Informática aplicada
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Informática aplicada

on

  • 1,479 views

Apostila Informática Aplicada

Apostila Informática Aplicada

Statistics

Views

Total Views
1,479
Views on SlideShare
1,479
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
49
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Informática aplicada Informática aplicada Document Transcript

  • DISCIPLINA DE INFORMÁTICA APLICADA Professora Claudete Dorocinski CONCEITOS BÁSICOS 01 COMPUTADOR Histórico Informática é a ciência que estuda os meios de armazenamento, transmissão é processamento das informações, tendo como seu maior propulsor e concretizador, um equipamento eletrônico chamado computador. De forma bem simples, podemos dizer que o computador é uma máquina que recebe, processa, armazena e mostra dados ou informações. Você entra com dados (digita textos, por exemplo), o computador os coloca em seu documento (processa), você salva o seu arquivo (armazena) e ele mostra o seu trabalho na tela (saída) ou imprime numa folha de papel (outra saída). A história dos computadores eletrônicos remonta do meio da segunda guerra, quando o exército americano construiu o ENIAC, um computador que ocupava cerca de um terço da área do Maracanã, e possuía 18.000 válvulas (apesar dos exageros, este “trambolho” tinha poder de cálculo equivalente à sua calculadora de bolso). Naquela época, os principais componentes do computador ENIAC eram as válvulas (são pequenas “lâmpadas”) que tratavam a eletricidade de forma “inteligente” para que ela realizasse os procedimentos desejados. Mais tarde na década de 50, foi inventado o sucessor da válvula, o transistor, um pequeno componente semicondutor de silício, bem menor que a válvula, e muito mais versátil. Com o passar dos anos, os transistores foram sendo miniaturizados a tal ponto que, começaram a ser impressos diversos deles em pastilhas únicas, para ocupar menos espaço. Essas pastilhas semicondutoras são chamadas de chips, ou circuitos integrados. Hoje em dia, existem chips que equivalem a milhões de transistores, são circuitos integrados muito densos, um “mapa” de um deles é mais complicado que uma foto aérea da cidade de São Paulo (e olha que São Paulo é a maior cidade da América Latina!). Atualmente, todos os equipamentos eletrônicos, inclusive os computadores, são formados por inúmeros chips, cada um com uma função definida, esses chips são soldados (colados com solda) em uma estrutura de plástico com alguns caminhos condutores, essas estruturas são denominadas placas de circuitos, ou somente placas. Página 1
  • DISCIPLINA DE INFORMÁTICA APLICADA Professora Claudete Dorocinski CONCEITOS BÁSICOS 02 HARDWARE Equipamentos Nota: como diversas palavras que iremos conhecer a partir de agora, a palavra hardware tem origem inglesa. A pronúncia em português se assemelha à “rarduére”. O termo hardware denota a parte física dos equipamentos que compõem o sistema de computação. O hardware é o nome que damos para classificar a parte física do computador, ou seja, tudo aquilo que podemos ver e tocar, como os dispositivos de entrada, os dispositivos de saída e a CPU. Cada um dos componentes do hardware é composto de outros componentes eletrônicos, como placas, conexões, cabos, etc. Quem seria o nosso principal dispositivo de entrada de dados? O teclado! Teclado O teclado é formado pelo conjunto de todas as letras, algarismos, acentos e símbolos que você precisa para escrever no computador. É a peça principal de comunicação entre você (que é chamado de usuário) e o computador. A forma de comunicação mais importante entre você e o computador é o teclado. Ele é a principal via de entrada de informações no computador. E qual seria o principal dispositivo de saída? O monitor, certo? Monitor Juntamente com o teclado, uma outra peça, fundamental, para a comunicação entre o computador e você é o monitor. Você já deve saber do que estou falando, afinal, você só consegue ver seus textos e tudo mais no computador por causa da tela que existe nele. Página 2
  • DISCIPLINA DE INFORMÁTICA APLICADA Professora Claudete Dorocinski CONCEITOS BÁSICOS Mouse O mouse serve para você desenhar, e para controlar as suas atividades no computador. Quando você move o mouse, ao mesmo tempo, move um símbolo na tela que se chama cursor (que pode ser uma pequena seta, um traço, ou algo parecido). O mouse serve para controle do computador. Através dele, agilizamos ações (comandos) que seriam muito extensas para serem feitas com o teclado. O teclado, o monitor e o mouse são as principais ferramentas de comunicação e controle do computador. Mas, para essas peças funcionarem em conjunto, devem estar todas ligadas ao gabinete. Gabinete O gabinete é a caixa externa do computador que guarda várias outras peças, também importantes. No gabinete estão colocadas as principais peças do computador. Existem gabinetes de várias formas e tamanhos. Quando o gabinete é vertical, também é chamado de torre. O gabinete é o local onde está o componente mais importante para o funcionamento do computador: a CPU ou processador. Algumas pessoas chamam o gabinete do computador de CPU, pois lá dentro está essa peça principal do Computador. Página 3
