Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Considerações preliminares sobre dados quantitativos de pesquisa
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Considerações preliminares sobre dados quantitativos de pesquisa

  • 11,264 views
Published

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
11,264
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
197
Comments
0
Likes
3

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. O tratamento, a apresentação e a análise de dados quantitativos de pesquisa Letícia Strehl Bibliotecária (Bib. Central-UFRGS) Doutoranda (PPGCOM-UFRGS) 06/11/2008
  • 2. Tópicos
    • Técnicas de pesquisa
    • Variáveis
    • Planilhas para tabulação de dados
    • Apresentação dos resultados
  • 3. Técnicas de pesquisa
    • Basicamente, pode-se dizer que as técnicas de pesquisa dividem-se em três categorias gerais:
      • Quantitativas
      • Qualitativas
      • Mistas
    CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa : métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007.
  • 4. Técnicas qualitativas, quantitativas e de métodos mistos CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa : métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007. p. 36
  • 5. A técnica quantitativa de pesquisa Dados coletados por intermédio de questionários
  • 6. Dados quantitativos obtidos a partir de questionários (levantamento ou survey )
    • “Um projeto de levantamento dá uma descrição quantitativa ou numérica de tendências, atitudes ou opiniões de uma população ao estudar uma amostra dela. A partir dos resultados da amostragem, o pesquisador generaliza ou faz alegações acerca da população.”
    CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa : métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007. p. 161-162
  • 7. Operacionalização da pesquisa
    • Os aspectos que o pesquisador pretende investigar são operacionalizados em um estudo quantitativo em termos de variáveis a serem observadas
  • 8. O que são as variáveis em um estudo?
    • Uma variável é simplesmente algo que pode variar, isto é, pode assumir valores ou categorias diferentes
      • Valor – Idade: 23
      • Categoria – Gênero: Feminino
  • 9. Por que as variáveis nos interessam?
    • Porque queremos entender o motivo das variações observadas nos fenômenos que estudamos. Para que a variação seja compreendida, precisamos medir e registrar as alterações verificadas em uma dada situação.
    DANCEY, Christine P.; REIDY, John. Estatística sem matemática para psicologia : usando SPSS para Windows. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.
  • 10. Tipos de variáveis Barbetta, Pedro Alberto. Estatística aplicada às ciências sociais. 3. ed. rev. Florianópolis: Editora da UFSC, 1999. Os dados são atributos ou qualidades. Ex.: Sobre que assunto você mais lê: Literatura Quantos livros você lê por ano: ( ) de 1 a 3 ( ) de 4 a 6 (X) mais de 6 Qualitativa Os dados são números em um certa escala. Ex.: Quantos livros você lê por ano: 9 Quantitativa Definição Tipo
  • 11. Lista de verificação das questões para elaborar um projeto de pesquisa de levantamento CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa : métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007. p. 162
  • 12. Criando planilhas em Excel para o tramentamento das informações coletadas
  • 13. Tratamento dos dados coletados com uso do Excel
    • Antes de executar qualquer análise, você precisa tratar os dados coletados.
      • O Excel é um dos programas que podem auxiliar na realização desta tarefa
  • 14.
    • Cada questão do questionário torna-se uma variável - Cada variável deve ser codificada em uma coluna da planilha - Cada questionário ocupará uma linha da planilha
  • 15. Apresentação dos dados Tabelas, quadros e gráficos
  • 16. Formas de apresentação de um dado
    • Para a elaboração de tabelas, quadros e gráficos, conta-se com inúmeros recursos de informática que podem facilitar a apresentação dos dados para o leitor do trabalho
    • Um mesmo dado tem inúmeras formas de apresentação
  • 17. Tabelas
    • É a forma não discursiva de apresentação de informações, representadas por dados numéricos e codificações, dispostos em uma ordem determinada, segundo as variáveis analisadas de um fenômeno.
    • Ex.:
    • Tabela 1 - Número e proporção de docentes dos Programas de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Capes*, segundo faixa etária, Brasil, 2002.
    UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Faculdade de Saúde Pública. Biblioteca. Guia de apresentação de teses. Disponível em: <http://www.bvs-sp.fsp.usp.br:8080/html/pt/paginas/guia/home.htm>.
  • 18. Recomenda-se que a tabela:
    • seja suficientemente completa para ser entendida, dispensando consulta ao texto;
    • contenha somente os dados necessários ao seu entendimento;
    • seja estruturada da forma mais simples e objetiva;
    • inclua os dados logicamente ordenados;
    • apresente dados, unidades e símbolos consistentes com o texto.
    UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Faculdade de Saúde Pública. Biblioteca. Guia de apresentação de teses. Disponível em: <http://www.bvs-sp.fsp.usp.br:8080/html/pt/paginas/guia/home.htm>.
  • 19. A tabela e o quadro são tipos de ilustações diferentes por sua função e forma!
  • 20. Quadros
    • Os quadros são definidos como arranjo predominante de palavras dispostas em linhas e colunas, com ou sem indicação de dados numéricos. Diferenciam-se das tabelas por apresentarem um teor esquemático e descritivo, e não estatístico. A apresentação dos quadros é semelhante à das tabelas, exceto pela colocação dos traços verticais em suas laterais e na separação das casas.
    • Ex.:
    UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Faculdade de Saúde Pública. Biblioteca. Guia de apresentação de teses. Disponível em: <http://www.bvs-sp.fsp.usp.br:8080/html/pt/paginas/guia/home.htm>. Quadro 10 - Principais bases de dados bibliográficas de interesse para a área de saúde pública disponíveis para acesso na Biblioteca da Faculdade de Saúde Pública da USP, em 2002
  • 21. Gráficos
    • Os gráficos representam dinamicamente os dados das tabelas, sendo mais eficientes na sinalização de tendências.
    • Deve-se optar por uma forma ou outra de representação dos dados, isto é, não utilizar tabela e gráfico para uma mesma informação.
    • O gráfico bem construído pode substituir de forma simples, rápida e atraente, dados de difícil compreensão na forma tabular.
    • Ex.:
    UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Faculdade de Saúde Pública. Biblioteca. Guia de apresentação de teses . Disponível em: <http://www.bvs-sp.fsp.usp.br:8080/html/pt/paginas/guia/home.htm>. Figura 9 - Distribuição dos registros da produção brasileira em saúde pública da base de dados LILACS-SP Brasil, por ano de publicação
  • 22. Exercício de análise de dados http://www.scimagojr.com/countrysearch.php?country=BR
  • 23. Análise de dados quantitativos (1)
    • Dê informações sobre o número de membros da amostra que retornaram e não retornaram o questionário
      • Tabelas com números e percentuais
    • Discuta os possíveis vieses das respostas
      • Se os não respondentes tivessem retornado, as respostas deles teriam mudado substancialmente os resultados gerais da pesquisa?
    CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa : métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007. p. 167
  • 24. Análise de dados quantitativos (2)
    • Realize uma análise descritiva dos dados obtidos para todas as variáveis envolvidas no estudo
    • Elabore um plano para realização de cruzamentos entre as variáveis
    • Identifique qual é o melhor programa de computador para realização do tratamento dos dados
    CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa : métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007. p. 168
  • 25. Obrigada!