Contracultura - Contestação e resistência na vida social

  • 6,409 views
Uploaded on

Seminário apresentado para a disciplina Socialidade das Mídias, ministrada pelo professor Henrique Magalhães, pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal da Paraíba.

Seminário apresentado para a disciplina Socialidade das Mídias, ministrada pelo professor Henrique Magalhães, pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal da Paraíba.

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
6,409
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
146
Comments
0
Likes
6

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. CONTRACULTURA Contestação e resistência na vida social Seminário apresentado para a disciplina Socialidade nas Mídias, do professor Henrique Magalhães Aluno: Alexandro Carlos de Borges Souza
  • 2. “ A contracultura floresce sempre e onde quer que alguns membros de uma sociedade escolham estilos de vida, expressões artísticas e formas de pensamento e comportamento que sinceramente incorporam o antigo axioma segundo o qual a única verdadeira constante é a própria mudança.” Timothy Leary Psicólogo, escritor e maior doidão de todos os tempos
  • 3. SUMÁRIO
    • 1. Conceito
    • 2. Mitos contraculturais
    • 3. Contraculturas históricas
    • 4. Contraculturas contemporâneas
      • 4.1 – Geração Perdida
      • 4.2 – Geração beat
      • 4.3 – Anos 60 – Contracultura e juventude
    • 4.4 – Anos 70 - Glams, punks e Nova Era
      • 4.5 – Hackers, geeks, rappers, cyberpunks...
    • 5. Contracultura no Brasil
  • 4. 1. Conceito
    • - Fenômeno de afirmação do indivíduo sobre sua própria vida, em contraponto aos ditames sociais e culturais vigentes.
    • - Ruptura e tradição (ou tradição de ruptura )
    • - Essa tradição se conecta de 3 formas :
      • ● Contato direto
      • ● Contato indireto ou mediado
      • ● Ressonância
    • - Experiência vivida ( estetização da vida)
  • 5. 1. Conceito
    • - Princípios fundamentais:
      • ● Individualidade acima de convenções sociais
    • ● Desafio ao autoritarismo
      • ● Defesa de mudanças individuais e sociais
    • Características secundárias:
      • ● Rupturas e inovações radicais em arte, ciência, espiritualidade, filosofia e estilo de vida
      • ● Diversidade
      • ● Comunicação aberta e compartilhamento irrestrito de informações
      • ● Exílio ou fuga
    • - Traços sociais : boemia | humor | hedonismo | elitismo
  • 6. 2. Mitos contraculturais
    • - Natureza estética da contracultura reforça o valor do imaginário na sua construção
    • - Mito como codificações das nossas crenças, motivações, aspirações, anseios e temores
    • - Dois mitos fundamentais na civilização ocidental:
      • ● Prometeu (cultura clássica)
      • ● Abraão (cultura judaico-cristã)
  • 7. 2. Mitos contraculturais
    • Prometeu
      • ● Humanista
      • ● Antiautoritário
      • ● Inovador
  • 8. 2. Mitos contraculturais
    • Abraão
      • ● Iconoclasta
      • ● Individualista
      • ● Auto-exilado ( dropout )
  • 9. 3. Contraculturas históricas
    • - Na Antiguidade :
      • ● Cultura Socrática
      • ● Taoísmo
      • ● Zen
  • 10. 3. Contraculturas históricas
    • - Socráticos (Atenas, séc. V a.C.)
      • ● Surgimento do indivíduo
      • ● Pensamento lógico e dedutivo
      • ● Crítica não-conformista à vida social
  • 11. 3. Contraculturas históricas
    • - Taoísmo (China, +- séc. V a.C.)
      • ● Obras: Tao Te King (Lao-Tsé) e o Chuang-Tzu
      • ● Afirmação do caos: processos da vida como 'caminho'
      • ● Negação da linguagem, da lógica e da moralidade
      • ● Valorização da experiência
  • 12. 3. Contraculturas históricas
    • - Zen (China, séc. V / Japão séc. XII e XIII) :
      • ● budismo + taoísmo
      • ● Lenda de Bodhidharma /Hotei
      • ● Filosofia centrada na noção de vazio
      • ● Renúncia ao ego e à racionalidade
      • ● Valorização do presente (extraordinária presença no momento)
  • 13. 3. Contraculturas históricas
    • - Contraculturas Medievais
      • ● Sufismo
      • ● Trovadorismo
  • 14. 3. Contraculturas históricas
    • - Sufismo (só Deus sabe – Idade Média Baixa)
      • ● Contracultura religiosa e islâmica
