51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica

1,194 views
996 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,194
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
47
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica

  1. 1. Biologia 12º anomaio 2013Leonor Vaz PereiraPoluição e degradação derecursos – Parte IITEMA 5PRESERVAR E RECUPERAR O MEIO AMBIENTE
  2. 2. Que soluções para o efeito da atividade humanasobre o ambiente?Situação ProblemáticaQue atividadeshumanas temcontribuído para acontaminação doplaneta?Quais os principaiscontaminantes do ar,água e solo?Quais os impactes aonível dos ecossistemase da saúde?Capítulo 2.Crescimento da populaçãohumana e sustentabilidadeCapítulo 1.1.Contaminantesda atmosfera, dosolo e da água eseus efeitosfisiológicosPorque é que as águasresiduais são um dosprincipais fatores decontaminação?Como diminuir osimpactes da atividadehumana?De que modo sepodem controlar asemissões gasosas?Que fatores temcondicionado odesenvolvimento dapopulação humana aolongo do tempoQuais as consequências daexplosão demográfica para aqualidade de vida?Quais as consequências daexplosão demográfica para omeio ambienteO nível de desenvolvimentocondicionará o seucrescimento?Implicadomínio dastemáticasReprodução emanipulação dafertilidadeU1Patrimóniogenético ealterações domaterial genéticoU2Imunidade econtrolo dedoençasU3Produção dealimentos esustentabilidadeU4
  3. 3. POLUIÇÃO ATMOSFÉRICAContaminação do ar por substâncias capazes de causar danos aos seres humanos,a outras formas de vida e a materiais diversos.As atividades humanas ou certos fenómenos naturais dão origem a poluentesatmosféricos.
  4. 4. Composição daatmosfera da TerraO gráfico inferior representa osgases residuais que, ao todo,compõem 0,039% da atmosfera.Os valores foram normalizados para propósitos ilustrativos. Os númerossão de medidas feitas em uma variedade de anos (especialmente 1987,com dados de CO2 e metano de 2009) e não representam uma fonteúnica.
  5. 5. Estratificação da atmosferaA atmosfera é constituídapor uma série de camadashorizontais sobrepostas,separadas umas das outraspor zonas de inversão detemperatura, que resultade diferenças na absorção deenergia solar que incide naTerra.Essas camadas são, a partirda superfície terrestre, atroposfera, a estratosfera,a mesosfera, a termosferae esosfera.Página 79
  6. 6. EstratosferaCamada rica em ozono. Este gás origina-se a partirde moléculas de oxigénio que interagem com aradiação ultravioleta emitida pelo sol.
  7. 7. Poluição atmosféricaA poluição atmosférica afeta, principalmente, atroposfera e a estratosfera.Segundo a OMS, mais de mil milhões de pessoasvivem em locais onde o ar é insalubre.
  8. 8. Origem dos poluentesA Poluição do ar ocorre quando sãolançadas para a atmosfera partículaspartículas,gases e vaporesgases e vapores (aerossóis) gerados porindústrias, centrais termoelétricas (fontesfixas) ...... veículos automotores, navios,comboios, aviões ... (fontes móveis)
  9. 9. Principais Poluentes daAtmosferaPágina 81
  10. 10. Página 81Principais Poluentes daAtmosfera
  11. 11. Classificação dos poluentesatmosféricosPágina 80POLUENTES PRIMÁRIOSPOLUENTES PRIMÁRIOS- emitidos diretamentepara a troposfera numaforma potencialmenteprejudicial a partir defontes identificáveis (CO,NOx, SO2, HCs e materialespecífico)POLUENTES SECUNDÁRIOSPOLUENTES SECUNDÁRIOS- produzidos na atmosferapela interação entre dois oumais poluentes primários,com ou sem ativaçãofotoquímica (O3, HNO3,H2SO4, H2O2, PAN -peroxinitratos).
  12. 12. Efeito do climainversões térmicasGeralmente, o ar atmosférico é mais quentena parte de baixo (recebe o calorarmazenado no solo) e, sendo menos denso,tende a subir, enquanto o ar frio passa parabaixo (convecção térmica), dispersando apoluição.No inverno, como o solo fica mais frio, háuma inversão dessas camadas : como não háconvecção, os poluentes ficam presos nacamada fria inferior.
