Introdução à interatividade

3,658
-1

Published on

Class featuring digital interactivity and interactive narratives

2 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
3,658
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
2
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Introdução à interatividade

  1. 1. Universidade do Minho Instituto de Ciências Sociais Departamento de Ciências da ComunicaçãoProfessor Leonardo Pereira Ano Curricular - 2011 | 2012 ATELIER AUDIOVISUAL E MULTIMÉDIA II - Multimédia Curso de Ciências da Comunicação - 3º Ano | 1º Semestre Aula 05 1. INTRODUÇÃO À INTERATIVIDADE E ÁS NARRATIVAS INTERATIVAS
  2. 2. Universidade do Minho Módulo MultimédiaInstituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo PereiraDepartamento de Ciências da Comunicação01Introdução à interatividade e seu potencial narrativo leonardpeartree@gmail.com
  3. 3. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da ComunicaçãoInteratividade Existem várias definições: O que é? “Interactive means that the user or reader can make choices about the order in which information is taken from the project.” Friedman, Anthony, Writing for Visual Media, Focal Press, 2001 “Interactivity means the ability to intervene in a meaningful way within the representation itself, not to read it differently.” Cameron, Andy, illusions of interactivity, in MFJ No. 28 (Spring 1995) leonardpeartree@gmail.com
  4. 4. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da ComunicaçãoInteratividade Mas no contexto das nossas aulas, quando falarmos em interatividade, estaremos O que é? a falar na possibilidade de um utilizador poder estabelecer uma relação ativa e participativa com um determinado conteúdo. Por exemplo: Quando vemos um filme temos, enquanto espectadores, uma relação passiva com o conteúdo. Porquê? Porque não interferimos com o filme nem o manipulamos. Ele corre linearmente no tempo, correndo do ínício, passando pelo meio e chegando até ao fim. Sentido de consumo e fruição tradicional de um filme Início >>>>>>>>>>>>>>>>>>> Meio >>>>>>>>>>>>>>>>>> Fim leonardpeartree@gmail.com
  5. 5. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da ComunicaçãoInteratividade Na Web O que é? Quando estamos, por exemplo, a navegar num website, já temos uma postura diferente. Estamos a ter uma postura ativa e participativa. Porquê? Porque temos objetos interactivos - os botões - que nos permitem aceder às diferentes páginas, não numa ordem pré-determinada, mas sim, segundo uma ordem e lógica que somos nós que escolhemos ao navegar. Page 1 Page 2 Homepage Page 3 Page 4 Page 5 Dito por outras palavras a interatividade permite-nos controlar a nossa própria experiência de consumo de um conteúdo. leonardpeartree@gmail.com
  6. 6. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da ComunicaçãoInteratividade Em produtos digitais de entretenimento O que é? Por outro lado a interatividade pode ser também utilizada num conteúdo de entretenimento e sem ter, necessariamente, uma narrativa associada. O que há é a participação do utilizador numa experiência que se pretende lúdica e que se aproxima à logica de um jogo mas sem ser um jogo. Tickle her the way you want The Uggly Dance http://www.extremefunnyhumor.com/animation. http://theuglydance.com/ php?id=49&page=3 leonardpeartree@gmail.com
  7. 7. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da ComunicaçãoInteratividade Mas a interatividade não é exclusiva da web e da multimédia. Ela pode também ser O que é? aplicada ao contexto do vídeo interativo onde o utilizador escolhe o rumo da história. Vamos ver exemplos: “The Outbreak”http://www.survivetheout- break.com/ Neste vídeo interactivo o utilizador é sempre convidado a escolher entre dois possíveis desenvolvimentos de história. leonardpeartree@gmail.com
  8. 8. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da ComunicaçãoInteratividade “Hbo Voyeur” O que é?http://archive.bigspace- ship.com/hbovoyeur/ Neste exemplo, o utilizador pode ver o que se passa dentro de um prédio. Apesar de só poder espiar uma divisão e prédio de cada vez, ainda é o utilizador que escolhe a ordem pela qual “espia” os acontecimentos que decorrem dentro de cada prédio. leonardpeartree@gmail.com
  9. 9. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da ComunicaçãoInteratividade “American Idol Interactive Experience” O que é?http://www.youtube.com/watch?v=vrWykYNfHYU Neste exemplo, disponível no youtube, os utilizadores podem escolher os elementos do juri do concurso e depois ver como esse juri, julga os concorrentes. Diferentes combinações de juízes dão origem a diferentes reações. leonardpeartree@gmail.com
  10. 10. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da ComunicaçãoInteratividade “A hunter shoots a bear” - Tipp-ex Experience O que é?http://www.youtube.com/ user/tippexperience Neste exemplo, disponível no youtube, os utilizadores são convidados a sugerir o que o caçador deve fazer ao urso, por contraponto à voz-off que incita a que o caçador o mate. leonardpeartree@gmail.com