  • DISCIPLINA DE INFORMÁTICA APLICADA Professora Claudete Dorocinski CONCEITOS BÁSICOS O processador O processador é o cérebro do computador, pois é nele que são executadas as instruções e cálculos que permitem que os resultados desejados pelo usuário sejam obtidos. Como o seu próprio nome diz, o processador é a peça responsável pelo processamento das informações que entram e saem do computador. O processador é o principal responsável pelo desempenho do computador, influenciando na velocidade e capacidade de processamento de uma máquina. O processador também é chamado de UCP (Unidade Central de Processamento) ou CPU (a mesma sigla em inglês). Assim, fica claro que o processador é a peça mais importante do computador. Normalmente, é ele que dá nome ao micro. Você já deve ter visto alguém falar assim: “... meu computador é um Pentium IV...”, ou, ainda: “ ... o meu é um Athlon XP...”. Na verdade, “Pentium IV” ou “Athlon XP” são os nomes de dois dos diversos tipos de processadores existentes, atualmente. É na placa-mãe que fica preso, encaixado em um local específico, o processador. Placa-mãe A principal função da placa-mãe é interligar (unir) todas as peças do computador. Por ela passam as informações que estão no computador, estejam elas, entretanto, sendo processadas, armazenadas ou saindo. Página 4
  • DISCIPLINA DE INFORMÁTICA APLICADA Professora Claudete Dorocinski CONCEITOS BÁSICOS Hoje em dia, existem diversos tipos de placas-mãe. Portanto, cada computador pode ter placas-mãe diferentes, de marcas diferentes, com mais ou menos recursos, mas todas desempenham a mesma função. Uma outra peça fundamental dentro do gabinete é a fonte de alimentação. É através dela que conectamos o cabo de força do computador. A fonte recebe a energia elétrica da tomada e a distribui para todas as peças dentro do gabinete. Quando a fonte queima tudo no computador para de funcionar. 03 HARDWARE Outras peças importantes Além da placa-mãe, processador, memória RAM, HD e fonte de alimentação, existem outras peças no computador que, também, são importantes. A placa de vídeo, por exemplo, é responsável pela transmissão de imagens para o monitor. Pode ser uma placa encaixada na placa-mãe, através de slots apropriados ou, ainda, ser um recurso embutido na placa-mãe. Existem outras placas importantes: a placa de som, que serve para saída e entrada de som no computador; a placa de rede, que transmite e recebe dados através da Internet; e a placa de MODEM, que também serve para transmitir e receber dados através da linha telefônica para a Internet, entretanto, com uma velocidade mais baixa que a placa de rede. A mesma situação da placa de vídeo vale para as placas de som, rede e MODEM: podem ser encaixadas na placa- mãe, através de slots, ou serem embutidas nesta. Mas algumas peças podem existir dentro do gabinete. Cada computador pode ter uma configuração de hardware (conjunto de peças) diferente, com peças de marcas diferentes. 04 HARDWARE Periféricos Por fim, voltando à parte externa do computador, existem outras tantas peças que são conectadas ao gabinete e desempenham funções específicas: são os periféricos. Creio que você conheça alguns desses dispositivos: impressoras, scanners, caixas de som, microfones, etc. Cada um desses periféricos possui uma função diferente. A impressora imprime documentos e imagens em papel. Os scanners servem para fazer o inverso, digitalizam o papel, criam uma cópia da imagem de um papel ou foto no computador. Caixas de som e microfone fazem entrada e saída de sons do computador. Página 5
  • DISCIPLINA DE INFORMÁTICA APLICADA Professora Claudete Dorocinski CONCEITOS BÁSICOS Existem outros: pen drives, funcionam como um disquete, porém com uma capacidade de armazenamento bem maior; webcam, captura imagens, como uma câmara de fotografar ou filmar, e as envia para o computador. Existem atualmente as chamadas multifuncionais, que reúnem em um só equipamento: Impressora, Scanner e foto copiadora. Hoje em dia, é comum que todos esses dispositivos se conectem, ao computador, através de uma porta: a porta USB (Universal Serial Bus), porta serial universal. Essa porta é uma pequena entrada localizada na frente ou atrás do gabinete do computador. Através da USB, podemos conectar câmaras digitais, celulares, câmeras de vídeo e outros dispositivos. São diversos dispositivos e possibilidades. Com tempo e o uso do computador você se acostumará com todas essas tecnologias que existem no mundo da informática! Não se assuste! Siga em frente e aprenda cada vez mais! Página 6
