Jornalismo e mídias sociais
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Jornalismo e mídias sociais

  • 1,178 views
Uploaded on

Oficina de jornalismo e mídias sociais

Oficina de jornalismo e mídias sociais

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
1,178
On Slideshare
1,178
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
38
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Jornalismo e Mídias Sociais Profa. Dra. Liana Vidigal Rocha VIII Semana de Comunicação Universidade Federal do Tocantins
  • 2. Ao contrário do que muitos pensam, Mídia Social não é sinônimo de Rede Social.
  • 3. Grupos de pessoas que possuem e mantêm interesses comuns e/ou relacionamentosTambém chamadas de sites de relacionamento
  • 4. Redes Sociais na Internet são:1) Sobre pessoas e podem ser offline;2) Construídas pela apropriação;3) Circuladoras de informação;4) Espaços de conversação e5) Potenciais espaços de mobilização.Fonte: Raquel Recuero
  • 5. São sistemas online projetadospara permitir a interação social apartir do compartilhamento e dacriação colaborativa de informaçãonos diversos formatos.
  • 6. COMPARTILHAMENTO COLABORAÇÃO INFORMAÇÃO CONTEÚDO
  • 7. • As Mídias Sociais possuem características distintas, que reforçam ora seus limites, ora suas possibilidades. Entre as principais, é possível destacar duas categorias: sociocultural e técnica. • Arquitetura da Aspectos informação Técnicos • Tipos de Conteúdo • Ferramentas Categoria • Público Aspectos • Usos e apropriações Socioculturais • Comportamentos
  • 8. As Redes Sociais seriam uma categoria dentrodas Mídias Sociais, cujo objetivo é o de manter ou criar relacionamentos com base em assuntos comuns.
  • 9. Mídias Sociais em destaqueSites de Redes Sociais Sites de Compartilhamento de Conteúdo Microblogging Blogs
  • 10. Jornalismo• Jornalismo significa:- registro;- a apreciação dos acontecimentos de interesse geral;- a transmissão de informações;- fatos ou notícias com exatidão, clareza e rapidez, conjugando pensamento e ação.• O Jornalismo é uma arte, uma técnica e uma ciência, um processo histórico, uma necessidade humana e social na sociedade de massas.• O Jornalismo fala a linguagem coletiva. Ele tem as chaves da compreensão, da prosperidade, dos anseios da opinião pública e das conquistas humanas.
  • 11. Jornalismo em Rede• Segundo Alex Primo (2011), dois avanços foram fundamentais para o desenvolvimento do Jornalismo: o tecnológico e o estrutural, sendo eles representados pelo telégrafo e as agências de notícias. Telégrafo sist. analógico (linear) sist. digital (não-linear)
  • 12. Jornalismo em Rede• A esfera global de notícias vai sofrer uma significativa alteração com a adoção do fluxo não-linear de circulação de informações.• A partir disso, a prática jornalística será influenciada por um número maior de produtores e distribuidores de notícias.• É importante lembrar que tais “produtores/distribuidores” não vão se restringir às organizações jornalísticas.
  • 13. Jornalismo em Rede• O jornalismo em rede vai se configurar a partir do momento que uma conexão interativa se formar entre seus participantes (HEIRINCH, 2011).Contudo...1) Jornalismo em rede não é sinônimo de jornalismo digital;2) Jornalismo em rede não se limita a tecnologias digitais, como web, tablets e smartphones;3) A rede pode ser formada também nas mídias tradicionais (impresso, rádio e TV).Portanto... dentro de uma esfera global cada veículo representaum nó da malha interconectada.
  • 14. O que é notícia• Comercializar e trabalhar com as notícias constitui a função básica dos jornais.• Eles compram e vendem informações.Conceito• Notícia é o relato inédito de um fato ocorrido recentemente que interessa aos leitores.Exemplo: Um professor primário, modesto e humilde nunca foinotícia. Se ele for encontrado morto, com um tiro no coração,merece uma matéria.Então...A notícia deve ser: recente, inédita, verdadeira, objetiva,interesse público.
  • 15. Fonte Jornalística• As informações que um veículo publica são obtidas nas fontes de informação.• Elas podem ser classificadas em dois grandes grupos: as fixas e as fora de rotina.- Fixas  aquelas as quais se recorre todos dos dias. Ex: Polícia, Prefeitura, Associações, Sindicatos, etc.- Fora de rotina  são as fontes procuradas quando o fato exige, ou seja, excepcionalmente. Ex: Uma empresa, uma personalidade etc.
  • 16. Mídias Sociais como fonte jornalística• As mídias sociais, em um primeiro momento, podem ser classificadas como fontes fora de rotina.• No entanto, a partir do instante que começa a fazer parte do processo de produção jornalística, ela se torna uma fonte fixa.• Schmitz (s/d) alerta que, apesar de servirem como fontes de consulta e produzirem conteúdo, as mídias sociais são passíveis de distorções e/ou manipulações.• Exemplo: notícias falsas amplamente divulgadas no microblog, como a morte do ator Jeff Goldblum ou o caso no México.