  11. 11. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da ComunicaçãoInteratividade Conclusão O que é? Num vídeo ou animação a interactividade pode, pela participação que oferece ao espe- tador/utilizador, interferir com a linearidade da narrativa e com a experiência vivida pelo utilizador na sua relação com a mesma. O desenrolar da história pode ser controlado pelo utilizador. E esse controlo é uma das variáveis que pode tornar a experiência vivida mais interessante, imersiva e apelativa. E ENTRAMOS AQUI NO DOMÍNIO DAS NARRATIVAS INTERACTIVAS QUE É O QUE VAMOS EXPERIMENTAR, ESTUDAR E EXPLORAR NA NOSSA PRIMEIRA PROPOSTA DE TRABALHO. leonardpeartree@gmail.com
  12. 12. Universidade do Minho Módulo MultimédiaInstituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo PereiraDepartamento de Ciências da Comunicação02O que é uma narrativa interativa e como a potenciar? leonardpeartree@gmail.com
  13. 13. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da ComunicaçãoNarrativainterativa Como potenciar uma narrativa em Flash com a interatividade? Em primeiro lugar, no Flash, com a possibilidade que temos de criar interatividade, temos também a possibilidade de fragmentar a linearidade de uma narrativa. É justamente isso que terão de conseguir fazer neste exercício. leonardpeartree@gmail.com
  14. 14. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da ComunicaçãoNarrativainterativa Mas... o que é uma narrativa interativa? Uma narrativa interactiva é um processo de sequenciação cronológica de eventos, numa lógica de causa-e-efeito, que só poderá ser activado e continuado através da interacção/ participação/escolha do utilizador de várias possibilidades que lhe são dadas para dar continuidade ao desenrolar dos eventos. Ou seja, É um tipo de narrativa em que o seu desenvolvimento depende essencialmente da participação e escolhas tomadas pelo espetador/utilizador. Para se conceber uma narrativa interactiva, é necesssário compreender que tipos de estruturas narrativas é que há e aquela que nos interessa explorar. leonardpeartree@gmail.com
  15. 15. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da ComunicaçãoNarrativainterativa Tipos de narrativa Os vários tipos de narrativa dividem-se pelo tipo de estrutura que as compõe: A tradicional - Linear: caracteriza-se por ser linear e por não depender da interação do utilizador para que esta se desenrole (é a que não nos interessa aqui). Em árvore - Não linear: caracteriza-se por não ser linear e por depender da interação e escolhas tomadas pelo utilizador para que a história se desenrole. Devido ao número de possibilidades infinitas que abre este tipo de estrutura narrativa torna-se muito dificil de “controlar”. Caminhos Paralelos - Multi Linear: caracteriza-se por não ser linear e por ser uma es- pécie de reconfiguração da perspectiva em árvore. Neste tipo de narrativa, ao utilizador/ espectador são dadas sempre duas possibilidades de escolha de desenvolvimento que se voltam a unir mais à frente no tempo, dentro da sequência de eventos da mesma narrativa (é esta a que nos interessa). leonardpeartree@gmail.com
  16. 16. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da ComunicaçãoNarrativainterativa A TRADICIONAL - LINEAR Princípio Meio Princípio leonardpeartree@gmail.com
  17. 17. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da ComunicaçãoNarrativainterativa EM ÁRVORE - NÃO LINEAR leonardpeartree@gmail.com
  18. 18. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da ComunicaçãoNarrativainterativa CAMINHOS PARALELOS - MULTI LINEAR Opção 1 Opção 1 Opção 2 Opção 2 leonardpeartree@gmail.com
  19. 19. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da ComunicaçãoNarrativainterativa Qual usar? A de Caminhos paralelos! É aquela em que conseguimos ter algum nível de controle sobre as possíbilidades de desenvolvimento da narrativa e onde há interacção do utilizador com a mesma. leonardpeartree@gmail.com
  20. 20. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da ComunicaçãoNarrativainterativa E que mais formas tenho de potenciar uma narrativa pela interatividade? Usando o poder dos botões interativos animados! leonardpeartree@gmail.com
  21. 21. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da ComunicaçãoUsar o poder Numa animação ou filme interativo em Flash, a típica forma de input ou interação de que narrativo o utilizador dispõe para interagir com a narrativa é através de botões interactivos. dos botões animados Os botões, como já vimos nos nossos tutoriais, têm vários estados: Up | Over | Down | Hit Geralmente estes estados são estáticos, ou seja, não têm animação. Mas pode não ser assim! Ou seja, quando fazemos um roll over (passar com o rato por cima do botão) ou um roll out (tirar o rato de cima do botão), o botão pode reagir com uma animação e não, sim- plesmente, mudar de cor, como geralmente acontece. leonardpeartree@gmail.com
