Anexos da tese - Apropriação do telemóvel como ferramenta de mediação em mobile learning

1,983 views
1,415 views

Published on

como ferramenta de mediação em mobile learning: estudos de caso em contexto educativo

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,983
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
42
Actions
Shares
0
Downloads
9
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Anexos da tese - Apropriação do telemóvel como ferramenta de mediação em mobile learning

  1. 1. Universidade do MinhoApropriação do telemóvel como ferramenta de mediação em mobile learning: estudos de caso em contexto educativo Volume de Anexos Adelina Maria Carreiro Moura Doutoramento em Ciências da Educação Área do Conhecimento: Tecnologia Educativa 2010 1
  2. 2. 2
  3. 3. ÍndiceAnexosAnexo I – Caracterização dos Participantes …………….….…………….……..… 4Anexo II – Actividades por SMS ……………………………………………….... 6Anexo III - Grelha de participação nas Actividades por SMS …………………… 35Anexo IV – Guião das entrevistas individuais e focus group ………….…………. 38Anexo V – Transcrição das entrevistas ……………………….….………….….... 41Anexo VI – Categorização das entrevistas …….…………………….………..….. 107Anexo VII - Notas de Campo (excertos do diário do professor) …………….….... 128Anexo VIII - Comunicação síncrona com os alunos no MSN …………………… 137Anexo IX – SMS recebidos ……………………………………………………..… 238 3
  4. 4. Anexo IGrelha síntese da caracterização dos participantesCaracterização dos participantes no estudoCódigo Ano Sexo Idade Proveniência Disciplina Estabelecimento do escolar geográfica de Ensino alunoA01 11º M 18 RuralA02 11º M 16 RuralA03 11º M 18 RuralA04 11º M 15 UrbanaA05 11º M 16 UrbanaA06 11º M 16 RuralA07 11º M 17 RuralA08 11º M 15 UrbanaA09 11º M 18 UrbanaA10 11º M 17 RuralA11 11º M 16 RuralA12 11º M 16 Rural Escola SecundáriaA13 11º M 17 Rural Carlos AmaranteA14 11º M 17 Rural (Ensino Público)A15 11º M 18 RuralA16 11º M 16 RuralA17 11º M 17 RuralA18 11º M 15 RuralA19 11º M 18 RuralA20 11º M 18 Rural PortuguêsA21 11º M 17 Rural (EnsinoA22 11º M 19 Urbana Profissional)A23 11º M 17 UrbanaA24 11º M 16 RuralA25 11º M 16 RuralA26 11º M 17 RuralA27 11º M 16 RuralB01 10º F 15 RuralB02 10º F 16 RuralB03 10º F 18 UrbanaB04 10º F 20 UrbanaB05 10º F 16 RuralB06 10º F 17 RuralB07 10º F 16 RuralB08 10º F 15 RuralB09 10º F 19 Rural EscolaB10 10º F 15 Rural Profissional deB11 10º F 17 Urbana Braga (Ensino 4
  5. 5. B12 10º F 16 Rural Privado)B13 10º F 18 RuralB14 10º F 16 UrbanaB15 10º F 20 UrbanaB16 10º F 17 RuralB17 10º F 17 RuralB18 10º F 16 UrbanaC01 10º M 17 RuralC02 10º F 16 UrbanaC03 10º F 17 RuralC04 10º F 15 UrbanaC05 10º F 15 UrbanaC06 10º F 17 Rural FrancêsC07 10º M 16 Urbana ContinuaçãoC08 10º M 16 Rural nível 4C09 10º M 19 RuralC10 10º M 17 Rural EscolaC11 10º F 16 Rural SecundáriaC12 10º F 16 Urbana Carlos Amarante (Ensino Público)C13 10º F 15 RuralC14 10º F 16 UrbanaC15 10º F 16 RuralC16 10º M 19 UrbanaC17 10º M 17 RuralC18 10º M 17 UrbanaD01 10º F 45 UrbanaD02 10º M 56 Rural FrancêsD03 10º F 22 Urbana IniciaçãoD04 10º F 26 Urbana (Nocturno)D05 10º M 35 Rural31 sexo feminino 37 sexo masculino 5
  6. 6. Anexo IIiDicionário Afastara – relegara indecente – imoral, agitações – convulsões indispensável – imprescindível Alçada – esfera inerente- próprio de Alegadamente – supostamente Inflama – atiça alegado – suposto inócuo – inofensivo análogas – semelhantes interferências - intromissões arrepiado – desviado inusitado – estranho arrepiar – encrespar, enriçar jorrou – brotou belicoso – guerreiro loquaz – falador Benesses – dádivas Manipulação – demagogia Bicéfalo – dupla cabeça medrariam - cresceriam cariz - Aspecto obsceno – vergonhoso cépticos – incrédulos Obscuridade – ambiguidade – concordância- unanimidade incerteza Condenação – anátema origina – suscita Conexão- ligação perversão – corrupção Conluiam – tramam Plausíveis – aceitáveis crucial – capital preceituar – determinar decência – compostura prescrever- terminar demolidora – destruidora pressente - intui deplorável - inqualificável Preveniu – advertiu deriva – desorientação promiscuidade – mescla descredibilizar- desacreditar prosperar – enriquecer descrédito – desautorização proteccionismo - apoio deteriorada - danificada prováveis verosímeis detractores – difamadores punindo – castigando discernimento – entendimento querelas – queixas, denúncias endémico - contagioso redenção – salvação enigmático - misterioso renunciarem - abandonarem escandaloso - indecoroso repele - afasta escroque – restituir - devolver espartano – severo resulta – deriva estreme – genuíno retomando – recuperando estritos – precisos revolta – indignação excepção - exclusão similares – idênticas explorações – especulações Sinecura - Emprego remunerado, extemporâneo – inoportuno de pouco ou nenhum trabalho. exuberância – vigor sinuoso – irregular faccioso – parcial sujeição - Dependência Foro – domínio supérfluo – desnecessário frugal – simples suposição – presunção genuína – verdadeira tácito – subentendido imbróglio – trapalhada taciturno – calado importância – prestígio Tutelar – governar incólume – ileso vergonha - pudor vilipendiar – insultar 6
  7. 7. Absolvido – perdoado Ingressar - entraracutilante – mordaz Insolvência – falênciaaferir – avaliar inusitada - estranhaalavancas - motrizes jovial - alegreAmbiguidade - incerteza labor – trabalhoAmordaçar – reprimir lambreta - motorizadaanalogia - semelhança lisura - honestidadeAntagonismo – oposição Megalómano – ideias grandesassolado – invadido multifacetada – variadaAssumir – arcar mutação – mudançaAstuto – engenhoso Negligência – desleixoAtenuar – reduzir néscios – ignoranteburilar - melhorar, aperfeiçoar obséquio – gentilezacarecer - necessitar ócio - descansocaricatura - exagero da realidade Oratória – eloquênciaCeleuma - alarido Panorama – cenárioconivência – cumplicidade paradigma – modeloconsolidar - solidificar, fortalecer paridade - igualdadeConspiração – trama persistência - teimosiaconvergência – acordo Perspicaz – astutocopular – ligar petrificado – paralisadoDéfice – carência Postergados – desprezadosderradeiro - último preambulo - introdução, prólogoDesplante – atrevimento Precariedade – instabilidadediscernimento – entendimento precário – escassodotar – favorecer Precoce – prematuroedema - ferida precoce - extemporâneo, antecipadoedificar – construir prevaricar – transgrediredificar - construir profícua - produtivaempolgar - aumentar, Promulgar – decretarenfado - aborrecimento Propósito - intençãoepilogo - conclusão, desenlace provir – procedererosão - desgaste, corrosão recessão - falênciaEspraiar – estender recônditos - ocultoestagnou - impediu Reivindicar – reclamarexacerbado – exagerado restituir – devolverExcelsa – sublime rubicundo - rubor(vermelhão)excentricidade – extravagância Ruptura – cisão, separaçãoExequível – possível sacro – sagradoexequível - executável, possível síncope – desmaioFaçanha – feito sinopse - síntesefalível - perdível solicitar – pedirfilantrópicos – humanitários sonorizada – com somhidrológico - relativo a águas tenacidade – adesãohipocondríaco – melancólico topete – descaramento 7
  8. 8. hipérbole - exagero da realidade Toponímia – nome terras idolatrar – venerar triviais – vulgares empolar – aumentar usufruir - desfrutar inconveniente – inoportuno Usurpar – roubar xenofobia – medo raça……………………………………………………..Actividades por SMSPortuguêsInusitado: adj. desusado; desconhecido; estranho; novo; extraordinário; invulgar.flamejante adj. 2 gén. 1. Que flameja, queima. 2. Fig. Ostentoso; vistoso; flamante. Ex:Olhos vermelhos e flamejantes como rubisescasso adj. 1. Não suficiente; débil; diminuto; raro; falto; somítico. Ex: O pão em casadesta família pobre é escasso.fadiga s. f. 1. Cansaço que resulta de um esforço qualquer. 2.Trabalho árduo. Ex: Épreciso saber suportar a fadiga e o isolamento.aguilhão s. m. 1 Ferrão; aguilhada curta. 2. Fig. Incentivo, estímulo, sofrimento. Ex: Oteu aguilhão também picará, vil escorpião. "A vida tem que ter um aguilhão, senão nãose vive".alicerce s. m.(geralmente us. no pl.). Base de parede que assenta em solo aprofundado.2. O cabouco para os alicerces. 3. Fig. Base, fundamento. Ex: Uma alta coluna cujoalicerce infinitamente forte pudesse sustê-la.azedume s. m.1. Qualidade de azedo. 2. Azia. 3. Despeito. 4. Mau humor. Ex: Acordoucom um azedume invulgar.exuberante - adj. 2 gén. 1. Superabundante. 2. Fig. Viçoso. 3. Deslumbrante. 4. Vivo,animado. Ex: Cabelos loiros exuberantes como uma deusa.Frondoso adj.1. Copado, espesso. ramoso 2. Que tem esgalhos. – Uma sombra deárvore frondosaenigmático adj. 1. Que encerra enigma. 2. Obscuro. 3. Duvidoso. 4. Misterioso. Ex:Olhou-o com cara enigmática, sem saber o que lhe dizer. Ex: Monalisa de olharenigmático.descante s. m. 1. Concerto popular de vozes e instrumentos. 2. Fig. Canto. Ex:Descantes e danças animavam a festa.benfazejo adj. Que gosta de fazer bem. Ex: Um homem benfazejo apreciado por todos.labirinto s. m. 1. Edifício de que, uma vez entrado nele, não se acerta com a saída.2. Porção de jardim em que as ruas estão dispostas de modo a dificultar a saída.3. Fig. Dédalo, confusão, enredo. 4. Multiplicidade. 5. Anat. Conjunto de cavidadesentre o tímpano e o canal auditivo. Ex: Percorreu o labirinto sem olhar para trás.Redimir - v. tr. significa readquirir, adquirir de novo, reconquistar aquilo que se haviaperdido. Ex: A morte de Cristo serviu para redimir a humanidade do primeiro pecadocometido por Adão e Eva.infortúnio s. m. 1. Fortuna adversa; infelicidade. 2. Sorte desgraçada. Ex: Era filha doinfortúnio, porém nada disso importava.ardência s. f.1. Qualidade de ardente. 2. Sabor acre (de substância fermentada).3. Fig. Ardor, vivacidade. Ex: De repente sentiu uma ardência nos olhos semicerrados.Prosperar- v. intr. 1. Ter bom êxito, ganhar muito, ir prosperando. 2. Tornar-se maisimportante, desenvolver-se. 3. Mostrar-se propício. v. tr. 4. Tornar próspero. Ex: Ao fimde alguns anos começou a prosperar depois de um longo período difícil. 8