  13. 13. Impactes da poluiçãoatmosféricaA circulação do ar (ventos)faz com que a poluiçãoatmosférica, mesmo quandooriginada por fontes locais,atinja facilmente umadimensão regional ouglobal.O nevoeiro fotoquímico;as chuvas ácidas, o efeitode estufa e a rarefação doozono estratosférico sãoproblemas provocados pelapoluição atmosférica comimpacte global no planeta.Página 82
  14. 14. Nevoeiro fotoquímicoPágina 82
  15. 15.  O nevoeiro fotoquímico,também conhecido por SmogSmog,consiste numa mistura depoluentes primáriospoluentes primários(Monóxido de Carbono, Dióxidode Enxofre ) e poluentespoluentessecundáriossecundários, como por exemploo ozono, formados sob ainfluência da luz solar.Nevoeiro fotoquímico
  16. 16. É um aerossol branco , intensamenteintensamenteirritante aos olhos e mucosasirritante aos olhos e mucosas, compostopor uma série de poderosos agentesoxidantes, com o ozono, peroxinitratos(ROONO2) e aldeídos (carros a álcool).Este tipo de poluição torna-se maisevidente nos dias secos e quentes.Nevoeiro fotoquímico
  17. 17. Chuvas ácidasAs chuvas normais têm um pH de, aproximadamente, 5,6.A chuva ácida é caracterizada por um pH abaixo de 4,5.Os óxidos de enxofre e os óxidos de azoto de origem antrópica,sobre tudo queima de combustíveis fósseis em centraistermoeléctricas, indústria e transportes rodoviários, reagem como vapor de água atmosférico e originam ácido sulfúrico e ácidonítrico.Uma vez formados, os ácidos precipitam na superfície terrestre.
  18. 18. Chuvas ácidasPágina 83
  19. 19. Efeitos das chuvas ácidasO baixo pH também faz circular metaispesados como o alumínio nos lagos.O alumínio faz com que alguns peixesproduzam muco em excesso ao redor desuas guelras, prejudicando a respiração.O crescimento de fitoplânctoné inibido pelos grandes níveisde acidez e os animais que sealimentam dele sãoprejudicados.Página 84
  20. 20. Efeitos das chuvas ácidasO crescimento das raízestorna-se lento e emconsequência, menosnutrientes sãotransportados.A superfície cerosa dasfolhas é rompida e osnutrientes são perdidos,tornando as árvores maissusceptíveis a gelo, fungose insetosPágina 84
  21. 21. Efeitos das chuvas ácidasPágina 84
  22. 22. Efeitos das chuvas ácidas• Destruição de florestas, por ação direta sobreas plantas ou indireta pela acidificação dosolo;• Desequilíbrios nos ecossistemas aquáticosprovocados pela morte dos peixes e libertaçãode iões tóxicos (alumínio, cobre, etc);• Aumento da frequência e gravidade dedoenças respiratórias em seres humanos, comoa bronquite e a asma;• Libertação de metais pesados, como cobre echumbo, das canalizações para a água deconsumo público;• Degradação de monumentos,particularmente de calcário e mármore.
  23. 23. Efeito de estufaFenómenonatural que setraduz peloaquecimentodas baixascamadas daatmosferadevido àpresença decertos gases.Página 86
  24. 24. Efeito de estufaCaracterizaçãoDa radiação solarque incide na Terrauma parte é refletidapela atmosfera ouabsorvida pelo ozonoestratosférico. A queatinge a superfícieterrestre gera calor,que é irradiado sob aforma de radiaçãoinfravermelha.
  25. 25. Efeito de estufa
  26. 26. Efeito de estufaCaracterizaçãoOs gases “de estufa” (vapor de água,dióxido de carbono, ozono, CFC’s)absorvem alguma radiaçãoinfravermelha emitida pela superfícieda Terra e radiam por sua vezalguma da energia absorvida de voltapara a superfície.Como resultado, a superfície recebequase o dobro de energia daatmosfera, do que a que recebe do Sole a superfície fica cerca de 30ºC maisquente do que estaria sem a presençados gases “de estufa” (-18ºC).
  27. 27. Cerca de 30% daradiação infravermelhavolta para o espaçoCalor aprisionadopelo excesso dedióxido de carbonoDióxido de carbonolibertado pelaaeronaveOs oceanos aquecem libertandovapor de água que contribui para oaquecimento da atmosferaSuperfície da terrairradia o calor de voltapara a atmosferaRadiaçãosolarabsorvidapela TerraQueima de combustíveisfósseis e emissão de gasespelos veículos automotoresA desflorestaçãoaquece a TerraAs fábricas libertamdióxido de carbono
  28. 28. OUTROS ELEMENTOS QUE CONTRIBUEM PARA O EFEITO DE ESTUFA:METANO, ÓXIDO NITROSO,DIÓXIDO DE ENXOFRE,METANO, ÓXIDO NITROSO,DIÓXIDO DE ENXOFRE,CFC, VAPOR D’ÁGUA, OZONOCFC, VAPOR D’ÁGUA, OZONOGases com efeito de estufa
  29. 29. Aquecimento global
  30. 30. Consequências doAquecimento globalElevação do nível dos maresprovocada por:- dilatação térmica da massa deágua oceânica.- degelo das calotas polares egeleiras.Alterações climáticas em todo oplaneta;- aumento de tempestades.- ondas de calor.- alterações no ciclo das chuvas.
  31. 31. Consequências doAquecimento globalAumento da biomassa terrestre e oceânica provocada por:- aceleração da função clorofiliana.- aumento do teor de CO2 dissolvido nos oceanos, comaumento de organismos com exoesqueletos decarbonato de cálcio.Modificações profundas na vegetação típica de cada regiãoe altitude.Aumento na incidência de doenças e proliferação de insetosnocivos ou vetores de doenças, o que poderá resultarem grandes alterações sociais.
