• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Metodos Pesquisa 1 Introdução aos métodos de pesquisa. 1, Métodos quaLitativos
 

Metodos Pesquisa 1 Introdução aos métodos de pesquisa. 1, Métodos quaLitativos

on

  • 32,580 views

 

Statistics

Views

Total Views
32,580
Views on SlideShare
31,292
Embed Views
1,288

Actions

Likes
6
Downloads
500
Comments
0

16 Embeds 1,288

http://leticiastrehl.blogspot.com.br 634
http://leticiastrehl.blogspot.com 357
http://www.slideshare.net 92
http://grupomidiasac.blogspot.com.br 64
http://neesefe.blogspot.com.br 52
http://neesefe.blogspot.com 43
http://grupomidiasac.blogspot.com 23
http://leticiastrehl.blogspot.pt 13
http://leticiastrehl.blogspot.jp 2
http://grupomidiasac.blogspot.ru 2
http://grupomidiasac.blogspot.ca 1
http://neesefe.blogspot.pt 1
http://www.leticiastrehl.blogspot.co.uk 1
http://www.leticiastrehl.blogspot.com 1
http://leticiastrehl.blogspot.co.uk 1
http://neesefe.blogspot.ro 1
More...

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Metodos Pesquisa 1 Introdução aos métodos de pesquisa. 1, Métodos quaLitativos Metodos Pesquisa 1 Introdução aos métodos de pesquisa. 1, Métodos quaLitativos Presentation Transcript