  9. 9. Mutilar - v. tr. 1. Cortar (uma parte qualquer do corpo). 2. Fig. Truncar. 3. Desramar.4. Deturpar. 5. Destruir parte de. Ex: Sentiu-se mutilada na sua integridade pessoal.Perscrutar: v. tr.,1. examinar minuciosamente, com toda a atenção; 2. investigar; 3.sondar, estudar; 3. penetrar. Ex: Para a investigação foram perscrutados todos osdocumentos apresentados.Cartografar: v. tr.,1. levantar, delinear, reproduzir cartas geográficas. Ex: Com oGoogle Earth é preciso cartografar grande parte do paísPluviosidade: s. f.,1. qualidade ou carácter de pluvioso; 2. a quantidade de chuva quecai em determinada região. Ex: Braga é uma das regiões com maior pluviosidade dopaís.Impreterivelmente: derivação de impreterível. adj. 2 gén.,1. não preterível; 2.indispensável; 3. que não pode deixar de ser ou de se fazer. Ex: A reunião começaimpreterivelmente à mesma hora.Retórica: s. f.,1. arte de bem falar; 2. conjunto de regras relativas à eloquência; 3. livroque contém essas regras; 4. estilo empolado e guindado. Ex: Os nossos políticos só têmretórica.Perpetrar: v. tr., 1. perfazer; realizar; cometer, praticar (acção condenável). Ex: Obando continuou a perpetrar o mesmo esquema.Restringir: v. tr.,1. estreitar; apertar; 2. impor restrição a; 3.reduzir; diminuir; encurtar; Ex: Vou restringir o acesso à internet a quem não éresponsável.Octogenário: adj. e s. m., 1. que ou o que tem oitenta anos. Ex: Tratava-se de umoctogenário com problemas de surdez.Dissidente: adj. e s. 2 gén., 1. que ou a pessoa que diverge da opinião de outrem;2. discordante; 3. que se separou de um grupo religioso ou político por divergir daopinião geral; 4. cismático. Ex: Ele foi um dos dissidentes do caso Apito Dourado.Frugal - adj. 2 gén. -.1. Relativo a frutos. Que se alimenta de frutos, devegetais. Vegetariano. 2. Moderado na comida. 3. Sóbrio, simples. Ex: Trata-se de umindivíduo frugal e pouco falador.genuíno adj. 1. Puro; sem mistura. 2. Legítimo, próprio, verdadeiro, natural. Ex: Queroum casado de pele genuína.imbróglio s. m. 1. Trapalhada, confusão. Ex: Durante a reunião causou um imbróglionunca visto.incólume adj. 2 gén. – 1. Que não sofreu nada no perigo. 2. Ileso; são e salvo. 3. Bemconservado; intacto.inerente adj. 2 gén. 1. Intimamente unido.2. Que faz parte de (a pessoa ou coisa);inseparável. Ex: A liberdade é inerente a todos os seres humanos.inócuo adj. 1. Não nocivo. 2. Inocente, inofensivo. Ex: este medicamento é inócuo,podes tomá-lo.loquaz adj. 2 gén. 1. Verboso; muito falador. 2. Eloquente. 3. Fig. Que produz granderumor. Ex: Não é necessário ser loquaz, é necessário dizer a verdade.obsceno adj. 1. Contrário à decência ou ao pudor. 2. Indecente, desonesto, torpe. 3.Lascivo. Ex: Fizeste um gesto obsceno.obscuridade s. f. 1. Estado de obscuro. 2. Sombra, escuridão. 3. Falta de clareza. 4.Baixa condição; humildade de origem. 5. Vida retirada; esquecimento. Ex: O queinteressa é agradecer ao Ricardo Pereira a oportunidade de “fugir”da obscuridade escrita.suscitar - v. tr. 1. Fazer nascer, fazer aparecer. 2. Provocar, originar. 3. Produzir aaparição de. 4. Dar lugar a, ser a causa determinante de. 5. Levantar ou apresentar como 9
  10. 10. impedimento, opor como dificuldade. 5. Sugerir; trazer ao espírito. Ex: Continuo asuscitar nos alunos o gosto pela leitura.perversão s. f. 1. Acto ou efeito de perverter. 2. Corrupção. 3. Depravação. Ex: Nopassado a masturbação era considerada acto de perversãoplausível adj. 2 gén.1. Digno de aplauso, de aprovação. 2. Razoável, aceitável. Ex:Numa dieta é plausivel comer fruta em quantidade._________________________________________________________ATIVIDADES PRODUTIVAS – Cenário 2 CASO A e CASO BLEITURA DIÁRIAConto 1O ESCORPIÃOParte IO escorpião negro procurou, procurou e não desistiu de procurar… Como era activo eastuto, já tinha encontrado cem diamantes, seiscentas esmeraldas, trezentas safiras e umnúmero sem-conta de rubis. A meio do caminho, por causa da fadiga, assaltou-o ummau pensamento:“Tanto trabalho! E para receber o quê? Um simples diamantezito, um quarto de unha derubi, uma magra esmeralda, uma safira de nada? Mas, se eu guardar as pedras melhorespara mim, serei o animal mais rico e poderoso da Terra! E talvez Deus passe a olhar-nos,a nós, escorpiões, com tanto respeito como aos homens.”Parte IIE com o aguilhão, enterrou profundamente na areia, num esconderijo ultra-secreto, aspedras preciosas mais belas.Entretanto, o escorpião amarelo arrastava entre as patas o seu magro tesouro: três rubis,cinco diamantes, sete safiras, um pouco de ouro raspado de uma pedra. A colheita eraescassa porque ele tinha passado muito tempo a bronzear-se ao sol e, principalmente, aconversar com a raposa do deserto e com todos os habitantes do deserto que por láencontrou, para enganar a solidão.Chegada a hora de prestar contas, Deus chamou à sua presença os dois escorpiões.Parte IIIO escorpião negro só entregou seis pedras. Eram pequeninas, insignificantes eimperfeitas.– Não encontrei mais nada, meu Senhor – mentiu o escorpião negro. – O meu irmãoamarelo andou demasiado depressa! Apanhou tudo antes de mim!Ao dizer aquilo, os olhos ficaram vermelhos e flamejantes como rubis, sinal de mentirae de hipocrisia.Deus respondeu-lhe calmamente:– Mentes! Guardaste todo o tesouro para ti! O que fizeste está mal. Primeiro, porquementiste. Depois, e acima de tudo, porque roubaste a riqueza dos homens. E por issoserás amaldiçoado!Parte IVQuando vires um homem ou um animal, terás vontade de o picar e, se o fizeres, matá-lo-ás. 10
  11. 11. Deus virou-se para o escorpião amarelo:– Quanto a ti, foste preguiçoso, passaste o tempo a enganar a solidão.É preciso ter-se coragem e saber-se suportar a fadiga e o isolamento, para se encontrartesouros. Também picarás, mas só provocará febre durante três dias e três noites.A partir daquele dia, quando as pessoas vêem um escorpião negro, esmagam-no porcausa do medo que lhes inspira. Mas, quando vêem um escorpião amarelo, sabem que este não faz mal, e não oincomodam. Afastam-se dele, mas deixam-no em paz.FIMEnvia-me um SMS e responde a esta questão: Qual é a lição de moral destahistória?Conto 2A CORRIDA DE SAPINHOSEra uma vez uns sapinhos que tinham de subir uma grande torre. Atrás havia umamultidão que os apoiava.A multidão dizia: Não vão conseguir!Os sapinhos iam desistindo um a um, menos um deles que continuava a subir.E a multidão continuava a aclamar: Vocês não vão conseguir!E os sapinhos iam desistindo, menos um, que subia tranquilo.No fim da competição, todos os sapinhos desistiram, menos aquele.Todos queria saber o que aconteceu, e quando foram perguntar ao sapinho como tinhaconseguido chegar ao fim, descobriram que ele era SURDO.FIMQuestão - Qual é a moral da história?Moral da História: Quando queremos fazer alguma coisa que precise de coragem nãodevemos escutar as pessoas que dizem que não vamos conseguir. Temos de ser surdoaos apelos negativos._____________________________________________________________________FÁBULASFábulas são histórias com animais e o desenlace (fim) uma lição de moral.Fábula 1A RAPOSA E AS UVASUma raposa que vinha pela estrada encontrou uma parreira com uvas madurinhas.Passou horas a pular a tentar apanhá-las, mas sem sucesso nenhum... Desistiu emurmurando disse que não as queria porque estavam verdes. Quando já estava umpouco mais à frente, ouviu um barulho como se alguma coisa tivesse caído no chão...voltou a correr a pensar que eram as uvas, mas quando chegou lá, para sua decepção,era apenas uma folha que tinha caído da videira. A raposa decepcionada virou as costase foi-se embora.Fábula 2O LEÃO E O RATOUm pequeno rato saiu da toca aturdido e caiu entre as garras de um leão. O rei dosanimais concedeu-lhe a liberdade, ou por piedade ou por não estar com fome. 11