  32. 32. Degelo lento e continuadodas calotes polares
  33. 33. Efeito de Estufa, comoevitar?Diminuir a desflorestação progressiva e tentar reflorestaras áreas que se encontram destruídas pelo homem;Utilizar transportes coletivos ou não poluentes;Utilizar energias alternativas como a energia eólica;Limpar as matas de modo a tentar evitar incêndios degrandes dimensões;Controlar a emissão de gases por parte das indústrias(instalação de filtros);Reduzir a queima de resíduos urbanos, industriais,agrícolas e florestais, tais como explosivos, resinas, tintas,plásticos e pneus;
  34. 34. O PROTOCOLO DE KYOTO (1997) Acordo internacional, assinado por 84 países, em 1997, emKyoto no Japão, que estabelece, entre 2008 e 2012, a redução de5,2% dos gases-estufa, em relação aos níveis em 1990.METAS DE REDUÇÃOMETAS DE REDUÇÃOPaíses da União Européia – 8%Estados Unidos – 7%Japão – 6%Para a China e os países emdesenvolvimento, como Brasil, Índia eMéxico, ainda não foram estabelecidosníveis de redução Balão com os dizeres “Bush & Co. = desastre ambiental”na Patagônia (Argentina) em protesto contra os E.U.A
  35. 35. O ozono é responsável pela absorção de uma porçãode uma radiação solar, impedindo-a de atingir asuperfície do planeta, nomeadamente das radiaçõesUV-B.Camada de ozono
  36. 36. Como se forma a camada deOzono?OOUVOOOOOOUVO+→+→++→+23322
  37. 37. Buraco da camada de OzonoBuraco da camada de OzonoPágina 87
  38. 38. Os CFCs sobem lentamente para camadas superiores àcamada de ozono.Os raios ultravioletas decompõe os CFCs, libertando átomosde cloro (Cl).O cloro como é mais denso, desce, voltando para a camadade ozono, destruindo-o.Como se forma o buraco nacamada de Ozono?Página 88
  39. 39. Outros destruidores da camada de ozono:•tetracloreto de carbono (um solvente);•dióxido de nitrogénio (utilizado na composição do ácidonítrico);•metilclorofórmio (anestésico e solvente) usados em lavagema seco e no ramo farmacêutico;•"halons", usados em alguns extintores de incêndio, quecontém bromo e são dez vezes mais destruidores de ozono doque os CFCs. O CFC tem uma vida útil de pelo menos 75 anos.1 CFC destrói 100 mil moléculas de ozono
  40. 40. POR QUE É A ANTÁRTIDA AREGIÃO MAIS AFETADA?VÓRTICE POLAR Na Antártida, devido ao rigoroso inverno de seis mesesdevido ao rigoroso inverno de seis meses, essacirculação de ar não ocorre. Então formam-se círculos de convecçãoexclusivos daquela área, chamados de vórtex ou vórtice polar. O vórtice isola a atmosfera Antártida e impede a entrada de ozono,essencialmente produzida sobre os trópicos e transportado até lá pelosventos. Assim, os poluentes atraídos durante o verão, ficam retidos naAntártida até que sobem para a estratosfera. Em todo o mundo, as massas dear circulam, por isso, umpoluente lançado em Portugal,pode ir parar ao Brasil devido àscorrentes de convecção.
  41. 41. Rarefação da camada deozono estratosféricoIn: “Ozone Bulletin and data”. Descarregado de: http://www.wmo.ch/web/arep/ozone.html em 12/09/02Em Setembro, com o início da primavera, os compostos acumuladoscomeçam a dissociar-se, iniciando então uma destruição em largaescala do ozono local, situação que se perpétua até Novembro,quando a circulação se modifica, com a entrada de ar oriundo deoutras regiões e a constante recomposição da camada local de ozono.
  42. 42.  AUMENTO DA INCIDÊNCIA DOS VÁRIOS TIPOS DE CANCRO DEPELE. ALTERAÇÃO DO PROCESSO DE FOTOSSÍNTESE.LEVANDO A REDUÇÃO DAS COLHEITAS AGRÍCOLAS DESTRUIÇÃO DO FITOPLÂNCTON MODIFICAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO TÉRMICA E A CIRCULAÇÃO DOAR NO PLANETA. AGRAVAMENTO O EFEITO ESTUFA.CONSEQUÊNCIAS DA DESTRUIÇÃODA CAMADA DE OZONO
  43. 43. DESTILAÇÃO GLOBALDESTILAÇÃO GLOBAL A destilação global é um processo geoquímico em que certos produtosquímicos, como os poluentes orgânicos persistentes (POPS) se deslocam daszonas mais quentes do globo para as regiões mais frias. Este processo é ocausador da elevada concentração de gases tóxicos em zonas em que não sãoproduzidos, é o que acontece no Ártico.
  44. 44. PARTÍCULAS SÓLIDASA acumulação destaspartículas sólidas geradas pelaatividade industrial, envolve asáreas industrializadas comuma poeira, reduzindo avisibilidade. Várias dessas partículas ficamretidas nos pulmões causandograves problemas respiratóriosou agravando os que jáexistem.
  45. 45. Soluções para poluiçãoatmosférica

×