Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Slide
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Slide

  • 402 views
Published

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
402
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
6
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide
  • Notas introdutórias.
  • Objetivos da instrução e resultados esperados e/ou habilidades desenvolvidas com o aprendizado.
  • Lista de vocabulário relacionado.
  • Uma lista de procedimentos e etapas, ou um slide da palestra com mídia.
  • Conclusão do curso, palestra etc.

Transcript

  • 1. AS SALAS DE LEITURA NASESCOLAS PÚBLICAS DOMUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO EA FORMAÇÃO DO LEITORUNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIROFACULDADE DE EDUCAÇÃOCURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA A DISTÂNCIACEDERJEliane Aguiar Mentzingen dos Santos RaccaRio de Janeiro, 2012
  • 2. Proposta:  PROJETO DE SALAS DE LEITURA NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DO RIO DE JANEIRO  Propostas, História, Funcionalidade, Objetivos e Intencionalidades na prática educativa dahttp://www.decoracaoplanejada.c formação do leitor.  Atividades de promoção da leitura que vão além dos empréstimos de livros das bibliotecas.  Alcançar mudanças nos índices de sujeitos leitores no Brasil.
  • 3. Brasil, um país que lê pouco Pesquisa RETRATOS DA LEITURA NO BRASIL  Instituto Pró-livro – IBOPE Inteligência  3ª edição – março ,2012http://blog.aticascipione.com.br/ Leitor é todo aquele que leu, inteiro ou em partes, pelo menos um livro nos últimos três meses. Não-Leitor é aquele que não leu nenhum livro nos últimos três meses, mesmo que tenha lido nos últimos doze. (pág. 47)
  • 4. Instituto Pró-livro Penetração da Leitura 2011 50% 50% Leitores Não Leitores Base: População brasileira com 5 anos ou mais 2011(178 milhões) A cada 4 livros lidos por ano, apenas 2,1 são lidos até o fim.
  • 5. Paulo Freire “Ler é uma operação inteligente, difícil, exigente, mas gratificante.Ninguém lê ou estuda autenticamente se não assume, diante do texto ou do objeto da curiosidade a forma crítica de ser ou de estar sendo sujeito da curiosidade, sujeito da leitura, sujeito do processo de conhecer em que se acha. Ler é procurar buscar criar a compreensão do lido” (Freire, 1993 – Professora sim, tia não. Pág. 29)  Postura crítica em relação a leitura dada através do hábito de ler.  O prazer de ler, leva ao hábito de ler, que vai abrir novas conexões de conhecimentos e aprendizagens para o indivíduo. http://4.bp.blogspot.com/
  • 6. O PAPEL DA ESCOLA NA FORMAÇÃO DO LEITOR Qual é o papel da escola na formação do hábito de leitura? Como a escola pode ultrapassar o trabalho pedagógico da leitura alcançando um trabalho crítico? Como a escola pode fomentar o gosto pela leitura e formar cidadãos-leitores, desenformando a fruição dos gêneros literários dos moldes escolares? “[...] a leitura capacita o ser humano a pensar e agir com liberdade combatendo o autoritarismo e outros „ismos‟ que sinalizam a reprodução das estruturas injustas da sociedade. Nessa esfera a educação e a escola desempenham um papel de suma importância[...]” Regina Zilberman
  • 7. OS BENEFÍCIOS DO HÁBITO DA LEITURA. Segundo o Ministério da Educação (MEC) e outros órgãos ligados à Educação, a leitura: Desenvolve o repertório: ler é um ato valioso para o nosso desenvolvimento pessoal e profissional. É uma forma de ter acesso às informações e, com elas, buscar melhorias para você e para o mundo. Liga o senso crítico na tomada: livros, inclusive os romances, nos ajudam a entender o mundo e nós mesmos. Amplia o nosso conhecimento geral: além de ser envolvente, a leitura expande nossas referências e nossa capacidade de comunicação. Aumenta o vocabulário: graças aos livros, descobrimos novas palavras e novos usos para as que já conhecemos