  12. 12. Certo dia, o leão caiu numa armadilha, rugiu e fez esforço para se soltar e escapar. Tudoem vão. Apareceu então o rato e começou calmamente a roer as cordas da armadilha.Finalmente conseguiu libertar o leão seu benfeitor e, assim, pagar a dívida.Fábula 3O RATO E A RÃDesejava um Rato passar um rio, e temia, por não saber nadar. Pediu ajuda a uma Rã, aqual se ofereceu para o passar, se se atasse ao seu pé. Consentiu o Rato, e pegando numfio, atou-se pelo pé e na outra ponta atou o pé da Rã. Saltaram ambos para a água, mas aRã com malícia trabalhava para se mergulhar, para que o Rato se afogasse. O Rato faziapor sair para fora, e ambos andavam neste trabalho e fadiga. Passava um milhafre porcima e vendo o rato sobre a água, se abateu para o levar, e levou juntamente a Rã, queestava atada com ele, no ar e comeu-os a ambos.Questão – Qual é a Moral da história?Fábula 4O LADRÃO E O CÃO DE CASAQuerendo um Ladrão entrar numa casa de noite para roubar, achou à porta um Cão, quecom ladridos o impedia. O cauteloso Ladrão, para o sossegar, lançou-lhe um pedaço depão. Mas o cão disse: – Bem entendo, dás-me este pão para que me cale, e te deixe roubar a casa, e não éporque gostes de mim. Porém já que o dono da casa me sustenta toda a vida, nãodeixarei de ladrar, se não te fores, até que ele acorde, e te venha apanhar. Não quero queeste bocado de pão me custe morrer de fome toda a minha vida.Questão – Qual é a moral da história?Fábula 5O CÃO E A OVELHAPediu o Cão à Ovelha certa quantidade de pão, que dizia ter-lhe emprestado, ou dadopara que o guardasse. Ela negou tê-lo recebido. O Cão apresenta três testemunhas: umLobo, um Boi e um Milhafre, os quais vinham subornados pelo o Cão, e apostados ajurar em seu favor, dizendo que eles viram a Ovelha receber o pão, que se lhe pedia.Vendo a prova, o Juiz condenou-a pagar; e como ela não tinha com que pagar, foiobrigada a tosquiar o pêlo, e vendê-lo antes do tempo, pagando o que não tinha comido,e ficou nua sofrendo as neves e frios do Inverno.Tarefa - Comenta esta fábula e sobre a falta de honestidade na sociedade actual.Fábula 6O CÃO E A CARNELevava um Cão na boca um pedaço de carne. Passava com ele por um rio, e vendo nofundo da água a sombra da carne maior, soltou a que levava nos dentes, por pensar quea que via dentro na água era maior. Porém como o rio levou para baixo com a sua 12
  13. 13. corrente o verdadeiro pedaço de carne, levou também a sombra e ficou o Cão sem opedaço que levava nos dentes e sem a outra que via reflectida no rio.Questão – Qual é a moral da história?Fábula 7A GALINHA DOS OVOS DE OUROUm camponês e a mulher possuíam uma galinha, que todos os dias sem falta, punha umovo de ouro.Supondo que dentro dela deveria haver uma grande quantidade de ouro, mataram agalinha, para ficar com tudo de uma só vez.Então, para surpresa dos dois, viram que a ave, em nada era diferente das outrasgalinhas.Assim, o casal desejando enriquecer de uma só vez, acabaram por perder o ganho diárioque já tinham assegurado.Questão – Qual é a moral da história?Fábula 8O LOBO E AS OVELHASHavia guerra travada entre Lobos e Ovelhas; fracas mas ajudadas pelos rafeiros, semprelevavam o melhor. Pediram os Lobos paz, na condição que dariam de garantia os seusfilhos, e as Ovelhas deveriam entregar os rafeiros. Combinadas as pazes com estascondições, os filhos dos Lobos começam a uivar rijamente. Auxiliam os pais, e vêemisto como ataque e a paz quebrada; e voltam a renovar a guerra. Bem quiseramdefender-se as Ovelhas, mas como a sua principal força consistia nos rafeiros, queentregaram aos Lobos, facilmente foram vencidas, e todas decapitadas.Questão – Qual é a moral da história?Fábula 9A MOSCA SOBRE A CARRETASobre um carro de mulas, carregado, pousou uma mosca, e achou-se tão altiva por ir alta,tão ao seu gosto, que começou a falar soberba contra a mula dizendo que andassedepressa, senão que a castigaria, picando-a onde lhe doesse. Virou a mula o rostodizendo: – Cala-te, sua sem vergonha, que não temo nem me podes fazer nada; o medoque me causa é do carreteiro, que leva na mão um pau, que tu só com importunaçõescansas-me, sem me fazeres mal nenhum.Questão - Por que é que a mula não ligou ao que dizia a mosca?Fábula 10LENDA DO GALO DE BARCELOSUm peregrino hospedou-se numa estalagem minhota. Como levava um grande farnel efazia pouca despesa, o hospedeiro ganancioso, acusou-o de roubo e foi condenado àmorte por enforcamento.Como última vontade, o peregrino pediu que o levassem até ao juiz. Quando chegou acasa do juiz que estava num banquete, invocou inocência, ninguém acreditou. 13
  14. 14. Desesperado, reparou num galo assado que estava na travessa em cima da mesa, edisse:- É tão certo eu estar inocente como certo é esse galo cantar quando me enforcarem.Quando chegou a hora de o enforcarem o galo levantou-se e cantou.Questão – Qual é a moral da história?______________________________________________________________________QUIZZESQuiz 1(REVISÕES)Revisões (vale 5% na avaliação do módulo)1. Completa as frases:1. Uma estrofe é...2. Um terceto tem....versos.3. Ao tipo de rima aa bb dá-se o nome de rima.......4. A figura de estilo presente neste verso " Amor é fogo que arde sem se ver" é a........5. A poesia pertence ao género .....Quiz 2 Caso A2. Qual destes nomes não é heterónimo de Fernando Pessoa?a . Álvaro de Camposb. Ricardo Carvalhoc. Alberto Caeirod. Ricardo Rei_____________________________________________________________________PROVÉRBIOSSEMANA 25 A 30 MAIOCOMPLETA OS PROVÉRBIOS1.A cavalo dado ….A esperança ….A galinha da vizinha ….2.A mulher e a sardinha,….A ocasião ……Água mole em pedra dura …..3.Águas passadas …Amigos, amigos, ……Antes só …..4. 14
  15. 15. Ao menino e ao borracho …Atrás de mim virá ….Cada cabeça …5.Candeia que vai à frente ….A boda e a baptizado, ….Cão que ladra …6.Casa onde não há pão, …Casa roubada, …De boas intenções …7.Gato escaldado ….Zangam-se as comadres, ….São mais as vozes …Tal pai, …______________________________________________________________________ADIVINHAS1.O que está no exército,na vassoura e no mapa?(O cabo)2.Tenho um tioque é meu tio;o meu tio tem um irmão,o meu tio é meu tioe o irmão do meu tio não.Quem é o irmão do meu tio?(Pai)3.Tem cabeçae não tem pescoço;Tem dentes,sem ser de osso.O que é?(Alho)______________________________________________________________________ ATIVIDADES RECETIVAS – CENÁRIO 1CASO BO RESUMOResumir um texto é condensar as ideias principais, respeitando o sentido, a estrutura e otipo de enunciação, isto é, os tempos e as pessoas, com a ajuda do vocabulário do aluno.É, assim, reter as linhas de um raciocínio, o essencial dos dados de um problema, as 15
  16. 16. características de uma situação, as conclusões de uma análise, sem o mais pequenocomentário."Aspectos a considerar:Respeitar a ordem das ideiasManter o fio condutorReduzir o texto original a 1/4 da extensãoFases de preparação:1.ª - Leitura atenta do texto2.ª - Síntese das ideias fundamentais3.ª - Organização do texto escrito______________________________________________________________________PALÍNDROMOSMais exemplos de frases:- ASSIM A AIA IA A MISSA- A DIVA EM ARGEL ALEGRA-ME A VIDA- A DROGA DA GORDA- A MALA NADA NA LAMA- A TORRE DA DERROTA- O CÉU SUECOPALÍNDROMOSSão palavras, expressões ou números que se lêem da mesma forma da frente para trás ede trás para a frente.EXEMPLOS- ovo- osso- radar- 11111- 222- ama- rirEXPRESSÕES- O GALO AMA O LAGO- A TORRE DA DERROTA- ANOTARAM A DATA DA MARATONA…………………………………………………………………………..PENSAMENTO DA NOITEDe 27 a 31 de Maio1."O pessimista queixa-se do vento, o optimista espera que ele mude e o realista ajusta asvelas" Willian George WardTenham uma santa noite.2."Não há razão para termos medo das sombras. Apenas indicam que em algum lugarpróximo brilha a luz."Ruth Renkel 16
  17. 17. Bons sonhos!3."Mil dias não bastam para aprender o bem; mas para aprender o mal, uma hora édemais."Confúcio (551 aC - 479 aC)Desejo-vos uma noite repousante!4."O futuro é construído pelas nossas decisões diárias inconstantes e mutáveis, cadaevento influencia todos os outros Alvin Tofler Boa noite5."O mundo é um belo livro, mas é pouco útil a quem não o sabe ler"Carlo GoldoniUm resto de bom domingo.______________________________________________________________________Diário de bordoQuerido/as aluno/asEntrámos ontem na 4ª semana do Projecto de Investigação e gostaria de na próxima 2ªfazer o ponto da situação da utilização do telemóvel fora da sala de aula.Peço-vos que escrevais no diário de bordo sobre como tendes utilizado o telemóvel,PSP, mp3, mp4 como ferramenta de aprendizagem. Quem não tem internet escreve numpapel e leva para a aula na 2ªf.Todas as vossas informações são importantes para esta investigação. Conto convosco.5/5Anita, já podes escrever sobre o envio do dicionário por SMS. Como estás a organizar ainformação, etc.6/5Enviei parte III da 1ª história – Catarina perguntou para que era isto, respondiAdelina Moura:Catarina o objectivo é fazer leitura diária e no fim de receberes a história toda descobrirqual é a lição de moral e enviar-me um SMS com a resposta. Só logo à noite tendes ofinal da história. Diz isso às colegas.BjLembretesOs alunos que ficaram de escrever no Word os textos das entrevistas, enviai-os poremail.Gravação das entrevistas: Eduardo, Artur, Tiago Duarte,Tirar fotos para o álbum argentino (todos os alunos)Quem recebeu mp4 responder a um questionário:______________________________________________________________________Outros SMS enviadas 17
