No século atual ,  o mundo globalizado  atribui à educação a inefável tarefa de alavancar as mudanças necessárias para a c...
No processo de transformação, a educação é considerada um DIREITO HUMANO. Hoy e Haddad (2005, p. 6) salientam que Direitos...
Desde a criação da Declaração Universal dos Direitos do Homem, a ONU, por meio de seus distintos organismos, tem velado pe...
Essa luta tem tomado forma por meio da busca de mobilização da opinião pública mundial para pressionar governos e comunida...
<ul><li>Estas campanhas salientam que a educação tem por meta: </li></ul><ul><li>promover o ensino público de qualidade, g...
Nessa concepção, o direito à educação privilegia o conjunto das dimensões nele implicadas: as dimensões ética, cultural e ...
Entendemos que  o direito à educação é também o processo de formação do indivíduo como sujeito de direitos. E, entre os co...
Defendemos o que reza na  Constituição Federal  acerca da Educação do nosso país, pois esta determina a vida social, polít...
Princípios observado no Art. 206 que destacam-se: I- Igualdade de condições para o acesso e permanência na escola; II-Libe...
Acreditamos que o conhecimento escolar é tema central das discussões sobre o currículo. Esse fato envolve o pressuposto de...
O Colégio Aydil acredita  e entende currículo como instrumento de viabilização do direito à educação  e na construção do s...
<ul><li>Com base em discussões apresentadas por esse autor destacam-se  alguns pontos de reflexão sobre o tema: </li></ul>...
O direito à educação e o currículo como instrumento para viabilizar esse direito nos obrigam a desconstruir crenças crista...
O direito à educação e o currículo como instrumento para viabilizar esse direito nos obrigam a desconstruir crenças crista...
Além da LDB (Lei de Diretrizes e Bases), o Colégio Aydil conta com outros subsídios para definição do currículo a ser adot...
Nossa Escola
Nossa Visão é: Ser reconhecida como uma unidade escolar dinâmica, integrada, e comprometida com a formação de cidadãos ple...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Atividade FDE

1,049 views
947 views

Published on

Os slides revelam a importância e aplicabilidade dos currículos na educação atual e no Colégio Aydil Lima dos Santos em Piritiba

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,049
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
11
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Atividade FDE

