• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Edward Cullen não existe!Principes existem um - Romance Gospel
 

Edward Cullen não existe!Principes existem um - Romance Gospel

on

  • 7,322 views

 

Statistics

Views

Total Views
7,322
Views on SlideShare
7,320
Embed Views
2

Actions

Likes
3
Downloads
73
Comments
5

1 Embed 2

https://www.facebook.com 2

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

15 of 5 previous next Post a comment

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Edward Cullen não existe!Principes existem um - Romance Gospel Edward Cullen não existe!Principes existem um - Romance Gospel Document Transcript

    • Tânia Gonzales Edward Cullen não existe! Príncipes existem! um romance gospel 1ª edição São Paulo Edição do autor 2009
    • Gonzales, Tânia, 1971 - Edward Cullen não existe! Príncipes existem! -Um romance gospel/ Tânia Gonzales – São Paulo, 2009. ISBN 978-85-910249-1-9 1.Literatura Brasileira CDD-B869 Copyright © 2009 Tânia Gonzales contato com a autora: gonzalestania.gonzales@gmail.com http://romancegospel.blogspot.com É proibida a reprodução total ou parcial desta obra, por qualquer meio, sem a autorização prévia da autora. Obra protegida pela Lei de Direito Autoral nº 9610/98. Citações bíblicas : Edição Revista e Atualizada- Almeida- Sociedade Bíblica do Brasil.
    • Sumário Prólogo ♥ 9 1- Mudanças ♥ 12 2- Olhos azuis ♥ 22 3- No limite ♥ 35 4- A segunda chance ♥ 43 5- Tentação ♥ 55 6- Culto especial ♥ 63 7- Retiro ♥ 72 8- Palestra ♥ 87 9- Beijo e decepção ♥ 104 10- Fugindo ♥ 117 11- Esclarecimentos ♥ 132 12- Namoro ♥ 152 13- Ibirapuera ♥ 166 14- Preparativos para Páscoa e acidente ♥ 177 15- Desânimo ♥ 195 16- Rompimento ♥ 205 17- O.R.A.D ♥ 216 18- Surpresas ♥ 226 19- Visitas especiais ♥ 238 Epílogo ♥ 248
    • Agradeço: a Jesus, porque sem Ele nada posso fazer; meu esposo, Jonas, por acreditar desde o primeiro momento; minha filha, Juliana, por me dar o privilégio de ser chamada de mãe e finalmente, a Emília, por ser minha mãe.
    • Dedico este livro a você que deseja encontrar alguém especial e ser especial para alguém.
    • Para comprar a versão impressa: www.clubedeautores.com.br
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! “Chorar é diminuir a profundidade da dor.” Autor desconhecido Prólogo Pastor Paulo estava com a Bíblia aberta em Romanos 8.38,39; respirou fundo e começou:“ Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.” Por alguns segundos ele ficou em silêncio assim como todos os que estavam presentes. Era um momento muito difícil, estava diante do caixão de sua cunhada Sônia, esposa de seu amado irmão Roberto. Ainda não dava para acreditar no que havia acontecido, um motorista bêbado bateu violentamente no carro de Sônia e ela não teve a menor chance. O irmão mudou-se para Santa Fé do Sul com o objetivo de ajudar Carlos, o irmão mais novo, no pequeno restaurante que ele havia adquirido; Roberto era chefe de cozinha e Sônia, que era professora, concordou com a mudança; viveu em São Paulo desde o nascimento, então resolveu aproveitar a oportunidade para morar em uma cidade do interior. Assim passaram-se 4 anos e tudo estava caminhando muito bem, Sônia lecionava em uma escola da prefeitura, Roberto trabalhava com Carlos. Os gêmeos, Ana e Felipe, seus filhos, agora com 13 anos, também gostavam muito da cidade e 9
    • Tânia Gonzales todos eles congregavam na pequena igreja pastoreada por Paulo. Tudo estava indo muito bem até … o trágico acidente- pensou Paulo, para em seguida continuar as suas palavras. _Amados irmãos, o apóstolo Paulo escreveu que ele estava certo de que nem a morte tem o poder de nos separar do amor de Deus. Ela nos separa de nossos entes queridos, sim, e isto é muito doloroso, mas de Deus, não! A morte é o último inimigo a ser vencido, segundo palavras do mesmo apóstolo, mas ela não pode nos separar do amor de Deus. A nossa amada irmã em Cristo, Sônia, agora pertence ao pai; Ele nos permitiu, nos deu a honra de convivermos com ela por alguns anos e nós agradecemos a Deus por esta pessoa maravilhosa, esposa e mãe dedicada, muito amada pelos seus. A dor da separação é imensa, e Deus compreende o nosso sofrimento. Deus sabe que muitas lágrimas ainda serão derramadas e que a saudade vai nos trazer um aperto no peito que vai parecer insuportável, mas Ele sempre estará conosco. Vamos fazer uma oração e pedir ao nosso Deus, consolo, especialmente para o esposo, Roberto e seus filhos , Ana e Felipe. Oremos... Depois da oração, Roberto e os filhos se aproximaram do caixão para dar adeus à pessoa que eles tanto amavam. Ana olhava para o corpo da mãe, como doía ver quem ela mais amava neste mundo, ali inerte; Ana não podia acreditar que não mais ouviria a sua voz, que não poderia mais abraçá-la; as lágrimas inundaram seu rosto. Como era difícil para todos os que estavam presentes, ver o sofrimento dos três. Depois de alguns minutos, o caixão foi 10
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! fechado, o momento do sepultamento havia chegado. Isabel, a irmã de Sônia, que morava em São Paulo, veio com o marido, Rubens e as filhas Sabrina e Carol. Trouxe também a mãe, Teresa, que já estava com 72 anos, para se despedir da amada filha. A última vez que estiveram juntos foi no aniversário de 70 anos de Teresa, que eles comemoraram ali em Santa Fé. Agora a família havia se reunido novamente, mas não era um momento festivo, era um momento de muita dor, que a presença dos entes queridos ajudava amenizar. 11
    • Tânia Gonzales “ Seja o que for o que você faça, comece com Deus.” Matthew Henry Capítulo 1 -Mudanças Ela estava ansiosa demais para conseguir dormir, o dia seguinte seria de grandes mudanças; voltariam para São Paulo depois de 8 anos vivendo em Santa Fé do Sul. Ana não queria, mas não tinha escolha, o pai havia recebido uma proposta de emprego e resolveu aceitar. Ana não demonstrou a seu pai o quanto aquela mudança a estava preocupando, pois deseja que ele seja feliz novamente. Quem sabe com o novo emprego se sentirá melhor, pois será um novo desafio. Roberto é chefe de cozinha e trabalhava no restaurante de seu irmão Carlos, mas era um lugar pequeno, estava ali só para ajudar o “maninho”, era assim que ele chamava o irmão mais novo; em São Paulo ele iria trabalhar em um grande restaurante que pertencia a Miguel, um amigo dos tempos de faculdade. Ana percebeu o quanto o pai estava animado e até fazendo planos, há um bom tempo que não o via assim, desde que aconteceu aquele terrível acidente... esta mudança, pensava Ana, poderia amenizar um pouco a dor que ainda era muito grande, a dor da separação de alguém que eles amavam muito e que infelizmente não participaria da nova vida deles. Há quatro anos, em uma manhã chuvosa, a mãe de Ana perdeu a vida em um grave acidente; depois de viver tantos anos em uma cidade agitada como São Paulo, ela foi 12
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! morrer em um acidente estúpido, aos 35 anos de idade. Sônia deixou um marido maravilhoso e os gêmeos: Ana e Felipe, os três grandes amores de sua vida. A dor da perda era terrível, eles não conseguiam acreditar que alguém tão próximo, tão amado, não estava mais entre eles. Os primeiros momentos, os primeiros dias... como é difícil! Só quem já perdeu alguém querido sabe que, primeiro vem uma dor enorme, depois com o passar do tempo a saudade aperta e o que permanecem são as lembranças... Ana e o irmão tinham 13 anos quando ficaram sem a amada mãe e o pai se dedicou muito para ajudá-los a superar tão grande perda. Também contaram com o apoio e carinho dos parentes e dos amados irmãos da igreja que eles frequentavam. A fé que a família tinha em Deus os fortaleceu; assim passaram-se 4 anos e Ana estava pensando o quanto sua vida iria mudar a partir do dia seguinte: cidade, casa, igreja, escola, amigos, tudo novo. Como era difícil não ter sua mãe para conversar, para dizer o quanto toda aquela mudança a estava preocupando. Despedir-se dos irmãos da igreja foi muito triste; era uma igreja pequena com cerca de 80 membros, o tio de Ana, Paulo, o irmão mais velho de seu pai, era o pastor. Como a vida é engraçada, pensava Ana, quando eles mudaram para lá, ela tinha 9 anos e não gostou de precisar deixar São Paulo, chorou muito, não queria se afastar dos amiguinhos da escola, da igreja, e principalmente, não queria ficar longe de sua prima Carol, que era um ano mais nova que ela; agora estava triste por sair dali. Com certeza iria sentir muita falta de sua amiga da 13
    • Tânia Gonzales igreja, Kátia; eram da mesma idade, estudavam na mesma classe, faziam tudo juntas. Felipe também não estava animado com a grande mudança, ele e os primos, Cláudio e Henrique, filhos do tio Paulo e da tia Neusa , eram como irmãos e também Ana não podia esquecer de mais um motivo de grande tristeza para o irmão, Larissa, sua “quase” namorada. Justo agora que eles estavam conversando bastante, que foram ao cinema sozinhos, isto não estava certo, pensava Felipe, foi tão difícil chegar perto dela e agora iriam ficar tão longe... Um consolo para Ana era o fato da mudança ser no final do mês de janeiro, assim ela e o irmão começariam juntos com os outros alunos, fariam o último ano do ensino médio; iriam morar próximos de sua prima Carol, o que seria ótimo, também da vó Telê (era assim que chamavam Tereza desde quando eram bebês) e dos tios Rubens e Isabel. Havia também a prima Sabrina, mas ela e Ana não tinham muito contato. Morariam no bairro do Tatuapé. Depois de mais alguns minutos pensando, Ana conseguiu adormecer... Eram seis horas da manhã quando Roberto chamou os filhos; como foi difícil para Ana acordar, havia demorado muito para pegar no sono, mas não dava para ficar “enrolando”, o dia seria bem agitado. Tomaram o café pela última vez naquela casa que guardava doces lembranças. O pai resolveu não vender a casa, achou melhor alugá-la, e alugou uma em São Paulo, melhor assim, pensou, e se algo não desse certo por 14
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! lá? _Tudo pronto? - perguntou Roberto aos filhos. _Tudo, fazer o quê, né? - Felipe respondeu meio sem vontade. _Vamos lá, meu irmãozinho querido! - falou Ana, tentando demonstrar alegria. A mudança já havia seguido dois dias antes, os tios em São Paulo se encarregaram de recebê-la. Eles estavam felizes com o retorno, tia Isabel principalmente, ela queria ficar perto dos filhos da irmã amada. Os parentes já estavam todos prontos para a despedida, foi um momento muito difícil, não tinha um que conseguia segurar as lágrimas, a não ser Felipe, que não se permitia chorar, sempre dizia que não era normal homem ficar choramingando. Ana deu um abraço bem apertado em sua amiga Kátia e ambas prometeram conversar todos os dias pela internet. Saíram da querida Santa Fé do Sul às 8h; dirigindo o seu carro, Roberto não conseguia deixar de pensar que 8 anos atrás sua amada esposa estava ao seu lado, agora era o filho que ocupava o seu lugar, que saudade... lágrimas rolavam lentamente e ele tratou de enxugá-las, não queria que os filhos percebessem sua dor. Pararam para almoçar e descansar alguns minutos antes do meio-dia. Depois de quase duas horas, recomeçaram a viagem, se tudo corresse bem chegariam antes das oito horas da noite. Ana começou a pensar em sua amiga Kátia, com certeza sentiria muitas saudades, elas sempre estavam juntas, eram grandes amigas, daquelas que contavam tudo uma para 15
    • Tânia Gonzales outra. Ana sentia pena do irmão que agora ficaria longe de Larissa, justo agora, reclamava Felipe, que eles estavam começando a se entender. Pelo menos, pensava Ana, não estou gostando de ninguém no momento, melhor assim. Nunca havia namorado, só se interessado por dois garotos em toda sua “longa” vida e um detalhe importante: ainda nem sequer havia trocado um simples “selinho”; ela era uma garota bem extrovertida, mas quando o assunto era amor, tudo mudava, tinha problemas para lidar com isso. Mas, Ana sonhava encontrar alguém especial... Eram 17h quando Roberto resolveu parar para tomarem um café e usarem o sanitário. _E aí, maninha, animada ? - perguntou Felipe. _Só um pouquinho, e você está pensando muito na Larissa? _Nem me fale!!! Dá licença, que vida mais injusta, né? Nós combinamos de conversar todos os dias pela net, mas... _Já é alguma coisa! _Estão prontos para ir crianças?- perguntou Roberto. _Pai, crianças? Pare com isso! - reclamou Felipe. _Então, vamos... meus queridos filhos. _Pai - começou Ana- está ansioso com o novo emprego? _Muito ansioso, minha Aninha. Mas eu acho que o Miguel está ainda mais ansioso do que eu, já me enviou uns 6 torpedos. _Ele tem toda razão de não ver a hora de você chegar, papai. Quem não quer ter um profissional como você? _Você é suspeita para falar... Felipe? Ei, está dormindo? _Não, só estou pensando... 16
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Ela não vai esquecer de você, meu filho! Um garotão bonito como você não se encontra... _Para com isso pai e ela quem? Não estou pensando em ninguém, só na nova casa … _Me engana que eu gosto. Miguel era um grande amigo de Roberto, os dois fizeram a faculdade de gastronomia juntos e Miguel, depois de alguns anos, abriu um restaurante italiano na Consolação, o negócio ia muito bem e agora ele queria que o amigo fosse o chefe de cozinha, posição até então ocupada por Miguel que não estava dando conta em administrar o restaurante e ser também o chefe. Roberto resolveu aceitar com uma única condição: ter folga pelo menos 2 domingos por mês, pois queria ficar com os filhos e também participar da escola bíblica, e quem sabe um dia voltar até a dar aulas. Em Santa Fé ele quase não podia ir pois era raro o domingo que não trabalhava, mas quando morava em São Paulo Roberto dava aulas na igreja onde congregava. Ele conheceu Sônia justamente em um curso de Teologia, tinham 17 anos, começaram a namorar 6 meses depois e casaram 2 anos após o início do namoro. Os gêmeos nasceram quando eles iam completar dois anos de casados. _Pai , falta muito para chegarmos? - perguntou Felipe abrindo a boca de sono. _Estamos quase chegando, mais uns 40 minutos e estaremos em nossa nova casa, vocês vão gostar, é uma boa casa, viu? É claro que não tem o quintal grande e espaçoso de Santa Fé... mas também não será por muito tempo, se tudo der certo 17
    • Tânia Gonzales compraremos uma, ok? _Ok!- respondeu Felipe com pouca animação. Ana olhou para o celular, faltavam 10 minutos para as sete horas; o início da noite estava com uma temperatura agradável, era o último sábado do mês de janeiro. _Ana – disse Roberto – ligue para o tio Rubens diga que chegaremos em meia hora. Depois de 35 minutos Roberto estacionou em frente a uma casa azul com portão de alumínio. Ana avistou a prima Carol, toda sorridente, acenando. Também estavam lá: Tio Rubens, tia Isabel, a vó Telê e Sabrina, a irmã de Carol que tinha 20 anos. _Bem-vindos ! disse Rubens com um grande sorriso. Depois de muitos abraços e beijos, entraram na nova casa. Era um sobrado com garagem para dois carros, na parte de baixo tinha uma sala pequena, uma cozinha bem espaçosa e um banheiro; em cima eram 2 quartos , um banheiro, uma área para pendurar as roupas e uma pequena lavanderia. _Bom, agora que tal irmos para casa? Preparei o jantar para vocês- disse Isabel. _Isabel, cunhadinha querida, estamos dando tanto trabalho! - disse Roberto. _Pare com isso, não percebeu o quanto estamos felizes em tê- los aqui conosco? - respondeu Isabel e Rubens tratou logo de acrescentar: _Se vocês quiserem podem tomar um banho antes... mas é claro que lá em casa, né?Aqui está um pouco complicado... até se ajeitarem vai demorar um pouquinho e também vão 18
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! dormir lá conosco, nem pense em recusar, viu amigão? Roberto não tinha como questionar, Rubens estava certíssimo. A casa de Rubens ficava do outro lado da rua quase que de frente para a deles, era uma bela casa térrea, bem espaçosa, sala ampla, copa e cozinha, 4 quartos e um quintal nos fundos com uma churrasqueira bem convidativa, era um lugar bem agradável. Depois de algum tempo já estavam todos preparados para jantar, menos Sabrina que havia saído com uma amiga. _Espero que gostem – disse Isabel- cozinhar para um “chef “ não é nada fácil e eu sei que Ana também é uma ótima cozinheira apesar da pouca idade. Ana corou com o elogio da tia, mas ela sabia que Isabel estava certa, era uma aluna muito atenciosa, aproveitou muito bem as aulas do pai . _Eu fiz um pudim de leite, aquele que você tanto gosta, Roberto - disse vovó Teresa toda orgulhosa. _Mal posso esperar para provar, vovó! - Roberto respondeu tocando de leve o braço de Teresa, desde o nascimento dos gêmeos era assim que ele a chamava, e tratou logo de dizer para Isabel: _ O jantar está delicioso! _E aí, Felipe, você não me parece muito animado, será que é o cansaço da viagem? - tio Rubens perguntou ao ver o sobrinho com um olhar triste. _Tudo beleza, tio, só “tô” cansadão! _Não é só isso, Rubens, Felipe já está com saudades de uma certa pessoa lá de Santa Fé... 19
    • Tânia Gonzales _Pai! _Já entendi! -disse Rubens. Após o jantar, Carol levou Ana ao seu quarto para conversarem melhor. _Amanhã eu vou para escola bíblica, você quer ir comigo? As aulas da professora Beth são bem legais, minha classe é só de meninas entre 16 e 18 anos. Mas se você não quiser ir amanhã pode ser na próxima semana. _Eu bem que gostaria, mas amanhã terei tantas coisas para arrumar, nem sei por onde começar... _Eu ajudo depois da escola, não fico para o culto da manhã. _Se meu pai não se importar, eu vou. É aquela mesma igreja? _Não é a mesma, faz 4 anos que estamos nesta, aquela outra era muito distante, quase uma hora de carro, meu pai achou melhor mudarmos, esta é bem mais perto; é uma ótima igreja e bem maior que a outra, tem uns 1000 membros. Tem muitos adolescentes e jovens … _Será que papai vai querer ir para uma igreja grande? Você sabe que nós estávamos na igreja do tio Paulo, tinha no máximo uns 80 membros, mas eu gostava de lá, sabia? Eu vou sentir muita saudade, principalmente da Kátia, lembra dela? Você a conheceu quando … quando foi para o ... enterro da minha mãe- Ana disse as últimas palavras quase sussurrando. _É claro que me lembro, prima – Carol passou as mãos levemente nos cabelos de Ana querendo consolá-la, pois percebeu a tristeza no rosto dela ao lembrar da mãe. 20
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! Antes da meia-noite todos estavam prontos para dormir, Ana, diferente da noite anterior, adormeceu rapidamente, estava exausta. 21
    • Tânia Gonzales "Amor à primeira vista é possível; mas é sempre bom limpar os óculos e ter um segundo olhar.” Autor desconhecido Capítulo 2- Olhos azuis _Ana, Anaaa! Você vai comigo? - perguntou Carol , pois já estava na hora de levantar para irem à Escola bíblica. _Eu vou - respondeu Ana ainda sonolenta. Depois de alguns minutos Ana já estava em pé, querendo saber de Carol como que as pessoas se vestiam lá na igreja, não queria ir diferente de todos. _De manhã as meninas vão de jeans mesmo, sem muita produção. Roberto também havia resolvido participar da escola bíblica. Foi preciso 2 carros para acomodá-los, até a vovó Telê não perdia uma aula, participava de uma animada classe da 3ª idade. Quando chegaram, Ana ficou bem admirada, pois a igreja se localizava em um prédio de três andares muito bonito. Muitas pessoas permaneciam na área livre esperando o momento de irem para suas classes. Depois de algumas apresentações, Carol levou Ana para o 2° andar, queria apresentar a prima para sua professora, ainda faltavam alguns minutos para o início da aula. Ao chegar à porta da classe, Carol disse baixinho para Ana: -Aquela loira com a blusa rosa é a professora Beth... 22
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! Antes de visualizar a loira de blusa rosa , Ana viu um par de olhos azuis fitando-a com interesse, ficou parada , não conseguiu acompanhar a prima, “quem seria o dono destes lindos olhos azuis?” pensou Ana rapidamente. Ela simplesmente não conseguia dar um passo sequer- “ o que está acontecendo comigo? “ - Enfim Carol a puxou e foi logo dizendo ao dono dos olhos azuis hipnotizadores: _Oi, Alê! _Oi, Carol! - respondeu Alexandre desviando o olhar de Ana e cumprimentando Carol com um beijo. _Esta é a minha prima Ana, ela chegou de mudança ontem, veio de Santa Fé do Sul. _Oi, Ana, seja bem-vinda à nossa igreja – disse Alexandre com um largo sorriso nos lábios. Por um momento Ana pensou que não ia conseguir dizer uma só palavra, mas felizmente se recuperou e respondeu com um quase inaudível oi- “ o que ele vai pensar de mim ? Com certeza que eu sou uma menina toda tímida que não consegue nem falar direito”- pensou Ana com raiva de si mesma. _Carol, vejo que está toda animada com a chegada de sua prima, não é? - a voz era da loira de blusa rosa que Ana não tinha notado ainda pois não conseguia ver outra coisa a não ser os “olhos azuis”. _Oi, bom dia, profª Beth, esta é a Ana. _É um prazer conhecê-la, Carol não falava em outra coisa que não fosse em sua chegada; espero que goste daqui, Ana- disse Beth cumprimentando Ana com um beijo, que conseguiu retribuir depois de estar anestesiada por alguns 23
    • Tânia Gonzales segundos. Alexandre estava saindo quando Beth disse: _Valeu, Alê! Não sei o que faria sem você... _Para com isso, se der mais algum problema pode me chamar- e assim ele saiu dando uma última olhada na bonita garota de cabelos negros... _Vamos meninas, está na hora de começarmos – disse a professora. Depois de uma breve oração, a profª Beth começou a escrever no grande quadro branco, só então Ana reparou na agradável sala de aula que estava lotada com 23 garotas bem agitadas e todas com caderno e estojo como uma aula deveria ser. Com Carol e Ana eram 25 alunas na classe de Beth, que agora estavam olhando para o quadro branco e fazendo anotações. “ Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio-próprio...” 1 _Escrevam domínio-próprio bem destacado, ok? - disse Beth após escrever os versículos bíblicos. _Quem saberia nos explicar o significado de : domínio- próprio ? _Saber se controlar? - arriscou Priscila, uma garota de 18 anos que sempre gostava de dar as respostas nas aulas de Beth, invariavelmente era ela quem primeiro se pronunciava. _Muito bom, Pri! Ter controle sobre os seus sentimentos, suas ações, aprender a não agir só por impulsos. Muitas 1 Gálatas 5.22, 23 - grifo da autora. 24
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! pessoas se deixam dominar pelos sentimentos e depois passam anos se arrependendo do que fizeram. Depois da explicação, Beth voltou a escrever no quadro, agora com letras garrafais: EDWARD CULLEN2 NÃO EXISTE! Neste momento houve uma agitação na sala de aula. Todas falavam ao mesmo tempo... _Meninas, acalmem-se, uma de cada vez, certo? _Profª Beth – começou Priscila- Vamos falar sobre Edward Cullen? O que tem a ver o versículo de Gálatas com este gato? E todas as meninas recomeçaram a falar... Antes de responder, Beth ligou o computador que ficava em sua mesa e colocou o trailer do filme “Crepúsculo”3- agora as meninas suspiravam e falavam mais animadas ainda... _Tudo bem meninas, agora façam um pouco de silêncio. Quem ainda não assistiu ao filme “Crepúsculo”? Ninguém levantou a mão. _E quantas não leram o livro? Beth viu cinco braços se esticarem. _Acho melhor eu não perguntar quem leu a Bíblia pelo menos uma vez esta semana, não é? Não precisam se manifestar... meninas, a Priscila quer saber e acho que não só ela, mas todas vocês, o que Edward Cullen tem a ver com nossa aula, e 2 Personagem do livro “ Crepúsculo”, que é um vampiro- Autora Stephenie Meyer. 3 O filme “ Crepúsculo” é baseado no livro homônimo de Stephenie Meyer. 25
    • Tânia Gonzales eu vou explicar, mas primeiro vou tirar estas imagens pois senão eu fico em séria desvantagem- dizendo isto Beth sorriu e desligou o computador. _O que vocês acham de Edward Cullen? As meninas começaram a responder: Lindo, o máximo, irresistível, gatão, um sonho, um cavalheiro, “mara” (maravilhoso), um príncipe, o homem perfeito e outros tantos elogios. _Certo- disse Beth- Eu sei que vocês gostaram do filme, que acham a história maravilhosa; é um romance impossível e por isso mesmo mexe tanto com a imaginação de vocês. Eu assisti também e li os dois primeiros livros para poder conversar com vocês com mais propriedade, e confesso que é uma história que prende a atenção, mas cuidado para não exagerar na importância disso, entendem? Coisas do tipo : Eu não vivo sem ele,- dizendo isso Beth apontou para a frase do quadro- é só um livro, é claro que Edward Cullen em pessoa não existe, foi criado pela escritora e é interessante que lendo até parece que o conhecemos e é justamente por isso que ler é tão fascinante. Eu comecei a aula falando sobre domínio- próprio e diante de um “gato” destes é difícil ter controle, não é? Afinal, como vocês mesmas dizem ele é “mara”! Mas, eu peço que vocês não exagerem, não dê a isto mais importância do que deveriam, está bem? Outro dia eu estava navegando pela net e encontrei cada coisa! Garotas dizendo que dariam o pescoço para o Edward morder, que são loucas por ele e que fariam qualquer coisa para vê-lo... Meninas, cuidado com o exagero, eu sei que vocês gostariam que existisse alguém 26
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! como o Edward Cullen, e um dos motivos é o fato dele ser completamente apaixonado por Bella4 e por isso mesmo, totalmente dedicado à ela. Eu entendo, mas peço novamente que tomem cuidado, pois há meninas que quando se apaixonam se esquecem de tudo, como se nada mais importasse a não ser viver aquela paixão. Sabe aquele cara que você acha irresistível, que se ele desse bola você não pensaria duas vezes? Você não vê Bella dizendo: “Eu não posso ficar com ele, afinal ele é um vampiro, tenho que me afastar dele, preciso resistir, ele é perigoso”; a reação natural seria esta, mas ela o quer mais do que tudo e o sentimento é recíproco. E vocês ficam fascinadas com o enredo, acham tudo muito romântico, mas se vocês encontrassem com o Edward bem no momento da refeição dele, com certeza não iriam achar nada romântico, pois vocês sabem muito bem que ele se alimenta de sangue animal, só para não ferir um ser humano, pois a filosofia de vida da família dele é não machucar os humanos. Mas, pensem bem, dá para imaginar a cena? _Ai, professora, que horror! - disse Priscila- Acho que nem vou almoçar hoje! _Seria uma cena bem desagradável. Será que alguma de vocês gostaria de ser beijada por ele depois dele ter feito um “lanchinho”? - perguntou Beth. _Professora, dá um tempo! Não é só pelo tipo da dieta dele, quem é que gostaria de beijar um menino que acabou de comer um hambúrguer, por exemplo?- questionou Sílvia, que 4 Uma garota de 17 anos que se apaixona por Edward. 27
    • Tânia Gonzales simplesmente devorava livros de romance. _Tudo bem, mas eu não quero que vocês acabem por achar natural o fato de Edward se alimentar de sangue, pois não é. Existem grupos que se identificam com vampiros, eu não quero alarmar vocês, mas há os que até se alimentam de sangue, é o chamado “ vampirismo real”; se vocês fizerem uma rápida pesquisa na net vão comprovar o que eu disse. Os vampiros que conhecemos pelos livros e filmes são figuras mitológicas, vocês sabem que são histórias fantasiosas, mas sempre existem aqueles que querem trazer isso para a vida real e é muito perigoso. Há pessoas que entram pelo mundo da fantasia, da ficção e depois não conseguem mais separar o real do imaginário. É necessário fazer a distinção entre o bem e o mal, entre a verdade e a mentira, pois hoje há uma distorção de valores, há os que dizem que o mal não é completamente mal e o bem não é completamente bem... tudo é relativo; mas para nós cristãos existem verdades eternas, absolutas e é na Bíblia que as encontramos. Não permitam que enganem vocês. As alunas não tiravam os olhos da professora, estavam totalmente atentas às palavras de Beth. _Eu sei que o que realmente chama a atenção de vocês é o romantismo e sei também que são muitas as tentações, acho que vocês dificilmente vão encontrar vampiros por aí, mas lá fora existem muito perigos, como por exemplo aquele garoto que faz o seu coração bater rapidamente e se ele der uma chance você simplesmente se derrete e esquece tudo o mais, pouco ou nada importando se ele compartilha da 28
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! mesma fé que você ou se ele tem bom caráter; pois às vezes a atração física é tão forte que a cabeça não pensa direito, você se sente tão atraída que se esquece de agir com a razão; que pena- disse Beth olhando para o relógio- nosso tempo já acabou, gostaria que esta semana vocês lembrassem de filmes com histórias de amores impossíveis, vamos citar alguns na próxima aula. Ana, espero que tenha gostado e volte no próximo domingo. - Ana agradeceu com um sorriso. Faltavam poucos minutos para começar o culto, quando Ana e Carol se encontraram com os outros no templo. _Nós vamos ficar para participar do culto, meninas- avisou Roberto- depois do almoço começaremos a organizar as coisas em casa, certo? Em seguida foram se encontrar com Isabel que havia guardado lugar para todos bem próximo ao púlpito. Assim que se acomodaram, um homem alto vestido com um bonito terno grafite modelo italiano, se aproximou. _Meus queridos, que prazer em tê-los aqui. _Roberto, este é o pastor Jair – apresentou tio Rubens. _Pastor Jair, eu estava mesmo muito ansioso para conhecê-lo, a igreja é linda e gostei muito da aula do irmão Arthur- depois Rubens apresentou Ana e Felipe. O Pastor perguntou algumas coisas sobre Santa Fé do Sul e depois foi se afastando dizendo: _Espero que fiquem aqui conosco e se precisarem de alguma coisa é só me procurar. Com licença já está na hora de iniciar o culto. Ana deu uma boa olhada no amplo templo com esperança de 29
    • Tânia Gonzales rever o dono dos olhos azuis, mas ela sabia que seria difícil no meio de todas aquelas pessoas, mas, de repente ela viu o rapaz entregando uma folha ao pastor que já estava se posicionando para dar início ao culto. Ana estava pensando o quanto era boba, tinha acabado de conhecê-lo e estava procurando por ele, que absurdo. Alexandre era um rapaz muito atraente, de cabelos castanhos claros, curtos e lisos, 1.80m de altura e possuía um lindo par de olhos azuis, herança de seu avô materno, que se destacava, além de ser um muito simpático e prestativo. O culto começou com o pastor Jair convidando todos para uma oração e em seguida um quarteto de senhores da 3ª idade começou a cantar um belo hino. Carol havia dito a Ana que o culto da manhã era voltado para este grupo pois muitos não vinham aos cultos no período noturno. Ana gostou muito de ouví-los, dava uma grande paz, como era bom poder sentir a presença de Deus. Depois de mais uns 2 hinos, pastor Jair abriu sua Bíblia e leu Salmos 118.8 : -“É melhor buscar refúgio no Senhor do que confiar no homem, melhor é buscar refúgio no Senhor do que confiar nos príncipes.” Falou durante 40 minutos sobre a importância de buscar a Deus e de não depositar nossas esperanças nas coisas passageiras deste mundo, que o principal é saber que Deus é o nosso refúgio e devemos confiar somente Nele. Foi um culto maravilhoso, principalmente para Roberto que estava precisando daquela palavra, para ele fora como um bálsamo tratando de suas feridas. 30
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! O almoço na casa dos tios foi bastante animado, como era bom estar próximo de pessoas tão amadas. Vovó Teresa era a mais animada de todos, não se sentia assim desde a perda de sua amada filha, ela estava muito feliz com a presença dos netos e de Roberto que ela tanto admirava. -Agora não temos mais desculpas, não dá para adiar a arrumação. - disse Roberto logo após o almoço, depois foram todos para nova casa, menos Sabrina que foi para casa de uma amiga. A noite chegou rapidamente e eles nem perceberam pois tinham muitas coisas para fazer. Não puderam ir ao culto, mas com certeza iriam no próximo domingo. Depois do jantar, Ana conseguiu falar com sua amiga Kátia pela net, já estava com saudades. Dormiram mais uma noite na casa de Rubens, a nova casa ainda não estava habitável. A semana começou e com ela muito trabalho, Roberto só iria começar no restaurante na próxima semana e por isso eles aproveitaram os dias para deixar tudo em ordem. Ana conversava todos os dias com Kátia pela internet, ela ia na casa dos tios pois ainda não tinham linha telefônica e conexão com a internet, mas já haviam feito o pedido à companhia telefônica. Ana sempre contava tudo para sua amiga, mas desta vez não foi assim, ela achou melhor não falar nada sobre os “olhos azuis”, também, pensava Ana, “o que ela tinha para falar?” Finalmente o sábado chegou e Ana estava muito animada só 31
    • Tânia Gonzales pensando que no dia seguinte ela iria à igreja, estava ansiosa pela aula da profª Beth e também queria rever o dono dos lindos olhos azuis. Era quase uma hora da tarde, ela havia combinado ir em uma perfumaria com Carol. Ana já estava abrindo o portão da casa da prima quando um carro vermelho estacionou, ela reconheceu o motorista rapidamente, era o dono dos lindos olhos azuis, seu coração disparou, em seguida viu Sabrina descer dizendo: _Valeu, Alê! Você não quer entrar um pouquinho? _Não Sabrina , preciso ir... oi, Ana, tudo bem? Ana não podia acreditar que ele havia se lembrado do nome dela, a apresentação deles domingo passado fora tão rápida... ela pensou “ responda, sua boba”. _Oi, tudo bem! _Você já conhece a minha priminha? - disse Sabrina em um tom que Ana detestou. _Fomos apresentados domingo; está gostando de São Paulo, Ana? _Estou ! - “diga mais alguma coisa, por favor, sua menina boba”- pensou Ana com raiva de si mesma. _Ótimo, agora eu preciso ir, tchau, meninas! Sabrina fez um aceno e esperou Alexandre se afastar, Ana ficou parada não acreditando que outra vez havia ficado sem ação diante dele. _Mãe! - Sabrina gritou ao entrar- papai não virá para almoçar, quer que eu leve, não vai dar para sair, o movimento está grande hoje, mas já dava pra imaginar, as aulas estão para começar. Vim de carona com o Alê, ele estava lá na loja. 32
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! Os tios de Ana tinham uma papelaria, próxima à casa deles , Rubens, na maioria das vezes almoçava em casa, tinham um funcionário e a esposa também ficava quando necessário, até Carol passava um período atendendo, quem não gostava nada disso era Sabrina, mas como não estava trabalhando fora precisava dar uma mãozinha de vez em quando. No caminho para perfumaria Ana aproveitou para fazer algumas perguntas à prima, não dava para aguentar mais. Ela não conseguia parar de pensar se Alexandre e Sabrina teriam alguma coisa... ela precisava saber. _Carol- começou Ana- eu vi a Sabrina chegando com aquele rapaz da igreja... o Alexandre. Eles... Ana não precisou nem completar, Carol foi logo dizendo: _Eles já namoraram, durou uns 6 meses... acho até que foi muito... mas eles terminaram há uns 2 anos. _Quem terminou o namoro? - Ana perguntou sem conseguir esconder a curiosidade. _Sabrina diz que foi ela, mas eu tenho certeza que foi ele, ela é doidinha para voltar... também quem não seria, né? Muitas meninas da igreja são apaixonadas por ele. Eu queria que ele fosse meu cunhadinho, mas fazer o quê? Sabrina é muito chata, é minha irmã, eu sei, mas ela é tão cheia de coisa... só pensa nela, acha que é uma miss! E ela não se compromete com nada na igreja e Alexandre, pelo contrário, está sempre envolvido. Acho que foi por isso que não deu certo. _Eles têm a mesma idade? - não dava para aguentar mais, Ana tinha que saber... era melhor perguntar assim do que dizer: qual a idade do Alexandre? 33
    • Tânia Gonzales _Não , o Alê já tem 21 e você sabe que a Sabrina fez 20 anos em dezembro. “Então ele tem 21 anos, era isso que eu queria saber- pensou Ana um pouco desanimada- se liga garota, você só tem 17.” _Você acredita que a Sabrina começou fazer faculdade de ciência da computação só por causa do Alê? _Ele está fazendo ciência da computação? _Está no último ano. Ele sempre foi interessado nisso e ele é fera, viu? Ele é o “web designer” da igreja, eu acho que é assim que se fala. Você ainda não entrou no site da igreja, entrou? Ana fez que não com a cabeça, e ficou esperando por mais informações sobre Alexandre. _Você precisa ver o site, é muito legal e se você tiver algum problema no mundo da computação é só chamar pelo Alê! _Engraçadinha! _Não estou brincando! Ele gosta de ajudar. Ana conseguiu mais algumas informações com Carol, é claro que sempre dava uma disfarçada no interesse pelo assunto, mas descobriu que Alexandre não estava namorando, que estudava na parte da manhã e à tarde trabalhava em uma empresa de desenvolvimento de software. Também soube que ele morava com os pais, Afonso e Luísa e que a irmã dele se chamava Joyce, que era casada com Celso e tinham dois filhos: Melissa de 4 anos e Lucas de 1 aninho. Ana também ficou sabendo que o pai de Alexandre era médico pediatra. E toda a família congregava na mesma igreja. Que agora era a igreja de Ana também, a IECVV(Igreja Evangélica Caminho, 34
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! Verdade e Vida). “ Os únicos limites das nossas realizações de amanhã são as nossas dúvidas e hesitações de hoje." Roosevelt Capítulo 3 -No limite Professora Beth entrou na classe com uma pequena caixa de isopor nas mãos, cumprimentou as meninas com um animado: “ graça e paz!”, e convidou-as a orar, fez um pedido especial por uma das alunas, Cíntia , que estava com problemas em casa. Após a oração e a leitura de um versículo, Beth disse: _Meninas, fizeram a lição de casa ? _Profª Beth- é claro que Priscila foi a primeira a se manifestar, com uma voz bem solene disse– o filme que eu escolhi para representar um amor impossível foi: “O incrível Hulk”. As meninas não conseguiram segurar o riso. _E qual o motivo de sua escolha? _Eu acho uma pena, sabe? Ele sempre precisa ir embora para não o pegarem, e também ele não pode ter um ...digamos assim... um relacionamento com a mulher que ele ama porque iria se transformar e aí coitadinha dela! Mais risadas na classe... _ É realmente complicado! Quem mais? - disse Beth olhando para suas alunas. _O filme “ Um amor para recordar ” - disse Ana- É uma história linda, porém triste, Jamie, uma jovem de 18 anos está 35
    • Tânia Gonzales com leucemia e se apaixona por Landon, um garoto problemático que acaba se apaixonando por ela, os dois namoram sem que ele saiba da doença dela, quando descobre fica arrasado e resolve se casar com ela, os dois ficam pouco tempo juntos, infelizmente ela morre. _Tem razão, Ana! É um filme lindo. O legal é que o amor fez com que Landon mudasse, então, valeu a pena. _Que trágico! - disse Sílvia- Eu acho que o mais trágico de todos é Romeu e Julieta! É uma pena que ele tenha pensado que ela estava morta, se ele tivesse esperado só mais um pouquinho... _Sílvia, você citou um exemplo clássico! Vocês já devem ter notado que antes os motivos para um amor ser impossível era: inimizade entre as famílias, como é o caso de Romeu e Julieta, diferença de idade, raça, posição social... muitos são os filmes que contam a história da mocinha pobre que se apaixonou pelo rapaz lindo e rico. Mas as coisas mudam e parece que sempre é necessário algo mais, então aparece o vampiro que se apaixona por uma frágil menina humana ... e é claro que isso mexe com a imaginação de vocês. Beth escreveu no quadro branco: “ EDWARD E BELLA = AMOR IMPOSSÍVEL” Em seguida pegou a caixinha de isopor e tirou um saquinho preto de lá. _Dê-me sua mão Ana, o que você sente? - perguntou Beth encostando o saquinho preto na mão de Ana que a afastou rapidamente. _Frio! 36
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! Depois Beth fez o mesmo com mais 5 meninas e por fim recolocou o saquinho na caixa. _Vocês acham que Bella é muito sortuda, não é? Mas já imaginaram dar um abraço em uma estátua de gelo? No livro é tão romântico! Dá para imaginar namorar alguém que nunca dorme, não come, só tem um tipo de alimento em sua dieta e mais alguns detalhes que vocês conhecem bem? Dá para imaginar, meninas? O fascínio que estas histórias trazem para vocês eu entendo, mas eu quero dizer novamente: cuidado para não dar mais atenção a este tipo de coisa do que o normal. Outro dia, uma mãe me procurou muito preocupada com sua filha que não saía mais do quarto, fazendo o quê ? Lendo a série Crepúsculo, foi ao cinema várias vezes, assistir o quê? “ Crepúsculo “; meninas, eu disse que é ótimo ler, mas tudo deve ser feito com equilíbrio. Minhas queridas alunas – suspirou Beth antes de continuar- EDWARD CULLEN , apesar de ser uma estátua de gelo, é lindo, encantador, forte, responsável, protetor, apaixonado, enfim o namorado que toda garota gostaria de ter, exceto por um detalhe ele é um vampiro! - dizendo isso Beth sorriu- Mas ele não existe! É uma ficção! Então, não sejam tão exigentes com os meninos “normais”. _Profª Beth- começou Ana - Você acha que estamos fazendo este tipo de comparação? É claro que não queremos andar ao lado de um modelo de beleza e uma geladeira ambulante, mas queremos alguém que seja sincero e que tenha pelo menos um pouquinho de romantismo... _Somos meninas sonhadoras. Outro dia eu sonhei que estava 37