  18. 18. Dicas para o teste– enviei no 3/5 para o PCC, para o PE enviei por email Pedro.Dicas para o teste (terça-feira):Para preparação do teste dai especial atenção às perguntas nº 6, 7, 8, 11, 13, 15, 24, 30Para preparar a composição pensai nos males que povoam a sociedade portuguesa actual.Se precisardes de ajuda estarei no MSN à noite.EPBMónica, Diana, madalena Dicas para o Teste de recuperação: - tem um soneto - perguntas de interpretação - algumas perguntas do grupo II são iguais a um dos testes que vos dei - a composição também é retirada dos testesDicionárioCarla Mariana - os alicerces são as fundações, as bases de uma casa. Quando se começaa construir uma casa é pelos alicerces, quer dizer de baixo para cima. Quando usamos apalavra alicerce referindo pessoas, quer dizer as bases educativas que essa pessoa tem,os ensinamentos dos pais, os valores morais que a pessoa adquiriu em pequena.__________________________________________________Jogo por SMS: Quem quer ser Milionário?Pergunta 1Qual das seguintes palavras não é um substantivo próprio?A - HomemB - TejoC - FranciscoD - CoimbraJogo: Quem quer ser MilionárioPergunta 2O chinês Confúcio foi um célebreA - FilósofoB - ImperadorC - Mestre de Kung FuD - NavegadorJeu: Qui veut être millionnaireQuestion 2Le Chinois de Confucius a été un célèbreA - PhilosopheB - EmpereurC – Maître de Kung FuD – Navigateur 18
  19. 19. Jogo: Quem quer ser MilionárioPergunta 3Qual a profissão do protagonista das aventuras de Indiana Jones? A - EtnólogoB - ArqueólogoC - AntropólogoD - BiólogoJeu: Qui veut être millionnaireQuestion 3Quelle est la profession de la protagoniste des aventures dIndiana Jones? A - EthnologueB - ArchéologueC - AnthropologueD - BiologisteJogo: Quem quer ser MilionárioPergunta 4A acústica é uma ciência que estuda...A - somB - solC - luaD – cometasJeu: Qui veut être millionnaireQuestion 4Lacoustique est une science qui étudie ...A – Le sonB – Le soleilC – La luneD – Les comètesJogo: Quem quer ser MilionárioPergunta 5Quem é o autor do livro “O Velho Que Lia Romances de Amor“?A - Isabel AllendeB - Luís SepúlvedaC - Gabriel García MárquezD - Federico García Lorca____________________________________________________Atividades por SMS Francês Dia (Caso C)ATIVIDADES PRODUTIVAS INDIVIDUAISQuiz1 - J … gros rhume la semaine dernière 19
  20. 20. ai eusuis eu2 - Elles …. de la chance.avons euont eu3 - Vous … une journée difficile.êtes étéavez eu4- Tu … envie de partir.a euas eu5 - Elle … mal au dos.as eua eu6 - Vous … tort dabandonner votre cours.avez euont eu7 - Ils …. raison de défendre leur point de vue.avons euont eu8 - Autrefois, ils ... nous voir.venaientvenait9 - Aujourdhui, je ... à te dire tout.tienttiens10 - Demain, nous ... ensemble.reviendronsrevenons11 - Si tu y ... nous pourrions les aider.tienstenais12 - Vous... avant huit heures.revenezrevenons13 - Nous ... les devoirs vite.finissonsfinissez 20
  21. 21. ______________________________________________________________________PROVERBES POPULAIRESExercice de traductionEnvoie-moi un SMS et dis-moi quel est le proverbe populaire portugais quicorrespondProvérbios enviados na semana 25 a 312ª- Les amis de mes amis sont mes amis.- Avoir une patience dange. - Largent na pas dodeur.3ºAvoir les yeux plus gros que le ventre.La foi transporte les montagnes.Un homme averti en vaut deux.4ºLa meilleure défense cest lattaque.Prendre le taureau par les cornes.Lamour est aveugle.5ºIl ny a pas de fumée sans feuMalheureux au jeu, heureux en amour.Les murs ont des oreilles.6ºTêtu comme un âne.Les chiens aboient et la caravane passe.Mener une vie de chien.SábadoDonner des perles aux cochons.Quand les poules auront des dents et que les cochons voleront..La parole est dargent, le silence est dor.DomingoMener une vie de chien.Les apparences sont trompeuses.Beaucoup de bruit pour rien._____________________________________« Quand le soleil se lève, il se lève pour tous. »« À cheval donné, on ne regarde pas la bride »« Vouloir, cest pouvoir.» « Mieux vaut tard que jamais »« Lhabit ne fait pas le moine »« Qui part à la chasse, perd sa place »« Une hirondelle ne fait pas le printemps »« Il n’y a pas rose sans épines »______________________________________________________________________ Fables de La FontaineFable 1 21
  22. 22. LA CIGALE ET LA FOURMILa Cigale, ayant chantéTout lété,S’est trouvé très pauvreQuand le froid est venu :Pas un seul petit morceau de pain.Elle est allé crier famineChez la Fourmi sa voisine,Lui demandant de lui prêterQuelque grain pour subsisterJusquà la saison nouvelle."Je vous paierai, lui dit-elle,La Fourmi nest pas prêteuse :Que faisiez-vous au temps chaud ?a demandé à la Cigale.- Nuit et jour je chantais.- Vous chantiez ? Eh bien! dansez maintenant.FINQuestion: Quelle est la leçon de morale?Envoie-moi un SMS avec la réponse.Fable 2LE CORBEAU ET LE RENARDLe Corbeau, sur un arbre suspendu,Tenait en son bec un fromage.Le Renard, par lodeur attiré,Lui a dit:"Hé ! bonjour, Monsieur Corbeau.Que vous êtes joli ! que vous me semblez beau !Le Corbeau très vaniteux à ces mots;Et pour montrer sa belle voix,Il ouvre un large bec, laisse tomber le fromage.Le Renard le prend et dit : "bon Monsieur,Apprenez que tout adorateurVit aux coûts de celui qui lécoute :Le Corbeau, honteux et confus,a Juré, mais un peu tard, quon ne ly prendrait plus.Question: Quelle est la leçon de morale?Envoie-moi un SMS avec la réponse.Fable 3LE RAT DE VILLE ET LE RAT DES CHAMPSAutrefois le Rat de villea invité le Rat des champs,à venir chez lui manger.Rien ne manquait au festin ;Mais quelquun a troublé la fêtePendant quils étaient au repas.A la porte de la salle 22
  23. 23. Ils ont entendu du bruit :Le Rat de ville se lève ;Son camarade le suit.Le bruit cesse :Cétait un chat.Cachons nous vite - dit le rat de ville. Et le rat des champs à mourir de peur.- Demain vous viendrez chez moi où nous pouvons manger simple mais en paix - dit lerat des champs.Adieu donc.Question: Quelle est la leçon de morale?Envoie-moi un SMS avec la réponse.Fable 4LE LION ET LE RATEntre les pattes dun LionUn Rat sortit de terre étourdie.Le Roi des animaux, en cette occasion,a montré ce quil était, et lui a donné la vie.Ce bienfait ne fut pas perdu.Quelquun aurait-il jamais cruQuun Lion dun Rat a eu devoir?Cependant il est arrivé quau sortir des forêtsCe Lion fut pris dans des rets,Dont ses rugissements ne l’ont pu défaire.Le Rat a couru, et a fait tant par ses dentsQuune maille rongée a emporté tout louvrage.Patience et longueur de tempsFont plus que force ni que rage.Fable 5LA GRENOUILLE QUI VOULAIT SE FAIRE AUSSI GROSSE QUE LE BŒUFUne grenouille vit un boeufQui lui a semblé de belle taille.Elle qui nétait pas grosse en tout comme un oeuf,Envieuse sest enflée pour égaler lanimal en grosseur,En disant à son amie: "Regarde bien, ma soeur;Est-ce assez? dites-moi. Ny suis-je point encore, grosse comme le bœuf?- Non. Répond son amie.- Vous nen approchez point."La grenouille envieuse s’est enflé tellement qu’elle a explosé.Vocabulaire :envieuse: la grenouille désire absolument grossir pour devenir comme le le boeuf.Elle veut être comme lui.Question - Quarrive-t-il à la grenouille a la fin de la fable La Grenouille et leBoeuf? 23
  24. 24. Fable 6LA POULE AUX OEUFS DORLa poule pondait tous les jours un oeuf dor.son propriétaire a cru qu’elle avait un trésor dans son corps:Alors en voulant tout d’une seule fois, il a tué sa poule, la ouvert pour prendre le trésormais il l’a trouvé semblable à celles dont les oeufs ne lui rendaient rien.De cette façon il s’était lui-même supprimé le plus beau de son bien et à partir de cemoment il n’a pas eu plus d’œufs d’or.FinQuestion - Quelle est la morale de l’histoire ?Fable 7LE RENARD ET LA CIGOGNECompère le Renard a invité à dîner commère la Cigogne.La soupe lui a été servie sur une assiette :La Cigogne au long bec nen a pu prendre rien ;Pour se venger de cette tromperie, la Cigogne a invité le Renard à venir chez elle dîner.A lheure dite, le repas a été servit dans un vase à long col et détroite bouche.Le bec de la Cigogne y pouvait bien passer ;Mais la langue du Renard était dautre mesure et il n’a pu rien manger.Honteux comme un Renard en serrant la queue et portant bas loreille s’en est allé avecfamine.Fable 8LA COLOMBE ET LA FOURMILe long dune claire rivière buvait une Colombe,Quand sur leau s’inclinait une Fourmi et y est tombé.Et dans cet océan s’est vu la FourmiSefforçait, mais en vain, de gagner le bord.La Colombe aussitôt a usé la charité et l’a jetéun fragment dherbe dans leau,La Fourmi s’y prend et arrive au bord et se sauve ;Passe un chasseur avec une fusil en direction à la colombe.La fourmi a vu son amie en péril et tout de suite a piqué le méchant chasseurDans le pied en lui faisant perdre la trajectoire et sauve la pauvre colombe.Fable 9LE RENARD ET LES RAISINSCertain RenardMourant presque de faim, a vu au haut dune vigneDes Raisins mûrs apparemment,Et couverts dune peau vermeille.Monsieur Renard a tout de suite vu ici un bon repas ;Mais comme il ny pouvait prendre les raisins car ils étaient haut:Il a dit : - "Ils sont trop verts et bons pour des grossiers, pas pour moi. " 24