      • ● Paixão como princípio / amor por Deus e pela criação
      • ● Anulação do indivíduo pela paixão
  • 15. 3. Contraculturas históricas
    • - Trovadorismo (Espanha e Itália, séc. XII e XIII) :
      • ● Grupo reduzido
      • ● Adoração da feminilidade
      • ● Surgimento do cavalheirismo
      • ● Erotismo como temática
      • ● Canção e outras formas poéticas
  • 16. 3. Contraculturas históricas
    • - Contraculturas Modernas
      • ● Iluminismo
      • ● Transcendentalismo
  • 17. 3. Contraculturas históricas
    • - Iluminismo (Europa e EUA, séc. XVII e XVIII)
      • ● Supremacia da razão científica
      • ● Estabelecimento do Estado moderno
      • ● A mídia como fator social determinante
      • ● Defesa da liberdade de discurso/expressão
  • 18. 3. Contraculturas históricas
      • - Transcendentalismo (EUA, séc. XIX) :
      • ● Principais nomes: Emerson, Thoreau e Whitman
      • ● Busca interior pelo elemento divino
      • ● Exclusão voluntária da vida social
      • ● Uso da imprensa alternativa
      • ● Preponderância do indivíduo sobre o Estado
  • 19. 4. Contraculturas contemporâneas 4.1. Geração Perdida
    • - Paris, 1900 - 1940
      • ● Surgimento das vanguardas artísticas
      • ● Estilo de vida boêmio
      • ● Antirracionalismo
      • ● Importância para literatura moderna (Pound, Joyce, Eliot, Hemingway)
  • 20.
    • - EUA, anos 50
      • ● Niilismo, êxtase e alienação
      • ● Sincretismo cultural (blues e jazz)
      • ● Subcultura juvenil: hipsters (boemia, gírias, relacionamentos interraciais, maconha e heroína)
      • ● Ginsberg, Kerouac e Burroughs
      • ● Primeira contracultura semiótica (uso da TV)
    4. Contraculturas contemporâneas 4.2. Geração Beat
  • 21.
    • Duas fases
      • ● de 1960 a 1967 ( flower power )
      • ● de 1968 a 1972 (radicalização política)
    4. Contraculturas contemporâneas 4.3. Anos 60 – Contracultura e juventude
  • 22.
    • - Surgimento de uma juventude de classe média, instruída e consumidora. Sobre esse grupo, nos diz Carlos Alberto M. PEREIRA (1992, p. 93):
      • Era exatamente a juventude das camadas altas e médias dos grandes centros urbanos que, tendo pleno acesso aos privilégios da cultura dominante, por suas grandes possibilidades de entrada no sistema de ensino e no mercado de trabalho, rejeitava esta mesma cultura de dentro.
    4. Contraculturas contemporâneas 4.3. Anos 60 – Contracultura e juventude
  • 23.
    • - Amplificação do movimento pelos meios de comunicação de massa. Comentam GOFFMAN & JOY (2007, p. 272):
      • O inconformismo e a busca pessoal de uma identidade se transformaram em um movimento de massas, de muitas formas produzindo novas formas de conformismo, novas identidades grupais.
    4. Contraculturas contemporâneas 4.3. Anos 60 – Contracultura e juventude
  • 24.
    • - Expansão do conceito de liberdade de discurso para liberdade sobre corpo e mente (Leary, Kesey e LSD). Ainda GOFFMAN & JOY (2007, p. 292):
      • [Timothy] Leary chamou isso de a quinta liberdade, o direito de um ser humano controlar seus próprios estados de consciência. Em uma sociedade livre, o Estado não pode impedir as pessoas de alcançarem qualquer estado mental, desde que essas pessoas não se metam com as outras.
    4. Contraculturas contemporâneas 4.3. Anos 60 – Contracultura e juventude
  • 25.
    • Subculturas juvenis:
      • ● Hippies
      • ● Diggers
      • ● Nova Esquerda (yippies)
      • ● Panteras Negras
      • ● Hell's Angels
      • ● Weathermen (radicais políticos)
      • ● Situacionistas e anarquistas (Europa)
    4. Contraculturas contemporâneas 4.3. Anos 60 – Contracultura e juventude
  • 26. ● Organização de movimentos sociais de defesa das minorias (mulheres, negros, homossexuais, etc) ● Ascensão da música como elemento de identidade juvenil em escala global (rock). 4. Contraculturas contemporâneas 4.3. Anos 60 – Contracultura e juventude
  • 27.
    • - Fragmentação da cultura jovem em subculturas
    • - Glam
      • ● 1ª reação contracultural ao movimento hippie
      • ● Crescimento da cultura gay
      • ● Estética pop decadentista
      • ● Estetização e sexualidade exacerbada
      • ● David Bowie, Marc Boland, Lou Reed, Andy Warhol