  1. 1. No século atual , o mundo globalizado atribui à educação a inefável tarefa de alavancar as mudanças necessárias para a construção de um espaço melhor para se viver.
  2. 2. No processo de transformação, a educação é considerada um DIREITO HUMANO. Hoy e Haddad (2005, p. 6) salientam que Direitos Humanos constituem: um conjunto de princípios aceitos universalmente, reconhecidos pelas Constituições dos diferentes países e garantidos através de normas jurídicas. Eles objetivam assegurar o respeito à dignidade de todos e todas. O respeito à dignidade, por seu turno, envolve considerar as dimensões: individual, social, material e espiritual das pessoas.
  3. 3. Desde a criação da Declaração Universal dos Direitos do Homem, a ONU, por meio de seus distintos organismos, tem velado pela reafirmação da educação como direito de todos os povos a exemplo citamos: Convenção Relativa à Luta contra as discriminações na Esfera do Ensino; Fórum do Milênio ; Declaração dos Direitos da Criança (1959); Declaração do Milênio das Nações Unidas ; Fórum Mundial de Educação ; Fórum Social Mundial ; Campanha Global pela Educação ; Campanha Nacional pelo Direito à Educação ;
  4. 4. Essa luta tem tomado forma por meio da busca de mobilização da opinião pública mundial para pressionar governos e comunidades internacionais pela efetivação de uma educação básica gratuita e compulsória para todas as pessoas, especialmente para as crianças, as mulheres e os setores excluídos da sociedade.
  5. 5. <ul><li>Estas campanhas salientam que a educação tem por meta: </li></ul><ul><li>promover o ensino público de qualidade, gratuito e obrigatório para todas as crianças a partir dos oito anos, e uma segunda chance para os adultos que não conseguiram estudar no tempo adequado </li></ul><ul><li>melhorar as condições da educação e cuidado na primeira infância </li></ul><ul><li>aumentar os investimentos públicos no ensino básico, destinar novos recursos de auxílio aos países em desenvolvimento e lutar pelo perdão das dívidas dos países pobres </li></ul><ul><li>pôr fim ao trabalho infantil </li></ul><ul><li>promover a participação democrática da sociedade civil, incluindo os professores e seus sindicatos, nas decisões educacionais em todos os níveis </li></ul><ul><li>fornecer salários justos e regulares aos professores, salas de aulas apropriadamente equipadas e bons livros </li></ul><ul><li>oferecer serviços inclusivos e não discriminatórios para todos </li></ul><ul><li>promover uma iniciativa global pela educação básica, mobilizando políticas públicas e novos recursos que financiem planos nacionais de educação para atingir as metas de 2015. </li></ul>
  6. 6. Nessa concepção, o direito à educação privilegia o conjunto das dimensões nele implicadas: as dimensões ética, cultural e política, além da dimensão econômica, tendo sempre presentes os problemas sociais existentes. Com base nesse princípio, enquanto integrante da equipe gestora do Colégio Estadual Profª Aydil Lima dos Santos , procuramos desenvolver uma educação que valoriza e que inclui o cidadão tendo sempre como o foco o aprendizado para garantir o direito do aluno. Atendendo o princípio de que educação é um Direito, o Colégio Aydil tem como missão: Servir pessoas, atendendo às suas necessidades educacionais, sociais e afetivas com qualidade e compromisso.
  7. 7. Entendemos que o direito à educação é também o processo de formação do indivíduo como sujeito de direitos. E, entre os conhecimentos e habilidades a serem adquiridos na escola, está a da convivência numa coletividade, com consciência de suas responsabilidades e dos seus direitos. Isso como meio de os cidadãos em formação aprenderem a velar pelos citados direitos quando tiverem que atuar nos múltiplos espaços sociais.
  8. 8. Defendemos o que reza na Constituição Federal acerca da Educação do nosso país, pois esta determina a vida social, política e jurídica do Brasil, organizando o Estado. Ao ordenar a sociedade e o Estado, a Constituição também dispõe sobre a educação e sobre a forma de concretizá-la. Assim, quando se buscam as bases do Direito Educacional, o ponto de partida deve estar na Constituição, naqueles princípios abrangentes, capazes de multiplicarem-se em muitos direitos, em muitas garantias e muitos deveres.
  9. 9. Princípios observado no Art. 206 que destacam-se: I- Igualdade de condições para o acesso e permanência na escola; II-Liberdade de aprender,ensinar,pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber; III-Pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas , e coexistêncai de instituições públicas e privadas de ensino; IV- Gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais; VValorização do profissionais de ensino, garantindo, na forma da lei, planos de carreira para o magistério público, com piso salarial profissional e ingresso , exclusivamente, por concurso público de provas e títulos , assegurando regime jurídico único para as instituições mantidas pela União; VI- Gestão democrática do ensino público, na forma da lei; VII- garantia de padrão de qualidade.
