A catedral e o bazar

1,473 views
1,337 views

Published on

Apresentação sobre o texto A Catedral e o Bazar (The Cathedral and the Bazaar)

Published in: Education
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,473
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
40
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A catedral e o bazar

  1. 1. de Eric S. Raymond André Luis SchwerzAndré Luiz Satoshi Kawamoto Rafael Liberato Roberto Fevereiro / 2012By André Luis Schwerz, André Luiz Kawamoto and Rafael LiberatoRoberto. Este trabalho foi licenciado com uma Licença CreativeCommons - Atribuição 3.0 Não Adaptada.
  2. 2. Roteiro• Eric Steven Raymond.• Contexto histórico.• A catedral e o bazar.• Lições do estilo bazar.• Críticas ao documento.• Influência exercida. 2
  3. 3. Eric Steven Raymond • Nascido em Boston, Massachusetts em 1957. • Fez cursos de graduação e pós- graduação em matemática e filosofia na Universidade da Pennsylvania. • Contribuiu com os projetos EMACS, Linux, GNU entre outros.• Autor de A Catedral e o Bazar em 1997.• Co-fundador do Open Source Initiative em 1998. 3
  4. 4. Contexto HistóricoEric Raymondapresenta “A Catedral e o Bazar” 4
  5. 5. Contexto Histórico RichardStallman lançao projeto GNU Eric Raymond apresenta “A Catedral e o Bazar” 5
  6. 6. Contexto Histórico Richard Stallman lança o projeto GNULinus Torvalds propõe a Eric Raymond criação do apresenta “A Linux Catedral e o Bazar” 6
  7. 7. Contexto Histórico Richard Stallman lança Explosão da o projeto GNU InternetLinus Torvalds propõe a Eric Raymond criação do apresenta “A Linux Catedral e o Bazar” 7
  8. 8. Contexto Histórico Richard Netscape Eric Raymond e Stallman lança Explosão da outros lançam o libera o movimento de código o projeto GNU Internet código-fonte abertoLinus Torvalds propõe a Eric Raymond criação do apresenta “A Linux Catedral e o Bazar” 8
  9. 9. Contexto Histórico Richard Netscape Eric Raymond e Stallman lança Explosão da outros lançam o libera o movimento de código o projeto GNU Internet código-fonte abertoLinus Torvalds Sourceforge Wikipedia é Eric Raymond é lançado lançada propõe a criação do apresenta “A Linux Catedral e o OpenOffice Bazar” é lançado 9
  10. 10. A Catedral e o Bazar• Linux Kongress (27 de maio de 1997, Alemanha).• Parte do livro com o mesmo nome em 1999. – Primeiro livro comercial sob a licença Open Publication License (Creative Commons). 10
  11. 11. A Catedral e o Bazar CATEDRAL BAZAR Ambiente fechado e Ambiente aberto , onde todos altamente hierarquizada podem participar Pequeno grupo de líderes e Número indefinido de líderes desenvolvedores e desenvolvedoresDesenvolvimento centralizado Desenvolvimento Cooperativo Somente versões estáveis Liberação de várias versões e/ou beta Modelo de desenvolvimento Sem metodologia definida clássico 11
  12. 12. A Catedral e o Bazar Richard Stallman lança Explosão da o projeto GNU Internet Inspiração. • Linux. • Experiência no desenvolvimento de um software livre (1996)Linus Torvalds propõe a Eric Raymond criação do apresenta “A Linux Catedral e o Bazar” 12
  13. 13. Necessidade de um Mudança do software para Encontrando uma Raymond as FetchPop para ogerenciamento de boa solução parcial projeto do P PopMail Popclient e-mail 1 2 3 4 LIÇÕES 13
  14. 14. HISTÓRIA Necessidade de um Mudança do Encontrando uma Ra cliente de correio boa solução parcial FetchPop para o pro eletrônico PopMail Popclient 1 2 3 1 - Todo bom trabalho de software começa colocando o dedo na ferida de um programador. • Necessidade e vontade.LIÇÕES • Possível razão para a qualidade do software (Linux). 14
  15. 15. HISTÓRIA Necessidade de um Mudança do software para Encontrando uma Ra FetchPop para o gerenciamento de boa solução parcial pro PopMail Popclient e-mail 1 2 3 2 - Bons programadores sabem o que escrever. Grandes programadores sabem o que reescrever (e reusar).LIÇÕES • Linus: Minix → Linux. • Raymond: Fetchpop. 15