  25. 25. Mais un peu après une feuille est tombée et M. Renard retourne vite en pensant qu’ils’agissait des raisins. Quelle déception !Fable 10LE LION ET LA SOURISUne petite souris est sortie de chez soi et est tombée entre les griffes dun lion. Le roides animaux lui a donné la liberté, ou par miséricorde ou à cause de ne pas avoir faim.Un jour, le lion est tombé dans un piège, et il a fait un énorme effort pour se libérer. Envain. Au même moment la souris est apparu et tranquillement a commencé à ronger lescordes du piège. Enfin, la souris a réussi à libérer le lion et donc payer sa dette.Le lion a été très reconnaissant à la souris de lui avoir sauvé la vie.Question - Quelle est la morale de lhistoire?Fable 11LES LOUPS ET MOUTONSIl y avait guerre entre les loups et les moutons. Ceux-ci plus faibles, mais aidés par deschiens, ont toujours vaincus. Les loups voulaient la paix, et comme condition ilsdonnaient leurs enfants, et les moutons les chiens.La paix coordonnée avec ces conditions, les enfants des loups ont commencé à hurler.Les loups ont vu cela comme une attaque à la paix, et ont renouvelé la guerre. Lesmoutons ont bien voulu se défendre des loups, mais sa principale défense était leschiens, quils ont donnés aux Loups. Les moutons étaient tous captés et décapités.Question - Quelle est la morale de lhistoire?Fable 12LA MOUCHE SUR LE CHARRIOTUne mouche a atterri sur une voiture de mules, chargé. La mouche est très fière dalleren haut à son goût et a dit au mulet pour qu’il se dépêche sinon elle va lui piquer etblesser. La mule tourné son visage en disant: - Tais-toi, tu na pas la honte ? Tu ne mepeux rien faire. La seule peur que j’ai c’est le bâton que le propriétaire a en main. Detoi, ce sont tes importunassions qui me fatiguent, sans me faire aucun mal.Question - Pourquoi le mulet n’a pas eu peur des attaques de la mouche?Conte 1LE PETIT NUAGEIl était une fois un nuage triste. Son plus grand plaisir aurait été darroser les champs.Mais il était à peine une boule de coton. Les gros nuages noirs et gris, pleins de pluieétaient en colère.Alors, Coton notre petit nuage est partit encore plus triste quavant. Personne ne voulaitle rejoindre.Solitaire et triste, il a poursuivit son chemin. Il était si triste quil sest mit à pleurer.Sa première larme est tombé sur une fleur. Cétait un coquelicot qui mourait de soif. Il aregardé le ciel avec gratitude et a sourit au petit nuage. Il a compris quun jour il seraitgrand aussi.Question - Quelle est la morale de lhistoire? 25
  26. 26. Questions :1 - Je suis la femelle du coq et je ponds des œufs dor, dans quelle fable je me retrouve?2 - Je suis une sorte doiseau et mon amie est toute petite, noire ou rouge. Dans quellesfables je me retrouve?a) La Colombe et la Fourmib) La Poule aux œufs dorc) La Cigale et la Fourmi______________________________________________________________________ATIVIDADE PRODUTIVA COLABORATIVA16/05Trabalho colaborativo a distância para fazer por SMS até segunda-feira.Criar uma história a partir de um dos seguintes provérbios:Lhabit ne fait pas le moine;Vouloir est pouvoir;A cheval donné on ne regarde pas les dents;Quand le soleil se lève, il se lève pour tous.Pares:Joana C. - JorgeSofie - SofiaPaula - PatríciaBárbara - AndréSusana - Joana ReiSandrina - TelmoVasco - AmaroNuno - José MiguelCatarina - SérgioTiago - Cecília______________________________________________________________________ATIVIDADES RECEPTIVAS – CENÁRIO 1MA JOURNEE(Texte modèle pour le devoir)Aujourd’hui c’est Mercredi, je me lève à sept heures trente, je prends une douche et jem’habille.Maman a préparé le petit-déjeuner pour tout le monde: du café au lait et du pain avec dufromage ou du jambon. Mon petit frère mange des céréales. Après, il faut brosser lesdents.C’est l’heure de partir pour l’école. J’ai des cours toute la journée – le matin et l’après-midi. J’ai cours d’Education Physique, après c’est le cours de Chimie, après l’Anglais etle Portugais.A dix-huit heures trente, je retourne chez moi._________________________________________________ 26
  27. 27. LES PENSÉES DU SOIRDe 27 a 31 Maio1."Aime-toi toi-même et tu auras des amis". - Proverbe anglaisJe vous souhaite une bonne nuit2."Aucun trésor nest plus cher que celui de lamitié."Bonne nuit à vous!3."Cest la somme des petits bonheurs qui fait la vie heureuse."É a soma dos pequenos momentos de felicidade que faz a vida feliz.Bonne nuit.4."Dans le doute abstiens-toi." - Proverbe latinUne bonne soirée5."Être courageux ce n’est pas d’être sans peur, c’est la vaincre."Un reste de bon dimanche________________________________________________________Atividades por SMS Francês Noite (Caso D)ConversationÀ demain! - Até amanhãÀ bientôt !- Até breveMerci bien. - obrigadoJe comprends. - compreendoCest parfait. - Está perfeitoAh bon ? Ah bomDaccord ! - De acordo ! Pardon ! - Desculpe !Bon anniversaire ! - Bom aniversárioQuest-ce que vous voulez ? - O que deseja ? Cest une bonne idée ! - É uma boa ideia On verra demain. - Veremos amanhã.Félicitations ! - Felicidadesjoyeux(euse) - (adjectif) Qui cause, ressent ou exprime de la joie. (alegre, feliz) : Ex:Joyeux Nöel 27
  28. 28. Conversation (suite)Au revoir madame. - Adeus minha senhoraMerci beaucoup ! - muito obrigadaEncore une fois. - Mais uma vez.Vous êtes français ? - Você é francês ? Cest pas normal.- Não é normalDeux cafés sil vous plaît ! - Dois cafés se faz favor ! Elle sappelle Isabelle. - Ela chama-se Isabel Elle travaille dans une banque. - Elatrabalha num banco.Cest le metteur en scène. - É o encenador Cest mon anniversaire. - É o meu aniversárioQuest-ce que tu fais pour mantenir ta santé?Réponds aux questions:Où habites-tu?Quel âge as-tu?Comment sapelle ta mère?De quelle couleur sont tes cheveux?Quest-ce que tu fais pendant les temps libres?Articles indéfinis : un, une, des, et de, d(ex : jai un livre, je nai pas de livre)Articles définis : le, la, les, l, et contractés : au(x), du, des (pour : à le, à les, de le, deles)2-Je suis une sorte doiseau et mon amie est toute petite, noire ou rouge. Dans quellefable je me retrouve?a) La Colombe et la Fourmib) La Poule aux oeufs dorc) La Cigale et la FourmiVocabulaire - La Maison de CampagneUne cheminée - chaminéUn toit - telhadoUne fumée - fumoUne fenêtre - janelaUn volet - portada da janelaUne porte - portaUn escalier - escadaUn chemin - caminhoUn pot de fleur - vaso de floresUne pelouse / le gazon - relvaUn banc - bancoUne hache - rachadorUn arbre - árvoreUn champignon - cogumenloUne piscine - piscina 28
  29. 29. Une haie - sebeUn portail - portalUn trottoir - passeioUne clôture - uma cercaUne échelle - escadaUne poignée - alavancaUne branche - um ramo de árvoreIl était une fois un nuage triste. Son plus grand plaisir aurait été darroser les champs.Mais il était à peine une boule de coton. Les gros nuages noirs et gris, pleins de pluieétaient en colère.Alors, Coton notre petit nuage est partit encore plus triste quavant. Personne ne voulaitle rejoindre.Solitaire et triste, il a poursuivit son chemin. Il était si triste quil sest mit à pleurer. Sapremière larme est tombé sur une fleur. Cétait un coquelicot qui mourait de soif. Il aregardé le ciel avec gratitude et a sourit au petit nuage. Il a compris quun jour il seraitgrand aussi.Quelle leçon?DEVINETTEJai un onclequi est mon oncle;mon oncle a un frère,mon oncle est mon oncleet le frère de mon oncle non.Qui est le frère de mon oncle?Bonjour; cest Marie, pourrais-je parler à Michel sil vous plaît?Bonjour Marie, je suis désolée mais je crains que non, il est dehors avec des amis.Oh! ça ne fait rien, pouvez-vous lui demander de me rappeler sil vous plaît? Je vousdonne le numéro de mon portable.Oui bien sûr!Mon numéro est le 06 75 94 83 21Cest noté, je le lui donnerai.Merci madame. Passez une bonne journée.Au revoir Marie.Répondez aux QuestionsQui veut parler avec Michael?Est-ce que Michel est à la maison?Où est Michel?Quest-ce que cest ce numéro 06 75 94 83 21 ?VERBE AVOIR (ter)PRÉSENTjai - EU TENHOtu as 29
