AULA J.BECK II - Profª Lina - 2010

3,959 views
3,884 views

Published on

Aula baseada no capítulo 2 "CONCEITUAÇÃO COGNITIVA" (BECK, J.S. Terapia Cognitiva: teoria e prática. Porto Alegre:ARTMED, 1997)

3 Comments
7 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
3,959
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
188
Comments
3
Likes
7
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

AULA J.BECK II - Profª Lina - 2010

  1. 1. BECK, J. S. Terapia Cognitiva: teoria e prática. Porto Alegre: Artmed,1997.<br />UNIP<br />Profª Lina Sue<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />ProfªLina Sue Matsumoto<br />Capítulo 2 :<br />Conceituação Cognitiva<br />
  2. 2. 2<br />UNIP<br />Profª Lina Sue<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />BECK, J. S. Terapia Cognitiva: teoria e prática. Porto Alegre: Artmed, 1997.<br />ProfªLina Sue Matsumoto<br />Capítulo 2 :<br />Conceituação Cognitiva<br />(pg. 28 – 39)<br />
  3. 3. 3<br />UNIP<br />Profª Lina Sue<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />Conceituação Cognitiva<br />ProfªLina Sue Matsumoto<br /> Uma conceituação cognitiva fornece a estrutura para o entendimento de um paciente pelo terapeuta.<br /> O TC levanta hipóteses sobre como o paciente desenvolveu essa desordem psicológica particular.<br /> O TC começa a construir uma conceituação cognitiva durante seu 1º contato com um paciente e continua a refinar sua conceituação até a última sessão.<br />
  4. 4. 4<br />UNIP<br />Profª Lina Sue<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />Conceituação Cognitiva<br />ProfªLina Sue Matsumoto<br /> A TC baseia-se no modelo cognitivo, que levanta hipóteses de que as emoções e comportamentos das pessoas são influenciados por sua percepção dos eventos. <br /> Não é uma situação por si só que determina o que as pessoas sentem, mas, antes, o modo como elas interpretam uma situação (Beck, 1964)<br />"Não são as coisas em si mesmas que perturbam os homens, mas os juízos que eles fazem sobre as coisas." Epiteto<br />
  5. 5. 5<br />UNIP<br />Profª Lina Sue<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />Pensamentos...<br />ProfªLina Sue Matsumoto<br />Ei, isso faz sentido... Finalmente uma aula interessante!<br />Ah! Isso é ridículo... Nunca vai funcionar...<br /> Essa aula tá muito chata! Que desperdício de dinheiro...<br />Entusiasmado<br />Decepcionado<br />Aborrecido<br />Isso é difícil demais... Eu sou tão burro! Nunca vou ser um bom terapeuta...<br />Argh...que professora $%@#*...<br />Eu preciso mesmo aprender tudo isso? E se eu não conseguir? E seu ficar de DP? <br />Ansioso<br />Triste<br />Raivoso<br />
  6. 6. 6<br />UNIP<br />Profª Lina Sue<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />Pensamentos Automáticos (PA)<br />ProfªLina Sue Matsumoto<br /> Enquanto você está nesta aula, você pode perceber alguns níveis no seu pensamento.<br /> Você pode estar tendo alguns pensamentos avaliativos rápidos... Não decorrentes de deliberação ou raciocínio...<br /> Esses pensamentos são chamados de PA, pois eles parecem surgir automaticamente, de repente, e são, com frequência, bastante rápidos e breves.<br />
  7. 7. 7<br />UNIP<br />Profª Lina Sue<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />Pensamentos Automáticos (PA)<br />ProfªLina Sue Matsumoto<br /> Você pode aprender a identificar seus PA prestando atenção às suas mudanças de afeto.<br /> Tendo identificado seu PA, você pode avaliar a validade dos seus pensamentos.<br /> Em termos cognitivos, quando pensamentos disfuncionais são sujeitos à reflexão racional, nossas emoções, em geral, mudam.<br /> Porém, de onde surgem os PA?<br />
  8. 8. 8<br />UNIP<br />Profª Lina Sue<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />Crenças<br />ProfªLina Sue Matsumoto<br /> Desde a infância, as pessoas desenvolvem determinadas crenças sobre si mesmas, outras pessoas e seus mundos.<br /> Suas crenças mais centrais (Crenças Centrais-CC) são entendimentos que são tão fundamentais e profundos, que as pessoas frequentemente não os articulam, sequer para si mesmas.<br /> São idéias consideradas (pela pessoa) como verdades absolutas, exatamente o modo como as coisas “são”.<br />
  9. 9. 9<br />UNIP<br />Profª Lina Sue<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />Crenças<br />ProfªLina Sue Matsumoto<br />Isso é difícil demais... Eu sou tão burro! Nunca vou ser um bom terapeuta...<br /> CC = “Eu sou incompetente”<br /> CC ativada = interpretação da situação = autocrítica = negativada.<br /> Viés confirmatório = desconsiderada/desconta evidências contrárias à sua CC<br /> Manutenção da CC, mesmo que seja imprecisa, inverdade, disfuncional.<br /> As CC são o nível mais fundamental de crença; elas são globais, rígidas e supergeneralizadas.<br />
  10. 10. 10<br />UNIP<br />Profª Lina Sue<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />Atitudes, Regras e Suposições<br />ProfªLina Sue Matsumoto<br />CC = “Eu sou incompetente”<br />Atitude = “É horrível ser incompetente”<br />Regra = “Eu devo estudar muito, o tempo todo”<br />Suposição = “Se eu estudar o mais que puder, posso ser capaz de ser tão bom como os meus colegas”<br />Isso é difícil demais... Eu sou tão burro! Nunca vou ser um bom terapeuta...<br /> As CC influenciam o desenvolvimento de uma classe intermediária de crenças: atitudes, regras e suposições.<br /> As crenças intermediárias (CI) influenciam como a pessoa pensa, sente e se comporta.<br />
  11. 11. 11<br />UNIP<br />Profª Lina Sue<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />O Modelo Cognitivo<br />ProfªLina Sue Matsumoto<br />Corporal<br />Comportamental<br />Emocional<br />“Eu sou incompetente”<br />Crença Central<br />Crença Intermediária<br />Pensamentos Automáticos<br />Situação<br />Reações<br />“Se eu não entendo algo, então eu sou burro”<br />“Isso é difícil demais... <br />Eu jamais vou aprender...”<br />AULA<br />TRISTEZA<br />DESCONFORTO<br />SAI DA SALA<br />
  12. 12. E-mail : lina.sue@hotmail.com<br />Site:linasue.uuuq.com<br />UNIP<br />Profª Lina Sue<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />ProfªLina Sue Matsumoto<br />Namastê!<br />

×