  • DISCIPLINA DE INFORMÁTICA APLICADA Professora Claudete Dorocinski CONCEITOS BÁSICOS 05 HARDWARE Armazenamentos de dados A memória RAM é uma peça bem especial. Ela é a principal ajudante do processador, em sua tarefa de processamento de dados. Ela fica encaixada na placa-mãe, em um local (slot) próprio. Slot é um termo em inglês que significa, fenda, encaixe ou espaço. Nas placas-mãe são encontrados vários slotes para o encaixe de placas (vídeo, som, modem e sede por exemplo). É a memória RAM que armazena, a cada momento, os dados que o processador está processando. Ela é muito rápida e acompanha a velocidade do processador, mas quando desligamos o computador (ou falta energia) tudo que estava armazenado nela é perdido. A memória RAM faz um armazenamento de dados temporário. Comparando seria como uma peça que esquece tudo o que aprendeu durante o dia quando dorme. No HD estão guardados todos os arquivos existentes no computador: os arquivos do sistema operacional, dos programas, documentos, entre outros. É nele que salvamos os arquivos que fizemos ao longo do curso dentro de suas respectivas pastas. O HD (Hard Disk), Disco Rígido, Winchester, entre outros nomes, é um disco magnético (ou um conjunto de discos) que fica dentro do Página 7
  • DISCIPLINA DE INFORMÁTICA APLICADA Professora Claudete Dorocinski CONCEITOS BÁSICOS computador. Funciona como se fosse um disquete que fica preso no computador, onde podemos guardar muita informação. Num HD pode-se armazenar (guardar) informações que ocupariam milhares de disquetes. Ao contrário da memória RAM, o HD possui uma grande capacidade de armazenamento e, mesmo que você desligue o computador, tudo que está salvo (guardado) nele fica lá, intacto, pronto para ser reutilizado quando o computador for ligado novamente. 06 HARDWARE Meios de Armazenamento Disquete O drive de disquete serve para gravar e ler dados nos disquetes. A cada dia os disquetes são menos utilizados e em breve serão completamente obsoletos, pois armazenam pouca quantidade de informação (para o tamanho dos arquivos que hoje trabalhamos) e muitas vezes apresentam defeitos. O disquete é um dos mais antigos meios de armazenamento usados ainda hoje. Os disquetes podem armazenar informação em pequena quantidade e são ideais para transporte de pequenos arquivos. O princípio de armazenamento do disquete é um mecanismo magnético que grava numa película as informações dos usuários. Isso permite que as informações contidas num disquete possam ser escritas, modificadas e apagadas várias vezes durante a sua vida útil. Ao lado, os três tamanhos de disquetes mais populares no decorrer dos anos. Da esquerda para a direita temos os tamanhos: 8, 5 ¼ e 3 ½ polegadas. Como qualquer dispositivo magnético, o disquete deve ser mantido afastado de superfícies imantadas. Para preservar a informação, o recomenda-se ainda que o seu armazenamento seja feito em um lugar preservado da umidade e do calor. Disco Rígido O disco rígido, também chamado “HD”, “hard disk” ou “winchester”, é o principal meio de armazenamento de dados no computador. Os dados são armazenados no disco rígido para que possam ser utilizados posteriormente. Ou seja, ao desligarmos o computador, as informações que estão armazenadas no disco rígido não são perdidas. Elas continuam lá e poderão ser manipuladas na próxima vez que ligarmos o computador. Página 8
  • DISCIPLINA DE INFORMÁTICA APLICADA Professora Claudete Dorocinski CONCEITOS BÁSICOS O método de armazenamento que o disco rígido utiliza possui os mesmos fundamentos do armazenamento de dados num disquete. Ambos são meios magnéticos de armazenamento. O disco rígido, no entanto, se diferencia por ser mais rápido e ter muito mais capacidade que um disquete (os discos rígidos de hoje possuem capacidades milhares de vezes maiores que os disquetes comuns). O disco rígido é fixado dentro do gabinete. Ou seja, não é um dispositivo que normalmente usamos para transporte de arquivos. CD O CD é um dos dispositivos de armazenamento mais populares hoje em dia. Possui uma capacidade razoável de armazenamento e um baixo custo de aquisição. Uma das vantagens do CD é que, dependendo do conteúdo armazenado, pode ser utilizado tanto em computadores, aparelhos de som ou equipamentos diversos. O CD armazena dados através de um mecanismo ótico, mais resistente do que o meio magnético do