    • Quali
      Introdução aos métodos de pesquisa. 1, Métodos quaLitativos
      Letícia Strehl
      Bibliotecária (Bib. Central-UFRGS)
      Doutoranda (PPGCOM-UFRGS)
      17 set. 2009
      Bib 03021
    • Métodos de pesquisa
    • Técnicas qualitativas, quantitativas e de métodos mistos
      CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007. p. 36
    • Suposições filosóficas
      Alegações de conhecimento significa que os pesquisadores começam um projeto com determinadas suposições sobre como vão aprender e o que vão aprender durante a investigação
      Construtivismo:
      *significados múltiplos do participante
      *construção social e histórica
      *geração de teoria
      Pós-positivismo:
      *determinação
      *reducionismo
      *observação empírica e mensuração
      *verificação da teoria
      Pragmatismo:
      *consequência das ações
      *centrado no problema
      *pluralista
      *orientada para prática no mundo real
      CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007. p. 36
    • Métodos QuaLItativos
    • Propósitos
      Analisar os significados que os indivíduos dão às suas ações no ambiente em que suas vidas e suas relações são construídas
      Observar as ações particulares de cada indivíduo em relação ao contexto social em que ocorrem
      Quali
      Adaptado de: STUMPF, Ida R.C. Estudos de Usuários: aspectos metodológicos
    • Características (1)
      O ambiente e as circunstâncias são fonte direta para coleta de dados
      contexto, pessoas, situações, reações
      O pesquisador pode manter contato direto e prolongado com o ambiente
      Os dados coletados são descritivos e servem para a compreensão do problema
      Quali
      Ou seja, não são obtidos de forma previamente codificada
      Adaptado de: STUMPF, Ida R.C. Estudos de Usuários: aspectos metodológicos
    • Características (2)
      Ênfase no processo e não no produto
      como se manifesta o problema?
      Estudo da opinião dos pesquisados
      o que pensam sobre o problema?
      Quali
      Adaptado de:
      STUMPF, Ida R.C. Estudos de Usuários: aspectos metodológicos
      MAY, Tim. Pesquisa social : questões, métodos e processos. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2004.
    • Características (3)
      Análise indutiva dos dados
      Questão inicial é elaborada, revista e reorientada a partir do contexto e sujeitos pesquisados
      Quali
      A pesquisa vem antes da teoria e relaciona-se com ela na fase de análise e interpretação dos dados
      STUMPF, Ida R.C. Estudos de Usuários: aspectos metodológicos
    • Participantes ativos
      Pesquisador:
      Observador ativo; participa da cultura local para compreender práticas e costumes, identificar necessidades e propor ações;
      Pesquisados:
      Sujeito ativo, participa através de seu depoimento; pode acrescentar novos dados.
      Quali
      STUMPF, Ida R.C. Estudos de Usuários: aspectos metodológicos
    • Coleta de Dados: etapas
      Indutiva:
      A observação intensiva do ambiente pesquisado pode sugerir questões a serem incluídas no estudo. O pesquisador deve ter conhecimentos teóricos em Sociologia e Antropologia;
      Deliberativa:
      Escolha das questões mais importantes para a pesquisa. O pesquisador utiliza sua bagagem cultural e científica.
      Quali
      STUMPF, Ida R.C. Estudos de Usuários: aspectos metodológicos
    • Definição da amostragem
      Pessoas, locais ou documentos PROPOSITADAMENTE selecionados para estudo
      Critério: fontes que melhor auxiliarão o pesquisador a entender o problema de pesquisa
      Os quatro aspectos a definir:
      Cenário: onde a pesquisa vai ocorrer?
      Atores: quem serão os observados ou entrevistados?
      Eventos: o que os atores estarão fazendo enquanto forem observados ou como serão entrevistados?
      Processo: a natureza evolutiva dos eventos vividos pelos atores dentro do cenário
      Quali
      CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007. p. 36
    • Técnicas de coleta de dados
      Quali
      Adaptado de: CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007.
    • Quali
      Entrevistas
    • Tipos de instrumentos para entrevistas (1)
      Entrevista semi-estruturada
      As perguntas são normalmente especificadas, mas o entrevistador está livre para ir além das respostas
      O entrevistado responde às questões em seus próprios termos
      Quali
      MAY, Tim. Pesquisa social : questões, métodos e processos. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2004.
    • Tipos de instrumentos para entrevistas (2)
      Entrevista não estruturada
      O processo busca revelar a base subjetiva dos assuntos tratados. Seu caráter aberto desafia as percepções do pesquisador quando o entrevistado responde às perguntas dentro de sua própria estrura de referência (exemplos: entrevistas biográficas, história oral, história de vida)
      Quali
      MAY, Tim. Pesquisa social : questões, métodos e processos. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2004.
    • Tipos de instrumentos para entrevistas (3)
      Entrevista em grupo
      Entrevista em grupo focal
      Quali
      MAY, Tim. Pesquisa social : questões, métodos e processos. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2004.
    • Lista de verificação para o planejamento e a condução das entrevistas (1)
      Quali
      BELL, J. Projeto de pesquisa : guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e ciências sociais. Porto Alegre: Artmed, 2008.
    • Lista de verificação para o planejamento e a condução das entrevistas (2)
      Quali
      BELL, J. Projeto de pesquisa : guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e ciências sociais. Porto Alegre: Artmed, 2008.
    • Lista de verificação para o planejamento e a condução das entrevistas (3)
      Quali
      BELL, J. Projeto de pesquisa : guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e ciências sociais. Porto Alegre: Artmed, 2008.
    • Lista de verificação para o planejamento e a condução das entrevistas (4)
      Quali
      BELL, J. Projeto de pesquisa : guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e ciências sociais. Porto Alegre: Artmed, 2008.
    • Alguns parâmetros práticos para planejamento
      Um relato da minha experiência particular:
      Quanto mais amplas as questões, mais tempo os entrevistados demoram para respondê-las.
      As entrevistas que conduzi com um roteiro semi-estrutrado com 10 perguntas gerais durava, em média, 1 hora
      Recomenda-se que as entrevistas não ultrapassem 1h e meia
      1 hora de entrevista produz, em média, 13 páginas de transcrição
      1 hora de entrevista é transcrita, em média, em 6 horas
      Dica: programa para gravação de entrevistas: Audacity (disponível em: http://audacity.sourceforge.net/?lang=pt)
      Quali
    • Quali
      Observações
    • Lista de verificação para os estudos de observações (1)
      Quali
      BELL, J. Projeto de pesquisa : guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e ciências sociais. Porto Alegre: Artmed, 2008.
    • Lista de verificação para os estudos de observações (2)
      Quali
      BELL, J. Projeto de pesquisa : guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e ciências sociais. Porto Alegre: Artmed, 2008.
    • Lista de verificação para os estudos de observações (3)
      Quali
      BELL, J. Projeto de pesquisa : guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e ciências sociais. Porto Alegre: Artmed, 2008.
    • Registro e Análise dos Dados Qualitativos (1)
      Anotar ou gravar as ações e/ou manifestações dos sujeitos
      Organizar e preparar os dados para análise (transcrever as entrevistas, organizar as observações)
      STUMPF, Ida R.C. Estudos de Usuários: aspectos metodológicos
      GIBBS, G. Análise de dados qualitativos. Porto Alegre: Artmed, 2009.
    • Registro e Análise dos Dados Qualitativos (2)
      Separar em grupos ou categorias;
      Assinalar as manifestações que melhor exprimem cada categoria ou grupo;
      Interpretar ou extrair significado dos dados (interpretação pessoal – vivência -, ou baseada na literatura – comparar com a teoria ou com estudos anteriores).
      STUMPF, Ida R.C. Estudos de Usuários: aspectos metodológicos
    • Dados que podem ser codificados
      GIBBS, G. Análise de dados qualitativos. Porto Alegre: Artmed, 2009.
    • Tratamento dos dados : sugestões (1)
      Mapas de associação de idéias (1)
      Criação de uma tabela com tantas colunas quantas forem as categorias de análise
      A fala é transposta em sua totalidade para as colunas, respeitando a ordem da fala original
      SPINK, Mary Jane Paris; LIMA, Helena. Rigor e visibilidade: a explicitação dos passos da interpretação. SPINK, Mary Jane Paris (Org.). Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano : aproximações teóricas e metodológicas. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2000. p. 93-122.
    • Tratamento dos dados : sugestões (2)
      Mapas de associação de idéias (2)
      No princípio, as categorias definidas são gerais, de natureza temática, refletindo principalmente os objetivos da pesquisa e sua dimensão teórica.
      À medida que o processo de análise avança as categorias são revistas, gerando uma aproximação paulatina com os sentidos percebidos como atividade fim.
      SPINK, Mary Jane Paris; LIMA, Helena. Rigor e visibilidade: a explicitação dos passos da interpretação. SPINK, Mary Jane Paris (Org.). Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano : aproximações teóricas e metodológicas. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2000. p. 93-122.
    • Tratamento dos dados : sugestões (3)
      Codificação linha por linha
      GIBBS, G. Análise de dados qualitativos. Porto Alegre: Artmed, 2009.
    • Ética dos Estudos Qualitativos
      Estabelecer clima de confiança entre pesquisador e pesquisados para validade e objetividade do estudo;
      Apresentar-se como pesquisador e não fingir fazer parte do grupo;
      Solicitar o consentimento dos informantes (verbal ou por escrito);
      STUMPF, Ida R.C. Estudos de Usuários: aspectos metodológicos
    • Ética dos Estudos Qualitativos (cont.)
      Garantir sigilo das informações;
      Negociar informações que serão tornadas públicas;
      Proteger interesses dos participantes, caso sua opinião acarrete riscos para os mesmos.
      STUMPF, Ida R.C. Estudos de Usuários: aspectos metodológicos