  30. 30. il anous avonsvous avezils ontFUTURjaurai - eu tereitu aurasil auranous auronsvous aurezils aurontVERBE AVOIR (ter)PRÉSENTjai - EU TENHOtu asil anous avonsvous avezils ontFUTURjaurai - eu tereitu aurasil auranous auronsvous aurezils aurontTEST - CompositionMon nom est François Lemaître.Je suis avocat.Je travaille à Lyon.Je suis veuf.Je nai pas denfants....Je suis Pierre Leclair.Je suis électricien.Jai trente-sept ans.Je suis marié.Jai deux enfants.Jhabite à Lille.PRÉSENTje veux - eu querotu veuxil veutnous voulons 30
  31. 31. vous voulezils veulentIMPARFAITje voulais - eu queriatu voulaisil voulaitnous voulionsvous vouliezils voulaientFUTURje voudrai - eu querereitu voudrasil voudranous voudronsvous voudrezils voudrontPASSÉ COMPOSÉjai voulu - eu quistu as vouluil a voulunous avons vouluvous avez vouluils ont vouluSemaine du 25 au 31 mai- Vous travaillez Madame ?- Oui, je suis professeur. Jenseigne à lUniversité de la Sorbonne, à Paris. Depuis 3 ans.Je vis en France depuis trois ans.- Vous avez une autre activité professionnelle ?- Non, cest tout.- Quelle est votre situation familiale ?- Je vous demande pardon ?- Euh… Vous êtes mariée, vous êtes célibataire ? Divorcée ?- Ah… Je ne suis pas mariée, pas encore. Je suis toujours célibataire.- Vous navez pas denfants ?- Non, je nen ai pas.Nous ..... (regarder) la télévision.Ils ..... (discuter) des programmes.Vous ......(rester) à la maison.Tu ......(étudier) pour lexamenDomi et Véro .... (rentrer) tard.Je .....(chercher) des éléments.Domi ....(découper) les revues.Nous ......(aller) au cinéma.Nous ... (regarder) le tableau.Vous ....(parler) bien le français.Il .....(vouloir) aller en France 31
  32. 32. Elles .....(finis) le travail.Je .....(habiter) à ParisVous .......(téléphoner) à MarieMasculin - Féminingrand - grandeami- amiecontent-contenteoncle-tantegraçon-filleintelligent- intelligentecommun- communeAnimauxun crocodileun phoqueun oiseauun poissonun boeufun hérisson ouriçoun lièvre - levreun écureuil - esquiloune chenille - lesmaun chat - gatoun sanglier - javaliun chien - caoun cerf - veadoun renard - raposaun serpentune girafeun éléphantun hippopotameun rhinocérosune panthèreun lionune abeilleune araignéeune libelluleune fourmiune moucheun papillon - borboleta_____________________________________________________Jogo por SMS : Quem quer ser Milionário?Francês Diurno e NocturnoJeu: Qui veut être MillionnaireQuestion 1Lequel de ces mots nest pas un nom propre?A - Homme 32
  33. 33. B - SeineC - MarieD - ParisJeu: Qui veut être millionnaireQuestion 2Le Chinois de Confucius a été un célèbreA - PhilosopheB - EmpereurC – Maître de Kung FuD – NavigateurJeu: Qui veut être millionnaireQuestion 3Quelle est la profession de la protagoniste des aventures dIndiana Jones? A - EthnologueB - ArchéologueC - AnthropologueD - BiologisteJeu: Qui veut être millionnaireQuestion 4Lacoustique est une science qui étudie ...A – Le sonB – Le soleilC – La luneD – Les comètesJeu: Qui veut être millionnaireQuestion 5Qui est lauteur de "Le Vieux qui lisait des romans damour “?A - Isabel AllendeB - Luis SepúlvedaC - Gabriel García MárquezD - Federico García LorcaJeu: Qui veut être millionnaireQuestion 6Dans la mythologie grecque, qui sont les Amazonies?A - Les habitants du fleuve AmazoneB - Les femmes guerrièresC - MusesD - Larmure de métalJeu: Qui veut être millionnaireQuestion 7Dans quel pays sont Goa, Daman et Diu?A - Mozambique 33
  34. 34. B - IndeC - AngolaD - Cap-VertJeu: Qui veut être millionnaireQuestion 8Dans quelle ville européenne, vous pouvez visiter le Musée du Louvre?A - BruxellesB - ParisC - MadridD – MoscouJeu: Qui veut être millionnaireQuestion 9Dans cette bataille a disparu le roi D. Sebastião?A - AljubarrotaB - CeutaC - Alcácer-QuibirD - OuriqueJeu: Qui veut être millionnaireQuestion 10En quelle année a été publiée la première «Constitution portugaise?A - 1822B - 1826C - 1910D - 1976 34
  35. 35. Anexo III Grelha de participação nas Atividades por SMSCaso A Quem Quer ser Milionário Adivinhas Provérbios Contos Fábulas Quiz 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 1 2 3 4 5 6 7 1 2 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2A14 x x x x x x x x x x x x x x x x xA15 x x x x x x x x x x x x x xA16 x x x x x x x x x x x xA17 x x x x x x x x x x x x x x x xA18 x x x x x x x x x x x x x x x x x xA19 x x X x x x x x x x x x x x x x x xA20 x x x x x x x x x x x x x x xA21 x x x x x x x x x x x x x x xA22 x x x xA23 x x x x x x x x x x xA24 x x x x x x x x x x x x xA25 x x x x x x x x x x x x xA26 x x x x x xA27 x x x x x x x x x x x x x x x xA01 x x x x x x x xA02 x x x x x x x xA03 x x x x x xA04 x x x x x x x x x x x xA05 x x x x x x x xA06A07 x x x x x x x x x xA08 x x x x x x x 35
  36. 36. A09 x x x x x x x xA10 x x x x x xA11 x x x x x x x x x x x x xA12 x x x x x x x x xA13 x x x x x xCaso B Quem Quer ser Milionário Adivinhas Provérbios Contos Fábulas Quiz 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 3 1 2 3 4 5 6 7 1 2 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2B01 x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x xB02 x x x x x x x x x x x x x x x x x x xB03 x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x xB04 x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x xB05 x x x x x x x x x x x x x x x xB06 x x x x x x x x x x x x x x xB07 x x x x x x x x x x x x x xB08 x x x x x x x x x x x x x x xB09 x x x x x x x x x x x x x x x x x xB10 x x x x x x x x x x x x xB11 x x xB12 x x x x x x x x x x x x x x x x XB13 x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x xB14 x x x x x x x x x x x x x x x x XB15 x x x x x x x xB16 x x x x x x x xB17 x x x x x x x x xB18 x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x xCaso C Quem Quer ser Milionário Adiv Provérbios Fábulas Quiz 36
  37. 37. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 2 1 2 3 4 5 6 7 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 1 2C01 x x x x x x x x x x x x xC02 x x x x x x x x x x x xC03 x x x x x x x x x x x x x x x x x xC04 x x x x x x x x x x x x x x x x x x xC05 x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x xC06 x x x x x x x x x x x x x x x x x xC07 x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x xC08 x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x xC09 x x x x xC10 x x x x x x x xC11 x x x x x x x x x x x x x x x x x x x xC12 x x x x x x x x x x x x x x x x x xC13 x x x x x x x x x x x x x x x xC14 x x x x x x x x x x x x x x x x x x xC15 x x x x x x x x x x x x x x x x x xC16C17 x x x x x x x xC18 x x x x x x x x x x xCaso D Quem Quer ser Milionário A Provérbios C Fábulas Quiz 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 1 2 3 4 5 6 7 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 1 2 3D01 x x x x x x x x x x x x x x x xD02 x x x x x x x x x x x x x x xD03 x x x xD04 x x x x x x xD05 x x x x x x x x x x x x x x 37
  38. 38. Anexo IVGuião das entrevistas individuais e focus group Objetivos Tópicos Questões Enquadramento teórico (Sharples 2000; (Vavoula & Sharples, 2002)Legitimar a Pedir autorização para Autorizas queentrevista gravar a entrevista em grave esta áudio entrevista? Preservar o anonimato Recordar as actividades por SMS Vamos recordar as AprendizagemCompreender por actividades por através deque é que os Participação SMS contextos:sujeitos - potenciou fora da sala de aulaparticiparam - limitou 1. Notei que (Anytime/anywhere)mais ou menos (nunca / às vezes /nas actividades muitas vezes)por SMS respondeste às perguntas dos SMS. Porquê?Conhecer se o Apropriação do Controlo dagrau de telemóvel pessoal como 2. Se a professora tecnologia pessoalparticipação nas ferramenta de te tivesseactividades aprendizagem emprestado umdependeu do tipo telemóvel para usode dispositivo exclusivo dausado disciplina a tua Potencial do telemóvel participação teria Mobilidade e como ferramenta de melhorado? Portabilidade: aprendizagem: Porquê? Aprendizagem - para ocupar os independentementeApurar as tempos livres do espaço e doopiniões sobre a - autonomizar a 3. Achas o tempoutilidade do aprendizagem telemóvel umatelemóvel como ferramenta deferramenta de aprendizagem útilaprendizagem para ocupar os Integração tempos livres? Utilidade propícia às Porquê? necessidade de comunicação, 3.1 Alguma vez referência, trabalho, consultaste os e aprendizagem de conteúdos da cada dia; 38