    • Tânia Gonzales em um shopping quando de repente apareceu Edward Cullen; eu desmaiei e em seguida acordei. Pode?- contou Sílvia. _Sonhamos com um príncipe, mas quem não sonha? E você Beth, também sonha? perguntou Priscila. Beth deu um sorriso e pensou, “ essas meninas me colocam em cada uma”! Tinha 34 anos e já havia algum tempo que estava sozinha. Depois de um namoro de 3 anos e uma grande decepção ela não estava interessada em “príncipes”. _Meninas, meninas...eu passei desta fase já há algum tempo. _Mas já sonhou, querida professora! Somos todas normais! - Priscila disse bem animada- eu acho que ninguém deveria deixar de sonhar, um dia ele pode entrar por aquela porta e... Neste momento, Priscila foi interrompida por uma batida na porta. As meninas não conseguiram segurar o riso quando viram quem abriu a porta. _Desculpe, Beth! - Alexandre ficou olhando sem entender- O Ronaldo gostaria de falar com você e a Cíntia logo após a aula. _Meninas, acalmem-se! Tudo bem Alê, eu espero por ele aqui, já estamos terminando. Certo meninas, agora chega! - disse Beth tentando acabar com as risadas e comentários- não liga, Alê, estas meninas estão impossíveis hoje! _Tudo bem. Vou falar com o Ronaldo. Tchau! Beth olhou para suas inquietas alunas e não pôde deixar de rir. _Meninas, vocês precisam aprender a se controlar... _Ah, Beth! Um príncipe aparece e você pede de nós, pobres mortais, controle?- mais uma vez Priscila se adiantou. 38
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _É você tem razão, Alexandre é um ótimo rapaz, espero que ele encontre alguém muito especial... _Candidatas não faltam! Ele, sim, é “mara”! - falou Amanda, que raramente se manifestava. _Parem com isso! Príncipe que nada! Vão sonhando! Eles querem só uma coisa e depois... adeus. - disse Simone em um tom de revolta. _Por favor, cuidado com os comentários! Simone você não precisa ficar brava , elas só estão brincando. Bom , nosso tempo acabou, nesta semana lembrem de orar pela família da Cíntia. E não se esqueçam dos preparativos para o retiro de carnaval, antes de sair peguem a programação para vocês já terem uma ideia. E mais uma coisa, sábado vamos reunir o grupo de teatro para distribuir os papéis da peça de Páscoa. Depois da oração, Beth chamou Ana e a convidou para participar do grupo de teatro, ela aceitou na hora, Ana gostava de participar de peças teatrais. Ronaldo entrou na classe assim que todas as meninas saíram, Beth estava conversando com Cíntia, eles estavam preocupados com o irmão dela, Carlinhos, que tinha problemas com drogas e já havia passado alguns meses no centro de recuperação da igreja. Ele ficava bem por alguns meses mais depois voltava ao vício. Ana saiu da classe com Carol e quando estavam descendo as escadas sentiu alguém tocar o seu ombro, ao virar pensou que seu coração fosse sair pela boca, batia tão rápido! Não dava para aguentar aquele par de olhos azuis a fitando, eles estavam tão próximos um do outro que Ana sentiu o cheiro do perfume dele. 39
    • Tânia Gonzales _Oi, Ana, Carol- começou Alexandre cumprimentando-as com um beijo - Meninas, hoje depois do culto da noite, vamos assistir ao filme “ A segunda chance ” e vocês estão convidadas, será na sala 8, chame o seu irmão também, Ana, e não se preocupem que depois eu levo vocês para casa, se quiserem, é claro. Ana olhou para Carol com uma interrogação nos olhos, a prima fez um sinal com a cabeça confirmando. _Legal, vou falar para o Lipe. - Ana se sentiu aliviada por conseguir agir com normalidade apesar da euforia que tomava conta do seu interior. _Quer que eu fale com ele? _Você faria isso? Seria ótimo, o Lipe está com alguma dificuldade para se enturmar, sabe? _Deixa comigo, Ana. _Valeu! O culto já havia começado quando Ana e Carol entraram no templo, o quarteto “ Frutos” estava louvando: “ Como agradecer por tudo que fizeste a mim, não merecedor, mas provaste o seu amor sem fim, as vozes de um milhão de anjos, não expressam a minha gratidão, tudo que sou e o que almejo ser, eu devo tudo a Ti. A Deus seja a glória...”.5 Após o louvor, pastor Jair começou o seu sermão. _Amados irmãos, em 1 Reis 19: 8, 9 diz: “ Levantou-se, pois, comeu e bebeu; e, com a força daquela comida, caminhou quarenta dias e quarenta noites até Horebe, 5 Hino: Meu tributo. 40
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! o monte de Deus. Ali, entrou numa caverna, onde passou a noite; e eis que lhe veio a palavra do Senhor e lhe disse: Que fazes aqui, Elias? “ Hoje eu vou falar sobre limites, os nossos limites. Queridos, o profeta Elias era um homem sujeito aos mesmos sentimentos que nós, Tiago em sua carta nos disse exatamente isto. Elias é a personagem bíblica do Antigo Testamento que eu mais admiro, porque quando eu penso: Puxa, Elias é um super herói, olha que autoridade! Ele chegou até Acabe e disse : “ não vai chover segundo a minha palavra”, e depois desafiou os profetas de Baal e convocou o povo de Israel dizendo “ até quando coxeareis entre dois pensamentos? “ E até zombou enquanto os profetas de Baal se esforçavam para serem ouvidos. Que coragem! Depois clamou a Deus e o Senhor mandou fogo do céu. Que fé! Depois ele disse que a chuva viria e o que aconteceu? Deus mandou a chuva. Mas quando eu penso que ele é um super herói, a reação de Elias, ao receber uma ameaça de Jezabel, me surpreende. Elias foge! Como é possível? Depois de tudo o que aconteceu, Elias foge com medo de uma mulher? Por quê? Limite! Elias chegou no limite das suas forças. Ele estava esgotado. O desafio ali não era maior, pelo contrário, mas o problema estava nele. Limite. O profeta de Deus havia chegado ao seu limite. E Deus entende quando nós chegamos no limite de nossas forças. E Ele sabe muito bem como cuidar de nós nestes momentos. Primeiro cuidou do físico de Elias. A Bíblia diz que Elias passou a noite na caverna. Imagine que noite foi aquela. Quantas noites você passou na 41
    • Tânia Gonzales caverna, amado irmão. Na caverna do luto, lágrimas rolando, saudades... Na caverna do desemprego, dívidas, desespero... Na caverna da solidão, na caverna do vício, na caverna da doença. Deus vai tratar com você seja qual for a sua caverna. Ele cuidou de Elias, Deus falou com uma voz mansa e delicada, porque era exatamente este tipo de tratamento que o profeta estava precisando. Se você precisa de consolo Deus te consolará, mas, se você necessitar de um “puxão de orelhas”, Ele também dará. Elias recebeu a missão de ungir dois reis e Eliseu como profeta em seu lugar, depois Deus o levou, pois havia chegado o momento da partida do profeta de Deus. Deus vai cuidar de você seja qual for a sua caverna, Ele sabe muito bem do que você necessita. Creia que Deus tem o melhor tratamento para sua vida. Saiba que quando nós chegamos no limite, Deus nos entende e Ele cuida de nós como um pai amoroso cuida de seu filho amado. Sinta o cuidado de Deus, ouça a voz de Deus nesta manhã. 42
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! "Existem apenas duas maneiras de ver a vida. Uma é pensar que não existem milagres e a outra é que tudo é um milagre." Albert Einstein Capítulo 4- A segunda chance Ana preparou o almoço junto com seu pai, ela adorava trabalhar na cozinha com ele, enquanto isso Felipe estava conversando com a Larissa , pela net, o computador ficava na sala, o pai achava melhor assim. _Aninha, amanhã é o grande dia!– - Roberto se referia ao início de seu trabalho no restaurante do amigo Miguel- Vou reiniciar a rotina. _É pai, é isso aí! Tudo de novo... eu e o Lipe também, afinal amanhã começam as aulas. _Anaaa! - gritou Lipe- A Kátia quer falar com você! _Vai lá, filha! Já está quase tudo pronto mesmo... Ana conversou com a amiga por alguns minutos. Não resistiu e contou para Kátia sobre Alexandre, não que tivesse muita coisa para contar, mas, qual o problema? Era só ela não exagerar no interesse e estaria tudo certo. Ela não ia ficar imaginando que ele por acaso estaria com algum interesse nela, claro que não, pensou Ana. Afinal ele tem 21 anos e eu somente 17. _Hum!!! Que delícia! - exclamou Felipe ao saborear o almoço preparado por Roberto e Ana. _Nós agradecemos, não é Aninha? Aninha? 43
    • Tânia Gonzales _Oi? Não entendi, pai? - Ana estava tão distraída pensando nos “olhos azuis” que não percebeu que o pai estava falando com ela. _Onde você estava, querida? Tenho certeza que não era aqui nesta cozinha, não mesmo! _Eu? Claro que estava, eu só não entendi a pergunta. Roberto deu uma piscada para Lipe que retribuiu e foi logo dizendo: _Não sei não, aí tem! _Parem com isso, que tal nós arrumarmos tudo? Já são três horas. Depois de alguns minutos tudo estava em ordem e Ana foi para seu quarto, ela queria dar uma boa olhada em seu guarda- roupa, estava com vontade de caprichar no visual para o culto da noite. _E aí, Carol, como estou? - perguntou Ana assim que a prima entrou em sua casa. _Nossa! Uau!!! Uma gata! _Você também está ótima! Ana havia colocado uma saia preta com um bordado bem delicado e uma blusa salmão com botões dourados bem discretos. Estava com seus lindos cabelos negros totalmente soltos. Ela era uma garota muito bonita, sem dúvida. Tinha 1,68m de altura, 52 quilos, os cabelos negros um pouco abaixo dos ombros, olhos castanhos escuros. Carol era mais baixa que Ana e tinha os cabelos castanhos bem claros que estavam um pouco acima dos ombros e ela usava uma franjinha; tinha um rosto bem delicado. Era uma bonita 44
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! menina de 16 anos. Sabrina tinha 1,75m de altura, os cabelos originalmente castanhos claros, estavam totalmente loiros e curtos. Era dona de um corpo que chamava a atenção; Isabel, sua mãe, sempre a aconselhava com as roupas, pois ela amava modelos bem apertados e curtos e isso causava muitos problemas com seu pai. Na igreja ela até disfarçava, mas quando saía com as amigas... Quando terminou o culto, Ana se despediu do pai e prometeu que não ia chegar tarde. Roberto concordou com a carona de Alexandre após Rubens lhe assegurar que não tinha problema algum, que conhecia bem a família dele e que ele era um bom rapaz. Carol e Ana entraram na sala 8, que apesar de ser bem ampla, já estava lotada, parecia uma pequena sala de cinema. Logo avistaram Lipe e Alexandre que havia reservado os lugares. Ana sentou na cadeira estofada que Alexandre lhe apontou e gostou quando ele se sentou bem ao lado dela. Ele estava muito bem vestido com uma camisa azul escura de manga longa e uma calça social preta. Como ele ficava bem com aquela cor pensou Ana. Os olhos azuis claríssimos ficavam ainda mais marcantes. _Eu volto logo- disse Alexandre no ouvido de Ana, o pequeno contato fez o coração dela bater mais forte. Em pouco tempo Alexandre estava de volta trazendo quatro sacos de pipoca , as luzes foram apagadas e a agitação da turma cessou, o filme havia começado. O filme conta a história de dois pastores , Ethan, pastor suplente de uma igreja de classe média, um músico que não 45
    • Tânia Gonzales tem a menor ideia do que é servir a comunidade; e Jake, pastor de uma comunidade pobre que vive sob o comando do tráfico de drogas e gangues. De repente eles precisam trabalhar juntos, aí as diferenças aparecem e também os problemas locais. _Está gostando ?– Alexandre falou bem baixinho no ouvido de Ana- “Ele não deveria fazer isso comigo”- pensou Ana e em seguida respondeu sussurrando: _Estou, é muito interessante. Depois de quase duas horas o filme acabou, o professor Ronaldo pediu para os alunos de sua classe fazerem algumas anotações em casa para na próxima aula eles debaterem. Ana, Carol e Felipe foram até o estacionamento esperar por Alexandre que estava conversando com Ronaldo. _Gostei do filme, bem legal, né? - perguntou Carol, Ana fez que sim, ficou observando Alexandre se aproximar e ficou pensando quem iria com ele na frente. _Vocês querem ir direto para casa ou comer alguma coisa... - Alexandre chegou perguntando. _É melhor irmos para casa, nossos pais estão esperando, sabe como é que é... – disse Ana com pesar e aproveitou para fazer um sinal para o irmão ir no banco da frente. Ana se posicionou atrás de Alexandre e durante o caminho de 10 minutos ficou disfarçando enquanto dava uma olhada nele e Alê também a olhava pelo retrovisor de maneira bem discreta. Por um momento os olhares se encontraram e ambos ficaram envergonhados, mas Carol e Lipe nem notaram. _Aqui estamos, Carol- disse Alexandre assim que parou o 46
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! carro. _Valeu, Alê- disse Carol dando-lhe um beijo no rosto. _Vocês não ! - Alexandre disse antes de Ana e Lipe saírem do carro- Vou deixá-los na porta da casa de vocês. _Mas é tão pertinho, é logo ali, viu? - Ana apontou para sua casa. _Tudo bem, mas eu insisto! _Então, tudo bem! - respondeu Ana sorrindo e mandando um beijo para prima. Alexandre estacionou bem em frente da casa de Ana e desceu do carro, cumprimentou Felipe que entrou em seguida. Ana ficou parada em frente ao portão. Os dois ficaram por alguns segundos sem dizer nada e então Alexandre quebrou o silêncio. _Você gostou do filme? _ A história é bem atual e eu sou fã do Michael W. Smith, o pastor Ethan, gosto muito das músicas dele, Agnus Dei, Friends e Draw Me close, são as minhas preferidas. _Draw me close to you, never let me go...- Alexandre arriscou cantarolar- Legal! Eu também gosto das músicas. Mas mudando de assunto... então, amanhã suas aulas começam? _Sim, amanhã é o grande dia! E as suas? Estou sabendo que é o seu último ano em Ciência da Computação, certo? _Certo, você está bem informada! E você vai fazer o quê? _É o meu último no ensino médio. _Ensino médio? - perguntou Alexandre. _Sim, você ficou surpreso, por quê? _É-é-é... desculpe... eu pensei que... você fizesse faculdade. 47
    • Tânia Gonzales _Por que você pensou isso? _Por causa do seu irmão, ele me disse que vai fazer o último do médio, então eu... _Exatamente! A não ser que eu tivesse repetido um ano ou então ele... _Espera aí, vocês dois tem a mesma idade? _Nossa! Você está brincando, né?- Ana não conseguiu deixar de rir. _De-de-desculpe! “ Que lindo! Ele gagueja um pouquinho quando fica nervoso!” -pensou Ana. _Você não sabia que nós somos irmãos gêmeos? _Não, que vergonha! Eu pensei que você era a irmã mais velha. Então você tem... 17 anos? _Exatamente 17 anos, eu fiz no dia 27 de dezembro- Ana percebeu que Alexandre ficou desapontado ao saber a idade dela. _Certo! Me desculpe, Ana. _Só para saber... quantos anos você pensou que eu tivesse? _Uns 19 anos. Mais uma vez me desculpe, Ana. _Não tem motivo algum para se desculpar, você não sabia, é só isso. Bom, acho melhor entrar, obrigada pela carona. Boa aula para você amanhã. Tchau! _Para você também, tchau, Ana. Ana já estava no quarto pronta para dormir, mas não conseguia parar de pensar na conversa que teve com Alexandre. Ela tinha certeza que ele havia se decepcionado com a idade dela. Então ele pensou que ela tivesse 19 anos. 48
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! Até aquele dia Ana nunca havia sentido vontade de ter mais idade, até aquele dia. Alexandre também não conseguia dormir, ficou pensando na garota de cabelos negros e em como ele foi ridículo. A segunda-feira começou cedo para a todos os membros da família, Roberto foi para o restaurante, seria o seu primeiro dia, Ana e Felipe foram à escola juntos com Carol, saíram com quase 30 minutos de antecedência, Ana não queria correr o risco de chegar atrasada para o seu primeiro dia de aula, o horário de entrada era às 7h. Ana e Felipe fariam o 3º ano enquanto Carol o 2º , mas pelo menos no intervalo elas ficariam juntas. Ana ficou feliz ao ver que ela e o irmão estudariam juntos. Ao entrar em sua classe, logo reconheceu Simone, que participava da EBD com ela, a cumprimentou com um sorriso, Simone só balançou a cabeça. A manhã no colégio passou sem novidades. Pouco antes das 23h, Roberto chegou todo animado, contando detalhes sobre o restaurante e querendo saber também se os filhos gostaram da escola, mas não dava para conversar muito pois todos teriam que acordar cedo no outro dia. E assim os dias foram passando rapidamente e enfim chegou a sexta-feira, Ana e Carol estavam conversando no intervalo do colégio sobre o retiro que fariam no carnaval. A igreja havia alugado uma chácara em Campos do Jordão, teriam muitas atividades para os adolescentes e jovens, seriam 4 dias. Elas estavam animadas porque já estavam no dia 13 de fevereiro só faltava uma semana para o tão esperado passeio. Depois do 49
    • Tânia Gonzales intervalo, Ana entrou na classe e encontrou Simone sozinha, os outros alunos ainda não tinham voltado. Ana aproveitou para tentar conversar com ela, pois ela parecia tão inacessível. _Oi, Simone! Você também vai ao retiro de carnaval? A garota olhou para Ana sem interesse, não tinha a mínima vontade de responder, mas resolveu não ser grosseira com a nova menina que veio do interior. _Eu? Nem pensar! Já imagino a chatice que vai ser. _Chatice? Pelo que eu pude saber da programação vai ser bem legal. Aos poucos os alunos foram entrando e Ana resolveu encerrar o assunto, ela percebeu que Simone não estava nem um pouco interessada. O sábado chegou e com ele o encontro do grupo de teatro, Ana estava bem animada, foi até o ponto de ônibus, não queria chegar atrasada, por isso saiu 30 minutos antes do horário marcado. Teve que ir sozinha pois Carol tinha um casamento de um amigo de seu pai que seria em uma chácara. Ao chegar à igreja entrou pela porta lateral , cumprimentou o irmão Cláudio, que era o zelador e subiu as escadas para o 1º andar, só então ela se deu conta que não sabia em qual sala eles se reuniriam, já estava pensando em voltar para perguntar ao zelador, quando ela viu Alexandre. _Olá! É impressão minha ou você está perdida? - disse Alexandre abrindo um grande sorriso. _ Oi! Você está certíssimo! Qual é a sala do grupo de teatro? _Venha comigo, eu também vou para lá. 50
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! Ana seguiu Alexandre pelo longo corredor, o grupo estava reunido na sala 11. Beth já havia começado a reunião. _Entrem, que bom que você veio Ana! Oi, Alê! Beth então passou a explicar sobre a peça e distribuiu os papéis, Ana seria uma jovem que não sabia nada do sentido da páscoa e que adorava chocolates. Alexandre seria um rapaz cristão que contaria para ela o verdadeiro significado da Páscoa através de histórias bíblicas desde Gênesis, e então as personagens iriam aparecer conforme o desenrolar da história contada por ele. Beth pediu para que fosse feita a primeira leitura da peça quando de repente, entrou um rapaz totalmente desorientado. Era o irmão de Cíntia, que tinha problemas com drogas e havia sumido há três dias. _Alguém me ajuda! Alguém! - gritava Carlinhos que estava com as roupas sujas e descalço. Alexandre foi rapidamente até ele e o amparou. _Oi, é você ? Eu te conheço, não conheço? Eu acho que sim! _Oi, amigo! Claro que você me conhece, sou o Alê, lembra? Vamos sair daqui, está bem? Beth, você liga para o pastor Luís, diga que o Carlinhos apareceu, eu vou lá na cantina com ele. Alexandre já estava saindo amparando Carlinhos em seus braços, quando o rapaz não conseguiu segurar e acabou vomitando na camisa de Alexandre. A cena não foi nada agradável, na sala havia uns 20 jovens observando assustados e enojados ao mesmo tempo. _Eu sou uma porcaria mesmo! Olha que eu fiz! Só sirvo pra fazer sujeira! 51
    • Tânia Gonzales _Não tem problema, amigo,vamos sair daqui, eu resolvo isso. Beth dispensou a turma, e ligou para o pastor Luís que era o responsável pelo centro de recuperação que a igreja mantinha em Suzano. Depois foi até a casa de Alexandre pegar uma camisa limpa. Quando estava a caminho, viu Ana no ponto de ônibus e lhe ofereceu carona. _Coitado do Carlinhos, como é triste ver alguém controlado pelos vícios. Sinto muito, Ana, você ter visto, mas é a realidade. Ele precisa muito de ajuda. Só mesmo Jesus para tirá-lo desta prisão. _ Foi muito triste mesmo, Beth, ele é tão jovem! _ Só 20 anos! Foi um milagre ele aparecer justamente na igreja, foram 3 dias sem notícias! Beth parou primeiro na casa de Alexandre, a mãe dele já estava no portão com uma sacola nas mãos. Ela tinha recebido um telefonema do filho. Luísa cumprimentou-as e entregou a sacola para Beth, agradecendo. No caminho para casa Ana pensou que se tivesse o número do celular de Alexandre ela ligaria mais tarde para saber notícias, foi então que ela resolveu fazer uma coisa bem ousada, pelos menos para ela, pensou. _Beth, você teria o celular do Alexandre, é que eu gostaria de saber como o Carlinhos ficou. _Claro, Ana - Beth pegou seu celular assim que parou o carro em frente à casa de Ana e logo encontrou o número que precisava. Ana não conseguia tirar aquela triste cena da cabeça. Era a primeira vez que ela tinha visto Carlinhos, só o conhecia pelo 52
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! nome, sempre estavam pedindo oração por ele. Ela olhou para o horário em seu celular já passava das 23h, depois olhou para o número que Beth lhe havia dado, então resolveu ligar. Após três toques e ela ouviu pela primeira vez a voz de Alexandre pelo telefone. _Alexandre? _Eu! Quem fala? _ Ana! Me desculpe ligar uma hora destas, mas é que eu fiquei preocupada com o que aconteceu... _Oi, Ana! Não se desculpe, que bom ouvir você! – Alexandre respondeu sem disfarçar a alegria que estava sentindo ao ouvir a voz dela. _Eu pedi o seu número para Beth- Ana foi logo se explicando. _Não tem problema! Você está bem? Se não tivesse acontecido tudo aquilo eu ia me oferecer para levá-la para casa. Você foi sozinha? Percebi que a Carol não estava. _A Beth me deu uma carona. Carol foi em um casamento com a família. E o Carlinhos está melhor? _Ele está no centro de recuperação, eu fui junto com o Ronaldo para levá-lo, dormiu o caminho inteiro. Ele vai ficar bem. O pior já passou, afinal ele ficou sem dar notícias por três dias. _E os pais dele? _Os pais não pertencem à igreja, só aparecem quando ele piora. Eu acho que se houvesse um comprometimento deles as coisas seriam mais fáceis. É que eles procuram em todos os caminhos, entende? Carlinhos fica dividido. 53
    • Tânia Gonzales _Entendi. E você já se recuperou? _Ah! Tomei um belo banho, passei perfume. Estou bem cheiroso, que pena que não dá pra você sentir. Me de- desculpe, e-eu acho que exagerei. _Não, tudo bem! Eu gostei da brincadeira! - Ana riu ao perceber que ele havia ficado nervoso, a gagueira quase passava despercebida, mas ela achava um charme. _Acho que é melhor mudar de assunto. E aí, você vai participar do retiro?- perguntou Alexandre. _Eu vou e você? _Também! Tenho certeza que você vai gostar, estamos caprichando na programação. _Você também faz parte da equipe organizadora! E eu perguntando se você ia participar... _Você não sabia, é só isso! Mas agora eu percebi uma coisa, eu estou em desvantagem! _Desvantagem, em quê? _Você tem meu telefone, e eu não tenho o seu. Não apareceu seu número no meu visor. Foi de propósito? _Não, claro que não!Acho que meu irmãozinho querido andou mexendo no meu celular... anote... Ana passou o número e depois se despediu, seus saldos estavam acabando. O sono demorou a chegar naquela noite, ela ficou lembrando de cada palavra dele. Como era bom ouvir a voz dele pelo telefone, mas pessoalmente era muito melhor, podia ouvir a voz e ficar olhando para os olhos azuis ao mesmo tempo, perfeito. 54
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! "É obra do diabo sugestionar; é obrigação do cristão não ceder.” Agostinho Capítulo 5 -Tentação Ana acordou mais cedo naquele domingo, pois iriam tomar café na igreja. _Bom dia, Ana - tio Rubens cumprimentou assim que Ana entrou no carro. _Bom dia, tio, oi Carol e a tia Isabel? _Está atrasada, vou tocar a buzina para ela se apressar. _Calma, já estou aqui! Bom dia, sobrinha querida! - disse Isabel dando um beijo em Ana. Sabrina entrou logo em seguida com cara de poucos amigos, detestava acordar cedo... _Algumas pessoas se esquecem de algumas regras de boas maneiras – Rubens disse olhando para Sabrina- Que tal dizer um bom dia bem amigável, filha? _Bom dia! - Sabrina respondeu em um tom nada amistoso. _Bom, já é alguma coisa! - Rubens brincou. Chegaram no estacionamento da igreja faltando 25 minutos para o início das aulas ainda daria tempo para tomarem café. Quando Ana desceu do carro percebeu que a família de Alexandre também havia acabado de chegar. Ele estava segurando um menininho em seus braços e sua mãe estava de mãos dadas com uma garotinha de cabelos cacheados. 55
    • Tânia Gonzales _Graça e paz – cumprimentou Rubens. _Graça e paz, amigo. - Dr. Afonso deu um apertado abraço no tio de Ana. Depois Isabel e Luísa também se cumprimentaram com um beijo e ficaram conversando, enquanto Ana e Carol se aproximaram de Alexandre. Sabrina havia saído rapidamente. _Que menininho mais lindo! - disse Ana – Qual o nome dele? _Este é o Lucas- respondeu Alexandre. _Que nome lindo, também! Qual a idade dele ?- Ana perguntou olhando para Alexandre. _Um aninho. _Você é “namolada” do meu tio? - perguntou a menina dos cabelos cacheados assim que se aproximou de Ana. _Eu? Não ! - Ana respondeu meio sem graça. _Melissa! Desculpe, Ana, ela quer arrumar uma namorada para mim de qualquer jeito. _Não deve ser uma missão difícil! A mãe de Alexandre ouviu o comentário de Ana e deu um sorriso para o filho, que corou. _Acho melhor vocês irem com a vovó . Luísa foi se afastando com os netos, Alexandre e Ana acabaram sozinhos no estacionamento. _Qual a idade da Melissa? - Ana perguntou para acabar com o clima de constrangimento. _Quatro anos, ela é muito esperta, fala cada coisa que você não acredita! Eles estão conosco hoje porque a Joyce, minha irmã, foi com o marido dela, o Celso, levar os sogros para rodoviária, eles vão viajar para Jales, pertinho da sua cidade, 56
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! né? _Eles vão para Jales! Parentes? _A cunhada da Joyce mora lá. Os meus avôs moram em Rio Preto. _Que legal! Então sua família conhece bem a região. _Com certeza. Se você quiser dar um passeio qualquer dia destes em Santa Fé é só falar comigo, eu posso ser o seu motorista! - disse Alexandre se divertindo com a ideia. _Valeu! Eu aviso! É melhor nós irmos senão vamos ficar sem café. _Vale a pena o sacrifício! Ana percebeu que Alexandre estava bem descontraído, ela gostou disso. Ele nem havia dado sinal de sua discreta gagueira, o que ela achou uma pena porque ele ficava mais charmoso ainda, se é que isso era possível. Chegaram no refeitório ainda em tempo, os tios estavam tomando café, Ana logo avistou Carol e se aproximou dela. Achou melhor se distanciar de Alexandre, não queria que os outros tivessem oportunidade de fazer algum comentário, o refeitório estava lotado. Após o café cada um foi para sua sala de aula. _Meninas, contagem regressiva para o grande dia! - Beth falou com toda animação se referindo ao evento da próxima semana: o retiro de carnaval. _O tema da palestra principal será: Tentação, como vencê- la? O texto bíblico: Gênesis 39.6-12 – Beth falava ao mesmo tempo que escrevia a referência bíblica no quadro branco. Em 57
    • Tânia Gonzales seguida Beth dividiu as meninas em 5 grupos. _Nas últimas aulas nós falamos sobre romances impossíveis, em especial sobre o casal fictício: Edward e Bella. O obstáculo deles é o fato que ele ser um vampiro e ela uma humana. Mas vocês sabem que para ela o mais importante é ficar com ele, então Bella não mede esforços para alcançar o seu objetivo, não importando o alto preço a ser pago. Eu quero que vocês conversem e depois anotem o que seria obstáculo no mundo real para que um romance fosse impossível ou pelo menos complicado de se concretizar. Vocês têm 15 minutos. As meninas começaram a discutir o assunto, os minutos passavam rápidos demais, a única que não falava nada era Simone, ela estava no mesmo grupo de Ana e Carol. Dava para perceber o quanto estes assuntos a incomodava. _Tempo esgotado, meninas! Vamos começar pelo grupo 1: Carol, Ana, Simone ,Cíntia e Priscila. Beth escreveu no quadro branco: VOCÊ NÃO PODE NAMORAR COM ELE, POR QUÊ ? _Resposta do grupo 1 – pediu Beth. _Ele não professa a mesma fé que eu - Ana respondeu. _Então isso é um obstáculo? Será que vocês realmente abririam mão do seu príncipe por este motivo? - perguntou Beth. _É um problemão, pelo menos pra mim! - respondeu Carol- Meus pais nunca iriam deixar eu namorar um cara que não 58
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! fosse da igreja. _Ah! Meus pais não deixariam! E se dependesse só de você? _Professora, não faça isso comigo! Não é justo!- disse Carol. As outras meninas não conseguiram segurar e começaram a rir e falar todas ao mesmo tempo. _Vocês percebem? A questão aqui é : meus pais não deixariam! Mas se dependesse só de você, você abriria mão por causa da sua fé? Há ainda algumas garotas que pensam que podem começar a namorar um rapaz não cristão e depois é só trazê-lo para igreja. Unindo o útil ao agradável: ganho um namorado e uma alma para o reino de Deus! Mas é um caminho bem perigoso; mas quero saber outro motivo, grupo 2. _Porque ele é namorado da minha melhor amiga! - disse Amanda. _Muito bem! Então temos aqui uma competição. Ele é lindo, maravilhoso, mas já tem dona! comentou Beth. _Dona! Eles são só namorados, não estão casados! Se liga!- reclamou Priscila. _Então, se sua melhor amiga está namorando e você se interessa pelo namorado dela, não tem a menor importância, o que vale é o que você sente? É isso Priscila? Vou ficar bem longe de você! - disse Amanda sem disfarçar a indignação. _Minhas queridas e amadas alunas, acalmem-se. Eu gostei por vocês terem colocado este obstáculo. Ninguém gostaria de ter o namorado roubado, aqui vale a máxima : Amar o próximo com a ti mesmo! Ninguém gosta de ser traído, então não seja 59
    • Tânia Gonzales a traidor, ninguém gosta de ser enganado, então não seja o enganador. Outro grupo... _Meus pais não aceitam o namoro! - disse uma garota do 3º grupo. _Vocês estão muito comportadas, até parece que não namorariam escondidas, me engana que eu gosto – Priscila mais uma vez fez um comentário que mexeu com todas. _Esperem! Uma de cada vez – disse a professora para colocar ordem na classe. _Professora, a Priscila é engraçada, ela quer responder por todas nós! Eu acho que é um grande obstáculo meus pais não aceitarem meu namoro, somos muito unidos lá em casa. - disse Carla olhando para Priscila. _Duvido – provocou Priscila- Ele é o que eu sempre sonhei, o meu príncipe encantado, mas papai e mamãe acham que não, então, tchau, meu príncipe ! Depois do engraçado comentário de Priscila, foi difícil para Beth manter a ordem na classe. As meninas falavam todas juntas e ninguém entendia mais nada. _Chega! Chega! Meninas, por favor. Nosso tempo está acabando. A próxima aula será em Campos do Jordão, que chique, vocês não acham? Mas agora, chegou a vez do Grupo 4, podem falar... _Ele é uma fraude! Sabe aquele carinha que é um gato? Inteligente, bom moço, prestativo, educado, crente, mas é só aparência, na realidade ele é outra coisa, ele está fingindo para conquistar? Eu digo isso pois conheci alguém exatamente assim - era a voz de Simone que não pertencia ao grupo 4- Eu 60
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! sei que meu grupo já foi, mas eu precisava dizer isso, desculpe. _Tudo bem, Simone, continue- Beth queria ouví-la, as manifestações dela eram tão raras... _Pois é isso! Ele finge ser um príncipe, mas na realidade ele só quer seduzir, depois ele conquista outra, pois para ele isso é muito fácil. _Infelizmente, meninas- começou Beth- existem garotos que só querem brincar com vocês, por isso muito cuidado, não sejam ingênuas, mas é claro que ainda há bons rapazes, cristãos sinceros, mas os lobos também estão por aí. Cuidado, o coração é enganoso, a Bíblia diz que ele é mais enganoso do que todas as coisas6. Não se deixem levar pelas aparências. Só Deus sabe as verdadeiras intenções, só Ele conhece cada coração. Por isso é tão importante a comunhão com Deus, assim vocês aprendem desde cedo a serem orientadas por Ele. Próximo grupo... _Ele só quer ficar – disse Sandra do 4º grupo. _Interessante! Ele só quer um passatempo, quer curtir! vocês não aceitariam isso?-perguntou Beth. _Me desculpe, sei que depois do que eu falar vocês vão querer acabar comigo, mas vamos ser bem sinceras, ele é o máximo, é alguém irresistível, vocês não estão falando sério, até parece que iriam perder a oportunidade de ficar com ele. - disse Priscila consciente dos olhares das outras - Eu já entendi, vocês estão querendo agradar a professora Beth, é isso! _Você, Priscila, pelo jeito cede fácil, fácil! - provocou Carla. 6 Jeremias 17.9 61
    • Tânia Gonzales _Cuidado, olha como fala comigo! _Meninas, por favor, hoje vocês estão impossíveis. É necessário aprender a respeitar a opinião dos outros, ok, Priscila? Como meninas que pertencem a Jesus, o grupo 4 está correto, se ele não quer nada sério para que eu vou começar um relacionamento, só para dar uns beijinhos? Eu sei que lá fora isso é normal, mas não deve ser com vocês, vocês são diferentes. Pena que o nosso tempo acabou. Mas, lá no retiro vamos conversar bastante. Vamos orar agradecendo estes momentos e continuem orando pelo Carlinhos, creio que logo ele estará entre nós novamente. 62
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! "O Filho de Deus tornou-se homem para possibilitar que os homens se tornem filhos de Deus.” C.S.Lewis Capítulo 6 -Culto especial Eram 16h30min, Ana havia tomado banho e estava escolhendo uma roupa para ir ao culto quando ouviu o celular tocando. Olhou para o visor e deu um leve sorriso, era Alexandre. _Alô! _Oi Ana, tudo bem? Estou atrapalhando? _Oi , Alexandre, claro que não, e eu estou bem e você? _Estou bem. É... e-eu, me desculpe, eu gostaria de fa-fazer um convite. _Ok, estou esperando! _Você quer sair para comer pizza comigo depois do culto? _Eu quero- Ana respondeu e ao mesmo tempo pensou que sua resposta havia saído rápida demais. _Ótimo, então... _Não, espera um pouco! Eu quero, mas eu preciso falar com meu pai, eu tenho que ligar para ele, pedir autorização, sabe como é... _Tudo bem, você me liga para dar a resposta? _Ligo! Alexandre... alguém mais vai comer pizza ou só nós dois? _Eu estou convidando você, a não ser que você tenha algum problema com isso? 63
    • Tânia Gonzales _Não, é só para saber se era algum programa com pessoal da igreja... _Entendi! É um programa só para nós dois. Se você quiser, é claro! _Eu ligo para você em seguida, tchau! _Eu aguardo! Tchau! Ana não estava acreditando, ela havia recebido um convite do dono dos lindos olhos azuis! Será que o pai permitiria? Ana não queria esperar mais nem um minuto, então, ligou para Roberto. _Não sei, não, filha! Você sair com este rapaz sozinha? Qual a idade dele? _Vinte e um. _Ele tem 21 anos? Ana, eu acho … _Pai, nós só vamos comer uma pizza! Você não confia em mim? _Querida, claro que confio em você, é nele que eu não confio, eu nem o conheço! Iriam como? _Como? De carro! _Não, vamos fazer o seguinte, eu deixo vocês irem com uma condição: nada de carro, vão de ônibus ou andando, sei lá , mas não vão de carro. _Pai, se eu falar isso pra ele vai pensar que eu sou uma criancinha! _Esqueci, eu tenho mais uma condição, o horário de chegada: 22h30min; sem estas duas condições, nada feito! _Tá bom, eu vou falar com ele. Beijo pai e vê se não chega muito tarde, tá? 64
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Beijão, filha! Vou tentar! E cuidado, juízo! Tchau! Ana desligou e ficou pensando qual seria a reação de Alexandre. Com certeza ele iria dar um jeito de desfazer o convite, quem manda ele querer sair com uma menor de idade? _Alexandre? _Oi, Ana! E aí ? _Bom, ele deu duas condições... Ana contou para Alexandre quais eram as condições impostas pelo pai e esperou ansiosa pela resposta dele. _Só isso? Sem problemas! _Sério? _Seu pai está certo, Ana! Ele nem me conhece, eu até estou surpreso por ele ter deixado! _Como nós vamos fazer? _É melhor eu passar na sua casa logo depois do culto. _ Eu vou dar um jeito para sair rapidinho. Tchau! Ana resolveu caprichar no visual, agora ela tinha um encontro. O culto começou pontualmente às 18h, Ana estava se esforçando para parar de pensar no encontro que teria mais tarde, mas era uma tarefa difícil, seria a primeira vez que ela sairia com um rapaz. Ela havia contado para Carol que prometeu guardar segredo e ficou toda animada com a novidade. Antes de seu sermão, pastor Jair chamou Laura para louvar, ela era dona de uma voz belíssima , era uma jovem de 23 65
    • Tânia Gonzales anos muito esforçada na igreja e estava noiva de Ronaldo o líder dos jovens. Ela escolheu um louvor que tocou profundamente os corações de todos ali. “ Espírito Santo, ore por mim, leve pra Deus tudo aquilo que eu preciso, Espírito Santo, use as palavras que eu necessito usar, mas não consigo, me ajude nas minhas fraquezas, não sei como devo pedir, Espírito Santo, vem interceder por mim...”7 Após o louvor de Laura, Pr. Jair convidou todos para uma breve oração, o clima estava propício para o agir do Espírito Santo de Deus, corações quebrantados, lágrimas rolavam da face de muitos. Naquele momento Ana esqueceu de tudo e só pensou em como era bom sentir a doce presença de Deus. _Meus amados, maravilhosa é a presença de Deus neste lugar, aproveite estes preciosos momentos e sinta o agir do Espírito Santo -- foram as palavras iniciais do Pr. Jair- Eu sinto que há vidas aqui que estão sedentas, que cansaram de correr de um lado para o outro e hoje querem dar ouvidos à voz de Deus. Mateus escreveu no capítulo 11 e versículos 28, 29 e 30: “ Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.” Foi o Salvador manso e humilde quem disse estas palavras, Ele faz o convite a todos, Ele promete alívio! Jesus hoje te convida: Vinde a mim! E 7 Cantora : Fernanda Brum. 66
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! hoje você não vai conseguir recusar este tão doce convite. Como dizer não àquele que sofreu e morreu por ti? Como dizer não a um convite tão singelo? Hoje você não vai resistir! Jesus está de braços abertos para te receber, é só você dar um passo. Dê um passo e Jesus te receberá! Eu não vou falar mais, eu sei que você está ansioso para aceitar o convite do Salvador. Por isso venha, pode vir agora, nem precisa levantar a sua mão, simplesmente venha, Jesus te ama! Quando o Pr. Jair parou de falar algo maravilhoso aconteceu, várias pessoas foram à frente, chorando, dava para perceber o quanto elas estavam ansiosas. Foi algo realmente inesquecível. E no meio daqueles que estavam se entregando para Jesus, estavam também os pais de Carlinhos, eles finalmente tinham sido tocados pelo Espírito Santo de Deus. Pr. Sílvio, auxiliar do Pr. Jair , orou com todos eles, foi uma oração de confissão e arrependimento. _Amados – disse o Pr. Sílvio- Que grande festa! Nós só temos que agradecer ao nosso amado Deus por estas vidas preciosas. Venham jovens e cantem aquele hino “ Te agradeço”, pois temos muito o que agradecer nesta noite. “ Por tudo o que tens feito, por tudo que vais fazer, por tuas promessas e tudo o que és, eu quero te agradecer, com todo o meu ser”8 Quando o hino terminou, Pr. Jair fez uma oração especial e depois os irmãos foram se cumprimentando felizes sabendo que tinham participado de um culto inesquecível. Ana foi dar um abraço em sua amiga da EBD, Cíntia, que estava chorando 8 Música do Ministério de Louvor “ Diante do Trono”. 67