disquete. Basicamente, existem dois tipos de CDs, detalhados na tabela abaixo: Tipo Característica CD-R Permite incluir informação apenas uma vez. Depois de incluída, a informação não pode ser apagada. CD-RW Permite incluir e apagar informação. Com isso, um CD-RW pode ser reutilizado várias vezes. DVD O DVD é o resultado da evolução da tecnologia ótica do CD. O DVD possui capacidade de armazenamento maior, no entanto, ainda não é tão barato quanto o CD. Com a popularização dessa tecnologia, a tendência é que os DVDs sejam cada vez mais utilizados e o preço seja gradativamente menor. PenDrive Nos últimos anos, um meio de armazenamento chamado pendrive tem se popularizado bastante. Este meio de armazenamento tem como características a facilidade de transporte (pequeno e leve), a facilidade de conexão e o custo cada vez menor. Quanto a conexão, as pendrives podem ser conectadas ao computador através das conexões USB. USB é o nome de um padrão que permite a conexão dos mais variados tipos de dispositivos. Com essa conexão podemos usar teclados, mouses, pendrives, câmeras fotográficas digitais, webcams, impressoras, etc. Quando o padrão USB foi criado, o seu objetivo foi justamente esse: tornar universal a conexão de dispositivos no computador. O uso tem se popularizado tanto que os conectores USB passaram a ser colocados também na frente do computador, com o objetivo de tornar mais prático o seu uso. Página 9
  • DISCIPLINA DE INFORMÁTICA APLICADA Professora Claudete Dorocinski CONCEITOS BÁSICOS 07 SOFTWARE Programas de Computador Nota: A pronúncia em português se assemelha à “sóftuere”. Para um conjunto de instruções, programações e configurações de um computador damos o nome de Programa de Computador, Software, Aplicativo ou Aplicação. Existem programas de computador para as mais variadas funcionalidades, desde a simples edição de um texto ou de um desenho até tarefas complexas e de alto risco, como o controle de tráfego aéreo num aeroporto, por exemplo. Um programa é como uma “receita de bolo”. É um conjunto de instruções (ordens) que o computador segue, passo a passo, para realizar determinadas ações. É o programa de computador que passará para o hardware todas as instruções daquilo que deverá ser feito. O mais importante software que existe se chama Sistema Operacional. É o sistema operacional que dá vida ao hardware e gerencia todas as suas atividades. 08 SISTEMAS OPERACIONAIS Software Básico O software básico é composto pôr um conjunto de programas e rotinas que gerenciam os recursos do computador de modo a possibilitar sua utilização, aumentar sua eficiência e permitir a comunicação com outros equipamentos. Qualquer software utilizado em um microcomputador é executado sob o controle de um sistema operacional. Um Sistema é um conjunto de partes que realizam uma determinada tarefa ou função. O controle das funções básicas de um computador, bem como o tráfego entre seus componentes, é administrado pelo sistema operacional, pois ele controla toda a operação do computador. Consiste, na verdade, de um conjunto de programas, necessários à ativação e coordenação de vários elementos do hardware. Hoje em dia, existem duas “marcas” de sistemas operacionais muito utilizadas nos computadores no Brasil: o Linux, fabricado de forma colaborativa por diversos programadores de todo o mundo; e o Windows, fabricado pela Microsoft. Página 10
  • DISCIPLINA DE INFORMÁTICA APLICADA Professora Claudete Dorocinski CONCEITOS BÁSICOS O Windows é um sistema operacional pago. Para utilizá-lo legalmente, em seu computador, você precisa comprá- lo. Já o Linux, é gratuito. É um exemplo de software (programa) livre. Esses softwares livres são, de modo geral, desenvolvidos por diversas pessoas, de forma conjunta, voluntariamente. Software livre é qualquer programa de computador que pode ser usado, copiado, estudado, modificado e redistribuído livremente. 09 WINDOWS Sistema Operacional O Windows é um ambiente operacional, que funciona sob o controle de um sistema operacional, mas que permite utilizar um microcomputador com maior facilidade, através de uma interface visual gráfica bastante “inteligente” e agradável. Ao invés de exigir que o usuário memorize nomes de comandos e receba as informações através de textos pouco amigáveis e compreensíveis, como acontece no MS-DOS e no UNIX, toda a interação com o computador é realizada através de símbolos (ícones), botões, diálogos e menus de opções que representam objetos, mensagens e operações, com os quais uma pessoa comum está familiarizada. Entre outras, sua principal vantagem é tornar ainda mais fácil, amigável e interessante o uso do microcomputador. Interface gráfica é a forma atual de interação entre o computador