  • 8. Estimula a criatividade: ler é fundamental para soltar a imaginação.Por meio dos livros, criamos lugares, personagens, histórias…Emociona e causa impacto: quem já se sentiu triste (ou feliz) ao fim deum romance sabe o poder que um bom livro tem.Muda sua vida: quem lê desde cedo está muito mais preparado para osestudos, para o trabalho e para a vida.Facilita a escrita: ler é um hábito que se reflete no domínio da escrita.Ou seja, quem lê mais escreve melhor. http://4.bp.blogspot.com
  • 9. O PROJETO DAS SALAS DE LEITURA E SUA INTERFERÊNCIA NESSA FROMAÇÃO DO LEITOR Ir além do papel de emprestar livros, realizando atividades no cotidiano escolar que fomentem o hábito da leitura em toda a comunidade escolar. Projetos e parcerias: Jovens Leitores, Maratona de Histórias da Rede Municipal Cineclub Poesia na Escola Fundação Nacional do Livro Infanto-Juvenil e com o Instituto C&A no concurso Escola de Leitores
  • 10. Fundação Wolkswagem nas oficinas Entre na RodaO jornal Folha Dirigida no concurso de redações da rede pública domunicípio do Rio de JaneiroO projeto Biblioteca do Professor http://www.youtube.com/watch?v=kwEcUEUJ1bM
  • 11. Rubem Alves “Se fosse ensinar a uma criança a arte da jardinagem, não começaria com as lições das pás, enxadas e tesouras de podar. Levaria a passear por parques e jardins, mostraria flores e árvores, falaria sobre suas maravilhosas simetrias e perfumes; levaria a livrarias, para que ela visse, nos livros de arte, jardins de outras partes do mundo. Aí, seduzida pela beleza dos jardins, ela me pediria para ensinar-lhe as lições das pás, enxadas e tesouras de podar. Se fosse ensinar a uma criança a beleza da música não começaria com partituras, notas e pautas. Ouviríamos juntos as melodias mais gostosas e lhe contaria sobre os instrumentos que fazem a música. Aí, encantada com a beleza da música, ela mesma me pediria que lhe ensinasse o mistério daquelas bolinhas pretas escritas sobre cinco linhas. Porque as bolinhas pretas e as cinco linhas são apenas ferramentas para a produção da beleza musical. A experiência da beleza tem de vir antes. Se fosse ensinar a uma criança a arte da leitura não começaria com as letras e as sílabas. Simplesmente leria as histórias mais fascinantes que a fariam entrar no mundo encantado da fantasia. Aí então, com inveja dos meus poderes mágicos, ela quereria que eu lhe ensinasse o segredo que transforma letras e sílabas em histórias. É assim. É muito simples.” (ALVES, Rubem. Primeiro a magia da história, depois a magia do bê-e-bá)
  • 12. Bibliografia ALVES, R. Primeiro a magia da história, depois a magia do be-a-bá. Almanaque da Cultura popular, São Paulo, 2009. Disponível em: <http://www.almanaquebrasil.com.br/o-brasil-em/primeiro-a-magia-da-historia- depoiamagia-do-be-a-ba/ > Acesso em: 11 de junho de 2012 COELHO, Nelly Novaes. Literatura Infantil: teoria, análise e didática. 1ª Ed. São Paulo: moderna, 2000 FREIRE, Paulo. Professora sim, tia não. Cartas a quem ousa ensinar.10ª Ed. São Paulo, Olho DÁgua, 1993. PEREIRA, Andréa Kluge. Biblioteca na escola. 2ª Ed. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2009. RIO DE JANEIRO. Secretaria Municipal de Educação. Multieducação: Sala de leitura. 2ªed. Rio de Janeiro, 2007 (Série Temas em Debate) Na internet: EDUCAÇÂO, Salas de Leitura em :http://www0.rio.rj.gov.br/sme/projprog/progped/sala_leitura.htm Porque o Brasil lê pouco em:http://super.abril.com.br/cultura/brasileiro-le-pouco-610918.shtml Retratos da leitura no Brasil:http://www.prolivro.org.br/ipl/publier4.0/dados/anexos/2834_10.pdf Rio, uma cidade de leitores em:http://rioumacidadedeleitores.blogspot.com.br/2011/05/acoes-do-projeto.html