    • Tânia Gonzales e sorrindo ao mesmo tempo pela conversão de seus pais. Foi bem difícil conseguir sair do templo, o clima estava tão maravilhoso que dava vontade de ficar lá, mas depois de alguns minutos, Ana conseguiu chegar até o estacionamento, o tio já estava dentro do carro, em seguida chegaram: Carol, Isabel e Felipe. Sabrina iria sair com algumas amigas. _Que culto! Que benção! Oh glória! - disse Rubens com toda animação. _ Tem razão, que culto! - concordou Isabel. _Oh glória! - Felipe, Ana e Carol disseram juntos. Ana chegou em casa e resolveu mandar um torpedo para Alexandre que respondeu dizendo que chegaria em 15 minutos. _Demorei? - perguntou Alexandre assim que Ana apareceu. _Eu estava quase desistindo! - brincou Ana. Eles foram até o ponto de ônibus que ficava próximo à casa de Ana e não precisaram esperar nem cinco minutos. Ana achou meio estranho andar com ele assim, ela ficou um pouco tímida, sem saber direito o que fazer, era tudo novo para ela. Quando estavam no ônibus conversaram sobre o culto, Alexandre estava muito feliz pelos pais de Carlinhos. Ele contou que Cíntia e Carlinhos iam na igreja desde pequenos, levados pela tia deles, a irmã Lurdes, que trabalhava na cantina, mas Carlinhos se afastou depois que fez amizade com um pessoal que o apresentou às drogas. Depois de algum tempo ele voltou disposto a abandonar aquela vida, mas sempre tinha uma recaída. Alexandre contou de um dia que os jovens estavam ensaiando, Carlinhos entrou e começou a 68
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! dizer que estava vendo monstros, que estava sendo seguido por monstros horríveis, e gritava muito. Ronaldo, o líder dos jovens, o tirou de lá rapidamente. Ele foi levado novamente para o centro de recuperação. _O centro de recuperação é em Suzano, né? Carol me contou que toda semana vai um grupo fazer visita. Eu quero ir algum dia – disse Ana. _Aviso quando eu for novamente, assim nós podemos i-i-ir juntos. Ana reparou na leve gagueira e pensou que pelo menos não era só ela que estava com um certo nervosismo. _É melhor nós irmos direto para a praça de alimentação, não temos muito tempo- Alexandre disse assim que chegaram ao shopping. Depois de alguns minutos já estavam sentados saboreando uma deliciosa pizza. _Aninha, Aninha! Alguém te chama assim? _Meu pai, às vezes; meu querido irmão, quando está querendo alguma coisa; a vovó Tele e minha prima Sabrina, só pra me irritar. _Sério? A Sabrina faz isso? _É verdade! Ela fala de um jeito só pra me provocar! Dá pra sentir pelo tom, entende? _Sabrina! _Mas, quem sempre me chamava assim era... minha mãe. A não ser quando ela estava brava, aí era um sonoro: Ana! _Sua mãe! Você deve sentir muita falta dela... é... me desculpe, Ana. 69
    • Tânia Gonzales _Não tem problema algum, às vezes é bom falar, sabe? Lá em casa a gente meio que evita, é complicado... _Entendo. Vocês duas conversavam muito? _Muito, muito mesmo! Era tão bom! Ela era professora, então sempre tinha uma história de algum aluno e ela fazia questão de saber sobre tudo o que tinha acontecido no meu dia escolar. _Há quantos anos ela... se foi... _Quatro anos.... _Sabe de uma coisa, vamos mudar de assunto, você ficou com um rostinho muito triste... que tal a pizza ? _A pizza está ótima. _E aí, Ana, você pretende fazer faculdade? _Com certeza! Vamos ver se você consegue adivinhar ... _Hum... tem alguma coisa a ver com um certo “chef” Roberto? _Na mosca! Eu vou fazer Gastronomia. _Muito bem. Então eu já vou me acostumando com a ideia, “chef” Ana! Quando faltavam 5 minutos para o horário combinado com Roberto, Alexandre deixou Ana no portão da casa dela. Ana enviou uma mensagem para a amiga Kátia, que morava em Santa Fé, contando sobre o encontro com Alexandre. Naquela noite, Ana ficou pensando em cada palavra dita por Alexandre, era tão bom conversar com ele, pena que tiveram pouco tempo. Ana lembrou do sorriso, da voz, dos lindos olhos azuis... pensou tanto que acabou sonhando. Sonhou que estava no carro dele conversando e quando iam se despedir 70
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! com um beijo no rosto, Alexandre se afastava bem lentamente e colocava uma das mãos no rosto dela, para sem seguida deslizar até os seus lábios fazendo o contorno com os dedos, o que fez Ana estremecer, em seguida ele se aproximava ... e... Ana despertou de seu doce sonho. “Era um sonho! Parecia tão real! Que hora para acordar!” - lamentou Ana. 71
    • Tânia Gonzales “De cem homens, um lerá a Bíblia; noventa e nove lerão o cristão.” D.L.Moody Capítulo 7 -Retiro Felizmente a semana passou rapidamente, Ana estava super ansiosa afinal havia chegado a sexta-feira e com ela os últimos preparativos para o retiro de carnaval, que prometia ser ótimo. Depois da rápida saída do domingo à noite, Ana e Alexandre tinham conversado pelo celular na quarta-feira e ele havia feito a ligação, o que deixou Ana nas nuvens, pois ela estava louca para ligar mas conseguiu se controlar. Carol quis saber de tudo o que aconteceu no encontro de domingo e Ana satisfez a curiosidade da prima que escutou com total interesse. Naquela noite, Ana voltou a sonhar com Alexandre, mas não foi nada agradável, desta vez não era ela quem estava com ele no carro era Sabrina e os dois estavam se beijando. Ana acordou assustada e pensou como era injusto, no outro sonho ela acordou bem na hora que ele iria beijá-la. _Lipe, acorda! Vamos, acorda, olha a hora! - insistia Ana com o irmão. Vamos perder o ônibus, já são seis horas! Roberto estava de folga por isso foi ele quem os levou até a igreja. Carol e Sabrina aproveitaram a carona do tio, chegaram 10 minutos antes do horário marcado para a saída. Haviam 5 ônibus estacionados à porta da igreja. Ana logo avistou Alexandre que estava todo envolvido na organização do evento, o coração da garota acelerou ao receber um largo 72
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! sorriso do rapaz. Ela não tinha a menor ilusão de ir no mesmo ônibus que ele e muito menos de sentar-se ao lado dele, sabia que seria muita pretensão de sua parte. Para quem não iria ao retiro, o final de semana na igreja seria bem agitado, teriam um jantar especial para arrecadar fundos para missões, no qual Roberto iria emprestar toda sua habilidade culinária, o que seria naquela mesma noite; domingo seria um dia cheio de atividades para as crianças e também teriam eventos para a 3ª idade, caminhadas, oficinas de trabalhos manuais e estava programado para terça-feira uma tarde com direito a muitas delícias como bolos, pães, etc... A vovó Tereza estava animadíssima prepararia o seu bolo especial de fubá cremoso que era sempre muito elogiado. Ana ficou muito feliz quando viu Simone entrar no primeiro ônibus, ela havia dito que não iria participar de jeito nenhum, “que bom que ela mudou de ideia”- pensou Ana- E como ela havia previsto, Alexandre foi no terceiro ônibus e ela no segundo junto com sua inseparável prima Carol. A viagem foi bem agradável, a animação era geral. Às dez horas da manhã chegaram à chácara em Campos do Jordão. Tudo estava muito bem programado. Participaram de um delicioso café e depois todos estavam livres para conhecer a chácara que era belíssima, tinha 3 piscinas, quadras de esportes, muita área verde e excelentes acomodações. Ana ficou no quarto com mais 14 meninas entre elas Carol, Priscila e Cíntia. Foram montadas várias equipes de trabalho, Ana recebeu a missão de ajudar no almoço daquele dia que 73
    • Tânia Gonzales seria servido às 14h e na segunda-feira ela iria ajudar na limpeza. Tudo foi muito bem dividido para que todos ajudassem e se divertissem também. _Olá, “chef” Ana! - cumprimentou Alexandre assim que entrou na espaçosa cozinha. _Oi! - Ana ficou muito feliz ao vê-lo, ainda não tinha conseguido falar com ele . _O que você está achando desta cozinha? É digna de uma “chef” ? _Está bem organizada, tem de tudo aqui. E onde está a chef? Alguém viu? - perguntou Ana para as outras meninas que estavam ajudando. _Não disfarça, não, Ana! Filha de peixe... - comentou Cíntia - Estou sabendo que você é fera na cozinha! _Que cheirinho bom!- Beth foi logo dizendo ao entrar- Eu não sei quanto à vocês, mas eu já estou com uma fome! _Este lugar é perigoso! Balança... não espere por mim na quarta-feira! - o comentário foi de Lurdes, a tia de Cíntia, que sempre estava começando um regime novo. O almoço ficou pronto na hora planejada. Tudo estava delicioso, macarrão, carne, vários tipos de salada, sucos, refrigerantes e sorvete de sobremesa. Após o almoço, Ana aproveitou para descansar um pouco, foi até a área verde e sentou-se debaixo de uma árvore, o clima era maravilhoso. Ana fechou os olhos e ficou ali distraída com seus pensamentos. _Desculpe interromper a sua meditação, mas eu posso me sentar ao seu lado? 74
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! Ana se assustou, estava tão envolta em seus pensamentos, que não percebeu a aproximação de Eduardo, um bonito rapaz de 20 anos que era conhecido como “o paquerador”, Ana nunca havia falado com ele, só sabia de sua fama. _Pode. - disse Ana meio contrariada. _Então, você é a linda garota de veio do interior. Linda garota! Ana não gostou do jeito que Eduardo olhava para ela, ele a estava encarando com um sorriso tão cínico, pelo menos foi a impressão que ela teve. _Ana, não é? _Acertou! E você ... _Eduardo! Pode me chamar de Edu se quiser ou Dudu, fique à vontade, gata! Você pode tudo! Tudo! Neste momento Ana pensou se não apareceria alguém para salvá-la. _Sabe Ana, eu quero aproveitar muito bem este retiro e você? _Depende o que você chama de aproveitar! _Aproveitar, gata! Sentir emoções, sabe, muitas emoções. Eu posso dizer que já comecei sentir algo especial, você gata, você é tão... linda, é difícil aguentar ficar longe de você, sabia? Posso me aproximar um pouquinho mais? _Eu acho que é melhor não! A distância está bem legal. _Não faz isso comigo! Você machuca meu pobre coração! _Não é esta a minha intenção, bem eu acho melhor voltar, preciso … _Espera, gata! Não se vá... Eduardo segurou o braço de Ana enquanto ela se preparava 75
    • Tânia Gonzales para levantar. _Solta o meu braço... _Gata, vamos aproveitar a oportunidade! Com tanta gente nesta chácara quando nós vamos ficar sozinhos novamente? _Quem foi que disse que eu quero ficar sozinha com você? Solta o meu braço... _E aí, Edu! - Ana reconheceu a voz imediatamente e sentiu um enorme alívio. _Oi, Alê! Eu estava aqui conversando com a Ana. Mas eu preciso ir agora, tchau Ana, Alê! _Tchau! - respondeu Alexandre sem tirar os olhos de Ana. _Por que você demorou tanto? - perguntou Ana agora sorrindo aliviada. _Ele estava te incomodando, é ? _Nossa, ele é sempre assim? _Assim como? _Deixa pra lá! Conseguiu uma folga? _Eu mereço um descanso, você não acha? _Acho! _Parabéns, o almoço estava show! _Eu não sou a única responsável. Somos uma equipe! _Que modéstia! Eu estava pensando se teria uma oportunidade de conversar com você com toda esta agitação. _É, parece que você conseguiu e ainda por cima me salvou! _Você estava mesmo tendo problemas com o Edu? Eu acho que você ia se sair muito bem da situação. _É sério, eu fiquei aliviada quando você chegou, eu não queria ser grosseira, mas ele estava começando a me irritar e 76
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! me assustar também. Que garoto mais abusado e foi a primeira vez que ele falou comigo! _O Edu é assim, ele é metido a conquistador. Você não acha que ele é bonitão? _Não basta ter um rostinho bonito, é preciso muito mais... _Muito mais o quê ? _Precisa ter um pouco de “semancol”, em primeiro lugar. _E o que mais? _Sinceridade, gentileza, inteligência, responsabilidade, temor a Deus, eu acho que deveria ter falado esta no início. É o princípio de tudo, certo? _Será que há alguém que você conheça com estas qualidades? - Alexandre perguntou sem esconder o interesse. _Bem... eu... - Ana ficou com uma vontade imensa de dizer que achava que ele tivesse as qualidades, mas não teve coragem. _Você ainda está procurando? _É isso, eu estou procurando. _Tem esperanças de encontrar? _Eu sei que vou encontrar, ou melhor, talvez ele é que precise me encontrar... - Ana rapidamente se arrependeu de dizer isso, mas não dava para voltar atrás. Eles ficaram em silêncio por alguns instantes que pareceram uma eternidade para Ana. Alexandre ficou olhando para ela e Ana não desviou o olhar, mas percebeu que estava ficando corada. Alexandre se aproximou e passou levemente a mão no rosto dela. Ana estremeceu pois lembrou do sonho, mas esta reação fez com que ele se afastasse. 77
    • Tânia Gonzales _De-de-desculpe, e-eu a-acho me-me-melhor voltar... passam das quatro, preciso ajudar a organizar algumas coisas, vo-você vem? _Eu vou ficar mais um pouquinho aqui -disse Ana pois precisava de alguns minutos sozinha. _Então, a gente se vê mais tarde. Ana ficou pensando: “ Se eu tivesse ficado bem quietinha, ele teria me beijado ali? Será que eu cheguei perto de ser beijada pela primeira vez? Por que eu não fiquei imóvel? Por que fiquei tão envergonhada? O que será que ele pensou ? Com certeza que eu sou uma garotinha boba. Ele ficou bem nervoso desta vez e como gaguejou!” _Vamos lá pessoal!– começou Beth- Nós dividimos vocês em vários grupos para que possamos fazer uma atividade chamada de “ Confidências”. Funciona assim: nestas urnas foram colocados os nomes de cada um de vocês, conforme a divisão dos grupos. Então se você pertence ao grupo A chega até a urna A e pega um nome, que será de algum integrante do grupo B, você terá que chegar até a pessoa e andar com ela pela chácara para conversarem durante 1 hora. Nós tomamos o cuidado de dividir os grupos de acordo com certas afinidades para ter certeza que a pessoa com quem você terá que conversar não é um amigo chegado seu, pois o objetivo é conhecer melhor o outro. Exemplo : A Carol com certeza não vai tirar a Ana, por motivos óbvios. Entenderam? Eu quero agradecer a todos os professores da EBD pela ajuda na divisão dos grupos. Pessoal, levem isso a sério, eu espero que 78
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! vocês sejam bem maduros para não fazerem cara feia no momento que souberem com quem você deverá conversar. E atenção para a programação: às 19h vamos todos nos reunir para um café no refeitório, leve o seu amigo ou sua amiga; às 20h30min teremos competições acontecendo nas 4 quadras; pizza às 22h30min, não se esqueçam de vir com roupa social e depois teremos o culto da meia-noite! Vamos começar! Ana ficou muito feliz por ter tirado o nome de Simone, era uma ótima oportunidade para conhecê-la. _Eu gostei muito por ter tirado o seu nome, Simone! _Você pode até ficar surpresa, mas eu também gostei por ter sido você. As duas começaram a se afastar do pessoal que ainda estava realizando o sorteio, pois cada um que pegava o nome já deveria sair para conversar. _O que você está achando da ICVV?- disse Simone. _Eu gosto muito da igreja, é sempre tão cheia de atividades! Amo a EBD e os cultos são uma benção. É uma igreja que nos ajuda a crescer, pelo menos é isso que eu penso. Quanto tempo faz que você congrega na ICVV, Simone? _Uns dois anos. Eu morava em São Bernardo, me mudei e fui parar lá na ICVV, foi uma indicação de uma amiga da minha mãe. Depois de mais alguns minutos conversando, Ana resolveu fazer uma pergunta mais pessoal para Simone. _Não sei se você vai gostar da minha pergunta , mas, é que eu percebi que nas aulas da EBD você tem uma reação bem, como eu posso dizer... bem agressiva para alguns assuntos. 79
    • Tânia Gonzales Por quê? _Agressiva? É eu acho que você pode dizer assim mesmo ou talvez : indignação. É talvez esta seja a palavra certa, indignação. Eu fico louca quando aquelas meninas começam com a história do príncipe encantado. Elas são tão ingênuas! Como que alguém pode acreditar que exista um rapaz maravilhoso, gentil, educado, fino e o que mais? Lindo, cavalheiro. Por favor, isso não existe! _Então estamos todas perdidas! - concluiu Ana. _Acho que sim. Desculpe, Ana. Eu não quero assustar você. Mas é que eu já passei por... situações que não desejo para ninguém. _Se você quiser contar, fique à vontade... _Há coisas que eu não posso te contar, Ana, não é por causa de você, não. É que existem coisas muito difíceis de dizer- Simone estava se referindo ao abuso que ela sofreu quando tinha apenas 9 anos. Um primo que morou com a família durante 2 meses, se aproveitava da ausência dos pais de Simone, que iam trabalhar, e tentava seduzir a menina. Ele trabalhava à noite e durante o dia ficava na casa. Simone ia para escola de manhã e à tarde limpava a casa e com o tempo que sobrava ficava brincando. O primo ficava conversando com ela, a abraçava e passava as mãos em seu corpo de menina, uma vez chegou até a dar um beijo na boca dela. Ela não tinha coragem de contar para sua mãe. Ela só chorava escondida, sem saber o que fazer, pensando que deveria ser culpa dela. Foi um grande alívio quando o primo foi transferido para uma outra cidade. Mas isso era passado e 80
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! ninguém precisava saber do seu segredo. Mas tinha uma história que ela queria contar para Ana- Eu tenho meus motivos para ser assim tão “dura”; eu vou te contar algo que eu gostaria que ficasse só entre nós. _Tudo bem, pode confiar em mim. _Eu não sei por que Ana, mas eu confio em você. Bem, quando eu tinha 15 anos, agora eu tenho 18, portanto há 3 anos eu conheci um rapaz chamado Reinaldo que na época tinha 22 anos; ele era bonito, estava fazendo faculdade de Direito, o pai dele era dono de uma pequena rede de supermercados. Ou seja eles tinham um padrão de vida superior ao meu. E um detalhe: meus pais trabalhavam para eles. Reinaldo pregava em todos os congressos, ele falava muito bem. Minha mãe achava que ele era o máximo, um dia ela me disse que era uma pena eu ter só 15 anos, pois ele era um partidão! Mas, o partidão olhou para mim mesmo eu tendo apenas 15 anos e minha mãe ficou encantada, convenceu meu pai a aceitar nosso namoro. Para mim ele era um sonho, o meu príncipe! As meninas da igreja me invejavam. Meu avô, que infelizmente morreu há 1 ano, achava um absurdo, ele dizia que não era certo eu namorar tão cedo e com um rapaz tão maduro. Durante 5 meses Reinaldo foi um verdadeiro príncipe, ele me enchia de presentes, era tão gentil! Mas um dia ele me disse que os pais tinham me convidado para uma festa na casa deles. Meus pais naquele sábado tinham ido visitar uns parentes nossos que moravam em Mogi das Cruzes, só voltariam no domingo, iriam aproveitar a folga. Como meu avô não quis ir eu fiquei com 81
    • Tânia Gonzales ele. Coloquei uma roupa que Reinaldo havia comprado para mim e prometi a meu avô que não chegaria tarde. Quando chegamos na casa eu percebi que estava tudo muito silencioso , achei estranho. Então ele me disse que havia achado um bilhete dos pais dizendo que tinha acontecido um problema, por isso eles precisaram sair e pediram desculpas para mim. Eu pensei que nós íamos embora naquele momento, mas ele falou que nós podíamos aproveitar para namorar um pouco. Ele começou a me olhar de um jeito estranho, me beijou e foi deslizando as mãos para minhas pernas, ele nunca havia agido daquela forma. Eu tentei me afastar, mas ele me abraçou com força então eu disse para ele soltar pois estava me machucando. Me desculpe, Ana, é tão difícil falar! _Tudo bem, Simone, não precisa dizer mais nada. _Eu preciso falar, Ana, eu preciso! Ele continuou me apertando e passou a mão em meus seios , eu fiquei pasma. Por que ele estava agindo daquele jeito? Eu disse pra ele parar e comecei a gritar. Consegui me afastar dele por um momento, mas ele se levantou e veio com toda a fúria, me disse que ele sabia muito bem o que eu estava querendo e era exatamente o que eu ia receber. Eu gritei novamente e ele ficou com tanta raiva que me deu um tapa no rosto. Eu saí correndo tentando chegar até à porta, foi quando a campainha tocou. Era o meu avô- Simone não conseguiu segurar mais as lágrimas, Ana a abraçou consolando-a e por alguns instantes elas permaneceram assim. _Ana, você não sabe o alívio que eu senti quando vi o meu avô. Reinaldo abriu a porta, disse para eu sair e me ameaçou. 82
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! Eu não deveria contar nada senão meus pais é que sofreriam as consequências. Eu disse para meu avô que precisava sair dali rapidamente e ele não me perguntou nada. Quando nós chegamos em casa ele disse que estava orando e de repente sentiu que deveria me buscar com urgência. Ele me disse que foi algo muito forte, ele precisava me buscar. Eu contei tudo para ele, coitado do vovô, nós choramos juntos e fizemos uma oração de agradecimento naquela noite. Quando meus pais chegaram, vovô contou toda a história, eles ficaram perplexos, não dava para acreditar, mas eles preferiram o silêncio. Por isso nos mudamos de lá e meus pais pediram demissão. E foi isso. Para mim, Ana, é muito difícil acreditar novamente, talvez até exista alguém sincero, mas eu acho mais fácil desconfiar, é mais seguro. _Eu sinto muito, Simone! É tão triste saber que alguém que está na igreja, que até prega a Palavra tem a coragem de fazer uma coisa dessas. É muito triste! Mas você não deve pensar que todos são assim, ainda existem pessoas sinceras... _Obrigada por me ouvir, Ana. Eu precisava desabafar, só podia conversar sobre isso com meu avô. E eu estava pedindo a Deus por alguém em quem eu pudesse confiar, hoje na hora do almoço você me deu um sorriso e eu senti que você seria esta pessoa, quando a Beth explicou a atividade eu pensei que se você tirasse o meu nome era porque Deus havia preparado você para ser minha amiga. Pena que foi só eu quem falei. Mas eu acho que nós teremos outras oportunidades. As duas ficaram mais alguns minutos ali, sem dizer uma palavra, só abraçadas e permitindo que as lágrimas rolassem 83
    • Tânia Gonzales livremente. Quando Ana e Simone chegaram ao refeitório ele já estava lotado de jovens que animados saboreavam pães, bolos e muitas outras delícias. Depois foi a hora do esporte, Ana jogou vôlei, seu time fez uma bela partida, e estavam esperando o resultado do outro jogo para saber com quem jogariam no próximo dia. Alexandre estava jogando basquete e Ana aproveitou para ir torcer por ele. Mas infelizmente o time dele não foi muito bem e acabou perdendo. Ana gostou de poder vê-lo ali na quadra, ele ficava uma graça , principalmente quando ia fazer uma cesta. _Que pena o seu time ter perdido! Mas você jogou muito bem, se isso servir de consolo!- disse Ana quando Alexandre se aproximou todo suado. _Você estava torcendo por mim? Diga que sim, me faça feliz. - brincou Alexandre. _Engraçadinho! E aí você conversou muito no “ Confidências” ? - perguntou Ana. _Eu não participei, o Ronaldo precisou de mim . E você gostou da atividade? _Eu gostei, foi muito bom. _Você não conversou com o Edu, não é? _É claro que não! E não gostei da brincadeira! Eu conversei com a Simone e foi ótimo. _Legal! Mas não fique brava comigo. _Não dá pra ficar brava com você! _Que bom saber disso. _Alê! Chega aqui amigão– gritou Tiago, filho do Pr. Jair e 84
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! amigo de Alexandre desde que eram crianças. _Eu preciso ir, mais tarde a gente conversa- disse Alexandre meio contrariado. _Tudo bem, até mais. Às 22h30min o refeitório estava cheio de jovens bem vestidos e famintos. As mesas foram muito bem arrumadas, a equipe havia caprichado. As pizzas estavam deliciosas. _Sá! Eu preciso te contar uma coisa – começou Priscila puxando Sabrina para um lugar afastado do pessoal. _Um segredinho? - perguntou Sabrina toda curiosa. _Não sei se é segredo, mas a minha prima Márcia me disse que foi ao shopping domingo passado e viu o Alê. _O Alê? E daí? Qual é a novidade? _Você não quer saber com quem ele estava? A minha prima disse que era com uma garota que ela não conhecia, mas hoje , de repente, quem ela vê aqui no retiro? _Aqui? _Você reparou que a minha prima veio, né sua desligada? Márcia não congregava na ICVV, mas sempre quando havia algum passeio ela gostava de participar. _Claro, Pri! Mas quem é a garota afinal? _Você acha que eu vou falar assim sem fazer um suspense? _Pri! Para com isso, fala logo! _Você não vai acreditar! O Alexandre estava na praça de alimentação com … a sua prima Ana! _O quê? A Ana? Não acredito! O Alê saindo com a Ana? 85
    • Tânia Gonzales _Pois é amiga, você não reparou que eles estão sempre conversando? _Eu não! A Ana é muito nova pra ele, ela tem quase a mesma idade da Carol. _A Márcia disse que tem certeza que era ela. Mas isso importa pra você? Vocês terminaram há bastante tempo! _Claro que importa! Não tem nada a ver o Alê com a Aninha! Se liga! _É, amiga, não sei não! Eu não tinha notado nada, mas depois que ela me falou eu já peguei os dois conversando duas vezes. Sabrina não gostou de saber da novidade, não entrava na cabeça dela a possibilidade de Alexandre se interessar por Ana. Resolveu ficar de olho, ela tinha que saber se isso era mesmo verdade. Mais tarde eles participaram de um culto especial, com muito louvor, testemunhos, oração e a Palavra que foi ministrada pelo líder de jovens, Ronaldo. _Jovens, vamos agradecer a Deus pelo nosso primeiro dia de retiro, amanhã teremos palestras, gincanas e muito mais- disse Ronaldo para encerrar as atividades do primeiro dia. Após a oração todos foram para seus quartos, eram duas horas da madrugada; o silêncio demorou a chegar na chácara, foram risadas, brincadeiras e muita conversa. 86
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! “ A tentação é uma goteira incessante. A santidade é o compromisso de não se deixar molhar.” S.Francisco de Assis Capítulo 8 -Palestra Ana levantou antes das oito, tomou um banho e foi até a cozinha para ver se precisavam de uma mãozinha, o café só seria servido às nove horas. Lá encontrou a equipe trabalhando a todo vapor. Alexandre, Tiago, Felipe e duas garotas que Ana não sabia o nome, estavam arrumando tudo para o café da manhã. _Bom dia pessoal! Precisam de ajuda? - cumprimentou Ana. _Oi, Ana! Se você quiser nós não vamos impedir- respondeu Alexandre sorrindo. _Estamos precisando mesmo de ajuda, tem certas pessoas que não sabem nem um pouco o que é ter responsabilidade, estão marcadas aqui- disse Tiago mostrando a escala de trabalho daquele dia- mas o soninho está muito bom! Ana entrou na cozinha, deu um empurrãozinho em Lipe e foi lavar as mãos. Alexandre estava cortando os bolos e ela resolveu ajudá-lo. _Tinha que ser a dupla dinâmica : Sá e Pri, não dá pra contar com elas mesmo! - o comentário foi de Sueli, irmã de Ronaldo. _Quer um pedacinho? - perguntou Alexandre, que estava com um pequeno pedaço de bolo de fubá cremoso nas mãos. _Eu quero! - Ana respondeu brincando, mas antes que ela 87
    • Tânia Gonzales tivesse tempo de alguma reação, Alexandre colocou o pedaço de bolo na boca dela. _Que coisa mais meiga! Que cena mais tocante! Que lindo! - Sabrina comentou ao entrar. _Que eu perdi? - perguntou Priscila que entrou logo atrás de Sabrina. _Você perdeu o Alê colocando um delicioso bolo na boquinha da minha priminha Aninha! Não é lindo? - Sabrina disse sem disfarçar a ironia. Ana ficou corada. Não sabia o que dizer. Foi salva por Tiago que aproveitou para dar uma chamada nas duas. _Muito bem, meninas! Por que as bonitinhas chegaram tão rápido? Podem dormir mais um pouquinho, eu deixo! Dá licença, “pô” Sabrina , esqueceu que era para você e a sua inseparável amiga virem ajudar? Se não fosse a Ana dar uma mão! Você já viu que horas são? Daqui a pouco o pessoal vai chegar morrendo de fome! _Pega leve, Tiago! Nós perdemos a hora! Valeu priminha, você é tão prestativa! _Bom, eu vou esperar o café lá fora, já que as duas chegaram ...– disse Ana saindo da cozinha. _Valeu, Ana! - Alexandre fez questão de agradecer e Ana respondeu com um leve sorriso. Não demorou muito tempo para os participantes do retiro lotarem o refeitório. Simone, Ana e Carol estavam sentadas juntas conversando animadamente, quando Alexandre chegou com um pequeno prato e ofereceu para Ana. _Olha aqui, Ana, estão bem quentinhos, como você gosta, 88
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! certo? Ana havia contado, no dia que foram ao shopping, que adorava pão de queijo bem quentinho, ela ficou surpresa por ele ter lembrado e mais ainda por ele estar ali oferecendo para ela tendo uma plateia curiosa de olho neles. _Nossa, que rapaz mais atencioso! - comentou Simone. _Por favor, é pra vocês também! - Alexandre tratou logo de dizer. _Valeu! Mas a devoradora de pão de queijo aqui é a Ana! _Obrigada, Alexandre! Que delícia! - Ana agradeceu, ficou encantada com o que ele fez e também muito envergonhada , pois quem estava por perto começou a gritar e assobiar. Sabrina ficou sabendo rapidamente do ocorrido, Márcia havia presenciado tudo. _É, a coisa está ficando séria! Tenho que agir, antes que minha adorável priminha se envolva mais- disse Sabrina para Priscila e a Márcia, quando se afastaram da multidão. A programação na parte da manhã havia sido alterada, agora a palestra iria acontecer às 16h, por isso até o horário do almoço eles teriam o tempo livre, vários jovens aproveitaram as 4 piscinas e outros foram jogar futebol, basquete... O campeonato de vôlei só continuaria na segunda, Ana queria muito conversar com Alexandre, mas sabia que seria bem complicado. Mas, de repente, ela viu quando ele entrou na sala onde seria realizada a palestra, resolveu aproveitar a oportunidade. _Oi, posso? - perguntou Ana colocando só a cabeça para 89
    • Tânia Gonzales dentro da ampla sala. _Oi, claro, entre Ana! - convidou Alexandre. _Eu não quero atrapalhar, eu sei que você deve ter muitas coisas para organizar antes da palestra, mas eu precisava falar com você. _Que isso, Ana, você nunca me atrapalha- disse Alexandre puxando uma cadeira para ela. _Eu só queria agradecer pelo pão de queijo quentinho. _Você já agradeceu lá no refeitório. _Daquele jeito com todo mundo olhando eu fiquei tão sem graça que minha voz nem saiu direito. Estavam deliciosos. Você me surpreendeu por ter lembrado do detalhe dos pãezinhos. _Eu lembro de tudo o que você me fala. Mas eu acho que não deveria ter levado ali com toda aquela turma olhando, não foi uma boa ideia, mas eu nem pensei nisso na hora. E me desculpe por aquele lance do bolo. _Não, que isso! O problema foi a Sabrina ter entrado bem na hora. _A Sabrina não tem nada a ver... _Bom, vocês dois já... _Ana, isso é passado, eu não devo nada pra Sabrina. _Eu posso te fazer uma pergunta? _Tudo bem, faça. _Eu queria saber... é... _Ana, pode perguntar. _É...por que você e a Sabrina terminaram? _Esta é a pergunta? Eu acho que a pergunta seria outra: por 90
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! que nós começamos? Não era nem pra ter começado, foi um erro. Mas, eu não gostaria de falar sobre isso, Ana. Eu acho que é desagradável ficar falando sobre ex-namorada. _Mas ...quem foi que terminou? - insistiu Ana. _Ana, Ana! Me desculpe, eu não vou falar sobre isso. Não me leve a mal e não fique chateada comigo. _Tudo bem, se você não quer falar... é melhor eu ir... _Não, Ana, e-e-espera, não sai assim brava comigo, por fa- favor. _Eu não estou brava, você tem todo o direito de não querer falar. Eu não deveria ter perguntado. Eu vou pra piscina, refrescar as ideias. Tchau, mas não se preocupe, está tudo bem. Quando Ana saiu Alexandre ficou pensando que este era um assunto que definitivamente ele não gostaria de falar com ela. _Oi, Aninha, até que enfim você resolveu cair na piscina, minha gata! - disse Eduardo o que fez Ana se arrepender de ter resolvido dar um mergulho. _Oi e tchau! Estou vendo minha prima … Carol... - Ana tratou logo de dar um jeito para ficar longe de Eduardo. _Você está sendo assediada pelo Edu? Cuidado! - disse Carol assim que a prima se aproximou. _Eu já estou sabendo da fama dele. Você viu o Lipe? _Ele está dando um show de bola , fez 2 gols. _Meu irmãozinho! Que bom que ele está se divertindo. Ele estava meio chateado por causa da Larissa. 91
    • Tânia Gonzales _Eu acho a maior fria este negócio de namoro à distância... E você precisa ouvir o comentário do pessoal sobre aquela história do pão de queijo! _Estão comentando? _Claro! Nossa, que gentil, ele levou pãezinhos de queijo para ela, bem quentinho! Ai que pão! Eu também quero um pão destes! E por aí afora... _Este tipo de comentário? Por favor! Ele só quis ser gentil. _Que gracinha! _Para com isso, Carol! O horário da palestra finalmente havia chegado, o local era um auditório com capacidade para 300 pessoas, muito bem equipado. Ronaldo, o líder de jovens, chamou o grupo de louvor para um momento especial de adoração; depois convidou todos para uma oração e em seguida deu início à palestra com o tema: “ Tentação, como vencê-la?” _Queridos jovens, abram as suas Bíblias em Gênesis 39.6-12, eu quero que vocês façam uma leitura silenciosa- Ronaldo esperou alguns instantes e continuou- bem, agora nós vamos assistir à algumas cenas de um filme sobre a vida de José, vocês verão na tela exatamente o que acabaram de ler. Os jovens viram José sendo assediado pela mulher de Potifar e resistindo à tentação, dizendo que não poderia pecar contra Deus. A última cena foi a de José fugindo e a mulher gritando calúnias contra ele. _José, vocês conhecem bem a história, por causa da inveja de seus irmãos, foi vendido e levado como escravo para o 92
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! Egito, lá foi comprado por Potifar que era um oficial de Faraó, que vendo a capacidade de José, o colocou como mordomo de sua casa e a esposa de Potifar colocou os olhos no rapaz. A Bíblia diz que José era “formoso de porte e de aparência”. Ela pediu para que José se deitasse com ela, olha aí a tentação, jovens! Por muitos dias aquela mulher ficou fazendo o mesmo convite e ele recusando. Até que um dia ele precisou sair apressadamente, pois ela o havia tocado, a Bíblia diz que ela o pegou pelas vestes, ele acabou por deixar as vestes lá nas mãos dela e fugiu. Ela o caluniou. Ele foi parar na prisão, injustiçado. Qual foi a saída que José encontrou para não ceder à tentação?- perguntou Ronaldo aos jovens. _Fugir! - disse Tiago. _Correto. Ele fugiu. Quantos se sentem tão fortes que vão ficando, ficando... até que não aguentam mais. Jovens, José era de carne e osso, a mulher deveria ser bem atraente, e ela insistiu muito; José estava distante de sua família, distante de sua terra, mas não estava distante de Deus. Note que ele disse: “...Cometeria eu tamanha maldade e pecaria contra Deus?”9 Vocês podem até dizer que mesmo assim ele foi acusado e acabou preso, correto, mas ele era inocente e um dia Deus o honrou. Jovens, todos os dias vocês enfrentam situações que exigem uma decisão. Exemplo: o namorado pedindo para a namorada uma prova de amor, ele insisti, diz que se não for atendido vai terminar o namoro, o que a moça pode fazer? _Terminar o namoro – respondeu uma garota. _Será? - duvidou outra. 9 Gênesis 39.9 93
    • Tânia Gonzales _Se o cara tiver a cara de pau de me pedir isso, eu mando ele pastar- disse Elisa uma garota que frequentava a ICVV há poucos meses. _Jovens, se vocês estiverem conscientes que o relacionamento sexual é algo muito especial e que deve ser realizado somente após o casamento, vocês terão força para resistir- acrescentou Ronaldo. _ Ronaldo, você deu o exemplo de um rapaz fazendo a proposta para uma garota, mas e o contrário? Porque acontece, viu? - perguntou Flávio de 19 anos. _Claro que acontece! Há garotas que ficam provocando, que insistem e se o rapaz recusar elas ficam uma fera! - explicou outro. _Vocês estão certos. Mas a questão é como vocês podem sair de uma situação desta sem pecar? - perguntou Ronaldo- José fugiu e se livrou do erro. Um casal de namorados que passam muito tempo juntos e sozinhos, encontram muitas oportunidades para caírem no erro, qual a solução aqui? _Namorar com o pai no meio- sugeriu Cíntia e todos riram da ideia- ou a mãe se vocês acharem melhor. _É engraçado, mas não é uma má ideia! - disse Ronaldo- Jovens, evitem ficar tempo demais sozinhos, eu sei que quando se namora você quer estar com seu amor o máximo de tempo possível e de preferência sem ninguém por perto, mas é perigoso, porque começam os abraços, os beijos mais calientes e aí vocês ficam a um passo de cometerem algo que vão se arrepender depois. E tem outra coisa, porque tem muitos que fazem tudo, passam a mão em tudo o que é lugar e 94
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! depois se dizem virgens. Cuidado, olha a mão boba. Vocês são inteligentes, estão me entendendo. Deus quer o nosso bem, Ele criou o sexo para o prazer também, mas existe o tempo certo para tudo. E o tempo certo para o relacionamento sexual é o casamento. Para muitos pode ser caretice, mas, é o melhor. Atualmente há uma moda de “anel da virgindade”, se a moda realmente pegar ótimo! Mas para o cristão isto não é moda, é uma escolha de vida. Porque antes, aquele que se dizia virgem era ridicularizado, e muitos nem falavam sobre o assunto, agora usam até anel para demonstrar para todos a sua decisão. Jovens, que esta importante decisão esteja no coração de vocês. Nós estamos falando sobre namoro, mas cuidado, o perigo não mora somente aí; a tentação aparece de diversas formas. No caso de José era uma mulher casada, então atenção. E outro aviso, não usem a internet para ver coisas impróprias, pois se vocês passarem suas horas vagas vendo pornografia, o que será que vai ocupar o pensamento de vocês? A internet é um ótimo instrumento de pesquisa, de lazer, etc, mas também é um perigo, não é porque você está sozinho em seu quarto que você pode tudo,ninguém está me vendo mesmo, posso ver e fazer o que bem entender. Meus queridos, Deus tudo vê; o famoso pregador D.L. Moody disse algo interessante:” Caráter é aquilo que somos no escuro ” ; e Thomas à Kempis, que foi um monge e escritor alemão, disse:” O que és aos olhos de Deus, é o que tu verdadeiramente és.” ; acho que estas duas frases dizem tudo, né? Então, jovem não ceda, vale a pena se guardar para o momento especial que Deus reservou para você. A professora 95
    • Tânia Gonzales Beth vai assumir agora... _Obrigada, Ronaldo. Vamos continuar com o assunto, eu quero que vocês prestem atenção à algumas cenas do filme “ O som do coração”- depois de alguns minutos Beth continuou- este filme conta a história de um garoto de 11 anos que mora em um orfanato e deseja encontrar os pais; então no desenrolar do filme nós ficamos sabendo o que aconteceu com os pais dele; a cena que vimos mostra um encontro entre um rapaz e uma moça. Eles acabaram de se conhecer e já passam a noite juntos; resultado: ela engravida, mas ele, por algumas reviravoltas na história, não toma conhecimento do fato e continua sua vida; acontece um acidente com ela e o pai aproveita a situação para dizer que ela havia perdido o bebê que na verdade foi dado para adoção. Os anos passam e o garoto, que está no orfanato, resolve ir ao encontro dos pais mesmo sem ter a mínima ideia de quem são. A história prende, emociona; o garoto é um gênio musical e isso vai ser revelado aos poucos ; um detalhe: os pais dele são músicos. Mas, o que eu quero destacar é fato dos dois pombinhos acabarem de se conhecer e o que eles fazem? Resolvem se “conhecer” pra valer. No filme fica aquela coisa linda, que romântico! Mas isso tem outro nome: irresponsabilidade. Consequência: uma criança abandonada. Foram pela emoção e pelo desejo, não houve um momento de reflexão. " O amor pode esperar para dar; a concupiscência é que não pode esperar para receber” , esta frase é do escritor Josh Mcdowell. Se você olhar no dicionário o 96
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! significado de concupiscência verá: apetite sexual desmedido.10 O amor, que segundo o apóstolo Paulo é “paciente, não procura os seus interesses e tudo espera”11, não tem pressa, mas a concupiscência é apressada, quer tudo na hora. Se vocês querem o bem da outra pessoa, vão saber esperar o momento certo. E qual é o momento certo? _A lua de mel – respondeu Tiago. _Certíssimo. - concordou Beth- Será que dá para esperar tanto? Dá! Se vocês não ficarem se provocando, dá para esperar. O namoro é uma fase linda para vocês conhecerem um ao outro, mas não sexualmente. Sei que as emoções ficam à flor da pele, já fui adolescente, tá? Mas se vocês buscarem o equilíbrio verão que é possível esperar. A vida precisa ser vivida completamente, não deixe que um namoro seja o centro de tudo, pois se ele acabar você vai precisar de muita boa vontade para não se acabar também. Equilíbrio, sempre. Eu tenho conversado com minhas alunas sobre uma série chamada “ Crepúsculo”, por causa do grande interesse delas. Para quem não sabe é um romance entre uma garota de 17 anos e um vampiro , que é um príncipe encantado, é o máximo da beleza, etc e tal... e em determinado momento, o vampiro que se chama Edward, se afasta da garota que se chama Bella, vai embora afirmando nunca mais voltar para que ela não corresse mais perigo ao lado dele. Bella que está completamente apaixonada por ele, fica desesperada, sofre muito, chega até a ter delírios, ouvindo a voz dele , e ela 10 Mini dicionário Caldas Aulete 11 1Coríntios 13.4,5,7 97