  39. 39. disciplina a partir do teu telemóvel Autonomização da para ocupar Adaptatibilidade - a aprendizagem momentos em que tecnologia deve ser não tinhas nada sensível ao contexto para fazer? e evolui segundo o 3.2 Em que conhecimento doCompreender se Proibição/Adopção do circunstâncias o aprendente;os alunos se telemóvel na sala de fizeste?sentem preparar aulapara a 4. Imaginas-te a Apropriação doaprendizagem aprender através telemóvelautónoma Apropriação do de um telemóvel ferramenta de telemóvel para apoio sozinho? aprendizagemConhecer a aos estudosopinião dos Aprendizagemalunos sobre a através do espaço eproibição do 5. O que pensas do tempotelemóvel na que deve mudarescola Aprendizagem ubíqua para que o telemóvel tenha mais aceitação na sala de aula? Características dos dispositivos móveisAdoptar o 6. Qual é a tuatelemóvel como opinião sobre oferramenta de potencial doaprendizagem Características do telemóvel como telemóvel ideal ferramenta paraConhecer as aprender empotencialidades qualquer lado e ado ubiquidade do qualquer hora?telemóvel Apresentação de outrosCaracterizar o dispositivos móveis de 7. Que Omnipresença dotelemóvel ideal apoio à aprendizagem características telemóvel permite Interacção/comunicação deve ter o “stolen moments forEnumerar outros professora e colegas telemóvel para se learning” (Metcalf,dispositivos tornar numa 2002)móveis de apoio ferramenta deà aprendizagem Vantagens e aprendizagem? Disponibilidade: desvantagens da permite conectividade com o 7.1 Que outros comunicação entre professor e dos colegas dispositivos os aprendentes e o móveis poderiam professorConhecer as ser usados na salavantagens da Apreciação global da de aula para alémconectividade experiência do telemóvel? Porquê? 39
  40. 40. 8. O telemóvel permite estares Destaque das mais contactável actividades mais com os colegas e a apreciadas professora. 8.1 Quais são as vantagens que estaAvaliar a situação pode Adopção daexperiência trazer para a tecnologia aprendizagem? 8.2 E os inconvenientes?Levar o aluno adestacar o que Comentários/sugestões 9. Gostaste dasmais lhe agradou (aspectos importantes experiências que não abordados) realizámos com o telemóvel este ano? 9.1 Das actividades Agradecimentos desenvolvidas neste projecto comConcluir a o telemóvel qualentrevista e gostaste mais?agradecer 10. Recomendarias o uso do telemóvel nos estudos a outras pessoas? Porquê? 11. Tens algum comentário que queiras fazer acerca desta experiência de exploração das potencialidades do telemóvel na aprendizagem? 40
  41. 41. Anexo VTranscrição das entrevistas individuaisFrancês Noite – Caso DP – ProfessorA - alunoEntrevista 1Tempo - 3’32Aluno D02P - Boa noite J. Concorda que grave esta nossa entrevista?A- SimP- Muito bem. Diga-me uma coisa. Acha o telemóvel uma ferramenta de aprendizagemútil para ocupar os tempos livres?A- Acho.P- Porquê?A- Porque tem...é uma pequena máquina, um pequeno objecto que ...multifuncional,eh... tem muito por onde, por onde, digamos a escolha é múltipla e dá para fazervariadíssimas coisas, nomeadamente ouvir música, sei lá e mandar mensagens, enfim,muitas coisas.P- muito bem. O telemóvel permitiu-lhe estar contactável com a professora e com oscolegas. Que vantagens é que isso traz para a aprendizagem?A- muitas.P- algumasA- por exemplo, ajuda na aprendizagem da língua, neste caso o francês e ajuda tambéma assimilar melhor a matéria.P- e tem algum inconveniente?A- Penso que não. O único inconveniente é ter tempo e disponibilidade para o usar,principalmente para quem trabalha, para os alunos que não trabalham.....P- Considera o telemóvel uma ferramenta útil para os alunos da noite, que trabalham,para os estudantes trabalhadores?A- Sim. Apesar de trabalhar encontro que é útil. 41
  42. 42. P- em que é que pode ajudar ?A- Ajuda, o aluno tem disponibilidade vai buscar a matéria que está no telemóvel paraaprender ou para relembrar aquilo que aprendeu na aula.P- Olhe o que é que deve mudar na escola para que o telemóvel passe a ter maisaceitação?A- Ah. A pergunta é assim um bocado difícil de responder mas penso que é amentalidade os professores e o conselho executivo deve tomar medidas acerca disso.Pôr regras para usar ou não usar o telemóvel.P- Imagina-se a aprender através de um telemóvel sozinho?A- Sozinho não, tem de haver interacção?P- Mas se tivesse internet no seu telemóvel como tem no computador acedia aosconteúdos da disciplina sozinho, sem precisar...aí sim?A- ah...sim, simP- Quais são os principais factores para se usar bem o telemóvel na aprendizagem?A- quais os factores?P- Os factores que o telemóvel entre definitivamente na aprendizagem. A capacidade doseu telemóvel., que não tenha muitas limitações, ..A- sim, que seja um telemóvel da ultima geração.P- Recomendaria o uso do telemóvel na aprendizagem a outras pessoas?A- sim,P- vai fazer campanha?A- simP- óptimo, obrigada.______________________________________________________________________Entrevista 2A - D01T - 13’03P – Permite que eu grave a nossa entrevista?A- SimP- Ok C., obrigada. Então recordando as actividades que fizemos por SMS a C. nãoparticipou tanto como gostaria por não ter SMSs.A- Sim, na altura não dava.P- Senão teria muito gosto em fazer, não é?A- Sim, sim, teria muito gosto e participava.P- Se eu lhe tivesse emprestado um telemóvel, por exemplo igual a este, para asactividades da disciplina, acha que a sua participação teria sido....A- Sim, sem dúvida seria maior.P- Mas se tivesse um telemóvel como este se fosse seu. Acha que ser um telemóvel seuou da escola influenciaria a participação?A- Não. Porque eu como estou com vontade, por gostar de aprender, aprende-se mesmoque a gente não queira aprende-se. Porque nós temos curiosidade de ver, lemos, estamosa memorizar e aprendemos, acho que se fosse meu era na mesma.P- Quer dizer que não é tanto o instrumento mas a vontade de participar e de...detrabalhar.A- Sim...simP –Muito bem. Acha então que o telemóvel é uma ferramenta de aprendizagem útil paraocupar os tempos livres? 42
  43. 43. A- Sim, às vezes estamos em casa, vamos fazer alguma coisa e vamos ver, estamos ler ea aprender um pouquinho mais.P- Não só para ocupar os tempos livres mas também para usar na sala de aula, podefuncionar como uma ferramenta de aprendizagem?A- Sim. Com uma boa coordenação sim, é muito bom.P- Tem os podcasts, consultar até no caso os textos que tinham..A- Sim, exacto... sim consultar e interpretação.P- O próprio dicionário.A- É mais fácil, nós vamos na rua, vamos a qualquer sítio não levamos o caderno otelemóvel vai sempre connosco.P- ...está sempre presente em todo o lugar, a qualquer hora está sempre conectado.A- sim...simP- Vê-se num futuro próximo a aprender sozinha através de um telemóvel, com maiscapacidade, evidentemente, do que o seu, tipo o iPhone? Já viu o iPhone? Aquelestelemóveis de 3ª geração já têm acesso à internet com ecrã...A- sim ...sim já sei qual é.P - ...permite mover o ecrã na vertical e horizontal? Escrever, mudar as imagens com odedo, tocando. Acha que no futuro a educação...A- sim. Só o telemóvel, acho que é difícil, mas também, o telemóvel é para os maisjovens, porque o telemóvel é uma coisa que nós utilizamos todos os dias, e porque ousamos todos os dias ele está sempre presente.P- a omnipresença do telemóvel traz vantagens para os alunos..A- sim...porque eles andam sempre com elesP- e para os mais velhos? Qual é a utilidade do telemóvel para os da sua idade.A- É assim. Nós aprendemos mais porque temos mais curiosidade, estamos mais atentose depois há coisas novas no telemóvel que nós queremos saber, gravar a voz, tirar umafoto, são coisas que nós fazemos na hora, no telemóvel podemos fazer a foto e escrevere muitas coisas.P-...desenvolveu mais capacidadesA- Comecei a mexer mais ,a ver mais coisas no telemóvel que não tinha visto antes,P- Notou que melhorou e aprendeu...A- Sim...simP- O que acha que deve mudar na escola para que o telemóvel seja aceite na sala deaula? Ele está proibidoA- Eu acho que deve mudar...os conselhos executivos das escolas, devem estar maisabertos porque hoje os jovens utilizam-nos, e se utilizam também pode ser usadomoderado, com coordenação também deve ser usado...é uma ferramenta deaprendizagemP – …e os professores?A- Sim...a mentalidade dos professores também.P- ….e os alunos?A- Os jovens só precisam de um pouquinho de regras de resto está tudo bem. Acho queeles aceitam e gostam.P- Controlo, autodomínioA- Sim têm que moderarP- Qual é para si a potencialidade do telemóvel como uma ferramenta de aprendizagem?Onde esta ferramenta melhora, o que traz de diferente, de potencial ?A- o telemóvel é uma coisa pequena, anda sempre connosco, o tamanho é umavantagem. Depois no telemóvel nós podemos escrever, é assim no caderno já não 43