  16. 16. HISTÓRIA Necessidade de um Mudança do software para Encontrando uma Ra gerenciamento de boa solução parcial FetchPop para o pro e-mail Popclient 1 2 3 3 - “Planeje jogar algo fora; você irá, de qualquer maneira.” (Fred Brooks, “The Mythical Man-Month”, Capítulo 11). • Popclient (Carl Harris)LIÇÕES • Compreensão do problema após a implementação da primeira solução. • Recomeçar pelo menos uma vez. 16
  17. 17. HISTÓRIA Raymond decide Alterou a estrutura Raym Raymond assume o testar o modelo de dados e adicionou p projeto do Popclient Bazar o suporte ao IMAP c 4 5 6 7 8 9 4 - Se você tem a atitude certa, problemas interessantes irão encontrá-lo. • Raymond encontra um projeto abandonado.LIÇÕES • Consenso de que Raymond deveria assumir o projeto. 17
  18. 18. HISTÓRIA Raymond decide Alterou a estrutura Raym Raymond assume o testar o modelo de dados e adicionou p projeto do Popclient Bazar o suporte ao IMAP c 4 5 6 7 8 9 5 - Quando você perde o interesse em um programa, sua última obrigação é entregá-lo a um sucessor competente.LIÇÕES • Atitude de Carl Harris. • Encontrar outra pessoa competente para continuar o desenvolvimento. 18
  19. 19. HISTÓRIA Raymond decide Alterou a estrutura Raym Raymond assume o projeto do Popclient testar o modelo de dados e adicionou p Bazar o suporte ao IMAP c 4 5 6 7 8 9 6 - Tratar seus usuários como colaboradores é o caminho mais fácil para uma melhora rápida do código e uma depuração eficaz. • Usuários irão diagnosticar problemas, sugerirLIÇÕES correções e ajudar com melhorias. 19
  20. 20. HISTÓRIA Raymond decide Alterou a estrutura Raym Raymond assume o projeto do Popclient testar o modelo de dados e adicionou p Bazar o suporte ao IMAP c 4 5 6 7 8 9 7 - Distribua logo e com frequência. E ouça seus clientes. • Mantém os colaboradores estimulados eLIÇÕES recompensados. 20
  21. 21. HISTÓRIA Raymond decide Alterou a estrutura Raym Raymond assume o projeto do Popclient testar o modelo de dados e adicionou p Bazar o suporte ao IMAP c 4 5 6 7 8 9 8 - Dada uma base grande o suficiente de beta-testers e colaboradores, quase todo problema será caracterizado rapidamente e a solução será óbvia para alguém.LIÇÕES • “Havendo olhos suficientes, todos os erros são óbvios.” (chamada de Lei de Linus por Raymond) • Alguns encontram problemas, outros entendem e os resolvem. • Catedral ≠ Bazar. 21
  22. 22. HISTÓRIA Raymond decide Alterou a estrutura de Raym Raymond assume o projeto do Popclient testar o modelo dados e adicionou o p Bazar suporte ao IMAP c 4 5 6 7 8 9 9 - Estrutura de dados inteligente e código burro trabalham muito melhor que o contrário. • Dificuldade de entender código alheio.LIÇÕES • O entendimento da estrutura facilita a compreensão do código. 22
  23. 23. HISTÓRIA Raymond divulga o Su Troca de nome para projeto para a Suporte ao SMTP FetchMail – comunidade 10 11 12 13 10 - Se você tratar seus beta-testers como seu recurso mais valioso, eles irão responder tornando-se seu mais valioso recurso. • Anunciar novas versões estimulando a participaçãoLIÇÕES das pessoas. • Tamanho da lista de colaboradores do Popclient. • Ciclo de vida de um projeto maduro no estilo bazar. 23
  24. 24. HISTÓRIA Raymond divulga o Su Troca de nome para projeto para a Suporte ao SMTP FetchMail – comunidade 10 11 12 13 11 - A melhor coisa depois de ter boas ideias é reconhecer boas ideias dos seus usuários. • Entender as implicações de uma ideia brilhante de umLIÇÕES usuário (SMTP de Harry Hoschheiser). • Levar os “créditos” pela invenção. 24
  25. 25. HISTÓRIA Raymond divulga o Su Troca de nome para projeto para a Suporte ao SMTP FetchMail – comunidade 10 11 12 13 12 - Frequentemente, as soluções mais impressionantes e inovadoras surgem quando se percebe que o conceito do problema estava errado.LIÇÕES • Você está tratando o problema corretamente? • Não hesite em jogar fora características obsoletas. 25