    • Tânia Gonzales percebe que ouve a tão amada voz quando corre algum risco, ou seja quando a adrenalina sobe, então ela resolve se jogar de um penhasco …12 _Fala sério? Quem faria uma coisa destas? - perguntou Gustavo. _É uma ficção, Gu, mas vocês assistem os noticiários e já puderam ter uma ideia do que as pessoas fazem por “amor”. Continuando... Bella resolve se jogar de um penhasco só para ouvir a voz de Edward, ela é salva por um outro rapaz, que não vamos entrar em detalhes aqui; Edward, por um equivoco, pensa que seu amor morreu e então resolve morrer também, mas como ele é um vampiro, isso não vai ser tão fácil, ele resolve provocar alguns vampiros conhecidos na Itália, conclusão, ele se salva também pois Bella aparece bem na hora... _Quase que esta história virou “Romeu e Julieta” - foi o comentário de Eduardo. _Que bom você comentar sobre a famosa história de amor. Trágica história. Uma ficção, também, mas podemos aprender também com as ficções. Jovens, quando a pessoa amada vira o centro de tudo, acontecem exageros. Se você começar a perceber que tudo na sua vida gira em torno de uma só pessoa, cuidado! É necessário equilibrar as coisas. Sua vida não pode se resumir naquela pessoa, só vale o tempo passado com ela e mais nada. Deus acima de tudo. Amar a Deus acima de tudo e não o seu namorado ou sua namorada. Avaliem os relacionamentos e peçam a Deus direção. 12 Livro “Lua Nova”, 2° livro da série de Stephenie Meyer. 98
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! Se precisarem de ajuda nós estamos aqui para aconselhá-los. Que vocês possam ter relacionamentos sadios. Eu falei sobre os noticiários, tantas histórias reais de pessoas que acabam machucando por “amor”, outras até matam e dizem que foi por amor, ou então se suicidam, porque não havia mais razão para viver. Perdem a pessoa amada e assim perdem também o motivo para viver. Isso é doença, não amor. Deus quer o melhor para a vida de cada um de vocês por isso não aceitem o padrão do mundo, vocês são diferentes e não há motivo para sentirem vergonha disso, pelo contrário, sintam-se especiais pois é exatamente isso o que vocês são: jovens especiais, amados por Deus. Vamos louvar com aquele hino, eu sei que vocês nem falam mais assim, se preferirem, com aquela música que diz: “ Quero que valorize o que você tem, você é um ser, você é alguém tão importante para Deus...”13, vamos? Fizeram um momento de louvor e adoração e após assistiram ao filme “ Desafiando gigantes” , que conta a história do técnico de futebol americano de uma escola, Grant Taylor, que passa por problemas em sua vida profissional e pessoal, e se vê totalmente desanimado e sem esperanças para vencer os gigantes que aparecem em sua vida. Mas , aos poucos ele vai descobrindo o verdadeiro poder da fé em Deus. Os jovens gostaram muito do filme, se emocionaram com a história de perseverança do técnico Grant. Depois participaram da festa do hot dog. 13 Hino: Quero que valorize- Armando Filho 99
    • Tânia Gonzales No penúltimo dia do retiro o time de vôlei de Ana venceu, com direito a troféu e tudo. Felipe também continuou jogando muito bem, a grande final do futebol seria no dia seguinte. Ana e Alexandre não conseguiram falar mais a sós. Naquela noite eles também tiveram um culto de oração bem diferente. Cada participante havia escrito alguns pedidos de oração que foram distribuídos por todos os aposentos da chácara. Foram divididos vários grupos de 6 pessoas. Cada grupo deveria passar pelos quartos, ler os pedidos e fazer um período de 10 minutos de oração. Para ser possível a organização desta atividade, uma parte dos jovens ficou no auditório fazendo um período de louvor enquanto os outros jovens iam orar. E assim com muito louvor e oração terminou o terceiro dia do retiro. Finalmente o último dia havia chegado, aconteceria a final do futebol e no almoço eles participariam de um delicioso churrasco. O horário de saída seria às 15h. Depois de tomar o café , Ana resolveu aguardar o início do jogo do irmão sentada debaixo de uma árvore, aproveitou para enviar um torpedo para a amiga de Santa Fé, prometeu conversar com ela à noite pela net. _Posso me sentar? - perguntou Alexandre. _Claro! Senta aí. _Eu não consegui mais falar com você desde domingo. _Muita gente, muita atividade... fica difícil! _Ou você está me evitando só porque eu não respondi direito a sua pergunta? 100
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Não, claro que não, e você não precisa responder tudo o que eu perguntar. Está no seu direito. Responde se quiser. _Eu percebi que você ficou desapontada, mas eu tenho comigo que não é legal ficar falando de ex-namorada. Acabou, acabou e chega. É passado. _Tudo bem! Esquece o assunto. _Hoje vamos embora e e-e-eu tenho que dizer que vou … se-sentir saudades, depois de vê-la todos estes dias... _Você é tão … - Ana parou arrependida por ter começado. _Tão? _Esquece... _Não faz isso! Eu abro o meu coração, correndo o risco de fazer papel de ridículo e você diz pra esquecer? _Eu só ia dizer que você é tão... surpreendente! É isso! _É verdade? Não sei não, Ana... _É isso! Eu não esperava que você dissesse que iria sentir saudades, não mesmo! _E você? Vai sentir saudades de mim? _Eu já entendi, você está me castigando, é isso... _Castigando? _É isso mesmo. Eu fiz uma pergunta complicada e agora você vem com essa! _A pergunta que eu fiz é complicada? _É sim! Se eu responder vou ficar envergonhada! _Sério? Agora você vai ter que me responder... você vai sentir saudades de mim? _Depende de você – brincou Ana. _De mim, por quê? O que eu posso fazer? 101
    • Tânia Gonzales _Você pode, por exemplo, me convidar para sair. - ela mesma não acreditou no que havia dito. _Ah! Depois sou eu que surpreendo. Você está convidada! _Pra quê? _Pra jantar! Ana, quer sair para jantar comigo amanhã? _Vou ver o que consigo. _Mas, você quer? Responda, mesmo que você não possa ir. _Eu quero. Aonde nós iríamos? Se tudo der certo... _Em um restaurante muito especial, é segredo. Eu vou ligar para o seu pai hoje pedindo permissão. Ana e Alexandre foram assistir ao jogo de Felipe que fez mais 2 gols levando o time à vitória. Após o jogo Ana e Carol aproveitaram para caminhar um pouco pela bonita chácara, enquanto aguardavam o horário do almoço. _Não acredito! Sabrina não tem jeito mesmo... - disse Carol ao ver a irmã aos beijos com Eduardo. _Quem é aquele? É o Eduardo? - perguntou Ana muito surpresa. _É ele mesmo! A Sabrina tem coragem de se envolver com o Edu? Ele é tão paquerador! _Vai ver ela só quer dar uns beijinhos, sem compromisso... não é isso que muitos fazem? _Eu não deveria ficar surpresa. Ana, não comenta isso com ninguém, tá? Ana concordou com a prima e elas foram almoçar. O almoço foi muito animado, mas todos já estavam lamentando por terem que ir embora. Alexandre queria muito voltar com Ana no ônibus, mas resolveu ter paciência, não dava para ter tudo, 102
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! seria muito complicado trocar de lugar, teriam vários pares de olhos neles e com certeza muitos comentários que fariam Ana corar. 103
    • Tânia Gonzales "Ah o amor... que nasce não sei onde, vem não sei como e dói não sei porque...” Carlos Drummond de Andrade Capítulo 9 -Beijo e decepção Roberto já estava esperando quando os 5 ônibus estacionaram em frente à ICVV. Ana e Felipe aproveitaram o percurso até a casa para contarem sobre o retiro, Roberto ficou todo orgulhoso dos filhos e falou sobre o fim de semana na igreja, sobre o almoço que ajudou a preparar. -A vovó Tele ajudou muito na cozinha e eu tive a oportunidade de fazer amizade com o doutor Afonso e a esposa dele, que também trabalharam no almoço, eles até nos convidaram para comer na casa deles, vamos combinar. A filha deles é muito simpática, estava com o marido e as crianças. Foi muito divertido. Só faltou o filho, que foi para o retiro com vocês. _O Alexandre, eu saí com ele naquele dia, lembra? _É ele? Alexandre... Passava das dez horas quando Alexandre ligou. _Pensei que você não ia ligar... _Tem algum problema? Estou até mais confiante, meus pais elogiaram tanto o seu! Fizeram amizade na cozinha da igreja. _Eu já sei disso, meu pai contou, ele também gostou muito da sua família. _Só falta ele gostar de mim. Ana resolveu dar o número do telefone fixo para que ele pudesse falar com Roberto. 104
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Vou ligar. Tudo está a nosso favor hoje. Amanhã jantamos juntos. Tchau, Ana, boa noite. Ana não estava conseguindo segurar a ansiedade. Quais seriam as condições de seu pai desta vez? Não demorou muito para ela ter a resposta. _Filha- chamou Roberto batendo à porta do quarto de Ana. _Oi, pai, entra. _Eu acabei de receber uma ligação bem interessante. _Ligação interessante? De quem?- disfarçou Ana. _De um rapaz muito educado convidando a minha filha para jantar. _Me convidando para jantar? E qual foi a sua resposta? _Você não vai querer saber o nome do rapaz? _Pai, para com isso, eu sei muito bem quem ligou! _Ah, bom! _Fala, pai! E aí? _Calma, filha! Eu concordei. Amanhã vocês vão jantar. _Quais as condições? _Eu não disse nada, foi ele quem impôs as condições. _Ele? Quais? _O Lipe vai junto. _Foi o Alexandre que disse? _Foi, e vocês vão com o carro dele. _Só isso? Ele disse o lugar? _Isso é segredo! _Pai! _Boa noite! - Roberto deu um beijo na filha e saiu do quarto deixando-a com uma grande interrogação, mas ela não iria 105
    • Tânia Gonzales aguentar e resolveu ligar para Alexandre. _Alô! Eu sabia que você não iria resistir. Já está com saudades? _Para com isso. O que você falou pra meu pai? _Eu disse que gostaria muito de levar os filhos dele para jantar. _Muito esperto! E ele concordou assim , sem mais nem menos? _É isso aí! Amanhã você vai conhecer um lugar muito especial. _Posso saber aonde nós três vamos? _Não seja curiosa! É uma surpresa. Eu vou aproveitar para entrar mais cedo no serviço, já que não haverá aula, vou dar um jeito de sair às seis horas. Quarta-feira às 19h Alexandre chegou para buscar os filhos de Roberto; Ana estava muito bonita com um vestido azul e blazer, Alexandre vestia uma camisa verde-oliva e calça preta, só Lipe estava informal usando um jeans e camiseta. Ana por um momento ficou pensando se deveria sentar ao lado dele ou não, mas Alexandre foi logo abrindo a porta para ela, facilitando as coisas. _Vai me dizer aonde vamos ou não? - perguntou Ana , assim que entrou no carro, sem conseguir segurar a ansiedade. _Calma! Eu só posso dizer que você vai adorar! Disto eu tenho absoluta certeza- disse Alexandre piscando para Lipe. Depois de quase uma hora chegaram à Rua da Consolação. _O restaurante do Miguel deve ser aqui perto... espera aí... eu 106
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! não acredito! É o que eu estou pensando? _O que você está pensando? - perguntou Alexandre se divertindo com a expressão de Ana. _Nós vamos jantar no “ La Sabore” ? _“ La Sabore” ? O que é isso? - disse Felipe entrando na brincadeira. _Parem com isso. Estou certa, não estou? _Está Ana! Vamos jantar no “ La Sabore “, hoje você vai conhecer a cozinha do famoso chefe Roberto - disse Alexandre acabando com o suspense. _Não acredito! O papai sabe? Eu vou conhecer a cozinha do papai? - Ana não conseguia esconder a felicidade. _Calma, maninha! O papai já sabe. Foi ideia do Alê. _Que surpresa incrível, obrigada Alexandre. Como que o papai reagiu quando você contou? _Ele topou na hora, ficou tão feliz! Ele me contou que já estava querendo trazer vocês. Adorou a ideia. Chegamos- anunciou Alexandre para em seguida entrar com o carro no estacionamento. Miguel reconheceu os filhos do seu grande amigo assim que eles entraram no elegante restaurante italiano. _Ana, Lipe! Que bom revê-los! Como estão crescidos! E este rapaz bonito é o seu namorado, Ana? _Não Miguel, este é o Alexandre, ele é um amigo nosso da igreja- explicou Ana com timidez. _Oi, Alexandre é um grande prazer conhecê-lo. Por favor me acompanhem reservei um lugar especial para vocês. _Obrigada Miguel, o seu restaurante é lindo! - elogiou Ana. 107
    • Tânia Gonzales _Você vai gostar mesmo é da cozinha, que tal irmos ver um certo chef ? Ele está ansiosíssimo! _Chef Roberto, estes ilustres clientes estão ansiosos para conhecer sua cozinha.- disse Miguel. _Filhos! Estou tão feliz por vocês estarem aqui! Muito obrigado Alexandre, é um belo presente! Venham eu vou mostrar tudo – disse Roberto todo animado. Eles foram apresentados para toda equipe de Roberto, Ana ficou encantada ao acompanhar o pai por toda aquela imensa cozinha. _Bom... acho que é melhor vocês irem jantar, eu preparei um menu especial para vocês-o prato principal será “Fettuccine al limone”, e a sobremesa será a preferida de meus filhos “Tiramissú” - anunciou Roberto todo orgulhoso. _Me desculpe a ignorância, “Tiramissú”? Uma sobremesa com um nome desses em um restaurante italiano?- perguntou Alexandre . _É isto mesmo! É uma sobremesa italiana feita com queijo mascarpone, você vai gostar -garantiu Roberto. Após o delicioso jantar, Alexandre explicou para Ana que eles iriam ao shopping para depois virem buscar Roberto que só sairia depois das 23h. _Então foi por isso que o papai não veio trabalhar com o carro, eu nem suspeitei. Vocês pensaram em tudo. - constatou Ana. _Eu vou dar uma andada por aí, quando estiver na hora de ir vocês me dão um toque - disse Lipe mostrando o celular assim que chegaram ao shopping. 108
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _E você quer fazer o quê? Nós temos quase uma hora e meia.- disse Alexandre. _Eu não quero ficar andando, podemos ficar sentados só conversando?- perguntou Ana. _Gostei da ideia! Vamos encontrar um lugar. Em poucos instantes eles estavam sentados, o movimento do shopping naquela noite estava bem tranquilo. _Eu quero aproveitar para agradecer, foi incrível! Eu nem suspeitei, valeu mesmo! - Ana disse com sinceridade. _Eu adorei a sua reação ao descobrir onde nós íamos, você ficou tão feliz! _Fiquei mesmo! Foi muito legal! O restaurante é show, a comida nota 10, bom mas isso pra mim não é novidade! Você gostou da sobremesa? _Gostei de tudo! Mas o principal pra mim é estar agora aqui com você. Eu gosto muito da sua companhia Ana, você é tão agradável, desde a primeira vez que eu te vi, e-e-eu pensei: que garota mais linda! E-e-eu ...me desculpa eu tenho este problema quando fico nervoso, você já deve ter percebido. _Eu já! Não esquenta, eu acho que você fica lindo falando assim... _Ana! Você está brincando, né? _Não, estou falando sério! Eu acho que você fica muito charmoso.... Alexandre chegou mais perto e começou a mexer nos cabelos dela, depois tocou no rosto com as pontas dos dedos bem de leve e segurou o queixo de Ana, que ficou imóvel, não querendo estragar aquele momento, ele foi se 109
    • Tânia Gonzales aproximando lentamente, ele estava tão próximo que Ana sentiu a respiração dele. Por um momento ela sentiu vontade de recuar, seu coração estava disparado, ficou com medo de fazer alguma coisa errada, era tudo novo para ela, nunca um rapaz havia chegado tão perto. Alexandre tocou no canto dos lábios dela, isso a fez estremecer e então ela afastou-se um pouco . _Me desculpe, eu não sei como agir nestas horas, eu sou tão boba! - disse Ana. _Ana, você não é boba! Eu que não deveria ter começado... _Não, a culpa não é sua! Eu não sei o que fazer, eu nunca... eu nunca... você sabe... _Ana, o problema é este? Mas você quer que eu a ... _Eu quero, mas tenho medo de fazer algo errado. _Você não tem como fazer algo errado, não tenha medo, confie em mim... - ao dizer isso Alexandre se aproximou dela com todo o cuidado e novamente fez o contorno dos lábios dela com o dedo, para em seguida tocá-los com os seus e de repente tudo ficou tão natural para Ana que ela permitiu-se ser beijada pela primeira vez. Poucos segundos depois eles ouviram uma música, era Michael W. Smith cantando Friends, o celular de Ana estava tocando. Eles se afastaram rapidamente. _Lipe? Já está na hora? Certo, nós estamos indo. - disse Ana tentando se concentrar no que o irmão dizia. Alexandre e Ana foram ao encontro de Lipe sem dizer uma palavra, parecia que nenhum dos dois queria perder o encanto daquele momento especial. Saíram do shopping e em poucos 110
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! minutos estavam esperando Roberto no estacionamento do restaurante. Ana resolveu descer e sentar no banco traseiro, Alexandre ficou observando sem dizer nada. _Olá! Demorei? - perguntou Roberto assim que entrou no carro. _Não, nós acabamos de chegar- respondeu Alexandre. Durante o caminho para casa, Alexandre e Roberto conversaram bastante, de vez em quando Ana e Alexandre trocavam olhares pelo retrovisor. _Alexandre? Ei! - Roberto estava esperando uma resposta de Alexandre que aguardando o sinal abrir, acabou se distraindo olhando para Ana e não havia escutado uma palavra dita por Roberto. _Oi, me de-desculpe, Roberto, eu não entendi a pergunta. _Tudo bem, eu perguntei sobre o trabalho de seu pai. -Sei, é, então... o meu pai atende em 2 clínicas e 1 hospital. Ele gosta muito do que faz. Eu sei que sou suspeito, mas ele é um ótimo pediatra. Ana não conseguia parar de pensar no que tinha acontecido. Foi tão especial e maravilhoso. Seu primeiro beijo foi muito melhor do que ela podia imaginar, Alexandre foi muito carinhoso e paciente com ela. _Alexandre eu te agradeço pelo o que você nos proporcionou hoje. Sua ideia foi excelente. Eu vou marcar um dia para você vir aqui em casa almoçar ou jantar, depois nós combinamos- disse Roberto assim que Alexandre estacionou o carro. _Que isso, Roberto, eu que agradeço! Minha mãe me contou que vocês vão marcar um almoço lá em casa. 111
    • Tânia Gonzales _É isso mesmo, um grande abraço para os seus pais e boa noite! _Boa noite, Roberto, Lipe, até mais. _Valeu Alê! Foi show! - respondeu Lipe. Roberto e Lipe entraram, deixando Ana e Alexandre no portão. _Então, acho que é melhor eu ir, está tarde- disse Alexandre. _Tem razão, eu só queria mais uma vez agradecer pelo jantar. _Pelo jantar você agradece ao chefe- brincou Alexandre. _Você tem razão, de novo! - constatou Ana meio sem graça. Eles ficaram por alguns segundos se olhando, o clima estava meio estranho, os dois estavam tímidos. _Melhor eu ir, amanhã é dia de aula e muito trabalho. _Então, tchau... eu não sei se cheguei a comentar com você... mas amanhã eu vou começar a trabalhar na papelaria do meu tio, ele está precisando de ajuda. _Que legal! É... Ana... _Eu acho melhor você ir, antes que meu pai me chame... Alexandre se aproximou, deu um beijo no rosto de Ana, em seguida entrou em seu carro e partiu. Ana ficou pensando se Alexandre ligaria, mas chegou a conclusão que seria melhor que ele não ligasse, pois os dois estavam um pouco constrangidos, seria mais apropriado eles conversarem depois. Naquela noite Ana demorou muito para dormir, ficava a todo instante relembrando cada momento, se não fosse tão tarde ela teria ligado para amiga Kátia, ela queria compartilhar o que tinha vivido. Ela e Kátia sempre conversavam sobre como seria o primeiro beijo, a amiga não 112
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! havia passado por aquela experiência ainda. Ana não podia imaginar que a próxima noite também seria complicada para dormir, mas não teria pensamentos agradáveis como hoje. Depois dos cinco dias de folga o dia na escola foi bem preguiçoso. Ana preferiu não contar sobre o grande acontecimento para Carol, pelo menos por enquanto. Após o almoço ela foi até a papelaria do tio, seria seu primeiro dia de serviço, passaria a tarde trabalhando ao lado de Sabrina e mais um funcionário da loja. Alexandre no dia anterior , ao chegar em casa, encontrou sua mãe na maior expectativa querendo saber detalhes do jantar, contou tudo sobre o restaurante, mas não satisfez a curiosidade da mãe a respeito do relacionamento dele com Ana, preferiu esperar, precisava primeiro ter uma conversa com a linda garota dos cabelos negros, decidiu que faria isso até domingo. _Sabrina, posso fazer uma pergunta? - começou Ana depois de alguns minutos que as duas estavam trabalhando na papelaria. _Pode, mas se eu vou responder é outra história! _É que no retiro... bem... eu vi você e o Eduardo juntos... _É isso? Eu e o Edu somos só amigos... que às vezes dão uns beijinhos... nada mais... _Você acha certo? _Aninha, em que mundo você vive? Isso é normal... são só uns beijinhos, não pense bobagens! Agora, eu preciso te contar umas coisas e aí sim você precisa se preocupar... _Que coisas, Sabrina? 113
    • Tânia Gonzales _Bom, sabe prima, é complicado... é um assunto tão chato! _Que assunto? O que você tem pra me contar? _É sobre o Alê... O coração de Ana começou a bater mais rápido, o que a prima teria para falar sobre o Alexandre? _Eu já vou avisando que é um assunto delicado, se prepare... eu tenho que falar, afinal você é minha prima e depois o tio Roberto não vai me perdoar se acontecer alguma coisa... _Sabrina, fale logo, pare de enrolação. _”Tá” bom! Você sabe que eu e o Alê namoramos por um tempo, então, como eu percebi que vocês andam conversando bastante eu pensei que seria melhor contar antes que as coisas avancem entre vocês. Eu não quero prejudicar o Alê, ele é um cara legal, mas ele tem sérios problemas, precisa de ajuda, mas eu não tenho coragem de contar, o certo era falar com o pastor Jair ou com o Ronaldo, mas eu tenho vergonha, eles ficariam muito decepcionados e também por causa da família dele, o doutor Afonso já teve começo de infarto, já pensou que decepção? _Sabrina, fala logo! _Eu terminei o namoro com o Alê porque ele queria... uma prova de amor. Uma vez ele chegou a parar em frente a um... motel, você sabe... eu fiquei assustada, perguntei o que ele estava pretendendo e aí ele me disse que para nós continuarmos eu teria que dar uma prova de amor, eu pedi pra ele me levar de volta pra casa, ele ficou muito bravo e me deu um tempo, eu teria uma semana para decidir, senão estaria tudo terminado. 114
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Sabrina, para com isso... _É sério, Ana! Eu gostava muito dele mas eu não podia fazer o que ele queria, eu tinha muito medo. E eu já estava desconfiada dele. Várias vezes ele estava no computador e quando eu me aproximava ele dava um jeito de me afastar, não deixava eu olhar para a tela. E quando ele permitia que eu mexesse, eu verificava o histórico e sempre estava limpo, sempre. Um dia a mãe dele o chamou e ele precisou sair rapidamente eu fui dar uma olhada e me assustei... Ana, você não imagina as cenas que vi... e o histórico estava cheio de tudo o que é site de … pornografia. Eu fiquei horrorizada. Não sabia o que fazer, deveria contar para alguém? Quem? E eu fiquei pensando, ele é o responsável pelo site da igreja, o pastor admira tanto ele, os jovens também, eu realmente não sabia o que fazer. Eu vi que ele tinha vídeos, eu dei uma olhada em dois e não aguentei, que nojo! Não contei nada para ele, fiquei morrendo de vergonha e também não disse para ninguém. Eu tenho fé que ele vai se arrepender, sabe, lembra da palestra? O Ronaldo falou sobre o assunto, ele estava lá ouvindo, quem sabe ele confessa. A Bíblia diz: quem confessa e deixa, alcança... _Misericórdia14- completou Ana sem conseguir acreditar no que estava ouvindo. _É isso! Ana nós temos que orar por ele, para que ele seja tocado, que ele perceba o erro, isso é um vício, você sabia? Ana não conseguia responder, era muito difícil ouvir aquilo. Será que era verdade? Alexandre parecia tão sincero, tão 14 Provérbios 28.13 115
    • Tânia Gonzales temente a Deus. De repente ela lembrou da história de Simone. _Eu espero que ele não mostre estas coisas pra outros jovens, sempre tem um lá pedindo ajuda... Antes da gente terminar ele tentou mais uma vez, um dia ele me disse que precisava pegar um CD na casa do Gu, sabe? O Gu é irmão da Priscila, aquela que participa da classe da EBD com você, pois quando nós chegamos lá o Gu disse que ia dar uma saída, mas voltava logo, eu não entendi nada, nós ficamos na sala da casa do Gu e eu percebi que não tinha mais ninguém. Foi aí que o Alê me disse que aquele era o meu último dia, a casa estava vazia e nós tínhamos 1 hora até que o Gustavo voltasse. Ana, eu fiquei apavorada, comecei a dizer pra ele que não, que eu não queria, ele ficou muito bravo e disse já que era assim então estava tudo terminado. Me mandou embora eu tive que ir para casa de ônibus, mas pelo menos fiquei aliviada. _Eu nem sei o que dizer, Sabrina. 116
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! "Uma mentira estraga mil verdades." Provérbio africano Capítulo 10 -Fugindo Quando chegou em casa Ana foi direto para seu quarto, não queria conversar com Lipe, estava arrasada. Ela começou a pensar no dia palestra, Ronaldo estava falando sobre pornografia na internet e ela notou alguma coisa estranha no ar, na hora ela achou que deveria ser só impressão, mas agora com Sabrina contando tudo aquilo, certas coisas começavam a fazer sentido; Ana lembrou que Alexandre deu uma olhada para Gustavo que abaixou a cabeça no mesmo instante, eles deveriam estar juntos nisso. E também tinha o fato de Alexandre não querer contar o motivo do término do namoro. Ana pensou que iria passar mal, aquilo tudo era muito triste para ela, era uma pena e também uma grande decepção. Ela olhou para o celular e viu que tinha uma mensagem de Alexandre: “ Oi Ana, como foi o seu dia? Bjs. “ “Meu dia- pensou Ana- começou lindo e está terminando horrível! “- resolveu tomar banho, mas antes mesmo de ligar o chuveiro o rosto já estava todo molhado, não dava mais para segurar as lágrimas. Às 22h o celular de Ana tocou mas ela não atendeu, depois de alguns minutos, Lipe entrou no quarto. _Ana, o Alê está no telefone, ele disse que tentou ligar no seu 117
    • Tânia Gonzales celular... _Lipe, me faz um favor? Diz pra ele que eu já estou dormindo. _Ana, vou mentir pra ele? Por quê? Vocês dois já estavam parecendo namorados... _Por favor, eu me sinto péssima por fazer você mentir, mas eu tenho motivo pra isso! _Tá bom! Ana não estava acreditando em como que as coisas mudavam tão rapidamente. Ontem, ela estava feliz e Alexandre parecia o rapaz perfeito! O problema era justamente este: era bom demais para ser verdade, Simone é que estava com a razão. Alguém assim tão encantador e especial, simplesmente não existia, tinha que ter alguma coisa errada; como ela havia sido ingênua!Imaginar que ele estaria interessado nela? Ele só queria se aproveitar da situação, como ele deve ter se divertido com a história do primeiro beijo! Edward Cullen não existe, sua menina boba! - pensou Ana deixando as lágrimas rolarem novamente. No dia seguinte, Ana estava com os olhos muito inchados, não daria para ir à escola daquele jeito, por isso disse para o irmão que não estava bem, mas, ficar em casa só piorou as coisas, ela não conseguia parar de pensar em tudo o que Sabrina havia contado. Resolveu lavar roupa, precisava muito se distrair, colocou um CD e deixou a música substituir o silêncio que estava insuportável. Agnus Dei de Michael W. Smith sempre a fazia se sentir bem, era exatamente disso que ela estava precisando, da presença do Espírito Santo. Só Ele 118
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! para dar o consolo que ela tanto necessitava. Quando o irmão chegou, Ana já estava com o almoço pronto, tinha lavado a roupa e limpado toda a casa. Á tarde foi trabalhar na papelaria do tio, ficou feliz ao ver que ela passaria aquelas horas com Carol, não queria conversar com Sabrina. _Ana você está melhor? Dá para trabalhar hoje? - perguntou Carol sem esconder a preocupação. _Eu estou bem, prima, foi só um mal-estar. Ana ficou feliz com o movimento da loja naquele dia, não daria para Carol interrogá-la, pois a prima havia percebido que tinha alguma coisa errada. Naquela noite as alunas da classe da EBD iriam se reunir na casa da professora Beth, para assistir ao filme “ Um amor para recordar”; Ana inventou uma desculpa, ela não queria sair e muito menos ver um filme romântico, esta era a última coisa que ela gostaria de fazer. Alexandre ligou e mandou mensagens, mas Ana não tinha a menor condição de falar com ele. Mas ela sabia que no dia seguinte teria que enfrentá-lo, pois estava marcado o ensaio do grupo de teatro e ela contracenaria com ele na peça da Páscoa. Carol ligou para ela assim que chegou da casa de Beth dizendo que Alexandre havia passado lá para buscá-la e ficou muito preocupado ao saber que Ana não estava lá. Ana ouviu o celular tocar e nem precisou olhar para saber quem era. Depois que falou com Carol resolveu deixar o fone fora do gancho por alguns minutos para não correr o risco dele ligar no fixo e também colocou o celular só para vibrar. Resolveu não desligar caso o pai ou o irmão precisasse falar 119
    • Tânia Gonzales com ela. Lipe havia saído com alguns garotos do time de futebol da igreja. No dia seguinte foi ao ensaio, chegou lá duas e meia para não correr o risco de Alexandre encontrá-la em casa, ele havia mandado um torpedo dizendo que passaria lá exatamente neste horário. Ele chegou uns 20 minutos depois dela e o pessoal da peça já estava todo lá, por isso ele não teve como falar com ela, só cumprimentou todo mundo e ficou olhando para Ana com uma enorme interrogação naqueles lindos olhos azuis. Beth começou o ensaio e Ana precisou contracenar com Alexandre, felizmente conseguiu agir com naturalidade, havia pedido a Deus forças e sua oração foi atendida. Depois de quase duas horas, o ensaio terminou. Ana saiu rapidamente aproveitando que um rapaz estava conversando com Alexandre, mas quando chegou ao ponto de ônibus percebeu a aproximação de um carro, ela sabia muito bem quem estava dirigindo. _Ana, vem, eu dou uma carona pra você. _Não precisa, o ônibus já está chegando – respondeu ela torcendo para o ônibus aparecer. _Que isso, Ana! Entra no carro. - insistiu Alexandre Ana não teve outra alternativa, o ponto estava lotado e a situação já estava ficando chata. _Até que enfim. Eu já estava ficando com vergonha daquele pessoal todo me olhando!- disse Alexandre assim que Ana entrou no carro. _O que está acontecendo com você, Ana? _Nada, eu só estava esperando o ônibus. 120
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Ana, você está fugindo de mim, eu fiz alguma coisa errada? _Eu não estou fugindo, estou aqui, não estou? _Está, mas eu quase precisei descer do carro e implorar para você entrar. _Exagerado! _Eu liguei, enviei mensagens … eu disse que a buscaria para o ensaio. Ana não sabia o que dizer, por isso ficou em silêncio. _Posso te levar para algum lugar, para conversarmos? _Não, eu preciso ir pra casa, meu pai não sabe... _Eu ligo pra ele … _Não, me deixa em casa, por favor! _Ana, o que está acontecendo? O que eu fiz de errado? _Eu não quero conversar hoje, por favor. _Eu não vou ficar insistindo, mas não estou entendendo nada... Depois disso eles ficaram em silêncio, Alexandre ligou o CD e a música “You are the love of my life “ de Michael W. Smith, só deixou o clima mais tenso, uma música romântica naquele momento fez Ana sentir uma vontade imensa de chorar, mas, conseguiu segurar as lágrimas. Ela ficou pensando se ele teria colocado aquela música de propósito. _Obrigada pela carona- disse Ana saindo rapidamente do carro. _Não por isso, tchau! _Tchau! Ana resolveu faltar à aula da EBD naquele domingo, ela 121
    • Tânia Gonzales gostava muito das aulas da professora Beth, mas não queria encontrar Alexandre; disse ao irmão que não estava bem e ficou debaixo do edredom sem querer se levantar, ela estava muito desanimada. Mas ficou surpresa ao ouvir a voz do pai, não sabia que ele estaria de folga naquela manhã, seria mais complicado ter que explicar para ele a sua indisposição. _Minha filha, o que está acontecendo com você? Está doente? - perguntou Roberto colocando a mão na testa da filha. _Não pai, eu só estou indisposta, sabe? _Entendi! Eu e o Lipe vamos à igreja, você vai ficar bem? _Podem ir, eu vou ficar legal. _Nós temos um convite pra almoçar hoje, você faz uma forcinha para ir? _Convite? _O Dr. Afonso e a esposa nos convidaram para almoçar na casa deles. _Hoje? Eu pensei que seria outro dia... _É hoje, querida! Por favor... _Tudo bem, pai, eu dou um jeito. Ana não podia acreditar no que estava acontecendo, ela teria que ir até a casa dele almoçar com toda a família, a menos que ela arrumasse alguma desculpa convincente... mas isso com certeza desapontaria seu pai. Ainda ficou deitada por algum tempo, mas, após olhar para o relógio, ela levantou-se e resolveu se arrumar, o pai chegaria em breve. _Ana, chegamos!- avisou Roberto assim que entrou. Chegaram à casa do Dr. Afonso poucos minutos após a uma 122
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! hora da tarde. Foram muito bem recebidos pelos pais de Alexandre. Era um sobrado muito bonito, que tinha uma área livre nos fundos muito convidativa, com churrasqueira, piscina e brinquedos para os netos. Luísa foi logo justificando a ausência do filho que precisou ir buscar a irmã e os sobrinhos, o marido estava viajando com o carro dela, pois o dele havia quebrado. _Fiquem à vontade, estou tão feliz em tê-los aqui! Só estou um pouco nervosa, ouviu Roberto? Fazer almoço para um chef de cozinha não é nada fácil- declarou Luísa. _Que isso, Luísa, fique tranquila, sei que você cozinha muito bem, deu para comprovar isso lá na cozinha da igreja- Roberto tratou logo de tranquilizá-la. _Ana, eu sei que você também é ótima na cozinha! - disse Luísa. _Eu não, só faço o trivial, mas eu gosto bastante de cozinhar- informou Ana. _Olha só quem chegou! - disse Dr. Afonso ao entrar a neta Melissa- Vem aqui dar um abraço no vovô. Em seguida entrou Joyce com o pequeno Lucas no colo , ela cumprimentou todos com muita simpatia e logo entregou o menino para os braços estendidos do vovô. Poucos segundos depois Alexandre entrou cumprimentando a todos. _Bom, agora que estão todos aqui podemos almoçar- anunciou Luísa. _Já está tudo pronto? - perguntou Joyce. _Tudo pronto! Eu não fui à igreja hoje. Você acha que eu ia arriscar com um chef aqui em casa? Vai que ele resolve tomar 123
    • Tânia Gonzales conta da minha cozinha! - brincou Luísa. Todos riram e acompanharam Luísa até a sala de jantar. Ana não estava se sentindo à vontade por estar ali, o que era uma pena, pensou ela, eles eram tão simpáticos! O almoço foi muito animado, todos conversaram bastante, com exceção de Ana e Alexandre que só respondiam com monossílabos. Ana ficou pensando se os outros haviam percebido o péssimo clima entre eles. _Eu tinha razão- começou Roberto- Afonso, você tem uma esposa muito simpática, com todo o respeito, e uma excelente cozinheira! Parabéns, Luísa! _Me segura! Fui elogiada por um chef de restaurante italiano! Não é pra qualquer uma! - disse Luísa se divertindo. _Ninguém vai aguentar ! Cuidado com o orgulho, mãe! - falou Joyce entrando na brincadeira. Depois que terminaram o almoço Alexandre chamou Lipe até o seu quarto para mostrar um jogo que ele tinha no computador. Ana ficou brincando com Lucas e Melissa, agradeceu a Deus por ter duas crianças ali, elas salvaram o seu almoço, ela havia se oferecido para ajudar na cozinha mas Luísa não aceitou dizendo que ela era visita e coisas do tipo... Alexandre desceu sozinho após uma hora dizendo que Lipe havia ficado em seu quarto jogando, o que deixou Ana muito preocupada, ela não gostava de sequer imaginar a possibilidade do irmão ficar exposto à certas coisas... _Tia Ana- disse a pequena Melissa- você é “namolada” do tio Xande, não é? _Não... nós somos... amigos- Ana teve dificuldade para dar a 124
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! resposta , Melissa olhava para ela com aqueles olhinhos infantis cheios de curiosidade. _Amigo não! Namolada! - insistiu a menina. _Me-menininha do titio- Alexandre começou com certo nervosismo mas conseguiu se recuperar rapidamente- pare com isso, a Ana vai ficar triste. _Você vai, titia Ana? _Eu não vou ficar triste com você, querida!- ao dizer isso lançou um olhar de reprovação para Alexandre. _Vem aqui, tio Xande! Senta com a tia Ana- enquanto falava Melissa puxava a mão do tio. _Meli, solta o tio- pediu Alexandre chamando a menina pelo apelido dado por ele- eu preciso ver o Lipe. _” Tô muito braba”- disse a menina fazendo uma careta. Alexandre subiu as escadas rapidamente e Joyce foi logo se desculpando com Ana, ela havia acompanhado tudo. _Tudo bem, Joyce! A Melissa é uma graça! Você vai à igreja hoje?- perguntou Ana olhando para Melissa- Eu vou ficar ajudando na classe das crianças de 4 a 6 anos. _Legal! Eu tenho 4 anos vou ficar com você, o Lu não! _Que bom que você vai ajudar, eu fico às vezes, elas sempre precisam de mais alguém para cuidar das crianças. Quando saíram da casa do Dr. Afonso eram quase cinco horas, Lipe ficou, Alexandre o levaria depois, o que muito desagradou Ana. _Pai, você não deveria ter deixado o Lipe lá, ele vai se atrasar para o culto- disse Ana assim que ficaram sozinhos no carro. 125
    • Tânia Gonzales _Alexandre prometeu trazê-lo logo, Ana pare de implicar, eu fico feliz que o seu irmão faça amizade com ele, é um bom rapaz, estuda, trabalha, é esforçado na igreja, muito educado, boa família. Eu só não estou entendendo vocês dois... _Como assim? _Você e o Alexandre, eu perdi alguma coisa? Estou com a impressão que vocês tiveram algum problema, estou certo? _Que problema, pai? _Não sei, gostaria muito de saber. Eu estava até pensando que o Alexandre ia pedir permissão pa... _Pai – interrompeu Ana- ele não vai pedir nada, você tem cada ideia! Podemos mudar de assunto? O almoço estava delicioso, né? E assim Ana conseguiu evitar o assunto que ela tanto temia. Ouvir o pai falar daquele jeito sobre Alexandre fez ela se sentir mais triste ainda, que decepção eles teriam! Alexandre trouxe Lipe uns trinta minutos depois da chegada de Roberto e Ana em casa, não quis entrar dizendo que já iria para igreja, tinha algumas coisas para resolver com o pastor. Ana ficou com as crianças de 4 a 6 anos, Melissa estava toda animada e não desgrudou dela o tempo todo. Simone também ajudou na mesma classe de Ana, o que foi muito agradável para ambas. _Só você, Ana, para me convencer a fazer isso, mas bem que eu estou gostando, estas crianças são tão divertidas e sinceras, faz bem estar no meio delas- confessou Simone bem baixinho no ouvido de Ana. 126
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! Naquela noite, Ana ficou pensando em tudo o que havia acontecido no almoço, se não existisse aquela história... teria sido perfeito, a família ali toda reunida e se dando tão bem, era mesmo uma pena. Ela ficou imaginando se haveria um jeito de ajudar Alexandre, será que ela deveria contar para alguém? Mas quem? O mês de março estava voando, Ana ia trabalhar na papelaria do tio todas as tardes, às vezes ficava com Sabrina que nunca mais havia mencionado o assunto, outras vezes com Carol, que sempre dava um jeito de perguntar sobre Alexandre, mas Ana desconversava. Os dois só se viam nos fins de semana na igreja sempre com muitas pessoas ao redor, o que era ótimo para Ana. A peça da Páscoa estava bem adiantada, ela e Alexandre faziam as partes com se nada tivesse acontecido, mas depois era como se existisse uma parede entre eles. Alexandre, estava muito magoado, preferiu não insistir apesar de não estar entendendo o porquê de tudo aquilo. Ana passava o seu tempo livre lendo, ela não suportava ficar sem nada para fazer, pois sempre acabava chorando. Como seria bom se sua mãe estivesse ali, Ana tinha certeza que teria contado para ela e a mãe certamente saberia o que fazer. Ela aproveitou para terminar “ Lua Nova”15 o segundo livro da série “ Crepúsculo “16, que Carol havia emprestado. Apesar de não gostar de histórias sobre vampiros, ela se interessou pelo livro. Ana admirava o protagonista da história, Edward 15 Autora:Stephenie Meyer 16 Autora:Stephenie Meyer 127