e seu usuário. Com a interface gráfica pode- se utilizar imagens, fotos, desenhos, etc. para executar comandos que, antigamente, eram digitados em uma tela preta, que exibia apenas texto. O nome Windows ou “Janelas” se deve ao fato de que, neste ambiente, todas as operações ou programas (softwares) executados no computador são apresentados na tela através de regiões retangulares que se alternam e se sobrepõem, denominadas janelas. A palavra mais adequada para definir o Windows é GUI (Graphical User Interface) ou Interface Gráfica para o Usuário. O Windows é conhecido como WIMP (Windows, Icons, Mouse and Pull-down menus), ou seja, é formado pôr janelas, ícones, mouse e menus em cascata. Ao invés de teclar nomes de comandos, usando um dispositivo apontador, em geral um mouse, você aponta para o símbolo ou ícone de um objeto para ativá-lo, ou chama menus de opções para executar as operações desejadas. Cada programa normalmente é executado em sua própria janela, o que permite você acompanhar vários programas ao mesmo tempo ou saltar de uma janela para outra, simplesmente selecionando-a pelo mouse. Página 11
  • DISCIPLINA DE INFORMÁTICA APLICADA Professora Claudete Dorocinski CONCEITOS BÁSICOS 10 WINDOWS Área de Trabalho A Área de Trabalho é justamente o espaço que aparece na tela logo após a sua identificação de usuário. Entendendo o uso da Área de Trabalho Ícones de Programa Um ícone é uma apresentação gráfica de um programa ou documento do computador. Ele é composto de uma pequena figura que simboliza o programa ou documento mais uma legenda que, normalmente, contém o nome do programa ou do documento propriamente dito. O Ícone da Lixeira O ícone da Lixeira representa uma funcionalidade bastante interessante na Área de Trabalho. Ao excluir um arquivo ou ícone que você não deseja mais utilizar, ele é automaticamente enviado para a lixeira antes de ser excluído definitivamente. Caso você deseje excluir definitivamente o arquivo, basta eliminá-lo dentro da lixeira. Para esvaziar os arquivos de lixeira todos de uma vez, basta clicar com o botão direito do mouse sobre a lixeira e escolher Esvaziar Lixo. O Mouse na Área de Trabalho Um dispositivo fundamental para usarmos adequadamente os elementos da Área de Trabalho é o mouse. Com o mouse, podemos apontar, selecionar, mover, copiar e excluir componentes da Área de Trabalho, principalmente os ícones. Os movimentos que fazemos com o mouse são apresentados na tela por uma imagem de uma seta chamada cursor. Página 12
  • DISCIPLINA DE INFORMÁTICA APLICADA Professora Claudete Dorocinski CONCEITOS BÁSICOS Note que o mouse possui dois botões grandes e um botão menor, central. Os dois botões grandes são bastante utilizados. O botão da esquerda tem, normalmente, as funcionalidades de seleção e execução, enquanto que, o botão da direita tem a função básica de configuração ou escolha de itens. O botão central, por sua vez, é bastante útil para movimentação do cursor. Janelas de Programas Botão Minimizar Clicando sobre esse botão nós minimizaremos o programa. Isso não significa fechá-lo, mas sim, deixá-lo em espera para que possamos voltar a utilizá-lo posteriormente. Botão Restaurar O botão restaurar é usado para redimensionar adequadamente a janela na Área de Trabalho. Ou seja, a maioria dos programas permite a sua abertura em uma janela que ocupa apenas um espaço da Área de Trabalho ou em uma janela que ocupa todo o espaço da Área de Trabalho. É uma funcionalidade muito útil para organizar um conjunto de janelas de programas em uma Área de Trabalho. Botão Fechar Ao finalizarmos o uso de um programa, podemos fechá-lo clicando no botão Fechar, representado pelo retângulo com um x no canto superior direito da barra da janela. Ao fecharmos o programa, a representação do mesmo como uma janela na Área de Trabalho e na Barra de Tarefas é fechada. Para abrirmos o programa novamente, deveremos clicar no ícone do programa correspondente. Barra de Tarefas A Barra de Tarefas serve como local de organização para os programas que estamos usando num determinado momento. Todas as janelas de programas aparecem na Barra de Tarefas, tanto as que estão ativas quanto as que estão minimizadas. Podemos destacar, ainda, algumas áreas na Barra de Tarefas. O botão do Menu de Programas (1), posicionado à esquerda da barra, o Relógio (2), no canto direito da tela, os Atalhos de Início Rápido de Programas (3), ao lado do Menu de Programas e o Alternador de Áreas de Trabalho (4), que serve para trabalharmos com vários espaços de trabalho ao mesmo tempo. É comum encontrarmos ao lado do relógio, ícones de configuração de dispositivos ou programas do computador (5). Página 13