  10. 10. Acreditamos que o conhecimento escolar é tema central das discussões sobre o currículo. Esse fato envolve o pressuposto de que a escola precisa preparar-se para socializar os conhecimentos escolares, com o objetivo também de facilitar o acesso do estudante a outros saberes. Os conhecimentos construídos socialmente e que circulam nos diferentes espaços sociais constituem direito de todos.
  11. 11. O Colégio Aydil acredita e entende currículo como instrumento de viabilização do direito à educação e na construção do seu Projeto Político Pedagógico há um enfoque dado à elaboração de planejamento cujos componentes curriculares procurem atender os direitos dos estudantes, pois defendemos a importância do trabalho coletivo na educação para a construção de parâmetros de ação pedagógica; o fato de serem os educandos sujeitos de direito ao conhecimento; a necessidade de se mapearem imagens e concepções dos educandos para subsidiar o debate sobre os currículos. Essa prática adotada pela escola corrobora a defendida por Miguel Arroyo autor que tem se preocupado com o currículo e os sujeitos envolvidos na ação educativa ,(ARROYO, 2006).
  12. 12. <ul><li>Com base em discussões apresentadas por esse autor destacam-se alguns pontos de reflexão sobre o tema: </li></ul><ul><li>O currículo e os sujeitos da ação pedagógica </li></ul><ul><li>O currículo e a qualidade do ensino </li></ul><ul><li>Os educandos como sujeitos de direitos </li></ul>
  13. 13. O direito à educação e o currículo como instrumento para viabilizar esse direito nos obrigam a desconstruir crenças cristalizadas e a repensá-las à luz de critérios éticos:para desconstruir a crença na desigualdade da capacidade de aprender, é preciso confrontá-la com o direito igual de todos à educação, ao conhecimento e à cultura. Os avanços das ciências desconstroem nossos olhares hierárquicos e classificatórios das capacidades e ritmos dos estudantes, além de nos levarem a visões mais respeitosas e igualitárias. Há necessidade, portanto, de entender mais os processos de aprender dos currículos. A questão central continua a ser o que ensinar, como ensinar, como organizar os conhecimentos, tendo como parâmetro os processos de aprendizagem dos educandos em cada tempo humano. Assim à medida que essas questões vindas da visão dos estudantes e suas aprendizagens interrogam nossos currículos, somos levados a rever as lógicas em que estruturamos os conteúdos escolares.
  14. 14. O direito à educação e o currículo como instrumento para viabilizar esse direito nos obrigam a desconstruir crenças cristalizadas e a repensá-las à luz de critérios éticos:para desconstruir a crença na desigualdade da capacidade de aprender, é preciso confrontá-la com o direito igual de todos à educação, ao conhecimento e à cultura. Os avanços das ciências desconstroem nossos olhares hierárquicos e classificatórios das capacidades e ritmos dos estudantes, além de nos levarem a visões mais respeitosas e igualitárias. Há necessidade, portanto, de entender mais os processos de aprender dos currículos. A questão central continua a ser o que ensinar, como ensinar, como organizar os conhecimentos, tendo como parâmetro os processos de aprendizagem dos educandos em cada tempo humano. Assim à medida que essas questões vindas da visão dos estudantes e suas aprendizagens interrogam nossos currículos, somos levados a rever as lógicas em que estruturamos os conteúdos escolares.
  15. 15. Além da LDB (Lei de Diretrizes e Bases), o Colégio Aydil conta com outros subsídios para definição do currículo a ser adotado em seu PPP: As Diretrizes Curriculares Nacionais, os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) e outros documentos oficiais emitidos pelos estados e/ou municípios que orientam e apoiam as discussões e o desenvolvimento do Projeto Pedagógico da escola. Na tentativa de cumprir sua missão acredita que o currículo , reelaborado no âmbito da escola, transforma-se, assim, no currículo real, que não pode ser entendido como simples seleção de informações prontas a serem repassadas aos seus alunos. Ao contrário, o currículo real só pode servir de ferramenta para os alunos compreenderem o mundo se seus conhecimentos forem apropriados ativamente, por meio de um ensino bem ministrado e isso exige que a equipe escolar planeje como o currículo real será implementado, de modo a conduzir , sem tropeços, à aprendizagem e , consequentemente , ao sucesso escolar.
  16. 16. Nossa Escola
  17. 17. Nossa Visão é: Ser reconhecida como uma unidade escolar dinâmica, integrada, e comprometida com a formação de cidadãos plenos, críticos, éticos e conscientes, cumprindo a responsabilidade social e respeitando as diferenças.

×