  26. 26. HISTÓRIA Raymond divulga o Su Troca de nome para projeto para a Suporte ao SMTP – comunidade FetchMail 10 11 12 13 13 - “A perfeição *em projetar+ não é alcançada quando não há mais nada a adicionar, mas quando não há nada para jogar fora.” (por Antoine de Saint-Exupéry)LIÇÕES • Amadurecimento do projeto. • Hora de uma nova identidade. 26
  27. 27. HISTÓRIA Suporte a multidrop – Suporte a MIME necessidade de outros 8 Bits Lições adicionais usuários 14 15 16 17 18 19 14 - Qualquer ferramenta deve ser útil da maneira esperada, mas uma grande ferramenta conduz a usos inesperados. • Considerar necessidades dos usuários.LIÇÕES • Suporte ao multidrop. • FetchMail pode administrar uma lista de e-mails. 27
  28. 28. HISTÓRIA Suporte a multidrop Suporte a MIME – necessidade de Lições adicionais outros usuários 8 Bits 14 15 16 17 18 19 15 - Faça de tudo para não alterar o fluxo de dados – e nunca jogue fora informação. • Ser cuidadoso quanto a estrutura de dados.LIÇÕES – O código estava pronto para 8 bits. 28
  29. 29. HISTÓRIA Suporte a multidrop Suporte a MIME – necessidade de 8 Bits Lições adicionais outros usuários 14 15 16 17 18 19 16 - Quando sua linguagem não está perto de um Turing completo, “açúcar sintático” pode ser seu amigo. • É mais importante para uma linguagem serLIÇÕES conveniente para humanos do que ser barata para o computador. 29
  30. 30. HISTÓRIA Suporte a multidrop Suporte a MIME – necessidade de 8 Bits Lições adicionais outros usuários 14 15 16 17 18 19 17 - Um sistema de segurança é tão seguro quanto seus segredos. Esteja atento a pseudo-segredos. • Evite segurança por obscuridade.LIÇÕES 30
  31. 31. HISTÓRIA Suporte a multidrop Suporte a MIME – necessidade de 8 Bits Lições adicionais outros usuários 14 15 16 17 18 19 18 - Para resolver um problema interessante, comece achando um problema que é interessante para você. • Necessidades pessoais do autor podem serLIÇÕES necessidades de muitas pessoas. • Reafirmação da lição 1. 31
  32. 32. HISTÓRIA Suporte a multidrop Suporte a MIME – necessidade de 8 Bits Lições adicionais outros usuários 14 15 16 17 18 19 19 - Desde que o coordenador de desenvolvimento tenha um meio pelo menos tão bom quanto a Internet e saiba liderar sem coerção, muitas cabeças são inevitavelmente melhores que uma.LIÇÕES • Lei de Brooks. • Programação “sem ego”. • Importância da Internet como meio de comunicação. • Liderança. 32
  33. 33. Críticas• Nikolai Bezroukov (1998): – Lei de Brooks não se aplica ao desenvolvimento distribuído. – “Havendo olhos suficientes, todos os erros são óbvios” (Lei de Linus). – Linux: Bazar ou Catedral? • Bazar não tão democrático. • Núcleo utilizou o modelo catedral? – O modelo de código aberto automaticamente leva aos melhores resultados? 33
  34. 34. Críticas• Jonathan Eunice (1998): – Crítica a taxonomia de Raymond. • Como comparar uma cidade com um prédio? – Uso da comunidade não é exclusividade do bazar. – Adotar modelos e padrões de sucesso de ambas as comunidades. 34
  35. 35. Influência• Netscape: – 22 de janeiro de 1998. – Netscape disponibilizou o código-fonte do Netscape Communicator 4.0. – Teste real em larga escala do modelo bazar.• Wikipedia: – Colaboração em larga escala. – “opened my eyes to the possibility of mass collaboration” (Jimmy Wales).• Manifesto do movimento de código aberto. 35
  36. 36. Referências• Eric S. Raymond, “The Cathedral and Bazaar”,1997. http://www.catb.org/~esr/writings/cathedral-bazaar/• Nikolai Bezroukov, “A Second Look to the Cathedral and the Bazaar”, 1999. http://www.softpanorama.org/Articles/a_second_look_at_the_cathedral_ and_the_bazaar.shtml• Jonathan Eunice, “Beyond the Cathedral, beyond the Bazaar”, 1998. http://www.illuminata.com/public/content/cathedral/intro.htm 36
  37. 37. de Eric S. Raymond André Luis Schwerz André Luiz Satoshi Kawamoto Rafael Liberato Roberto{andreluis, kawamoto, liberato}@utfpr.edu.br UTFPR Câmpus Campo Mourão Doutorado em Ciência da Computação DINTER IME/USP-UTFPR Fevereiro / 2012 By André Luis Schwerz, André Luiz Kawamoto and Rafael Liberato Roberto. Este trabalho foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não Adaptada.

×