  • DISCIPLINA DE INFORMÁTICA APLICADA Professora Claudete Dorocinski CONCEITOS BÁSICOS Menu de Programas O Menu de Programas é um recurso bastante útil da Área de Trabalho. Com ele, podemos ter acesso aos programas de forma organizada. Basta escolher a classificação desejada e encontrar o programa no menu para acioná-lo e começar a sua utilização. Na tela ao lado, estamos vendo um Menu de Programas aberto. Exercício Prático I – Abra o programa Paint pelo Menu de Programas. II – Minimize a janela do programa utilizando o botão de minimizar. III – Maximize o programa novamente clicando o mouse sobre o local de exibição do programa Paint na barra de tarefas. Note que ele voltará ao seu tamanho natural. IV – Feche o Paint clicando com o cursor do mouse sobre o botão Fechar. Atalhos de Programas Ao lado do ícone do menu de programas, podemos encontrar alguns ícones que funcionam como atalhos para iniciar rapidamente seus respectivos programas. Página 14
  • DISCIPLINA DE INFORMÁTICA APLICADA Professora Claudete Dorocinski CONCEITOS BÁSICOS 11 TRABALHANDO COM ARQUIVOS Arquivos Os dados são armazenados em arquivos. Os arquivos constituem a parte mais importante do computador para o usuário, pois são neles que são armazenadas as informações importantes para os processos de trabalho e estudo que ele desenvolve. Arquivos podem conter diversos tipos de informação, como textos, sons, imagens, vídeos, cálculos, etc. Cada arquivo pode ser identificado por uma extensão, que são as três últimas letras separadas do nome do arquivo pelo ponto. Uma extensão funciona como se fosse uma classificação do arquivo necessária para identificar com qual programa esse arquivo será aberto. Pastas Para organizarmos o armazenamento dos arquivos, podemos criar pastas para classificá-los ou separá-los. Pastas também são chamados de diretórios. Pastas ou diretórios são criados dentro de algum dispositivo de armazenamento ou dentro de outras pastas. Para entender um pouco mais sobre isso, podemos exemplificar através do clique do mouse sobre o ícone da casa azul da Barra de Tarefas. Quando você simplesmente posicionar o mouse sobre a casa azul, será apresentada a informação de que este é o ícone da Pasta do Usuário, ou seja, como você poderá ver, esse ícone abrirá a visualização de uma pasta de armazenamento de dados. Página 15
  • DISCIPLINA DE INFORMÁTICA APLICADA Professora Claudete Dorocinski CONCEITOS BÁSICOS Na figura acima, vemos o detalhe do ícone da “casa azul” na Barra de Tarefas. Ao clicar sobre esse ícone com o mouse, é aberta a Pasta do Usuário. É na Pasta do Usuário que você irá guardar os seus arquivos. Esse espaço é destinado para o seu uso exclusivo. 12 SOFTWARES APLICATIVOS Um software aplicativo é, portanto, um conjunto de programas de computador desenvolvidos para realizar, em combinação com a atividade humana, tarefas ou processos específicos, em geral, relacionados com o processamento de informações. Via de regra, os softwares aplicativos são escritos através de linguagens de programação de alto nível, e podem ter sua aplicação classificada pelas tarefas ou serviços que poderá prestar. Página 16
  • DISCIPLINA DE INFORMÁTICA APLICADA Professora Claudete Dorocinski CONCEITOS BÁSICOS 13 SOFTWARE APLICATIVO Processadores de textos Através de um software processador de textos o computador é transformado em uma máquina de escrever que automatiza as tarefas de datilografia e redação de documentos, aumentando muito sua produtividade e melhorando sua qualidade. Um software para processamento de textos permite a datilografia, redação e edição de documentos com elevado grau de automatismo. A tela do computador é transformada na folha de papel onde o texto é digitado. As correções no texto podem ser feitas a qualquer instante de forma automática, inclusive com verificação ortográfica efetuada pelo próprio programa. Além disso, o software é capaz de controlar o formato de qualquer documento que está sendo produzido e produzir automaticamente quantas cópias personalizadas forem necessárias. O software de processamento de textos identifica cada documento através de um nome. Dessa maneira, é possível armazenar cartas, relatórios ou qualquer tipo de documento no disco do computador e depois recuperá- lo para uso futuro. Muitos softwares oferecem recursos avançados que podem aumentar acentuadamente a produtividade da datilografia tradicional. Um bom processador de textos melhora consideravelmente todo o processo de preparação de um relatório ou documento. A versão inicial e a correção são feitas com maior facilidade e mais rapidamente no computador do que numa máquina de datilografia convencional. Uma vez preparada uma versão aceitável do texto, num formato adequado, o documento pode ser impresso numa impressora capaz de dar a qualidade desejada, pelo número de vezes que for necessário. Imprimir um texto é passar o que foi digitado no computador para o papel. Para isso, você vai utilizar uma impressora. A impressora é uma peça que fica ligada ao gabinete. É ela que recebe o que você digitou e imprime, geralmente, através de tinta, seu texto no papel. 