  • 17. TWITTER• 2006 → lançamento do Twitter.• 2008 → o microblog foi fundamental na campanha de Barack Obama na eleição para presidente dos EUA.• 2011 → é o primeiro a divulgar a morte de Osama Bin Laden, ocorrida no Paquistão, em maio.• Todos os dias, o microblog repercute notícias e informações sobre os mais variados assuntos.• Para Recuero (2009), “O Twitter tem uma dupla faceta em seu uso e apropriação: é, ao mesmo tempo, uma ferramenta de conversação e uma ferramenta de informação.”
  • 18. Twitter e Jornalismo• Principal Critério → tempo: quanto mais rápido a notícia chega ao público, mais ele se sente informado.• Critérios como rotinas produtivas e noticiabilidade ficam “abalados”.• A atualização contínua (instantaneidade) passa a ser o principal elemento para se atuar no Twitter.• O Twitter dá o “alerta” para determinadas notícias, mas o público aprofunda o assunto em outras mídias. “O Twitter potencializa a busca pelo instantâneo e o relato do acontecido mais próximo possível do fato em si” (ESCOBAR, 2009).
  • 19. Microjornalismo• A internet e o Twitter proporcionaram a criação de conteúdos coletivos.• Contudo, o papel de gatekeeper desempenhado pelo jornalista é importante, pois tem como finalidade selecionar e hierarquizar os acontecimentos de interesse público.• Cabe ao jornalismo a função de dar a credibilidade aos discursos postados no Twitter.• Recentemente, o jornal The New York Times cunhou o termo microjournalism (microjornalismo) ao se referir ao uso do Twitter como difusor de fatos e acontecimentos sobre as eleições norte-americanas.
  • 20. Importante• Os microblogs se constituem em uma forma alternativa de produção e de distribuição de conteúdo.• Eles não substituem o jornalismo exercido em outros meios, mas pode servir para complementá-lo.• Pontos Positivos → tempo real; atualização automática, acesso móvel e novo espaço para distribuição de conteúdo.• Pontos Negativos → limitação de caracteres; grande volume de dados, possíveis distorções da informação e ausência de créditos.
  • 21. • Apesar do Twitter continuar sendo uma plataforma social de destaque para o trabalho dos jornalistas, uma mudança silenciosa acontece.• Cada vez mais, o Facebook tem se transformado em uma ferramenta útil e acessível para a apuração e elaboração de matérias.• É possível dizer que o Facebook, assim como o Twitter, tem transformado o modo do jornalista contemporâneo fazer seu serviço com eficácia e dinamismo.
  • 22. Considerações• O jornalismo ainda não sabe utilizar bem as mídias sociais.• As empresas jornalísticas usam as mídias sociais mais para promover suas notícias do que para interagir com o público ou compartilhar conteúdo de terceiros.• Aproximadamente 2% dos tweets dos veículos buscavam informações ou opiniões de usuários.• O jornalismo está com medo de perder a audiência dos portais para as mídias sociais.• O jornalismo nas mídias sociais poderia ser mais customizado e segmentado.
  • 23. AS NOTÍCIAS MAIS TUITADAS DE TODOS OS TEMPOS Fonte: Jornalistas da Web11. O Assassinato de Bin Laden (01/05/2011) - Tweets por segundo: 5.10610. O Terremoto da Costa Oeste dos EUA (23/08/2011) - Tweets por segundo:5.44909. O Tsunami do Japão (14/03/2011) - Tweets por segundo: 5.53008. O Último Jogo da Final da NBA (12/06/2011) - Tweets por segundo: 5.53107. A Morte de Steve Jobs (05/10/2011) - Tweets por segundo: 6.04906. A Final da Liga dos Campeões (28/05/2011) - Tweets por segundo: 6.30305. BET Awards 2011 (26/06/2011) - Tweets por segundo: 6,43604. O Ano Novo no Japão (01/01/2011) - Tweets por segundo: 6.93903. A Eliminação do Brasil na Copa América (17/07/2011) - Tweets porsegundo: 7.16602. A Final da Copa do Mundo de Fut. Feminino (17/07/2011) - Tweets porsegundo: 7.19601. A Gravidez de Beyoncé (28/08/2011) - Tweets por segundo: 8.868
  • 24. DADOS
  • 25. Dicas• 20 ferramentas para aproveitar o Twitter• 12 livros para o profissional de mídias sociais ler em 2012• Faça um jornal online com seus tweets• Woco - comunidade mundial de notícias• IReport – CNN• Playlista Mídias Sociais
  • 26. Fontes• http://www.jornalistasdaweb.com.br/?pag=displayConteudo&idConteudoTipo=2&idConteu do=3965• http://www.youtube.com/watch?v=H61WvxOm1AM&feature=player_embedded#!• http://www.youtube.com/playlist?list=PL80370EF30EFE4731• ESCOBAR, Juliana Lúcia. Blogs como nova categoria de webjornalismo. In: Blogs.Com:• estudos sobre blogs e comunicação/ Adriana Amaral, Raquel Recuero, Sandra Montardo• (orgs.)- São Paulo: Momento Editorial, 2009.• PRIMO, Alex. Transformações no jornalismo em rede: sobre pessoas comuns,• jornalistas e organizações; blogs, Twitter, Facebook e Flipboard. SBPjor, rio de janeiro, 2011.• RECUERO, R. (2009), Informação e credibilidade no Twitter, Jornalistas da Web, Rio de Janeiro,• acesso em 29/11/2011 de < http://www.jornalistasdaweb.com.br/index.php?pag=displayConteudo&id%20ConteudoTipo =2&idConteudo=3727>.• SCHMITZ, Aldo A. Classificação das fontes de notícias. Disponível em: http://www.bocc.ubi.pt/pag/schmitz-aldo-classificacao-das-fontes-de-noticias.pdf