    • Tânia Gonzales Cullen, não pelo fato dele ser forte, veloz, lindo, etc; mas pelo amor que ele sentia por Bella, pela sinceridade dele, pelo sacrifício que ele fazia para estar ao lado dela e pelo sacrifício que fez ao se afastar dela ao perceber o quanto era perigoso para Bella conviver com sua família. Ana sempre lembrava das aulas de Beth, em uma delas, a professora falou a respeito do quanto Edward se sacrificava para ficar ao lado de Bella, ele enfrentava sua própria natureza só para ficar ao lado da amada. E Ana achava muito interessante as comparações que Beth fazia. O cristão, dizia Beth, também precisa ir contra a sua natureza pecaminosa, veja o exemplo do apóstolo Paulo, “ porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço, mas, se eu faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, e sim o pecado que habita em mim.” 17. Edward não escolheu ser o que é, mas ele se esforça todos os dias para não ser um monstro, existe uma força dentro dele que pede algo, mas ele diz não, para dizer sim à força do amor e este amor prevalece. Nós também podemos dizer sim à força do amor de Deus e dizer não ao pecado, e um detalhe importante, temos um aliado nesta batalha, o Espírito Santo de Deus que nos ajuda em nossas fraquezas. Ana admirava muito a professora Beth, ela era uma professora diferente. Ela não dizia: “ meninas vocês não podem ler este tipo de livro ou assistir a este tipo de filme “; mas sempre tinha uma lição para dar, sempre falava sobre a importância de ser equilibrado em tudo. E Ana achou muito interessante o fato de Beth ler os livros para poder conversar com elas com propriedade. Ela 17 Romanos 7.19,20 128
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! gastou horas lendo para falar com um grupo de meninas adolescentes, só porque descobriu o interesse delas pelo assunto. Ana sabia muito bem que aquilo tudo era uma obra de ficção, mas gostava de pensar que poderia ser possível existir alguém tão sincero e apaixonado quanto Edward Cullen. Ana não queria alguém perfeito, mas ela gostaria que existisse alguém capaz de passar horas conversando, querendo saber mais sobre ela, alguém que realmente se importasse. Mas, seria mesmo possível? Depois da história de Simone e de tudo que Sabrina lhe havia contado era muito difícil acreditar. Ana também leu um livro indicado por Beth chamado “Em seus passos, que faria Jesus?”18; que conta a história fictícia do reverendo Maxwell, que após a visita de um estranho , resolve propor aos membros de sua igreja que se comprometam por um ano a não fazer nada sem antes perguntar o que Jesus faria se estivesse na mesma situação. Ana gostou muito do livro, achou-o desafiador. Alexandre passou o mês de Março estudando muito, no trabalho havia muitos programas para serem desenvolvidos, o que era ótimo. O distanciamento que Ana havia imposto era muito difícil para ele, por isso ocupar a mente era a melhor saída. Também aproveitou as horas livres para entrar no mundo da leitura, Ronaldo havia comentado sobre um interessante livro chamado “ Em defesa de Cristo”19 ; o autor, um jornalista ex- ateu, relata sua busca pela verdade sobre a 18 Autor: Charles M. Sheldon 19 Autor: Lee Strobel 129
    • Tânia Gonzales existência de Jesus. O livro tem uma série de entrevistas com autoridades sobre o assunto. Alexandre estava achando o livro fascinante. Um dia, a vó de Ana havia feito um bolo de cenoura e foi levar para os netos, como Ana estava sozinha, aproveitou para perguntar algo que a estava incomodando. _Aninha, eu preciso te fazer uma pergunta. _Tudo bem, vó, pode falar. _Querida, eu tenho notado uma tristeza tão grande em você. O que está acontecendo? _Comigo? Nada, vó! _Não tente me enganar, por favor! Você pode se abrir comigo. _Vó Telê, não está acontecendo nada... _Então, eu tenho que ser mais direta; Aninha, eu percebi que você e o Alexandre estavam tão ... como eu posso dizer... próximos, é isso mesmo, tão próximos. Ele até levou você para jantar no restaurante onde Roberto trabalha, eu cheguei a pensar que vocês estavam namorando. _Não, vó, a senhora se enganou... eu o conheço há tão pouco tempo! _Você acha que eu não percebo as coisas? O que aconteceu, minha neta? _Vó, não se preocupe eu estou bem. Não quero que fique pensando essas coisas... _Não tente me enrolar, você não está bem! Será que a Sabrina tem alguma coisa a ver com isso? O coração de Ana disparou, a vó saberia da história? 130
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Não, vó! _Eu acho que ela tem tudo a ver com essa história! Querida, quando a Sabrina e o Alexandre começaram namorar eu fiquei feliz e ao mesmo tempo muito apreensiva. Alexandre é um ótimo rapaz, amo aquele menino como a um neto, que rapaz trabalhador! Temente a Deus e ainda por cima ele é um gato, como dizem vocês- ao falar assim Vó Telê deu um largo sorriso- mas eu logo vi que não ia durar, a Sabrina é uma moça linda, muito atraente, mas não tem juízo, vai à igreja por obrigação e não por amor. Quando eles terminaram ninguém ficou surpreso, pois era algo que todos esperavam. Quando eu percebi a aproximação de vocês eu fiquei feliz, pois você é tão interessada nas coisas de Deus, é uma menina de ouro e pensei, agora sim tem tudo para dar certo. Querida, me diga a verdade, a Sabrina está envolvida nisso, não está ? _Vó, esqueça isso, vamos tomar um cafezinho? _Vamos sim, mas nossa conversa não acabou. Eu tenho certeza que a Sabrina fez alguma coisa para vocês se afastarem, tenho certeza! _Vó linda, pare de se preocupar... _Eu estou orando por vocês, Aninha! Eu sei que existe algo para ser esclarecido e Deus vai te guiar. Tenho certeza. Se você quiser se abrir comigo, fique à vontade, senão eu vou entender e vou continuar te ajudando em oração, querida! Neta e vó se abraçaram e compartilharam um delicioso bolo de cenoura com café. Depois que a vó foi embora, Ana ficou pensando em como a vó Telê era observadora e esperta, mas ela não iria contar, Ana sabia o quanto a vó admirava 131
    • Tânia Gonzales Alexandre, com certeza seria um duro golpe para ela. “A verdade é doce e amarga: quando é doce, perdoa; quando é amarga, cura.” Agostinho Capítulo 11 -Esclarecimentos No último sábado de março, Ana foi ao ensaio da peça e quando terminou Beth pediu para ela esperar pois queria muito conversar com ela. _Ana, eu preciso muito ter uma conversa com você, mas não aqui, eu gostaria que você fosse à minha casa, poder ser? _Tudo bem, Beth, eu só preciso ligar para o meu pai. Durante o caminho para a casa de Beth Ana ficou pensando qual seria o assunto da conversa e se preocupou com a possibilidade de ter alguma coisa a ver com Alexandre. Beth morava com a mãe, a irmã Maria, em um bonito apartamento bem próximo à igreja. Passaram alguns minutos conversando com ela e saboreando um café com pãezinhos caseiros que a mãe de Beth fazia com o maior carinho. Depois foram ao quarto de Beth. _Ana, eu vou direto ao assunto, eu quero te ajudar. Eu sei que está acontecendo alguma coisa séria entre você e o Alê, só não sei o que é. Eu percebi, me desculpe se estou sendo indiscreta, que vocês dois estavam sempre próximos um do outro, principalmente no retiro, e eu só estava esperando o momento que vocês iriam oficializar o namoro. _Beth, eu e o Alexandre...não tem nada a ver. 132
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Ana, por favor! Eu não quero te forçar a falar, você é livre para dizer o que quiser ou não dizer nada, mas eu percebi há algumas semanas que vocês só conversam o essencial, participam do grupo de teatro, contracenam o tempo todo, vocês estão trabalhando muito bem na peça, eu não tenho razão para reclamar, mas eu percebo uma tristeza tão grande em você e o Alê está tão diferente! Ana eu estou aqui como uma amiga que quer muito ajudar, confie em mim... Neste momento Ana não aguentou mais e começou a chorar, Beth a abraçou e elas ficaram por alguns instantes em silêncio. _Beth, eu preciso mesmo desabafar com alguém, outro dia eu fiquei pensando na minha mãe e de como ela me faz falta, se ela estivesse aqui eu não precisaria ficar guardando tudo... é tão difícil! Como eu sinto saudades! _Ana, eu imagino o quanto dói a ausência dela, mas Deus sempre nos envia alguém para ajudar, hoje eu estou aqui, pode contar comigo. Antes que você comece eu gostaria de compartilhar uma experiência bem desagradável que eu tive. Quando eu tinha 24 anos, conheci um rapaz de 26 anos chamado Sérgio, eu gostei dele desde o primeiro dia, ele foi convidado pelo líder de jovens da época para cantar em um culto. A voz dele era belíssima, os hinos tocavam profundamente. Ele era simpático, extrovertido, divertido e ainda por cima muito bonito. Ele tinha um sonho de um dia gravar um CD, fazia teologia, trabalhava em um instituição bancária e havia cursado a faculdade de administração. Começamos a namorar depois de 3 meses. Tudo era 133
    • Tânia Gonzales maravilhoso, Ana, as famílias se davam bem, ele sempre estava na ICVV, mesmo sendo de outra igreja, sempre dava um jeito de estar lá pelo menos para me buscar. Depois de 3 anos de namoro ficamos noivos e começamos a procurar um apartamento, escolher móveis e outras coisas mais. Um dia ele me ligou, fazia 5 meses que estávamos noivos, disse que não dava mais para continuar com o noivado e me pediu desculpas por todo o transtorno que iria causar. Eu disse pra ele que não era assim, que nós deveríamos conversar, que precisávamos dar uma explicação para a família, mas ele me informou que naquela noite viajaria para Recife, iria morar lá. Ana, eu não queria acreditar , o que teria acontecido? Fui até a casa dele mas ele já havia partido, os pais dele pediram mil desculpas, até choraram dizendo que estavam envergonhados com a atitude do filho mas não poderiam fazer nada. Depois de alguns meses eu descobri que ele havia se casado com a filha de um grande empresário lá de Recife, que veio passar as férias aqui em São Paulo um ano antes, eles se conheceram através de uma prima dele e começaram a conversar pelo telefone e internet. E foi isso. Eu fiquei abismada, se já estava conversando com ela há um ano porque ficamos noivos? Como foi difícil aceitar o fato e enfrentar o questionamento de todos... _Sinto muito, Beth! Não para entender certas atitudes. Pessoas que se dizem cristãs fazer uma coisa dessas! _Eu sei, Ana. Sabe, o que mais me dói é ele ter terminado tudo pelo telefone; ele não teve sequer a coragem de me encarar. Então eu sei que é muito difícil confiar nas pessoas, 134
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! porque quando você pensa que as conhece, de repente pode ter uma desagradável surpresa. Quer falar agora? Está pronta? Ana concordou e passou a contar sobre a conversa que teve na papelaria com Sabrina. _Ana, isso é muito sério! Mas é tudo muito estranho, pois eu lembro bem que depois que os dois terminaram o namoro, a Sabrina sempre ficava atrás de Alexandre, todos sabiam que ela queria voltar, isso era tão óbvio! Agora ela conta esta história, alguma coisa está errada. Se o que ela contou é verdade, por que ela iria querer reatar o namoro? Você concorda? _É, você tem razão! Eu não sei, estou tão confusa! Eu gostaria tanto que tudo isso fosse mentira. Eu não quero prejudicar o Alexandre. _Eu acho tão difícil acreditar no Alexandre tendo este tipo de atitude. Eu o conheço desde pequeno, eu lembro quando ele tinha 5 anos e eu era uma adolescente. Eu sei que ele é homem e também sei muito bem que as aparências enganam, mas mesmo assim, Ana. Tem alguma coisa muito errada nesta história. Eu não posso falar agora, mas esta parte que ela contou sobre pornografia na net... eu conheço uma história, eu acho que deve ser a mesma. _O que você sabe, Beth? _Eu não posso falar agora, Ana, eu vou conversar com o Alexandre, ele merece ter uma oportunidade para se explicar. Fique tranquila, confie em Deus. Tudo vai ser esclarecido. Beth ainda conversou com Ana por alguns minutos e depois a levou para casa. Ana estava bem mais tranquila, conversar 135
    • Tânia Gonzales com Beth ajudou bastante. A professora não quis esperar para começar a esclarecer tudo, ligou para Alexandre e combinou encontrar-se com ele no shopping. _Alê, eu tenho um assunto delicado para conversar com você, eu até pensei se não seria melhor contar tudo para o Ronaldo e ele ter esta conversa com você, mas como a Ana confiou em mim, eu achei melhor assim. _Beth você está me assustando! Que assunto é este? _Calma, eu vou explicar tudo, acho que eu não preciso ter vergonha de você, a gente se conhece há tanto tempo, né? Bem, eu conversei com a Ana hoje, porque eu percebi que existia alguma coisa errada entre vocês dois. Eu estava esperando a qualquer momento receber a notícia que vocês estavam namorando. Pelo jeito dos dois se olharem e tratarem um ao outro, você sabe! _É Beth, eu também pensei! Era exatamente isso que eu ia fazer, eu já tinha decidido pedi-la em namoro no final de semana após o retiro, mas não sei por quê tudo mudou... _Eu sei o que aconteceu, mas primeiro eu gostaria que você me contasse qual o motivo do término do namoro entre você e a Sabrina, por favor seja sincero! _Beth, eu... não queria falar sobre isso, acho que é um assunto muito … _Alê, eu preciso saber, só assim eu posso contar o que está acontecendo com a Ana. _Está certo... a Ana me fez a mesma pergunta e eu não respondi e eu sei que ela não gostou, mas é muito chato falar sobre isso... bom... eu comecei namorar a Sabrina e confesso 136
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! que foi só pela aparência dela, ela é muito bonita, eu me senti atraído por ela. Poucos dias depois eu percebi que tudo o que ela tinha era só aparência mesmo, desculpe Beth eu acho bem desagradável falar estas coisas mas você que pediu; eu vi que nosso namoro não ia dar certo, a Sabrina é tão desligada da igreja, não tem responsabilidade, só quer curtir e eu não queria isso pra mim. Bom , eu fui levando, depois de uns três meses de namoro, ela começou com uma história de que o nosso relacionamento era muito morno... - ao dizer isso Alexandre fez uma pausa, para escolher melhor as palavras- que ela queria algo mais, ela me disse que as amigas dela contavam umas coisas que elas faziam é... no namoro e ela não queria ficar só nos beijinhos, foram as palavras que ela usou, Beth. _Tudo bem, Alê, não fique constrangido. _Eu desconversei e ela ficou muito brava, dizia que eu a estava desprezando e os meus amigos iriam saber que eu não tinha coragem, coisas do tipo... depois daquele dia eu sempre procurava fazer de tudo para não ficar sozinho com ela, eu sou homem, Beth, eu não queria ficar tão perto da tentação. Uma garota ... me de-desculpe...mas, uma garota se oferecendo assim, é complicado. _Alê, estou entendendo o porquê de você não querer falar sobre isso com a Ana. _É bem deselegante um homem falar sobre outra mulher assim, pelo menos é o que eu acho. _Claro que é! Você tem toda a razão. _Um dia eu cheguei na casa dela e ela me disse que o 137
    • Tânia Gonzales Gustavo havia acabado de ligar dizendo que estava precisando de uma ajuda com o PC dele que estava com um vírus e queria que eu fosse até lá, eu concordei na hora. Quando nós chegamos lá, o Gustavo ia me mostrar o computador, de repente ele disse que precisava dar uma saída rápida para comprar alguma coisa a pedido da mãe dele e já voltava. Eu fui olhar o PC dele, a Sabrina chegou perto de mim dizendo que estava tudo certo com o computador que era só uma desculpa para nós irmos para casa dele, que estava vazia, pois os pais e a irmã dele, a Priscila, estavam viajando e só voltariam no outro dia. Ela me contou que era uma ótima oportunidade para nós dois... eu disse para ela que seria melhor nós irmos embora, ela ficou insistindo e começou a me beijar e ... eu me levantei e falei pra ela que isso não era certo que se a gente fizesse alguma coisa ali depois ela ia se arrepender. Ela ficou muito brava, disse que eu não era homem... foi bem desagradável. Eu aproveitei e disse pra ela que queria terminar o namoro, ela ficou falando umas coisas e eu resolvi sair e deixei ela lá. _Alê, Alê! Isso explica muita coisa... _O que a Sabrina andou contando pra Ana? _Eu vou te contar tudo, se prepara... Beth contou toda a história da conversa das duas primas naquela tarde na papelaria, Alexandre ficou muito desapontado, parecia não acreditar no quanto Sabrina havia mentido. _Mas que absurdo! disse Alexandre com indignação assim que Beth terminou o seu relato- como que a Sabrina teve a 138
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! coragem de inventar tudo isso? Não dá pra acreditar! Agora dá pra entender a fuga da Ana. Ela estava fazendo de tudo para ficar bem longe de mim. Dá pra entender, para aceitar é que não dá, a Ana podia ter aberto o jogo comigo, nós conversamos tanto! Por que ela não me disse nada? _Alê, você precisa concordar que é tudo muito complicado para Ana, você acha que ela teria a coragem de falar esse tipo de coisa pra você? E pense bem, ela te conhece há pouco tempo. _A história sobre os sites você lembra bem, não é? _Eu lembro, o Gustavo se libertou mesmo disso, né? _Sim , ele diz que nunca mais olhou esse tipo de coisa, eu acredito nele. Eu lembro que na época o pai dele pediu pra você dar um jeito para impedir que ele entrasse nos sites impróprios. _Eu ajudei , mexi no PC, fiz uma bela limpeza em primeiro lugar. O Ronaldo conversou muito com ele. Gustavo está bem, Beth. Ele está se esforçando para conservar a mente pura. Agora A Sabrina vem e desenterra essa história a troco do quê? _Ela usou uma história verídica só mudou o protagonista. _Ela só ficou sabendo porque sempre frequentou a casa, ficava horas lá conversando com a Priscila, em um daqueles dias ela entrou no quarto dele, o PC ficava lá antes do pai dele descobrir o que Gustavo andava fazendo, e viu por onde ele navegava, ela acabou usando isso para convencê-lo a me deixar sozinho com ela na casa dele. O Gustavo, depois que ficou sabendo que nós terminamos o namoro, me contou 139
    • Tânia Gonzales tudo. _Isso não pode ficar assim, Alê, o quê você acha de uma reunião com todos os envolvidos? _Não sei Beth, eu não gostaria de envolver o Gustavo nesta história, ele não precisa passar por toda essa exposição e muito menos a Ana. _O Gustavo eu acho que até dá pra dar um jeito, mas a Ana... _Eu acho que ela não deveria participar da reunião. _Eu vou conversar com a Lígia , quero saber a opinião dela, o que você acha? - perguntou Beth, mencionando a esposa do pastor Jair. _Concordo, depois ela mesma fala com Pr. Jair. _Alê, não fale com a Sabrina, vocês vão acabar brigando, tenha paciência. _Você tem razão, mas a vontade é de ir até a casa dela... _Eu sei, mas isso só iria atrapalhar. Beth prometeu falar com Lígia no dia seguinte, garantiu que daria um jeito apesar de que teriam um domingo bem diferente, pois ela iria para o centro de recuperação em Suzano, um ônibus sairia da igreja. Alexandre disse que também iria passar o dia na chácara. Ele foi para casa e ficou aliviado por não ter ninguém lá, os pais tinham ido visitar uns amigos. Não queria explicar nada, não hoje, estava muito magoado. Beth resolveu ligar para Ana e contar tudo. Ela ficou aliviada e ao mesmo tempo se sentiu péssima por ter acreditado em Sabrina. Após a conversa com Beth, chorou muito e lamentou precisar sair no dia seguinte logo cedo, pois os olhos com certeza estariam inchados; Roberto e os filhos 140
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! também iriam aproveitar para conhecer o centro de recuperação da igreja, ele havia se oferecido para ajudar na cozinha; não daria para Ana arrumar uma desculpa. Os trabalhos de domingo da ICVV seriam normais, pois só um ônibus iria para chácara. Beth seria substituída por Vera em sua classe e ficou feliz por saber que Lígia, esposa do Pr. Jair também iria à chácara. Ana entrou no ônibus, os primeiros lugares já estavam ocupados, achou um lugar nos fundos, sentou-se e reservou a poltrona ao lado para seu pai. Roberto entrou com o filho e Alexandre subiu logo em seguida. _Oi , Alexandre, graça e paz- cumprimentou Roberto. _Roberto, graça e paz, e aí Lipe, tudo bem?- respondeu Alexandre ao mesmo tempo que olhava ao redor para saber se Ana também estava lá. Roberto logo viu a filha que fez um sinal para ele, se aproximou mas não sentou ao lado de Ana, apontou a poltrona para Alexandre dizendo: _Alexandre, eu vou te pedir um favor, eu preciso sentar com meu querido filho, quero trocar umas palavrinhas com ele, você sentaria com a Ana? _E-e-eu? Se ela concordar... _Claro que sim, não é filha? _É claro, pai... Roberto sentou-se três fileiras à frente de Ana e Alexandre, o ônibus não estava cheio por isso eles ficaram um pouco afastados dos demais. Beth entrou e logo percebeu a situação, mas sentou-se ao lado de Lígia que havia reservado um lugar. 141
    • Tânia Gonzales _Você está bem? - perguntou Alexandre assim que o ônibus andou. _Estou. _E a Carol ? _Ela bem que queria ir para a chácara também, mas meus tios iam ter visita hoje para almoçar, uns parentes que há muito tempo eles não viam, meu tio queria que a família estivesse completa. _Não são parentes seus também? _Não, são primos do tio Rubens. _Entendi. Eu não sabia que você viria. _E se soubesse você viria assim mesmo? _Sim, eu preciso ver o Carlinhos. Ana, eu já sei o motivo do seu... distanciamento- disse Alexandre em um tom mais baixo. _Eu sei... e peço desculpas. Sinto muito- Ana falou olhando diretamente para os olhos azuis, em seguida desviou o olhar e abaixou a cabeça. Por alguns minutos eles permaneceram em um silêncio insuportável, até que Alexandre reiniciou a conversa. _Por que você não me contou? Eu fiquei todos estes dias sem resposta, não entendia a razão de você me evitar. Você deveria ter falado comigo, como pôde acreditar na Sabrina? Você entendeu agora porque eu não queria lhe responder sobre o término do namoro com ela, entendeu? “ Ele está furioso”- pensou Ana- “ Está mesmo bravo comigo e não gaguejou , agora eu descobri que isso só acontece quando ele fica com um certo nervosismo, por timidez, é isso, mas como é que eu posso chegar a esta 142
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! conclusão em um momento como este? Só eu mesmo”. _Ana, responda! _Entendi, me desculpe, eu sei que errei, você não merecia, mas eu me sinto aliviada por tudo isso ser uma grande mentira. Eu fiquei pensando que decepção as pessoas teriam, você é admirado por muitos e ... _Eu não estou preocupado com a admiração das pessoas, eu só queria que você confiasse em mim, depois de todas as nossas conversas, depois do nosso pri... Alexandre não continuou mas Ana sabia o que ele queria dizer, ele estava se referindo àquela noite que eles foram ao restaurante de Miguel e depois ao shopping... àquele momento tão especial do primeiro beijo deles. _Eu me senti tão mal com a distância que você colocou entre nós, fiquei pensando se eu tinha feito alguma coisa errada, ou falado algo … eu não sabia o que pensar, estava tudo indo tão bem entre nós. _Eu sei que errei, você não merecia isso. Mas eu fiquei tão confusa... _A Beth vai marcar uma reunião com todos os envolvidos, mas eu não quero que você participe. _Por quê? Por causa da minha idade? Não posso participar de uma reunião como esta? _Pare com isso, Ana! Eu acho melhor assim, sua família toda envolvida nisso... _Mas eu estou envolvida, eu tenho que assumir o meu erro... _É melhor nós conversarmos depois, já chegamos- avisou Alexandre. 143
    • Tânia Gonzales A manhã foi dedicada para conhecerem a chácara, pois a maioria estava ali pela primeira vez. Era um lugar muito agradável, tinham pomar, horta, quadras de esportes, piscina, uma pequena biblioteca, refeitório, um salão para realização dos estudos e cultos. A casa tinha 5 espaçosos quartos, cada um com 6 camas; cozinha e sala bem amplas e havia 3 banheiros dentro e mais 2 do lado de fora da casa. Eles ficaram sabendo que havia um quarto reservado para os visitantes guardarem seus pertences. No momento eles estavam com 21 jovens morando ali. Ana ficou muito feliz por ver Carlinhos, demorou um pouco para reconhecê-lo estava muito diferente do dia em que ele apareceu no ensaio do grupo de teatro. Era um rapaz bonito e muito simpático. Os pais de Carlinhos e sua irmã Cíntia, ficaram muito felizes em revê-lo, foi emocionante vê-los abraçados. Beth aproveitou a oportunidade e foi dar uma caminhada pela chácara com Lígia. Ana aproveitou para ajudar seu pai na cozinha. _Precisando de ajuda, chefe? - perguntou Carlinhos ao aparecer na cozinha. _Uma ajuda é sempre bem-vinda. Vou apresentar minha equipe: esta é minha filha Ana, e esta outra eu sei que você conhece bem, é a que manda aqui!- Roberto estava se referindo à irmã Elisa, responsável pela cozinha da chácara e esposa do Pr. Luís que era o diretor da chácara- este é Paulo, meu companheiro de aula na EBD, ele é xará do meu irmão que é pastor em Santa Fé. 144
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Prazer em conhecê-los, Ana eu não lembro de você lá na igreja, eu tenho certeza que se eu tivesse visto você alguma vez eu não teria esquecido- disse Carlinhos. Neste momento Alexandre entrou na cozinha e foi logo esclarecendo. _Ela já o viu uma vez, mas você não estava em condições... _Ah! Foi naquele dia em que eu sujei sua linda camisa, não foi? _Exatamente. _Meu maninho do coração, só você pra aguentar – dizendo isso Carlinhos deu um abraço em Alexandre. _Então Ana, eu estou diferente daquele dia? - perguntou Carlinhos com curiosidade. _Com certeza, eu nem te reconheci hoje. Você está ótimo. Fico muito feliz por isso. _É Jesus quem faz estas coisas na vida da gente. Ele é tudo na minha vida. _E aí, vocês vieram aqui pra ajudar ou conversar? - perguntou Roberto rindo. E assim até Alexandre deu uma mãozinha na cozinha; Beth depois da rápida conversa com Lígia também entrou na equipe de Roberto. No cardápio: arroz à grega, um feijãozinho bem temperado, carne assada com batatas, vários tipos de salada com folhas e legumes fresquinhos, sucos e refrigerantes para aqueles que não conseguiam manter distância dos engarrafados nem em uma chácara. O almoço foi muito divertido, os jovens do centro de recuperação estavam muito animados com a visita daquele domingo. 145
    • Tânia Gonzales Pastor Luís, responsável pelo trabalho ali, fez uma oração especial de agradecimento a Deus por todos os presentes. À tarde depois do devido descanso do almoço, eles assistiram uma partida de futebol entre os 2 times da chácara, Lipe entrou em um dos times e fez um belo gol, o que deixou Roberto todo cheio de orgulho. Lígia aproveitou para conversar com Ana e assegurou que tudo seria resolvido da melhor maneira possível para não criar atritos entre as famílias envolvidas. Eram 17h quando o Pr. Luís iniciou o culto na chácara. Houve um momento especial de louvor e depois todos puderam ouvir testemunhos de alguns jovens em tratamento. Carlinhos foi dos que falaram. _Eu estou muito feliz por ter a oportunidade de passar um dia inteiro com a minha família, se vocês me perguntarem qual foi a última vez que isso aconteceu eu não saberia dizer, porque eu andei tão perdido que não via mais ninguém na minha frente. Só a droga da droga! Era só ela que eu via, e ela é tão exclusivista e egoísta que não te permite olhar para mais ninguém. Eu peço desculpas a meus pais, minha irmã, eu sei que os fiz sofrer muito, me perdoem por toda vergonha que eu os fiz passar. Eu também peço perdão à minha família do coração, vocês também sofreram junto conosco, eu amo todos vocês. Pr. Jair que não pôde vir hoje, mas sempre está aqui conosco com todo seu carinho e sabedoria, ele é uma benção; Pra. Lígia, quantos conselhos vindos de Deus saíram diretamente da sua boca; Pr. Luís e a irmã Elisa, vocês moram no meu coração, como são dedicados no trabalho de 146
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! Deus! E eu agradeço em especial ao meu maninho do coração, Alê, que é um presente de Deus na minha vida, “ eu preciso de ti querido irmão, precioso és para mim querido irmão”20! Eu te amo Jesus!Te agradeço pela minha liberdade! Foi um momento inesquecível para todos, muitas lágrimas e glórias foram dadas ao Deus que só faz maravilhas. O culto terminou com todos louvando:“ Te agradeço por me libertar e salvar, por ter morrido em meu lugar, Te agradeço, Jesus te agradeço, eu te agradeço, Te agradeço... “21 Ana estava muito feliz por não ter permitido que toda aquela história de Sabrina interferisse em sua ida à chácara, com certeza ela teria perdido muito, pois foi uma grande benção para todos. Ela entrou no ônibus e sentou-se no mesmo lugar, imaginando se Alexandre iria sentar-se ao lado dela novamente. Ana observou que Lipe sentou-se com Samuel, um amigo da classe da EBD, então logo chegou a conclusão de que quem sentaria ao seu lado seria seu pai, mas ficou surpresa quando viu o pai entrar e dar passagem para a professora Beth, que sentou-se para em seguida Roberto se posicionar a seu lado. Ana achou a situação interessante. Alexandre foi quase o último à entrar. O coração de Ana estava batendo muito rápido, a expectativa era grande, pois havia alguns lugares vagos no ônibus e pensar na possibilidade dele manter distância... Ana ficou aliviada quando viu que Alexandre se aproximava. 20 Louvor: “ Corpo e família” 21 Louvor: “ Te agradeço”- Diante do Trono. 147
    • Tânia Gonzales _Posso me sentar aqui com você novamente ou eu sou “ persona non grata “22 ? _Você é “ persona grata “23, sempre! - respondeu Ana com um sorriso, ao perceber que ele estava de bom humor. _Gostei, principalmente do “ sempre “. _Eu pensei que você havia gostado do meu latim. _Também! Bom , acho que eu nem preciso perguntar se você gostou do dia na chácara, né? _Amei! Eu estava aqui pensando como foi bom não deixar que certas coisas atrapalhassem... _É verdade. Muito legal o testemunho do Carlinhos... _É mesmo! Foi lindo! _A pastora Lígia falou alguma coisa sobre aquele assunto? _Ela só disse que tudo vai ser esclarecido, a reunião vai ser marcada; eu fiquei pensando que seria melhor já contar para o meu pai, o que você acha? _É, talvez seja melhor mesmo, mas não se esqueça de não mencionar o nome do Gustavo. _Quanto a isso você pode ficar tranquilo. _O que você estava ouvindo? - perguntou Alexandre apontando para o fone de ouvido do celular de Ana. _Quer ouvir? - perguntou Ana passando o celular para ele. _Tome um pra você, vamos ouvir juntos... Eles ficaram em silêncio um ao lado do outro, enquanto escutavam: “ Eu sou como vento passageiro, que aparece e 22 Latim: pessoa que não é bem-vinda. 23 Latim: pessoa que é bem-vinda. 148
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! vai embora, como ondas no oceano, assim como o vapor...”24 _Eu gosto muito desta música- disse Ana- ela me faz pensar em como a vida é curta, mas eu não penso com tristeza, sabe? Ela me coloca no meu devido lugar, porque às vezes a vida vai passando sem que você se dê conta do quanto ela é preciosa e única. O tempo passa tão depressa que você precisa dar valor a que realmente tem valor. Nos dias que estamos vivendo as pessoas ficam perdendo tempo com coisas passageiras, como por exemplo o apego ao dinheiro, se você morrer não vai poder levar nada. Deixam de passar momentos com a família para estar no meio de um monte de gente que nem se importa com elas. Outro exemplo é a preocupação exagerada com a aparência, o culto ao corpo. É um tal de não estou satisfeito com isso, não estou satisfeito com aquilo. Muitos não param para pensar que todas estas coisas são passageiras, se preocupam tanto com este corpo que um dia vai acabar e se esquecem de cuidar do seu interior. Nós temos que lembrar que esta vida é como o vapor, para não perdermos o foco, Tiago diz isso, né? _Tem razão pastora Ana! Deixa eu procurar pra você, vamos aproveitar bem o seu momento filosófico- brincou Alexandre para em seguida pegar a Bíblia que estava em sua mochila e ligar a luz, pois já passava das 20h- vejamos... Tiago... não fuja de mim... achei, eu não queria passar vergonha com uma garota tão Bíblia ao meu lado! _Para com isso! _Tiago 4.14 : “ Vós não sabeis o que sucederá amanhã. Que é 24 “ Quem sou eu? “ PG 149
    • Tânia Gonzales a vossa vida? Sois, apenas, como neblina que aparece por instante e logo se dissipa.” _É isso aí! _Eu já entendi! Você é muito esperta, Ana!- constatou Alexandre rindo muito. _O que foi, o que é tão engraçado e por que eu sou tão esperta? _Você fica me dizendo estas coisas, daqui a pouco você vai se referir ao versículo : “ Não se ponha o sol sobre a vossa ira”25 ; e aí você vai dizer: Alexandre não é sadio guardar mágoa, libere o perdão... pois a vida é passageira, não vale a pena... _Engraçadinho! Você pensa que eu falei estas coisas de propósito, você acha que foi tudo calculado? _Eu acho! - Alexandre estava se divertindo. _Nossa... se você pensa assim... então eu só estava sendo … uma boba... _Desculpe, Ana! Eu só estava brincando. Não devia ter feito isso, a conversa estava tão boa. Eu pensei na hora, sabe, depois que eu li o versículo, mas eu não acho que você esteve manipulando tudo, foi brincadeira, só pra descontrair um pouco, você estava em um momento tão solene! _Tudo bem, eu não vou me estressar, afinal você merece se divertir um pouco comigo, depois do que eu fiz... _Não, para com isso. Eu gosto muito de conversar com você Ana. Você sempre tem algo a dizer. Por isso que foi tão difícil ficar quase um mês sem falar com você. Ana, você me fez 25 Efésios 4.26 150
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! muita falta, mas do que eu gostaria de admitir. _Eu sinto muito, eu também sofri. Eu criei uma imagem tão linda e de repente algumas palavras mentirosas tiveram força para desfazer. _Eu quero conversar com você depois que tudo ficar esclarecido. Que pena Suzano ser tão perto, estamos chegando- avisou Alexandre. 151
    • Tânia Gonzales "Ama a verdade, mas perdoa o erro.” Voltaire Capítulo 12 -Namoro Quando chegou em casa naquela noite, Roberto ficou sabendo de toda a história inventada por Sabrina. _Por isso que vocês dois estavam tão estranhos!- constatou Roberto- Depois daquele dia do jantar eu estava só esperando o Alexandre vir falar comigo, tinha certeza que ele ia pedir para namorar... _Pai! Não é bem assim... _Aninha, você acha que eu não vou perceber o que está claro diante dos meus olhos? Você deveria ter falado comigo, filha, eu sei que é um assunto delicado, mas que bom que você se abriu com a Beth, ela foi muito sensata e demonstrou ser uma grande amiga. _Você está certo, pai. Eu só deveria ter conversado com ela antes, pelo menos não teria ficado quase um mês nesta angústia! Antes de adormecer Ana ficou pensando sobre o dia passado na chácara, recapitulou tudo em sua mente, principalmente cada palavra dita por Alexandre; como era bom poder conversar com ele novamente. Ana estava abrindo a porta de casa, ao voltar da aula na segunda-feira, quando o telefone contou, era Beth avisando 152
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! que o Pr. Jair havia marcado a reunião para quarta-feira às 21h, se não tivesse problema para Roberto, pois ele fazia questão da presença dele; Beth também informou que já havia adiantado o assunto para sua tia Isabel e que todos se reuniriam na casa do Dr. Afonso. Carol não conseguiu segurar a curiosidade e foi até a casa de Ana para saber o que estava acontecendo, mas Ana a convenceu que seria melhor esperar pelo dia da reunião. A quarta-feira chegou rapidamente e com ela toda a expectativa daquela reunião especial. Rubens combinou com Roberto para irem juntos, então foram todos no carro dele, o que criou uma situação um pouco constrangedora. Só Roberto e Rubens falavam, e o assunto era o preferido pela maioria dos homens: carros. _Agora que estamos todos aqui eu gostaria de convidá-los para uma oração- iniciou Pr. Jair. Na espaçosa sala da família, estavam Dr. Afonso, sua esposa Luísa e Alexandre; Pr. Jair, sua esposa Lígia e Beth; Roberto e Ana; Rubens, sua esposa Isabel e Sabrina. Após orar, Pr. Jair pediu para que todos se sentassem e então continuou a reunião. _Em primeiro lugar eu gostaria de agradecer ao Dr. Afonso e esposa por terem cedido sua casa para esta reunião. Eu sei que todos já têm conhecimento do assunto a ser tratado, vou ler um versículo em Provérbios 18.21 diz “ A morte e a vida estão no poder da língua; o que bem a utiliza come do seu fruto”. O poder da língua não pode ser negligenciado por nós, precisamos ser cuidadosos quanto ao seu uso. Com uma 153
    • Tânia Gonzales palavra você anima aquele que está desanimado, você levanta aquele que está caído, mas também com uma palavra você destrói os sonhos, acaba com a esperança, mancha a reputação de alguém. Sabrina falou algumas coisas bem desagradáveis a respeito de Alexandre para sua prima Ana. Nós não estamos aqui hoje para ficar levantando a questão, lembrando de cada palavra dita, não é este o nosso objetivo; o importante aqui hoje é que as famílias envolvidas fiquem em paz, pois a estratégia preferida de nosso inimigo é atacar as famílias, porque ele sabe que isso mexe com a igreja, pois a igreja é feita de quê? De famílias. Mas ele não vai sair vitorioso, nós vamos colocar um ponto final nesta história, hoje. Sabrina, eu gostaria de passar a palavra para você, por favor filha, fique à vontade, não precisa se levantar fique onde está. _Eu... só queria pedir perdão... eu sei que errei, não deveria ter inventado aquela história. É tudo mentira, o Alexandre não falou ou fez nada do que eu disse. Eu tive a infeliz ideia de inventar e depois eu me arrependi, mas fiquei com vergonha de falar com a Ana. Eu sinto muito Alexandre, Ana, enfim todos. É isso. _Como o maior prejudicado desta história é o Alexandre, eu gostaria que ele falasse agora- disse o pastor. _Eu confesso que fiquei muito magoado com toda esta história, mas é como o pastor disse, devemos colocar um ponto final nisso tudo. Tudo bem Sabrina, você está perdoada. Eu não quero que esta história interfira na amizade que há entre nossas famílias. 154
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Obrigado, Alexandre. Alguém mais quer falar alguma coisa? Eu pergunto agora, porque eu espero que tudo acabe aqui, eu não quero ouvir comentários depois - pediu Pr. Jair. _Eu gostaria de falar- disse Ana. _Ana você não precisa dar nenhuma explicação... - interferiu Alexandre. _Alexandre deixe que ela fale, é melhor que tudo seja esclarecido aqui- pediu o pastor. _Eu preciso dizer algumas coisas. Sabrina, eu não vou guardar mágoas de você, eu também te perdoo. Eu também errei por ter acreditado, se eu tivesse conversado com a professora Beth antes, esta conversa já teria acontecido há algumas semanas. Esta história toda me machucou muito, e eu sei que você ficou magoado-confessou Ana olhando para Alexandre- me faltou coragem para conversar sobre isso com você- - Sinto muito, você não merecia - e olhando para os pais dele- vocês têm um filho maravilhoso... _Muito bem, Ana! Eu tenho certeza que o Alexandre entendeu. Agora, eu gostaria de agradecer a alguém que cuidou de tudo com muita sabedoria. Obrigado Beth, você ajudou muito. Vamos orar agradecendo a Deus por tudo estar em paz novamente. Amém? _Amém, mas depois da oração eu vou trazer um cafezinho- anunciou Luísa. Pastor Jair fez a oração e depois Isabel foi ajudar Luísa com o café. Os outros começaram a conversar, Roberto aproveitou para contar sobre o dia que passaram no centro de recuperação. Só Alexandre, Ana e Sabrina que não estavam 155
    • Tânia Gonzales participando da conversa, cada um permaneceu isolado entregue a seus próprios pensamentos. Rubens teve uma conversa muito séria com a filha assim que chegaram em casa; no outro dia Ana ficou sabendo por Carol que Sabrina estava de castigo por tempo indeterminado, poderia ir nos trabalhos da igreja e na papelaria, qualquer outro programa ela deveria pedir permissão ao pai. No sábado, Sabrina foi ao ensaio da peça da páscoa, ela havia entrado no lugar de Carla que iria fazer o papel de Sara, a esposa de Abraão, mas teria que viajar com os pais no feriado. Sabrina aproveitou que faltavam alguns minutos para o início do ensaio para conversar com Alexandre, ela precisava dizer algo muito importante. _Alê, eu preciso falar com você. _Sabrina, tem certeza disso? _Eu preciso, é bem rápido, mas precisa ser em particular. Alexandre e Sabrina saíram da sala enfrentando alguns olhares curiosos. _Pode falar agora, mas eu não acho que seja uma boa ideia, você lembra do que o pastor disse? _Eu sei, mas eu preciso te agradecer, seria bem desagradável o meu pai ficar sabendo de tudo, você foi bem legal por não ter contado o motivo de nosso namoro ter acabado. Valeu mesmo! _Tudo bem, foi melhor assim. Não ia fazer bem pra ninguém, muito pelo contrário. Vamos esquecer isso, tá? _A Ana ficou sabendo de tudo, não é? _Ela precisava saber, mas não contou pra ninguém. 156