    4. Contraculturas contemporâneas 4.3. Anos 70 – Glams, punks e Nova Era
  • 28.
    • Novas configurações do hippie:
      • ● Cowboy junkie
      • ● Político liberal
      • ● Nova Era
    4. Contraculturas contemporâneas 4.3. Anos 70 – Glams, punks e Nova Era
  • 29.
    • Punks: surgem nos EUA, como reação ao hippie, com tom reacionário. Depois é retrabalhado na Inglaterra
      • ● Atitude + subcultura + estilo musical + moda
    • Fenômeno que reúne de forma indissociável aspectos políticos, estéticos e culturais.
    4. Contraculturas contemporâneas 4.3. Anos 70 – Glams, punks e Nova Era
  • 30.
    • - Adriana AMARAL (2006, p. 132), citando Craig O’HARA, afirma:
      • O punk é o somatório entre uma forma de arte, uma teoria e uma atitude política e pode ser visto basicamente de três formas: a) como uma tendência juvenil (ele salienta que essa é a visão mais mostrada na mídia); b) como mudança e rebelião; c) como voz de oposição.
    4. Contraculturas contemporâneas 4.3. Anos 70 – Glams, punks e Nova Era
  • 31.
    • Punk: subcultura que sobreviveu à própria época.
    • - Ainda AMARAL (2006, p. 140):
      • A transição da subcultura em pós-subcultura é marcada pela aceitação de que a subcultura não é necessariamente de cunho ideológico, mas que o pertencimento acontece, em muitos casos, através do estilo estético. Esse estilo estético das subculturas pode ser comparado ao neotribalismo maffesoliniano [...], no qual a estética torna-se o laço afetivo de ligação entre indivíduos sendo a principal característica das sociedades contemporâneas.
    4. Contraculturas contemporâneas 4.3. Anos 70 – Glams, punks e Nova Era
  • 32. 4. Contraculturas contemporâneas 4.3. Hackers, geeks, rappers, cyberpunks...
    • Anos 90: multiplicidade de expressões subculturais.
  • 33.
    • Tecnocultura : alicerçada nas contraculturas pós-Hiroshima.
    • Cultura hacker
      • ● acesso irrestrito a computadores
      • ● Informação livre e disponível
      • ● Desconfiança em relação à autoridade
      • ● Promoção da descentralização
    4. Contraculturas contemporâneas 4.3. Hackers, geeks, rappers, cyberpunks...
  • 34.
    • Ciberdelia : cultura das raves e do tecnoxamanismo
      • ● Música eletrônica
      • ● Realidade virtual / apologia à tecnologia
      • ● Drogas
      • ● Encontro de subculturas: Nova Era + geeks
    4. Contraculturas contemporâneas 4.3. Hackers, geeks, rappers, cyberpunks...
  • 35.
    • Tropicalismo : anos 60.
      • ● Precursores: Jorge Mautner (beat generation)
      • ● Expoentes: Caetano Veloso, Gilberto Gil, Mutantes (música); Torquato Neto, Paulo Leminsky e José Agrippino de Paula (literatura); Hélio Oiticica e Lygia Clark (artes plásticas)
    4. Contraculturas no Brasil
  • 36.
    • Punk BR : anos 80.
      • ● Adesão rápida de pessoas vindas da periferia
      • ● Crescimento do anarcopunk nos anos 90.
    4. Contraculturas no Brasil
  • 37.
    • Manguebeat : subcultura nordestina dos anos 90
      • ● Elementos ciberdélicos e hackers
      • ● Descentralização cultural
      • ● Revitalização da tradição popular na cultura pop
    4. Contraculturas no Brasil
  • 38. Bibliografia AMARAL, Adriana. Visões Perigosas: Uma arque-genealogia do cyberpunk – comunicação e cultura. Porto Alegre: Sulina, 2006. DERY, Mark. Velocidad de Escape – La Cibercultura em el fin del siglo. Madrid: Siruela, 1998. GOFFMAN, Ken & JOY, Dan. Contracultura Através dos Tempos – Do mito de Prometeu à cultura digital. Rio de Janeiro: Ediouro, 2007. LEMOS, André. Cibercultura, tecnologia e vida cultural na cultura contemporânea. Porto Alegre: Sulina, 2002. PEREIRA, Carlos Alberto M. O Que É Contracultura. São Paulo: Brasiliense, 1992. TESSER, Paula. Mangue Beat: húmus cultural e social. LOGOS 26: comunicação e conflitos urbanos. Ano 14, 1º semestre 2007. Disponível em: < http://www.logos.uerj.br/PDFS/26/05_PAULA_TESSER.pdf > Acesso em 26/10/2010. VELOSO, Caetano. Verdade Tropical. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.
  • 39. CONTRACULTURA Contestação e resistência na vida social Seminário apresentado para a disciplina Socialidade nas Mídias, do professor Henrique Magalhães Aluno: Alexandro Carlos de Borges Souza