14 SOFTWARE APLICATIVO Planilhas eletrônicas de cálculo Uma planilha eletrônica é, sem dúvida, uma forma simples e completa de permitir que uma pessoa sem experiência em processamento de dados possa fazer uso do computador para aplicações um pouco mais complexas, em especial, quando exigem muitos cálculos com grande número de dados. Um software deste tipo baseia-se numa tabela ou matriz constituída de linhas e colunas. A intersecção de cada uma delas representa uma célula. O usuário tem acesso a estas células através de sua identificação ou levando um cursor até elas. A identificação é feita pôr um conjunto de uma letra, identificando a coluna, e um número identificando a linha, onde a célula está localizada. Página 17
  • DISCIPLINA DE INFORMÁTICA APLICADA Professora Claudete Dorocinski CONCEITOS BÁSICOS 15 SOFTWARE APLICATIVO Apresentações eletrônicas Apresentação eletrônica serve para apresentar uma idéia, um trabalho, um projeto. A palavra eletrônica, apenas diz que a apresentação foi feita no computador. Até há pouco tempo, nas escolas e empresas, eram comum a utilização de apresentações de trabalhos e projetos, feitos em grandes folhas de cartolina: eram chamados de álbum seriado ou Flip Chart. Também era muito utilizado um aparelho chamado Retro-projetor. Nele, colocávamos uma folha transparente (que chamamos de transparência) com o que queríamos apresentar. A imagem era projetada em uma tela ou, mesmo, na parede. Hoje em dia, utilizamos o computador para fazer as apresentações e as exibimos com o auxílio de um projetor ou data-show. Desta forma, tudo fica mais fácil e melhor organizado. Para fazer as apresentações eletrônicas, existem programas específicos destinados a isso. Trabalhar com programas que fazem apresentações eletrônicas é muito semelhante a trabalhar com editores de texto, pois, utilizamos principalmente, textos e imagens. O principal objetivo é que o texto que você for apresentar, geralmente escrito em tópicos, seja claro e ajude a fixar os principais pontos da apresentação. As imagens entram para ilustrar estes pontos. De um modo geral, dividimos a apresentação em slides (quadros). Cada slide é uma página da apresentação. Nele, normalmente, temos um título, um texto em tópicos e algumas imagens: desenhos, fotos, figuras, que ajudam a esclarecer e a fixar a informação ou a mensagem que está querendo transmitir. Para uma boa apresentação, é importante escolher bem o tamanho das letras e imagens para que todos, mesmo os mais distantes da projeção, consigam ver bem os detalhes da sua apresentação, sintam-se interessados e motivados a ouvirem o que você tem a dizer. Embora as apresentações eletrônicas facilitem a exposição de nossas escolhas e idéias, elas não são o suficiente. Elas não substituem o apresentador. As apresentações eletrônicas são apenas mais um recurso, e servem para tornar sua apresentação mais dinâmica e objetiva. Para ir à frente de um grupo de pessoas ou de uma turma para apresentar algo, é necessário saber muito bem o tema a ser apresentado. Portanto, é importante planejar previamente o que vai falar, pesquisar o assunto, conhecer o máximo possível sobre o tema que irá desenvolver. Existem vários programas que você pode usar para fazer suas apresentações eletrônicas. Atualmente, os mais conhecidos são o OpenOffice Impress e o Microsoft PowerPoint. Página 18
  • DISCIPLINA DE INFORMÁTICA APLICADA Professora Claudete Dorocinski CONCEITOS BÁSICOS 16 INTERNET A Internet nasceu em resposta a uma necessidade militar. Nos anos 60, período de grande tensão entre as superpotências Estados Unidos e União Soviética, os americanos começaram a pesquisar uma forma de interconectar os vários centro de comando do país, de modo que o sistema de informações norte-americano continuasse funcionando, mesmo que houvesse um conflito nuclear. Com a fim da guerra fria, a estrutura criada para este empreendimento militar foi empregada para o uso científico e educacional. No Brasil, as universidades foram as primeiras a se beneficiarem com essa estrutura de rede. Posso dizer que a Internet é uma gigantesca rede de computadores interligada, que cobre todo o planeta. Uma rede de computadores é formada por dois, ou mais, computadores e outros dispositivos, ligados entre si, compartilhando informações, dados, impressoras, enfim, comunicando-se entre si. Pois é! Através