  22. 22. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da ComunicaçãoUsar o poder Isto significa que, nos momentos em que interagimos “fisicamente” com o conteúdo (roll narrativo over e roll out do rato), podem ser introduzidos elementos narrativos que, por sua vez, podem influenciar o nosso utilizador a tomar uma entre as várias opções que lhe damos dos botões na nossa narrativa interativa. animados Por exemplo: Chegamos a um determinado momento da nossa narrativa e damos duas opções de continuação da narrativa: Deixo o ladrão fugir? ou Não o deixo fugir? Aqui, o que podemos fazer é, no momento do Roll Over sobre o botão, colocar uma pequena animação, que funcione como uma “pista” (verdadeira ou falsa) sobre o que pode acontecer se o utilizador optar por aquela opção. A inclusão deste tipo de pistas podem ser sub-elementos narrativos que enriquecem e tornam lúdica a experiência geral do utilizador com a nossa narrativa interactiva. Elas podem ser inseridas sob a forma de: • animação; • audio; • ou a combinação de ambas. leonardpeartree@gmail.com
  23. 23. Universidade do Minho Módulo MultimédiaInstituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo PereiraDepartamento de Ciências da Comunicação03Proposta de trabalho - Produção de uma narrativa Interativa leonardpeartree@gmail.com
  24. 24. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da ComunicaçãoProposta de Conceção e construção de uma narrativa interativa trabalho Os alunos terão de desenvolver uma narrativa Interactiva em Flash, com recurso a animação e/ou vídeo, onde terão de explorar a interactividade e o poder de “interferên- cia” narrativa que a interatividade pode adicionar a uma história. Exemplos: • narrativa de um dia da vida de alguém; • a história de uma situação ou episódio da vida de alguém; • entre outras possibilidades de narrativas. Pode ser sobre vós próprios ou sobre outra pessoa que queiram retratar ou descrever. Ou pode ser sobre outra coisa qualquer à vossa escolha... leonardpeartree@gmail.com
  25. 25. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Objectivos 1. Iniciar a implementação dos conhecimentos sobre Flash e Action Scripting lecciona-do exercício dos nas aulas anteriores; 2. Introduzir no processo criativo dos alunos e nas suas produções as primeiras noções e funções de interactividade básica; 3. Dotar os alunos da capacidade de implementar um grau de interactividade simples e básica que acentue/potencie o conceito/s, história/s, pessoa que pretendam descrever. O que interessa não é apenas a história mas, também, a forma como se conta a história. E aqui a interatividade pode ser um ingrediente muito interessante. Pensem nas anedotas! Há más anedotas que adquirem piada pela forma como são contadas. leonardpeartree@gmail.com
  26. 26. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da ComunicaçãoRecursos que Recursos Pictóricos: podem usar O que quiserem! Imagens, vídeo, som, animação, desenho, vectores, etc...Vai depender do vosso tema e da vossa própria linguagem gráfica. Recursos de programação: 1. go to and play/stop - scene 1 - frame 1, tanto na timeline como em botões; 2. Stop ou play; 3. Animação de botões com Movie Clips; 4. Cenas Limitações: 1. Preferencialmente só devem ter um ficheiro FLA e outro SWF final. 2. O ficheiro final não deverá exceder 5 Megas de peso (atenção à optimização). 3. Devem evitar, para já, o uso de load movies. leonardpeartree@gmail.com
  27. 27. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da ComunicaçãoAvaliação O que é que vai ser avaliado? 1. A capacidade de implementação do exercício em Flash CS4 ou CS5; 2. Correcta optimização dos recursos (cuidado com pesos); 3. Organização interna dos elementos nos layers e na Library do Flash; 4. Narrativa/Conceito e a sua criatividade; 5. Avaliação contínua. Esta proposta de trabalho vale 15% da avaliação da unidade curricular no final do semestre! leonardpeartree@gmail.com
  28. 28. Universidade do Minho Módulo Multimédia Instituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Entrega eapresentação Data de entrega: 24 de Novembro O exercício deverá ser desenvolvido em Flash CS4 ou CS5. Os alunos terão de en- tregar, os ficheiros .SWF e os ficheiros editáveis .FLA + fontes utilizadas no projecto. É igualmente obrigatória a entrega de uma pequena memória descritiva que ilustre, com texto e imagens, o trabalho desenvolvido pelo aluno, especificando qual o conceito ou história, assim como os recursos de programação utilizados na implementação em Flash do trabalho desenvolvido. Não precisam de entregar estes documentos em suporte impresso. Podem entregar um simples PDF. Muito importante: Quem estiver a trabalhar numa versão acima do CS4 tem, também, de entregar uma versão dos ficheiros editáveis em Flash CS4. leonardpeartree@gmail.com
  29. 29. Universidade do Minho Módulo MultimédiaInstituto de Ciências Sociais Atelier Audiovisual e Multimédia II - 2011 | 2012 Professor Leonardo PereiraDepartamento de Ciências da Comunicação04Dúvidas? leonardpeartree@gmail.com

×