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Então, valeu mesmo! Você é legal! O ensaio foi bem produtivo, conseguiram fazer a peça toda duas vezes. Faltava só uma semana para a apresentação. Era uma história bem contada, começando por Gênesis, sobre a oferta de Caim e Abel, passando por Abraão e Isaque, até chegar no “cordeiro que tira o pecado do mundo”. Ana fazia o papel de uma garota que não conhecia o verdadeiro sentido da Páscoa e Alexandre era o amigo que daria todas as explicações para ela, os outros participantes encenavam várias passagens bíblicas, enquanto ele ensinava para a garota o verdadeiro significado da Páscoa cristã. _Eu posso dar uma carona pra você? - perguntou Alexandre assim que terminou o ensaio. _Tudo bem. - Ana respondeu um pouco envergonhada. _Você está muito bem no papel de Lúcia, sabe mesmo encenar- elogiou Alexandre ao entrarem no carro. _Valeu pelo elogio, você também nasceu pra isso! _Sabe naquela hora que Deus pede Isaque em sacrifício? Eu fiquei imaginando Abraão fazendo uma proposta : “ Deus, não poderia ser Sara?” _Engraçadinho! Você não é mau assim, não combina com você. _Brincadeirinha, eu não resisti, foi só isso! A Sabrina até me agradeceu por ter omitido algumas partes mais comprometedoras. _Legal da parte dela, então foi por isso que vocês saíram antes do ensaio começar... _Ficou com ciúmes? Você ainda não aprendeu o quanto é 157
    • Tânia Gonzales perigoso este sentimento? _Como alguém está animadinho hoje! _Posso? _Claro! Você tem todo o direito! _Mas ficou ou não ficou? _Fiquei o quê? _Com ciúme! _Para com isso! Eu fiquei curiosa, é só isso... _Você é tão má... me faria feliz saber que você ficou com um pouquinho de ciúme... _” Tá “ bom, eu fiquei... só um pouquinho. _Ah, legal! Garota dos lindos cabelos negros.. eu queria te dar um gelo. Queria te colocar na geladeira por um tempo, mas eu estou com raiva de mim mesmo por não conseguir fazer isso, que raiva! Você bem que merecia! _Eu tenho que concordar com você! _Mas eu não consigo. Hoje, por exemplo, eu deveria ignorá- la; oferecer carona? Nem pensar! convidá-la para sair? Muito menos! _Convidar para sair? _O quê? Você me ouviu? Estou perdido! _Eu amo o seu senso de humor! - revelou Ana. _Só isso que você ama em mim? _Eu não ouvi a pergunta. _Você é mesmo muito má! Mas você quer sair comigo hoje? Estamos quase chegando em sua casa... _Aonde nós iríamos? _Bom, eu acho que seria melhor algum lugar distante do 158
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! Tatuapé, eu não quero correr o risco de encontrar algum conhecido, o que é bem provável, sabadão, sem compromissos na ICVV... _Tudo bem, mas eu preciso... _Já sei, ligar para o chefe... _Você deve achar... _Eu acho isso ótimo, você está certa, precisa avisar seu pai. Sabe, Ana eu sei que hoje é um típico dia em que o Roberto vai chegar bem tarde, você poderia muito bem sair comigo e ele nem iria saber, mas isso não é o correto, é sempre bom que os nossos pais saibam onde estamos. Eu não estou sendo o menino bonzinho, querendo fazer um tipo pra você, é realmente o que eu acho. Eu vou avisar para minha mãe também, a Joyce vai lá hoje com as crianças e o meu cunhado para comerem pizza. _Se você quiser nós podemos ir pra lá. _Hoje não, eu preciso conversar com você sozinho, oportunidades não vão faltar para você comer uma pizza lá em casa. _Eu vou ligar, mas aonde nós vamos? _Eu acho melhor irmos em um shopping porque é mais seguro, apesar de tudo. Vamos em um que você ainda não conhece.Um dia eu quero levá-la para o parque Ibirapuera andar de bicicleta, o que você acha, já esteve lá? _Não, mas eu adoro andar de bicicleta, em Santa Fé nós fazíamos isso sempre, eu, a Kátia, meus primos, o Lipe, minha mãe e até o meu pai , quando tinha uma folga, participava dos passeios. Eu saí muito pouco desde que 159
    • Tânia Gonzales cheguei aqui. _Então eu vou ser o seu guia turístico aqui em Sampa. Ana e Alexandre avisaram aos pais sobre o passeio, que ficaram bem satisfeitos pelos filhos estarem novamente se entendendo. _O que você quer fazer primeiro? Comer, assistir um filme, andar por aí?- perguntou Alexandre assim que chegaram ao shopping. _Não ria, mas eu estou com fome! _Tudo bem, você manda! Vamos jantar, senhorita? _Hoje você vai esquecer que eu tenho um pai que é “chef” e nós vamos comer... hambúrguer, batata frita, etc, etc... certo? _Ok, garota dos lindos cabelos negros! Foram até a praça de alimentação e comeram exatamente o que Ana havia sugerido. _Uau, você estava mesmo com fome, eu precisei até esconder as minhas batatinhas! _Exagerado! _Eu achei interessante o seu pai não exigir nenhuma condição para nossa saída hoje. _É verdade, desta vez ele não disse nada. Acho que é porque ele te conhece um pouco melhor agora. -Que bom! Ana, naquele dia que nós fomos jantar no restaurante “ La Sabore”, bem, nós... bem..é... e-e-eeu... _Lindo! _O quê? _Eu acho que você fica lindo quando aparece esta sua ligeira gagueira. 160
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Ana! _É verdade. E eu notei, naquele dia na chácara, que quando você está bravo a gagueira não aparece, ela só entra em cena quando você fica … como eu posso explicar... quando você fica meio nervoso e envergonhado ao mesmo tempo, é isso. É um nervosismo porque você está com vergonha. Deu pra entender? _Ana só você mesmo. Você notou isso? _Eu sou muito observadora diante do que me interessa. _Uau! Agora eu vou flutuar... _Engraçadinho! _Diante do que me interessa! Gostei! Então eu desperto um certo interesse em você , desculpe a redundância, mas isso é muito interessante! _Acho que já falei demais... _Então, quem vai falar agora sou eu, Ana, eu achei incrível você ter pedido a palavra lá na reunião, você foi muito corajosa. _Eu tinha que falar, era o mínimo que eu deveria fazer. Pelo menos ter a coragem de me desculpar. _Tudo bem, agora vamos deixar esta história no passado, lembra que o pastor Jair disse? Sem comentários. Eu só queria que você soubesse o quanto eu admirei a sua atitude. Com essa coisa toda nós perdemos um mês e é por isso que eu não coloquei você na geladeira, eu não quero perder mais tempo, Ana, naquela fatídica semana eu tinha decidido fazer algo que foi adiado por causa da distância que foi colocada entre nós. Depois do nosso... eu vou conseguir... é só respirar fundo.... 161
    • Tânia Gonzales bem … depois do nosso primeiro e único beijo eu tinha decidido fazer uma pergunta, e eu vou fazê-la agora... _Me desculpe interromper, não fique bravo comigo, mas você pode esperar um pouco para fazer a pergunta? _Por quê? _Eu preciso ir … ao banheiro, desculpe. É que eu bebi muito refrigerante e eu também quero aproveitar para um rápido momento de higiene bucal. Desculpe... _Ana, só você mesmo, tudo bem, eu vou aproveitar também, sabe, o momento de higiene bucal.- disse Alexandre sorrindo. _Demorei muito? - perguntou Ana ao retornar. _Não. Mas aquela pergunta vai ficar para depois, você acabou com todo o clima que eu levei horas pra criar, quando eu estava no auge da minha inspiração você joga um balde de água fria. Eu disse fria? Gelada, congelada! _Sem comentários. _O que você quer fazer agora? Eu acho melhor você se distrair para não morrer de curiosidade! _Que tal um filme? _Ok, vamos ? - perguntou Alexandre oferecendo sua mão para Ana. Ana sentiu-se um pouco envergonhada por andar de mãos dadas com ele, mas ao mesmo tempo feliz, era uma sensação muito boa caminhar pelo shopping assim com Alexandre. _E então, o que vamos assistir?- perguntou Ana. _Hoje eu posso assistir qualquer um que não vai fazer a mínima diferença, eu sei que vou ficar olhando mais pra você 162
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! do que pra tela, com certeza. _Você existe mesmo? _Quer que eu a belisque? _Não precisa, eu já percebi que é tudo real. Mas você vai me deixar assistir ao filme, não vai? _Ei, você está pensando o que de mim? Vamos logo, temos pouco tempo, o filme vai começar em poucos minutos – avisou Alexandre olhando para o relógio. Ter Alexandre ao seu lado naquela sala de cinema parecia um sonho para Ana. Ela ficou pensando em o quanto ele estava descontraído. Ana estava amando cada minuto daquele passeio. O filme era bem interessante... mas Alexandre estava fazendo exatamente o que tinha previsto, olhava muito mais para Ana do que para imensa tela. Estavam na metade do filme, quando Alexandre sussurrou nos ouvidos dela : _Ana, você quer ser minha namorada? Ana, apesar de estar bem concentrada na história, virou-se e ficou olhando para ele por um breve momento, em seguida aproximou-se dos ouvidos dele e respondeu com um sussurro: _Eu quero muito! Alexandre segurou o rosto dela com ambas as mãos, por uns instantes ficou acariciando bem levemente as bochechas dela, depois tocou com um dedo os lábios contornando com bastante cuidado, foi se aproximando bem devagar para finalmente comprimir seus lábios nos dela. _Agora você pode assistir- disse Alexandre após o tão 163
    • Tânia Gonzales esperado momento. _Será que eu consigo? _Eu prometo que vou ficar bem quietinho. _Eu vou contar um segredo- revelou Alexandre assim que saíram da sala de cinema- Aquela sala é perigosa! _Perigosa? _É, sim! Ela tem o poder de transformar as pessoas. _Alexandre, do que você falando? _Há duas horas eu entrei lá como um rapaz livre e desimpedido e saí comprometido! _Alexandre! Você não tem jeito! - disse Ana dando um tapinha no braço dele. _É que eu estou muito feliz, tenho uma namorada linda, sabe? _Eu também estou feliz. Você é um menino crescido, é isso o que você é! _E o que você acha de nós irmos pra minha casa, a Joyce ainda deve estar lá – propôs Alexandre quando estavam saindo. _Acho melhor não, vai ficar muito tarde... _Eu deixo você em casa antes da meia-noite. _Melhor não abusar. Você já quer apresentar sua namorada para família, é? _Eu quero. _Mas antes de falar para o meu pai? _Você está certa, vou falar com ele amanhã mesmo. _Calma... 164
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Ana, você quer esperar? Por mim eu já oficializava tudo. _Eu estava pensando, a gente se conhece há pouco tempo, mas parece que eu te conheço tão bem, é engraçado. Mas eu prefiro esperar alguns dias, tivemos a reunião na quarta-feira e aí domingo aparece o casal de namorados na igreja, vai até parecer provocação. _Você se preocupa demais, eu espero, se é isso que você deseja. _Não fique com essa carinha triste- pediu Ana dando-lhe um beijo no rosto. _Eu estava um pouco triste, agora estou muito, muito triste mesmo. Adivinha onde você deve beijar agora? - provocou Alexandre apontando para sua boca. -Você é tão...irresistível!- depois de dizer isso Ana o beijou. 165
    • Tânia Gonzales "Quanto mais conhecemos, mais amamos.” Leonardo da Vinci Capítulo 13 -Ibirapuera Eram oito horas da manhã quando a campainha da casa de Ana tocou, foi Lipe quem atendeu o entregador da floricultura que carregava um lindo arranjo de mini-rosas vermelhas. _Ana, é para você! - informou Lipe entregando-lhe as flores. _Que lindas! - exclamou Ana e em seguida leu o pequeno cartão em formato de coração, onde estava escrito: “ Para minha namorada ”- que fofo! _Corações apaixonados! O amor está no ar! - brincou Lipe. _Cuidado, maninho, não conte pra ninguém, tá? Nós vamos esperar uns dias... _Esperar o quê? Vai me dizer que é por causa da Sabrina? _Mais ou menos; são só uns dias. Está tudo tão recente, é melhor assim. _Para com isso, Ana! Dá licença. A Sabrina fala um monte de bobagens e agora você e o Alê precisam esperar para namorar? _Lipe, nós estamos namorando, mas vamos esperar para oficializar, é só isso. _Não concordo. A conversa de Lipe e Ana foi interrompida pela buzina do tio Rubens, já estava na hora de irem para escola bíblica. No caminho para igreja, Ana enviou um torpedo agradecendo 166
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! Alexandre pelas flores. _Meninas, hoje vamos falar sobre o rapaz ideal- assim Beth iniciou a sua aula- Vamos formar as equipes, nesta caixinha estão os nomes de cada uma de vocês. Eu vou tirar um papelzinho e lê-lo em voz alta, serão equipes de 4 componentes. Beth formou as equipes para em seguida entregar algumas revistas onde havia fotos de atores e cantores famosos, pediu para cada equipe escolher os dois que elas achavam mais gatos, deveriam chegar a um acordo. Em seguida a professora analisou as escolhas de cada equipe e revelou para todas. _Muito bem, meninas! Eles são demais! São lindos, sem dúvida! Mas o ideal está só na aparência? _Claro que não, professora! Não basta só ter um rostinho bonito, é preciso muito mais... precisa ser gentil, carinhoso, fiel, trabalhador, porque rapaz preguiçoso não dá, né? - disse Cíntia. _Inteligente, educado, simpático - Enumerou Priscila. _Ter uma conversa legal, ser criativo, sensível, sem exageros, é claro! – outra garota continuou. _Romântico, divertido e que ame a Deus acima de tudo. – completou Ana. _Coitada de vocês! Eu sinto até pena! Vocês acham mesmo que exista algum homem assim? - perguntou Simone- Caiam na real: príncipes não existem! _Calma, Simone, ainda há esperança! É claro que um homem com todas estas qualidades é difícil de encontrar. Se 167
    • Tânia Gonzales você conseguir achar duas qualidades destas em um garoto, fique feliz. Uma qualidade muitas vezes depende ou faz parte da outra. Exemplo : ele ama a Deus, então vai se esforçar para ser fiel. Uma das coisas que vocês devem notar é exatamente o interesse que ele tem pelas coisas de Deus. Em nossas aulas falamos muito sobre o protagonista do livro “ Crepúsculo “, Edward Cullen. Nas minhas pesquisas pela internet, eu constatei que as meninas que leem o livro se encantam por ele. Ele é o modelo de homem ideal. Várias garotas revelam que só mergulham na leitura por causa dele. Entrando na história é bem fácil entender o porquê de tanto interesse, afinal ele é o máximo. E tem um fato que certamente chama muito a atenção de vocês: em determinado momento Edward diz que estava esperando por ela há muito tempo, há décadas, certo? E então, dá para deduzir que Bella foi a única garota que ele beijou em toda a sua longa existência. Sábado eu fui à locadora e peguei, “ Um amor para recordar”, que eu sei que todas vocês já assistiram mais de uma vez. Até já assistimos juntas! Eu fiz algumas comparações que eu quero compartilhar com vocês. Será que existe algo em comum em histórias tão diferentes? Separei algumas partes, vamos ver? Durante 15 minutos as alunas viram algumas cenas do filme referido por Beth. _Muito bem, meninas! É um filme muito bonito, sem dúvida, mas vamos analisar. Duas histórias bem diferentes, porém as duas contam sobre um romance. Um lindo casal apaixonado. Só que “ Um amor para recordar”, é uma história que pode acontecer na vida real, enquanto a outra é 168
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! totalmente improvável. Mas, quem era Landon Carter no início do filme? Me ajudem! _Um rapaz irresponsável, rebelde... - resposta dada por Carol. _Isso mesmo. Depois que ele conheceu a Jamie houve uma mudança incrível nele. Antes ele andava com a turminha irresponsável, mas, ele foi obrigado a conviver com Jamie, uma garota toda certinha, temente a Deus, filha do reverendo e por isso mesmo ridicularizada. Esta convivência foi uma benção para vida de Landon, ele acabou se apaixonando por ela, o que parecia totalmente improvável. Landon Carter se transformou em um Edward Cullen para Jamie. Com a ajuda dela, ele simplesmente se tornou em um rapaz encantador. Todo preocupado em agradá-la, mesmo antes de saber sobre a doença dela. Lembra da lista de coisas que ela gostaria de fazer? Landon até ajudou Jamie concretizar algumas delas. Ele foi um príncipe, vocês concordam? _É verdade! Eu achei que ele foi um fofo quando pediu para mãe ensiná-lo a dançar só para poder dançar com a Jamie.- disse Cíntia. _Vocês querem um Edward Cullen prontinho, mas às vezes são vocês que vão fazê-lo aparecer. As qualidades estão lá, escondidas, necessitando de um estímulo, eu não estou dizendo para vocês saírem por aí atrás de um rapaz desajustado, irresponsável. Não é isso!Eu estou falando daquele rapaz que está aqui na igreja, que você olha superficialmente para ele e já diz: “Não mesmo! Sem chance!” , ele pode ser o seu Edward Cullen, o seu príncipe, só está precisando que você seja uma Jamie para ele. Que 169
    • Tânia Gonzales você acredite nele, consiga enxergar as qualidades que estão passando desapercebidas, e por quê? Talvez você não goste dos cabelos dele ou do jeito como ele se veste, ou da maneira que ele fala, anda... _Professora, sua teoria tem um problema - disse Priscila- Querer mudar um garoto é encrenca, ele vai logo cair fora dizendo que precisa gostar dele do jeito que ele é e coisas do tipo. _Priscila eu não estou falando para vocês que a mudança vai ser assim num piscar de olhos, não é para vocês chegarem com tudo e dizer:“ olha eu não gosto disso, você precisa mudar tal coisa”. É através da convivência. A Jamie mudou o Landon porque ela foi sincera e enxergou o valor dele. É muito fácil ficar exigindo, mas, e você? Você pedi muito, mas tem algo para oferecer? Você gostaria que ele fosse inteligente, mas se ele conversar com você vai perceber que você também é? É necessário que vocês a cada dia tenham vontade de ser uma pessoa melhor. Eu quero alguém fiel, mas eu serei fiel? _Professora, eu pensei uma coisa: Se o Landon fosse Edward Cullen, a Jamie não teria morrido. Assim que ele soubesse da doença dela ele a morderia e então ela se transformaria em uma vampira! E eles seriam felizes para sempre! O que vocês acham? - Priscila apresentou sua maravilhosa ideia provocando risos em todas. _Priscila, você é impagável. Um dia podem até inventar um filme romântico fundindo e confundindo várias histórias. Bom meninas , é isso! Fiquem atentas, de repente você já pode ter 170
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! tropeçado em seu Edward sem saber. Depois que terminou a aula, Ana e Carol aproveitaram para conversar enquanto o culto da manhã não iniciava. _Você que tem sorte, já encontrou o seu Edward, né? - disse Carol. _Eu encontrei! Ele é muito mais especial porque ele é real, é de carne e osso ! Tem os olhos azuis mais lindos do mundo ! Aprecia o mesmo tipo de comida que eu e é quentinho!- brincou Ana. _Nossa! Que amor! Uau!Agora eu fiquei emocionada! - disse Carol entrando na brincadeira. Enquanto elas conversavam Eduardo se aproximou, sentou-se ao lado de Ana e foi logo dizendo: _Olá, menina linda! Tudo bem? Oi, Carol. Aninha, minha princesa, eu preciso te fazer um convite, eu quero mudar a imagem errada que você teve de mim lá no retiro. Vamos sair hoje? Você escolhe o lugar... _Oi, Eduardo, eu estou bem, mas... _Ela já tem compromisso hoje e amanhã também- avisou Alexandre que havia se aproximado sem que eles percebessem. _Alê, eu acho que ela é que precisa responder, certo Ana? _Eu... o Alexandre está certo, já tenho compromisso. _Tá legal, mas eu não desisti, tchau gata! Alexandre sentou-se no lugar que Eduardo havia ocupado à poucos instantes e sussurrou no ouvido de Ana. _Você quer esperar é isso o que acontece! Ele não sabe que você tem namorado, nem dá para culpá-lo. A culpa é toda sua. 171
    • Tânia Gonzales _Confesso, sou culpada! E a propósito qual o compromisso que eu tenho hoje? _Vamos ao parque do Ibirapuera; eu estou sabendo que você vai almoçar sozinha hoje, um certo irmão gêmeo me contou que vai almoçar na casa do Samuel; o seu pai está trabalhando... então vamos almoçar juntos. _Está bem informado, estou impressionada. _Eu passo na sua casa depois do culto, para você não precisar dar explicações vá embora com seu tio. Até mais- explicou Alexandre com um sorriso e saiu. O culto foi iniciado e Carol não teve chance para comentar com a prima o ocorrido, pois o pastor foi logo chamando o grupo de adolescentes para louvar. Após o culto, Ana foi para casa e ficou esperando por Alexandre. _Você chegou rápido – comentou Ana assim que entrou no carro de Alexandre. _Não quero perder nem um minuto, temos que voltar para o culto, lembra? _Certo! Eu quero te agradecer pelas mini-rosas, tão lindas e delicadas! _Eu não resisti, eu tinha que mandar algo, mas eu não vou te enganar dizendo que me deu o maior trabalho, que eu fui em uma floricultura ontem à noite ou hoje bem cedinho. Graças à tecnologia eu escolhi sentadinho no conforto do meu quarto, mas na próxima vez, o cartão será escrito com meu próprio punho. Você não vai receber aquelas frias letras digitadas, e ainda por cima por alguém que nem sabe que você é a namorada mais linda do mundo. 172
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Gracinha, mas tudo bem, o que vale é a intenção. E eu adorei! Almoçaram em um restaurante self- service, não muito distante do parque e depois foram curtir a imensa área verde do Ibirapuera. _Você quer andar de bicicleta? Eles alugam as bikes. O que você acha? -perguntou Alexandre. _Hoje não, nós temos pouco tempo vamos aproveitar e só ficar sentados à sombra de uma árvore. _Gostei! Vamos procurar um lugar bem especial... Depois de alguns minutos caminhando, encontraram um lugar e aproveitaram para ficar juntos abraçados como um verdadeiro casal de namorados. _É tão bom estar aqui com você, Ana. _Eu também acho maravilhoso estar com você. _E então qual o dia que eu vou enfrentar o sr. Roberto chefe? _Daqui a alguns dias. _Você viu o que aconteceu hoje? O Edu todo confiante te convidando para sair, eu não gostei disso, não mesmo! _Calma, são só uns dias, poucos dias. _Quantos? _Você é tão impaciente! - Uma semana! Nada mais do que isso. _Seu pai trabalhou hoje, então no próximo domingo será a folga dele, certo? _No próximo domingo você está convidado para almoçar em casa. _Gostei, mas o que significa isso? - perguntou Alexandre limpando algumas lágrimas do rosto dela. 173
    • Tânia Gonzales _Não é nada. _Ei, garota dos cabelos negros, você acha que me engana? _Eu só estava pensando o quanto minha mãe iria gostar de conhecer você. É uma pena mesmo. Ela ficaria muito feliz por eu ter encontrado alguém tão especial. E você também iria gostar dela. _Disto eu não tenho dúvida. Ela me deixou um lindo presente sem nem mesmo me conhecer. Ana, você pode ficar à vontade para falar sobre sua mãe pra mim, quantas vezes você quiser. Eu gostaria que você me mostrasse fotos de sua família. Outro dia eu li uma frase que achei muito interessante é de Olavo Bilac: “ Saudade...presença dos ausentes...”, pensei em você e na sua mãe. _Que lindo, gostei... “ Saudade... presença dos ausentes”... eu vou mostrar o álbum de casamento dos meus pais e as minhas fotos e do Lipe, mas quero ver as suas também. _Certo. Quase que eu estava me esquecendo- disse Alexandre tirando uma câmera digital do bolso de sua jaqueta- Vamos tirar a nossa primeira foto juntos? _Você é inacreditável! Lembrou de trazer a câmera... mas espera aí , vou arrumar os meus cabelos... Alexandre tirou algumas fotos de Ana e depois dos dois juntos. Ana quis tirar pelo menos uma dele sozinho, mas ele não concordou. _Domingo eu vou pedir a sua mão em... _Você não vai pedir a mão... _Em namoro! _Ninguém fala assim: “ Sr. Roberto, hoje eu estou aqui para 174
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! pedir a mão de sua filha em namoro” ! _E se eu quiser falar assim? Você não vai me impedir, garota linda! E você também não vai impedir o beijo que eu vou te dar agora! _Você acha que eu ia querer impe... Ana não teve tempo de completar... Quando estavam no caminho para casa, conversaram sobre o evento que haveria no próximo sábado, seria o chá de panela de Laura, noiva de Ronaldo, o líder dos jovens, que estavam com o casamento marcado para o dia 1º de maio. O chá seria às 15h no salão de festas da igreja, só com as mulheres, mas à noite teriam uma festa para todos os jovens. Depois do culto noturno as alunas da professora Beth se reuniram na casa de Cíntia para comemorar o aniversário dela, até Carlinhos, seu irmão, veio do centro de recuperação com o pastor Luís para prestigiar a irmã, assim eles também tiveram a oportunidade de participar do culto. Alexandre teve que se conformar em ficar longe da namorada, pois seria uma festa só com as amigas de classe e a família. _Alguém te paquerou? - perguntou Alexandre quando Ana ligou após chegar da festa. _É claro que não. Praticamente só havia meninas na festa. _Você falou muito bem, praticamente. Mas quem estava lá, além delas? _Você vai mesmo ficar me interrogando? Não foi pra isso que eu liguei. _Ei, eu só quero saber, é só curiosidade. Não precisa ficar brava comigo. 175
    • Tânia Gonzales _Tá bom! O Carlinhos estava lá, o que não é surpresa, afinal é o irmão dela; o pais, o que é óbvio, o Pr. Luís e é claro que a professora Beth também foi. Satisfeito agora? _Você não gostou. Me desculpe. Eu não sou do tipo controlador, eu só... _Tudo bem. Esquece isso. Eu liguei só pra conversar um pouquinho, queria te ouvir. _E e-e-eu estraguei tu-tudo... _Para com isso, está tudo bem, esqueça. _É tão difícil deixar você sair assim, me dá uma vontade de ficar pertinho de você. Ana, Ana, o que você fez comigo? _ Agora eu estou feliz por falar com você. Eu também fico com vontade de tê-lo bem pertinho. 176
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! "Como o caminho terreno está semeado de espinhos, Deus deu ao homem três dons: o sorriso, o sonho e a esperança." Immanuel Kant Capítulo 14 -Preparativos para Páscoa e acidente Seis horas da manhã, Ana se levantou e verificou que havia uma mensagem de Alexandre em seu celular, dizendo: “ Tenha um ótimo dia, me perdoe por ontem. Bjs.” - Ela enviou uma resposta bem carinhosa e foi se arrumar para ir à escola. No intervalo das aulas, Simone comentou com Ana que havia recebido um convite para sair. _Que legal! Quem te convidou? _Tiago, o filho do pastor Jair. Que garoto mais atrevido! _Ele toca teclado tão bem! Por quê atrevido, Simone? Ele quer sair com você, é isso. Não vai me dizer que você recusou? _Ana, é lógico que eu disse um não bem redondo! Se liga! Você acha mesmo que eu vou sair com o filho do pastor? _Simone, dê uma chance para ele e para você também. Você não pode permitir que a atitude errada daquela pessoa, que você sabe quem, te impeça de ser feliz. _Não vem com esta conversa mole, pra o meu lado não , Ana, por favor! _Eu só acho que você deveria pensar melhor. Quem sabe nós podemos sair todos juntos, hein? Eu e o Alexandre, você e o 177
    • Tânia Gonzales Tiago. Eles são amigos de infância, não é legal? Eu posso perguntar algumas coisas sobre ele para o Alexandre, assim como quem não quer nada... _Ana, não viaja; eu espero que o Alexandre seja um cara legal mesmo, espero que ele não apronte com você. E aí, quando vocês vão oficializar o namoro? _Ele vai falar com meu pai domingo. _Legal, mas esqueça esta história sobre o Tiago. Ana recebeu um torpedo de Alexandre assim que o sinal tocou anunciando o término das aulas, ele dizia que a estava aguardando próximo à lanchonete ao lado da escola. _Tchau prima, hoje você tem uma companhia especial- disse Carol ao saber da mensagem.- Vamos Lipe, a Ana não vai com a gente … _Hum! Nem vou perguntar nada, ou melhor só uma coisinha, tem comida pronta? _É só aquecer, mas podemos ir todos juntos... _Tchau, Ana! Até mais tarde... se é que você vai aparecer na papelaria hoje... _É claro que eu vou! - respondeu Ana gritando para prima que já havia se afastado com Lipe. _Oi, não vai entrar? - perguntou Alexandre _Claro! Que surpresa você me buscar aqui... _Você gostou ou ficou pensando assim: “ Que namorado grude que eu arrumei!” _É lógico que eu gostei, mas você não foi pra aula hoje? _Espera um pouco, tem alguma coisa errada aqui, e o meu beijo? 178
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Está bem aqui... _Agora sim... você perguntou se eu faltei hoje e a resposta é não, saí mais cedo pra dar tempo de te pegar. Hoje eu vou entrar mais tarde no serviço sem horário para saída. Estamos com uma suspeita de invasão em um sistema que precisa ser verificado e pra garantir vamos desenvolver um sistema mais avançado. Eu logo calculei que seria impossível vê-la hoje à noite, mas eu não queria ficar sem te ver, então, aqui estou. _Tudo bem, quais são os seus planos? Só não se esqueça que eu preciso estar na papelaria às duas horas. _O que você acha de almoçar lá em casa? _Alexandre... eu não sei... _Vamos... eu até já dei um alô pra minha mãe... _Você ... tudo bem, vamos lá! _Oi, Ana, que bom te ver- Luísa a cumprimentou sorrindo, deu-lhe dois beijos e um forte abraço. _Obrigada. Eu não quero incomodar, foi ideia do Alexandre... _Ana, nem pense nisso! Quando o Xande disse que talvez vocês almoçariam aqui hoje, eu adorei a ideia. Você é sempre bem vinda. E o Xande está tão feliz por... _Mãe, mãezinha... olha, nós não podemos demorar, preciso deixar a Ana antes das duas na casa dela. _Tudo bem, já está tudo pronto. _Precisa de ajuda? - perguntou Ana. _Obrigada Ana, mas está tudo pronto mesmo, já podemos almoçar. Ana se sentiu muito bem ali almoçando com Alexandre e sua 179
    • Tânia Gonzales mãe, que era muito simpática e estava muito feliz por receber a namorada do filho, Luísa fazia questão de não esconder isso. Alexandre deixou Ana no horário combinado e em seguida foi para seu trabalho. Na terça-feira eles só se falaram pelo telefone e combinaram saírem no dia seguinte. _Eu esqueci, mas eu tinha combinado com a Carol, a Simone e o Lipe de irmos ao shopping amanhã, nós vamos comprar os presentes do chá da Laura e o Lipe precisa comprar um tênis, vamos depois das sete. Me desculpe... - explicou Ana pelo telefone. _Eu vou chorar! Minha namorada está me dispensando... _Não fala assim... é que eu não queria desmarcar com eles, você entende? _Ana, é claro que eu … não entendo. Estou brincando com você. Eu busco vocês, tá? _Não precisa, você vai chegar cansado... _Ana, eu vou pra casa, tomo um banho e fico todo cheiroso... janto e depois vou até o shopping, assim eu aproveito para comprar os ovos de páscoa dos meus sobrinhos... _Combinado. Na quarta-feira encontraram com Alexandre às 22h, já tinham comprado tudo o que precisavam e aproveitaram para ajudar Alexandre na escolha dos ovos de chocolate, menos o de Ana pois ele já havia comprado e estava bem guardado em sua casa. 180
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Você está com uma carinha de cansado! Você deveria ter ficado em casa descansando- disse Ana assim que entraram no carro. _E perder a chance de ver este rostinho lindo? Nem pensar! _Que meigo! - brincou Lipe. _É Lipe, não é fácil ficar perto de namorados tão apaixonados... haja paciência, meu amigo, mas você ainda vai passar por isso! -disse Alexandre participando da brincadeira. _Eu? Nem pensar! _Você fala isso agora, um dia você vai virar para o lado e … encontrar aquela que fará o seu coração bater rapidamente... - continuou Alexandre. _Para com isso! “ Tô” fora! _Por quê, Lipe? E a Larissa? - perguntou Carol. _Chegamos à conclusão que é melhor ficarmos só na amizade mesmo. É muito complicado... Santa Fé é muito distante daqui... _Você tem razão. Mas com certeza vai conhecer alguém especial... - disse Carol. _Não tem como escapar. Olha só o meu exemplo, eu vi esta linda garota de cabelos negros e me apaixonei, cara! É assim meu amigo -disse Alexandre acariciando o rosto de Ana. _O amor é lindo! - concordou Lipe. Depois de deixar todos em suas respectivas casas, Alexandre se despediu de Ana combinando se encontrarem no dia seguinte na igreja, pois quinta-feira era o dia de oração dos jovens e adolescentes. 181
    • Tânia Gonzales _Oi, filha! Este rapaz está mesmo apaixonado, não perde uma oportunidade para vê-la- constatou Roberto ao ver a filha. _Oi, pai! - disse Ana cumprimentando o pai com um beijo- É , parece que sim. _Vocês estão se entendendo bem, não é? _Estamos sim. Eu gosto de estar com ele e nós conversamos bastante. Lembra que uma vez você disse que é muito importante em um relacionamento os dois dialogarem muito? _Com certeza. Sabe, se você estiver com alguém só porque ele agrada à seus olhos, isso não vai durar muito, porque vai chegar uma hora que a aparência não vai ser tão boa, pela idade , alguma doença ou outro acontecimento, e aí? Por isso que é importante você conhecer bem a pessoa e amar o que ela é por dentro, pois isso permanece. _Domingo ele vem almoçar aqui para falar com você, tá? _O que será que ele tem para me dizer... Depois do culto de oração da quinta-feira o grupo de teatro participou do penúltimo ensaio para a peça que seria apresentada no domingo de Páscoa e Beth marcou o último ensaio para o dia seguinte que seria o feriado de sexta-feira santa, pois sábado seria um dia cheio de eventos na ICVV por conta do chá de panela de Laura e a festa que teriam à noite. O final de semana prolongado seria bem agitado para Ana e Alexandre, pois além de todos os eventos que seriam realizados na igreja, havia o almoço especial quando Alexandre conversaria com Roberto. Alexandre estava bem ansioso pois a partir daquele domingo ele poderia estar com 182
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! Ana oficialmente como seu namorado. Após o ensaio do feriado eles aproveitaram para sair. _Então amanhã vocês vão fazer a maior bagunça no chá de Laura, eu tô sabendo!- falou Alexandre caminhando com Ana no shopping. _Você está com inveja, só porque os homens estão proibidos de aparecer por lá- brincou Ana. _Eu, hein! Vou na hora boa dos comes e bebes. Eu vou chegar lá pelas nove, tá bom, né? _Pode chegar antes, o chá está marcado para as 4 horas e eu acho que até às 7 a Laura já terminou de abrir os presentes. _O Gustavo me pediu para ir com ele até Guarulhos amanhã à tarde levar o carro de um cliente, você sabe que o pai dele tem uma oficina mecânica, não é? Eu vou dirigindo o carro do Gustavo, ele não quer voltar de ônibus depois. _Tudo bem, mas não vai demorar para chegar na festa, tá? _Não, meu amor, fique tranquila, você não vai ficar longe de mim por muito tempo... Finalmente havia chegado o sábado, Ana acordou muito disposta, seria um dia muito especial com os eventos relacionados à Laura e Ronaldo, eles estavam tão felizes e não era pra menos, pois a data do casamento deles estava se aproximando. Ana ficava imaginando como deveria ser emocionante passar por tudo aquilo, com todos os preparativos; mas ela sabia que seu dia também chegaria, agora ela precisava curtir cada momento de seu namoro com Alexandre que, a partir do dia seguinte, seria oficial. Ana 183
    • Tânia Gonzales ficou pensando em como o pessoal da igreja reagiria ao saber da novidade; principalmente as suas amigas de classe da EBD. Antes de ir para o chá, Ana conversou com Alexandre pelo celular, ele avisou que já estava chegando em Guarulhos; combinaram de se verem à noite na festa de despedida de solteiro dos noivos. O chá de cozinha de Laura foi muito divertido, as meninas fizeram muitas brincadeiras. A noiva acertou poucas vezes, por isso precisou pagar muitos castigos, mas tudo em um ambiente bem descontraído e amigável. Passava da sete horas e Ana resolveu ligar para saber se Alexandre já havia voltado, mas ela não conseguiu falar com ele. Então ela foi dar uma ajuda para as meninas que estavam trabalhando nos últimos detalhes da organização da festa. Joyce, a irmã de Alexandre também estava lá, então as duas aproveitaram para conversar enquanto arrumavam as mesas. _Eu tentei falar com o Alexandre mas não consegui, o celular dele deve estar fora de área. - comentou Ana. _Pode ser. Mas ele já deve ter voltado de Guarulhos, são quase oito horas- constatou Joyce. _Daqui a pouco eu vou tentar novamente. Os rapazes começaram a chegar na hora marcada por Ronaldo, que também já estava ocupando o seu lugar de anfitrião. Ana tentou por várias vezes falar com Alexandre, mas foi em vão, havia ligado na casa dele também, mas não havia ninguém lá. -Joyce, é estranho, já passam das nove e nada. Você tem o celular do Gustavo? 184
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Tenho. Eu vou ligar para ele e também para o celular da minha mãe. Depois de algumas tentativas, Joyce informou a Ana que não havia conseguido falar com nenhum dos dois, o que fez Ana ficar muito preocupada. _Será que aconteceu alguma coisa séria? O Alexandre não iria ficar sem dar notícias, ele sabe que eu estou esperando aqui. Já são quase dez horas. _Calma, Ana! Meu celular está tocando... é o meu pai... pai, oi pai, espera um pouco que eu não estou te ouvindo, eu vou me afastar do pessoal- disse Joyce saindo do salão seguida por Ana. -Pode falar, pai! O quê? Como assim? Ele está bem? Onde? Meu Deus... tá bom, eu estou calma, pai, o Celso está em casa com as crianças. Você o avisou? Está bem, fica com Deus. Tchau. _O que aconteceu? - perguntou Ana com ansiedade. _Calma, vamos sair daqui e ir para casa de meu pai. Eu te explico tudo lá. _Aconteceu alguma coisa com o Alexandre, não é? Diz logo, por favor, Joyce! Eu sabia... eu...- Ana começou a chorar. _Ana, calma, vamos sair daqui antes que o pessoal perceba.. meu pai já conversou com o seu, ele também já está lá. _Meu pai está na casa dos seus? Então a coisa é grave. O Alexandre ...ele... está vivo? _Ana, vem comigo, é claro que ele está vivo. Vamos para o meu carro, você fica lá sentadinha, eu só vou voltar e explicar para o Ronaldo ou a Laura. 185
    • Tânia Gonzales _E a Carol e o Lipe? _Deixa comigo... Ana ficou esperando por Joyce dentro do carro . Ela sabia que havia acontecido algo muito grave e pedia a Deus para não levar Alexandre para longe dela. Lágrimas rolavam sem parar, ficou pensando nos momentos que Alexandre havia proporcionado para ela. “ Ele não pode ter partido, não pode! Ele não, por favor, Deus! Ele não! Eu o amo! E ainda nem disse isso pra ele. Será que não há tempo? Não, ele não!” _Agora podemos ir; Ana calma! Vai dar tudo certo- disse Joyce tentando tranquilizá-la. _Mas... o que aconteceu? Me conta, por favor, eu não aguento isso... _Ana, fique calma... o Alexandre e o Gustavo se envolveram em um acidente, calma, eles estão vivos... estão em um hospital recebendo todos os cuidados. _Você está mentindo, ele morreu, não morreu? _Ana, não! O que eu te falei é a verdade... _Você não quer me dizer... Ana começou a lembrar do dia que recebeu a notícia sobre o acidente de sua mãe. Para poupá-la não vou falado diretamente que a mãe já estava morta, apesar dela ter morrido no local do acidente; por essa razão era muito complicado para Ana acreditar agora. _Chegamos. Você vai ver que eu falei a verdade. Na casa do Dr. Afonso estavam Roberto e Celso, marido de Joyce, que havia deixado as crianças na casa de sua mãe. 186
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Pai, me conta a verdade, ele está morto, não está? Pai... - implorou Ana. _Não, filha, o doutor Afonso acabou de ligar, o Alexandre está passando por uma cirurgia. _O que aconteceu? _Filha, nós não sabemos detalhes, mas olhe pra mim, eu estou te falando que Alexandre está vivo! Acredite em seu pai, por favor! Joyce preparou um chá para ajudar Ana a se acalmar e todos ficaram aguardando a ligação do Dr. Afonso que só aconteceu bem próximo à meia-noite. _Pai, entendi... eu falo sim, tá bom, pai. Um beijão. Fica com Deus. Assim que desligou, Joyce informou que a cirurgia já havia terminado e tudo estava bem. Ele havia operado a perna esquerda, por causa de uma fratura na fíbula . Ganhou alguns pontos na testa, pois com o impacto ele chegou a bater a cabeça e teve também algumas escoriações pelo corpo. Agora ele estava na U.T.I, o que era um procedimento normal. Joyce informou também que o pai havia pedido que Celso buscasse Luísa para descansar, pois só ele passaria a noite no hospital. Ana ficou insistindo dizendo que queria ver Alexandre, mas eles a convenceram de que não seria possível, então ela concordou com relutância ir para casa com o pai. Lipe já havia chegado lá. Aquela noite foi terrível para Ana, quase não conseguiu dormir, passou horas chorando e pedindo a Deus por Alexandre. No outro dia o resultado foi um par de olhos totalmente inchados. O pai ficou com ela por um bom 187
    • Tânia Gonzales tempo, sem dizer nada, só a consolando com o seu abraço. _Alguém já ligou, pai? - perguntou Ana ainda descendo as escadas do sobrado. _Filha, por que você já levantou? Ainda são oito horas, vai dormir mais um pouquinho. _Não consigo, eu preciso de notícias... _Tenha paciência, minha filha. Naquela manhã de domingo não haveria atividades na ICVV, o pastor Jair havia deixado os membros da igreja livres para preparar o almoço de Páscoa; mas à noite eles teriam um culto especial. Era o dia da apresentação da peça que Alexandre e Ana tinham uma participação bem ativa. _Ele estava tão ansioso pelo dia de hoje, pai. Nosso almoço especial... eu não deveria ter pedido para ele esperar uma semana, não deveria... ele queria falar com você semana passada, pai... eu que... _Filha, não pense nisso agora, ele vai falar comigo, só não vai ser hoje. Neste momento o telefone tocou e Ana foi depressa atender ansiosa em ter notícias de Alexandre, mas era a professora Beth, que conversou com ela tranquilizando-a, dizendo que todos estavam orando por ele e que com certeza Alexandre ficaria bem. Ela também disse para Ana não se preocupar com a peça da Páscoa pois ela já estava dando um jeito, reescrevendo a parte deles para um casal de narradores. Assim que Alexandre estivesse bem eles variam uma nova apresentação com a versão original. Ana ficou aliviada pois 188