da Internet trocamos vários tipos de informações, rapidamente. Podemos nos comunicar com pessoas no mundo inteiro (por correio eletrônico ou conversar instantaneamente), fazer vários tipos de pesquisa, acessar serviços públicos (inclusive tirar documentos), administrar contas em bancos, fazer reservas de passagens de ônibus ou avião, comprar diversos produtos e muitas outras coisas. A maior parte dessas informações e serviços está disponível em páginas de Internet. Essas páginas nada mais são do que documentos que contêm textos, imagens, sons etc., em um formato próprio para a Internet. Uma outra característica importante é que essas páginas ficam acessíveis na Internet através de sites (ou sítios). Cada site reúne uma série de páginas relacionadas entre si. Cada site da Internet possui um endereço próprio. Para “navegar” na Internet, ou seja, para acessar esses endereços ou sites, precisamos utilizar um programa específico para isso. Esses programas são conhecidos como “Navegadores de Internet” ou, em inglês, Browsers, e são muito fáceis de usar. De modo geral, a primeira página mostrada em um site serve como um índice. Nessa página inicial temos a apresentação do assunto e diversas palavras, imagens ou objetos que nos levam às outras páginas do próprio site quando clicamos neles. Esse tipo de recurso chama-se link. Geralmente, quando existe um link em uma página, o símbolo do mouse se modifica virando uma pequena mão, quando passamos sobre um dos links da página. A palavra link vem do Inglês, e significa ligação. Os links em uma página servem, justamente, para ligar uma página à outra. É clicando nesses links que você navega por um site, “passeando” pelas diversas páginas, como se estivesse lendo um livro. A diferença é que você pode escolher a seqüência da sua leitura. Página 19
  • DISCIPLINA DE INFORMÁTICA APLICADA Professora Claudete Dorocinski CONCEITOS BÁSICOS Assim como um livro, que, no final, indica uma bibliografia (outros livros relacionados ao mesmo assunto), muito sites possuem uma página de links amigos ou links relacionados, que mostram os endereços de outros sites que tratam do mesmo assunto. Os sites de busca servem para encontrar sites para determinados assuntos. Os sites de busca pesquisam, por toda Internet, os endereços de outros sites relacionados ao assunto desejado. Dessa forma, temos uma grande lista de lugares que podemos visitar, para encontrar o que queremos. Entretanto, na maioria das vezes, a quantidade de resultados obtidos na busca é enorme. Sendo assim, temos que procurar as opções que sejam mais interessantes ou ir refazendo a busca de forma mais detalhada, mais específica. A World Wide Web (WWW) revolucionou a Internet para reunir interface gráfica, recursos de multimídia e hipertexto. A Web possibilitou a construção de páginas gráficas, que podem conter fotos, animações, trechos de vídeo e sons. Nas páginas, a informação está organizada de forma hipertextual, ou seja, as páginas estão ligadas entre si, através de links. Atualmente, algumas opções bem conhecidas de páginas de busca são: Google (www.google.com.br), Yahoo (www.yahoo.com.br), Alta Vista (www.altavista.com.br) e Uol (www.uol.com.br). Dentro desses inúmeros sites, que são listados como resultados, você deve ter percebido, que, por vezes, existem certas variações na forma dos seus endereços. Na maioria das vezes, os endereços terminam em “.com.br”, mas algumas vezes terminam em “.gov.br”, outras em “.org.br”. Os endereços de Internet são divididos em partes:  “http://www” – prefixo, parte inicial da maioria dos endereços  “.mtecbo” – nome principal do endereço  “.gov” – sufixo, nesse caso, significa como uma página do Governo  “.br” – pare final do endereço. Informa o país de onde é a página, no caso aqui, o Brasil. Quando encontrar “.ar”, é da Argentina e, “pt”, de Portugal etc. Quando não existe a parte final do endereço, significa que o mesmo é um domínio internacional. Http:// é o método pelo qual a informação deve ser buscada. No caso, http://, é o método utilizado para buscar páginas na Web. Você também vai encontrar outras formas, como ftp:// (para entrar em servidores FTP), mailto: (para enviar mensagens), news: (para acessar grupos de discussão), entre outros. Esse protocolo gerencia e formaliza as requisições e as respostas que trafegam entre o cliente e o servidor web. Existem outros sufixos, como: Página 20
  • DISCIPLINA DE INFORMÁTICA APLICADA Professora Claudete Dorocinski CONCEITOS BÁSICOS  “.com” – que indica ser uma página comercial  “.org” – que indica ser uma organização não-governamental Html – abreviação de Hypertext Markup Language, é a linguagem padrão para escrever páginas de documentos Web. Página 21