  44. 44. podemos eu não sei bem explicar ...nos temos o telemóvel connosco é uma coisa queestamos sempre a mexer, ...dá gosto, é pequeno, não aborrece escrevermos nele.P- já escreve nele habitualmente...A- sim...sim escrevemos...P- tomar notas...A- sim... tomamos notasP – tanto podem tomar notas escritas como gravar...A- sim...sim podemos ouvir...é uma coisa que podemos gravar e depois ouvir.P- é como um canivete suíço, não é?A- eheh...sim ...e se for as línguas, português, francês, inglês, é fácil porque nós temosnecessidade de ouvir...temos uma necessidade enorme de ouvir não é só escrever.Quando ouvimos é que aprendemos...as coisas entram mais depressa. Mas na sala deaula muitas vezes não ouvimos tanto, só ouvimos a nossa língua materna.P- então os podcasts ajudaram a melhorar?A- sim...sim muito a mim foi uma coisa boa...P- ...para ouvir a pronúncia...A- sim..principalmente a pronuncia e aquelas coisas...aquelas letrinha que na línguatemos de carregar mais...os rrs e assim...P-..as sílabas tónicas..A- sim...essas...P- os acentos tónicos das palavras. Muito bem. Quando fizemos as actividades por SMSestiveste mais contactável com a professora e com os colegas sentiu isso um benefícioou incomodou-a por estar tão contactável, a qualquer hora podia enviar um SMS com aprofessora?A- Não...não, nada incomodada.P – acha positivo este contacto?A- sim..porque ...P- contacto estreito com os professores...A- sim...isso é bom.P- poder colocar duvidas quando as tem...A- sim ...éP-...sem barreiras...sem precisar de vir à escola.A-..é...P- com um simples SMS pode contactar a professora...A-....sim. eu até achei graça, porque eu na próxima semana...na quinta-feira... eu recebiaas mensagens e já sabia o que precisava de levar para a escola...lembrava-me maisdepressa...nós demos isto...vamos continuar...vamos precisar de levar isto..a mimajudava-me.P- era como se os SMS lhe fizessem uma síntese, os SMS ajudavam-na..a memorizar ea organizarA- a memorizar...e a organizar...exacto..P – que interessante...nunca tinha pensado nisso...que engraçado..A- mas foi...P- ajudava a prever...já previa o que podia dar na aula...A- sim...de tal maneira que ... eu gosto de saber o que vou mais ou menos dar...gosto depensar um pouquinho..se me apanharem de surpresa ...não soi capaz de ...pronto...jásabia o que ia dar... P- Então é uma forma dos alunos estarem ...A- Quem tem dificuldade em expressar-se... 44
  45. 45. P- a acompanhar mais as actividades e interessar-se. costumava consultar os materiaisda disciplina quando não tinha nada que fazer...conte-me lá.A- quando estou a passar a ferro, por exemplo, eu ponho o mp4 no ouvido e estou aouvir muitas vezes...só que eu tenho um problema com os ouvidos não dá para ouvirmuito tempo, ouvia 15 minutos, depois parava mais algum tempo, dez minutos e depoisvoltava a ouvir o telemóvel quando estava numa fila, ou quando estava na loja doCidadão ou quando estava nos Correios à espera de qualquer coisa eu punha-me a ver emexia e escrevei-a as minhas respostas, não era que as pudesse mandar mas escrevia etentava fazer...P- ...quer dizer que ajudava a aproveitar os tempos mortos.A- sim ...sim...exactoP- sentiu que podia estar de uma forma mais útil a recordar as coisas das aulas...A-...e a estudar...é uma forma de estudar...estava fora da sala mas estava a estudar.P – muito bem...o que gostou mais do que fizemos...escrevemos com odicionário...depois...enviar os SMS ...tirar fotos..pedi-lhes para fazer vídeos..gravarvoz...A- ...só não gostei muito de gravar voz.P- então não gosta de se ouvir?A- não..não...eu falo muito baixinho. Gostei dos SMS , gostei de ouvir as gravações...asfotografias não ficaram grande coisa...mas os SMS...tanto material...P- ...ficou com material no seu telemóvel...guardou tudo?A- guardei. É curioso ...uns estão gravados e outros passei para o caderno.P- ...então transcreveu para o caderno... tem tudo...A- aquelas coisas ...não é lendas...as fábulas já estive a pensar vou passá-las para ocomputador, fazer tipo um caderninho, procurar umas imagens e fazer uma ilustração..P-...olha que engraçado ...depois envie-me. O que também pode fazer...sabe que eutambém tive de reduzir aquelas fábulas, a história é maior mas eu só tinha 600caracteres, tive de reduzir, por isso na internet vai encontrar as fábulas maiores, maisdesenvolvidas, por isso se quiser pode ter o resumo, o texto mais pequenino e depoismais alargado, até pode fazer o seu livrinho com a fábula reduzida e expandida.Recomendaria o uso do telemóvel como uma ferramenta de aprendizagem. Aosprofessores e a outros colegas, depois daquilo que viuA- Sim...sim...recomendo. não muito a adolescentes...P- Por que não recomendava...A- Não são tão responsáveis..criam mais problemas....mas a partir dos 16 ou 17 anossim...P -...então jovens com mais responsabilidades?A- Sim...simP- E aos professores?A- sim principalmente aos professores porque ainda não admitem.P- Quer fazer algum comentário, gostou quer continuar a fazer no próximo ano.A- Sim...sim gostava, não só a professora de francês neste caso mas a professora deportuguês, nós neste caso não só escrevemos mas ouvimos, era uma maneira decorrigirmos. Desde que vim agora para o nocturno tenho de corrigir muitas frasesminhas a português, as língua beneficiam.P- No próximo ano envio-lhe os podcasts de português.A- Obrigada______________________________________________________________________Entrevista 3 45
  46. 46. A – D03T – 5’11P- Olá L., concorda que eu grave esta entrevista.A- simP- vou-lhe colocar a seguinte pergunta. Usou o seu telemóvel nas actividades.Se eu lhe tivesse emprestado um telemóvel igual ao meu acha que teria respondido maisvezes, usado com mais frequência? Precisava de um melhor?A- não...o facto é que não tinha SMS grátisP – e para ouvir os podcasts chegou bem o leitor mp4?A- sim.P- acha que o telemóvel é útil para ocupar os tempos livres?A- simP- teve alguma ocasião em que não tinha nada que fazer e aproveitou o que tinha notelemóvelA- Os SMSs que a professora enviou, o meu telemóvel não tinha para agendar eu passeipara o caderno ...nos tempo livres passava para o caderno e aprendia.P- Então era positivo ter essas coisas no telemóvel e passar para o caderno nos temposlivres, já estava a aprender..A- simP- Qual é na sua opinião o potencial do telemóvel para aprender em qualquer lado e aqualquer hora?A- acho que é bastante bom...motiva os alunos a interagir mais na sala de aula...aaprender mais..tanto dentro da sala como fora.P- o telemóvel permitiu-lhe estar contactável com a professora a qualquer hora etambém com os colegas. Quais são as vantagens de poder estar conectada?A- é bom.P – e que inconvenientes é que acha que tem? Encontra inconvenientes?A- não..P- os SMS incomodavam-na?A- não storaP- chegou a consultar os conteúdos da disciplina quando não tinha nada que fazer?A- simP- ...quando é que não tinha nada que fazer?A- ... da parte da tarde...em casaP- fora de casa também consultava?A- quando saía levava o mp4 e ia ouvindo os textos.P- diga-me uma coisa...o que deve mudar para que o telemóvel tenha mais aceitação naescola.A- acho que a mentalidade de alguns dos professores em aceitar.P –pensa que o telemóvel deve continuar a ser proibido? Ou deve ser utilizado? Achouque tem utilidade?A- acho que deve ser utilizado, porque nos ajuda bastante em vários aspectosP- é um desperdício não estar a ser usado, considera isso?A- é ..P- imagina-se a aprender sozinha usando um telemóvel que tenha acesso à internet? Eracapaz?A- simP- via-se a fazer aprendizagem sozinha com a ajuda do telemóvel?A- acho que sim 46
  47. 47. P- quais são os principais factores para usar bem o telemóvel na aprendizagem?A- temos de conhecer bem o telemóvel, saber como funciona para poder tirar partidodele.P- aprendeu algo novo nesta experiencia de usar o telemóvel?A- sim...olho para o telemóvel de maneira diferente.P – já olha para o telemóvel de maneira diferente, já não é só...A-...para enviar mensagens.P- vê o telemóvel de outra maneira então foi positivo, passou a vê-lo como umaferramenta de aprendizagem.A- simP- recomendaria o uso do telemóvel para aprender a outras pessoas?A- simP- vai fazer propaganda?A- vou ...ehehehP- que outros dispositivos móveis acha quer poderão ajudar também?A- mp3, PDA, portáteis.... que sejam dispositivos de bolso...P- obrigada L.______________________________________________________________________Entrevista 4A – D05T– 6’55P – permite que grave esta entrevista?A- simP- considera o telemóvel uma ferramenta útil para ocupar os tempos livres?A- é sim.P- chegou a ter algum momento livre em que utilizou o telemóvel ou o mp4?A- houve momentos em que utilizei, até participei para enviar mensagens para oconcurso quem quer ser milionário e tive pena de não ganhar o concurso.P- mas foi em tempo livre?A- sim, foi em tempos livre quando enviei.P- o telemóvel permite estar contactável com a professora e com os colegas acha queisso traz vantagens para a aprendizagem?.A- traz vantagens, se eu estiver a estudar e tiver alguma dificuldade na escrita ou naoralidade, envio um SMS à professora ou a algum colega, acho que me vão ajudar aresolver as dificuldades que tiver.P-...e inconvenientes...encontra algum inconveniente?A- inconvenientes...não...neste tempo em que utilizei o telemóvel não tiveinconveniente nenhum, antes pelo contrário.P – só encontrou coisas positivas?A-...sim.P- O que deve mudar na escola para que o telemóvel tenha mais aceitação?A- mudança de mentalidade da parte dos alunos mais novos.P- ..que tipo de mudanças é que têm de ocorrer?A- Olhar para o telemóvel como uma ferramenta de estudo e não com joguinhos,brincadeira e distracção. Se for usado como uma ferramenta de estudo o telemóvel nasala de aula é bem-vindo.P- ...e da parte dos professores? Acha que os professores estão abertos? 47

×