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! não tinha certeza se ia conseguir fazer a sua parte. Roberto resolveu ligar para o doutor Afonso para saber como Alexandre havia passado a noite e também para saber qual o horário que poderia levar Ana até o hospital. _Filha, o Alexandre dormiu quase a noite inteira, ele está reagindo bem. E nós vamos até lá logo após o almoço. Está bem assim? _Por mim iria agora mesmo. _Eu sei querida, mas tenha paciência, você vai vê-lo hoje. Alexandre conversou com o pai e sua vontade era de não receber a visita da namorada, ele preferia esperar pelo menos mais um dia. _Filho, você não precisa se preocupar com sua aparência, está com o rosto até corado! _Com um corte na testa e inchado. Pai, diga para a Ana esperar até amanhã, por favor... _Não faça isso com ela. Sua irmã me contou o quanto a Ana ficou angustiada; ela queria vê-lo ontem mesmo... _Dá uma olhada e vê se está tudo aí... - pediu Alexandre apontando para sua perna esquerda. _Claro que está tudo aí, não tiraram nem um pedaço, filho. E a perna direita está doendo? Ela também foi atingida, mas não é nada sério. _Um pouco, mas logo vem alguém aqui aplicar mais uma daquelas injeções... _Meu filho, eu agradeço a Deus por você estar vivo, agora é só se recuperar. _E o Gustavo? 189
    • Tânia Gonzales _Ele vai ter alta hoje mesmo. Só ficou algumas horas em observação. Foram só escoriações; ele queria vê-lo mas o médico não deixou. Vocês estavam em alta velocidade... _Pai, eu não quero falar sobre isso agora. _O Gustavo estava dirigindo em alta velocidade, eu sempre achei que este menino no volante... graças a Deus que mais ninguém foi atingido... Foram interrompidos por uma leve batida na porta. Era Luísa que estava ali para substituir o marido. Ela ficou muito aliviada por ver que o filho estava acordado e conversando normalmente. Roberto levou a filha até o hospital. Ana estava muito ansiosa, esperar havia sido uma tortura para ela. _Que bom que vocês chegaram! – disse Luísa ao ver Ana e Roberto entrando no quarto. _Oi, Luísa, como ele está? - perguntou Ana notando que Alexandre estava com os olhos fechados. _Ele está bem, mas passou a maior parte da manhã bem sonolento. Está dormindo há uma hora mais ou menos. Vou deixar você aqui com ele e aproveitar para tomar um café com seu pai. Ana sentou-se em uma cadeira bem próxima de Alexandre e ficou observando-o dormir. Passaram-se alguns minutos, ele abriu os olhos bem devagar e logo notou que ela estava ali. _Oi, como você está? Está doendo alguma coisa? - perguntou Ana sem conseguir disfarçar a ansiedade. _Ei, garota dos lindos cabelos negros, calma! Eu estou bem. Agora não está doendo nada, também com tanto remédio e 190
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! injeções! E você? _Agora eu estou bem. Mas ontem sem saber o que tinha acontecido, foi uma sensação horrível... _Meu amor, eu sinto muito por fazer você passar por isso, me desculpe pelo furo de ontem e por hoje também, eu não pude ir ao almoço... - brincou . _O seu humor está ótimo... _É porque você está comigo, apesar de que por mim você não entraria aqui hoje... _Por quê? Que maldade! _Eu não queria que você me visse assim. _Você continua lindo pra mim. Eu tinha que vê-lo hoje... _Você pelo jeito não dormiu nada, né? Ficou molhando o travesseiro... _Dá pra notar, né? Sua aparência está melhor que a minha. _Não mesmo, você está linda como sempre. Como foi a festa ontem? _Até eu ficar desesperada sem saber de notícias suas, foi ótima, estava muito divertido. A Laura estava tão feliz, mas sofreu... precisou pagar tanto mico!Foi muito legal. A Beth me contou que depois que eu fui embora com a Joyce, o Ronaldo informou o que havia acontecido e eles oraram por você e o Gustavo. _Que bom! Falando na Beth, e a peça, hein? _Está tudo certo. Ela fez uma mudança nas falas e colocou dois narradores para fazer a nossa parte, mas ela disse que quando você ficar bem, vai haver uma reapresentação com o elenco completo. 191
    • Tânia Gonzales _Legal. _O que aconteceu? Você lembra? _Eu prefiro não falar sobre isso, não hoje, tá? _Tudo bem. Só a perna esquerda mesmo foi atingida? _A direita também, foram só alguns cortes sem gravidade. O problema mesmo foi na esquerda. Eu não estou sentindo nada... pelo menos agora. _Muito medicamento por isso você não está sentindo dor. Eu vou passar a noite aqui... _Não mesmo. Esquece isso, amanhã você vai pra aula, pensa que eu me esqueci que você tem a semana inteira de provas, eu bati a cabeça mas não estou com amnésia. _Eu quero ficar com você... _Ana, não quero mais falar sobre isso. Vamos para um assunto agradável: meu almoço com o chefe Roberto, fui obrigado substituir pela comida do hospital, isso não é justo. _E eu com a história de esperar uma semana! Eu não deveria tê-lo impedido de falar com meu pai. _Tudo bem, a vida é assim. Traçamos planos que às vezes não podem ser realizados. Nós não temos o controle de tudo, Ana. Mas foi só um adiamento. _A culpa é minha. Fiquei pensando como eu fui boba, que diferença faria? Eu fiquei imaginando se você tivesse partido, eu teria perdido a oportunidade de dizer que eu te amo, por isso eu estou dizendo agora e não me importo se estiver fazendo papel ridículo. Eu sei que o amor cresce aos poucos, mas eu já posso dizer que eu te amo e mesmo que você pense assim: “Esta menina nem sabe o que é isso, está aí toda 192
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! emocionada”, não faz mal. Eu pedi a Deus pra que Ele não levasse você. Eu falei: “ Deus eu sei que ele é muito precioso para Ti, mas ele faz parte da minha vida, não o leve, por favor. Eu já perdi a pessoa que eu mais amava neste mundo.... não leve ele também...- Ana conseguiu dizer estas palavras entre lágrimas, enquanto Alexandre enxugava as dele. _Eu também te amo, Ana. Eu queria muito falar isso, mas tinha vergonha. Achei que você poderia pensar que seria muito cedo pra fazer este tipo de declaração. E sabe de uma coisa? Se eu não estivesse em um leito de hospital, impossibilitado de andar , eu chegaria bem perto de você e a beijaria. _Eu posso chegar até você – disse Ana já se aproximando. _Eu estou com um gosto amargo na bo... Ele não teve tempo de completar... _Ei! Vocês lembram onde estão? - perguntou Lipe ao entrar no quarto. _Oi, maninho, você ainda não aprendeu que se deve bater na porta? _Aprendi maninha, só que acontece que eu bati mais de uma vez... _Oi Lipe, vai desculpando a sua irmã é que ela não consegue resistir a um homem indefeso, porém charmoso, como eu. _Engraçadinho! Você percebeu que ele está ótimo, né, Lipe? _”Tô” vendo. E aí cara que pancada, hein? _É amigo, foi dureza! Mas estou me recuperando... Ana ainda ficou por várias horas fazendo companhia a Alexandre. Luísa passou a noite no hospital com o filho. 193
    • Tânia Gonzales No culto , logo após a apresentação da peça, pastor Jair falou sobre “ A Verdadeira Páscoa”; ele enfatizou que aqueles que recebem Jesus como Salvador e Senhor compreendem o verdadeiro sentido da Páscoa cristã. Explicou que no domingo de Páscoa comemoramos a ressurreição de Jesus. Fez a leitura em Lucas 24. 1-12. 194
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! “ Se te mostras fraco no dia da angústia, a tua força é pequena.” Provérbios 24.10 Capitulo 15 -Desânimo Ana foi para aula meio contrariada, o que ela queria mesmo era estar ao lado de Alexandre no hospital, mas justamente naquela semana ela não poderia faltar, pois teria várias provas. Tio Rubens dispensou os serviços dela durante alguns dias para que ela pudesse visitar Alexandre todas as tardes. Naquela segunda- feira ela aproveitou para levar algumas fotos da mãe e de toda a família, atendendo um pedido de Alexandre. _Nossa, como você se parece com ela!- disse Alexandre olhando as fotos do casamento de Sônia e Roberto. Ana foi folheando o álbum com ele e informando os nomes de cada membro da família. Depois ela também mostrou algumas fotos dela. _Que menininha mais linda, aqui você deveria ter … acho que um aninho, certo? _Certo, um aninho e alguns meses. _Olha o Lipe, que gracinha! Que ele não me ouça! Assim passaram a tarde olhando as fotos e conversando muito. Ana saiu do hospital no final da tarde contente por Alexandre estar animado. À noite, Joyce foi até a casa de Ana para entregar uma cesta de Páscoa que Alexandre havia 195
    • Tânia Gonzales comprado para ela. _Obrigada, que cesta mais linda! - agradeceu Ana assim que entrou no quarto de Alexandre no hospital- aqueles ursinhos... só você mesmo... ursinhos de Páscoa. _Você me disse que gostava de ursinhos, aí eu pensei por que preciso colocar coelhinhos? Quem vai me impedir de fazer uma cesta com pequenos ursinhos? _Uma família de ursinhos! Tão fofos! Os chocolates deliciosos, mas o que eu amei mesmo foi o cartão; desta vez você escreveu... _Não falei que o próximo seria com meu próprio punho? _“ Ana, Feliz Páscoa...” _Você trouxe o cartão? _Espera, deixa eu ler... “ Ana, Feliz Páscoa. Neste cartão eu vou declarar o que estou com uma certa vergonha de fazer pessoalmente. Eu te amo!Pode parecer até precoce, mas eu estou sendo sincero. Faço isso pela primeira vez e para ter coragem precisei escrever, mas eu ainda vou dizer isso bem pertinho do seu ouvido. Eu te amo! Bjs. Alexandre.” - Você acabou me dizendo primeiro pessoalmente. Eu também te amo... _I love you! Agora sai até em outro idioma. - brincou Alexandre. E assim a semana passou bem rapidamente, o sábado chegou e Ana aproveitou para arrumar a casa, mas, à tarde foi ver Alexandre. Domingo ela passou o dia inteiro com ele que recebeu muitas visitas, como o pastor Jair e sua esposa, 196
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! Ronaldo e a noiva Laura, Beth e até a vó Tele fez questão de ir visitá-lo juntamente com Rubens, Isabel e Carol; Sabrina deu uma desculpa qualquer para não ir. Gustavo também aproveitou para visitar o amigo. _E aí, amigo? - O que eu fui fazer... - disse Gustavo ao entrar no quarto de Alexandre _Ei, como você está? _Eu estou aqui em pé, era eu que deveria estar aí no seu lugar. Cara, me perdoa, bem que você avisou... você dizia o tempo todo para eu diminuir a velocidade... _Calma, você não está em um tribunal! _Eu me sinto péssimo... você aí nesta cama... eu sou um idiota! Que brincadeira mais boba e sem sentido. _Tudo bem, Gu. Você errou, mas não precisa ficar deste jeito. _Preciso... preciso tomar vergonha na cara. Você foi me fazer um favorzão, pleno sábado, deixou de ficar com sua namorada e eu o que fiz? Fui dar uma de piloto... _Deu alguma complicação pra o seu lado? _Bom, estou sem carta, meu pai me proibiu, por tempo indeterminado. _Ah... _Mas ele está certo. O que eu fiz com você, meu amigo, é imperdoável. _Para com isso, já aconteceu. Agora é só eu me recuperar e tenho certeza que você aprendeu a lição. Dirigir exige muita responsabilidade. _Tem razão, Alê. Alexandre recebeu alta na segunda-feira e precisou de uma 197
    • Tânia Gonzales cadeira de rodas para se locomover. No dia seguinte, ele recebeu muitas visitas em casa, pois era feriado de 21 de abril; alguns jovens da classe da escola bíblica vieram com o professor, os avós de Alexandre, que moravam em Rio Preto, também vieram para ver o neto e passariam uma semana na casa do filho, o Dr. Afonso. Ana ficou encantada com os avôs do namorado, eles eram simpáticos e amáveis e eles também aprovaram a escolha do neto. Na sexta-feira foi o primeiro dia de fisioterapia , Ana queria acompanhar Alexandre, mas ele foi contra dizendo que ela não poderia perder aula. Aquele dia foi para Alexandre conhecer Rogério, o fisioterapeuta, que só deu uma examinada nas duas pernas e explicou sobre as sessões, que seriam três vezes por semana. Na semana seguinte Ana continuou passando todas as tardes com Alexandre, ficavam conversando, assistindo algum filme em DVD ou até jogando vídeo game. Alexandre compareceu às sessões de fisioterapia. Sexta-feira, feriado de 1º de Maio, seria o casamento de Ronaldo e Laura em uma chácara em São Roque, onde os pais de Ronaldo moravam. Ana já havia decidido não ir para fazer companhia a Alexandre. _Ana, você precisa ir, não tem necessidade de você ficar aqui, a minha mãe vai ficar comigo – disse Alexandre um dia antes do casamento. _Não quero ir sem você e chega deste assunto, eu já me decidi. _Não seja teimosa, vai ser legal. Vão sair vários ônibus da 198
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! igreja; a Laura e o Ronaldo vão ficar felizes; pensa no que você vai perder. _Eu já conversei com a Laura e o Ronaldo e eles entenderam. Eu vou ficar aqui com você, eu até já combinei com sua mãe que eu vou fazer o almoço. _Teimosa! _Teimoso! _Até seu pai vai... _Chega... Alexandre não conseguiu convencê-la e eles passaram o dia 1º de maio juntos. Roberto e Lipe chegaram do casamento quase nove horas da noite e foram buscar Ana. Eles contaram alguns detalhes da cerimônia e mostraram as fotos tiradas por Lipe. No final de semana Ana também passou a maior parte do tempo com Alexandre, mas desta vez ela participou do culto de domingo à noite. Naquela semana ela voltou a trabalhar na papelaria do tio, mas saía às seis horas e ia direito para casa de Alexandre. Alexandre foi às três sessões de fisioterapia marcadas para a semana e em cada uma delas voltou desanimado. No sábado ele teve uma conversa séria com o pai. _Minha perna esquerda não responde aos estímulos. Eu não estou conseguindo coordenar os movimentos. Eu quase não consigo mexê-la, está tão pesada! _Filho, tenha paciência. Foram poucas sessões de fisioterapia; é assim mesmo, progressos bem lentos. _Pai, eu não tive progresso, na verdade eu não fiz nada nas sessões... é tão frustrante! 199
    • Tânia Gonzales _Filho, está tudo tão recente! Ainda vai fazer um mês que aconteceu o acidente. _E se eu não conseguir? Pai... _Confie em Deus, meu filho. Você não pode ter este tipo de pensamento, que história é esta de não conseguir? Acho que chegou alguém, deve ser a Ana, então mude esta expressão de derrotado, ela ficaria muito triste. _Tudo bem. Assim que olhou para Alexandre, Ana percebeu que ele não estava nada bem. Tentou conversar, mas ele só respondia com monossílabos. _Nossa conversa hoje vai ser assim? Se é que se pode chamar isso de conversa. _Eu... não estou com vontade de conversar...- explicou Alexandre com uma voz quase inaudível. _Bom, já melhorou... _Ana, me desculpe, mas eu acho melhor você ir embora, vá pra casa ou sai com alguma amiga, quem sabe com a sua prima. Sábado à tarde e você aqui comigo neste tédio? Não, isso não está certo. Você não precisa ficar aqui nesta … monotonia. _Pelo menos agora você está falando, mesmo que seja um monte de bobagens. É melhor do que : sim, não, é, sei... _Estou falando sério. Desde o acidente o que você tem feito? Passado horas e horas com o Alexandre. Vai pra escola, depois para a papelaria e Alexandre. E ainda por cima precisa cuidar das coisas na sua casa. Que rotina é esta? Me diz? Isto é justo? Você só tem 17 anos! 200
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Terminou? _Não. Já que você quer ouvir minha voz, eu vou falar mas você não vai gostar. Ana, você precisa viver a sua vida. Eu é que estou impossibilitado e não você. Eu agradeço todo o seu carinho, a sua atenção, eu agradeço muito, mas é melhor você modificar a sua rotina. No momento eu não sou uma boa companhia pra você. _Chega. Eu estou aqui porque quero estar ao seu lado. Você fala como se fosse um empecilho na minha vida. _É isso mesmo, eu sou um empecilho na sua vida... é isso que eu sou, é assim que eu me sinto, como um grande obstáculo à sua frente, atrapalhando... _Amor, não fala assim. Você não me atrapalha. Eu venho aqui para ficar com você porque eu te amo- dizendo estas palavras ela se aproximou dele e o abraçou com muito carinho. _Amanhã eu quero que você participe da escola bíblica, combinado? - pediu Alexandre. _Combinado. No dia seguinte Ana foi para a aula de Beth, e pediu para que a professora lhe concedesse alguns minutos. _Obrigada, Beth- começou Ana- Em primeiro lugar, eu gostaria de agradecer a todas vocês que têm orado pelo Alexandre. Eu quero compartilhar algo com vocês. Eu e o Alexandre somos namorados, nós íamos oficializar no domingo de Páscoa, mas todas vocês sabem o que aconteceu. Ele está precisando muito que vocês o apresentem em oração, mais do que antes, pois está entrando em uma fase de 201
    • Tânia Gonzales desânimo. Não é fácil ficar sem poder fazer nada, vocês sabem o quanto ele era ativo. Outro dia eu fiquei pensando sobre uma aula em que nós enumeramos as várias qualidades de Edward Cullen. Se ele sofresse um acidente, o que aconteceria? Sairia sem nenhum arranhão, não é? O Alexandre tem muitas qualidades, eu posso dizer que ele é o meu Edward, não tenho vergonha de falar isso, mas infelizmente, ele não tem o poder de sair ileso em um acidente. Mas ele continua sendo o meu Edward, o meu príncipe. Ontem, ele queria que eu aproveitasse o sábado, saindo com as amigas, por exemplo, mas eu preferi ficar com ele, então ele me fez prometer que eu participaria da aula hoje e aqui estou eu. Ele está preocupado com o fato de eu passar horas da minha vida lá com ele, mas para mim não tem nada melhor do que estar ao lado dele. É lógico que eu gostaria que ele estivesse bem, mas mesmo ele estando impossibilitado de sair comigo em um sábado à noite, por exemplo, eu o amo. Eu quis dizer estas coisas para vocês, amigas, porque achei importante. Nestes momentos difíceis, em que nós não sabemos o porquê, Deus nos ensina o que é o verdadeiro amor; 1 Coríntios 13 diz: “ O amor é paciente, é benigno... não procura os seus interesses...tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.” É exatamente nestas horas que nós conseguimos compreender pelo menos um pouquinho do significado destas palavras. Todas as alunas ficaram em pé e aplaudiram, muitas estavam com os olhos marejados. Ana recebeu um forte abraço da amiga Simone. 202
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! Pastor Luís, veio do centro de recuperação, com Carlinhos, participaram do culto da manhã e à tarde foram visitar Alexandre. _Que bom te ver, meu amigo. Me desculpe por não ter vindo antes. Estas coisas não dependem de mim, eu preciso obedecer ordens- disse Carlinhos ao ver Alexandre. _Eu entendo, como você está? _Estou bem, graças a Deus. O pastor Luís, que está conversando com seu pai, disse que em pouco tempo eu vou receber alta. Não é uma benção? _Com certeza, amigão, fico feliz por você. _E você? Foi uma bela pancada, hein? _Foi mesmo. Eu estou aqui sem poder fazer nada. Virei um come e dorme. _Alê, não esquenta, logo você vai estar em pé, retomando suas atividades. É necessário paciência. Confie em Deus. Eu sei bem o que é ter que parar com tudo, é claro que por motivos bem diferentes. E você nem teve culpa, quanto a mim... bem você conhece minha história. Aproveite estes momentos para aprender algo de Deus. E estou sabendo que você tem uma namorada linda, é mais um motivo para se levantar desta cadeira! _Coitada da Ana, está sempre aqui comigo... _Agradeça a Deus por ter alguém tão especial... _Eu agradeço, mas ela merece algo melhor do que isso... _Isso? Você é um cara excepcional, amigão de verdade , a Ana sabe muito bem porque te escolheu. 203
    • Tânia Gonzales Mesmo recebendo tantas palavras de estímulo, Alexandre não conseguia se animar, achava que era um peso para Ana, e até lembrou que certa vez havia dito para a namorada que seria o guia turístico dela em São Paulo, e isso o deixava mais desanimado, pois agora dependia dos outros para se locomover. 204
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! "A provação vem, não só para testar o nosso valor, mas para aumentá-lo; o carvalho não é apenas testado, mas enrijecido pelas tempestades." Lettie Cowman Capítulo 16 -Rompimento As sessões de fisioterapia novamente foram motivo de desânimo para Alexandre, ele sentia muita dor em sua perna esquerda, não conseguia passar por nenhuma etapa dos exercícios necessários. Sexta-feira, ele encontrou com um rapaz de 23 anos que também havia sofrido um acidente, e depois da conversa com ele, se sentiu ainda mais desanimado. _E aí, colega, há quanto tempo está fazendo fisioterapia?- perguntou Alexandre. _Quatro meses e estou na mesma, estou até achando tudo isso uma perda de tempo.- respondeu o rapaz- E você? _Esta é minha quarta semana. Por quatro meses e nada? Bom, meu nome é Alexandre e o seu? _Vitor. O que aconteceu com você, Alexandre? O meu foi acidente de moto. _Acidente de carro. Eu precisei operar a perna esquerda. _Eu fraturei o fêmur. A minha doí até hoje, vai se acostumando, quando eles te abrem, cara, nunca mais você é o mesmo. Você vai sentir muita dor ainda, se prepara... _Eu não estou obtendo progresso algum. 205
    • Tânia Gonzales _Fraturou o quê? _A fíbula. _É como eu falei, andar normalmente nunca mais. Agora eu preciso ir. Tchau cara. _Tchau. Dr. Afonso tentou conversar com o filho durante o caminho para casa, mas Alexandre permaneceu calado pensando em tudo o que Vítor havia lhe falado. _Oi, filho, e aí como foi hoje? - perguntou Luísa. _Como todas as outras vezes... progresso zero. _Querido, tenha pa... _Paciência? Mãe, hoje eu conversei com um rapaz que fraturou o fêmur, está na fisioterapia há 4 meses e me falou que não teve melhora alguma. Ele disse que não adianta nada... _Em primeiro lugar, não foi o fêmur que você fraturou e você prefere dar ouvidos à pessoas pessimistas, por quê? Eu pesquisei na internet e... _Eu não quero ouvir, me desculpe... o que eu sei que já fiz um mês de fisioterapia e nada. Eu sinto uma dor horrível e não consigo... _Filho, o seu maior problema não está na perna, está na cabeça... _Pronto, o que a senhora quer? Quer que eu me encha de pensamentos positivos do tipo: Eu vou conseguir, eu sou vencedor! Mãe, para com isso... _Você está se esquecendo que Deus é que nos fortalece; você está focado no problema... 206
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _ Chega, eu vou deitar; me faz um favor, liga para Ana e diz para ela não vir aqui hoje. _Eu não vou fazer isso... _Mãe, por favor, não quero falar com ela hoje... Luísa resolveu não ligar, pensou que a presença de Ana o faria se sentir melhor. _Oi, como meu amor está hoje? - Ana se aproximou e deu um beijo no rosto do namorado. _O que você está fazendo aqui? _Que tal dizer um oi em primeiro lugar? _Eu disse que não era para você vir hoje... _Você não me disse nada... _Minha mãe... é claro que ela não ligou. _Nossa, você não queria me ver hoje? _É isso mesmo! _O que aconteceu? Como foi a fisioterapia? _Esta pergunta... você tinha que perguntar isso? Quer mesmo saber? Eu fui e não aconteceu nada, como em todos os outros dias. Não sei o que vou fazer lá, é só perda de tempo... _Você está errado, é preciso ter pa... _Não! Não diga esta palavra. Todo mundo me diz que é preciso ter paciência. Pois eu não tenho! Está surpresa? É isso mesmo, Alexandre não tem paciência; eu quero me levantar e andar com as minhas duas pernas e quero fazer isso normalmente, sem ajuda de ninguém. _Isso vai acontecer, mas leva um certo tempo. _Eu não quero esperar. Você já pensou na possibilidade de seu namorado depender de uma muleta para o resto da vida? 207
    • Tânia Gonzales _Alexandre, você está exagerando, é tudo tão recente! Você vai se recuperar totalmente... _E se eu não me recuperar? _Por que pensar assim? Sua mãe me contou sobre o rapaz que conversou com você. Pelo que ela me disse o problema dele é outro e mesmo que não fosse, cada caso é um caso, a recuperação varia de pessoa para pessoa. Amor, onde está a sua confiança em Deus? Por que este desânimo todo? _Porque eu estou cansado. Eu tenho que estudar, trabalhar... eu não consigo fazer nada... minha cabeça doí, minha perna doí... _Por que você não conversa com o médico? Talvez uma mudança de medicamento. _Não. Eu … quero que você vá embora. _Tudo bem, eu vou deixar você descansar... volto amanhã. Vamos fazer algo diferente amanhã... _Não, você não entendeu. Não venha amanhã. Eu quero que você viva a sua vida... chega de cuidar de mim. Eu … _O que você está falando? _Eu estou terminando o nosso namoro. Pelo menos eu não falei com seu pai ainda... _O quê? _É isso. A partir de agora você está livre deste … fardo. _Você não está bem mesmo! _Ana, eu estou falando sério, o nosso namoro acabou. Você precisa de alguém que possa cuidar de você, de alguém que possa te convidar para sair sem depender de mais ninguém... _Para com isso... você está aumentado o tamanho da 208
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! dificuldade. Isso virou um gigante... _Ana, eu agradeço todo o seu carinho, toda a sua atenção, você é uma garota incrível que merece ser feliz, eu não sou bom o bastante pra você... eu me sinto péssimo. Eu nem consigo orar... _Eu ajudo... _Não, eu … eu estou bravo com Deus, Ele não vai me ouvir, eu disse que foi muito injusto da parte dele permitir que isso acontecesse comigo, eu fui fazer um favor e voltei em uma ambulância, isso não é justo; eu ia me encontrar com você, eu ia falar com seu pai... _Amor, eu sei... olha isso vai passar... você está desanimado, não tenha vergonha disso; Deus compreende, Ele conhece a nossa estrutura. Isso que você está sentindo é natural. Deus não o ama menos por isso, Ele entende! _Vá embora. Eu quero que você viva como uma garota de 17 anos; você já sofreu tanto, não merece isso, me perdoe... não queria ser responsável por mais este sofrimento na sua vida... _Alexandre, eu te amo. Eu não venho aqui por obrigação... _Se você quer realmente me ajudar, vá embora e considere o nosso namoro terminado. Eu vou me sentir melhor se você aceitar isso. Eu ... imploro! Por favor! _Amor... _Não quero ser grosso com você... mas se for preciso... _Alexandre... _Acabou. Não me li-li-gue, e-e-eu não vou que-querer atender. O melhor mesmo é que você nem pergunte por mim, não queira saber como eu estou... agora saia, eu preciso 209
    • Tânia Gonzales descansar. Ana percebeu que não ia adiantar discutir com ele naquele momento, então saiu em silêncio. _Ana, está tudo bem? - perguntou o doutor Afonso assim que a viu saindo do quarto de Alexandre. _Não … - foi só o que ela conseguiu dizer, para em seguida desfazer-se em lágrimas. _Querida... - disse Luísa abraçando-a. _Ana, ele está deprimido, seja o que for que ele disse, não leve em conta- pediu Afonso. _Ele... ele... terminou o namoro. _Ana, é como eu disse, ele não sabe o que está dizendo... ele só quer poupá-la... - explicou Afonso- Vou levá-la para sua casa. Ana não conseguiu dormir, as palavras de Alexandre não lhe saíam da mente; preferiu não contar para ninguém o que havia acontecido. Roberto chegou quase meia-noite e ela resolveu fazer que estava dormindo. Levantou-se às 8h, o pai já havia saído; então ela aproveitou para colocar a casa em ordem; Lipe acordou às 11h e logo percebeu que a irmã não estava bem. _Oi, maninha, que cara é essa? Nem parece que dormiu... _Não dormi... _Aconteceu alguma coisa? _O Alexandre terminou o namoro comigo... ele acha que atrapalha a minha vida... _Terminou? Maninha... o que eu posso fazer por você? 210
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Lipe... ele está tão amargo... se entregou totalmente ao desânimo... Naquela tarde Ana resolveu ligar para a amiga Kátia e contou tudo o que havia acontecido. Aquela conversa fez bem para Ana, era bom poder desabafar com a amiga. Kátia prometeu pedir oração para os irmãos da pequena igreja pastoreada pelo tio de Ana em Santa fé do Sul. Lipe conversou com a prima Carol e contou o que havia acontecido com Ana para que ela desse uma força para sua irmã, pois ele não era muito bom neste tipo de coisa, nunca sabia o que dizer, seria muito melhor que a irmã se abrisse com uma mulher. _Oi, Ana, o Lipe me contou sobre o término do seu namoro, ah prima! Posso fazer alguma coisa pra ajudar? _Ore por ele. O desânimo tomou conta. _Ana, como é triste ver o Alexandre assim , justo ele que foi sempre tão animado! _É... eu sinto tanta falta do senso de humor dele! Estava sempre fazendo alguma gracinha. As primas passaram a tarde de sábado conversando; à noite Carol conseguiu convencer Ana para ir ao culto especial de missões; viriam alguns missionários que eram sustentados pela ICVV e com certeza teriam testemunhos maravilhosos. Após o culto, no salão de festas, teriam um rodízio de pizzas, para arrecadação de fundos para missões. Ana ficou feliz por ter aceitado o convite da prima, realmente foi um culto maravilhoso. Puderam conhecer detalhes sobre o dia a dia de um missionário e ao ouvir todas aquelas 211
    • Tânia Gonzales experiências, Ana se animou, sabia que se tivesse ficado em casa estaria com os olhos inchados de tanto chorar; ali ela também chorou mas foram lágrimas por sentir a gloriosa presença de Deus, ela pensou que era disto que Alexandre estava precisando, sentir a presença de Deus. _Ana, que bom vê-la aqui! - disse Joyce ao final do culto. _Oi, Joyce, graça e paz... - cumprimentou Ana. _Graça e paz, minha amiga... como você está? _Agora, depois de ter participado deste culto, que foi uma benção, estou bem. E o seu irmão? _Tem certeza que você quer saber? _Quero sim. _Ele ficou o sábado todo trancado no quarto, quase não se alimentou; conversar com ele é impossível, simplesmente não responde. Não quis receber visitas, alguns jovens foram lá vê- lo e ele pediu para minha mãe dizer que estava dormindo. E já avisou que não vai mais à fisioterapia. Meu pai vai chamar um médico para vê-lo segunda-feira. O problema maior não é a perna, é maneira como ele está reagindo a tudo isso. Ele está deprimido. _Como é complicado! Eu sei que Deus vai nos indicar um caminho para poder ajudá-lo. Joyce, ontem eu saí da casa dos seus pais arrasada, chorei muito, conversei com minha amiga de Santa Fé, que também ia pedir oração na igreja que nós congregávamos. Carol me deu a maior força e me convenceu a vir ao culto, o que me fortaleceu. O Alexandre vai sair dessa... _Com certeza! E agora, que tal agora nós comermos uma 212
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! pizza? O Celso já está lá com as crianças. Foram participar do rodízio de pizza; Ana passou momentos ótimos com Melissa e o pequeno Lucas. Aproveitou também para ter uma conversa com o pastor Jair. O pai de Ana também apareceu lá, havia saído mais cedo do restaurante. Roberto conversou bastante com Beth, Ana percebeu que os dois se davam muito bem, achou isso interessante. No dia seguinte, Ana participou da escola bíblica e do culto da manhã, depois foram todos almoçar na casa do tio Rubens, para aproveitar a folga de Roberto. Após o almoço, vovó Telê conversou com Ana sobre Alexandre. Sabrina ouviu parte da conversa e descobriu que Ana e Alexandre não estavam mais namorando. _Que sorte a sua, Ana! - disse Sabrina. _Sabrina, você estava ouvindo a nossa conversa? - Vovó perguntou sem esconder a decepção. _Não, vó, eu só estava passando e ouvi, foi sem querer... mas é como eu disse, Ana, sorte sua. _Sabrina, isso é lá maneira de falar com sua prima, ela não está nada feliz com isso! _Pense bem, Aninha, agora você está livre! Já imaginou se o Alexandre depender de uma muleta para andar? _Sabrina, como você pode dizer uma coisas dessas? - perguntou Ana com indignação. _Eu estou certa! Todo mundo pensa isso, mas ninguém tem a coragem de dizer! Ana, você quer um namorado que não vai poder te levar pra sair? Ou vocês vão precisar usar o transporte coletivo ou então depender de outros para levá-los. 213
    • Tânia Gonzales Se bem que logo, logo você vai completar dezoito anos, né? Aí você tira sua carta... _Sabrina! Pare com isso! Como você pode ser tão insensível? - perguntou a avó- Você sequer foi visitá-lo! _Vó, eu sou sincera e prática. Ana, você deve agradecer a Deus pelo Alexandre ter terminado o namoro, ele fez um favor para você, que passava horas paparicando ele. É isso que você quer de um namorado? Ele precisa de uma enfermeira, isso sim! _Você não entende, não é? Isso é porque você precisa tirar vantagens dos relacionamentos, sempre! Um dia você vai gostar realmente de alguém, aí então você vai compreender o que é se doar, querer cuidar de alguém com carinho... estar perto, conversar e compartilhar tudo, até mesmo os momentos difíceis. _Aninha, para com isso! Tchau pra vocês, cansei... _Querida, não ligue para Sabrina... - Vovó Telê abraçou a neta e continuaram a conversa por alguns minutos. Quando voltaram para casa, ela e o pai tiveram uma longa conversa. Ana pensou em como era bom poder contar com a ajuda da família e dos amigos, tudo parecia mais fácil. Ela estava sentindo que Deus a estava guiando. Algumas ideias surgiram em sua mente e ela começaria a pôr em prática imediatamente. Foi ao culto de domingo à noite e teve uma conversa com Tiago, o filho do pastor; o único problema foi que Simone viu e foi logo tirando suas conclusões. _Ana- começou Simone assim que a viu sozinha- O que você está inventando? Pensa que eu não vi você conversando com 214
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! o Tiago? _Calma, Si, não é o que você está pensando. Eu falei com o Tiago sobre o Alexandre. Relaxa, tá? Mas se você quiser... _Pode parar... Ana também falou com Beth. E ao chegar em casa fez um pedido especial para o irmão. 215
    • Tânia Gonzales "Quando a dor tem que ser suportada, um pouco de coragem ajuda mais do que conhecimento; um pouco de simpatia humana, mais do que coragem, e a menor migalha de amor de Deus mais do que tudo." C.S.Lewis Capítulo 17 -O.R.A.D Alexandre, assim que viu seu pai naquela manhã de segunda- feira, informou-lhe que não iria à fisioterapia e que não ia adiantar insistir, pois era uma decisão dele e que não iria mudar de ideia por nada. Dr. Afonso ficou muito contrariado, mas respeitou a decisão do filho. Luísa estava muito preocupada, o filho comia pouco e passava a maior parte de seu tempo dormindo e sempre se recusando a receber visitas. Ana ligava todos os dias para saber notícias de Alexandre, mas só falava com Luísa. E procurou tranquilizar a mãe dele dizendo que ele iria se recuperar, que Deus havia dado algumas estratégias e que ela já estava trabalhando nisso. Na quarta-feira, Ana aproveitou para falar com o dr. Afonso. Ela havia passado os últimos 3 dias conversando com várias pessoas envolvidas com a vida de Alexandre e estava na hora de colocar o plano em ação. _Então, maninha, quando eu vou até a casa dele? - perguntou Lipe. _Amanhã. Já encontrou algum problema no seu notebook que convença o Alexandre? - 216
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Já, e o Samuel também vai levar o dele. _A Joyce vai dar uma carona para vocês. Eu vou embrulhar os presentes para você levar. _ Presentes? O quê? _Um DVD do filme “Desafiando gigantes”; o livro “ Mananciais no deserto”; um CD com uma seleção que eu fiz especialmente pra ele e uma carta escrita por mim. E eu vou fazer umas bolachinhas e pãezinhos folhados. _Uau! Uma operação resgate? Já sei... O.R.A.D... _ORAD? O que é isso? _Operação resgatando Alexandre do desânimo. Gostou? _Adorei! ORAD. É isso. Várias pessoas estarão participando desta operação... _Quem? _Além de você e do Samuel, Pr. Jair, Tiago, Beth, Carlinhos, a família do Alexandre e outros... _Nossa, é uma verdadeira operação resgate... _Com a ajuda de Deus, nós vamos conseguir tirar o Alexandre deste desânimo, eu tenho certeza. Quarta-feira à noite Alexandre recebeu a visita do Pr. Jair, ele bem que queria pedir para mãe dizer que ele já estava dormindo, mas não conseguiu, não queira fazer a mãe mentir para o pastor. _Alexandre, meu filho! Como você faz falta... eu não queria incomodar... mas estou com um problema no site da igreja, e eu preciso fazer algumas modificações, você poderia dar uma mãozinha para seu pastor? _Claro, eu vou dar uma olhada … 217
    • Tânia Gonzales Assim Alexandre passou mais de uma hora navegando pelo site da igreja e conversando com o pastor Jair sobre as mudanças que ele queria que fossem feitas. A ORAD havia começado com sucesso. No dia seguinte, Joyce foi almoçar na casa da mãe com as crianças, após o almoço Melissa pediu para o tio jogar vídeo game com ela e ele não teve como recusar, foram várias horas se divertindo com a sobrinha. _Quase quatro horas da tarde, Lipe e Samuel chegaram. _E aí, Alexandre? “Tô” até com vergonha, eu sei que você precisa descansar, mas é que estou com um problema e o Samuel também... vai desculpando, mas... _Para com isso Lipe, dá aqui pra mim, eu estou cansado de tanto descansar... esta é a verdade, amigão. E assim passaram mais duas horas com a ORAD em ação. Antes de sair, Lipe entregou o presente que Ana havia mandado. Ao ficar sozinho, Alexandre abriu a bonita caixa onde havia um potinho com as bolachinhas e pãezinhos,o DVD do filme “ Desafiando gigantes”, um CD, o livro “ Mananciais no deserto”26 e um envelope. “ Para Alexandre com todo meu coração”- dizia o envelope- Alexandre o abriu e começou ler a carta escrita por Ana: “ Amor, estou lhe enviando estes presentes com muito amor e gostaria que você fizesse uso de cada um. Por favor, não os deixe de lado. Reveja o filme “ Desafiando gigantes”, pensando nos seus próprios gigantes e vença-os! Ouça as músicas, fiz esta seleção especialmente para você, mas ouça 26 Autora: Lettie Cowman 218
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! com o coração e sinta a doce presença de Deus o envolvendo, uma delas é aquela da Fernanda Brum “ Espírito Santo”; na última vez que nos vimos você disse que não estava conseguindo mais orar, então deixe que o Espírito Santo de Deus ore por você. Leia o livro “ Mananciais no deserto”, ganhei este livro quando minha mãe morreu, foi um presente da minha vó, é muito especial, fala profundamente, preste atenção na mensagem do dia 10 de maio e na do dia 25 de setembro; e finalmente, saboreie as bolachinhas e os pãezinhos folhados, fiz com muito carinho, vão ficar ótimos com aquele delicioso café feito por sua mãe. Um beijo grande e não se esqueça que te amo! Saudades... de sua Ana” “P.S.: Se você preferir pode começar pelas bolachinhas...” _Ana... Ana... só você mesmo! Eu acho que vou começar pelas bolachinhas... - disse Alexandre para em seguida chamar sua mãe. Ana tinha razão, um cafezinho seria ótimo. Após saborear um delicioso café com os pãezinhos e bolachinhas feitos por Ana, Alexandre resolveu ouvir o CD; uma das músicas da seleção de Ana era “ Te vejo”27 cantada por PG, a letra falou profundamente ao coração dele: “ Te vejo nos momentos de dor, te vejo na noite, quando na vida o sol se põe, tu és a luz... te vejo no deserto na aflição, te vejo no vale, vejo tuas mãos cobrindo o sol, guardando-me...” E Alexandre ouviu por mais duas vezes e começou a cantar quando chegou na parte que diz: “ Sinto teu abraço e teu carinho, Tu és fiel e não há razão pra duvidar do teu 27 “ Te vejo” : Música de Jesus A.Romero- cantada pelo PG. 219
    • Tânia Gonzales coração,sinto tuas mãos sobre mim...” Neste momento as lágrimas começaram a cair em sua face e ele não conseguiu mais cantar, ficou ali por vários minutos chorando... e dizendo “me perdoe... me perdoe...”, era só o que ele conseguia balbuciar. Enquanto isso, a música dizia exatamente como Alexandre estava se sentindo: “ Estou clamando, estou pedindo, só Deus sabe a dor que estou sentindo, meu coração está ferido, mas o meu clamor está subindo.”28 _Espírito Santo ,ore por mim... eu não consigo... me ajude... eu preciso de ti... - Eram as palavras de um jovem com um coração quebrantado. Ele pegou o livro que Ana havia enviado e começou a ler e um versículo bíblico chamou sua atenção: “Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus”29. Alexandre estava entrando pelo caminho da cura de sua depressão, passou quase uma hora ali, só chorando , de vez em quando saía uma palavra, mas a maior parte do tempo eram só lágrimas. Sexta-feira Alexandre recebeu a visita de Tiago, o filho do pastor Jair, eles estudavam na mesma faculdade, a diferença era que Tiago estava no terceiro ano. Esta visita era mais uma etapa da ORAD. _E aí, amigão, como você está? - perguntou Tiago se aproximando de Alexandre e dando-lhe um abraço. _Estou melhorando, obrigado. E como vão as coisas ? _Está tudo beleza, amigão! Ontem eu conversei com alguns 28 Música de Fernanda Brum: “ Espírito Santo. 29 Salmo 46.10 220
