320 de mamíferos e dezenas de espécies de répteis, anfíbios e insetos. No entanto, esses números apresentados não são totalmente definitivos, pois por falta de pesquisas, muitas espécies de animais ainda continuam desconhecidas pela classe científica e pelo público em geral.
  • 34. Tucano de bico preto (Ramphastos vitellinus) Arara-vermelha (Ara macao)
  • 35. Tartaruga da Amazônia (Padocnemis expansa) Jacaré Açu (Melano suchisniger) Sucuri (Eunectes murinus)
  • 36. Onça-Pintada (Panthera onca) Boto-cor-de-Rosa(Inia geoffrensis) Anta-Comum(Tapirus terrestris) Macaco-Prego (Cebus kaapori)
  • 37. Peixe-Boi da Amazônia(Trichechus inunguis) Borbotela-Azul (Morpha menelaus menelaus) Saúva(Atta cephalotes) Sapo-Cururu(Rhinella marina)  )
  • 38. Piranha-Vermelha(Pygocentrus natterery) Poraquê(Electrophoridae eletrictus) Pirarucu (Arapaima gigas) Tambaqui( Colossoma macropomum)
  • 39. • Flora Amazônica Açaí (Euterpe oleraceae) • Babaçu (Orbignya martiana) • Buriti – Mauritia flexuosa
  • 40. • Vitória-Régia (Victoria amazonica) • • Seringueira (Hevea brasiliensis) Jatobá (Hymenaea courbaril)
  • 41. Problemas e Discussões • Fenômeno da Grilagem; UF Terras a Venda por (ha) Terras ( até R$ 300/há) Preço Médio (por ha) Total (até R$300/ha) PA 6.995.167,10 R$ 6.167.938,00 R$ 59,27 R$ 365.566.302,76 AM 4.169.348,00 R$ 4.169.348,00 R$ 128,08 R$ 534.000.720,00 RR 55.000,00 R$ 55.000,00 R$ 58,18 R$ 3.200.000,00 TO 36.000,00 R$ 36.000,00 R$ 188,44 R$ 6.784.000,00 Total 11.255.515,10 R$ 10.428.266,00 R$ 433,97 R$ 909.551.022,76
  • 42. • Cyber Grilagem Pose-se resumir no loteamento de terras por meio virtual para estrangeiros, destacando a precária atuação do estado em impedir tais iniciativas de cunho criminoso. Especuladores fundiários compostos por grandes proprietários de terras são os principais sujeitos.
  • 43. • Desmatamento Gráfico do descontrolado desmatamento na Amazônia legal, analisado pelo IBAMA no período que vai de 1977 até 2007.
  • 44. • Expansão de Fronteira Agropecuária na Amazônia
  • 45. • Biopirataria – Patentes internacionais
  • 46. Referências Bibliográficas • • • • • • • • Bioma Floresta Amazônica, disponível em : http://www.slideshare.net/JadeCorte/bioma-floresta-amazonica; Vegetação na Amazônia, disponível em : http://www.slideshare.net/diegolopesgeo/geo-psc1-vegetao-na-amaznia; Solos e Relevo da Amazônia, disponível em : http://www.slideshare.net/diegolopesgeo/geo-psc1-solos-e-relevo-da-amaznia; Curso de Fauna e Flora Zoogeografia, disponível em : http://www.light.com.br/institutolight/cursos/FaunaeFlora/faunaeflora-7.pdf; Amazônia : http://marte.museugoeldi.br/marcioayres/index.php?option=com_content&view=article&id=7&Itemi d=8; Trabalho de Climatologia por Felipe de Souza Pimenta; Imagens em Google Imagens; Amazônia Fauna e Flora, disponível em : http://www.portalamazonia.com.br/secao/amazoniadeaz/interna.php?id=951.

×