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! professores e eles vão mandar as lições para você acompanhar. _Isso é ótimo. _O Bruno vai ser o encarregado de vir até aqui para trazer as lições. Eu faria isso com maior prazer, mas um ano nos separa... _Legal. Valeu a força. Eu estive tão desligado que nem pensei nisso. -Mas isso será por pouco tempo, logo você vai poder participar das aulas, certo? _Certo, amigão! Tiago, eu quero fazer uma pergunta... _Fala aí... _A Ana tem participado dos cultos? _Ana... quem é essa? _Para com isso! _Ontem mesmo ela participou do culto de oração... _E... você chegou a ver com quem ela foi embora? Que pergunta... é claro que você não viu... _É aí que você se engana! Eu a levei para casa. Já que você tirou o time de campo, eu pensei... por que não? _Tiago! _Deixa eu brincar um pouquinho... ela deve ter ido com a Carol. Eu conversei com a Ana ontem, mas não precisa ficar com ciúmes. Eu só pedi pra ela dar uma força, sabe... eu convidei uma garota pra sair e ela me disse não! Você acredita? _Que garota? _Simone. Que menina difícil! Ela só sabe dizer não. Como eu 221
    • Tânia Gonzales percebi que ela e a sua Ana são amigas... _Entendi... boa sorte, amigão. _Mas e aí? _E aí o quê? _A Ana, está livre mesmo? _Tiago... cuidado. _Cuidado você! Se eu tivesse uma namorada como a Ana não a deixaria por nada... _Vamos falar sobre ciências da computação... é bem mais simples... _Nisso você tem toda a razão! Naquele mesmo dia, Alexandre teve uma surpresa. Ronaldo foi até o centro de recuperação e trouxe Carlinhos para passar o final de semana com a família; mas como ele também fazia parte da ORAD, foi dormir aquela noite na casa de Alexandre e passar o sábado com ele. Os dois conversaram muito e Alexandre convidou Carlinhos para assistir ao filme “Desafiando gigantes”; o que foi ótimo pois Carlinhos ainda não havia assistido. _É, Alê, todos nós enfrentamos gigantes, o que muda é a maneira de enfrentá-los, pois o tamanho não importa, gigante é gigante! Eu tenho obtido vitória sob os meus gigantes, graças a Deus e a ajuda de muitos amigos e você? _Agora eu posso dizer que estou enfrentando, porque antes eu estava fugindo de tudo e de todos, mas Deus é fiel, Ele tem enviado pessoas especiais como você para me dar a mão e me ajudar a levantar... _É isso aí, meu grande amigo, é assim mesmo que se fala! 222
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! Tenho orgulho de você! Duas horas da madrugada Luísa levantou-se para beber água e ficou feliz ao ouvir a voz do filho e do amigo Carlinhos, como era bom saber que ele estava reagindo. O sábado foi um dia muito divertido, Alexandre e Carlinhos conversaram muito, aproveitaram para testar um novo game, comprado por Alexandre alguns dias antes do acidente e até formaram um dueto com Carlinhos no violão e Alexandre cantando. À tarde Carlinhos se despediu do amigo. Naquela mesma tarde, Alexandre recebeu outra visita, também pela ORAD, Renato, um dos sócios da R.R.D.S, a empresa onde Alexandre trabalhava, tinha uma proposta para ele. _Oi, meu querido! Como você está? _Renato? Que bom te ver! Estou melhorando... quando chegou de viagem? _Há dois dias. Era para eu ter vindo aqui ontem , mas a R.R.D.S está uma loucura; como você faz falta! _Para com isso! E como foi a sua viagem? Muitas novidades? _Com certeza, Alê! Você vai gostar, você sabe amigão, “nos States” sempre tem novidades no mundo da computação... mas eu estou precisando de você. _Precisando de mim? _Eu sei que você está de licença médica, mas seria possível você realizar alguns serviços para o seu grande amigo? _Tudo bem... eu vou adorar ser útil novamente. _É o seguinte, vai ser tudo no seu ritmo... nada urgente, entendeu? 223
    • Tânia Gonzales _Fechado! Pode mandar! _Gostei! E você está de parabéns, sua namorada é... _Minha namorada? Você viu a Ana? _Ai, ai, ai... acho que pisei na bola... esquece. _Espera aí, Renato, onde você viu a Ana? _Era segredo... a minha boca grande... ela foi lá na R.R.D.S com a sua irmã. _Quando? _Há dois dias... _Para quê? _Justamente para me dizer que você estava disposto à trabalhar em casa. A Ana me explicou que se o serviço não fosse para ontem, você poderia muito bem realizar, e que seria muito bom para você se ocupar, é isso. Ela é uma gata! E é muito simpática também e é inteligente... _Calma aí... _Com todo o respeito! Então, estamos combinados? _Com certeza. Valeu mesmo! _Eu que agradeço... E assim mais uma etapa da ORAD foi realizada. À noite, Ronaldo e Laura reuniram alguns jovens e foram à casa de Alexandre, foram horas de muito louvor, oração, bate-papo descontraído e muita pizza. Beth também participou da reunião. A ORAD estava em ação. _Beth, a Ana sabia que vocês viriam aqui? - perguntou Alexandre quando todos já estavam saindo. _Sabia. _Ela não quis vir? 224
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Alê, ela achou melhor não... _Ah... valeu Beth... obrigado por todo o carinho de vocês, é muito importante para mim. _Fico feliz por você, que está com uma aparência ótima. _Eu estou me sentindo bem. _Por que você não faz uma ligação para uma certa pessoa, hein? Tenho certeza que isso a faria muito feliz. _Na verdade eu preciso conversar com ela pessoalmente. Alexandre queria muito se encontrar com Ana, tinha muitas coisas para dizer, mas ele estava com um certo receio, decidiu que esperaria pelo momento ideal. Ligou o CD player e ficou curtindo “You are the love of my life”30. Retirou debaixo do travesseiro uma foto dos dois no parque Ibirapuera. Como aquela linda garota dos cabelos negros lhe fazia falta. Como ele pôde pensar que seria melhor ficar longe dela? 30 Música de Michael W. Smith. 225
    • Tânia Gonzales "Façamos da interrupção um caminho novo. Da queda um passo de dança, do medo uma escada, do sonho uma ponte, da procura um encontro!” Fernando Sabino Capítulo 18 -Surpresas Domingo, Alexandre acordou cedo, ligou para Joyce, querendo saber se ela iria à escola bíblica naquela manhã, pois ele gostaria que ela entregasse algo para Ana. Em menos de uma hora Joyce estava diante do irmão toda curiosa para saber o que ele tinha tanta urgência em dar para Ana. Alexandre lhe entregou um presente que logo ela percebeu ser um CD. _É um CD? Qual? Que papel mais delicado... _Por que as mulheres são tão curiosas? _Me conta. _Não conto. Você vai se atrasar para a aula... Antes do início do culto da manhã, Joyce entregou o presente de Ana e contou as últimas notícias sobre o sucesso da ORAD. Ana não via a hora de chegar em casa para abrir o seu presente. Carol não conseguia esconder a curiosidade, mas sabia que teria que esperar que a prima lhe revelasse mais tarde o conteúdo do delicado embrulho. _Ana chegou em casa e foi direto para o seu quarto, o almoço teria que esperar. Abriu o pequeno pacote e logo viu que se tratava de algo muito especial, pois na capa havia uma foto 226
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! dela e Alexandre juntos no parque Ibirapuera. Ela abriu a caixinha do CD e ali havia um pequeno cartão em formato de uma flor. “ Ana, me perdoe! “ - era só o que estava escrito. Ela colocou o CD e começou a ler na tela de sua TV algo muito especial escrito por Alexandre: “ Um aviso para minha linda garota dos cabelos negros: preste bastante atenção na música, ela é nossa agora. Pense em cada palavra como se eu estivesse aí bem pertinho sussurrando em seu ouvido”; então ao som de “You are the love of my life”31, ela viu algumas fotos de Alexandre bebê, também algumas fotos dos aniversários dele e por último havia as fotos que foram tiradas no parque Ibirapuera. Alexandre teve o cuidado especial de colocar uma cópia da tradução da música, pois sabia que Ana não dominava o idioma inglês. Uma parte da música dizia: “ às vezes é tão difícil acreditar, quando as noites podem ser tão longas, e a fé me dá força e me fez continuar seguindo em frente” ; o refrão dizia “ Você é o amor da minha vida, e eu estou tão feliz que você me encontrou, você é o amor da minha vida...” Ana ficou muito emocionada e resolveu ver Alexandre após o culto noturno. _E aí, meu irmão, o quê você deu para Ana? - perguntou Joyce . _Como você é curiosa! Eu vou mostrar para você- Alexandre pegou o notebook e colocou a pequena edição que havia feito 31 Música de Michael W. Smith 227
    • Tânia Gonzales com as fotos. _Que gracinha! Ela deve ter amado! Esta música é linda... _Quase que eu ia me esquecendo... fiquei sabendo da visita que você e a Ana fizeram à R.R.D.S. _Não acredito que o Renato contou! Nós falamos para ele que era segredo... _Coitado, saiu sem querer... vocês duas... _Foi ideia da Ana, eu só a acompanhei. E aí o quê você achou? _Eu achei ótimo, era exatamente do que eu estava precisando, trabalho. A Ana é incrível. _Com certeza. E você mandou ela embora! Dá pra acreditar nisso? _Mas eu vou consertar isso. _Na verdade você já começou e muito bem por sinal... _Hoje à noite eu vou fazer uma surpresa para Ana, bom, não só para ela ... _O quê você vai fazer? _Me aguarde... Eram quase seis horas da tarde, Carol e Ana estavam conversando animadamente esperando pelo início do culto; Ana estava contando para prima sobre o CD que Alexandre havia feito especialmente para ela, quando Carol olhou para trás e viu algo que a deixou extremamente feliz. _Você não vai acreditar! Olha só quem veio ao culto hoje! - exclamou a prima com toda a animação. _O que foi Carol? Quem? 228
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Veja você mesma! _O Alexandre veio hoje! Não acredito! Jesus... como eu te agradeço! - os olhos de Ana encheram-se de lágrimas. _Prima! A ORAD foi uma benção, um verdadeiro sucesso! _Tem razão! _Vamos lá falar com ele? _É melhor esperarmos um pouco, tem tanta gente em volta dele... Alexandre estava muito emocionado, como era bom estar ali novamente. Ficou comovido com a acolhida de seus irmãos em Cristo. E como aquele momento era especial para todos os envolvidos na ORAD, pois estavam vendo o resultado ali diante dos olhos. Ana não conseguiu falar com ele, pois o Pastor auxiliar convidou todos para uma oração, o culto iria começar. Em seguida, ele avisou sobre três eventos que teriam no mês de junho : no dia 07 seria realizado o DIP32 ( Domingo da Igreja Perseguida), como em todos os outros anos eles fariam uma programação toda especial com oração logo pela manhã, as aulas da escola bíblica também falariam sobre o assunto, o culto da manhã teria apresentações de peças teatrais, uma mensagem do Pr. Jair e o culto da noite também seria dedicado aos irmãos que são perseguidos por sua fé em todo o mundo. Vários irmãos da ICVV eram parceiros da Missão Portas Abertas33 e sempre contribuíam 32 O DIP é realizado por muitas igrejas todos os anos, a fim de conscientizar a igreja livre sobre o sofrimento de nossos irmãos em todo o mundo. 33 A missão Portas Abertas é uma entidade sem fins lucrativos que serve 229
    • Tânia Gonzales para ajudar a igreja sofredora. No dia 12 , dia dos namorados, haveria um jantar para todos os casais da igreja e no dia 21 seria realizado um grande batismo. Foi um culto inesquecível, o clima de adoração e gratidão era maravilhoso. Quando o Pastor Jair apresentou Alexandre, os irmãos glorificaram a Deus pela vida dele. _Amado, como é maravilhoso tê-lo novamente aqui conosco, nós louvamos a Jesus pela sua vida, Alexandre. Eu sei que você quer falar hoje e tenho certeza que todos aqui estão ansiosos para ouví-lo, mas não se preocupe, o microfone chegará até você. _Graça e paz meus amados irmãos. É... bem difícil conseguir falar em um momento tão especial... mas vou conseguir, com a ajuda de Jesus. Todos vocês sabem sobre o acidente, eu agradeço a Deus por não ter acontecido algo pior, pelo Gustavo estar bem,e eu continuo te amando, meu amigo, nunca se esqueça disso; mas talvez o que muitos não saibam é que o mais grave não foi os ferimentos provocados pelo impacto da batida. Eu sei que logo estarei recuperado fisicamente. O pior aconteceu depois, eu passei por uma experiência que nunca vou esquecer. O desânimo foi chegando aos poucos. E sem eu perceber, ele tomou conta de mim. É terrível... você se sente péssimo, é como se você estivesse em um abismo profundo... eu fiquei deprimido, o meu problema se transformou em um gigante. Eu só queria os cristãos perseguidos em todo o mundo; para maiores informações: www.portasabertas.org.br 230
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! ficar deitado, sem falar com ninguém. Amados, como é triste. Eu não suportava ouvir as pessoas me dizendo: “ tenha paciência, isso vai passar, você vai superar, calma...”, aquilo me irritava. Então, eu fiquei insuportável, até para mim mesmo. Me senti a pior das pessoas. Eu entrei pelo caminho da depressão. É complicado dizer isso, alguém pode até pensar:” Como pode um cristão se sentir assim, onde está a confiança em Deus? Têm pessoas que sofrem muito mais, passam por coisas bem piores , isso não é nada!” É muito fácil julgar, mas não caia neste erro, pois isso pode acontecer com qualquer um. Só Deus conhece a nossa estrutura, Ele sabe muito bem o que cada um de nós consegue suportar. Eu me lembro de um sermão do pastor Jair sobre Elias. Ele disse que o desafio era bem menor, para quem havia enfrentado tantos profetas de Baal, era só uma ameaça de Jezabel. Mas Elias não teve forças. Eu queria que Elias tivesse dito assim: “ Jezabel? Quem é ela? Eu sou Elias, o profeta de Deus! “ Mas sabem de uma coisa, na verdade eu não queria isso, não. Porque assim eu posso concordar com o apóstolo Tiago que disse que Elias era um homem sujeito aos mesmos sentimentos que nós34. Elias havia chegado no limite das suas forças. Irmãos, naquela dia do acidente, eu estava muito feliz, com muitos planos e de repente... amados... como é importante a nossa comunhão com Deus, pois você nunca sabe o que vai acontecer, nosso corpo é tão frágil, mas o engraçado é que ao mesmo tempo ele é forte. Há um mistério aí. Eu saí do abismo, mas não foi pela minha própria força, 34 Tiago 5.17 231
    • Tânia Gonzales Jesus me levantou, Ele usou pessoas muito especiais e eu amo todos vocês. Eu sei que vocês oraram muito por mim. Agradeço a todos que me visitaram. Mas há algumas pessoas que eu preciso citar aqui: meus pais, quanta paciência! Quanto amor! Minha irmã querida, Joyce, agradeço a Deus pela sua vida, eu te amo! Meus sobrinhos também participaram deste processo de cura, como as crianças são meigas, doces, sinceras... meu cunhado, Celso, sempre presente. Pr. Jair e Lígia, sempre usados por Deus para nos abençoar. Ronaldo e Laura, tão amáveis, o apoio de vocês foi essencial e os jovens que estiveram lá em casa, com o todo o carinho; mas eu ainda preciso citar alguns nomes, tenham paciência comigo, olha eu usando a palavra que eu tanto temi. Tiago e Carlinhos vocês são uma benção, meninas prestem atenção neles; Beth, grande amiga para todas as horas; Carol e Lipe, quão preciosos vocês são! Mas há uma pessoa que eu preciso agradecer ainda mais, com certeza eu não saberei usar as palavras certas, não serão suficientes, mas ela é um presente de Jesus para mim. Mesmo sendo obrigada a manter distância, por imposição do deprimido Alexandre, ela não permaneceu distante, o seu coração esteve sempre bem pertinho de mim. E ela, com muito carinho e cuidado conseguiu me alcançar, usou de vários meios para que o remédio chegasse até mim, na hora e na medida certa. Eu só tenho que agradecer pela sua paciência e pelo seu amor, Ana, obrigado por não me esquecer. Bom, acho que terminei... só mais uma coisinha.. para alguém que talvez esteja aí pensando, este rapaz está em uma cadeira de rodas agradecendo? A verdadeira tragédia é 232
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! quando você entrega os pontos, é quando você acha que Deus está longe, muito longe para ser alcançado. Quando você perde totalmente as esperanças. Mas se você tem fé , tudo muda, as coisas começam a fazer sentido. Quando você estiver só enxergando o gigante à sua frente, lembre que Deus é maior e que Ele sempre tem alguém para usar. E esteja disposto a também ser um instrumento de Deus para a cura de alguém. Pastor Jair pediu para que todos se levantassem, era o momento de fazer uma oração especial de agradecimento. Todos estavam profundamente comovidos com o testemunho de Alexandre. Ana chorou durante todo o tempo que ele esteve falando. Quando o culto terminou, Alexandre se viu novamente rodeado de pessoas. Joyce localizou Ana e a levou para o carro de seu pai, queria fazer uma surpresa para o irmão. _Alê! Que emoção amigão, quase que eu chorei! Consegui segurar as lágrimas.- disse Tiago ao se aproximar de Alexandre. _Tiago, para que segurar as lágrimas, deixe que elas rolem... _Eu? Nem pensar! A ORAD foi uma benção! _A o quê? _ORAD? Você ainda não sabe? _ORAD? O que é isso? _Então, eu vou deixar para a Ana explicar. Pergunte para ela... _Filho, vamos? _Claro... quer dizer... eu não vi a … - Alexandre estava ansioso para conversar com a Ana, mas não havia se 233
    • Tânia Gonzales encontrado com ela ainda. _Eu sei, mas nós precisamos ir. _Tudo bem, vamos então... Assim que Alexandre chegou próximo ao carro viu Joyce e logo perguntou se ela sabia onde Ana estava. _Ana? Eu acho que ela já... você queria falar com ela?- brincou a irmã. _Joyce... me poupe. _É melhor o papai ajudá-lo a entrar no carro... _Mas... nós não podemos esperar só mais um pouquinho? - insistiu Alexandre com esperança que Ana aparecesse ali no estacionamento. _Tem certeza que você quer deixar a Ana mofando no carro? _Mofando no carro ? Do que você está falando? Joyce abriu a porta do carro e Alexandre deu um enorme sorriso ao ver Ana escondida no banco traseiro. _Oi! Surpresaaa! - disse Ana meio sem jeito. _Oi, bela surpresa... tudo bem com você? _Tudo ótimo! _Vamos embora, vocês matam a saudade lá em casa- disse Dr. Afonso ajudando Alexandre a entrar no carro. _Tchau para vocês, eu vou para casa; vocês têm tanto para conversar que eu não vou levar uma menininha curiosa para atrapalhar.- explicou Joyce. _Valeu minha irmã, amanhã a gente se vê. _ Ana foi o caminho todo acariciando os cabelos de Alexandre, sem se importar em ter a mãe dele ao lado presenciando o momento de carinho. Ao chegarem em casa 234
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! foram logo deixados à sós na sala de estar. _Então... aqui estamos... me diga uma coisa, o que é ORAD? _ORAD? Você ainda não sabe? _Não sei, me diga. _Calma... tão apressadinho! Bom, lá vai: O.R.A.D significa: Operação Resgatando Alexandre do Desânimo. _Operação resgatando Alexandre do desânimo!- repetiu Alexandre surpreso. _É isso! Foi o Lipe que deu o nome à tudo o que foi realizado com o objetivo de ajudar você. _Que incrível. Desde … _Os presentes: CD, livro, filme, bolachinhas... _Deliciosas … foi você mesma que fez? Não sei não... _Claro que fui eu! As visitas que você recebeu, o SOS notebook, outro exemplo da ORAD em ação... _Vocês são demais... o Carlinhos também? _Com certeza! _E você foi até a R.R.D.S... eu fiquei com ciúmes, sabia? O Renato ficou te enchendo de elogios. _Ele é muito simpático... _É mesmo? _Mas eu já estou apaixonada. _Verdade? _Verdade... eu estou muito apaixonada... mas eu não sei... acho que não sou correspondida. _Por que você pensa assim? _Ele me mandou embora. _Ele não sabia o que estava fazendo... vem aqui pertinho de 235
    • Tânia Gonzales mim, eu estou com tanta saudade dos seus... _Dos meus... E Por alguns instantes as palavras não foram necessárias. _Ana, como você me fez falta! Me perdoe, amor. _Já perdoei. É tão bom estar aqui pertinho de você, senti tanta falta do seu cheiro... _Assim eu fico com vergonha... minha linda garota dos cabelos negros. - disse Alexandre acariciando os cabelos dela. _Eu amei o CD que você fez pra mim... _Eu fiquei surpreso ao perceber que a letra tinha tudo a ver com nós dois. _Gracinha. _Meus lindos... desculpe interromper, eu sei que o amor alimenta os corações apaixonados, mas eu preparei um lanchinho, que tal? - sugeriu Luísa ao entrar na sala. _Ótimo, meu coração está feliz, mas o meu estômago não está nada satisfeito. - brincou Alexandre. _Concordo. - disse Ana. Durante o lanche Alexandre ficou sabendo que a fisioterapia já estava marcada para o dia seguinte, mas com uma mudança no horário. _Às três horas da tarde? _O motivo é simples, porém importante: A Ana vai conosco- explicou o pai de Alexandre. _Entendi. Tudo bem, depois de tudo o que eu fiz, não posso questionar nada. _Então, estamos combinados, vocês passam lá em casa amanhã. - disse Ana. 236
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! Ana e Alexandre desfrutaram da companhia um do outro por mais alguns minutos e depois o dr. Afonso a levou para casa. Roberto que esteve trabalhando aquele dia, ficou sabendo de tudo através de Lipe. Assim que Ana entrou ele a recebeu com um forte abraço. _Pai... _Minha filha, que benção hoje, hein? Pena ter perdido... _Foi simplesmente maravilhoso. 237
    • Tânia Gonzales "Os momentos mais felizes da minha vida foram aqueles, poucos, que pude passar em minha casa, com a minha família. “ Thomas Jefferson Capítulo 19 -Visitas especiais Alexandre sabia que agora precisaria se esforçar bastante para que a sua recuperação fosse um sucesso. Foi para fisioterapia com muita confiança. A presença de Ana era um grande estímulo para ele. O fisioterapeuta que trabalhava à tarde se chamava Moisés, ele também era evangélico. Alexandre foi logo contando tudo o que havia acontecido, até sobre sua rápida, porém dolorosa, passagem pelo deserto do desânimo. Luísa ficou muito feliz ao ver a nova atitude do filho em relação à fisioterapia. Assim que eles voltaram do hospital ela teve uma conversa com Ana. _Ana, vem aqui um pouquinho- chamou Luísa- eu queria falar com você, longe do Xande. _Tudo bem. _Eu quero muito agradecer, eu sei o quanto você sofreu por ele. Eu já agradeci tanto a Deus por ter trazido você para as nossas vidas... você é uma moça muito especial, Ana. _Que isso, Luísa, assim eu fico toda sem jeito. O seu filho que é um encanto. Vocês formam uma família muito abençoada. Vocês me receberam sempre tão bem, mesmo antes do meu 238
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! namoro com Alexandre. Luísa e Ana estavam se abraçando quando Afonso entrou e presenciou a cena. _Posso abraçar também? Ana, obrigado por tudo! _Dr. Afonso! Não precisa me agradecer. Foi uma semana bem especial para todos, Alexandre participou de todas as sessões de fisioterapia e o mais importante é que ele estava muito animado; e também ajudou nos preparativos para o DIP35 ; muitos jovens também ajudaram, inclusive Sabrina, que nunca se envolvia com nada, ficou muito comovida com as histórias de vários irmãos que eram perseguidos por sua fé, Rubens e Isabel, ficaram felizes com o interesse da filha, quem sabe agora ela iria se comprometer com o evangelho, ela havia até mencionado que gostaria de se batizar no próximo batismo, o que era maravilhoso, pois ela sempre falava que ainda era cedo demais, que deveria esperar, o que fez a vovó Telê ficar radiante e agradecer muito a Deus, pois das netas só ela ainda não havia passado pelas águas do batismo. O domingo chegou e foi um dia especial para lembrar aos irmãos da igreja livre, sobre os que sofriam perseguição em todo o mundo por causa de sua fé em Cristo. Muitos aproveitaram para se tornarem parceiros da Missão Portas Abertas36, que trabalha para conscientizar os cristãos da 35 Domingo da igreja perseguida, realizado por várias igrejas todos os anos. 36 www.portasabertas.org.br 239
    • Tânia Gonzales igreja livre a ajudar os cristãos perseguidos. Ana ficou muito feliz quando a prima Carol contou que Sabrina havia resolvido se batizar, que mudança! Dava para perceber a diferença, ela estava interessada e participou ativamente do DIP; Ana chegou a conclusão que Sabrina, ao tomar conhecimento de que pessoas sofriam pela fé que ela nem se importava, percebeu que deveria dar mais valor, o engraçado é que não era a primeira vez que a ICVV participava deste evento, mas o momento de Sabrina havia chegado, o momento de um encontro com Deus, pois não bastava estar ali e participar das atividades, é necessário se comprometer realmente, é preciso ter a convicção de sua fé em Jesus Cristo, e era justamente o que estava faltando para sua prima Sabrina. Ana aproveitou para conversar com ela e dizer o quanto estava feliz, foi um momento muito especial para as duas, se abraçaram e choraram muito. No início da semana, Ana contou para Alexandre que a amiga de Santa Fé, Kátia, viria passar o feriado de Corpus Christi em São Paulo, juntamente com Paulo e sua família , o tio de Ana que era pastor. Chegariam quarta-feira à noite. _Ana, eu sei que você vai querer aproveitar a presença de sua amiga depois de todos estes meses distantes uma da outra, não se preocupe comigo. Você não precisa me acompanhar à fisioterapia, quarta você vai ter um milhão de coisas para resolver... _Não começa, eu vou te acompanhar sim; deixa comigo... e na quinta eles vão jantar aqui, sua mãe fez questão de convidar. 240
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! Quarta- feira Ana acompanhou o namorado à fisioterapia, como havia dito. Alexandre estava muito animado e já apresentava progressos. Por volta de nove horas da noite os tios chegaram de Santa Fé com os dois filhos: Cláudio de 16 anos e Henrique de 18 anos; e também a amiga Kátia. Ana conversou muito com amiga, conseguiram dormir depois das três horas da madrugada. No outro dia todos almoçaram na casa do tio Rubens e à noite foram jantar na casa de Alexandre. Dr. Afonso e Luísa estavam muito felizes por estarem recebendo uma parte da família de Ana. Carol também compareceu ao jantar. _Então , você que é a famosa Kátia? - perguntou Alexandre ao ser apresentado à amiga da namorada. _Famosa, eu? Não! Mas eu sou a Kátia. Você sim está bem famoso lá em Santa Fé... _Sério? _Verdade. É que nós pedimos oração por você aos irmãos da igreja- explicou Kátia. _Eu agradeço muito por isso. E também te agradeço por você ser uma amiga tão especial para Ana. _Que isso! Ela é muito especial para mim e eu estou feliz por ela ter te encontrado. Depois que todos estavam satisfeitos e elogiado bastante o jantar preparado por Luísa com a ajuda da filha Joyce, Alexandre pediu a atenção de todos pois tinha algo especial para dizer. _Eu quero aproveitar esta oportunidade em que todos estão aqui reunidos para fazer um pedido especial ao Sr. Roberto, 241
    • Tânia Gonzales com tudo o que aconteceu comigo eu não conversei com ele sobre meu namoro com a Ana, eu ia participar de um delicioso almoço feito pelo chefe e bom, vocês sabem da história. Então eu quero fazer um pedido mais especial ainda, eu não falei com a Ana, mas... Roberto, eu quero a sua permissão para ficar noivo da Ana, as alianças estão bem aqui- dizendo isto Alexandre colocou a mão no bolso do blazer e mostrou uma delicada caixinha- Eu sei que ainda faltam alguns meses para você completar dezoito anos – continuou Alexandre, agora olhando para Ana que estava muito surpresa- e que nós estamos namorando há pouco tempo, mas eu não quero ser só seu namorado, eu quero ser seu noivo, fique tranquila, isto não significa que vamos casar daqui a poucos meses, eu sei que você vai fazer faculdade no próximo ano. Eu quero que você seja minha noiva, depois de tudo o que passamos eu não considero precipitação, mas você tem toda a liberdade para recusar e eu vou entender. _Bom, você nos surpreendeu- disse Roberto- eu vou deixar a Ana dar a resposta para você. _E-e-e-eu... nossa... que surpresa! Você me pegou... mas... o que eu vou dizer para você? Eu não tenho outra resposta para dar... é claro que eu aceito! - disse Ana visivelmente emocionada. _Então, eu dou minha permissão, com certeza! - afirmou Roberto- Nós temos um pastor aqui, se vocês não se incomodarem... _-Que isso, Roberto, eu tenho certeza que o Pr. Jair vai entender, por favor Pr. Paulo- disse Dr. Afonso passando a 242
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! palavra ao tio de Ana. _Que maravilha! Vamos orar por estes jovens que estão tomando uma importante decisão e após a oração os pais estarão colocando as alianças nos filhos. Em poucos instantes, Alexandre e Ana estavam com as alianças devidamente colocadas na mão direita de cada um. As duas famílias estavam felizes com o acontecimento. Quando conseguiram ficar a sós Alexandre fez uma pergunta para Ana. _Me diga a verdade, se eu tivesse conversado com você antes, teria mudado alguma coisa? _É claro que sim. _É mesmo? _Eu não teria ficado tão surpresa! _Verdade? Você teria concordado? _É claro! Você está pensando que eu aceitei para não envergonhar você? Ou para não magoá-lo? _Talvez. _Pois você está enganado. _Eu amo você! _E eu a você! _Posso pedir uma coisa?- perguntou Alexandre. _Pode, é claro. _Me dá um beijo? _Não... eu ia pedir isso... vou ficar esperando você me... Ana não conseguiu terminar, Alexandre já estava atendendo o pedido dela e o dele ao mesmo tempo. 243
    • Tânia Gonzales Mais tarde, quando já estavam prontas para dormir, Ana e Kátia ficaram conversando sobre o acontecimento do dia e mais uma vez conseguiram dormir depois das três horas da madrugada. No outro dia, Ana e Carol saíram com Kátia, foram ao shopping. Felipe também saiu com os primos. À tarde, Ana foi com Alexandre à fisioterapia. O final de semana foi bem divertido, pois havia uma gincana especial da escola bíblica e à noite uma grande festa em comemoração ao aniversário da professora Beth. Ana ajudou ao pai na escolha do presente para Beth. Ela o convenceu à mandar um lindo buquê de rosas e também a comprar um livro que Ana sabia que a professora estava interessada. Ana estava gostando do interesse do pai pela professora querida. _Você está bancando o cupido para o seu pai, hein?- brincou Alexandre ao saber dos presentes. _É... eu percebi que os dois estão muito tímidos, então resolvi dar uma mãozinha. _Legal! A Beth é uma pessoa maravilhosa e merece ser feliz. E o seu pai ... eu tenho que falar bem dele, né? Meu sogrinho querido, gente fina, bonitão... _Gracinha! Você é tão... _Bonitão! É isso que você queria dizer? _Não! Você é tão... lindo! _Minha garota dos lindos cabelos negros... _Meu lindo garoto dos olhos azuis! Posso fazer um pedido? _Nem precisa me pedir... - disse Alexandre se aproximando de Ana . _Não! Não é isso. 244
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! _Que pena! _Mas, pensando bem eu faço o pedido depois... pode fazer o que você estava pensando. Depois de se beijarem Ana pediu para Alexandre conversar com Tiago para saber se ele realmente estava interessado em Simone. _Cupido! Minha noiva amada, você resolveu arrumar a vida amorosa de todo mundo? _Algumas pessoas. Se eu puder ajudar... qual o problema? _Nenhum! Deixa comigo, eu vou fazer ele falar tudo! Mesmo que seja necessário usar o polígrafo! _Exagerado como sempre! Kátia gostou muito da ICVV, todos foram receptivos com ela ; a festa de Beth foi muito animada; a aniversariante ficou muito surpresa ao receber as flores de Roberto logo pela manhã e também o livro, este entregue pessoalmente por Roberto, que estava um pouco envergonhado. Alexandre conseguiu ter uma conversa com o amigo e descobriu que o interesse dele por Simone era pra valer; ao saber disto, Ana resolveu dar uma força, ela queria muito que Simone fosse feliz no amor, então combinou sair com a amiga domingo à tarde, iriam ao shopping, mas Tiago também iria com Alexandre, sem que Simone soubesse, é claro. Domingo pela manhã, Ana se despediu dos tios, primos e da amiga Kátia; não conseguiu segurar as lágrimas, como era difícil se despedir das pessoas queridas. Ana e Simone chegaram ao shopping poucos minutos após as 245
    • Tânia Gonzales duas horas e logo se encontraram com Alexandre e Tiago. O noivo estava usando uma muleta desde sexta-feira, andava com bastante dificuldade mas já se sentia aliviado por deixar a cadeira de rodas. _O que significa isto? - perguntou Simone assim que os dois se aproximaram. _Calma, Si! - pediu Ana. _Não acredito que você fez isso comigo, Ana! Justo você? _Si, espera... o Tiago só quer ter uma oportunidade para conversar com você. _Me desculpa.. mas eu vou embora. _Não vá, amiga... por favor. Alexandre e Tiago ficaram parados sem reação. _ Dá para vocês dois se afastarem um pouco? - pediu Simone olhando para os dois amigos- Melhor assim, falar com aqueles dois olhando assustados para nós não dá, né? O que você estava pensando, Ana? _Simone, dê uma chance para ele, pelo menos converse um pouco. _Ana, não acredito que você aprontou esta comigo! _Eu quero o seu bem, o Tiago é um cara legal... por favor... converse um pouco, não custa! _Ai, eu não sei. _Tenta. _”Tá” bom! Mas eu não quero que ele pense que eu estou interessada, pois não estou! _Te amo amiga! Vamos … Ana se afastou com Alexandre e deixou Simone e Tiago 246
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! tentando começar uma conversa. _Você acha que vai dar certo? - perguntou Alexandre. _Espero que sim. _Coitado do Tiago, está tão perdido... não sabe o que dizer pra ela. _Espero que ele consiga. Quase duas horas depois, Simone mandou um torpedo para Ana dizendo para se encontrarem no estacionamento do shopping. Ana estava curiosa para saber se haviam obtido algum progresso. _Tudo bem? - perguntou Ana assim que os viu. _Tudo, está na hora de irmos, né? - disse Simone e Ana percebeu que a amiga estava de bom humor, o que era um ótimo sinal. Ana não conseguiu saber detalhes, pois os dois permaneceram calados o caminho todo, o silêncio só era quebrado por ela e Alexandre. Mas após o culto ela ficou sabendo que Simone e Tiago haviam marcado um encontro para quarta-feira. Simone até disse que ele era simpático e Ana ficou muito feliz com o resultado. 247
    • Tânia Gonzales "O futuro... algo que todos alcançam a uma taxa de 60 minutos por hora faça o que fizer, seja quem for." C.S.Lewis Epílogo Alexandre estava se recuperando bem já conseguia andar sem a ajuda da muleta, ainda estava mancando um pouco, mas ele se sentia feliz com o resultado alcançado até aquele momento; estava estudando e trabalhando normalmente há algum tempo. A Ana então, era só animação, pois além do progresso no tratamento do noivo, Simone e Tiago estavam namorando e para completar, seu pai e Beth saíam juntos sempre que tinham uma oportunidade. Beth resolveu conversar com Ana, queria muito saber o que ela pensava sobre o relacionamento dela com Roberto. Então ela resolveu fazer uma visita à casa de Ana sábado à tarde, antes de uma festa que teriam na ICVV em comemoração pela saída do centro de recuperação de quatro jovens, incluindo Carlinhos. _Ana, eu gostaria muito que você fosse bem sincera comigo, o quê você acha de seu pai e eu... bem... é... - Beth estava tentando, mas era bem difícil começar este tipo de conversa. _Beth, fique tranquila, eu estou adorando a ideia, pena o meu pai ser tão devagar neste assunto, mas eu não faço a mínima objeção, eu sei que a minha mãe sempre quis a felicidade dele e você é uma pessoa maravilhosa e ele também é um homem 248
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! muito especial e não é só porque ele é o meu pai, não, viu? _Ana, que bom que você pensa assim, eu estava tão preocupada! E o Lipe? _O Lipe tem a mesma opinião, pode parar de se preocupar, você é muito querida por nós, eu não vejo alguém que possa ser melhor para o meu pai. _Obrigada, querida! E parabéns por você ser uma amiga tão maravilhosa para Simone, eu estou sabendo sobre ela e o Tiago, que bom, Ana, a Simone estava mesmo precisando encontrar um príncipe, que ela mesma achava que não existia. Ela está tão feliz! _Ela encontrou. Edward Cullen não existe, mas sempre há algum príncipe por aí esperando por sua princesa... _Tem razão! Quem foi que disse que príncipes não existem? Você também encontrou o seu. _E você também, Beth, você também... pode acreditar! As duas ainda aproveitaram para conversar mais um pouco, até que Alexandre chegou e todos foram para a ICVV participar da festa. _E aí, meu amigão! Me dá um abraço.- disse Alexandre assim que Carlinhos se aproximou. _Alê, meu grande amigo! Eu estou tão feliz, agora é seguir em frente... retomar os estudos, trabalhar... e é claro, ajudar outros jovens a se libertar o vício das drogas, eu já combinei com o Pr. Luís, vou ser voluntário no centro de recuperação todos os sábados. _Que ótima notícia! _E também estou feliz por você estar tão bem. Deus é fiel! 249
    • Tânia Gonzales Preparou a garota certa pra você, como ela te ajudou, né amigão? _Com certeza! Ela é muito especial e falando nela...- disse Alexandre ao ver Ana se aproximar. _Estão falando de mim? - perguntou Ana. _É claro que sim, eu vou falar de quem? Só posso falar sobre a mais linda garota desta festa, a minha garota dos lindos cabelos negros. _Depois desta declaração, eu vou deixar os dois apaixonados à sós- disse Carlinhos afastando-se. _Este Carlinhos! É verdade mesmo que eu sou a mais linda desta festa? _Você ainda tem alguma dúvida? Minha noiva linda... se aqui não estivesse tão cheio, eu... _Você... _Você sabe muito bem o que eu queria dizer. _Nós podemos dar um jeito de sair bem discretamente, o que você acha? _O que eu acho? Já estou saindo, bem discretamente. Alexandre e Ana foram até o estacionamento da igreja e entraram no carro. _Será que alguém vai notar a nossa ausência? - perguntou Ana. _Acho que não. Ana, Ana... você aqui, dentro de um carro com seu noivo em um estacionamento... _Para com isso. _É brincadeira, meu amor! Ana... estou feliz por nós dois. _Eu também. Aconteceram tantas coisas que nem parece que 250
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! ainda não passou um ano que eu estou aqui em São Paulo. Eu estou feliz também pelo Tiago e a Simone e é claro pelo meu pai e a Beth, acho que logo, logo ele toma coragem e a pedi em namoro. _Uau! O Tiago está todo animado com a namorada, o Pr. Jair e a Lígia ficaram felizes pela escolha dele. Quanto à Beth, ela merece ser feliz e seu pai é um cara bem legal; diz isso pra ele, assim eu ganho uns pontinhos com o meu futuro sogro. _Você não tem jeito mesmo, né? Eu já disse isso, mas vou repetir, eu amo o seu senso de humor. _E eu amo você... e em breve, muito em breve... tanran, tanran... tanran, tanran... _Que tanran é este? Calma... só porque você está terminando a faculdade? Eu vou começar a minha no próximo ano; gastronomia...me aguarde! _Eu sei... mas de repente nós não vamos precisar esperar até que você termine a faculdade, nós podemos... _Tenha paciência! O amor é paciente, lembra? _Eu já estou perdendo a paciência esperando que você me dê um be... Alexandre não conseguiu terminar, Ana já estava atendendo ao pedido de seu impaciente, porém, irresistível noivo. Em uma bela manhã de domingo, a professora Beth iniciou mais uma de suas aulas e o assunto era: " Encontrar alguém especial e ser especial para alguém ". _Meninas, existe uma música, eu não sei se vocês conhecem, que diz assim: " Jogue tuas mãos para o céu e agradeça se 251
    • Tânia Gonzales acaso tiver alguém que você gostaria que estivesse sempre com você..."37 Todas vocês gostariam de encontrar alguém especial, não é mesmo? Algumas aqui já encontraram, outras ainda estão procurando, o certo é que todas nós gostaríamos de ter aquela pessoa especial ao nosso lado. Alguém que você gostaria que estivesse sempre com você... Por algumas aulas nós conversamos sobre o protagonista do livro " Crepúsculo ", Edward Cullen, que é encantador, lindo, protetor, irresistível, apaixonado, enfim, o homem perfeito. Pois bem, nós sabemos que ele não existe, mas aprendemos que pode existir um Edward para cada uma de nós, pois não desejamos alguém que seja perfeito, mas sim alguém que goste de estar ao nosso lado, que nos considere a pessoa mais linda do mundo, que todos os dias se preocupe em ser especial, e nós também devemos nos preocupar com isso: em ser especial para alguém. Pois o importante não é só receber, é se doar também. Quando se está com a pessoa amada coisas simples tornam-se especiais só porque aquela pessoa está ali pertinho de você... Então, eu cheguei a seguinte conclusão: encontrar alguém que você gostaria que estivesse sempre com você é encontrar, Edward. É isso mesmo, acreditem: príncipes existem! FIM 37 Na Rua, Na Chuva, Na Fazenda (casinha de Sapê) compositor:Hyldon 252
    • Edward Cullen não existe! Príncipes existem! 253